Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

heitor171

Motos trail de média cilindrada: Tenere 250 ou XRE 300?

Posts Recomendados

A XRE e melhor em muitas coisas, na verdade quase em tudo.

 

Mas e pior na coisa mais importante, confiabilidade.

 

Isso nao tem preco e as 250 yamaha sao motos indestrutiveis.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom galera, como acontece com muitos por aqui, comigo não foi diferente: Fiquei um tempo meio afastado da Net.

 

Acabou que optei pela XRE, tendo consideração a alguns detalhes e mais ainda a opção pelo ABS.

 

De tudo o que foi relatado até então, concordo que os freios, bem como o conforto inferior e a falta de uma traseira mais completa (com pre-disposição para colocar baú) da Tenere pesaram bastante contra. O que digo que é bastante relevante nela é o seu consumo ( invejável), e o guidom que não vibra tanto como o da XRE (Devido aos coxins do guidom, que a xre não tem).

 

Na XRE tem uma coisa que me incentivou também na escolha: o seu pedal de freio traseiro permite fazer mais regulagem do que o da Tenere, fazendo com que o pedal fique mais para baixo, melhorando o posicionamento do pé ao frear, pois força menos o tornozelo ( Devido a minha estatura alta).

 

Como ja é sabido por todos, realmente o tal "boato" e a tal da reincidência de problemas mecânicos não me deixou de fora: aos 3500 Km minha bomba de combustível queimou. Foram "apenas" 25 dias de espera pela moto na garantia. Depois disso, ao sondar e pesquisar um pouco, aconselho levar uma bomba reserva ao fazer uma viajem mais extrema, tndo em vista que é fácil proceder com a sua substituição. E por falar nisso, os próprios técnicos da Honda me aconselharam dar umas "pancadinhas" com qualquer ferramenta na bomba quando ela parar de funcionar, pois existe uma certa probabilidade dela estar apenas emperrada. Segundo eles, esse foi o motivo do atraso no conserto da minha XRE, pois até então a bomba só emperrava e não queimava, e que por fim, "simplesmente" para não me trazer mais transtornos, resolveram trocá-la! Obviamente, mesmo que ela estivesse emperrada e tenha voltado a funcionar, a tal da confiança vai embora mesmo! Por isso que aconselho ter sempre uma bomba reserva. Acaba que este é o preço que pagamos por optar pela XRE.

 

Em relação aos vazamentos da XRE, segundo a Honda, o tal Silicone na junta do cabeçote resolveu o problema, pois agora eles já o aplicam na montagem do cabeçote. Pelo menos com a minha ainda não apresentou vazamento nos seus 15.000Km aprox. O que realmente tem vazado óleo é entre os conduítes do óleo e a carcaça do motor/caixa. Ainda bem que não escorre e perde-se muito óleo, apenas "meleja". Mesmo dando um aperto a mais não se resolve esse problema.

 

No mais, espero ter contribuído com as informações.

 

Grande abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Boas galera,

 

Sou um feliz proprietário de uma Ténéré 250 (2012/2012) e por isso resolvi postar algumas impressões.

 

Já fiz algumas pequenas viagens com ela e posso afiançar que a única coisa que me incomoda é o banco que é bastante desconfortável depois dos 100 Km rodados e que a maioria dos usuários tem trocado pelo Erê ou pelo Pedrinho.

 

Quanto aos problemas de fábrica relatados acima, graças a D'us, não aconteceram com a minha moto.

 

Tenho acompanhado dois foruns (Motonline e o TenereClub) que acho muito sérios e não tenho lido nada dos problemas antigos nas motos 2012.

 

Acho que vale cada centavo que você investe na moto, além de que não é muito visada pelos "amigos do alheio".

 

Grande abraço,

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nao poderia deixar passar mais uma experiencia com a XRE300, como eu ja havia contado primeiro eu rodei quse 8 mil km, fazendo toda Transamazonica, ate Manaus, e depois Santarem Parana pela BR163, sem nenhum problema apresentado.

 

Agora acabei de voltar de uma viagem por Paraguai, Argentina, Bolivia e Chile, 8000 km sendo quase 4000 km em estrada de terra e sempre em altitudes acima dos 4000 m.

 

E novamente a moto foi perfeita, eu fui com uma BMW Sertao e meu filho com a XRE300.

 

Alem de ser economica, torque suficiente para ultrapassagens, confortavel, otima suspencao e freios.

 

DSC_4203.JPG

 

DSC_4367.JPG

 

DSC_4453.JPG

 

DSC_4492.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Prezados, tenho uma XRE a dois anos e embora não tenha feito viagens longas já estou com 50.000km rodados. Não tive problemas de vazamento de óleo. Os problemas que tive (tenho) é de um estalo na suspensão, mesmo parada. Estala sozinha e ninguém conseguiu descobrir de onde vem o estalo. Desmontaram toda suspensão e amortecedor, está tudo em ordem, mas estala. Outro problema que detectei são as pastilhas de calço, que desgastam e a moto morre com alguma frequência em reduzidas grandes.

Também quero parabenizar os colegas aventureiros de longa viagem e aproveito para pedir dicas, já que acho muito cansativo andar por mais de 1:30hs a 2

horas.

Quanto à Tenere 250, tenho ouvido falar bem, tem uma grande autonomia, é econômica e conversando com meu mecânico, ele disse que é uma moto guerreira e que "não gosta" de oficina. Pretendo ainda experimentar uma. Já tive uma Lander e achei muito dura, espero que a tenere não seja igual.

Enfim, acho que você só vai conseguir aumentara sua dúvida. Fecha o olho e compra a que seu coração se apaixonar,

Sds,

Marco Dias

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Curioso mesmo esse problema do "estralo" na susp. dianteira. Ainda mais por já terem desmontado toda a suspensão e não encontrar nada. O que eu chutaria ser a causa do problema seria alguma coisa haver com a/as molas, pois por apresentar barulho mesmo com ela parada, nos indica que possa ser algo que esteja sob pressão mecânica (da mola), ou por estar mal alojada, mal encaixada...sei la...

Eu não entendi bem a questão das pastilhas de calço. Seria o batente da borboleta de aceleração?

Quanto às dicas para viagens, eu não sou o melhor para fazer isso por aki, mas o pouco de vivência que tenho me permite lhe passar alguma coisa. No meu caso, devido à alta estatura (não que eu seja gigante, mas tendo em vista À ergonomia planejada para nossas motos), eu sempre ajusto a inclinação da pedaleira do freio (traseiro), bem como da alavanca de marcha. Com o tempo, se não adequadas, cança a musculatura dos tornozelos. Outra dica que acho válida, é a fixação de um "mata cachorro" com uma pedaleira embutida, ou um mero Slider mais saliente que é colocado em uma posição mais embaixo, que dá pra quebrar o galho pra descançar a perna em outra posição.

 

No geral, quanto a minha XRE, pelo fato de ter um ótimo torque, bem como um consumo viável ( 28 a 30 km/l no meu caso) e por fim aliado ao conforto e frenagem excelentes, mesmo passando por uma experiência ruin de defeito, eu não me arrependo. Mas sou sincero em afirmar que tenho certo "trauma" que me faz ter certo medo para encarar algum destino inóspito e ter a bomba de combustivel queimada novamente!

 

Abraços!

Heitor Vieira

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Tenho uma XRE 300 ABS 2010/2011, Gostei muito da moto, conforto, força, consumo, porém, assim como muitos tive a infelicidade de ter o vazamento de óleo no cabeçote, tinha tres fissura, o mecânico da honda falou que não sabia como ela estava ligando kk, a honda deu o cabeçote, mas tive que pagar a mão de obra. Parece que as XREs aquecem muito, não são muito fãs em rodar vários kms só parando para abastecer pois, peguei ela semi-nova, rodei uns 9 mil km tranquilo na cidade e curtos passeios, mas quando fiz uma viagem de 1200km ida e volta, ai ela reclamou. Como essa viagem foi a mais curta, dentre todas as que eu pretendo fazer, já estou indo correndo para a teneré 250. Pois, além da segurança e muitas opiniões a favor dela, ainda tém a grande autonomia, e o melhor de tudo, seguro barato. A, só ressaltando, a honda recomenda trocas de óleo de 4 em 4 mil, mas eu nunca deixei chegar perto dos 2 mil.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ola Galera!!

Sou novo no fórum. Aprendi a andar de moto a um ano e mesmo assim usava pouco a moto. Não conheço nem andei em muitas até hoje. Estava inclinado pelo que ouvia falar da teneré a comprar uma. Tenho 1,76 de altura e peso 69 kilos. Pelo que tinha lido itens como posição de pilotar, autonomia e confiabilidade me fizeram pender para a teneré. Mas nesse final de semana um amigo pegou uma Xre zero e fui dar uma volta. Adorei a moto e o que mais me chamou a atenção foi o cambio super macio e com engates precisos e os freios. Justamente dois pontos criticados na teneré. Semana que vem vou fazer o teste drive na teneré. Vou usar a moto apenas para peuqenos passeios nos finais de semana de na maximo 400 km. Alguem ja andou nas duas? O que acharam?? Sei que no final o teste drive que vai contar mas gostaria de ouvir alguém com mais experiencia. Obrigado e um abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bom dia, acima já tem minhas "alegrias" com a XRE, GRAÇAS A DEUS vendi, a muito custo (já q a má fama dela já vem rolando). Atualmente tenho uma tenere 250 2013 ela o cambio é realmente meio duro, principalmente para colocar a primeira mas vc se acostuma. Pra vc ter idéia eu moro em teresina e vou visitar minha família na bahia com ela, são 2400 km ida e volta, viagem na paz, Um tanque maior, consumo menor, n tenho q ficar trocando o óleo a cada 1000-1500 km como a xre, a iluminação também é melhor, apesar da lâmpada ter a mesma potência 55W, mas o bico da XRE faz uma sombra e quando vc está com um carona o faxo de fuz vai pro céu já q a traseira dela baixa bastante, a tenere a iluminação parece de um carro, clareia muito bem msm. Ambas faltam uma 6ª marcha para economizar mais um pouco em estrada, a tenere tb n morre, é muito difícil, comprei ela semi-nova, tava com 3500 km e em 2 meses de comprada já está com 10600 km pois já fui na bahia com ela duas vezes.

Com a XRE vim uma vez (mas tive q ir pra oficina quando cheguei), e quando fui tb a moto ficou apagando.

Resumindo:

pontos fracos XRE: Consumo, defeitos no cabeçote, apagões (a moto morre toda hora), tocas de óleo prematuras, iluminação (em comparação a tenere), moto muito visada por ladrões, muitas visitas a oficina.

pontos fortes : Motor tem um pouco mais de força (a diferença é pequena), revenda (apesar q eu tive muita dificuldade até msm em revendedoras pois eles já tinham várias encostadas), cambio mais macio.

 

pontos fracos tenere: revenda, cambio mais duro (porém é mais no início) depois fica = da xre (só pra passar para primeira q é meio duro ainda)

pontos fortes: menos visada, a troca é mais macia das marchas (eu n sinto as trocas como na xre), tanque muito maior, só faço visitas a oficina para revisões segundo o manual, troca de óleo mais demorada (troquei com 3500 pois ia viajar), motor tem revestimento de cerâmica para diminuir a temperatura e o pistão é forjado.

 

é minha primeira yamaha, até o momento só alegrias

Quando fui pegar essa fiz várias pesquisas, olha no google viagem pela ameria do sul de tenere 250, e viagem pelas américas de tenere 250

vlw, té mais

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, amigos. Cheguei por aqui agora, embora tenho acompanhado sempre essa maravilhosa comunidade. Já obtive informações valiosíssimas para minhas andanças, como rotas, hospedagens, etc etc.....

Estou lendo sobre a escolha de motos e, embora sempre tive as excelentes motos HONDA, nada tenho a reclamar da também excelente TENERE 250. Depois de 2,5 anos eu ter rodado apenas 4.000 KM com ela, o ano de 2014 foi de extraordinárias viagens: Costa Marques/RO em janeiro, Machu Picchu em abril e Nobres/MT em Junho. No início de 2015, estaremos indo em 03 TENERE 250 para o Cochabamba, Deserto de Atacama, Salar de Uyuni, Aricá, Iquique, Puno, Rio Branco/AC e retornando a Jaru/RO, onde moramos, numa viagem de cerca de 8.000 Km.

Os cerca de 12.000 Km, que fizemos em 2014, foram sem qualquer tipo de problema mecânico, por menor que fosse. Ela se comportou maravilhosamente bem na travessia da cordilheira dos Andes, com extraordinária média 29,97 KM/L no percurso do PERU, e 27,48 KM/L no Brasil.(tenho as planilhas de viagem, de cada abastecimento).

Saliento que levei bauleto completamente cheio, 02 alforges lotados, mais uma mochila, portanto, bastante peso, além dos meus 93 Kg.

Na cordilheira ela não perdeu potência, aliás ganhou com sobra de uma Yamaha Dragstar 650 CC, que ficava só engasgando. Além da extraordinária autonomia (você pode rodar 400 Km sem preocupação), a posição de pilotar é muito boa, além do banco muito confortável. Ela tem ótima aceleração/retomada, é muito macia, ótima iluminação para viagem noturna, enfim, só alegria.

Não estou menosprezando a XRE, mas eu fiz essa comparação quando optei pela compra. E mais 02 amigos meus, que tinham outras marcas, substituíram e também estão muito satisfeitos.

Espero ter ajudado.

Abraços..... ::otemo::::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...