Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Van/DF

Buenos Aires - Perguntas e Resposta

Posts Recomendados

4o. Dia - La Plata

Acordamos cedo e fomos para a cidade de La Plata, que fica bem próxima de Buenos Aires (curiosidade: La Plata é capital de Buenos Aires). Fomos à República das crianças, lugar que inspirou a criação da Disneyland. A estrutura do parque é fantástica mas a conservação ruim. Neste lugar dá, realmente, para se perceber que a Argentina está em crise. è uma pena que um lugar tão bonito esteja tão precário. O horário do parque: das 10 às18h, todos os dias do ano, exceto 01/01 e 25/12 (preço: crianças até 7 anos, gratuito; acima de 7 anos: 5 pesos, estacionamento: 5 pesos. Há lanchonete e restaurante no local, mas não provei. Depois, fomos ao Museo de La Plata, que é um museu de história natural (de 3a. a domingo, das 10 as 18h, não abre em 01/01, 01/05, 24/12, 25/12 e 31/12; preço: 6 pesos, menores de 12 anos é grátis, tem estacionamento gratuito no local e lanchonete). Se você é alérgico a ácaros, não vá, pois é um prédio poeirento. Contudo, se não for, é um passeio muito legal para as crianças (meu filho de 8 anos adorou). Há muitos dinossauros e diversas ossadas de animais (nunca vi tantas). Comemos frutas (que pegamos no hotel), bolachas e alfajores na lanchonete do museu (lá não há comida). Saímos e fomos visitar a Catedral de La Plata. É muito bonita, vale a pena conhecer. Na volta, passamos pelo Shopping Abasto. Tentamos ir ao Museu de los Ninos, que fica dentro do Shopping e se parece, um pouco, com o parque da Monica, em SP. Contudo, seu horário de funcionameto é até as 20h e chegamos as 19h (preço: 3a. a 6s. feira - criança 15 e acima de 18 anos, custa 10 pesos; aos sábados, domingos e feriados: criança 24 e adultos 12 pesos). Fica para a próxima vez.

Comemos na praça de alimentação, em um fast food com parrilla dos EUA (bem fraquinho). Voltamos exaustos...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

5o dia - Tigre e San Isidro

Dia chuvoso. Fomos para Tigre, que fica a uns 40 kg de Buenos Aires. Fomos ao Museu Naval (horário: de 2a a 6a. f, das 8:30 as 17:30h e, aos sábados, domingos e feriados, das 10:30 às 18:30h, não tem estacionamento, paramos na rua ao lado). O museu é bem fraquinho, só tem réplicas de navios (pelo menos, deu para explicar a história da Guerra das Malvinas para o meu filho). Depois, fomos à estação ferroviária e à fluvial. Novamente, senti a crise na Argentina. Tudo parecia meio deserto e, na estação, o único restaurante que permanecia aberto, era o McDonalds. Todos os restaurantes indicados nos guias e pelos amigos mochileiros estavam fechados. Fomos, então, para San Isidro que é bem mais bonita do que Tigre. A sua estação de trem é mais fofa e tem melhores opções de restaurantes e lojinhas. À noite, comemos na pizzaria Guerrin, que fica ao lado do hotel Ibis Obelisco (estávamos com pressa), mas não foi boa idéia, eu e meu filho de 8 anos passamos mal. Fizemos reservas para o show de tango Senor Tango. Sim, algumas casas de tango aceitam crianças (ex. El Viejo Almacen e Senor Tango) e vale a pena somente pegar o show, sem o jantar (que é o triplo do preço e não passa de um bife grande com batatas fritas). O pessoal do Senor Tango veio nos buscar no hotel (custa 109 pesos por adulto e criança paga metade). Fui a este show há 10 anos atrás e achei lindo. Infelizmente, meu filho vomitou e tive que voltar ao hotel. Foi uma pena pois o show é imperdível.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

6o dia - Bioparque Temaiken (lindo)

Fomos ao zôo de Temaiken, em Escobar, há 50km de Buenos Aires. Horário: das 10 as 19:00h, tem estacionamento gratuito, adulto 52 pesos e criança, de 3 a 10 anos, 38 pesos. Na 3a. feira, os valores são; adulto 26 pesos e crianças 19 pesos. Este foi, sem dúvida, o melhor passeio. Tudo foi perfeito, o local é lindo, organizado, o pessoal do zôo é atencioso e eficiente. Parece coisa de 1o mundo. Possui um cinema de 360 graus muito bonito e, o local dos pássaros, é lindo (você entra na gaiola e eles ficam livres, passeando pertinho. Ficamos a centímetros de tucanos e araras). Possui vários restaurantes e lanchonetes. A comida é de fast food mas o local, vale cada centavo. Mesmo com uma chuva horrível, o passeio foi maravilhoso. Não deixe de visitar.

À noite, fomos conhecer a livraria Ateneu (a livraria Cultura da Av. Paulista é maior e melhor) e jantamos no restaurante Il Gatto, que na 3a. e 4a. feira oferece massas pela 1/2 do preço (porções pequenas). Foi um dia muito gostoso.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Logo cedo, fomos para Palermo, conhecer o parque 3 de febrero e o zôo de Buenos Aires (horário: de 3a. a domingo, das 10 as 18h, entrada: adulto 22 pesos e crianças até 12 anos grátis. Não possui estacionamento e, para piorar, as ruas ao lado estavam fechadas para o Rallie Paris-Dakar). Bem, o zôo é bonito mas, depois de conhecer o temaiken, ele acabou ficando bem fraquinho, pois tudo está um pouco gasto. Saímos dele e fomos ao Malba, que estava lotado (não abre de 3a. feira, de 4a. feira, abre das 12:00h as 21:00 e, de 5a. a 2a. feira, das 12:00 às 20:00h; adultos: 15 pesos, crianças até 5 anos é grátis mas, na 4a. feira, custa, apenas, 5 pesos). O prédio é moderno mas sinceramente, não entendo de arte moderna, gostei, muito mais, do Bellas Artes e me arrependi de não haver visitado o Museu de arte Decorativa, que me pareceu tão bonito.. Fomos ao Shopping Alto Palermo para jantar e, infelizmente, não havia nenhum restaurante legal, apenas, fast food. Comemos no Ave Ceasar. Horrível, não guarda qualquer relação com as fotos, não recomendo. Comemos mais alfajores...

Demos mais algumas voltas pela cidade e voltamos para o hotel.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

8o dia - compras e ver o que faltava

Acordamos cedinho e fomos visitar o que faltava: andamos pelo centro, Café Tortoni, San Telmo, Rua Balcarce, etc. Compras: calle Florida. Fomos ao Outlet da lacoste, parecia uma mistura de 3a. guerra com arrastão, brasileiros se acotevelando, furando fila e comprando qualquer coisa, como se uma blusinha de R$100 fosse algo fantástico. Foi horrível. Para compras, a pior época é o verão. Fui atrás de cashemires, blusas, botas e jaquetas. Não encontrei quase nada.

Almocei no restaurante Bahia Madero em Puerto Madero. A comida demorou 50 minutos para chegar (sendo que tive que reclamar 2 vezes), o garçom foi grosso e, a comida, não foi, nem um pouco, memorável. Detalhe: o garçom era brasileiro!!!

Fomos para o Aeroporto, enchemos o tanque do carro em um posto de combustível perto do aeroporto e o devolvemos no próprio estacionamento do Ezeiza. Fizemos check in, fomos pegar o reembolso do imposto pago - IVA (eles depositam no próprio cartão de crédito). Tomamos um sorvete Persicco (o de doce de leite caseiro é melhor do que do Freddo). Imigração, bagagens, tudo tranquilo. Free shop: muitos alfajores (temi que achassem que era contrabando, tamanha a compra)

Bem, desta vez não fui à feira de domingo de San Telmo pois, da última vez, não gostei. Era uma mistura de feira da Rua Benedito Calixto com Embu das Artes. Lotado e somente com coisas velhas.

Não fui à Bombonera (estádio de futebol de Boca) porque meu marido e filhos não gostam de futebol.

Somente passei pelo Caminito porque notei que, desde a última vez que fui, nada mudou.

Verão em Buenos Aires - essencial: levar Off contra pernilongos, filtro solar, capa de chuva e dinheiro (pesos), pois há vários locais onde cartões de crédito não são aceitos ou não se recebe desconto quando os utiliza.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gente, esse city tour que vcs tão falando é o que sai da esquina da Calle Florida?

Se for esse, eu particularmente recomendo. Dá para conhecer toda a cidade e os principais pontos turísticos de Buenos Aires. Além disso:

1) vc pode optar pelo ticket que dá direito a 1 ou 2 dias de passeio, e considerando que algumas pessoas andam de táxi, vai sair bem mais em conta;

2) Salvo engano, a partir das 08h30 da manhã os ônibus no estilo sightseeing saem de hora/hora;

3) Vc pode descer, passear pelas redondezas e pegar o próximo ônibus novamente;

4) Tem fone de ouvido explicando a história, etc.

5) Para quem está sozinho e vai para lugares onde é preciso maior cautela, como o Boca, é ideal.

Aproveitando para responder à Carolina, eu já fui para BAs sim, e comprei as passagens com três meses de antecedência. Se quiser mais dicas, é só dar um toque.

 

LUCIANO

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá!

Vou para Argentina pela primeira vez e gostaria de saber sobre a devolução do IVA... já sei que só se opera para produtos fabricados na Argentina e com notas fiscais acima de 70 pesos de lojas conveniadas.

Também sei que o reembolso é feito no aeroporto EZE... mas esticarei minha viagem atá as cataratas e devo sair do país por Puerto Iguazu e pegar um vôo pra o RJ em Foz.

Assim, como posso obter o reembolso do IVA? Somente em Buenos Aires ou consigo também em Puerto Iguazu quando estiver na aduana?

Particularmente preferia que fosse em Bs As, mas tenho que saber as alternativas.

 

Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quem vai a Buenos Aires e desembarca no aeroporto ezeiza, eu recomendo toar cuidado quando vai pagar, alguns motoristas trocam o pagamento por notas mais baixas e falam que vc pagou a menos, mão entrei nesta por que eu já tinha lido a respeito deste golpe, por isto não custa nada relembrar, ficar atento, negociar o preço que fica em torno de 120 pesos aeroporto Ezeiza para a cidade ou aeroporto pára o aeroparque o outro aeroporto.

Do aeroparque o preço é muito mais barato para a cidade ou pegar o busão que te deixa bem na praça do porto madeiro.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia amigos!

Abaixo uma coletanea de informações retirada do site e de outros lugares da internet.

temos no forum o guia oficial:

 

buenos-aires-guia-de-informacoes-t15670.html

 

e abaixo algumas informações que aguardo confirmarem a veracidade das informações:

 

Existe o onibus turistico em Buenos aires ( http://www.buenosairesbus.com/)

e este da para conhecer os Seguintes locais :

$70 pesos (35 reais)

 

• Florida

• Plaza de mayo

• Congresso

• Monserrat

• San telmo

• La boca

• Reserva ecológica

• Puerto Madero

• Plaza san Martín

• Palermo Roserdal

• Plaza Itália

• Recoleta

• Lavalle

 

bus4.jpg

 

 

Agora vamos aos atrativos por Bairro:

 

Centro

 

A Avenida 9 de Julio, a Avenida Corrientes e o Obelisco, no cruzamento de ambas, representam o cartão-postal clássico do centro portenho. Passando por aí de segunda a sexta é possível conhecer o perfil de um habitante da cidade, com toda a correria de um dia de trabalho. Caminhar pela avenida Corrientes é quase uma obrigação. Entre teatros e cafés, encontram-se várias livrarias que dispõem de um sem número de publicações.O centro da cidade de Buenos Aires, é o centro comercial, mas também o centro cívico da cidade. Existem uma série de pontos a serem visitados:

Plaza San Martín - Um bom lugar para se começar o passeio pelo centro. Em frente à praça vale visitar a Torre dos Ingleses (depois da guerra das malvinas a torre passou a ser chamada de Torre Monumental). Perto da praça outro ponto turístico é edifício Kavanagh, prédio em art-deco que durante muito tempo foi um dos mais altos da América Latina. Na praça, vale a visita ao monumento aos mortos na guerra das Malvinas, e ao Monumento ao General San Martin, que tem sempre coroas de flores deixadas por políticos que visitam a cidade. A praça tem uma bela vista da torre com o porto e a Estação de trem Retiro. Vale uma foto! Em frente à praça há duas importantes galerias de arte: Ruth Benzacar e Klemm.

Rua Florida- O início da rua fica bem próximo à Praça San Martin. Essa rua foi a primeira rua de pedestres da cidade e se tornou uma referência de comércio. Hoje em dia, conta com variadas lojas populares de roupas, sapatos, artigos de couro etc.

Galerias Pacífico - Seguindo pela Florida, chega-se às Galerias Pacífico. Com uma bela arquitetura esse shopping conta com um interior luxuoso e variadas lojas. *Na galeria Pacífico, vale à pena descer à praça de alimentação e passar na loja de alfajores, chocolates e sorvetes "Abuela Goye".

Teatro Colón (Cerrito e Tucumán) - Seguindo pela rua Florida, chega-se à Av. 9 de Julio, uma das principais avenidas da cidade. Nela encontra-se o Teatro Colón. É um grande orgulho para Buenos Aires possuir um dos melhores teatros líricos do mundo. Mesmo que você não possa assistir a um espetáculo não deixe de realizar uma visita guiada e conhecê-lo por dentro (leva aprox. 2h)

Obelisco - Na mesma Av. 9 de Julio é possível visitar o Obelisco, inaugurado em 1936. Esse é um dos pontos de manifestações políticas e de comemorações de vitórias esportivas.

Plaza de Mayo e Avenida de Mayo É interessante observar a variedade de cúpulas e fachadas de todos os estilos desta avenida que parte da Plaza de Mayo e desemboca no imponente edifício do Congresso Nacional.

Casa Rosada (Balcarce 50) - Fica em frente à Plaza de Mayo. Há uma visita guiada e um pequeno museu, com entrada gratuita, na lateral do edifício.

Estação de Metrô Peru - Essa estação de metro foi a primeira da cidade, inaugurada em 1913. Ela ainda conserva a arquitetura original da época, com a bilheteria antiga e cartazes antigos. Nessa estação pega-se um trem muito antigo, de madeira. Uma viagem no tempo.

Café Tortoni (Avenida de Mayo 825) Mais que um café, o Tortoni é um dos símbolos de Buenos Aires e do tango e por isso merece uma visita. (o churros (sem doce de leite!!!) é uma delícia)

Cabildo (Hipólito Yrigoyen e Av. de Mayo) Apesar das sucessivas reformas, esse edifício ainda respira história pois foi o epicentro da Revolução de Maio de 1810, data da independência argentina. Tem um museu aberto a visitação.

 

 

La Boca

 

El Caminito - uma das ruas mais pitorescas - e mais visitadas - de Buenos Aires. É considerado um museu à céu aberto. Além das casas coloridas, no Caminito o turista encontra uma série de dançarinos de tango se apresentando em troca de alguns pesos, e outros vendem sua imagem posando para fotos com os turistas. É uma região também repleta de vendedores ambulantes. Caminito não é um lugar completamente seguro, então tome alguns cuidados

La Bombonera - estádio do famoso time de futebol Boca Juniors. O estádio oferece uma visita guiada (com visita ao museu, ao campo, aos vestiários e à sala de imprensa). O passeio dura cerca de uma hora, funciona de 10 a 18h e custa cerca de 30 pesos por pessoa. Museo Boquense. Na visita guiada se anda muito, há muitas escadas e arquibancadas para subir e descer. No entanto, eles têm diversos elevadores e pessoas com necessidades especiais podem ser acompanhadas e seguir um caminho alternativo sem escadas, mas é recomendável informar-se melhor antes de começar o passeio.

 

Palermo

 

É o maior bairro de Buenos Aires, considerado o pulmão da cidade devido aos seus diversos parques e jardins. O bairro oferece também uma grande variedade de lojas de arte, bares, boutiques, teatros independentes, lojas de antiguidades, ateliers, milongas de tango, restaurantes e night clubs, onde você pode aproveitar durante o dia, mas especialmente à noite. Esses restaurantes são muito famosos por causa dos seus estilos originais, retrô ou novo art deco, e suas entradas, pratos principais e sobremesas espetaculares.

Palermo Chico - residências elegantes, Jardim Botânico, Jardim Japonês, Zoológico, Planetario, etc.

MALBA - Museu de Arte Latino-americana de Buenos Aires - Av. Figueroa Alcorta, 3415, (11) 4808 6500 ([email protected]) [8]. Situado num moderno prédio de arquitetura clean, abriga pinturas, esculturas, desenhos, gravuras, colagens, fotografias e objetos de artistas da Argentina, do Brasil e de outros países da América Latina, incluindo obras de artistas como Frida Kahlo e o Abaporu (1928), uma célebre pintura de Tarsila do Amaral que é um ícone do movimento moderno brasileiro. Funciona também como centro cultural, com atividades de cinema, seminários etc. Qui-Seg e feriados: 12 a 20h, entrada AR$ 15. Qua - 12 a 21h, entrada franca. Tem lojinha e uma livraria de arte com catálogo extenso.

 

Palermo Viejo

 

Palermo Hollywood - Esta é a parte mais trendy de Buenos Aires, com ruas largas e casas antigas, e muitas destas avenidas cercadas por árvores. Esta área é chamada “Palermo Hollywood” porque é onde a maioria dos estúdios da televisão e dos produtores do filme têm seus escritórios.

Palermo Soho - Lojas de moda, design e diversas alternativas gastronômicas

Palermo Cambodia - Nas proximidades do Soho, com galerias de arte e bares

Hollywood in Cambodia - Thames 1885, 1º piso. Galeria de arte, com grande variedade de estêncis e lugar que agrega os pintores modernos. Tem um bar descolado no térreo.

Jardim Japonês /Parque Tres de Febrero: 200 hectares de matas, animais, lagos e trilhas que compõem este parque encantador, ele engloba um conjuntos de pequenos parques conhecidos como Los Bosques de Palermo.

 

Puerto Madero

Um modelo de recuperação de áreas urbanas degradadas, o Puerto era o antigo porto da cidade, recuperado e revitalizado para abrigar diversos restaurantes e casas noturnas. Conseguiu, assim, atrair hotéis, e empreendimentos comerciais e residenciais para a vizinhança.

Ponte da Mulher - a Puente de la Mujer é uma obra do arquiteto espanhol Santiago Calatrava. Essa ponte tornou-se um cartao postal da cidade por sua beleza e modernidade. Quando necessário, ela gira em cima de um de seus apoios para que possam passar grandes objetos ou barcos pelo porto histórico.

Inaugurado em julho de 2007, o bairro agora conta com o Tranvia del Este, uma linha de VLT (bonde moderno) com 2 km de extensão, ao longo do porto (antes dos diques), desde a avenida Independência até a avenida Córdoba.

 

Recoleta

 

Provavelmente o bairro mais caro e elegante de Buenos Aires. Um elegante e sofisticado bairro de ruas arborizadas, onde as principais atrações são seus cafés e restaurantes, antiquários, um complexo cultural e o Cemitério da Recoleta. Não deixe de tomar um sorvete dulce de leche da Freddo (uma delícia!)

- Cemitério da Recoleta (Quintana e Junín) É um dos mais bonitos e mais visitados do mundo. Suas tumbas guardam os restos de famílias tradicionais argentinas, além de grandes personagens históricos. Evita, apesar de protestos por suas origens humildes, conseguiu ser enterrada aqui e hoje repousa na cripta da família Duarte.

Avenida Alvear - avenida com as lojas de grife mais caras de BsAs, como Armani e outras. Centro Cultural Recoleta

Village Recoleta - Complexo de cinemas e restaurantes, localizado próximo ao cemitério da Recoleta, é um dos mais badalados pontos de encontro do bairro. A decoração interna é muito extravagante (talvez não exatamente bonita), com predomínio das cores vermelha e preta.

Museu Nacional de Belas Artes

Cemitério da Recoleta - por mais funesto que possa parecer, é uma ótima atração turística. Tem túmulos da aristocracia dos últimos séculos, e o mais famoso túmulo: de Eva Duarte Perón, a eterna "Evita Perón". Alguns guias cobram AR$ 10 para um passeio - e vale cada centavo pelas histórias fabulosas contadas sobre cada personalidade e seus mausoléus.

 

 

San Telmo

 

Bairro antigo, associado à arte, à boemia, aos antiquários e o tango. Abriga a famosa feira de San Telmo (ver seção Compre, abaixo). Abriga diversos bares para todos os gostos. Há hostels relativamente baratos e que organizam passeios e tem bons serviços e acomodações. Os bares são uma atração a parte. Há desde pequenos e tradicionais, passando por modernos e descolados (Bar Sedon e Fin Del Mundo) até aqueles para turistas com jantar e show de tango incluso. É um bairro muito fácil de se percorrer a pé. Apesar de parecer um pouco perigoso e de alguns porteños insistirem que é um bairro pobre e "peligroso", tomando-se cuidados básicos, ele é tão seguro quanto as regiões mais centrais. Alguns garotos podem lhe pedir "una moneda" se o virem chegar em algum lugar de táxi e especialmente se estiver com bagangens ou com aparência de turista. De preferência não dê dinheiro. Se der para alguma criança, muitas outras provavelmente vão se aproximar e pedir também. Há muitos pequenos mercados que ficam abertos até o começo da noite. Há comida barata neles. Em alguns você talvez tenha uma dificuldade linguistíca, já que pertencem á imigrantes asiáticos que nem sempre falam espanhol bem. Apesar disso são honestos e uma boa opção para se pedir informações sobre o bairro e também para comprar pequenos itens. Também há "kioskos" nas ruas maiores. Em geral eles ficam abertos 24 horas e tem comidas, bebidas, cigarros, cartões telefônicos e pequenos itens similares. Seus donos, em geral pessoas mais velhas, são também uma boa fonte de informações sobre o bairro e a cidade. É uma experiência interessante conversar sobre política nacional e local com eles. Em geral são muito falantes e bem informados de acontecimentos nacionais e internacionais recentes. Costumam ser simpáticos, especialmente se você fizer um pouco de esforço para falar alguma coisa em castelhano. há muitas opções baratas para se comer no bairro. Se desejar algo típico explore as ruas menores, os restaurantes e os cafés do bairro. Não se esqueça de vera estátua da Mafalda. E se puder conversar com moradores antigos, pergunte sobre o time de futebol do bairro, o antigo Atlanta.

-Praça Dorrego: Árvores imponentes provocam sombra nas mesas ao redor na segunda praça mais antiga da cidade. A arquitetura circundante fornece uma visão geral das muitas influências históricas que moldaram a história da cidade.

 

Delta do Tigre

 

Situado 31 km a norte da capital, na Grande Buenos Aires, o Delta do Tigre é uma região formada por um rio de mesmo nome e diversas ilhas e canais. O transporte - seja de passageiros ou de serviços - é totalmente feita por barcos. O ponto de chegada é um parque, com diversos clubes desportivos, restaurantes e parque de diversões. Pode-se chegar de ônibus, de trem (a partir da estação Retiro) ou no Trem da Costa, uma linha de bonde moderno que parte da estação ferroviária de Maipú, margeando a costa do Rio da Prata, numa viagem de 25 minutos (o bilhete de ida-e-volta, com direito a parar nas estações intermediárias, custa AR$16,00; funciona diariamente, das 7h às 23h)

 

Bairro de Boedo

Bairro com muitas opções para desfrutar shows de tango, como a Esquina Homero Manzi, imortalizada no tango "Sur", nas Av. San Juan e Boedo. O bairro também é berço do time de futebol San Lorenzo de Almagro.

Bairro Monserrat

- Manzana de las Luces (Bolívar, A. Alsina, Peru e Moreno) É um conjunto de edifícios relacionados com a história e cultura portenhas, onde se escondem a igreja mais antiga da cidade e túneis da época colonial.

 

-Museu Evita: As exposições aqui transmitem a extraordinária profundidade e polêmica da vida de Eva Duarte de Perón, uma das mais importantes figuras da história argentina (onde fica?)

 

 

 

O que comer:

 

Puchero - Cozido típico.

Parrillada - Churrasco numa chapa bem próxima à brasa. (Buenos Aires sem carne, não é Buenos Aires), diferente do churrasco brasileiro a preferência aos miúdos suínos e bovinos se faz presente na parrillada(Chouriços de sangue de porco, Linguiças e Chinchulines) -- Também assam na parrilla o peito de frango e o famoso Bife de Chorizo conforme é descrito abaixo.

Bife de Chorizo - Bife bem grosso e suculento, feito de uma parte do boi entre o contra-filé e a picanha.

Bife de Lomo - Bife também suculento, de Filé Mignon.

Empanadas - Os salgadinhos preferidos da Argentina, sendo uma espécie de pastel de forno.

Alfajor - Uma excelente pedida são os alfajores Havanna.

Facturas - Doces consumidos principalmente no café da manhã.

Medias Lunas - Pequenos croissants, doces ou salgados. Ótima opção para o café da manhã.

Sorvetes - Helados em espanhol. Em estilo italiano, um dos melhores do mundo (experimente o de doce de leite ("dulce de leche").

 

Os portenhos jantam tarde, normalmente depois das 21 ou 22h. O pagamento de serviço (gorjetas) não é obrigatório e não se inclui na conta. Dá-se, costumeiramente, cerca de 10% do valor total, quando o serviço é satisfatório.

 

Outras dicas:

 

1- Provar o melhor sorvete do mundo,na freddo!

2- Provar diversas marcas de alfajor. O da Havanna é delicioso, provar os que vendem naqueles quiosques 24h, ou melhor, 25h! São, às vezes, menos da metade do preço da Havanna. Entre esses, gostei muito do Jorgelín. Fuja dos uruguaios...

3- Tá com fome? Come um sanduíche de miga!! Tem vários vendendo por lá, os 25h são uma opção... Ah, tem ainda as deliciosas empanadas!! Essas não podem faltar, assim como as medialunas servidas no café da manhã... Ah, e uma gaseosa de Pomelo pra acompanhar o lanche ou almoço e um té con leche no café!

4- DULCE DE LECHE!!! Não há doce melhor na Argentina. Coma no café, lanche, janta - coma sempre! É muito bom!! Aproveite e traga um pote (e deixa outro lá em casa)!

 

Agora é com vocês!

O que podemos melhorar nesse guia?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...