Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

nnaomi

25 dias desbravando Maranhão e Piauí - Parte 1: São Luis

Posts Recomendados

Outras opções:

 

* Rest. Capote, Av. Principal, 3, Vila Bom Viver, 3229-1512 / 1630

* Rest. Fazendinha, R. da Prata, 100, Inhaúma, 3229-1540

* Rest. Natureza, Av. Principal, 180, Inhaúma, 3229-1728 / 9971-6517

* Rest. Palhoça, R. do Coqueiro, 57, Garrancho, 3229-1501

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Contatos úteis:

 

* Prefeitura de São Luis - Palácio de La Ravardiére, Av. Pedro II, s/n, Centro, 3212-8000

* Delegacia Especial de Turismo, R. da Estrela, 427, Praia Grande, São Luis, 3214-8682

* Prefeitura de Alcântara, Praça da Matriz, 01, Centro. Informações Turísticas 3337-1140

* Prefeitura de São José do Ribamar, R Artur Azevedo, 48, Centro, 3224-7150

 

Postos de Informações Turísticas:

 

* Terminal Rodoviário de São Luís, Av. dos Franceses, s/n, Santo Antonio. Informação Turística, 3249-4500, seg-dom das 8-20h

* Aeroporto Internacional Marechal Hugo da Cunha Machado, Av. dos Libaneses, s/n, Tirirical. Informação Turística, 3244-4500

* Secretaria Municipal de Turismo, R. da Palma, 53, Centro, 3212-6219/6215/6212

* Secretaria Estadual de Turismo, R. Portugal, 165, Centro, 3231-0822 / 4045, seg-dom das 8-20h

* CEPRAMA, R. São Pantaleão, 1332, Madre Deus, 3232-2187, seg-sáb das 9-18h30; dom até as 13h ou 18h

* Lagoa da Jansen, Av. Ana Jansen, s/n, Ponta d' Areia, Disque Turismo 3227-8484/3218-8781

 

Links úteis:

 

Maranhão, uma grande descoberta

Visite São Luis Patrimônio cultural da humanidade

Prefeitura de São Luis

Portal da Cultura do Maranhão

 

Receptivos Turísticos:

 

* Brasil Planet Turismo, R. Luis Pinho Rodrigues/Juno n° 5 qd 22, Edifício Manhattan Center, Sala 510, Renascença II, São Luis, 3227-3944 / 8128-1461, [email protected], [email protected], [email protected] http://www.brasilplanet.com.br Skype: brasilplanet2. Contratei o passeio São José do Ribamar + Raposa com eles. Atenderam bem

* Jânio Tour, R. do Coqueiro, 1904, Raposa, 8827-6201 / 9613-8092, [email protected] Fiz o passeio de barco com eles, estava no pacote que foi contratado com a Agência Brasil Planet

 

Outras opções:

* Fox Tour, R. do Coqueiro, 104, Raposa, 3329-1332 / 1071 / 9602-4377 / 8445-3320. Também faz o passeio de barco

 

Dicas:

 

* Em São Luis, vale a pena reservar dois dias, um dia para visitar o Centro Histórico e outro dia para visitar Alcântara

* Recomendo esse destino para quem gosta de cidades históricas. A principal atração da capital e da vizinha Alcântara são os casarões e igrejas antigas e os museus

* Como a maioria das capitais, São Luis tem boa infraestrutura turística, acesso fácil, bons hotéis, bons restaurantes, agências de turismo

* Uma boa surpresa foi a quantidade de áreas verdes na capital. Pelo avião vimos que a cidade tem muito verde

* Centros de Informações Turísticas espalhados pela cidade são bons. Tem funcionários para esclarecer dúvidas e mapas, folders gratuitos. Cada centro tinha um mapa diferente, consegui três exemplares diferentes

* Compras em São Luis: disseram para comprar boizinhos e azulejos nas lojas do Centro Histórico e/ou no CEPRAMA. Quem tem coragem, compra guanará Jesus e Tiquira para levar para casa, mas fiquei com medo das garrafas estourarem

* Compras em Alcântara: doce de espécie. Disseram que é uma espécie de queijadinha em formato de tartaruga. Tem em São Luis também, mas acho que em Alcântara é mais barato

* Compras em Raposa: dizem que as rendas tem preço bom, mas não pesquisei

 

Mapas:

 

Eu amo mapas!

Não vou postar os mapas aqui, tem os direitos autorais e tudo o mais. Porém, vou colocar os links.

 

Mapas de São Luis:

http://www.sempe.com.br/mapasl/imgs/geral/sao-luis-map.jpg

http://www.vktour.com.br/sao_luis.php

http://kamaleao.com/saoluis/1847/show-da-cantora-cearense-fhatima-santos-no-clube-do-choro

 

Mapa de Alcântara:

http://turomaquia.com/hotel-em-alcantara-pousada-dos-guaras/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Roteiro sugerido: 1.o dia: Centro Histórico de São Luís, 2.o dia: Alcântara. Se tiver folga no roteiro - 3.o dia: Raposa e São José do Ribamar

 

até que enfim o Relato:

 

Sábado, 02/07/2011 - Dia ensolarado com poucas nuvens

Aeroporto de Guarulhos, Aeroporto de Brasília, Aeroporto de São Luis, Hotel Solare Praia Bella, Calçadão da Av. Litorânea

 

Chegada ao Aeroporto de Guarulhos pouco antes das 9h. Cheio, filas longas, correria para fazer check-in e embarcar. Cerca de 20min de atraso. Voo tranquilo, pouca turbulência. Lanchinho cada vez mais fraco. Conexão em Brasília. Mais 20min de atraso. De novo o mesmo lanchinho fraco. Uma boa surpresa foi a quantidade de áreas verdes na capital. Pelo avião vimos que a cidade tem muito verde. Chegada ao Aeroporto de São Luis em reforma. Malas chegaram rápido. Ali mesmo havia uma mesinha improvisada indicando CIT. Pegamos um mapa e pedimos informações sobre táxi. Táxi tabelado. Antes das 16h saímos em direção ao Hotel Solare Praia Bella, que tinha boa estrutura. Deixamos as malas e começando com pique total, saímos pelo calçadão da Av. Litorânea. Calor, mas o vento ameniza. Encontramos o famoso Rest. Cabana do Sol, bonito, arrumado, envidraçado, jantar olhando o mar (no piso superior) e com AC. A carne de sol, acompanha arroz, baião de dois, feijão de corda com maxixe, paçoca, mandioca, purê de mandioca, banana à milanesa e rapadura. Comida boa, 1/2 porção de carne sol ainda sobrou, vem carne para caramba numa travessa grande. Servem 8 pasteizinhos de carne (para 2 pessoas) com geleia de pimenta (deliciosa, levemente apimentada) de entrada. Uma delícia! É meio caro, mas considero boa relação custo/benefício, pois é muito bom. Vazio por causa do horário cedo, atendimento ótimo. Voltamos. Perto do hotel tem uma feirinha. É meio chato andar nesse trecho, pois além de muito movimento, para completar tem muita gente andando de patinete. Seguimos pelo longo calçadão até a Estátua dos 3 pescadores, de onde voltamos. Deu cerca de 10 km de caminhada, no total. Muita gente correndo e caminhando. Muitos carros estacionados, provavelmente do pessoal que estava se exercitando no calçadão. Há pontos de alongamento. Muitos quiosques e restaurantes ao longo da avenida.

 

sl1.JPG.268e4075ba396f7d59df02316aec3dcb.JPG

 

Domingo, 03/07/2011 - Dia ensolarado com poucas nuvens

Raposa e São José do Ribamar, Arraial de São João - Centro Histórico

 

Estava meio apreensiva com o passeio reservado, mas deu tudo certo. Pontualmente, eles nos buscaram. Só nós dois e mais um argentino de Buenos Aires, muito simpático. Devido à maré, passeio a Raposa foi na parte da manhã. Chegamos ao cais e fizemos o passeio na biana. Bonito ver o mangue e as dunas. Foram duas paradas para banho: Ilha de Curupu – Praia de Carimã e Croa de Sarnambi. O passeio foi rápido. Retornamos e passamos pela Rua Principal, conhecido como Corredor da Rendeira, onde há uma sucessão de lojas instaladas nas palafitas, casas simples feitas com madeira. Sobre o mangue, na ida com a maré alta, foi possível ver a água banhando o local, na volta com a maré baixando, já estava sem água. Foi feita uma parada rápida de 20min para compras. Não comprei nada, nem vi preços, então não sei dizer se é bom. As palafitas são diferentes e o passeio náutico é fraquinho, mas é divertido para quem faz a primeira vez e para quem ainda não viu os Lençóis Maranhenses. As dunas são conhecidas como fronhas maranhenses em alusão aos lençóis maranhenses, devido ao tamanho bem menor. Dizem que tem bons restaurantes, mas o guia sugeriu ir rápido a São José do Ribamar, pois era dia do Lava-Bois e a cidade ficaria tumultuada e congestionada à tarde. Na Praça da Matriz, rapidamente vimos a Igreja de São José, a Estátua e a Gruta de Lourdes. O Museu dos Ex-Votos estava fechado. Por volta das 12-13h, estava muito calor e os preparativos para o Lava-Bois já tinha começado. Voltamos sem parar para almoço. Foi bom, mas muito rápido, pois o guia queria fugir do congestionamento da festa. Voltamos para o hotel e fomos almoçar no Quiosque Oceano’s, da Av. Litorânea. Porção boa, farta para dois, travessa com três postas bem grandes, travessa de arroz, cumbuca de pirão. Gostoso, tempero bom, mas achei meio caro. Acho que o fato de ser a beira-mar pesa no preço. Estava cheio, mas não demorou muito para sermos atendidos. O guia aconselhou o Arraial de São João, na Praça Maria Aragão, no Centro Histórico. Chegamos cedo, antes das 19h. Tranquilo ainda, muitas mesas vazias, mas depois encheu. Várias barracas ofereciam comida típica, a maioria montava um prato com o tipo de arroz e misturas escolhidas. Experimentamos arroz de cuxá, bolinho de camarão, camarão frito e torta de caranguejo. Aproveitamos para visitar a Igreja N. Sra dos Remédios. Foi divertido, mas as apresentações foram muito demoradas. Vimos as apresentações de dança portuguesa e da quadrilha Formosinha. Queria ver uma apresentação do Bumba-meu-boi, mas fomos embora antes.

 

sl2.JPG.84b9f090f489c85e565402c289fdf770.JPG

 

sl3.JPG.db240052235b404a51e444cb5aa5173d.JPG

 

sl4.JPG.daf07964716d0afe1b95119c7c25aeaa.JPG

 

Segunda, 04/07/2011 - ensolarado com nuvens. Pancadas de chuva no fim do dia em Alcântara. Parece que choveu bastante em São Luis à tarde

Centro Histórico, Alcântara

 

Foi muito fácil pegar ônibus no ponto quase em frente ao hotel. Descemos no ponto final: Terminal Praia Grande. Pertinho fica o Cais Praia Grande. Fomos direto para lá para comprar os bilhetes para Alcântara. Disseram que a Lancha Diamantina era muito boa, mas estava em reforma. Compramos o do Iate Imperador, mais ou menos do mesmo estilo. Aproveitamos o tempo para um passeio rápido pelo Centro Histórico. Há muito policiamento nas ruas do Centro Histórico. A empresa aterroriza para comprar a volta e caímos nessa, mas não vale a pena. É melhor comprar a volta em Alcântara, pois há várias opções de horários de outras empresas que também atendem. A viagem de pouco mais de 1h foi tranqüila, mar parado, praticamente sem balançar. Desembarcamos e só um guia veio oferecer serviços, mas não insistiu. No Porto do Jacaré, passei nas Informações Turísticas, mas não tem nada. Comprei um mapa muito bom na loja de artesanato. Fizemos o passeio por conta própria, passamos nos pontos indicados pelo mapa, andamos muito e tiramos muitas fotos. Almoçamos no Rest. Josefa, peixe frito, acompanhava arroz branco, arroz de cuxá, feijão, farofa e salada. Experimentamos o Guaraná Jesus, que tem sabor bastante diferenciado, mas não achei tão doce como o pessoal fala, achei que tão doce quanto os outros refrigerantes. Fomos até a Praia Baronesa, cujo acesso é meio isolado e deserto. É praia de mangue, diferente, mas não sei se é boa para banho. Olhei de cima, da Pousada dos Guarás. A maré tinha descido muito e a água ficou muito longe. Não olhei os quartos, mas a recepção da pousada é bem ajeitadinha e parece boa. Retornamos ao centrinho. Por questão de segurança, circule apenas pelo centro, evite áreas afastadas, como por exemplo, a área das ruínas, por serem desertas. Passeamos um pouco mais pelo centro e retornamos ao cais. Foi um pouco estressante, pois o catamarã não veio às 16h, como constava no bilhete. Já tinha saído o catamarã das 15h, um pouco atrasado devido à maré baixa. Às 17h e pouco, saiu mais uma embarcação, mas decidimos esperar, pois ele saiu lotado com os seus passageiros e mais quase todos do nosso catamarã. Ficamos com medo de estar muito cheio. Não trocaram a passagem, mais um motivo para comprar a volta em Alcântara. Deu até para comprar na hora. Não sei se quando a cidade está mais cheia de turistas, dá para fazer isso. Depois fomos informados que o nosso catamarã encalhou no meio do caminho entre São Luis e Alcântara. com quase 2h de atraso, saímos pouco depois das 18h. A viagem foi mais longa, pois o catamarã era mais lento, deu pouco mais de 1,5h. Com o catamarã menor, vazio e o mar mais revolto, ele balançou um pouco. Chegamos pouco depois das 20h. Cansados da aventura, resolvemos experimentar o restaurante que fica quase ao lado do hotel. Jantamos no Rest. Feijão de Corda, peixe pescada na brasa com molho de camarão e alcaparras com batata assada por baixo do peixe, acompanhava risoto, legumes salteados, farofa e vinagrete. Bem temperado, com cheiro verde, caprichado. Meio caro, mas comida muito boa e ambiente bonito e agradável. De novo pastéis de carne com geleia de pimenta de entrada, mas a porção é bem regulada, 4 pastéis para 2 pessoas e a geléia é meio sem graça, não dá para sentir o gosto de pimenta.

 

sl5.JPG.3437bb547aec624a319628af3d3dc091.JPG

 

sl6.JPG.a5669bd75bbfc75e51705311963f24be.JPG

 

Terca, 05/07/2011 - ensolarado com poucas nuvens

Centro Histórico

 

Pegamos ônibus de novo. Descemos no Terminal Praia Grande. Começamos pela R. Portugal. Passamos no CIT e o funcionário Augusto deu um mapa e indicações de restaurantes. Passamos em frente a Casa Nhozinho, o Sobradão da Praia Grande, o Museu de Artes Visuais e a Secretaria de Cultura do Maranhão. Essa rua tem várias lojas. Fomos ao Mercado da Praia Grande (Casa das Tulhas). Olhamos muitos balaios com camarão seco e garrafas de tiquira. Também tem algumas lojas com souvenirs no mercado. Seguimos pela R. da Estrela, passando pela Praca Nauro Machado e Teatro João do Vale até a R. Jacinto Maia. Percorremos essa rua até o Cafuá das Mercês e o Convento das Mercês. Subimos pela R. do Giz. Passamos no Centro de Cultura Popular (Casa da Festa) e entramos para conhecer. Lá de cima se descortina-se uma vista legal da cidade. Vimos a tão famosa Pousada Portas da Amazônia. Passamos no Museu de História Natural, que tem visita autoguiada. Almoçamos no Rest. Dom Francisco. Tem bastantes saladas, pratos típicos, pescados e churrasco. Achei muito bom. Prosseguimos pela R. Nazaré. Paramos na Praça Benedito Leite e visitamos o CIT, onde peguei mais um mapinha. Continuando o tour, descemos pela R. da Palma, para depois subir a R. do Egito, passando em frente à Igr N Sra do Carmo. Voltamos à Praça Benedito Leite e visitamos à Igr Matriz da Sé. Prosseguimos pela Av. Pedro II, passando em frente ao Palácio Episcopal, ao Palácio La Ravardière e ao Palácio dos Leões. Há um mirante nesse local, onde é possível conferir a variacão fenomenal das marés. Voltamos para a R. Trapiche e R. Portugal, para algumas compras. Depois percorremos as ruas no outro sentido, passando pela R. da Alfândega, R. Grande, R. 14 de Julho. Há alguns becos com escadarias pelo centro. Voltamos pela R. do Giz, passamos de novo na Casa das Tulhas para comprar mais água e fomos ao Terminal Praia Grande para pegar ônibus de volta para o hotel. Achei que ruas e lojas estariam mais cheias, mas tinha poucos turistas circulando. Jantamos no Rest. Cabana do Sol de novo, prato típico do Maranhão com 2 postas bem grandes de peixe amarelo, acompanhava arroz de cuxá, vinagrete e banana à milanesa. Bem servido, mas achei o peixe do Rest. Feijão de Corda melhor. Acho que o forte lá é a carne de sol, que além de muito boa é muito bem servida e sai mais em conta, pois dá para pedir 1/2.

 

sl7.JPG.3352b80a00457b3f9480fbb55464f119.JPG

 

sl8.JPG.c8beff27f92e2bd30f27d85eefc621e5.JPG

 

Quarta, 06/07/2011 - ensolarado, pancadas de chuva à tarde em São Luis

Av. dos Holandeses, Transfer São Luis – Sangue - Santo Amaro, Pousada Bellas Águas

 

Continua em 25 dias desbravando Maranhão e Piauí - Parte 2: Lençóis Maranhenses - jul/2011

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Nnaomi,

 

Isso não é um relato é um guia e muito bom ::cool:::'> ::cool:::'> ::cool:::'>

 

Aguardando os próximos capítulos.

 

Maria Emília

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá! Parabéns.

Seu relato está muito 10. Ótimo. Pretendo conhecer São Luis, Alcântara e os lençóis em outubro. Aliás vc acha que lá pelos dias 12-14 de outubro consigo encontrar as lagoas ainda com água??

Estou aguardando anciosamente o restante do relato.

Att.

Suéllen

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

fico contente q vcs tenham gostado.

 

ainda tem:

a parte 2 - Lençóis Maranhenses

a parte 3 - Delta do Parnaíba

a parte 4 - Sete Cidades

a parte 5 - Serra da Capivara

e talvez a parte 6 - Teresina. A dúvida é por que Teresina nao é exta/te turistica e nao tenho mto p/ falar dela...

 

como vcs viram eu escrevo bastante, entao o relato nao tá rendendo :)

 

respondendo: Em Saõ Luis, reserve 1 dia p/ Alcantara e 1 dia p/ o Centro Historico.

Qto aos Lençois, depende do tempo q tiver e do pique p/ encarar coisas mais aventureiras ou não, isso vai ditar se é melhor escolher Barreirinhas ou Santo Amaro. Posto mais detalhes no outro relato.

 

acredito q em outubro, a maioria das lagoas já tenha secado, mas sempre existe aquelas q ficam o ano todo c/ água. Meu sobrinho foi no final/começo do ano e adorou. Acho q vc tem q aproveitar o q pode e qdo pode. Boa viagem!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olà, seu relato foi otimo mesmo!

daquì a duas semanas vou viajar com alguns amigos italianos (eu tambèm sou, por isso desculpe o portugues) para conhecer os lençois maranhenses. Passaremos là mais ou menos 5 dias e tava pensando em conhecer o delta do parnaiba. tem alguma sugestao? vale a pena? o que tem de interessante là? Na verdade a minha intençao era de fazer a travessia dos lençois, porèm eu li que demoraria mais de 5 dias. Vc sabe por acaso se dà pra fazer esta travessia em 3 dias? O tempo que temos è pouco, infelizmente... e pra mim è a primeira fez no Maranhao!

 

aguardo sugestoes!!

 

Anna

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Anna,

 

seu portugues é muito bom!

eu particularmente achei Delta do Parnaíba sem graça depois dos Lençóis. Eu não recomendaria, mas tudo é questão de gosto, tem gente que acha lindo. O passeio mais famoso lá é o de barco com caranguejada que passa pelo Delta. O lugar é bonito, mas parece um pouco com o mangue que vemos no passeio pelo Rio Preguiças, em Barreirinhas. Acho q seria bonito mesmo é fazer um sobrevoo pelo Delta, para poder ter ideia de toda a imensidão do lugar, mas pelo q sei ninguem oferece esse passeio por lá.

depois de Delta você vai para Jericoacoara? Esse lugar é bonito.

 

quanto a travessia, não fiz, mas parece q são 3 dias.

tem q ter preparo físico para andar e o sol judia um pouco, principalmente se nao estiver acostumado ao calor brasileiro.

 

estou preparando a parte do relato q fala de Lençois e do Delta, mas ainda nao está pronto.

se voce precisar de alguma coisa, posso adiantar algumas partes do relato para você.

Nos Lençois, eu fiquei hospedada em Santo Amaro, Barreirinhas e Atins. Fiz vários passeios, só não fiz a travessia...

 

boa viagem!

 

Olà, seu relato foi otimo mesmo!

daquì a duas semanas vou viajar com alguns amigos italianos (eu tambèm sou, por isso desculpe o portugues) para conhecer os lençois maranhenses. Passaremos là mais ou menos 5 dias e tava pensando em conhecer o delta do parnaiba. tem alguma sugestao? vale a pena? o que tem de interessante là? Na verdade a minha intençao era de fazer a travessia dos lençois, porèm eu li que demoraria mais de 5 dias. Vc sabe por acaso se dà pra fazer esta travessia em 3 dias? O tempo que temos è pouco, infelizmente... e pra mim è a primeira fez no Maranhao!

 

aguardo sugestoes!!

 

Anna

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigada pela resposta!

entao è o seguinte: chegaremos em sao luis o dia 7 de setembro (pela tarde) e voltaremos (moramos perto do Recife) o dia 12. Isso significa que nossos dias plenos sò serao 4. Pensamos em passar a primeira noite em sao luis, pra conhecer um pouco a cidade historica, esperando que tenha alguma coisa legal pra fazer (deve ser a capital do reggae, nè?). Pensamos em alugar um carro, sendo que temos poucos dias e nao queremos perder muitas horas nos transportes (jà to acostumada e demoram muuuuito). Assim, acho que jà o dia 8 nos aproximaremos ao lençois. Agora vem as duvidas: li que è melhor ir atè Atins, e de là fazer um passeio legal, as lagoas sao bonitas do mesmo jeito e sao menos turisticas. Eu gosto muito disso, nao amo aquela bagunça turistica que sò incomoda. E' verdade que è assim mesmo? Barreirinhas è muito turistica?

Por favor, pode me aconselhar como ocupar nossos 4 dias uteis là nos lençois? como vc nao foi a primeira pessoas que me disse que o delta do parnaiba nao è nada demais pensei em nao ir mais. A travessia dos lençois deve ser muito boa, sò que nao temos aquì o equipamento necessario. treinado somos, sò que estamos mais acostumados com as montanhas e as temperaturas frias. Pra mim que jà moro aquì faz tempo pode nao ser um problema, mas estou com medo para meus amigos. Entao ainda nao decidi.

Jeriocoacoara nada! Por dois motivos: 1. fica longe demais, nao daria tempo de ir, curtir e voltar (sendo os lençois nosso objetivo principal) . 2. acambaram de voltar de là uns amigos da gente, e falaram que o 80% de quem mora là (ou trabalha ou è turista..) è italiano... entao nao, deus me livre!! Italianos por todo lado!! ::dãã2::ãã2::'> :D

 

Como vc passou varios dias por aì talvez possa me sugerir alguns passeios legais, ou o que merece mesmo ser visitado, sabendo que nossos dias sao poucos.

 

Obrigada jà pela ajuda!!!!

Anna

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O dia em que chegar, deixa as coisas no hotel e corre p/ o centro histórico, aproveita o final de tarde e à noite lá. Não tenho muitas informações a respeito da noite, das baladas, pois sou mais de curtir as belezas naturais durante o dia e dormir cedo. Não sou de festa...

 

Não fiz a travessia, não sei se precisa de muita coisa. Não sei se dá para dormir e comer nas comunidades no meio do caminho. Se for assim, não precisaria de muita coisa, mas você teria que pesquisar. E como são poucos dias, não sei se compensa.

 

Com poucos dias, definitivamente eu cortaria o delta. Com poucos dias o roteiro tem que ser curto, senão você não aproveita nada. Jericoacoara também é longe. Acho que é melhor ir noutra oportunidade e via Fortaleza, que é mais fácil e menos caro o transporte.

 

Quanto aos Lençóis, em primeiro lugar você tem que decidir para onde ir. Depois posso dar sugestões de passeios. E você analisa se precisa alugar carro ou não.

 

Barreirinhas é mais fácil de chegar. Tem vários hotéis e restaurantes. Tem mais infra-estrutura. Tem mais turista também. Não sei como fica no feriado, se lota muito. Fui em julho, férias escolares, é alta temporada, tinha bastante gente, mas não estava insuportavelmente cheio.

 

Santo Amaro é mais demorado para chegar, menos confortável também. Tem menos pousadas e restaurantes. A cidade é pequena, não tem saneamento básico, ou seja, não tem água tratada e encanada. Se não me engano as pousadas tem poços. Não é feito para quem tem frescura. Tem menos turista.

 

Atins é um povoado de Barreirinhas. É bem menor que Santo Amaro, tem poucas pousadas e restaurantes. É tudo bem rústico e simples. Mesmo na melhor pousada do local, não tem ar condicionado, TV, frigobar, chuveiro elétrico. Esqueça os confortos da civilização.

 

As lagoas e as dunas são bonitas em todos os lugares, mas a percepção de beleza pode mudar pela quantidade de outros turistas “poluindo” o ambiente.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...