Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Mochileiro tupiniquim = Backpacker?


Posts Recomendados

  • Membros de Honra

"Ele come a paisagem, sente a dureza do real do chão através do saco de dormir, respira todos os cheiros do relento, que nós, no nosso quarto de hotel, mesmo de uma estrela, nem desconfiamos que existam. Quem quer viajar com o chamado "mínimo conforto", na verdade não quer sair completamente de casa, quer levar um pouco de segurança da casa junto. O mochileiro não gasta porque não tem o que gastar ou porque está no lugar apenas pelo lugar"

LINDO LINDO! VALEU EVER!

 

Samuel e Jorge, estão cobertos de razão:

Vou citar um Italiano que conheci em el chalten em 2004, esse é um exemplo de viajante. O molecote tinha 20 anos, e? foi de carona do Atacama até el chalten, via carretera autral, onde pegou um ou outro ônibus devido à impossibilidade da corona. O rapaz era muito gente boa, no último email que trocamos ele acabava de voltar da venezuela, por onde perambulou por uns 50 dias.

ps. ele vive nos alpes italianos...os pais são instrutores de esqui. O VIDA RUIMMMMMMMMMMMMMMMMMM!!!!!!!

 

Conheci em 2001 um escalador fraces, não me recordo o nome. passamos uma tarde inteira batendo papo num albergue em punta arneas, ele era físco e dava aulas numa universidade.

8 meses trabalhando e 4 escalando. As vezes até 6 meses. Acabava de voltar de ek chaten, onde frutradamente não conseguiu escalar nada. Estava indo para San Juan escalar o mercedário, quase 7000m.

 

Dios exemplos de grandes viajantes.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 23
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros de Honra

A Rosana tocou num fator interessante... seguranca!Ser mochileiro no exterior e muito mais facil alem da propria cultura pela seguranca aparente e na facil possibildiade de carona. La fora em qq canto vc pode igualmente acampar ou estender suas trouxinhas. Isso aqui seria impossivel.

Vale destacar igualmente q la fora, vc pode se dar o luxo de sair mochilando por meses no exterior e retornar ao seu emprego de bancario, carpinteiro ou seja la o q for. Alem do padrao monetario favoravel pra viajar com pouco, aqui no Brasil vc seria chutado por se ausentar um simples dia..sem falar q as ferias sao negociadas duramente, isso qdo vc as tem. E isso pq ainda nem comentamos o know-how das hordas de israelenses q mochilam pela america latina..

Enfim, dois pesos, duas medidas..

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

nem falar dos israelenses...hahaha só quem viaja pela américa do su sabe como é a coisa, nunca vi tanta gente viajando...só que não querendo ser polemico, mas já sendo...só conheci um único israelense simpático em todas as minhas viagens...inclusive os caras são conhecidos como malas...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

tb tive essa impressao, mas geralmente eles so sao malas (e farofeiros) qdo andam em grupos, alias, como qq grupo de moleques ou torcida daqui. No entanto, conheci casais e alguns q viajavam sozinhos q eram muito gente finas. Enfim, nao da pra generalizar.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Sobre israelenses, dos poucos que conheci, o que posso dizer é que eles parecem extremamente desconfiados de qualquer sorriso ou ajuda que venha fácil demais. Te olham como se te investigassem; definitivamente não fazem amizade fácil. Bom, acho compreensível.

Agora, algo em comum sobre todos os homens israelenses que conheci: a beleza exótica. Tom da pele, nariz grande mas muito bem desenhado, olhos expressivos e misteriosos, belos dentes. Nota 10![;)]

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Bem, as gurias israelenses nao me pareceram nada excepcionais... fora aquele linguajar hebraico confuso pacas - q achei legal - nao fogem da beleza q qq anglo-saxonica nao tenha..E antes q me tachem de anti-semita, odeio teclados de cibercafe espalhados pelo mundo em hebraico!! Eta confusao da p..

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Voltando ao tema, algo que parece ainda distante de acontecer é a cultura do hitchhiking (viajar pedindo carona) se enraizando em terra brasilis.

Ao menos pessoas de mochilas nas costas pedindo carona por aí é algo que raramente vejo, a não ser estudantes viajando pra ir/voltar pra/ ou da cidade dos pais, geralmente próxima.

Na Europa vc encontra vários sites especializados nisso, onde basta vc colocar o destino e o dia que vc pretende viajar pra que possa encontrar alguém com uma viagem compatível as tuas necessidades. É muito difundido por lá e não se ouve falar de problemas de segurança.

Eu sinceramente não tenho coragem de viajar assim por aqui, a não ser que esteja com no mínimo mais duas pessoas, e olhe lá!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Viajei muitas vezes de carona nos tempos em que fazia universidade e voltava pra casa nos finais de semana ... muitas estórias engraçadas e nenhuma muito trágica ... ainda bem.

 

Nem sempre era divertido ficar ali na beira da estrada ... chuva, sol, gente escrota xingando ... Ás vezes valia a pena e rolava uma carona nota dez com gente interessante ... outras vezes eram horas de espera e muita canseira até chegar em casa.

 

De qualquer maneira, fazia isso muito mais pela falta de grana do que por diversão.

 

A idéia de viajar de carona mesmo pra algum lugar distante, tipo uma aventura, nunca me atraiu muito. Gosto da minha independencia e de poder decidir quando ir e vir... Gosto de me planejar e ir fazendo o meu roteiro sem ter de ficar dependendo do destino mandar alguém me pegar na estrada.

 

Fora isso, pegar carona hoje em dia pode ser uma roubada. Não me arriscaria a ficar sem minha mochila e ter de voltar a pé pra casa.

 

BOLIVIA.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Ever, vc é um cara que admiro, cara pelas suas fotos vc já viajou muito mesmo.

BEm, se pudesse voltar no tempo...a sabedoria vem tarde, como bem sabemos, da mesma forma o dinheiro.

Agora que já me dei conta que por o pé na estrada, de preferencia para bem longe, é algo tão essencial quanto beber água e comer, agora que já tenho um pouquinho de $$ pra fazer isso, não tenho mais tempo, pelo menos na atual conjuntura financeira e de minhas atuais atividades, ou mesmo pelos preconceitos impostos por mim mesmo.

Esse é um paradoxo que o Olinto (autor do belo livro de viagens no guidão da liberdade)levantou: na esmagadora parte das vezes e das pessoas - tempo x dinheiro, quado se temtempo não se tem o dinheiro e quando se tem o dinheiro não se tem mais o tempo. Eu proporia o paradoxo triplo tempo x dinheiro x sabedoria, na qual mesmo sem dinheiro, pelo menos na realidade de um universitário, muita gente poderia juntar uns 400, 500 dólares num ano e por o pé na estrada, com sacrifício se consegue viajar uns 4 meses pela américa do sul, trancar um semestre na faculdade, etc...mas qual a parcela dos estudantes, mesmo os mochilerios, que se dispõe a encarar uma dessas? pela dificuldade e muito mais pela cara que os pais, tios e avós farão? ou mesmo por vontade própria...

nem vou reler tudo que escrevi, por que acho que deve estar meio confuso...

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...