Ir para conteúdo
Entre para seguir isso  
13furlan

Trilha do Bonete, em Ilhabela

Posts Recomendados

O Bonete é uma vila caiçara afastada do centro de Ilhabela e para chegar lá é preciso fazer a Trilha do Bonete, que tem pouco mais de 10 km, começando na Ponta da Sepituba e passando por algumas cachoeiras, mirantes, em meio a Mata Atlântica, sendo possível a observação da fauna e flora.

 

Essa trilha foi feita "sem querer", a ideia original na década de 1980 era abrir uma estrada para os carros chegarem lá. Assim, começaram a abrir o trajeto em meio a Mata Atlântica às pressas e sem planejamento adequado, e logo a natureza acabou com o pífio projeto: a erosão destruiu barreiras e a mata invadiu parte da futura estrada.

 

DSC03331.jpg

Um adendo: Essa "obra" tem a assinatura do então governador do estado de São Paulo, José Maria Marin, um dos queridinhos do regime militar brasileiro, e que hoje é o Presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF) e do COL (Comitê Organizador Local da Copa do Mundo da FIFA Brasil 2014), pois é minha gente: Deus tenha piedade de nós!

 

O resultado é uma trilha bem marcada e que permanece larga na maioria dos trechos, graças aos pouco mais de 300 moradores do Bonete que a utilizam como opção para chegar ao centro de Ilhabela. Além disso, existem várias placas do Parque Estadual Ilhabela, por onde a trilha passa, indicando o caminho para o Bonete e para as cachoeiras.

 

DSC03355.jpg

 

É praticamente impossível errar o caminho e/ou se perder nela. Por isso, a gente não a considera de nível difícil, apesar disso, têm pequenos empecilhos naturais como subidas íngremes (não chega a ter "escalaminhada"), travessia do Rio Areado e a distância. Outra dificuldade para quem pretende acampar no Bonete é o peso da mochila. Pense nisso na hora de fazer as mochilas e leve somente o essencial.

 

A Cachoeira da Laje foi a primeira a cruzar a trilha, ela fica a aproximadamente 3 km da Ponta da Sepituba e muitas pessoas fazem a trilha só até a cachoeira. Para atravessar o rio/cachoeira da Laje não é preciso ir pela água já que existe uma ponte de madeira e aço, passamos por ela e seguimos esperando o momento de encontrar a próxima cachoeira.

 

DSC03341.jpg

 

Demorou. Andamos mais de 1h30 na trilha sem sinal de água até que após uma descida mais estreita e ao som de água corrente nos deparamos com o Rio do Areado e suas longas quedas da água. Aí tivemos que atravessar o rio pela água, não tinha ponte. A água batia na altura da cocha, mas não tinha correnteza, e as pedras do fundo eram escorregadias. Tiramos nossos tênis, erguemos as mochilas e passamos sem pisar nas pedras.

 

DSC03382.jpg

 

Logo que passamos o rio começou o ataque dos "porvinhas" (borrachudos) e imediatamente passamos um repelente caseiro que compramos no estacionamento do Sepituba, após sentimos o ataque desses insetos já na chegada. Aproveitamos para encher nossas garrafas e seguimos a trilha sem subir o rio, onde dizem ter as melhores quedas da água, mas com acesso muito difícil.

 

Depois de algumas paradas para tomar água e duas horas depois de sairmos da Cachoeira do Areado, saímos da trilha principal e entramos em uma para um mirante da Praia do Bonete, de lá tivemos uma visão - de longe - de toda a praia e vila do Bonete. Ali também tem uma bica, sem saber a proveniência da água não a bebemos.

 

DSC03393.jpg

 

DSC03409.jpg

 

Faltava pouco para terminar a trilha, mas ainda passamos pela pequena Cachoeira do Saquinho que tem um poço bom para banho, e 30 minutos depois chegamos à Praia do Bonete.

 

Com barraca, colchão, edredom e mais alguns itens fizemos a Trilha do Bonete em 5 horas, sem parar para tomar banho nas cachoeiras, apenas parando para apreciar a beleza delas, ouvir os sons da Mata Atlântica e descansar. Otimistas dizem que dá para fazer a trilha em 3 horas.

 

Começamos o percurso às 9 horas e terminamos às 14 horas. Por causa do tamanho da trilha não é indicado começar após às 12 horas.

 

Na Praia do Bonete demos um mergulho no mar gelado como uma recompensa pela longa caminhada. A praia é linda, em toda sua orla tem árvores Chapéu-de-sol que fazem boas sombras, a água é uma das mais cristalinas que já vimos, a faixa de areia é grande e no canto esquerdo desemboca o Rio Nema, onde se concentram os barcos dos pescadores.

 

 

Procurando um camping para passar a noite encontramos o Camping da Vargem (popularmente conhecido como Camping do Eugênio), que fica em uma "rua" paralela a praia. Uma senhora nos atendeu e mostrou as instalações (no fundo de uma casa). O valor por noite foi de R$20/pessoa. Lugar legal, barato e já tinha algumas barracas armadas. Arrumamos nosso canto, tomamos um banho e passamos repelente logo em seguida.

 

Depois de um breve descanso demos uma volta pela Praia do Bonete. Seguimos até o Rio Nema onde tinha uma grande movimentação de pescadores, tiramos algumas fotos e brincamos com os cachorros.

 

DSC03465.jpg

 

Não tinha - ou pelo menos não vimos - outra opção para comer a não ser um quiosque em frente à capela. Comemos por lá mesmo. Pegamos uma porção de iscas de peixe por 30 reais e cada cerveja saiu por 5 reais a lata. A porção serviu bem duas pessoas e estava suculenta, uma delícia! Já a cerveja deixou a desejar, só tinha Itaipava e estava meio quente. Foi cobrado 10% do Bob, o garçom.

 

Dormimos cedo e acordamos no meio da noite com muita sede e já que estávamos acordados fomos até a praia ver como era a noite por lá. Pegamos nossa lanterninha - que mal iluminava nossos pés - e logo que saímos do camping fomos recebidos pela escuridão da noite, lá não têm postes de iluminação nas "ruas", a única fonte de luz é a lua. A orla da praia também estava toda escura. O céu estava estrelado e com poucas nuvens indicando que o próximo dia seria de muito sol.

 

DSC03480.jpg

 

Voltamos a dormir e acordamos cedinho, pouco antes da alvorada. Fomos à praia, enquanto amanhecia observávamos as aves e os cantos dos passarinhos. Logo apareceram dois cachorros para nos fazer companhia. Depois veio a maior surpresa do dia: um pinguim! Ele estava na areia, no canto direito da praia, bastante debilitado com sinais de machucados nas costas e mal conseguia ficar em pé.

 

Segundo alguns moradores pinguins como aquele aparecem com certa frequência no Bonete. Um pessoal colocou ele em uma prancha e deixou ele no mar, mas não teve jeito ele voltou para areia.

 

DSC03539.jpg

 

DSC03568.jpg

Nos apressamos para desmontar a barraca e voltar para o centro de Ilhabela, pois tínhamos um mergulho marcado na Ilha das Cabras (Praia Pedras Miúdas). Mas antes, passamos na Cachoeiras do Poço Fundo, no Rio Nema, que fica a 10 minutos do camping. São pequenas quedas da água e um poço excelente para banho e águas cristalinas.

 

Voltamos ao acampamento. Tomamos banho, desarmamos a barraca e fomos até o canto esquerdo da praia procurar alguém para levar a gente até a Ponta da Sepituba de barco. Encontramos o Totó que iria partir às 10 horas.

 

Faltava meia hora e enquanto aguardávamos vimos que o pinguim permanecia na areia, mais debilitado e com tomando um Sol forte. Infelizmente não tinha o que fazer e já havia alguns urubus o rodeando. É a natureza!

 

Às 10 horas partimos daquele paraíso que já na saída deixou saudade, foram poucas horas ali, mas o suficiente para gente se apaixonar por ele.

 

A viagem de barco foi uma verdadeira aventura, naquela região o mar é bravo e inclusive têm vários barcos naufragados ali, mesmo assim o Totó não reduziu a velocidade e a adrenalina foi comparável a andar de montanha russa.

 

DSC03592.jpg

 

Chegamos na Ponta da Sepituba, um lugar muito diferente do que imaginávamos: não tinha píer nem faixa de areia para o desembarque. Fomos deixados nas pedras, o assistente do Totó pulou em uma pedra, segurou o barco com uma corda e nos ajudou a sair junto com nossas mochilas. Nisso esquecemos nossa barraca no barco e com isso aprendemos que nessas ocasiões devemos deixar todos nossos pertences amarrados uns aos outros para não perder nada.

 

Tivemos que fazer uma trilha das pedras/mar até o estacionamento. É uma trilha estreita e muito inclinada para subir. Tava muito calor e foi difícil chegar ao estacionamento, parecia que a trilha não tinha fim.

 

Saímos da Ponta da Sepituba e fomos fazer mergulho com snorkel na Ilha das Cabras (Praia Pedras Miúdas). Isso relataremos em outra oportunidade.

 

Data dessa viagem: 12/10/2013

 

 

[t3]Como chegar?[/t3]

De carro, após sair da balsa, siga pela SP-131 (avenida principal de Ilhabela) sentido sul (Praia do Curral, Veloso, Feiticeira) até o final da rodovia que é asfaltada, até 2 km antes do começo da Trilha do Bonete, você chegará em uma porteira com placas indicando o começo da trilha, lá é a Ponta da Sepituba e tem um estacionamento do lado direito. Deixamos o carro lá e o senhor que nos atendeu cobrou R$30,00 o pernoite. Daí é seguir a trilha até a Praia do Bonete.

 

 

[t3]O que levar?[/t3]

Leve somente o necessário, essa é a palavra de ordem. A trilha é longa, tem subidas íngremes e travessia de um rio. Nós levamos até mais coisa que o necessário e literalmente sentimos o peso do equívoco. Também não esqueça nada, pois na vila só tem um mercadinho e ele pode estar fechado, como aconteceu em nossa estada.

 

Levamos os seguintes itens:

  • Repelente (indispensável);
    Alguns lanches, frutas e água;
    Protetor solar;
    Barraca;
    Colchão inflável e bomba de ar (se você tiver colchonete é melhor = menos peso);
    Lanterna;
    Produtos de higiene pessoal (shampoo, sabonete, bucha, escova e pasta de dente);
    Duas trocas de roupa, cada um, e duas toalhas (tudo enrolado para economizar espaço);
    Chinelos;
    Edredom; e
    Dinheiro.

 

[t3]Quando ir?[/t3]

A melhor época para visitar o Bonete é no verão, assim aproveita-se melhor a praia e as cachoeiras. Em julho tem a tradicional festa em devoção a Santa Verônica (conhecida também por Úrsula, seu nome verídico). Mas ir em outras épocas também vale a pena, o Bonete é um lugar muito bom para curtir a natureza e se distanciar da agitação da cidade.

 

 

[t3]Galeria de fotos[/t3]

Mais de 80 fotos nesse link: http://queimandoasfalto.com.br/2013/11/18/o-que-fazer-3-trilha-praia-do-bonete-ilhabela/

 

 

[t3]Mapa[/t3]

[googlemap]https://mapsengine.google.com/map/edit?mid=z5QBFh8ihmnU.k3npPtEHLahI[/googlemap]

 

 

[t3]Investimentos[/t3]

Estacionamento: R$ 30,00

Alimentação: R$ 44,00*

Camping: R$ 40,00*

Repelente caseiro: R$ 8,00

 

* Valor para 2 pessoas

 

Total: R$ 114,00

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito legal seu relato! :D

 

 

Quanto custou o retorno de barco por pessoa? Quanto tempo levou de barco?

 

 

Obrigado.

 

Bem observado, esqueci do valor do barco. Foi 50 reais por pessoa e demorou pouco mais de 1 hora.

 

Valeu Leonardo88! ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

Entre para seguir isso  

×