Ir para conteúdo

Trip Europa 30 dias


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Quer é querer,realidade é bem diferente. Com esse vírus por aí os países criaram uma série de restrições de entrada e passagem de um Pará outro. Esse ano eu fui a Suíça, que nunca pensei em ir e adorei. Não era possível ir a outro país na época em que comprei(junho).Outros abriram depois e a Suíça implantou uma série de restrições, sorte que eu já estava concluindo o meu tempo de 60 dias. Grécia continua fechada, mas outros as restrições vão e voltam.É comprar perto de ir e torcer para que não feche nada na época, como por exemplo, a Áustria fechou hoje. Valores é impossível saber,você não falou o que quer.Eu vou a Portugal com 20 a 30 euros por dia, Suíça também, mas Espanha é mais cara,isso sem contar hospedagem,já que na Suiça sao mais caras,mas há um cartão de hospedagem incluso que lhe dá transporte gratuito e entrada em muitas atrações também,além do Swiss Pass,mas em outros países não. 

  • Obrigad@! 1
Link para o comentário
  • Colaboradores
5 horas atrás, Nilton Souza disse:

Eu queria conhece alguns paises que são Portugal,Alemanha, França, Londres,Grécia e Croácia...O que me indicam qual roteiro melhor a fazer por onde devo começar e termina e valores mais ou menos que posso gastar ,indo sozinho...

Nilton,

Como o Fabiano falou, a realidade nesta época de pandemia é muito diferente do querer mas isso não quer dizer que não possa fazer os planos.

Os países que citou ficam meio "fora de mão", mas se os deseja, algumas ideias que podem lhe ajudar baseando-se no que se tem de voos hoje partindo do Brasil:

1) Procure alguma passagem multi-cidade (conhecida como open-jaw). Você entra por uma cidade do continente e sai por outra. As vezes é um pouco mais caro e mais complicado de encontrá-las com bons valores mas pode ser interessante por causa do roteiro que fará. Por exemplo, poderia entrar por Atenas via Istambul (e fazer uma paradinha lá, linda cidade), subir para a Croácia e, de lá, Alemanha, Londres, França, Espanha e ir embora por Portugal. O inverso também pode também ser viável.

Essa opção de open-jaw pode lhe ajudar a economizar com tempo de deslocamento e também custo, já que não precisaria de passagem ida e volta para a região do Adriático.

2) Mudar um pouco o roteiro é também uma opção. A Europa está há milênios no mesmo lugar e não sumirá do mapa. Creio que deseja fazer todos estes países por ser sua primeira viagem ao continente, mas lhe digo, precisa de tempo, dinheiro e vai perder muito do que ela tem a oferecer. Tirar a Grécia e Croácia poderia ser uma boa, focando mais no oeste do continente e, depois, noutra oportunidade, fazer Grécia, Croácia, Sérvia, leste da Itália, etc. Nesta primeira, Portugal, Espanha, França, Inglaterra e parte da Alemanha.

3) O custo "vareia". Um prato simples numa cidade cara como Bruxelas sairá por 15 euros. Claro que sempre existe a opção de fast-food (um combo num McDonald's custa coisa de 7 euros). Uma cerveja, no mercado custa 1.5 euro (cerveja boa) e a mesma num bar custará 4. Hotel/hostel de todos os preços, variando desde 15 euros/noite até quanto puder pagar ;) Quando mais jovem, fiz viagens gastando cerca de 30 euros/dia (aquilo que chamo "viagem peba" e falei sobre isso há algum tempo atrás aqui: https://www.michelazzo.info/?s=peba). Hoje, é impensável algo deste tipo para mim pois não mais tenho a energia da mocidade e também não mais preciso fazer isso. No fim, creio que 50 euros/dia lhe dá conforto para o corpo e barriga.

4) Cuidado com aéreas low-costs. Muitas vezes parece ser MUITO atrativo mas podem ser ciladas. O custo de despacho de mala, check-in, aeroportos secundários, etc, pode encarecer o preço do ticket de tal forma que acaba ficando seis por meia dúzia, além de parar no fim do mundo. No oeste da Europa, excluindo Portugal, a malha ferroviária é muito boa e os tickets baratos se comprar com certa antecedência. Um exemplo é a low-cost de trem Izy que opera Paris-Bruxelas com passagens a 10 euros a perna (normalmente custam 29). O mesmo vale para ônibus. Low-costs de ônibus são comuns e rodam muito bem devido as estradas. Se está na aventura, ou como virou jargão aqui, "roots" (que não faço a mínima ideia de onde saiu esse termo), você pode encarar um ônibus de Berlim para Amsterdam com muita facilidade. Eu não faço mais isso, mas sempre vejo as paradas de ônibus atulhadas de mochileiros. Acho legal, interessante e fiz muito isso no passado. Pode ser ótimo para você, principalmente sozinho. Amizades e amores podem nascer numa viagem dessas.

5) Em algumas cidades, vale a pena o passe de turista, noutras não. Bruxelas possui um que custa 40 Euros e lhe dá descontos em hotéis, hostels, atrações, museus, transporte público, etc. A dica é: liste o que deseja conhecer, veja o custo de cada coisa e pese se vale a pena. Em Ljubljana não usei por dois motivos: não iria à museus e a cidade é um ovo onde é possível caminhar para ver tudo. Noutras cidades como Berlim, vale muito. Então, coloque numa planilha e veja o que é melhor.

6) Finalmente, o mais importante é: quando ir. Todo o dito acima muda de acordo com este último ponto e lhe explico porque.
O europeu viaja, e muito. Depois da unificação do continente, ir da Grécia para a Dinamarca deixou de ser algo burocrático para simplesmente uma questão financeira. Mais que isso, o mercado comum fez com que pessoas mudassem de seus países de origem e fossem trabalhar noutros, mas deixando parte da família para trás. Assim, é comum nos feriados prolongados e férias, estradas e aeroportos lotados de pessoas que vão visitar a família ou simplesmente aproveitar o tempo livre. Com isso, claro, o capitalismo fala mais alto e os preços sobem para tudo; hotéis, passagens, comida, souvenirs, tudo mesmo. Então, se quer economizar, tem que sair desses períodos.

As férias "começam" no último dia de Julho e vão até 15 de Setembro. É quando as escolas fecham, o povo coloca as caixas no porta-malas e se mandam. Fim de ano, também ruim mas não por causa do preço na Europa, e sim por causa do preço da passagem para voltar ao Brasil (parece que todo mundo quer conhecer Copacabana). Somado a isso, frio para cacete (cheguei a pegar -27º em Bucareste numa virada de ano) o que inviabiliza muita coisa e normalmente atrasam voos e trens, que fará você gastar mais.

Abril na Semana Santa, outro problema também. É um feriado comum para os católicos de todo o continente e vira um inferno (celebram os santos com um inferno, vai entender...).

Então, o que seriam boas datas? Logo depois da Semana Santa até a última semana de Junho na primavera. Ótimo clima, preços mais baixos, pouca chuva (exceto em alguns lugares maledetos). Depois, outono, a partir de 15 de Setembro até meados da segunda semana de Dezembro. Em ambas as estações, a beleza da natureza é incontestável e o clima muito melhor (no mediterrâneo dá para ir à praia até Outubro sem problemas).

Fora desses períodos é pagar caro para ficar cansado, ver tudo lotado, e se estressar. Não acredito que seja interessante.

Espero que as infos aqui ajude-o a planejar a viagem.

Sds

  • Gostei! 2
Link para o comentário
  • Colaboradores
Em 23/11/2021 em 04:57, pmichelazzo disse:

Então, o que seriam boas datas? Logo depois da Semana Santa até a última semana de Junho na primavera. Ótimo clima, preços mais baixos, pouca chuva (exceto em alguns lugares maledetos). Depois, outono, a partir de 15 de Setembro até meados da segunda semana de Dezembro. Em ambas as estações, a beleza da natureza é incontestável e o clima muito melhor (no mediterrâneo dá para ir à praia até Outubro sem problemas).

Isso é contestável. Realmente na alta tudo esta mais cheio, filas, transporte publico cheio (Sim isso rola na Europa, Va em Roma no verão)... Porem os dias são mais longos (escurece as 22 a depender do lugar), as atrações fecham mais tarde, estão rolando os festivais, os shows... Os famosos rooftops estão a pleno vapor... As pessoas estão nas ruas...

Questão de clima é relativo também... Eu não acho 22º agradável. No Norte várias vezes senti frio em pleno verão... pegando 12º... 16º...

Em 23/11/2021 em 04:57, pmichelazzo disse:

4) Cuidado com aéreas low-costs. Muitas vezes parece ser MUITO atrativo mas podem ser ciladas. O custo de despacho de mala, check-in, aeroportos secundários, etc, pode encarecer o preço do ticket de tal forma que acaba ficando seis por meia dúzia, além de parar no fim do mundo. No oeste da Europa, excluindo Portugal, a malha ferroviária é muito boa e os tickets baratos se comprar com certa antecedência. Um exemplo é a low-cost de trem Izy que opera Paris-Bruxelas com passagens a 10 euros a perna (normalmente custam 29). O mesmo vale para ônibus. Low-costs de ônibus são comuns e rodam muito bem devido as estradas. Se está na aventura, ou como virou jargão aqui, "roots" (que não faço a mínima ideia de onde saiu esse termo), você pode encarar um ônibus de Berlim para Amsterdam com muita facilidade. Eu não faço mais isso, mas sempre vejo as paradas de ônibus atulhadas de mochileiros. Acho legal, interessante e fiz muito isso no passado. Pode ser ótimo para você, principalmente sozinho. Amizades e amores podem nascer numa viagem dessas.

A maior verdade dentre suas sabias palavras... Como o "barato" sai caro muitas vezes...kkk

Editado por Rafael_Salvador
Link para o comentário
  • Colaboradores
Em 22/11/2021 em 22:49, Nilton Souza disse:

Portugal,Alemanha, França, Londres,Grécia e Croácia

Conhecer um "país" é uma coisa... uma ou duas "cidades"em determinado país é outra coisa....

Tanta coisa assim numa mesma viagem, ainda mais cruzando Norte a Sul e Leste a Oeste, vai precisar de bastante tempo, dinheiro e disposição para encarar tanto voo.

Quantos dias pretende passar viajando? Qual seu limite de investimento na trip?

Pra começar a pensar, excluindo passagens de ida e volta ao Brasil, a grosso modo R$ 5.500.00 a cada 15 dias de viagem (50 Euros em média): Hospedando-se em hostel simples (Não é hotel) , refeições simples no esquema "menu turistico" nas cidades mais caras (Ou comer em supermercado, fast food, preparar seu rango no hostel), visitar uma atração paga por dia e usar pouco transporte publico....

Em Portugal (exceto a região do Algarve) 50 Euros por dia é um valor confortável, se voce pensar esses mesmo 50 Euros na Ilhas Gregas, Londres, Paris, acaba sendo pouco... a verdade é essa.

Claro que com um roteiro e um orçamento mais estruturados da pensar em adquirir os "passes" que dão entrada free em varias atrações e transporte publico em muitas cidades para baratear os custos...

Um padrão mais confortável (O que não significa padrão luxo) 100 Euros dia.

E sim, há quem faça Londres, Paris, Ilhas Gregas, Ibiza.... tudo com menos de 50 Euros por dia... Agora vá ver em que condições e se atendem as suas expectativas pessoais em uma viagem!!

  • Gostei! 1
Link para o comentário

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...