Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''haia''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Companhia para Viajar
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Nomadismo e Mochilão roots
  • Outras Formas de Viajar
  • Outros Fóruns

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 3 registros

  1. Por qual motivo fazer um bate e volta saindo de Amsterdam até Haia? Na qualidade de terceira maior cidade do país Den Haag ostenta o título de cidade sede da Justiça Internacional. Motivo que por si só justifica um bate e volta saindo de Amsterdam. Dentre outras razões, saibam que desde o ano de 1907 que os brasileiros fazem “festa” por lá. Ou será que vocês pensam que nosso nobre Rui Barbosa ficou conhecido como “O águia de Haia” a toa?? É uma cidade moderna e sofisticada, com cerca de 500.000 habitantes e mundialmente conhecida. Além disso, estamos falando da capital oficial do país. Por fim, podemos destacar a facilidade de acesso através de transporte público, durante todo o dia e boa parte da noite também. Confira aqui o conteúdo completo: https://naviagemdeviajar.com.br/bate-e-volta-amsterdam-ate-haia/
  2. Bom galera, frequento o mochileiros há muito tempo e outro dia me toquei que nunca havia publicado um relato de viagem. Vou tentar começar um série compartilhando minhas experiencias e espero que curtam bastante!! Hoje vou mostrar um pouco de uma cidade de adorei, Haia. Na verdade Den Haag, esse é o nome da cidade e será exibindo assim na maquininha da Centraal Station em que irá comprar sua passagem de trem para conhecer esta maravilha de lugar. Portanto acorde bem cedinho e dirija-se rumo a Estação central ... A viagem dura em torno de 50 min e custa por volta de 23 euros ida e volta, na segunda classe (Nada de sentar na primeira classe hein!! pode ter que pagar uma multa se rolar uma fiscalização... Certifique-se onde esta sentando...). A primeira atração que visitei na cidade foi o um antigo palácio onde viveu a Rainha Consorte Emma, e hoje é um museu muito legal dedicado ao "Mestre do Impossível", Escher. Nunca ouviu falar em Escher? Mas talvez já tenham visto algum de seus desenho que brincam com a nossa percepção de realidade... Com os miolos retorcidos e a percepção totalmente alterada (rs), resolvi dar um rolé pela cidade e conhecer a casa em que viveu Maurício de Nassau. Aquele mesmo da Companhia das Índias Ocidentais que tentou invadir a Bahia e depois se instalou em Pernambuco. Adivinha o que aconteceu com a casa do Maurício? Virou um museu chamado Mauritshuis! Bem ao estilo Holandês... Obviamente entrei para dar uma conferida e para a minha surpresa descobri um dos quadros mais perfeito que já vi na vida: Old Woman And A Boy With Candles de Peter Paul Rubens... simplesmente o efeito de iluminação da vela na face do Sr e do garoto são perfeitos, só vendo ao vivo para crer. Claro que não posso deixar de mostrar a masterpeace do museu: A menina do Brinco de Perola de Vermeer... Também tem The Laughing Man de Rembrandt e outras maravilhas... o museus é recheado de clássicos. Para quem curte artes é um prato cheio. Vou mostrar só mais uma telinha para estimular a curiosidade de vocês: Dirck van der Lisse, A Hunting Nymph, Asleep. É demais ou não é?? Depois do almoço era o momento de fazer a digestão batendo perna pelo centro da cidade, curtindo aquele clima de uma cidade tranquila e apreciando o jeito Nórdico de vier a vida... Binnenhof, ou o parlamento Holandês, já que a sede do Governo é aqui, foi para obrigatória. Rola até um sorvetinho de pistache... Para finalizar o dia tive uma grata surpresa ao retornar a praça central da cidade. Era meio da tarde, por volta das 17:00, o sol brilhava e os bares e restaurantes estavam completamente lotado de pessoas tomando cerveja e curtindo o sol... Happy Hour em Haia plena terça-feira de um ano qualquer! Pronto, me senti em casa... E assim foi mais um dia da série "Um dia volto ai..." Espero que tenham curtido!!
  3. Essa foi nossa segunda vez em terras holandesas, e já que da primeira conhecemos só a capital Amsterdam, dessa vez decidimos explorar as cidadezinhas próximas também. Fizemos tudo de trem, o melhor custo benefício em relação a transporte pois as passagens são baratas e as cidades são bem perto umas das outras. Foram 4 cidades em 3 dias e apesar de parecer corrido, deu pra aproveitar tudo com calma! Foi a primeira vez que viajei meio sem roteiro, com dias livres para simplesmente andar sem rumo e descobrir o que cada lugar tinha a oferecer. Para comprar as passagens pesquisamos tudo no site do sistema de transportes nacional, o http://www.ns.nl, dá pra simular os valores e ver os horários dos trens. Mas atenção! Algumas cidade tem nomes diferentes do que conhecemos, se não estiver escrito corretamente em holandês, você não vai encontrar. Decidimos comprar na hora em cada lugar pois os trens tem intervalos bem curtos e assim podíamos ficar mais flexíveis. O sistema funciona muito bem! A maioria das estações são super modernas, tem lockers para deixar as malas e você pode comprar os bilhetes em máquinas ou nos balcões de venda. As informações de horários e plataformas são bem indicado nos painéis. Os trens são extremamente pontuais e tem wi-fi grátis! Dia 1 – Utrecht e Gouda Chegamos no aeroporto de Schiphol em Amsterdam e já pegamos o trem direto de lá para Utrecht, o trajeto dura pouco mais de meia hora. Saindo do trem você já está no centro e para chegar no centro não demora mais do que 5 minutos. Tudo pode ser feito a pé. A cidade é daquelas pequenininhas e super fofas! Sua maior atração é a torre gótica Domtoren, que pode ser vista de quase toda a cidade e (dizem) oferece uma linda vista. Alguns passos depois fica a catedral gótica Domkerk e ao lado, o Jardim monástico Pandhof, um dos lugares mais lindos de lá! Entre os diversos canais, o Oudegracht é um dos principais e fica abaixo do nível da rua, com alguns restaurantes charmosos beirando suas águas. Se quiser um lanche rápido experimente as batatas fritas no cone, já é bom por ser batata frita e eles ainda colocam uns molhos deliciosos! A cidade tem uma atmosfera bem vibrante, suas ruas são cheia de cafés, restaurantes e lojas que atraem uma boa quantidade de turistas. Ficamos meio dia por lá antes de partir novamente para a estação de trem. A outra metade do dia foi em Gouda, que como o nome sugere, é o berço do delicioso queijo, produzido por fazendeiros nos arredores da cidade. Às quintas-feiras acontece um tradicional mercado de queijos e no sábado uma feira livre com diversas bancas onde é possível pedir por peso, assim já dá pra sair comendo na hora. Difícil é escolher só uma das opções! Ainda falando de comida, Gouda também é famosa pelo Stroopwafel, um delicioso waflle prensado com recheio de caramelo. Não deixe de experimentar um feito na hora, sério! O ponto central é a Praça Markt, onde fica o maravilhoso prédio da prefeitura em estilo gótico e encantadoras janelinhas vermelhas. Lá também fica um museu que conta a história do queijo e diversos restaurantes com preços não muito convidativos. Não deixe para jantar muito tarde, muitos lugares encerram as atividades por volta das 22h. Fazer uma pequena caminhada beirando o canal principal é super agradável e no fim você ainda descobre um dos moinhos da cidade (nada mais holandês, né?). Obs. O nome da cidade em holandês é pronunciado “rráuda”, caso não fale desta maneira provavelmente você não será entendido. Dia 2 – Haia Haia, diferente de Utrecht e Gouda, tem também seu lado mais moderno. Embora conserve a atmosfera de cidade pequena, seu skyline tem prédios novos e diferentões. É lá que fica a sede do governo e monarquia holandeses e alguns museus fantásticos! O Mauritshuis está repleto de obras de grandes mestres holandeses como Rembrandt e Vermeer, autor do quadro “Moça com brinco de pérola” lá exposto. Além disso a luxuosa “casa” pertencia a Maurício de Nassau, um dos responsáveis pela colonização holandesa no Brasil. Outra atração super interessante é o Escher in et paleis, um museu sobre o incrível trabalho de M. C. Escher, que mostra desde as obras iniciais até as gravuras mais conhecidas com imagens surrealistas e ilusões de ótica. Os lustres de cada sala tem formatos diferentes como caveiras, vasos, pássaros… Uma dica pra fugir dos restaurantes da praça central é o Le Cafe, um simpático bistrô que serve comidinhas deliciosas por um preço justo. Pode pedir o vinho da casa sem medo! Dia 3 – Amsterdam É claro que Amsterdam merece mais de um dia, eu diria uns 3 pra curtir tudo com calma, mas como já conhecíamos a capital holandesa, resolvemos ficar só um dia, ver alguns pontos que não vimos da outra vez, como o Rijksmuseum, admirar os prédinhos holandeses tão típicos e lindos e caminhar um pouco sem rumo pra sentir a cidade. Veja aqui um roteiro com as principais atrações de Amsterdam: http://www.queroirla.com.br/pelos-canais-de-amsterdam/ ps. Em Haia e Amsterdam ficamos na rede de hostels StayOkay e com certeza recomendo! Tudo é bem limpo e organizado e o café da manhã incluso é bastante completo. Sobre os trens, aqui vai um resumo de valores (p/ 2 pessoas, com taxas) e durações aproximadas das viagens. Amterdam Schiphol – Utrecht: € 19,40 / 40 minutos Utrecht – Gouda: € 14,60 / 20 minutos Gouda – Haia (Den Haag): € 13,00 / 25 minutos Haia – Amsterdam Centraal: € 25,00 / 50 minutos *Valores de Junho/2016 Post original com fotos e links: http://www.queroirla.com.br/holanda-trem-roteiro-3-dias/
×
×
  • Criar Novo...