Ir para conteúdo
alexandreVSilva

10 dias por Lima, Cuzco e MP.

Posts Recomendados

Alguns dias atrás li em uma postagem no facebook que viajar é fatal para os preconceitos!! Pude perceber como isso funciona na prática e o Peru foi o grande responsável por isso: um país de pessoas simples, extremamente receptivas e solícitas. Sem contar que possui um sistema de educação que deixa muitos países ditos como "em desenvolvimento" muito para trás. Gratificante ver como a educação e levada a sério, mesmo nos municípios mais humildes das redondezas de Cuzco.. Diante de muitas indagações de por que vir ao Peru, acabei também por ter esse "pré-conceito" (água mole em pedra dura...). O que felizmente foi desfeito poucas horas depois que lá cheguei.. Realmente, viajar é poder ter sua própria opinião sobre aquilo que até então só foi propagado por outras "mentes".. Todas as vezes que falar do povo Peruano será com profunda admiração..

 

Constam nesse relato algumas experiências vividas no Peru no começo deste ano (2014), Lima, Cuzco e Machu Picchu foram os lugares que estive e que me deixaram extremamente satisfeito e encantado com o país. Em junho do ano passado, enquanto ainda estava no meio dos preparativos para meu intercâmbio no Canadá (final de 2013 e início de 2014) fui pego de surpresa por uma promoção daquelas imperdíveis, no momento em que fazia meu ritual de abrir pelo menos 10 vezes por dia o site do melhores destinos - http://www.melhoresdestinos.com.br/ - (depois que tomei gosto pelas viagens esse site sem dúvida é o que mais consta no meu histórico de navegação, e estou certo que ele vai me levar a falência qualquer dia desses ::lol4::::hahaha:: ). Estava lá a oferta para o Peru, algo em torno de R$ 800,00 para Lima, saindo do Rio de Janeiro, além de um voo doméstico de Lima para Cusco e a volta Cusco-Rio de Janeiro, não pensei duas vezes, e ainda a possibilidade de turistar 1 dia no Rio, tanto na ida quanto na volta, deixou a vontade maior ::cool:::'> . Não sei porque, mas, se saísse de SP a passagem seria R$ 200,00 mais cara, porém, o voo saindo do Rio fazia escala em SP, vai entender ::essa:: , para mim foi perfeito, por fazer um “mini stop over” no Rio e ainda por conseguir passagens bem mais baratas para o Rio do que para SP saindo do aeroporto mais conveniente (Vitória) em relação a minha casa, ou seja, tudo estava conspirando a meu favor, foi só o tempo de arrumar dois companheiros de viagem e pronto, passagens compradas e quase 11 meses para elaborar roteiro e planejar tudo ::mmm: .

 

Bem, depois de um longo planejamento, muitas leituras de relatos aqui do mochileiros, muita ajuda do pessoal que escreveu esses relatos (em especial: andrefigueiredotravel, romuloff e milamguerra), pude enfim terminar o meu (coloco em anexo depois) e partir para nossa viagem. Reservei todos os hotéis daqui mesmo, a maioria pelo decolar e somente 1 pelo booking, falo sobre eles durante o relato. Quanto ao dinheiro: levei dólares em espécie por precaução, além disso levei reais também, li muito sobre o câmbio por lá e estava na expectativa de que o real pudesse ser uma boa ideia na hora de trocar, hipótese não confirmada (cotação de 1 para 1, enquanto o dólar dava algo em torno de 2,80 soles para 1 dólar). Na verdade minha intenção não era de usar nenhum dos dois, mas sim de sacar dinheiro da minha conta do Brasil em moeda local, desde a última viagem para o Canadá e USA estou tentando descobrir qual dos bancos (BB, Itaú, HSBC e Unicred) tem as melhores tarifas para uso internacional, enfim cheguei a conclusão de que o Unicred é o melhor de todos ::cool:::'> , cobram o IOF, mas, não cobram tarifa para o saque (pelo menos não me cobraram em nenhum dos 4 saques que já fiz) e a cotação é sempre melhor (até para compras no débito), em segundo vem o HSBC e os piores e que não quero nem saber de levar em consideração fora do país são o BB e o Itaú. Então foi o que fiz lá, saquei em soles da minha conta do Unicred, paguei algumas coisas no débito, também no Unicred e algumas coisas paguei com dólares, o que foi muito útil na hora de pechinchar nas compras, coisa obrigatória de se fazer no Peru, eu detesto, porém, tive que fazer muitas vezes :roll: . Percebi que seria assim desde que desci no aeroporto e como meus companheiros de viagem se recusavam a pechinchar e eu tive que fazer por eles, se não iriam comprar tudo mais caro, e pão duro do jeito que sou não me sentia bem em saber que eles pagariam mais caro por algo só por não terem pechinchado ::prestessao:: . fato é que os Peruanos esperam que você faça isso, por isso os preços já são lá em cima e você que trate de baixá-lo e para isso eu sempre usava duas estratégias, a primeira de dizer no meu “magnífico portunhol” que era brasileiro ::hãã2:: (cobram bem mais caro de europeus, americanos, etc) e também fazia uma oferta em dólar, claro que calculava rapidinho um câmbio favorável a mim :D , muitas vezes dava certo, porém, sou péssimo nessa de negociar e muitas vezes acabei pagando um preço acima do que realmente valia, principalmente em alguns passeios, dos quais não tive muita paciência para negociar ::quilpish:: , apesar de saber a média de preço de cada um pela leitura dos relatos.

 

...1º e 2º dia...

Então, a viagem começou assim, dia 30/05 saímos de Teixeira de Freitas - BA, nossa cidade, por volta das 22:30 em direção a Vitória – ES e seis horas depois estavamos lá, desci na frente do aeroporto por volta de 4:30, nosso primeiro voo era às 6:08, sendo assim, foi só o tempo de fazer check-in e ir direto para a sala de embarque, chegamos no Rio (Galeão) por volta de 7:30. Nosso voo para SP seria somente no fim da tarde, logo, tínhamos o dia quase todo no Rio, como não podíamos despachar as mochilas ainda, as deixamos no locker na saída do aeroporto (R$30,00 para os três), depois disso fomos até a confeitaria Colombo no centro e lá tomamos um café bem demorado, preço razoável e o lugar é muito bonito, vale a pena a visita ::otemo:: , logo em seguida pegamos um taxi até o Jardim Botânico e por lá ficamos até às 13:00, na verdade estava planejado para irmos ao Cristo, mas, como o tempo estava nublado deixamos ele para a volta.

De volta ao Galeão, fizemos check-in, almoçamos e por volta de 16:30 partimos para SP, chegando lá a primeira notícia ruim da viagem, nosso voo para Lima pela Lan previsto para sair 19:40 havia sido cancelado e o novo voo só sairia às 5:30 da manhã seguinte ::ahhhh:: , a princípio ficamos malucos com essa notícia, pois estaríamos em Lima por volta de 23:00 e com esse atraso só chegaríamos às 9:00 do dia seguinte ::vapapu::::vapapu:: , depois, como não tinha mais jeito, nos conformamos e felizmente a Lan providenciou jantar para nós, hotel e taxi de ida e vinda do aeroporto (tudo excelente), enfim, descansamos alguma horas e às 3:00 já estávamos de volta a Guarulhos para enfim voarmos para Lima, voo de 5 horas de duração, porém muito confortável e com bom serviço da empresa Chilena ::cool:::'>.

Desembarcamos perto de 9:00, antes tivemos uma vista maravilhosa das cordilheiras ::mmm: , prepare-se, no aeroporto tem uma enxurrada de pessoas te oferecendo táxis e passeios, "pule" todos eles. Já sabia que isso aconteceria, mas não sei por que raios acabei aceitando algumas informações de uma mulher que trabalha com passeios e ela me indicou um taxi que queria me cobrar 80,00 soles até nosso hotel ::putz::::ahhhh:: , depois de me desvencilhar deles eu queria sacar logo dinheiro, tinha lido nos relatos que saindo do aeroporto tem um centro comercial a direita onde você encontra caixa eletrônicos do Banco La Nácion que não cobra taxa de saque, sai em busca desse caixa e mesmo tendo lido isso 5 minutos atrás que era do lado direito, quando pedi informação a uma pessoa ela me disse que era do lado esquerdo, enfim, fui lá e só encontrei caixas de outros bancos ::putz:: , fiz o saque assim mesmo e a tarifa do caixa foi de 13,50 soles - burro demais ::prestessao:: . Quando estava indo de taxi pude ver o verdadeiro centro comercial e o caixa do Banco de La Nácion lá, exatamente onde disseram nos relatos, então faça o seguinte: saia do aeroporto, atravesse o estacionamento e vá andando na rua da direita, alguns minutos caminhando se chega lá. Porém, esse desencontro não foi de todo ruim, quando voltava de sacar o dinheiro perguntei a um taxi fora do aeroporto quanto ele cobrava até meu hotel, ele me deu o preço de 30,00 soles ::otemo:: , entramos no carro imediatamente e voltamos ao aeroporto para pegar nossas malas e nosso 3º integrante que lá estava. Essa é a dica no aeroporto: diga "no, gracias" a todos os taxistas e vá lá fora pegar um taxi que será bem mais barato.

 

 

IMG_0875.jpg.03314f693a9e3d158c93af1ec0b65f4e.jpg

 

IMG_1746.JPG.7136045322bdf16d93d6ce535c8aa5a9.JPG

 

 

Acho que uns 30 minutos depois chegamos em San Isidro Inn, nosso hotel pelos próximos três dias, ele fica no bairro de San Isidro e recomendo muito, super limpo, atendimento bom, café da manhã fraco, como em todos da viagem e fica numa área mais nobre da cidade com um supermercado a poucas quadras dali e em frente ao supermercado tem algumas opções para se comer como KFC, Burguer King e um restaurante japonês (Mr Sushi), comemos lá em uma das noite que estivemos em Lima, comida não muito boa. Outra vantagem desse hotel é que é bem perto de Miraflores, onde se tem muita coisa para fazer ::otemo:: .

Depois de um banho saímos em direção a Plaza de Armas, precisávamos almoçar e logo em seguida ficaríamos por lá mesmo, felizmente o taxista que nos levou foi explicando muita coisa de Lima e nos deu um circuito bacana pela Plaza de Armas, vimos a troca da guarda, entramos em alguns museus, fizemos uma caminhada longa pelas ruas próximas à praça, assistimos uma apresentação de dança que estava rolando na área do Parque Rimac, olhamos muitas lojinhas. Almoçamos em um restaurante chamado El Sitio, comida gostosa e bem barata, fica na rua do Palácio do Arcebispo, bem perto da Plaza de Armas ::cool:::'> . Após mais algumas horas de caminhada e muitas fotos pela praça, que fica cheia e ainda mais bonita no período da noite, encerramos o dia experimentando o chicharon em café (Tres i Punto) numa áera muito legal perto da praça, começava alí a parte gastronômica da viagem, já que a reserva em Astrid e Gastón não pôde ser concluída, experimentamos muitas coisas ao longo da viagem. Foi engraçado ver como os garçons te disputam no meio da rua para você ir para o restaurante deles, estávamos extremamente cansados da viagem, no entanto, a “agradável surpresa” que estava sendo o Peru e em especial Lima, permitiu que ficássemos um bom tempo naquele café aproveitando a noite Limenha e rindo muito das resenhas dos dois primeiros dias de viagem, o garçon chegou até a nos dizer que não imaginava que os brasileiros fossem "tão alegres daquele jeito" ::lol4::::lol4:: .. Deve ter se arrependido de ter nos ter atraído até o seu restaurante ::hãã::::hãã::

 

 

IMG_0961.JPG.f77a58e3f15d7c73f3ca3a0697a7e55a.JPG

 

IMG_0974.JPG.378a2007cdc85c588a29665ecff79167.JPG

 

IMG_0989.jpg.cc9f7ec18470abd22689403c66d98503.jpg

 

IMG_1001.jpg.943b3950cf77a852c924d95c3aa7a699.jpg

 

 

Obs: $ = valores em Novo Sol (paguei R$ 0,85 por cada Novo Sol)

 

Taxi aeroporto – hotel = $30, 00

Almoço = $9,00 por pessoa

Hospedagem (Hotel San Isidro inn) = R$494,00 valor para 3 pessoas por 3 noites (Decolar)

Taxi hotel - Plaza de Armas = $18,00

Jantar = $18,00 por pessoa

Taxi Plaza de Armas – Hotel = $20,00

 

Veja o relato completo e mais detalhado no meu blog: http://namochiladealeh.blogspot.com.br/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

...3º dia...

 

Destinamos esse dia para conhecer outra parte da cidade, os bairros mais famosos de Lima: Miraflores e San Isidro. Começamos pelas ruínas de Huaca Pucllana, que fica no coração do bairro de Miraflores, parece algo surreal, saber que no meio de toda aquela urbanização existe uma cidade de adobe recentemente descoberta de uma região que outrora era um lixão, simplesmente fantástica a visita, assim como a vista da cidade de Lima que se tem das partes mais elevadas da ruína, recomendo muito a visita ::otemo:: , você paga apenas $12,00 para ter uma visita guiada por quase 2 horas.

 

DSC05326.JPG.1ea9a3404e91870656f68dc6b5dcae6e.JPG

 

Outra visita programada para esse dia era a cidade de adobe de Pachacámac, no entanto, já estávamos sem tanta vontade assim de ir até lá, o taxista mais barato nos cobrou $120,00 ida e volta ::ahhhh:: , pois fica 40 km afastado do centro de Lima. Desistimos definitivamente quando perguntamos nossa guia uma referência sobre o local e ela nos disse que é bacana, no entanto, estava mal preservado e que se quiséssemos ver outra cidade de adobe, no bairro de San Isidro tinha uma diferente de Huaca Pucllana e que estava sim bem preservada, tratava-se de Huallamarca, que visitaríamos no dia seguinte ::cool:::'> . Decidido isso, reorganizamos nosso roteiro do dia e continuamos por Miraflores, pegamos um mapa do bairro e fomos andando em direção ao Parque Kennedy, no caminho fomos analisando alguns aspectos bem curiosos do Peru, primeiro, o trânsito é uma loucura ::essa:: , já havíamos percebido isso desde que andamos de taxi pela primeira vez. Outra coisa, o pessoal dos transportes coletivos praticamente param os veículos quando te veem e tenta te seduzir para ir com eles, em determinados momentos eram três ou quatro parados bem do lado da calçada onde estávamos e todos os cobradores pendurados na porta gritando os destinos que eles iriam passar, afim de que você fosse com eles, e não importava se estávamos andando na direção contrária a deles ::lol3::::lol4:: , mesmo assim te ofereciam todos os seus serviços, confesso que ri em muitos momentos.

 

DSC05365.JPG.7d6ec1d66f2580e4d86788ecc2c60333.JPG

 

Nosso caminho em direção ao parque teve duas paradas, a primeira foi em um mercado de artesanatos bem grande e bem organizado que fica na avenida Arequipa, do lado esquerdo de quem está descendo no sentido praia. Entramos, olhamos e nada compramos, deixamos para o dia seguinte, além do que, estávamos na expectativa do mercado de Polvos Azules, que segundo relatos tinham preços muitos bons, apesar da pouca segurança do local. A segunda parada foi para comer alguma coisa, escolhemos uma rede que nunca tinha visto na minha vida, o nome é Chinawok, comida boa e barata, com $13,00 almoçamos bem ::cool:::'> . Fica na Avenida Larco, também do lado esquerdo de quem está descendo, em frente ao Parque Kennedy. Terminado o almoço ficamos por algum tempo no parque e mais uma vez impressionados com o uso que os Peruanos fazem de seus parques, já tinha visto algo parecido no Chile. Pela beleza do lugar e por ter wifi gratuito ::lol4:: , nossa estada demorou um pouco mais naqueles arredores, até que decidimos descer andando até o Parque del Amor, para isso pegamos o Malecón Balta, lado oposto ao Parque Kennedy e descemos apreciando toda a beleza do bairro de Miraflores, simplesmente fantástico caminhar por aquelas ruas ::otemo:: , do meu ponto de vista, extremamente seguras.

 

DSC05655.JPG.d89d6aae981a6436deb40ec71b98f739.JPG

 

DSC05369.JPG.396bf7d8f9d61ae193832b417f999b09.JPG

 

DSC05372.jpg.e9a97e2f37e6a34497855fce64a0cc5e.jpg

 

DSC05644.JPG.1324bba4661ab94e32c864c1c21d8a48.JPG

 

DSC05386.JPG.57bc153de11e932c910b1c6a672ad914.JPG

 

Na descida aproveitamos para experimentar mais um dos sabores do Peru, a famosa Inca Kola, refrigerante a base de Lúcia-lima, muito bom por sinal ::otemo:: . No fim da caminhada lá estava mais um parque extremamente organizado, florido, limpo e muito bonito, muitas pessoas matavam tempo, liam, passeavam com cachorros, faziam jus ao nome do parque ::love::::Ksimno:: (Parque del Amor), outros tocavam piano (ao todo existem 20 na cidade de Lima, onde qualquer um pode chegar e tocar a vontade, já tínhamos visto um no dia anterior bem próximo da Plaza de Armas), havia ainda os que apreciavam a maravilhosa vista do pacífico e das falésias que se tem deste parque. Por cerca de 2 horas ficamos no parque, até que partimos, mais uma vez a pé até o Shopping Lacomar, acho que não existe maneira melhor de se conhecer de verdade uma cidade do que caminhando por suas ruas ::hahaha:: , sem contar que se economiza bastante ::lol3:: .

 

DSC05387.JPG.5acf6fc118e94e2760843f2b5e93265b.JPG

 

IMG_1036.jpg.372beade1207eb4565e74cf1a92084d0.jpg

 

DSC05416.JPG.b6cc4f14aec6e0e3adec00abde221930.JPG

 

DSC05445.JPG.8876abbb3e3eed6f00eaf7d433a47149.JPG

 

DSC05410.JPG.3f0244586b5ff4c914865951fe09efa0.JPG

 

Rodamos um pouco pelo shopping, que é bem bacana por sinal ::cool:::'> ::cool:::'> , apreciamos ainda mais da vista das falésias de lá, tomamos um café e em seguida pegamos um taxi para Polvo Azules. Viajei com gente medrosa demais ::lol4:: , um dos companheiros não quis saber de comprar nada lá por achar que era muito perigoso, fez o mesmo em Chinatown - Nova York, alguns meses atrás, e eu morrendo de rir ::hahaha:: , não digo que o lugar seja uma maravilha de segurança e tal, mas não sei o que acontece comigo, parece que quando estou fora do meu país, meu medo por algumas situações se vai, sei que é muito perigoso esse destemor ::toma:: , no entanto, não me privo sempre de conhecer tudo que é possível. Diante desse cenário o tempo em Polvos Azules foi bem curto, rodamos um pouco, deu para conhecer quase tudo, compramos algumas coisas, mesmo com nosso companheiro morrendo de medo e agarrado à sua mochila ::ahhhh:: De minha parte, recomendo sim o mercado, só não aconselho a ir sozinho, os preços são bons, é possível fazer uma boa barganha, mas, cuidado com os produtos falsificados.

Na saída do mercado pegamos um taxi até o Parque de la Reserva, onde encerraríamos o dia, como era dia de jogo entre Alianza Lima e Sporting Cristal, maior rivalidade do Peru :evil::twisted: , e o estádio nacional fica grudado no parque e bem próximo de Polvos Azules, tivemos uma certa dificuldade para chegar até lá, no caminho o taxista nos alertou para não ficarmos muito na rua em horas próximas ao jogo e nem depois do mesmo, muitos “choques” de torcida aconteciam nesses jogos ::mmm: . Foi exatamente o que fizemos, na saída do parque pegamos o táxi de volta para o hotel, mas, não vi nada de confusão pelas ruas em momento algum.

A visita nesse parque foi impressionante, essa região, segundo dizem, antes era um reduto de viciados em drogas e agora abrigava um verdadeiro show de fontes de água (circuito mágico das águas), é como chamam a atração ::otemo:: . Ao contrário do que li em alguns relato, a ida ao parque vale muito a pena, é belíssimo, e extremamente seguro, e por um preço irrisório: $ 4,00 ::ahhhh:: pode ficar o quanto quiser. Foi em uma das pausas no parque que experimentamos outra guloseima do Peru, dessa vez foram os picarrones :lol: , parece um bolinho de chuva, só que com formato diferente e bem mais doce, confesso que não sou bom para avaliar comida, meu paladar é quase inexistente, consequências do convívio crônico de problemas relacionados a alergia, rinite, adenoide, etc. Recomendo que fique no parque até o anoitecer, neste momento as luzes são acessas e o espetáculo das fontes fica ainda mais bonito.

 

DSC05479.JPG.5ca7b8e9b3263b140d4dcc2f96790c04.JPG

 

DSC05517.JPG.e89116654bd8cd79bcb9d7b8bf47ed52.JPG

 

IMG_1080.JPG.4e10af090edccebc9c87ef9071823158.JPG

 

IMG_1077.jpg.4ffc0ad706f3bcb5299a442e7db5c5b9.jpg

 

IMG_1098.jpg.9011a6008495d74228517609cde3f114.jpg

 

IMG_1112.jpg.26449f8711e85c900ec812431442f002.jpg

 

IMG_1103.jpg.afa284ea699b26abb6379d0fb421291c.jpg

 

IMG_1108.jpg.1071db9189e5dad724cdd580f9fd581a.jpg

 

Taxi - hotel - Huaca Pucllana = $ 12,00

Ingressos Huaca Pucllana = $12,00 por pessoa

Almoço - Chinawok = $ 13,00

Taxi - shopping Lacomar - mercado Polvos Azules = $ 18,00

Taxi - mercado Polvos Azules - Parque de la Reserva = $ 7,00

Ingressos Parque de la Reserva = $ 4,00 por pessoa

Taxi - Parque de la Reserva - hotel = $ 18,00

Jantar - Mr Sushi = $ 25,00

 

Veja o relato completo e mais detalhado no meu blog: http://namochiladealeh.blogspot.com.br/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Vlw Alexandre, que bom que as informações foram de bom uso!

Aguardando pelo restante...

 

Abraços!

 

Valeu André.. Vc ajudou pra caramba velho!!

Última parte de Lima sendo postada agora.. Só falta Cuzco e Machu Picchu. :):D

Abraços..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

...4º dia...

 

Nosso último dia em Lima começou um pouco mais tarde, nosso voo para Cuzco seria às 5:00 da manhã do dia seguinte ::ahhhh::::ahhhh::, sendo assim, teríamos que sair do hotel por volta de 2:00, fazer check-in às 3:00, enfim, decidimos que não pagaríamos mais uma diária de hotel para ficarmos por poucas horas ::mmm::twisted:, ao invés disso, decidimos dormir até mais tarde, fazer o check-out perto do meio dia, guardar as mochilas no hotel, ir para a rua e voltarmos por volta de 23:00 para pegarmos as malas e irmos para o aeroporto. E assim fizemos, sem problema algum em deixar as mochilas no hotel, eles tem um lugar reservado para esse fim ::otemo::.

Feito isso, partimos para as ruínas de Huaca Huallamarca, alí mesmo no bairro de San Isidro, estas ruínas nem se comparam com as de Huaca Pucllana que vimos no dia anterior, mas tem uma vista muito bonita da cidade, recomendo a ida caso você queira matar mesmo o tempo e conhecer um pouco mais de Lima ::cool:::'>, além disso, o preço é bem interessante, apenas $5,00 para ficar o tempo que quiser, ainda tem um pequeno museu contando um pouco sobre a história do lugar, porém, essa visita não é guiada. Como era domingo e meio que na hora do almoço, pouquíssimas pessoas estavam visitando, logo, pudemos aproveitar o tempo e ver tudo com muita calma.

 

DSC05604.JPG.a1fbc7f66828e3dfa0f5194f162da2bf.JPG

 

DSC05578.JPG.a51397415e0fc830e23adbd30324ad65.JPG

 

IMG_1147.JPG.168a9f3472a788bf2824980f44d6a62b.JPG

 

De Huaca Huallamarca fomos de táxi até o Parque Kennedy, queríamos ficar um pouco mais por lá e os companheiros queriam visitar algumas livrarias que viram pela região no dia anterior ::hein:, no meio dessas andanças paramos para comer alguma coisa no La Lucha Sangucheria :mrgreen:, uma rede de fast food peruana, recomendo muito a visita até lá, os sanduíches são simplesmente deliciosos, como algumas variedades bem interessantes, comemos muito bem por cerca de $15,00 por pessoa, além disso experimentamos também uma famosa bebida peruana ::otemo:: , a Chicha Morada, muito refrescante feita com milho roxo, é bem gostoso, no entanto, gostei mais da Inca Kola ::hahaha::. Saindo de lá fomos a pé até o mercado de artesanatos que passamos anteriormente, dessa vez demoramos algumas horas, não sabíamos que na verdade eram dois mercados enormes ::ahhhh:: , quando saímos pela rua dos fundos vimos o outro logo em frente, e claro que também demos uma passadinha por lá, estávamos de fato a procura de comprar algumas coisas que não conseguimos em Polvos Azules, mas nada de muito grande, afinal de contas, viajar de mochila não dá para trazer muita coisa ::toma::.

 

IMG_1160.jpg.39660d52e566489c1f47439c8d22b789.jpg

 

Saindo do mercado estávamos famintos, e já passava das 16:00, resolvemos almoçar no restaurante La Rosa Náutica, que vimos no dia anterior de cima do Parque del Amor, já tinha lido algumas referências sobre o restaurante e muita gente disse que era excelente, e de fato era ::otemo::. Pegamos um taxi e fomos até o restaurante, mas antes de entrar apreciamos muito o caminho até o lugar, simplesmente lindo, a vista das falésias, da parte de cima de Lima, do mar, enfim, tudo visto dali é espetacular ::hãã:: . Ao entramos no restaurante percebemos que era maior do que havíamos pensado, com certeza éramos os únicos três a entrar de mochila ::lol4::, vida de mochileiro tem dessas coisas ::lol3::, os clientes estavam todos muito bem vestidos, e nós, bem, estávamos simples, com um estilo mais despojado, porém, extremamente famintos ::hahaha::. Ficamos no restaurante durante umas 3 horas, almoçamos ceviche e outra coisa que me esqueci, tomarmos pisco sour e apreciamos ainda mais a vista pelo lado de dentro, simplesmente fantástica ::cool:::'> , acho que gastamos em torno de $60,00 por pessoa, não muito barato para o padrão de Lima, mas, se fosse a qualquer restaurante Japonês da minha cidade com certeza gastaria mais que isso ::bruuu::.

 

DSC05668.JPG.078cb509b0cd06b7d589a3a896ef35b6.JPG

 

IMG_1221.JPG.504c493db1aecc09f0dd3bcb62f004dc.JPG

 

Depois disso, resolvemos andar um pouco pela orla da praia, já era noite e o pessoal que passa o dia quase todo “surfando” já estava se recolhendo ::Cold::, decidimos subir a pé para o Shopping Lacomar, que fica quase em cima do restaurante, depois de alguns minutos de subida por escadas e becos, tudo muito seguro ::cool:::'>, estávamos de volta a parte de cima e com uma vista esplendida, agora com todas as luzes acesas. Ficamos no Lacomar até próximo de 23:00, daí negociamos um taxi por $50,00 pois teríamos que ira até o hotel pegar as mochilas e em seguida aeroporto, viagem longa, deu até para cochilar. Chegando no aeroporto já fizemos check-in de imediato pela LAN e despachamos as mochilas grandes ::otemo::, agora era esperar até por volta de 3:00 quando poderíamos entrar para a sala de embarque, e o aeroporto de Lima não era dos mais mais confortáveis ::bad::, tivemos que andar prá lá e pra cá, tem um corredor muito grande e vazio onde muita gente dormia, nós encostamos por lá alguns minutos também ::hãã2::, tomamos um café no Starbucks, único lugar do aeroporto que tem wifi para os clientes ::vapapu::, e esperamos até a hora de entrar na sala de embarque, sala essa que tem umas cadeiras sem divisória, o que a torna praticamente uma cama, foi só o momento de chegar e dormir até a hora do embarque, quando acordei a sala estava lotada, quando entramos éramos só nós ::lol4::, meus companheiros, coitados, não conseguiram dormir, como eu durmo em qualquer lugar ::lol3::, estava novo para chegar a Cuzco.

 

IMG_1244.JPG.1be1f8ba642b8b8b9404fe525fa59610.JPG

 

Táxi - hotel - Huaca Huallamarca = $10,00

Entrada Huaca Huallamarca = $5,00

Táxi - Huaca Huallamarca - Parque Kennedy = $10,00

La Lucha = $15,00 por pessoa

Táxi - Mercado Inca - Restaurante La Rosa Náutica = $10,00

Jantar = $60,00 por pessoa

Táxi - Shopping Lacomar - hotel - Aeroporto = $50,00

 

Em breve..Cuzco e MP:

 

Veja o relato completo e mais detalhado no meu blog: http://namochiladealeh.blogspot.com.br/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

::otemo::

Olá Alexandre! Muiii grata pelo seu relato. Estou me encorajando cada vez mais a fazer esta viagem. Não sei se terei a sorte de ir com amigos e ainda de quebra ter alguém para dividir os furos (rsrs) e o $$ do transporte mas... tô aproveitando muito do seu relato. Você é bem minucioso. Gosto disso!

Bom, é isto, obrigadaaa!

Aguardo anciosamente, o resto da história. ;)

 

Abraço,

Angélica.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
::otemo::

Olá Alexandre! Muiii grata pelo seu relato. Estou me encorajando cada vez mais a fazer esta viagem. Não sei se terei a sorte de ir com amigos e ainda de quebra ter alguém para dividir os furos (rsrs) e o $$ do transporte mas... tô aproveitando muito do seu relato. Você é bem minucioso. Gosto disso!

Bom, é isto, obrigadaaa!

Aguardo anciosamente, o resto da história. ;)

 

Abraço,

Angélica.

 

Pô Angélica, que bom que está gostando!! Pois é, por vezes fico com receio de ser tão detalhista para que o relato não fique chato de ser lido e seja mais objetivo, mas não tem jeito, só escrevo assim, rsrs.. Ser conciso não é uma das minhas qualidades ::lol3:: Tomara que se encoraje completamente, vale muito a pena, sem dúvidas uma daquelas viagens para jamais ser esquecida, espero que encontre amigos para ir, ajuda muito.. Quem sabe, dependendo de quando for, talvez eu vá novamente ::otemo::. Já está decidido que irei mais uma vez!! :D

Abraços.. Baixando os primeiros dias de aventura em Cuzco..Depois você confere!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Massa!!!! Vou fazer este mesmo trajeto mas vindo de La Paz, depois vou terminar de ler tudo!! Vai ser muito útil tudo ...

 

Valeu cara!! Espero que o relato te ajude sim.. Depois me passa esses detalhes aí de La Paz viu, quero muito ir na Bolivia também. Vai a Santa Cruz de La Sierra? Depois me passa seu roteiro! Vi que você vai a Galápagos (sonho para mim), como vai fazer para chegar até lá?

Abraços.. Baixando mais uma parte agora, dessa vez Cuzco..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

...5º e 6º dia...

 

Foi só aterrissar em Cuzco que os efeitos da altitude apareceram, de repente o estômago revirava muito e já me sentia meio tonto :oops:::essa:: , talvez também pela noite quase sem dormir, procurei sem sucesso por um chá de coca já no aeroporto ::lol3::, mas como era muito cedo ainda não tinha nenhum disponível. Além do mais, nossas mochilas chegaram rapidinho e pudemos em seguida pegar um táxi para o hotel. Novamente, no aeroporto o táxi queria nos cobrar $40,00 foi só recusarmos alguns que logo em seguida um deles nos indicou um táxi fora do aeroporto que nos cobrou $25,00 até o hotel Pachacutec ::cool:::'>, recomendo o hotel, não fica muito perto da Plaza de Armas, cerca de 15 minutos caminhando, porém o preço é bom e os quartos são bem espaçosos, sem contar que o pessoal de lá é muito atencioso e solícito ::otemo::, o café da manhã não é dos melhores, assim como os demais.

Chegamos ao hotel por volta de 7:00, fui direto no chá de coca para ver se melhorava mais ::hãã::, aquele era o primeiro de muitos, sempre que podia eu tomava um, ajuda mesmo contra o soroche. Estava prestes a passar por mais problema previsto, geralmente o check-in só é permitido a partir do 12:00, felizmente, o recepcionista “interino” que nos recebeu disse que poderíamos entrar no nosso quarto dentro de 20 minutos :D, pensamos: enfim, dormir um pouco, rsrs.. Quando a recepcionista “titular” chegou e nós fomos perguntar a ela se nosso quarto já estava pronto, ela fez uma cara de surpresa ::ahhhh::, explicamos a ela que o recepcionista anterior nos garantiu que poderíamos entrar em poucos minutos, aí não teve jeito, ela acabou cedendo, gentileza do hotel que retribuímos depois, mais lá na frente digo porque :x. Foi só o tempo de jogar as mochilas, tomar um banho, algo que não fazíamos desde às 10:00 do dia anterior ::lol4::, e cair na cama. Dormimos até 12:00, acordamos famintos e sedentos, por falar em sede, uma dica, sempre que estamos mochilando, procuramos comprar água em recipiente maior, 5 litros de preferência e vamos usando aos pouco e distribuindo nas nossas inseparáveis garrafas, uma economia enorme, visto que as garrafas de 500 ml custavam, mesmo no Peru, algo em torno de $2,00 ao passo que as de 5 litros $4,00 ::quilpish::.

 

IMG_1257.JPG.9d80a0f02bc41285a8c0f510443df109.JPG

 

Ainda sem conhecer a cidade, pedimos algumas orientações à recepcionista do hotel que nos deu um mapa e algumas dicas, nessa hora a gerente estava lá e começamos a conversar, ela estava curiosa pois achava éramos Colombianos ::dãã2::ãã2::'> , por causa da altura, ficou surpresa ao esclarecermos que éramos brasileiros :shock:. Comentamos que ainda não tínhamos agendado nada de passeios por Cuzco e MP a única coisa que já havíamos comprado foram as passagens de trem para MP. Havia lido em alguns relatos que se o hotel fizesse o serviço seria melhor adquirir os pacotes com eles por você ter uma segurança maior, até porque os preços não iriam varia muito, enfim, disse a ela o que queríamos e ela ligou para uma agência e nos deu inicialmente um preço de U$170,00 por pessoa, para: tour pelo Vale Sagrado para o dia seguinte com almoço saindo do nosso hotel, boleto turístico completo, entradas para MP, van de ida e volta de Águas Caliente para MP, e retorno de Ollantaytambo para Cuzco, serviço de guia em MP. Mais na frente explico o que é cada um desses serviços, fiz as contas rapidamente, pois já tinha colhido informações de quanto custava em média cada um deles e vi que o preço estava um pouquinho acima do normal, no entanto, a fome já apertava e a preguiça de correr a cidade em busca de agências pesou na hora de decidir, apesar de já ter uma indicação de agência muito boa, que inclusive fiz alguns passeios com eles percebi que era boa mesmo, me arrependi por não ter feito esse pacote também com eles ::putz::, mas já era tarde, fica pra próxima, depois de uma pechincha básica preço caiu para U$160,00 e fechamos assim.

Terminado esse processo “burocrático” partimos para conhecer Cuzco, agora já aliviados por termos contratado quase tudo que queríamos, faltava só os passeios para Maras e Moray e o City Tour. Depois de andarmos um pouco e pararmos muitas vezes, cansaço grande dentro de poucos minutos de caminhada ::dãã2::ãã2::'> ::essa::, percebemos que Cuzco não é uma cidade bela, tem um certo padrão e lembra aquelas cidades onde tudo parece meio marrom puxando para o vermelho, bem característico de cidade histórica, mas a “atmosfera” do lugar é bem legal, se vê gente de todos os cantos, muitos turistas e a cidade, de certa forma, estruturada para receber: agências de viagem, restaurantes, hotéis e hostels, lojas de artesanato e ambulantes se vê para todos os lados, se tiver dólar e precisar trocar, você não terá problema algum, em uma quadra da avenida El Sol, a mais movimentada da cidade, só do lado esquerdo eu contei 5 locais para fazer câmbio, e andando um pouco por essa avenida eis que surge, o Banco La Nácion, que eu tanto desejava encontrar em Lima ::tchann:: , mas já era tarde, já tinha cambiado e sacado todo dinheiro que iria precisar, dessa forma, não pude comprovar se de fato era verdade que sacar nesse pago não gera taxa do uso do caixa eletrônico, só se paga a taxa do seu banco no Brasil e o maldito IOF.

 

DSC05689.jpg.a0d440a5190c24657082a3020f27112b.jpg

 

DSC05699.jpg.82d1884003131da37e6f53dc91e0e8ed.jpg

 

Demos a maior sorte ao entrarmos em um restaurante qualquer, também nessa avenida, pois já passava das 15:30 e ainda não tínhamos almoçado, e nos depararmos com um local excelente, comida boa, barata e atendimento excepcional, trata-se do Cafe Don Esteban & Don Pancho ::otemo::, o menu del día custava $18,50 com direito a bebida, entrada, prato principal e sobremesa ::ahhhh::, recomendo muito esse restaurante, voltamos lá depois, mas já parte de outra história. Comemos muito e ainda pudemos usufruir do serviço de wi fi do restaurante, Cuzco também tem uma excelente disponibilidade desse serviço em muitos lugares ::cool:::'>. Deixando o restaurante mais de 17:00 fomos andar um pouco mais, passamos em frente a Qoricancha, em seguida pela belíssima Plaza de Armas, rodamos um pouco em outras praças ali próximas, para mim Cuzco é uma daquelas cidades onde você pode passar o dia inteiro andando por ela que ainda verá coisa nova e interessante, infelizmente não tínhamos todo esse tempo. O centro da cidade me pareceu bem seguro, mas muitos já haviam alertado para os locais mais afastados, que não são tão seguros assim, felizmente em momento algum percebemos nada desse tipo. Finalizamos o dia no supermercado comprando alguns mantimentos (principalmente água) pois o dia seguinte seria o Vale Sagrado e no fim da tarde iríamos para águas Calientes, e os preços por lá não eram dos mais agradáveis, visto que se está nos pés de Machu Picchu. Um bom lugar para comprar esse tipo de coisa é o supermercado Mega, tem um na Avenida El Sol (5 quadras antes de chegar na Plaza de Armas) e tem outro na Calle Ayacucho (2 quadras antes de chegar na Plaza de Armas virando a esquerda). Antes de voltarmos ao hotel decidimos comprar os passeios que nos faltavam, dessa vez fui direto na agência que me indicaram aqui no Mochileiros, é a Peru Golden – Treks & Expeditions, ela fica também na Avenida El Sol, quase chegando na Plaza, no segundo andar dentro de uma galeria chamada La Merced, é um lugar pequeno e um pouco difícil de achar, mas o pessoal vai indicando, eu que não falo quase nada de Espanhol consegui encontrar por indicações do povo simpático de Cuzco ::hahaha::. Compramos com eles o passeio para Maras e Moray dalí dois dias por $25,00 cada e o City Tour para o mesmo dia por $15,00 cada, claro que o preço que ele nos deu era $5,00 mais caro em cada um, mas depois daquela velha pechincha chegamos ao valor que já tinha em mente :D. Feito isso, foi só voltar para o hotel, já passava de 20:30, chegando lá pegamos as entradas do que havíamos contratado com o pessoal do hotel, eles nos deram algumas explicações de como funcionariam os serviços. Pronto, foi só o tempo de subir, arrumar tudo para o dia seguinte e cama.

 

DSC05719.JPG.f179461ea76603bacae84dc7ac0fc5da.JPG

 

IMG_1604.JPG.c2f131e955d22716297deee733bd05e5.JPG

 

DSC06477.JPG.80581959ccd191771f24069a36cb8969.JPG

 

DSC05766.JPG.40696836cb809c72b0577d3528e95b9e.JPG

 

DSC05800.JPG.dbc580ae906a965065cf1dd13dbc57b6.JPG

 

IMG_1613.JPG.351f2f8f7736d7bd4b4be1f30a82f8dc.JPG

 

Acordamos mais cedo, tomamos logo o café da manhã, fizemos check-out, pegamos as mochilas grandes e guardamos no hotel, pois quando voltássemos de MP ficaríamos no mesmo hotel e fomos só com as mochilas de ataque, visto que só passaríamos uma noite em Águas Calientes. Feito isso, esperamos na recepção do hotel até às 8:00 para irmos para o Vale Sagrado, enquanto isso, mais chá de coca ::hahaha::, pois subiríamos mais alguns metros. No horário marcado o ônibus passou para nos apanhar, já foi um bom sinal de que tudo daria certo com a empresa que contratamos e que por sinal nem sabia o nome, depois explico melhor as consequências disso. Como fomos os primeiros a subir no bus escolhemos os melhores lugares e ainda fizemos um tour por Cuzco até que todas as pessoas fosse apanhadas, bom que conhecemos um pouco mais da cidade que não teríamos tempo para conhecer nessa viagem, depois do ônibus cheio partimos.

Vou tentar explicar essa parte um pouco mais detalhadamente, pois demorei a interpretar da forma correta quando li os relatos, o que acontece é o seguinte: para ir para MP pelo caminho mais convencional você precisa pegar um trem até Águas Calientes, cidade que dá acesso a MP, a cidade é até conhecida também como Machu Picchu Pueblo, esse trem pode sair de Cuzco, estação de Poroy, ou você pode pegá-lo em Ollantaytambo, cidadezinha que faz parte do roteiro do Vale Sagrado, sendo assim, você pode fazer o circuito do Vale Sagrado (Pisac, Urubamba, Ollantaytambo e Chinchero), mas essa última atração você deixa de ir, desce em Ollantaytambo e de lá pega o trem para MP, foi exatamente o que fizemos, perdemos a parte de Chichero do Vale Sagrado, porém economizamos a ida de Cuzco até Ollantaytambo. O circuito do Vale Sagrado chega em Ollanta por volta de 14:00, daí você conhece as ruínas, a cidade que é bem legal, e no fim do dia pega o trem, foi o que fizemos, optamos pelo que sai às 19:00.

Então, nossa primeira parada do circuito foi em Pisac, por volta de 9:30, antes de chegar às ruínas e aos terraços eles te levam em uma loja para conhecer como é feito o processo de fabricação de joias de prata, Pisac é um dos locais mais famosos do mundo no processamento desse tipo de material, além disso eles te ensinam a conhecer a prata boa da ruim, ao mesmo tempo você é “tentado” a comprar alguma coisa da loja, e como a carne é fraca ::lol4::, acabamos comprando, paguei U$20,00 em um anel, depois de negociar muito com a atendente :lol:, valeu a pena, uma boa lembrança do Peru e especialmente de Pisac ::otemo::. Depois dessa parada terminamos de subir, lugar lindo demais, estava bem cheio, mas foi possível aproveitar bastante o tempo que tivemos lá, olhando os terraços, ouvindo as histórias do lugar, a vista de lá é estupenda. Li muitas vezes que ir nesses locais com serviços de agências e guias é uma correria só e que seria melhor fazer o trajeto por conta própria para aproveitar um pouco mais, realmente é o que acontece, mas como tínhamos pouco tempo e queríamos conhecer muita coisa, fomos de tour de agência mesmo, o tempo que se passa nos locais é pouco mesmo, principalmente se você acompanhar o guia o tempo todo, como ele precisa explicar em inglês e depois em Português, acaba demorando muito e depois seu tempo livre se resume o pouquíssimos minutos, confesso que escutava o guia um pouco e logo depois saiamos por conta própria, sem contar que, a todo canto que você vai tem um grupo escutando um guia, então você pega carona em algumas explicações e boas, vamos explorar o lugar, talvez não seja o mais correto, mas meu conselho é esse ::toma::.

 

DSC05815.JPG.a4b35478db6a13c4959ae38057c876a3.JPG

 

DSC05850.JPG.d1115a96e4ed4f31ad47511572eee74c.JPG

 

DSC05883.JPG.5d48e9d09694d932bb0988373d9e42dc.JPG

 

Fazer um parêntese aqui para falar sobre o boleto turístico: para entrar nessas atrações é necessário comprar uma espécie de boleto que te dá opção de entrada em muito locais, desde as atrações do Vale Sagrado, até outras em Cuzco (city tour, museus, apresentações de Dancça) e também em Moray. Existem duas opções, o simples que te dá acesso a algumas atrações e o completo com todas as visitas, não pense duas vezes, compre o boleto completo e aproveite tudo que Cuzco e região tem a oferecer, compramos o completo, junto daquele pacote no hotel, mas ele é vendido a $130,00 em qualquer das atrações que for e também tem um lugar na avenida El Sol que também vende, qualquer pessoa que você perguntar por esse boleto na cidade vai te informar com precisão onde comprar.

 

foto(2).jpg.f45bdc9480297f9075f287328602f48f.jpg

 

Depois da visita em Pisac (obs: lembrancinhas são mais baratas nesse lugar) fomos para Urubamba, onde almoçamos por volta de 13:00 e na sequência seguimos para Ollantaytambo, ainda de dentro do ônibus o guia já mostrou para quem iria pegar o trem para MP onde ficava a estação. Visitamos as ruínas que forma um complexo militar, religioso e agrícola da era Inca, bem legal por sinal, a vista de cima é muito massa, possível ver toda a cidade. Deixamos um pouco o guia de lado e exploramos mais, subindo até a parte mais alta, apesar do lugar estar muito cheio, fiquei imaginando como deve ser na época de alta temporada, mesmo assim o passeio vale muito a pena.

Saindo das ruinas tivemos tempo de sobra para andar pela cidade, que é bem pequena mas muito interessante para um passeio, pechinchar algumas coisas para comprar, em frente à saída das ruínas tem uma feirinha muito legal com coisas muito boas, e comer alguma coisa até a hora do nosso trem. As passagens do trem eu comprei ainda no Brasil pelo http://www.perurail.com/ U$126,00 ida e volta por pessoa ::ahhhh::, fiquei com medo de não ter mais para o horário que queríamos e aí termos que mudar o roteiro.

A viagem para MP durou cerca de 2 horas, o trem é bem confortável e um lanche é servido no meio da viagem, pelo preço da passagem o lanche deveria ser melhor, só acho ::hahaha::. Chegamos a Aguas Calientes por volta de 21:00, já sabia que nosso hotel (La Payacha) ficava atrás da estação de trem, mas naquele mundo de gente que chegou nós não conseguíamos ver nada, subimos as escadas e ao indagar a um guarda sobre a localização ele nos apontou, era só atravessar os trilhos onde o trem havia nos deixado e o hotel estava lá ::dãã2::ãã2::'>. Ainda no nosso hotel em Cuzco fomos avisado de que assim que chegássemos em nosso hotel em AC uma pessoa viria nos encontrar para nos passar às coordenadas do dia seguinte, o mais esperado de todos, enfim subir a Machu Picchu ::otemo::, esperamos muito essa pessoa que não apareceu, depois perguntamos à recepcionista e ela disse que uma pessoa havia passado lá e deixou recado que viria nos apanhar no dia seguinte por volta de 6:45, o sinal de alerta para coisa desorganizada acendeu nesse momento :oops:. Infelizmente estávamos tão cansados que se quer saímos para comer durante a noite, comemos besteiras dentro do quarto do hotel e perdemos a chance de conhecer AC a noite :cry:, ficou para uma próxima trip. Esse nosso hotel em AC era muito bom para os padrões de uma cidade tão afastada, internet boa, café da manhã foi o melhorzinho da viagem e a localização é excelente ::otemo::. A janela do nosso quarto dava para o rio Urubamba, que praticamente corta todo o Vale Sagrado, dormimos com o barulho da correnteza e no dia seguinte levantamos cedo para ver aquele espetáculo antes das subida para MP ::hahaha:: .

 

DSC05983.JPG.cc88a2860d548b583d12a8d1b1549c84.JPG

 

DSC05941.JPG.ef1d6f43c5b3e65c736d7804134a53b1.JPG

 

DSC06005.jpg.ffd7f05e40fddadc3d68b95d605260e8.jpg

 

IMG_1374.JPG.8b7af20b067ef3286b014d686e76e05a.JPG

 

IMG_1392.JPG.90776a8f24212f11394adb8696c09883.JPG

 

Taxi: aeroporto - hotel = $25,00

Hotel Pachacutec (decolar) = R$40,00 por pessoa, por dia

Almoço = $18,50

Pacote com o hotel = U$160,00 por pessoa

Hotel La Payacha (booking) = U$20,00 por dia, por pessoa

Passagens de trem (ida e volta) = U$ 126,00 por pessoa

 

Veja o relato completo e mais detalhado no meu blog: http://namochiladealeh.blogspot.com.br/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito bom.

 

Se eu soubesse que tinha tantos lugares bacanas assim em Lima, teria agendado uns dias por lá.

Estou indo em julho, mas só ficaremos 1 dia (escala) em Lima.

 

Você recomenda algum local próximo ao aeroporto?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Meus parabens pelo relato, merrmão!!!

Voo para Lima dia 16/06/14, semana que vem, e deu pra ter uma boa noção de tudo com seus posts!!!

Sem pressão... Mas continua o relato logo... rsrsrsrsrsrs

 

Valeu!!!!!!!!!!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Muito bom.

 

Se eu soubesse que tinha tantos lugares bacanas assim em Lima, teria agendado uns dias por lá.

Estou indo em julho, mas só ficaremos 1 dia (escala) em Lima.

 

Você recomenda algum local próximo ao aeroporto?

 

E aí Marcelo, blza.. Então, Lima é muito bacana, quero voltar e ficar pelo menos uns 5 dias.. Com será sua escala? Quantas horas terá por lá? Tenho 2 sugestões, nenhuma delas próxima ao aeroporto, acho que por alí não tem muito o que se ver, mas qualquer táxi fora do aeroporto vai te cobrar no máximo 30 soles para te levar.. 1º: Plaza de Armas e arredores, muitos prédios bonitos, museus, igrejas e um parque chamado Rimac bem próximo, a própria Plaza de Armas já vale a visita. 2º: Parque Kennedy e descida pela Malécon Balta até o Parque del Amor e em seguida para o Shopping Lacomar, linda vista das falésias de lá, se tiver um pouquinho mais de tempo pode passar antes de tudo em Huaca Pucllana, ruína de adobe que também fica em Miraflores. Uma terceira opção seria o Parque de la Reserva para ver o circuito das águas ::otemo::.. Se me disser precisamente quanto tempo terá, posso te orientar melhor.

Tudo de bom ai na sua viagem.. abraços..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Meus parabens pelo relato, merrmão!!!

Voo para Lima dia 16/06/14, semana que vem, e deu pra ter uma boa noção de tudo com seus posts!!!

Sem pressão... Mas continua o relato logo... rsrsrsrsrsrs

 

Valeu!!!!!!!!!!

 

Vlw velho!! Que bom que o relato está ajudando,, Cara vc já está na regressiva hein, massa.. ::otemo:: Vou agilizar aqui para postar logo o restante, sucesso aí na sua trip e aproveita bastante..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

... 7º dia...

 

Ao levantar nesse dia (07/05/2014) a primeira coisa que queria verificar era se a previsão de chuva do dia anterior iria se confirmar mesmo, era necessário abrir as janelas para saber, afinal de contas, de dentro do quarto em que estava, o barulho da água corrente do rio Urubamba não deixava saber se chovia ou não, felizmente pude comprovar ao abrir as janelas que não chovia e que o dia em MP tinha tudo para ser inesquecível ::otemo::. Após tomar o café ficamos esperando a pessoa que viria nos conduzir até MP, esperamos de 6:45 até às 8:00 e nada de ninguém aparecer, felizmente estava com os tickets da van para subir e das entradas em MP e foi nesse momento que me dei conta de que nem o nome da agência da qual havíamos contratado os serviços eu tinha, depois descobri que chamava-se “Peru Trips”, nem preciso dizer que não recomendo de jeito nenhum o serviço deles né ::bad::::bad::. Como o contato com essa agência foi feito pelo nosso hotel, imediatamente ligamos para lá e ameaçamos que queríamos nosso dinheiro de volta caso ninguém aparecesse em 5 minutos e tivéssemos que ir por conta própria ::vapapu::, o que deveríamos ter feito desde o começo, a recepcionista ficou super preocupada e nos garantiu que em breve alguém chegaria, como já passava das 8:00 e o parque estava abrindo naquele momento, fomos categóricos e passados os 5 minutos partimos para pegar a van que nos deixaria na entrada de MP, para nossa sorte, uma van estava quase saindo e ainda precisando de 3 pessoas para completar os lugares e os próximos da fila faziam parte de um grupo que queriam ir todos juntos, resumindo, foi só chegar no ponto e pegar logo a van para subir.

Esse estresse com a nossa agência na subida serviu para aumentar a emoção de estar a poucos metros de lugar tão mítico e por quase 1 ano tão sonhado de se estar, confesso que durante os quase 30 minutos de uma subida muita perigosa ::ahhhh::, a cada curva Águas Calientes ficava verticalmente mais distante, pouco pensei no trajeto, já estava ávido para chegar e por alguns instantes pensei na possibilidade de ter chegado até ali e não conseguir subir a MP, estar tão perto e ao mesmo tempo tão longe. Ao descermos da van para termos acesso ao parque, uma pessoa gritava um dos nossos nomes: señora Selma Campos, señora Selma Campos, ele dizia várias vezes. Era o representante da agência que estava a nossa espera, não procurei saber o motivo de terem nos deixado esperar lá embaixo, ou se o comando era para subirmos e encontrarmos com eles ali, fato é que já estava decidido a reclamar com o pessoal do nosso hotel e solicitar deles uma compensação ::grr::, mas naquele momento, tudo que queria era chegar de fato a Machu Picchu.

 

DSC06020.jpg.206ff1bfea409029588f0eaa5fdb0f8f.jpg

 

DSC06033.jpg.98bd335c9395a7e66c09278cfbcbb7d2.jpg

 

DSC06041.JPG.c8919172d44f48fabeabb273fb9168bb.JPG

 

Depois dos processos de vistoria dos tickets estávamos na parte interna recebendo algumas orientações de nosso guia, nesse momento já tínhamos nos juntado a outras 20 pessoas que também receberiam as explicações do mesmo guia, devido a nosso “atraso” na subida e ao fato de nosso trem de volta para Ollanta ser o de 13:30, sabíamos que ficar o tempo todo com o guia e o resto do grupo seria muito ruim para nós, pouco aproveitaríamos de MP, sendo assim, logo na primeira subida para a vista panorâmica das ruínas começamos a dispersar, eu encontrei um caminho mais livre e acabei chegando na frente dos meus companheiros e não vou conseguir descrever o que senti no momento em que vi MP do alto, em parte encoberta por algumas nuvens, lembrando uma paisagem daqueles filmes de magia, fiquei completamente estático, acho que somente meu diafragma, os músculos cardíacos e os da face se movimentavam, pois chorava muito, se quer uma fotografia consegui tirar, contemplava aquele cenário até que um dos meus amigos me tirou daquele “transe” ao chamar meu nome bem perto de mim ::essa::.

Mergulhado nos meus pensamentos, o que mais veio à minha cabeça foi o povo Peruano com quem interagi naqueles dias, em cada um deles pude perceber a alegria e o prazer de fazer aquilo que precisavam fazer, fossem aquelas atividades mais “elitizadas” ou mesmo aquele serviço banal e corriqueiro, fato é que percebia o sorriso e a gentileza de cada um deles, de fato felizes e agradecidos simplesmente pelo fato de estarem ali, vivendo, trabalhando, se divertindo incondicionalmente :roll:. Naquele momento ainda não sabia, mas isso traria consequências diretas na minha vida pessoal e principalmente profissional, quando muitos falavam que Machu Picchu passou a ser um divisor de água em suas vidas eu simplesmente não acreditava, ignorava, não imaginava que “um lugar” pudesse te fazer diferente, creio que paguei o preço por minha incredulidade ::quilpish:: , a partir daquele dia com certeza seria eu mesmo, mas jamais seria o mesmo ::prestessao::.

Passado esse momento nos juntamos para explorar o parque, depois de muitos fotos partimos em direção à trilha Inca Bridge, um lugar muito legal, apesar de perigoso, de onde se tem uma vista muito bonita de Águas Caliente bem distante dali, além de um contato com a natureza sem igual, é como se muitas nuvens estivessem bem à sua frente ::otemo::. Na volta passamos por muitas pessoas fazendo a mesma trilha, muitos idosos também, depois de apreciarmos um pouco mais as ruínas vistas de cima resolvemos descer, mesmo sendo em pleno mês de maio o lugar estava apinhado de gente e pra todo canto se viam grupos ouvindo as explicações de seus respectivos guias e nos pegávamos carona em algumas delas, visto que havíamos abandonado nosso guia. Acho que passamos por quase todos os locais, alguns deles mais de uma vez pois em determinados momentos não conseguíamos achar a saída correta ::lol3::.

 

IMG_1423.JPG.8a78582f3eeffc7ca09eb67e2294b501.JPG

 

IMG_1527.JPG.6c2158cc4bc4ff379f7e77e95832329a.JPG

 

IMG_1514.JPG.6966ae70e1c9b63191c2e803dbd29acf.JPG

 

DSC06208.jpg.68ea5b923e22cc8a0ad2abffc972260b.jpg

 

Quase perto da hora de voltar resolvemos ir até o lugar de onde se parte para a montanha Huayna Picchu, infelizmente não foi dessa vez que subimos :cry:, o que só fez a vontade de voltar ao Peru e especialmente a Machu Picchu aumentar bastante, já estávamos planejando o retorno com direito a mais uma noite em Águas Calientes, subida por caminhada até MP e talvez uma noite por lá também, apesar de já termos ideia de que é bem caro ::hahaha:: e claro a subida até Huayna. Terminado o trajaeto resolvemos voltar para pegarmos a van e descer, passava um pouco do meio dia e queríamos comer algo antes de deixar MP, depois do carimbo no passaporte, que não poderia faltar ::cool:::'>, pegamos a van de volta e bem mais rápido do que na subida chegamos a AC, como ainda tínhamos tempo e o nosso hotel ficava bem perto da estação, andamos um pouco pela cidade e percebemos que na noite anterior podíamos ter saído e aproveitado um pouco do lugar, por isso, na volta já está planejado mais uma noite por lá. Comemos alguma coisa pela praça em uma lanchonete chamada Café con Pisco ::otemo::, preços razoáveis para a região, em seguida fomos direto para a estação, na volta nosso trem era o Vistadome e tinha um lanche melhorzinho e apresentações folclóricas, além de parte do teto de vidro que te dá uma vista bem bonita durante o trajeto (na ida estávamos no trem expedition). Na metade do caminho a chuva prevista começou a cair, mas já era tarde, o sonho de Machu Picchu já estava realizado.

 

DSC06068.JPG.c2da95d12a081a4eaafbcd3816e8a0ef.JPG

 

DSC06116.JPG.085a33fa2063eb9807a63eda65c104dc.JPG

 

DSC06178.JPG.d7828ab1402c4ce274e652fefdfb7b98.JPG

 

IMG_0595.jpg.2117caa587886b1a42d8bbfda1887a84.jpg

 

IMG_1566.JPG.8b21fd63266105f103a266cbf4030423.JPG

 

DSC06268.JPG.de86eaf757c2747cb629c5c08a88fb30.JPG

 

No horário previsto chegamos a Ollantaytambo, nesse momento precisávamos pegar uma van para chegarmos a Cuzco (90 km), esse serviço já tínhamos contratado junto com o pacote no nosso hotel, esperávamos que alguém estivesse a nossa espera na estação, não aconteceu, por quase 20 minutos esperamos alguém ::vapapu::, quando já estávamos decididos a pagar novamente e contratamos outra van, um homem chega à nossa procura e nos conduz a uma van que já tinham 6 pessoas nela, ficamos lá dentro por uns 10 minutos até que lotou e partimos, sem dúvida essa foi a parte da viagem que mais me arrependi, a van era apertada, um calor tremendo e se abríssemos a janela batia um vento muito forte em quem estava perto dela, além disso o cheiro estava horrível e tivemos que suportar aquilo por quase 2 horas :oops:::vapapu:: , até que enfim, a van chegou até a Plaza de Armas em Cuzco. Fiquei ainda mais chateado pois no site da perurail tinha uma modalidade conjugada de trem + ônibus que levava de MP até Cuzco, infelizmente os assentos se esgotaram um dia antes de compramos nossas passagens ::putz::, fica a dica e a experiência para a próxima.

Pegamos um taxi e voltamos ao mesmo hotel que estávamos antes, no caminho um dos meus companheiros me convenceu a não “brigar” com o pessoal de lá por conta das trapalhadas da agência que contratamos o pacote com eles :twisted:, pois na verdade, ao chegarmos a Cuzco dois dias atrás eles nos fizeram a gentileza de aceitar nossa entrada no hotel antes das 8:00 horas, algo que normalmente só seria possível depois do meio dia, apesar de ter sido algo sem querer, por erro de um dos recepcionistas, realmente não valeria a pena brigar por isso e estragar uma viagem que até então estava sendo tão boa, e ainda faltavam dois dias para aproveitar muito :P. Depois do check-in e retirada de nossas mochilas que estavam guardadas no hotel, tomamos banho e estávamos prontos para aproveitar a noite Cusqueña, na verdade saímos com um intuito maior, ir até o restaurante El Encuentro, por recomendação de alguns relatos, queríamos experimentar a comida vegetariana que eles serviam lá, o restaurante fica na Calle Santa Catalina, bem próximo da Plaza de Armas, recomendo muito, a comida é excelente, o restaurante é pequeno é tem um clima bem legal. Foi lá que experimentamos nossas primeiras “Cusqueñas”, confesso que cerveja não é minha bebida favorita, mas a fama dessa é merecida, muito boa, saindo do restaurante passamos em frente ao Mama Africa e ficamos um pouco na Plaza de Armas, muito bonita a noite e bem cheia, apesar do friozinho que fazia em Cuzco naquela noite. Pelo nosso boleto turístico tínhamos direito a algumas opções de museus na cidade e de apresentações culturais em um clube local, mas a falta de tempo não nos permitiu utilizar, ficou para a próxima pois no dia seguinte ainda tínhamos Maras e Moray, além do city tour por Cuzco ::otemo::.

 

IMG_1595.JPG.257c6b0d46c1c61bbebc3dd25bb96619.JPG

 

IMG_1590.JPG.56c5068f92ce7759af29657a88bda36b.JPG

 

Almoço - Café com Pisco = $20,00 por pessoa

Taxi - Plaza de armas - Hotel (ida e volta) = $12,00

Jantar - El Encuentro - $23,00 por pessoa

 

Veja o relato completo e mais detalhado no meu blog: http://namochiladealeh.blogspot.com.br/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

...8º, 9º e 10º dia...

 

Depois de MP restava a sensação de que a viagem chegava ao fim e que nada mais que fosse visto dali em diante teria graça :cry:, felizmente estávamos enganados e os últimos momentos ainda reservavam boas surpresas. Nosso tour para os terraços de Moray e salineras de Maras estava previsto para 9 da manhã, tivemos tempo de andar um pouco por Cuzco e cambiar um pouco de dinheiro, estávamos mais tranquilos quanto a esse passeio pois havíamos contratado com a Peru Golden e tínhamos boas referencias do trabalho deles e verificamos que é bom mesmo, na verdade as agências só vendem os pacotes, quem faz o serviço são outras empresas que juntam as solicitações de várias agências, fica um negócio meio louco mas que no fim “dá certo”, dentro do possível ::mmm:.

Depois que o ônibus lotou nós partimos para Moray, no entanto, no caminho passamos em Chinchero onde se visita uma tecelaria e as mulheres mostram como produzem e tingem os tecidos que são usados na produção de muitas peças, a maioria delas de lã de alpaca, a apresentação é bem legal e em seguida você é convidado a conhecer e comprar algumas peças, o preço não é dos melhores, mas depois da apresentação muita gente se sensibiliza e acaba comprando alguma coisa, menos eu que sou pão duro de carteirinha e já tinha comprado o que precisava em Ollanta. Partindo de lá foram mais uns 30 minutos até chegarmos ao nosso destino, os terraços são impressionantes, gigantescos ::ahhhh::, depois de algumas explicações do guia ele nos conduziu até a parte de baixa, não foi fácil para descer não, os barrancos são meio irregulares e a força que tem que se fazer nos degraus é bem grande, mas nada comparado com a parte da subida, muitas pessoas passam mal nessa hora, a dica é: subir devagar, ir parando aos poucos, respirar bem fundo por que se não o soroche bate forte e ainda vem misturado com o cansaço daquele esforço físico :oops:. Vale muito a pena a visita, o lugar é muito bonito e explicita toda a perspicácia de um povo, gostei da atmosfera do lugar e de visitar algo que todos os anos preciso mencionar nas minhas aulas e falar da importância e funcionalidade ::otemo::.

 

DSC06318.JPG.332407f05ef6967f8bd0b6d570d94f00.JPG

 

DSC06343.JPG.0fb45366f196c36ba5de6c56f1fab23f.JPG

 

IMG_1736.jpg.4c361dfe9b7f24470308ab3dbf2c280b.jpg

 

DSC06373.JPG.a25aa625938bb83cef9c434ff86568da.JPG

 

Como o grupo era grande, o tempo de subida e descida foi um pouco maior e até que todos que retomassem o fôlego para seguir viagem demorou um pouco, mas deixando Moray seguimos direto para as salineras de Maras, acho que em 40 minutos estávamos bem próximo do lugar, quando nos foi apontado pelo guia, tudo que eu conseguia ver era alguns pontos brancos bem distantes e um enorme desfiladeiro para descer, de imediato pensei, uma descida perigosa para algo que nem deve ser tão bom assim, estava enganado, não pela descida, que realmente é perigosa e de espantar qualquer um, vi um casal de coreanos descende a pé ::ahhhh::. Me enganei quanto às salineras, um lugar de onde se tira uma quantidade absurda de sal, mas estrategicamente o caminho até lá é por dentro de muitas lojas do pessoal local, a quantidade de objetos de artesanato feito com sal é absurda, muito interessante, mas difícil de trazer devido a fragilidade. Os comerciantes também nos oferecem banana frita do tipo chips e milho também, simplesmente delicioso, ainda mais quando se coloca um pouco das especiarias e do sal incrementando que eles tem lá, você simplesmente não consegue parar de comer e a degustação gratuita logo te leva a comprar muitos para comer, sem contar que o sal e as especiarias te chamam a atenção também e a vontade de trazê-los para casa é grande, vi muita gente enchendo as bolsas com pacotinhos de sal ($2,00 cada e 3 por $5,00), mesmo preço do milho e da banana ::otemo::.

Depois de toda parte gastronômica e de comércio do sal enfim chegamos ao acesso das salineras, é simplesmente impressionante ::cool:::'>, enquanto o guia explicava sobre a produção, extração e beneficiamento do sal era possível se surpreender cada vez mais com a extensão de Maras, visita muito legal. Depois de mais de uma hora por lá o guia chamou a todos para o retorno, a fome já apertava muito e sabíamos que às 3:00 teríamos ainda o city tour em Cuzco, estava tudo dentro do previsto, menos o atraso na volta que fez com que chegássemos à Plaza de Armas por volta de 14:45, nesse momento o guia pediu que quem fosse fazer o city tour permanecesse no ônibus pois dentro de instantes o mesmo começaria, mas de fato só começou próximo das 16:00 ::grr::::vapapu::.

 

DSC06423.JPG.6d79f3715b673b704961da3491f5127c.JPG

 

DSC06386.JPG.285406abb8a85f7fda78dfd1620ef4e9.JPG

 

DSC06401.JPG.912ded63b22a7118f51c83b8e7a8eb5e.JPG

 

IMG_0689.JPG.4ae538ffeb107c3ad0fdab8f5599ecb0.JPG

 

Estávamos muito chateados com aquela situação e com o fato de estarmos extremamente famintos, tomamos a decisão de que não faríamos o city tour todo, até por que estava previsto para terminar às 18:00 e agora, com certeza, não terminaria antes das 19:00. Como Saqsayhuamán (a pronúncia é algo parecido com: sexy woman) era a primeira parada e de lá poderíamos descer caminhando para Cuzco, resolvemos ir até lá e abortarmos a viagem ali mesmo para enfim almoçarmos e aproveitar um pouco mais de nosso último dia em Cuzco, as outras atrações ficaram para uma próxima viagem, no entanto, pelo que vi nos relatos, muitos disseram que essa era a atração imperdível do city tour, sendo assim ficamos com a consciência menos pesada ::lol3::..

Chegamos em Saqsayhuamán com o sol bem baixo e muitas nuvens ameaçando uma chuva fina, ela até caiu, mas logo dissipou, se tínhamos alguma dúvida de não seguir viagem, essa dúvida logo se foi. O lugar é bem legal, o guia contou toda a historia por trás dessa fortificação e enfatizou o fato de ser ali a maioria dos festejos do tradicional Inti Raymi (festa do sol). Depois de uns 40 minutos o guia começou a chamar todo mundo para ir embora, se o resto do tour fosse seguir nesses ritmo seria uma correria só, exatamente igual ao que muita gente me alertou que seria, sem dúvida, da próxima vez, ficarei mais dias em Cuzco e farei esses passeios do city tour por conta própria, em muitos locais é possível ter acesso caminhando. O guia nos mostrou como fazer para voltarmos à Plaza de Armas por um caminho bem legal, de lá é possível ver quase toda a cidade, até a descida foi proveitosa pela caminhada e pela paisagem que tivemos no trajeto.

 

DSC06434.JPG.5d2355fe3f95bf9df905f5b02b716bf2.JPG

 

DSC06443.JPG.580223d395d2fb93b097ae7f71aefb9d.JPG

 

DSC06458.JPG.888e25b3fe5ae4670a9983af88ce5d34.JPG

 

DSC06470.JPG.500a6198ab8854c702c4b7753bd2ca81.JPG

 

De “volta a Cuzco” era enfim hora de almoçar, não pensamos duas vezes, o restaurante seria Don Esteban & Don Pancho com o maravilhoso “menu del dia” por $18,50 ::lol4:: no entanto, chegamos ao restaurante por volta de 17:15 e eles servem o menu del dia somente até às 16:30, fazer o que, mesmo assim almoçamos lá mesmo na outra modalidade que eles estavam servindo naquele momento, até por que a promoção do happy hour só começaria às 18:30, de qualquer forma o almoço foi excelente e o ambiente, apesar de simples, é muito agradável, descansamos bastante também pois o dia tinha sido cheio. Saindo do restaurante demos mais umas voltas por Cuzco e compramos algumas coisas de despedida, pois no dia seguinte o tempo seria escasso pois nosso voo para Lima era no começo da manhã, fizemos boas compras, com muitas pechinchas é claro, em um mercado bem grande na avenida El Sol, para quem estar descendo da Plaza de Armas por essa avenida ele fica no lado esquerdo, bem em frente a uma fonte e um hotel mais chique que tem na avenida, creio que em Cuzco seja o melhor lugar para comprar os presentinhos.

Manhã seguinte foi só o tempo de arrumar as mochilas, tomar café e um táxi para o aeroporto, no momento do check-in a atendente da LAN nos fez o favor de marcar nossas poltronas de Lima para Guarulhos com a TAM, junto à saída de emergência do avião, aquela que te cobram alguns dólares por um espaço maior entre as poltronas (para nós faz diferença pelo tamanho das canelas ::lol3::) mas ainda não sabíamos disso, só depois de realizarmos o primeiro voo de Cuzco para Lima (LAN), bem tranquilo por sinal e despachar nossa bagagem mais uma vez, agora pela TAM é que o atendente em Lima nos disse o que tinha ocorrido por engano em Cuzco e perguntou se queríamos pagar pelo serviço (U$58,00 se não estou enganado ::ahhhh::) claro que não queríamos pagar, ele então disse que teria que nos mudar de lugar. Vinte minutos depois ele nos trouxe a informação de que o voo estava lotado e que não haviam mais três poltronas juntas e que ficaríamos nos assentos especiais, sem pagar nada :lol:::hãã::. Viemos agradecidos por esse “erro”, afinal o trecho entre Lima – SP é de 5 horas e na ida fomos de 767-300 da LAN para voltarmos em um A320-100 da TAM, sem comparação, o espaço maior fez muita diferença ::otemo::.

Chegamos em Guarulhos e ainda tínhamos mais um trecho para o Rio (expliquei os motivos no começo do relato), onde iriamos ficar até o dia seguinte. Em SP o tempo de escala foi suficiente para imigração, free shop e aduana, e para não perder o costume, claro que minha bagagem tinha que ser revistada ::grr::, na hora que eles olham para mim já era, é raio-x na certa ::lol4::, essa cara de marginal, árabe/homem bomba só me traz isso, meus companheiros ficaram irritados comigo, pois já tinham passado e tiveram que voltar para me acompanhar na vistoria, suas bagagens também estavam suspeitas ::hahaha:: perdi dois companheiros de viagem. O aeroporto de Guarulhos aquele dia estava simplesmente um caos, voos atrasados, os painéis de indicação dos voos estavam com informações erradas, partidas mudando de portões a todo instante e gente para tudo quanto era lado, em suma, nosso voo que deveria chegar no Rio às 23:50 só chegou perto de 1:00 ::quilpish::.

Como já estava bem tarde para chegarmos ao Rio e não conhecíamos nada da área do nosso hotel, resolvemos dar uma de marinheiros de primeira viagem (tudo culpa minha) e optamos por um táxi ainda no saguão de desembarque do Galeão R$90,00 ::prestessao:: por uma corrida até o centro (pelo menos foi possível acumular milhas Smiles com esse pagamento e para minimizar o prejuízo), do lado de fora vi algumas tarifas por R$50,00 ou R$60,00 pelo mesmo trajeto, burrice sem concerto ::putz::. Ao entrarmos no táxi as “notícias boas” continuaram a chegar, quando falei o endereço para o motorista, ele numa “simpatia” tremenda falou: onde vocês alugaram isso? No Decolar, foi minha resposta (mesmo que tinha reservado quase todos da viagem). Em seguida ele completou: essa aérea é meio perigosa, vocês estão sabendo né?! Se for onde estou pensando, é lugar de prostituição ::sos::. Pronto, foi o suficiente para um silêncio sepulcral se instalar pelos próximos minutos dentro do carro, sentia o peso da censura dos meus companheiros sobre mim, mesmo sem eles falarem uma palavra, afinal de contas eu fui o responsável por quase todos os tramites da viagem, inclusive a escolha e reserva dos hotéis.

Depois do taxista se confundir algumas vezes, mesmo com seu gps ligado, um de nós avistou o hotel e avisamos a ele, mesmo que a área não fosse muito perigosa, nossa conceito ruim sobre o local já estava estabelecido pelas palavras agradáveis do taxista, e isso seria muito difícil de ser modificado. Como a desgraça sempre vem acompanhada, o recepcionista do hotel (Hotel Galícia) nos informou que não tinha reserva para nós, mesmo eu tendo entregue a ele o voucher da Decolar, nesse momento pensei: estive quase 10 dias fora do meu país e a Decolar consegue fazer minhas reservas nos confins do Peru, mas não é capaz de fazer uma reserva a pouco quilômetros da minha casa, como isso é possível?! Já fiz esse serviço com essa empresa inúmeras vezes e nunca tive problema algum, no dia seguinte fomos informados que o problema não foi com a Decolar e sim com algum funcionário do hotel que esqueceu de atualizar a reserva, nem quis saber mesmo o que ocorreu, até porque o recepcionista de posse do nosso voucher e do e-mail da Decolar que mostrei para ele nos providenciou um quarto e deixou tudo para resolver com o gerente do hotel que estaria lá no dia seguinte, fato é que só conseguimos dormir depois de 3 da manhã :o ..

Não tenho nem como indicar esse hotel, não só pela confusão com as reservas, ou pela área não muito boa e também falta de preparo de alguns funcionários, no conjunto de tudo não foi uma estadia muito boa, completamente diferente de todas que tivemos no Peru, sem falar que pagamos R$80,00 por pessoa por um quarto minúsculo, praticamente o dobro do que gastamos em Lima ou em Machu Picchu, e com uma qualidade bem superior, talvez não fosse todo esse estresse a avaliação do hotel não fosse tão ruim assim, acho que isso até influenciou na minha opinião sobre o Rio de forma geral, enfim... :?:shock:

No dia seguinte foi só tomar café, esperar a resolução do problema por parte do gerente com a reserva e pegar um táxi para Santos Dumont, de onde faríamos o voo para Vitória, mas antes disso já tínhamos planejado a ida no Cristo que não foi possível na ida para o Peru, o clima bom já tinha se perdido por conta dessas desventuras, mas mesmo assim decidimos ir, achamos mais seguro deixar nossas mochilas no locker do aeroporto do que no hotel, de lá pegamos mais um táxi para ir ao Cristo, ao chegarmos fomos informados que o trenzinho que “sobe” o morro do Corcovado só sairia às 14:00, nessa hora já devíamos estar de volta no aeroporto, sendo assim fomos com o serviço de van, que fica somente R$2,00 mais caro, mas faz uma parada no mirante Dona Marta, vista linda do Rio de Janeiro ::otemo:: , ao todo tudo ficou por R$54,00.

Perdi a conta de quantas vezes tivemos que trocar de van até chegar ao Cristo, todo esse para para, agregado ao fato de termos pouco tempo para a visita e junto com as confusões desde que pisamos no Rio fez com que eu não gostasse muito do passeio, achei que as pessoas que fazem esse serviço não te passam informações 100% verdadeiras, como por exemplo o tempo que se gasta para subir e descer o morro, estávamos com tudo cronometrado para não perder o voo. Mesmo assim, a vista lá de cima é sensacional e vale muito a visita quando se tem tempo suficiente, confesso que dei muita risada das mais ousadas e inusitadas poses que as pessoas faziam para conseguir um bom ângulo para suas fotos ::lol4::. No fim da visita descemos “a jato” e pegamos um táxi de volta para Santos Dumont, de lá voo rápido para Vitória (Gregório Duvivier estava nesse voo) e mais 6 horas de ônibus para casa (Teixeira de Freitas – BA), findava aí nossa trajetória pelo Peru com a sensação de que poderia durar mais, a vontade de voltar nos locais que estivemos e conhecer outros vai ser muito grande de agora em diante.

 

IMG_1770.JPG.c47ccc2cc5c8742ab924c43fcd1286f1.JPG

 

IMG_1777.JPG.7b9765bcfe55346561bd9da62e57db5c.JPG

 

IMG_1753.JPG.97354d1af0e9a03b21e9bcaa29ce4df0.JPG

 

IMG_1835.JPG.560bfb721f823152b4dd4867c07d7017.JPG

 

Maras e Moray = $25,00 por pessoa

Entrada nas salineras = $7,00 cada

City tour = $15,00 por pessoa

Almoço = $22,00

Taxi - Hotel - aeroporto = $15,00

Taxi - Galeão - hotel = R$90,00

Hotel Galícia = R$80,00 a diária por pessoa

Táxi - Hotel - Santos Dumont = R$27,00

Táxi - Santos Dumont - Cristo = R$22,00

Entradas para o Cristo = R$54,00

Táxi - Cristo - Santos Dumont = R$18,00

 

...O que faria de diferente...

Antes de ir a MP passaria mais dias em Lima;

Reservaria mais dias em Cuzco;

Compraria as passagens de trem para MP com antecedência;

Subiria Huayna Picchu;

Dormiria mais uma noite em Águas Calientes;

Pesquisaria um pouco melhor as agências de tours;

Jamais faria mais de um tour por dia;

Dormiria um dia em MP;

Tentaria subir caminhando de AC para MP;

Faria as atrações do city tour de Cuzco por conta própria;

Tomaria mais chá de coca, e evitaria uma noite mal dormida no aeroporto.

 

Pessoal, apesar do relato extenso tenho certeza de que esqueci muitas coisas, caso precisem de mais informações é só perguntar, espero que seja bastante útil para os próximos viajantes... Retribuindo o favor, pois foi daqui que extrai informações imprescindíveis para que minha trip acontecesse.

Até a próxima – México (Cidade do México e Acapulco) - Outubro de 2014

 

Veja o relato completo e mais detalhado no meu blog: http://namochiladealeh.blogspot.com.br/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×