Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''fozdoiguaçu''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Fazer perguntas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Encontrar Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Enviar e ler Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Planejar e relatar experiências em Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Tirar dúvidas e avaliar Equipamentos
    • Equipamentos
  • Outros Fóruns
    • Demais Fóruns
    • Saúde do Viajante
    • Notícias e Eventos

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 4 registros

  1. Ola Mochileiros, Me chamo Francisco, e desde 2018 realizei uma viagem ao Chile da qual foi para mim um divisor de águas. Motivo? Meus amigos, voltei acreditar num sonho distante de poder viajar, falar com um estrangeiro, ver neve, ter história e viver aventuras. Pois bem, irei contar a meu Mochilao que fiz em 2019. Brasil/Paraguay/Argentina/Uruguay Peso Argentino 12,0 em Puerto Iguazu Peso Argentino em Bueno Aires 10,70 Peso Uruguaio em Montevideo 10,7 Inicio da viagem foi no domingo 28/07, sai de Rio Verde- Go rumo a Goiania- Go. 4 horas de Viagem em Bus e um perrengue.... é amigos kkkk começou ae, perdi o ticket do mochilao e os motoristas não queria liberar meu mochilao. Até que eles levaram a minha passagem como comprovante que era minha mesmo a mochilao ( tinha seguro então eu tava preocupado atoa) todo trajeto, alias uma grande parte é de Onibus... é uma forma bem econômica. De lá peguei um Onibus que ia de Goiania-Foz pela RODE ROTAS, onde iniciaria meu trajeto. São 30 horas de viagem, conheci muitas pessoas em cada parada do ônibus e é a coisa legal de poder fazer esse tipo de trajeto. Cheguei na rodoviária de Foz, lá é muito bem estruturado. Tem centro de Informações para turistas e um bom restaurante. Eu almocei varias vezes, 18 reais a refeição. Bom, fiquei hospedado num hostel bem simples de 20 reais.... sim 20 reais kkkkk lugar muito bacana e perto da avenida que ia para o Aeroporto e as cataratas. Passei 3 dias lá, uma dica de ouro pra você que é Mochileiro de primeira viagem. Vá ao supermercado e compre algo pra fazer lanche e suas refeição, isso ajuda no custo. Outro detalhe use e abuse do transporte coletivo de Foz custava 3,75 na época que fui . Após passar o primeiro dia de chegada descansando. No segundo fui com tudo, direto pro Parque Nacional do Iguaçu. Que lugar maravilhoso, superou minhas expectativas era um momento único amigos.... só fiquei um pouco triste por não poder ter a companhia de minha namorada e meus amigos, então fiquei gravando vídeos e vídeos para eles. Passeio custa 42 reais para nós BR. Faça o trajeto na hora que você achar mais prático, mas não vá em Julho senão vai pegar fila até pra andar próximos as pontes. Fui pela manhã tinha mais gringo do que Br. Fiz amizade com um Casal de Argetinos super legais e um Bahiano muito gente boa. Passeio muito bom. Depois resolvi visitar o parque das Aves, é ao lado... mas se saber se vale ou não... bom, se tiver dinheiro e tempo sobrando vai na fé filhao kkkk. Ice bar, Parque dos Dinossauros e o Dream Land eu não fiz por conta do orçamento. Próximo dia é Dia de comprar no Paraguay, pegue um ônibus chamado Easy Bus que passa nas principais avenidas de Foz ou a atrás do TTU que é um Terminal de Transporte Urbanos onde se faz baldeação para as outras rotas de Onibus. Lá nesse TTU tem umas lojinhas de Souveniers bem em conta e variados ( lembranças compradas no parque do Iguaçu e no Parque das Aves são bem caras, mas são bem exclusivas deles). De la peguei ate a entrada da receita federal Brasileira e depois atravesse de pezao a ponte da Amizade ( só desci porque a fila tava imensa para entrar no paraguay). Trajeto tranquilo porem, tenha cuidado com os que te abordam vendendo coisas. Na entrada de Ciudad Del Este é LOTADAAAA de vendedores de tudo mesmo. Faça suas compras e explore o que tem de novidade la nesse lugar. Só não dê a bobeira de perder a carteira lá. Fui era 8 da manha e 10 horas eu estava voltando. Fui so pra comprar algo que eu já tinha pesquisado e estava bem traçado a rota. Na volta foi tranquilo, exceto na aduana Br... porque né ? aduana Paraguaia num quer travar nada. Bom isso cada um terá uma experiencia diferente. Voltei pro hostel e fui almoçar para visitar a Imensa Itaipu, que lugar enorme de Grande. Novamente peguei um busão para ir até la. Ingresso custa 40 reais. Conheci uns peruanos que estavam em lua de mel em Foz, fizemos o passeio contando nossas aventuras e viagens. Recomendo fazer o passeio panorâmico, gostei demais por conhecer essa magnitude de Usina e represa. Voltei pro hostel e pra completar o dia apareceu mais viajentes kkkk, Dois Suecos, Japonês e um Colombiano... pena que não pude conversar com cada um porque de manha cedo era meu último dia para partir Rumo Puerto Iguazu – Arg. Atravessia foi tranquila, a empresa Easy bus também faz esse trajeto e custa 10 reais. Aduana Super de boa, só me perguntaram o motivo da viagem e se eu tinha uma reserva do Hostel. Troquei o real pelo peso argentino na casa de Cambio Austral – super recomendo. Leve seu Rg ou Passaporte para trocar dinheiro é obrigatório. Após disso, fui ao meu hostel guardar minhas coisas e seguir o Passeio. Também fiz as cataratas pelo lado argetino e confesso... la tem muito mais quedas e bem mais bonito. Mas é muito extenso o trajeto, por isso reserve umas 5 a 6 horas do seu dia. A passagem para ir as cataratas é adquirida na rodoviária de Puerto Iguazu, empresa chamada Rio Uruguay compre ida e volta logo, o ingresso do parque na Argentina é 650 pesos . Faça seu trajeto e curta o passeio. Cheguei no hostel era 6 horas e já fui direto para o Hito Tres fronteiras. Detalhe, para você que for super pão duro como eu kkkk lá é de graça visitar esse espaço para ver o encontro do Rio Iguaçu e o Paraná e a divisa das 3 Nacionalidades que são: Paraguay, Argentina e o nosso Brasil. Recomendo quem puder visitar tanto o do lado Argentino como o do Brasil ( Custa 22 reais). E lá tem muitas lojinhas de venda de souvenir bem baratos. Dia seguinte foi outra despedida, e rumo a Cascavel no Paraná que de lá eu iria para outra cidade no grande Estado do Rio Grande do Sul, onde eu tenho amigos que vivem lá. Viagem cansativa e com muitos atrasos, eu tava até acostumando com atrasos kkkk e la se vai meu sábado do dia 3/8 e cheguei no meu destino final as 6 horas do domingo 4/08. Eu estava com uma sensação que naquele momento eu tinha acabado de sentir que o medo de todo trajeto que eu estava criando só era coisa da minha cabeça... mas sim a cada lugar que passava uma parte desse medo ia embora. Menos a saudade, fazer uma viagem sozinho é muito bom pela questão de liberdade que se tem em horário e o que fazer, quando fazer e o motivo. Conheci a cidade de Itaqui, onde meus amigos estavam la me esperando. Muito bom poder rever após 3 anos, segunda a noite 05/08 eu já partiria rumo Uruguaiana e de lá Bueno Aires. Saímos atrasados para rodoviária e so tinha eu pra embarcar, deixei minha preciosa agua cair no chão ( quem já visitou Argetina sabe o tanto que é Salobra essa água) cheguei 0:00 no terminal, e o meu Onibus Da JBL era as 4 da Manhã.... rodoviária um Breu e a única alma penada era eu kkkk não tinha ninguém nessa bagaça, até que chegou uma gaúcha e ficamos conversando por um tempão e o guardinha apareceu e chama nós para tomar chimarrão kkkk dispenso meus amigos, queimei língua duas vezes já. Ela fazia medicina e estava no 3 ano e morava no entorno da faculdade e me deu umas dicas para não cair nas ciladas assim que se sai da Rodoviaria. Amigos , Buenos Aires é lindo... mas a rodoviária e a saída dela parece um lixão e muitos vendedores ambulantes e pessoas pedindo dinheiro. Assim que sair da rodoviária, pegue a direita e vá ate a estação Mitre, do lado tem o Metro retiro linha C. Lá é muito lotado e só passei raiva no transporte coletivo. Pois bem, cheguei nessa cidade e não me deixei ser levado pelas primeiras impressões. No dia seguinte fui andar e conhecer todos os entornos do bairro onde estava hospedado. Muito lindo, no outro dia reservei para visitar Caminito e la Boca.... lugar que super recomendo para gastar em lembranças e tirar fotos. Por mais que seja fácil comprar no real, procure pagar no peso Argentino, senão eles acabam te enganando com as cotações. 09/08 Dia de visitar meu último País antes de voltar para casa, Colonia del Sacramento – Uruguay. Se eu estava com sorte de pegar diversos trajetos com sol... esse foi aquele momento que azedou... tomei chuva desde madrugada, Fui pela Colonia Express, uma empresa Low Coast de ferry Boat que atravessa o rio da Plata e paguei um pacote de ida e volta por 330 reais e um almoço Incluido. Senão fosse a chuva, o passeio teria sido sem duvida excelente. Uruguay é caro demais, então se prepare para gastar. Ande por todas as bandas, la é bem curtinho. Terminal Hidroviário é bem legal, tem Wi-fi liberado ae cambada. Dae você sobe no segundo piso e pega as tomadas huehuehue. Para vocês terem noção, a Buquebus é mais cara para fazer esse trajeto. Para encontrar a Colonia Express é so descer toda o entorno do Puerto Madero, não tem erro e é muito seguro a empresa. Dia 10/08 Eu estava quebrado e gripado por conta de ontem, resolvi visitar umas praças e um lago da reserva do Puerto Madero. E fui na Rodoviária comprar a passagem para Puerto Iguazu. Detalhe viajantes, lá não tinha bebedouro e se tinha não saia água. Dia 11/08 minha volta para casa, jornada seria longa peguei um ônibus de Buenos Aires para Puerto Iguazu que me custou 2000 pesos argetinos com duração de 20 horas de trajeto pela Empresa Crucero del Norte... quando começou a partir que sensação triste, mas é gratificante de quando eu olhei as fotos da barra de rolagem do celular, putz.... eu consegui fazer essa viagem.... e foi uma missão que eu havia me dedicado e planejado por 1 ano, e recebi muitas e muitas críticas por dizer esses planos... muitas vezes amigos, as pessoas não estão nem ae pelo seus sonhos e outras querem só saber de te chama de ignorante, te desanimam e te coloca contra você mesmo. Sabe o que fiz?, contei só para quem eu sabia que importava comigo. E seja assim amigos, independente se esteja só ou acompanhado... independente do destino... é você que irá fazer a sua história e viver sua aventura! Dia 12 chegando na rodoviária de Puerto Iguazu, já fui direto para Foz e de lá para rodoviária para pegar o Ônibus para Goiânia. Dia 13 chegando em Goiânia Dia 14 Cheguei em Rio Verde. ( aconteceu algumas coisinhas de viagem nessa volta, mas era uma revista policial, ônibus com defeito, motorista deixando os atrasados para tras kkkkk coisas Normais) Espero ter passado para vocês as informações necessárias e divulgar um pouco desse roteiro que procurei e não havia encontrado muito. Usem o Aplicativo Rome2Rio e ClickBus para procurar ônibus dos trajetos, na Argentina pagar em dinheiro as passagens de ônibus são bem mais interessantes, pois algumas empresas dão desconto para quem paga a dinheiro.
  2. Boa tarde amiguinhos, gostaria de saber qual a melhor rota RJ x Foz pra quem utiliza gnv como principal combustível. E qual o gasto aproximado com pedagiopedágio? Grata.
  3. Depois da ajuda de alguns relatos, venho aqui compartilhar minha experiência em Foz. Bom, Foz sempre esteve na minha lista de lugares que gostaria de visitar. As Cataratas com certeza está na maioria da lista de lugares de vários viajantes e mochileiros e no meu caso não era diferente. Eu tinha 3 dias para fazer os passeios e meu roteiro era no 1º dia chegar no hostel e depois ir cambiar o real pois no dia seguinte iria visitar as Cataratas do lado Argetino e eu precisa de Pesos. 2º dia visitar o lado argentino. 3º dia visitar Cataratas lado Brasileiro e parque das Aves e no 3º dia Templo Budista, Mesquita e Marco Três Fronteiras. 4º dia, volta para casa. Vou focar mais como foi meu roteiro para visitar o lado argentino, o lado que causa mais dúvidas para as pessoas de como chegar e etc. Porém qualquer outra dúvida eu respondo também 1º Dia (06.08.2018). Bom, minha jornada iniciou-se na segunda. Eu sai de SP às 16:00, voei pela Gol até Foz, voo tranquilo. A duração foi de 1:40 aprox. Eu já tinha pesquisado antes em vários sites e aqui no Mochileiros como se locomover pela cidade, e li que pegar ônibus na cidade era muito fácil e realmente é. Eu tinha lido que uma linha de ônibus passava no aeroporto e lá fui atrás do ponto para pegar o ônibus e chegar no hostel. Assim que cheguei no aeroporto de Foz eu sai pela esquerda e segui até o final do corredor, assim que sai do aeroporto desci as escadas e a minha esquerda estava a parada do ônibus 120 que te leva para o centro de Foz, passando pela Avenida Cataratas. Sentei e fiquei esperando o ônibus, eu aguardei uns 15 minutos e o ônibus chegou, porém cheio, mas consegui entrar mesmo com meu mochilão de 50L, MAS, assim que entrei no ônibus e ele começou a sair do aeroporto veio outro ônibus bem mais vazio rsrs. Aqui uma dica de app, eu baixei o aplicativo MAPS.ME totalmente gratuito, rápido, detalhado com mapas inteiramente offline. Eu reservei o Tetris Hostel pois ele foi bem avaliado por uma mochileira aqui do site, reservei o hostel pelo Booking. Voltando ao relato, peguei o ônibus e paguei R$ 3.55, eu já tinha visto que o hostel ficava na avenida das Cataratas e que tinha um ponto a uma quadra do meu hostel. Eu abri o app e fiquei olhando o meu deslocamente em tempo real para quando eu chegasse próximo ao ponto de ônibus desse o sinal de parada. Do aeroporto até essa parada levei uns 30 min. Assim que vi que estava chegando eu dei o sinal e desci do ônibus, caminhei descendo a avenida e em menos de 5 minutos cheguei ao hostel. Fiz meu check-in às 18:50 e percebi que a casa de câmbio onde iria comprar os pesos já tava fechando e não ia conseguir ir até lá (era bem próximo do hostel, era só descer a avenida). Pedi ajuda a recepcionista do hostel e ela disse que no supermercado Muffato tinha um loja de câmbio chamada Scappini. Bom, me ajeitei no meu quarto, que era muito legal e aconchegante, e fui até o supermercado trocar os reais. Cheguei no supermercado (era também só descer avenida direto) em uns 15 minutos e fui até a loja, cambiei 480 pesos (preço do ingresso do parque na Argentina, eles não aceitam outra moeda, só pesos) e deu R$ 77, aproveitei para comprar algumas coisas no supermercado para levar no outro dia para o passeio, pois as coisas para comer e beber lá no parque do lado argentino eram muito caras, segundo relatos. Coisas compradas voltei para o hostel, jantei no hostel, conversei com a galera que estava lá (maioria franceses, ingleses, eu era o único brasileiro da mesa) e depois fui repousar. 2º dia (07.08.2018) Nesse dia o roteiro era pegar ônibus até o TTU, depois outro ônibus para a Argentina e de lá outro ônibus para o parque das cataratas. Nesse dia eu já sabia tudo que tinha que fazer para chegar até o lado argentino. Acordei umas 07:00, me arrumei, fui para o ponto de ônibus pegar o busão para o terminal de ônibus que fica no centro de Foz para poder outro ônibus que leva até a Argentina, no caso Puerto Iguazu. Cheguei no terminal e depois eu sai, o ônibus que leva para a Argentina fica ao lado do terminal e não dentro. Cheguei no ponto e tinha duas bandeiras, uma do Brasil e outra da Argentina, no ponto só tinha uma senhora e eu perguntei se o ônibus tinha passado e ela disse que sim. Ela comentou que o ônibus tinha ido cheio, e pouco antes alguns taxistas tinham passado ali para levar alguns turistas para Puerto Iguazu. Bom, eu aguardei ali mesmo, após não mais que 20 minutos o ônibus chegou, ele vem escrito ARGENTINA, o preço da passagem foi de R$ 6. O ônibus foi vazio, sobrou lugar (UFA). Mas se programe, esse ônibus demora de 30min a 1 hora para passar dependendo do horário que você pega. Esse ônibus te leva até a fronteira, onde você vai descer pra passar na alfândega junto com as demais pessoas. Finalizado todo mundo, você vai ter que esperar novamente o ônibus do lado argentino para ir até a rodoviária de Puerto Iguazú, o ponto final. Mas é bem fácil, o motorista para, dai todo mundo desce pela porta do fundo, você fica na fila, passa pelos agentes, apresenta o documento (eu apresentei o passorte e ele carimbaram), passa pelo detector de metai e raio x dai você sai e já avista o ônibus, entra e depois segue viagem. Comigo foi tudo muito tranquilo, eu demorei não mais que 1:30 até o ponto de ônibus na Argentina. Eu tinha lido que esse ônibus para em um ponto antes da rodoviária de Puerto Iguazu e que ali passava de qualquer forma o ônibis da Rio Uruguay para o parque e que desse sorte podia fechar um taxi com outras pessoas até o parque das cataratas. Bom, foi isso que aconteceu. O motorista parou nesse ponto e avisou que ali era o ponto até o parque das Cataratas, eu fiquei na dúvida, mas desci pq vi várias pessoas descendo (todos turistas rsrs). Ali no ponto já tinha algumas pessoas aguardando o ônibus da Rio Uruguay. Em poucos minutos um taxista se aproximou oferecendo corrida. Prontamente eu perguntei quanto sai e ele disse que R$ 25 (era o mesmo preço do ônibus da Rio Uruguay). Eu conversei com o pessoal que tava ali e conseguimos fechar em 4 pessoas para o taxi. Pegamos o taxi em uns 30 minutos chegamos até a entrada do Parque. Paguei os 25 reais (podia ser pago em peso) e o taxista muito gentil nos explicou como funcionava as trilhas la dentro e tal. Ele também mostrou onde ficava o ponto da Rio Uruguay que levava até a rodoviária de Porto Iguazu (que fica no lado direito saindo do parque e no lado esquerdo o ponto dos taxitas). O taxista também cambiava, ele fazia 480 pesos por 80 reais (eu podia cambiar com esses taxistas na parada do ônibus, mas eu já tinha os 480 pesos). Fui até o guichê comprar o ticket, o parque não estava cheio, estava bem tranquilo. Comprei o ticket por 480 pesos porque Brasileiro tem desconto (https://iguazuargentina.com/es/parque-nacional-iguazu). Assim que você entra no parque você pode fazer um percurso que eles chamam de trilha verde que fica na estação central até a estacão Cataratas ou pegar um trem da estação Central para a estação Cataratas. Da estação Cataratas você tem que pegar uma senha para o trem que leva até a estação Garganta para iniciar a trilha que leva até a Garganta do Diabo. Eu cheguei no parque às 10:00, fui até o guichê pegar a senha do trem até a estação Cataratas. Aguardei uns 20 minutos e o trem chegou (esse trem passa a cada 30 minutos). Depois desci na estação Cataratas. Chegando lá fui pegar a senha (UMA BAGUNÇA, não tem fila para pegar a senha, o atendente grita para formar fila, mas o povo não entende ou se faz de desentendido) para a estação Garganta do Diabo e espera estava em 1 hora até o próximo trem. O trem iria sair 12:15 (tem monitores informando a númeração da senha e que horas o trem daquela senha partirá), então resolvi fazer o trilha do circuito superior, pois daria para fazer em 1 hora (no meu ritmo) e dar tempo de voltar e pegar o trem para a Garganta do Diablo. Iniciei a trilha uma 10:40, tudo muito lindo, e 11:50 eu já estava na estação Cataratas para pegar o trem. Depois que pega o trem você desembarca na estação Garganta e de lá você inicia a trilha para majestosa Garganta do Diabo. O percurso é incrível, toda aquela vibe, os animais que você vê pelo caminho, é inexplicável e quando você chega próxima a Gargante do Diablo e vê a névoa branca causada pela força das águas e o barulho a sua ficha começa a cair. Quando eu finalmente cheguei eu fiquei de abismado, sem palavras. Tirei muitas fotos, o mirante estava até que tranquilo e com paciência e pedindo licença você consegue tirar suas fotos. Eu fiquei por ali por um tempo até retornar para a trilha até a estação Garganta e de lá voltar a estação central e fazer circuito inferior, que também é demais, não deixem de fazer, o Salto Bosseti é lindo demais e rende um fotão. Consegui fazer tudo e às 16 estava voltando para Puerto Iguazu para pegar o ônibus para Foz. Aqui eu dou uma dica, leve pesos ou reais já trocados para comprar sua passagem da Rio Uruguay para a rodoviário de Puerto Iguazu. Quando fui comprar a passagem lá no loja deles, não tinham troco para reais e tive que pegar meu troco em pesos. Outra dica, como na volta vai fazer todo o processo lá na fronteira, sente-se no fundo do ônibus ou senão tiver lugar já fique no fundão mesmo, pois você é um dos primeiros a descer e depois uns dos primeiros a subir, tendo mais chance de ir sentado caso o busão esteja cheio. Na rodoviária de Puerto Iguazu aguarde o ônibus para Foz na plataforma 7. Esse ônibus passava exatamente naquele ponto que fica a 5 minutos do meu Hostel. Cheguei no Hostel umas 17:45 + ou -. Foi tudo muito tranquilo e com certeza é uma experiência que todo mundo deveria ter uma vez na vida. Espero ter colocado tudo que lembro e de forma objetiva. É isso galerinha, para ajudar o amiguinho aqui clique no joinha e se inscreva no canal, e não esquece de compartilhar kkk zuera.
  4. Olá pessoal, Dando seguimento aos relatos de viagens que tenho feito desde 2013, vou relatar os 5 dias que passamos em Foz do Iguaçu, de 03 a 08 de fevereiro de 2015. Como já tem um tempo que fomos, não lembro de todos os detalhes, mas caso tenham alguma dúvida posso tentar olhar em anotações antigas. Meus relatos também são mais sucintos, fiquem a vontade para perguntar qualquer coisa. Voamos pela Gol com escala de 10 horas em Curitiba, tempo suficiente para uma esticada até o maravilhoso Jardim Botânico, arredores e também o Mercado Municipal, que fica ao lado da Rodoviária. Curitiba é muito linda, arborizada e fácil de locomover. No aeroporto você pega um mapinha da cidade. De lá tem um ônibus executivo (R$12,00) que te leva até a rodoviária dura em torno de 40 min o trajeto e de lá pegamos um taxi até o Jardim Botânico. Andamos bastante, tiramos muitas fotos admirando aquele lugar fantástico. Imagino que os jardins na Europa sejam nesse nível para cima! Ao final da tarde voltamos ao aeroporto e pegamos o vôo para Foz. Foi o pior vôo da minha vida, turbulência grave, muitos trancos, estava um tempo muito fechado e com muita chuva. O comandante avisou que talvez teríamos que ir para Maringá mas no final deu tudo certo. Foi a primeira vez que senti medo dentro de um avião (até hoje ainda não voltei 100% ao normal, rs). Lá no Aeroporto de Foz tem um ônibus coletivo que leva até o terminal da cidade (não lembro agora os nomes, mas é super tranquilo). Descemos perto do hotel e termimanos de chegar de taxi (agora que não deu nem 10,00). Ficamos hospedados no Hotel Blue Star II (reservas pelo booking): é um hotel bem simples, mas tem ar condicionado, bom chuveiro e frigobar. Café da manhã honesto. Pagamos 80,00 reais a diária. Ele fica próximo a um shopping onde fizemos muitas refeições (ruins né, comida de shopping). Dia 1: Cataratas do Iguaçu (lado brasileiro) e Parque das Aves Após o café da manhã, pegamos o ônibus perto do hotel até o terminal e de lá o ônibus que vai até o parque das Cataratas (é o mesmo que vai até o aeroporto); No terminal de ônibus tem um quiosque de informações turísticas. Ingressos para o parque comprados (24,00 por pessoa para brasileiros) vc pega um ônibus panorâmico e vai até a entrada da trilha. O restante do caminho é feito a pé e em vários pontos há mirantes para apreciar a beleza das cataratas. Realmente é algo indescritível, a beleza das quedas d´água, o vapor e o barulho da água é muito relaxante. Uma sensação de contato com a natureza muito intensa e tranquilizante. Durante toda a manhã fomos apreciando as cascatas e tirando muitas fotos. Nos divertimos com os quatis tentando roubar frutas da bolsa de uma francesa e os monitores do parque dando orientações. Aliás, a infraestrutura do parque brasileiro é fantástica, tudo muito limpo, organizado e bem sinalizado. No meio do caminho tem uma trilha para o Macuco Safari, que é um passeio de barco pelo rio com visita a quedas d´agua. Na época acho que custava 140 reais por pessoa. Não fizemos porque sabíamos que no lado argentino tem o mesmo passeio (mais completo na verdade, pois tem mais cascatas que a lancha te leva) pela metade do preço. O gran finale do passeio é chegar até a garganta do diabo por baixo, através daquele mirante. É impossível não se molhar todo, mas é muito gratificante. E vale a clássica foto do pica pau, rs Lanchamos na praça de alimentação (combo sanduba com fritas e refri, 25 reais cada); À tarde fomos ao parque das aves, é só atravessar a rua do outro lado do parque e já está na entrada. A entrada custa 24 reais por pessoa. Eu achei que ia curtir o parque porque vi por outros relatos, mas eu gostei demais! Demais mesmo! É cada pássaro mais lindo que o outro, é incrível ver como a natureza é diversificada. E outra coisa, o parque é imenso! Gastamos mais tempo nele do que no parque das Cataratas. A parte mais legal é quando você entra num viveiro de araras e elas ficam voando acima de você fazendo um barulho ensurdecedor. Uma pena que a bateria da minha câmera e do celular acabaram logo no início do passeio, não deu para tirar muitas fotos. Ao final do dia voltamos para o hotel e à noite comemos um japa (bem ruim) no shopping que fica perto. Dia 2 – Cataratas (lado argentino) Primeira coisa: se você quer conhecer bem as Cataratas a visita ao parque do lado argentino é indispensável. Primeiro porque o parque é muito maior, segundo porque você tem uma vista diferente (no lado brasileiro você vê bem as cascatas, do lado argentino você fica em cima delas) e porque a visão da garganta do diabo é incrível. Tínhamos lido como ir de ônibus até o parque, mas seria demorado e custoso. Ficamos sabendo de um hostel que fazia um transfer ida de volta por cerca d 30,00 reais e lá fomos nós! Por esse preço não esperava nenhum luxo, mas fomos numa van toda vandalizada (rs). O carro quase desmontou no meio do caminho. Fomos eu e minha esposa e um casal de franceses só. Demoramos demais na imigração argentina porque os funcionários estavam de greve no dia. Uma hora depois seguimos viagem. O parque argentino é mais rústico, sua infraestrutura é mais simples, porém nós gostamos muito mais do que o lado brasileiro. Você também tem maior contato com a fauna local. É bem maior e com 3 circuitos: inferios, superior e Garganta do Diabo. Fomos por todos eles, começando pelo Circuito Inferior. A todo momento você se vê acima das cascatas, a sensação de vertigem aumenta muito e vamos saboreando cada um desses momentos incríveis. Existem placas informativas (em espanhol e inglês) com a flora e fauna características. Prepare-se, é um dia inteiro de caminhada! Muitas, mas muitas trilhas de caminhada! Na hora do almoço fizemos o passeio com a Aventura Nautica, similar ao Macuco Safari, porém muito mais barato. Show de bola, você vai até debaixo de uma das cataratas, a sensação de refrescância naquele calor que fazia foi tudibom! O mais legal fica no final, que é a garganta do diabo. Você pega um trenzinho interno e depois tem que andar bastante até chegar na boca da garganta. A sensação é indescritível, parece que ela está nos sugando para baixo. Muita gente fica tonta no local. Ao final do passeio ainda passamos por um museu que conta a história da criação do parque e da colonização da região como um todo. Esse dia foi muito cansativo, fomos direto para o hotel dormir, exaustos! Dia 3 – Itaipu: A pedra que canta! Tinha grandes expectativas desse dia. Me lembro de ter estudado itaipu quando nas aulas de geografia do ensino médio e queria muito conhecer a estrutura do lugar. Gente, não tem cabimento aquilo, é uma obra gigantesca, própria mesmo de obras do regime militar. A imensidão de concreto a sua frente é difícil até de calcular. E o legal de itaipu é que o turismo lá deixou de ser simplesmente uma visita panorâmica à usina. O lugar virou um verdadeiro complexo de atrações. Nós fizemos 3 passeios durante o dia: circuito especial (é a visita mais completa na hidrelétrica, te leva até o centro de comando – 61,00), o polo astronômico (tem um planetário, mas achei bem fraquinho – 17,00) e o Ecomuseu (tem um museu contanto um ponto da construção da hidrelétrica e o impacto ambiental causado – 10,00). O site é bem organizado, dá pra comprar direitinho com os horários (http://www.turismoitaipu.com.br) O dia passa muito rápido nesse lugar. Realmente incrível. À noite fomos comer na churrascaria do Gaúcho (http://www.churrascariadogaucho.com.br), tinha um rodízio de carnes razoável mas com um bom preço (acho que era 25,00 reais por pessoa). Dia 4 – Ciudad Del Este e Puerto Iguazu O dia internacional da viagem. Decidimos ir a Ciudad Del Este ver o que era de tão barato lá. Na época que fomos estava acontecendo uma reforma na Ponte da Amizade de modo que era mais rápido atravessar andando do que de moto ou carro. No meio do caminho da ponte fui parando para tirar umas fotos e distraído meu celular caiu no chão. Por muito pouco ele caía no rio. A vantagem é que já estava mesmo indo ao Paraguai, mais fácil de comprar outro, rs. É realmente um local totalmente voltado par compras. Mil lojas e shoppings, vendedores ambulantes na rua e que não lhe deixam em paz nenhum minuto. Detestei. Tive a mesma sensação quando passei na Calle Florida em Buenos Aires. Só tinha um pouco de sossego quando entrava em algum shopping. Mas de fato é tudo bem mais em conta. Minha esposa comprou um celular pela metade do preço e perfumes com uns 40% de desconto. Ainda conseguimos pechinchar um massageador de “brinde”. À volta para o Brasil é aquela tensão, mesmo sabendo que não tínhamos extrapolado o limite de compras (acho que é 300 dólares), os fiscais da receita ficam de olho em qualquer um suspeito. A fiscal parou um cara bem na minha frente que parecia ter acabado de comprar um notebook. (Um detalhe que muita gente esquece: a fiscalização no retorno ao Brasil pela ponte é aleatória, porém no aeroporto de Foz é obrigatória para TODOS. Antes do check-in tem um Raio-X da receita e todos devem passar por ele. SE não me engano lá eles apreendem mesmo mercadorias suspeitas. Fiquem atentos). Voltamos ao hotel para descansar um pouco pois à noite iríamos conhecer Puerto Iguazu, cidade argentina fronteiriça. Fomos e voltamos com uma van combinada com o cara do hostel (o mesmo que arrumou nosso transporte para o parque das cataratas do lado argentino). Lá em Puerto Iguazu o lance é visitar as lojinhas de temperos, vinhos e alfajors e comer em alguns daqueles restaurantes. Ficamos em um e pedimos uma porção de bife de chorizo, que não estava muito boa e fez minha esposa passar mal à noite. No entanto, compramos um azeite delicioso que até hoje usamos em casa. Muito bom mesmo! (Vou ficar devendo fotos de Puerto Iguazu, esquecemos a câmera no hotel!). Voltamos ao hotel já de madrugada. No dia seguinte pela pegamos o vôo de volta para casa (e vimos muita gente tomando multa na fiscalização da Receita antes do Check-in). Resumão: um lugar incrível, que até hoje tenho vontade de voltar pelas belezas naturais. Realmente as cataratas são uma das maravilhas do mundo. Itaipu também foi bem surpreendente. Não voltaria a Puerto Iguazu nem Ciudad del Este. Faltou visitar o templo Budista, que dizem ser bem famoso, e o Marco das 3 Fronteiras. Obrigado pessoal. Qualquer dúvida estou a disposição.
×
×
  • Criar Novo...