Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
marseei

Viagem Rishikesh/Varanasi/Jaipur/Kathmandu(Nepal)

Posts Recomendados

Olá pessoal!

Vou viajar para a India do dia 29.01.2019 ate o dia 22.3.2019. 

Vou passar o mes de Fevereiro inteiro estudando yoga em Rishikesh. Apartir do dia 3.03.2019  vou viajar Varanasi por alguns dias, Nova Deli (passar uns dois dias), Agra para visitar o Taj Mahal (tour de 1 dia) e talvez Jaipur. Tambem irei passar 1 semana e meia em Kathmandu. Se alguem tiver interesse no roteiro, so mandar uma mensage.

 

Beijos

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá

Também sou estudante de yoga. Este é o roteiro que procuro fazer e  nestas datas tenho disponibilidade .Caso queira companhia poderemos conversar para nos conhecermos melhor e acertar mais alguns pormenores.

Beijinhos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu ainda não tenho roteiro feito não... Chego em Delhi e meu interesse é fazer o triângulo dourado, Rishikesh e, se der, Nepal. Ainda to pesquisando muito e to beeeem perdida. Mas as passagens são do dia 28/01 ao dia 16/02. Vamos tentar se conectar por lá :)

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu vou chegar em Delhi no dia 30/01 e ja vou direito para Rishikesh, vou fazer um curso de yoga por um mês la. Depois vou para Bodh Gaya depois Varanasi, volto para Delhi para pegar o voo para Nepal, depois retorno para Delhi e vou a Agra conhecer o Taj Mahal e depois volto para casa. Fico na India ate 22/03.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 16/10/2018 em 03:23, marseei disse:

Eu vou chegar em Delhi no dia 30/01 e ja vou direito para Rishikesh, vou fazer um curso de yoga por um mês la. Depois vou para Bodh Gaya depois Varanasi, volto para Delhi para pegar o voo para Nepal, depois retorno para Delhi e vou a Agra conhecer o Taj Mahal e depois volto para casa. Fico na India ate 22/03.

Olá estou indo em dezembro e ainda com muitas duvidas, como vai para Rishikesh? sabe qual melhor opções e onde compra as passagens?

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por Rinaldo Segundo

      I visited India last November. India is spectacular. Not just because of the Taj Mahal, its monasteries or forts. India is spectacular, too, for its history, its culture, its inspiring religious tolerance, and especially for Indian people. At this point, I highly recommend the services of Mr. Sanjay. First, for being a person of my extreme confidence. I had the opportunity to be at your house and meet your wife, and your children, Warum and Honey. Secondly, he is highly capable both as a driver and as a tour guide. It manages to take his tourists safely and professionally to their destinations. Third, for your honesty. The Sanjay only made indications of purchases, hotels and other services in reliable places of good quality, besides the fair price. Fourth, Sanjay has wifi in the car, which is one of the biggest differentials of his work, since the open WIFI is not always accessible in restaurants in India. Fifth, Sanjay is a good-humored and cheerful person, and did everything he could to get me to know India, its culture and its beauties to the fullest. To Mr. Sanjay, I only have one expression to portray my gratitude: Thank you very much, bhai (friend in Hindi). You are an extraordinary person. I miss India and you very much. I hope you can visit India again. Rinaldo Segundo
      I visited Bhutan recently. It is a fantastic country both for its monasteries, for its culture, and for its people. Bhutan is the happiest country in the world, and Bhutanese do everything to make us feel that way. The food is wonderful, and the Bird's Nest Temple is not only beautiful for the scenery but also the energy of the place is amazing. At this point, I highly recommend the services of Mr. Dorjhi. He is a spectacular person and extremely trustworthy. He is highly skilled as a tour guide, and does everything possible so that we can have the best experience as a tourist. In addition, he is a person who cares about details to make us happy and is extremely honest and responsible. To Mr. Dorjhi, I just have to thank him very much, friend. You are an extraordinary person. Rinaldo Segundo  
      Sanjay: +91 9971473761
      Dorjhi: +97517819468
       
       
      Eu visitei a Índia em novembro passado. A Índia é espetacular. Não apenas por causa do Taj Mahal, seus mosteiros ou fortalezas. A Índia é espetacular também por sua história, sua cultura, sua tolerância religiosa inspiradora e, especialmente, pelo povo indiano. Neste ponto, eu recomendo os serviços do Sr. Sanjay. Primeiro, por ser uma pessoa da minha extrema confiança. Tive a oportunidade de estar em sua casa e conhecer sua esposa e seus filhos, Warum e Honey. Em segundo lugar, ele é altamente capaz, tanto como motorista e como guia turístico. Consegue levar os turistas com segurança e profissionalidade aos seus destinos. Em terceiro lugar, por sua honestidade. A Sanjay só fez indicações de compras, hotéis e outros serviços em locais confiáveis e de boa qualidade, além do preço justo. Em quarto lugar, Sanjay tem wifi no carro, que é um dos maiores diferenciais de seu trabalho, já que o WIFI aberto nem sempre é acessível em restaurantes na Índia. Quinto, Sanjay é uma pessoa bem-humorada e alegre, e fez tudo o que pôde para me levar a conhecer a Índia, sua cultura e suas belezas ao máximo. Para o Sr. Sanjay, tenho apenas uma expressão para retratar minha gratidão: Muito obrigado, bhai (amigo em hindi). Você é uma pessoa extraordinária. Eu sinto muita falta da Índia e de você. Espero que você possa visitar a Índia novamente. Rinaldo Segundo
      Eu visitei o Butão recentemente. É um país fantástico tanto por seus mosteiros, por sua cultura e por seu povo. O Butão é o país mais feliz do mundo, e os butaneses fazem de tudo para nos fazer sentir assim. A comida é maravilhosa, eo Ninho do Pássaro Templo não é apenas bonito para a paisagem, mas também a energia do lugar é incrível. Neste ponto, eu recomendo os serviços do Sr. Dorjhi. Ele é uma pessoa espetacular e extremamente confiável. Ele é altamente qualificado como guia turístico e faz todo o possível para que possamos ter a melhor experiência como turista. Além disso, ele é uma pessoa que se preocupa com detalhes para nos fazer feliz e é extremamente honesto e responsável. Para o Sr. Dorjhi, tenho apenas que lhe agradecer muito, amigo. Você é uma pessoa extraordinária. Rinaldo Segundo
    • Por Adren-Aline
      Tudo começou numa linda manhã de sol do dia 29 de setembro de 1986... Nasci 👶! E no meu DNA veio escrito o seguinte código genético EBC (confesso que, biologicamente falando, não sei se faz sentido, achava as aulas de biologia enfadonhas).
      Para quem não sabe, EBC, é como o Acampamento Base do Everest é conhecido pelos íntimos. Que ainda não é meu caso, mas em breve será.
      Diferente de todos os relatos de viagem que fiz até o momento, resolvi começar esse previamente, 33 dias antes da partida pra ser precisa. Pq? Quando descobrir conto! Mas suponha que seja a ansiedade, talvez seja uma forma de já está viajando e de acalentar a alma.
      Imaginava que essa viagem só fosse ocorrer após 2020, contudo, viagens sempre são um ótimo incentivo para entrar em forma, seja para se exibir nas belas praias da Tailândia ou para não passar vergonha durante um trekking pelo Himaláia. E eu precisava urgentemente entrar em forma, não que eu não tivesse uma forma definida, mas barril não é minha predileta. Então dei uma antecipada nos planos.
      Em janeiro de 2018 dei o ponta pé inicial (clichêzona 🙄), comecei com os treinos e em paralelo as buscas superficiais. Encontrei logo de cara o site da agência Morgado Expedições, engoli as dicas e informações contidas nele com a ferocidade de papagaio. Contudo o preço desanimava! Sabia que seria a melhor opção para mim, já que Morgado é um guia renomado, além disso, o público alvo da agência são os brasileiros, o que facilitaria muito minha vida já que não falo inglês. Ehhh pessoal, não falo nem entendo. Mas isso nunca me impediu de viajar, na verdade isso torna a viagem até mais interessante (para os outros rs não para mim, que se acabam de rir com algumas situações inusitadas que acabei relatado nas redes sociais).
       
      Melhor época do ano? 🔆
      Confesso que me baseei nas datas do Morgado. Meu plano era, passear serelepe e pimpona pelas ruas de Carmandu, me esbarrar “acidentalmente” no grupo de brasileiros conduzido por ele. Mostrar toda minha simpatia e ser convidada a me juntar ao grupo por um preço acessível ao meu bolso. Mas para aqueles que não se baseiam em algo tão louco, informo que a primavera (março e abril) e o outono (outubro e novembro) são as melhores escolhas, já que a visibilidade é boa e a temperatura tb (na medida do possível, podendo chegar a -12°C).
       
       
      Compra das passagens ✈️
      Gosto de comprar as passagens aéreas logo, isso me dá a sensação de inalterabilidade. Claro que sei que isso não passa de uma sensação, são vários os fatores envolvidos que podem jogar nossos planos no lixo. Percebi que os vôos direto para Catmandu estavam absurdamente caros, então coloquei alguns alertas de preço no Google Flight tanto para Catmandu quanto para Delhi. Esperei pacientemente uma oportunidade e ela surgiu em junho. O preço não era perfeito, mas não quis arriscar esperar mais. Ainda era possível fazer um stopover nos Emirados Árabes Unidos. Não pensei duas vezes, comprei!
      Aproveitei a deixa e comprei as passagens de ida e volta Delhi x Catmandu e Salvador x Guarulhos.
      Alguns custos:
      Passagens Salvador x GRU (ida e volta + bagagens): 684,72 BRL
      Passagens Emirates GRU x Dubai x Delhi (ida e volta): 4.136,79 BRL
      Passagem Jet Airway Delhi x Catmandu: 74 USD
      Passagem Nepal Airline Catmandu Delhi: 348,29 BRL
       
      Mala 🎒
      Gosto de arrumar as malas, é tipo um hobby. Então comecei bem cedo dessa vez. Peguei a lista disponível no site da Morgado Expedições através desse link https://www.morgadoexpedicoes.com.br/trek-ao-everest/lista-de-equipamentos e usei como base para as compras. Boa parte das coisas eu já havia adquirido durante o trekking do Monte Roraima na Venezuela, reduzindo um pouco meu custo com as compras. Dei um pouco mais de atenção para as botas e não economizei com elas. Por sorte, achei um anúncio no Mercado Livre, cujo vendedor tinha o último par de uma bota Salomon, no modelo e tamanho que eu precisava e com o preço 20% abaixo das lojas brasileiras especializadas em produtos para trekking. Comprei com bastante antecedência, para poder amaciá-las.
      Aqui vão algumas fotos das malas já prontas, kkkkkkk já estão assim a mais de 5 meses, vou fazendo simulações de como arrumar e do que é possível retirar ou colocar. Dividi em 4 categorias:
      Vestuário:
      - 3 calças de trekking (Decathlon)
      - 1 Calça de moleton para dormir(Centauro)
      - 2 calças segunda pele (Decathlon)
      - 1 bermuda (Decathlon)
      - casaco pele de ganso (Decathlon)
      - 1 casaco moleton (made in China)
      - 2 casacos fleece (Decathlon)
      - 2 blusas segunda pele  (Decathlon)
      - 5 blusas dry fit 
      - 9 calcinhas
      - 1 par de botas impermeáveis (Mercado Livre)
      - 2 bandanas tubulares (Decathlon)
      - 1 Gorro (Decathlon)
      - 3 pares de luvas de diferentes materiais  (Decathlon)
      - 6 pares de meias ( Decathlon, Pé na Trilha)
      - 5 Tops

      *Além do que pode ser visto na foto, levarei: sandália, chinelo, tênis, par de bastões de caminhada e cachecol. Percebam que não existe nenhum casado pesado na lista, isso pq a empresa que contratei fornecerá tanto o casaco quanto o saco de dormir apropriados para essa atividade.
       
      Higiene:
      - 1 necessaire
      - lenços umedecidos (também conhecidos como duchas)
      - lenços de papel
      - 40 pastilhas de Clorin (para purificar a água durante a trilha)
      - sabonete líquido
      - hidratante
      - shampoo
      - condicionador
      - cotonete e algodão
      - repelente
      - protetor solar
      - desodorante 
      - enxágue bucal
      - creme dental
      - micropore (para minimizar as bolhas nos pés)
      - creme de pentear
      - escova de dente
      - pente
      - sabonete
      - suvacador
      - espelho
      - álcool
      - perfume

      *Além do que pode ser visto na foto, levarei: minâncora (para o chulé)
       
      Variedade:
      - 2 garrafas de 1 litro cada
      - caderninho e caneta para anotações
      - kindle
      - carregador portátil de 20.000mA
      - passaporte 
      - adaptador universal de tomada
      - benjamim
      - balança
      - lente
      - pasta com documentos (reservas de vôos, agências, hospedagem, visto, seguro, contratos, etc)
      - bastão Gopro
      - fone de ouvido
      - 2 carregadores
      - óculos
      - cadeado
      - Gopro
      - relógio
      - lanterna de cabeça
      - acessório gopro
      - cabos
      - pilhas extras para lanterna
      - estojo para eletrônicos
      - pochete
      - saco impermeável
      - tapa olhos
      - kit costura
      - almofada inflável de pescoço
      - kit de primeiros socorros
      - mochila Curtlo de 63 litros (porter)
      - mochila Nautika de 40l (ataque)
      -mochila Curtlo de 17l (passeios)


      Esqueci de apresentar o mocinho aí do lado. Esse é o Grelhado, meu fiel companheiro de viagens.
       
      obs.: A quarta categoria está ainda em construção, será a de medicamentos. Na segunda semana do mês de fevereiro marcarei uma consulta médica para ver o que de fato levarei.
       
      Vistos 📜
      Nepal: o visto de turista para o Nepal pode ser obtido no momento da chegada no aeroporto internacional de Catmandu. Bastando para isso o passaporte com validade mínima de 6 meses e pelo menos uma página em branco. Pagamento da taxa que varia de acordo com o tempo de permanência no país e permite entradas múltiplas. Preenchimento de formulário específico. Além de 1 foto 3x4.
      Índia: permite que o visto seja tirado eletronicamente (e-visa). Basta entrar nesse site https://indianvisaonline.gov.in/ e seguir as instruções desse outro aqui https://casalwanderlust.com.br/como-solicitar-o-visto-para-a-india-atraves-da-internet-passo-a-passo/ , escrito pela Camila e que está bastante didático! Já reserve uma foto com fundo branco e uma cópia do passaporte em PDF.
      Emirados Árabes Unidos: Desde 2018 não há mais exigência de visto de turista para brasileiros.
      Alguns Custos:
      Visto Nepal: 15 dias / 25 USD – 30 dias / 40 USD – 90 dias / 100 USD
      Visto Índia: 60 dias /  82 USD
       
      Seguro 👮‍♂️
      Não estamos falando de qq viagem de “fundo de quintal” né galera? Logo, o seguro precisa estar à altura da façanha. Lendo bastante, percebi que a melhor opção nesse caso seria fazer o seguro da world Nomads, na modalidade Explorer que cobre resgate de helicóptero. Infelizmente só aceitam pagamento a vista!
       Alguns Custos:
      Seguro viagem (33 dias): 640 BRL
      Certificado Internacional de vacinação 📜
      Alguns países exigem de seus visitantes um certificado internacional que comprove a vacinação contra a febre amarela. É o caso do Nepal e da Índia. Facílimo a obtenção. Basta se dirigir a uma unidade da Anvisa, após tomar a vacina e preencher um pré cadastro no site https://viajante.anvisa.gov.br , levando consigo a cartão nacional de vacinação e documento pessoal. Ahh, a boa notícia é que isso pode ser feito online também. Dá uma googlada pra saber mais!
       
    • Por Milla Pupo
      Eu e meu marido fomos para Índia em outubro de 2018, ficamos por lá cerca de 34 dias. Vou escrever algumas coisas que acho que podem ser úteis para quem está se preparando para conhecer o país e que eu só aprendi passando por lá.
      A chegada   Chegamos em Nova Deli pela companhia Emirates, saindo de São Paulo e com parada em Dubai foi o voo mais curto que encontramos. Do aeroporto para o hotel tem algumas opções:   - Fechar táxi direto com o hotel que estiver hospedado: essa opção costuma ser mais cara, mas também mais tranquila, apenas certifique-se que, caso o voo atrase, você não será cobrado pelas horas extras de espera. (o hotel que ficamos nos ofereceu o serviço por 1500 rúpias, mas não contratamos o serviço)   - Pedir um táxi pré-pago na saída do aeroporto: ficamos hospedados na região de Jasola Vihar, pagamos 650 rúpias, esta foi a nossa escolha. O guichê do táxi pré pago fica bem na frente da saída do aeroporto.Cuidado com pessoas que do nada pegam suas malas/mochilas para carregar, dando a entender que trabalham ali, você chega e um cara praticamente tira suas mochilas das costas e depois te cobra por isso.   - Metrô: pode ser uma boa opção para quem já conhece a localidade, eu não recomendo que alguém inexperiente se aventure pelo metro com mochila no primeiro dia, mas é de cada um, sem dúvida é bem mais barato, deve custar coisa de 40 rúpias em média.   - Uber: pode ser uma boa opção para quem já conhece a cidade e já tem chip com internet, mas fique esperto, no aeroporto é comum ao final da viagem tentarem te cobrar taxa de estacionamento, o que é errado, pois assim como aqui no Brasil, a tarifa é fixa.   Onde ficar:   Lemos alguns relatos aqui falando da região de Paharganj e como ela pode ser meio 'traumática' num primeiro momento, por isso optamos em não ficar lá, ficamos no Meditation Palace. O hotel é comandado pelo Abhi e fica meio fora do centro turístico, é uma área mais residencial e foi a melhor coisa que poderíamos ter feito. O hotel foi o mais limpo de toda nossa estadia pela Índia e o mais confortável. O Abhi inclusive fala português pois já veio bastante ao Brasil, o que pode ser um facilitador para quem tem dificuldade no inglês. O hotel está perto de 2 estações de metrô (inclusive uma das linhas de metrô vem direto do aeroporto, mas para voos internos) e uma galeria/shopping onde você pode comer algo ou comprar algumas coisas básicas para o seu dia a dia. O local é muito calmo e tranquilo e além de ser bem limpo, ter quartos grandes e bem iluminados.   Aqui o link do hotel https://www.booking.com/hotel/in/meditation-palace.pt-br.html   Como se locomover   Ainda planejando nossa viagem, lemos sempre muitas pessoas fando sobre a dificuldade em comprar as passagens de trens e em como elas se esgotam com rapidez, isso nos preocupou bastante e vimos a dica aqui do @vitor.chaves sobre o Raj Yadav que vendia passagens e o pagamento podia ser feito fia Paypal, ele foi muito atencioso e extremamente paciente conosco, porque mudamos o roteiro várias vezes! Obviamente que ele cobra uma taxa pelo serviço, mas eu achei os valores bem justos. Para terem uma ideia, compramos os seguintes trechos:   Delhi para Varanasi Varanasi para Agra Agra para Jaipur   Foram 2 passagens (minha e do meu marido) todas em terceira classe (tem cama, lençol, travesseiro e ar condicionado), pagamos o equivalente à 7250 rupias (-+ 390 reais)    O e-mail dele é [email protected] e a dica foi do Vitor Chaves, como disse lá em cima, aliás, muito obrigada!   Agora quero só falar sobre esse lance de que as passagens esgotarem... assim, eu entendo que normalmente temos receio de ficar sem e comprometer a viagem, mas por outro lado odiamos engessar a viagem, então demos uma olhada aqui https://www.irctc.co.in/nget/ neste site você consegue ver a disponibilidade de passagens e QUASE SEMPRE há passagens disponíveis em até 2 dias antes das datas para muitos lugares. Ousaria dizer que os destinos mais chatinhos são Delhi e Varanasi, esses trechos esgotam realmente rápidos, mas os demais não acontece muito isso.   Dito tuuuudo isso, conto que chegando em Delhi MUDAMOS TODOS NOSSOS PLANOS ahaha    Sim, na Índia tudo leva o triplo do tempo, tudo é mais enrolado do que parece e as chances de darem merdas são sempre potencializadas. Não me considero uma viajante inexperiente, meu marido certamente é mais experiente do que eu, mas ambos tivemos dificuldades grandes por lá. Quando planejamos nossa viagem, ainda no Brasil, tentamos encaixar alguns destinos, como Bundi, Chittogarth e Ranakpur, mas não conseguimos pela logística dos trens, a locomoção demora demais por lá e teríamos que fazer essas cidades contratando alguém para nos levar ou de ônibus, o que demora bastante, então tínhamos riscado esses destinos, mas como falei, mudamos os planos chegando em Delhi.   Fechamos um carro com motorista para viajar pelo Rajastão, foram 14 dias e 50 dólares por dia. Caro? Talvez para realidade indiana, talvez para quem tem muito tempo por lá e pode fazer tudo num ritmo mais devagar, mas como viajamos com tempo fechado, fizemos essa opção e não nos arrependemos em nada, pelo contrário, foi a melhor escolha, conseguimos ver tudo o que queríamos no Rajastão.   A contratação foi feita pelo Abhi, o dono do hotel que citei lá em cima, ele foi super cuidadoso, prestativo e correto conosco, foi super transparante e não tivemos problema algum, nem com ele e nem com o nosso motorista, ele chamava Malkit. Não paramos em lojinhas, escolhemos nossos hostels, mudamos de roteiro algumas várias vezes no meio do caminho e foi tudo muito bem.   O contato do Abhi (whatsapp) é +91 98181 71586    Acabamos entrando em contato com o Raj que nos vendeu as passagens, cancelamos algumas e mudamos o roteiro todo como falei, foram 14 dias pelo Rajastão, com destino final em Khajuharo e de lá seguimos de trem para Varanasi, depois voltamos para Delhi, fomos para Amritsar e McLeod Ganj de carro (dividimos com um casal de alemães e o preço ficou bom), voltamos a Delhi novamente, então fomos para Kathmandu e ficamos 5 dias lá. Depois de volta a Delhi e então, casa, São Paulo. (se alguém tiver dúvida sobre roteiro, me fala, não detalhei aqui porque é sempre muito pessoal)   Dicas gerais:   - Em Nova Delhi o Uber funciona muito bem, você pode pagar em dinheiro ou cartão, apenas evite ir para Old Delhi de Uber, é tudo caótico demais, muito trânsito, o melhor para esta região é metro, que funciona super bem.     - Chip de internet móvel: eu recomendo fortemente que compre um, se locomover pela Índia pode ser muito maluco, ter internet e GPS pode te salvar. Cuidado para compra de chip no aeroporto, pois se você tiver algum problema com a ativação possivelmente não consegue entrar no aeroporto para reclamar, eles tem uma lei que só entra no aeroporto quem tem passagem para o dia. Compramos nosso chip em Delhi num local que o Abhi nos recomendou, chama Deepak Comunication, na região de Jasola Vihar, mas não recomendo. Normalmente demora 24 horas para ativar, mas tivemos problemas na ativação, o chip demorou cerca de 5 dias para funcionar e além disso, o preço cobrado por ele foi BEM alto do que o preço oficial. Para comprar chip você precisa de uma foto e cópia do passaporte, é lei na Índia e por isso que a ativação não é na hora. Compramos um chip da Airtel, tínhamos 1,4gb por dia, num pacote por 28 dias, o 3g de lá funciona super bem. Se não for comprar chip, sugiro então que faça download dos mapas das cidades que irá passar, dessa forma pode usar offline e não ficar tão vendido por lá.   - Papel higiênico: sempre, sempre, sempre tenha papel higiênico contigo e tenha em mente que muitos dos banheiros lá não são os ocidentais que conhecemos.   - Para quem está em São Paulo, no Instituto de Infectologia Emílio Ribas existe o serviço de Médico do Viajante. É gratuito e excelente! A médica te dá recomendações de vacinas, remédios necessários e dicas importantes, o agendamento é feito por e-mail [email protected]    - Várias cidades do Rajastão têm as ruas muito estreitas (Jodhpur, Udaipur, Varanasi) então talvez a melhor forma seja chegar de Tuk Tuk ou (foi o nosso caso) o taxi nos deixava numa área próxima e entrávamos a pé na cidade com as mochilas.   - Evite planejar sua viagem muito certinha, as coisas atrasam bastante lá, inclusive os voos. Nosso trem, por exemplo, para Varanasi tinha previsão de 10 horas de viagem, demorou quase 16 horas.    - A Índia surpreende, pode acreditar! Eu li vários relatos falando que a Índia era difícil e achei que daria conta, fui meio arrogante achando que era exagero das pessoas, não é. Realmente nada é parecido com a Índia, se engana quem acha isso, por isso, tenha paciência consigo mesmo, demora uns dias para se adaptar as coisas por lá. A Índia te cansa bastante, é o calor, são as pessoas te abordando o tempo todo, querendo te vender algo, fingindo puxar papo e no fim apenas oferecendo coisas. Indianos são pessoas ótimas, mas os comerciantes normalmente são absurdamente cansativos, se tiver a chance de conversar com pessoas que não estejam apenas querendo te vender coisas, faça isso, é muito bacana.   - Comida: eu adoro pimenta, como em tudo o que posso e lá eu tive problemas com pimenta, eles comem MUITA, MAS MUITA pimenta, num nível que não consegui suportar. A alimentação lá pode ser meio chatinha. Li falando que comem frango, mas a bem da verdade não é bem assim, não é tão facilmente encontrado e quando tem, vem com uma aparência meio estranha, assim como o cordeiro, são essas as duas carnes teoricamente permitidas lá, mas não espere nada muito bom, é mais garantido ficar nos vegetais mesmo. Tem bastante fast food lá (Burger King, Mc Donalds, Dominos, Pizza hut, Subway) e todos são apimentados, o menos apimentado foi o Subway e o Dominos.   - Indianos olham MUITO para as mulheres, muito mesmo, por isso evite o óbvio, roupas curtas ou decotadas, não precisa se cobrir toda, mas leve em conta os hábitos e costumes deles. Não tive problemas com homens, viajei com meu marido e o único momento tenso foi em Delhi, quando pegamos metro em horário de pico e eu não fui no vagão das mulheres (eles têm um vagão reservado para mulheres).   - Cuidado com água, beba sempre de garrafa e dê uma olhadinha se tá bem lacrada. Evite comer alimentos crus e frutas, se for comer, prefira você mesmo higienizar.   - Preços! Praticamente TODOS os produtos lá tem preço tabelado, água, refri, salgadinho, fica sempre impresso junto com a validade, que aliás lá é diferente, eles colocam a data de envasamento e quanto tempo dura. Por isso, fiquem espertos, é bem comum nos cobrarem mais nesses processos, por exemplo, a água custa 20 rúpias, mas nos cobram 40.   Enfim, vá de coração aberto, é verdade que ou você ama ou odeia a Índia, mas seja como for, não tem como ficar indiferente ao país. Voltei tem pouco mais de mês e tenho um grande impulso de retornar, o país é gigante e incrível, para o bom e para o ruim, a Índia é inacreditável, não diria que é apenas um destino, lá é mais que isso.      
    • Por roteiroviagemdemochileiros
      Conheça Nova Deli, Capital da Índia! Uma das cidades mais antigas do mundo e capital do segundo País mais populoso do mundo! Está dividida em duas partes: A Old Delhi (Velha Deli) com urbanização caótica, velhos templos e monumentos e a Nova Deli, com avenidas largas e belas mansões coloniais. Saiba o que visitar em >>>>  Nova Deli, Capital da Índia
       


×