Ir para conteúdo

Rússia - Moscou e São Petersburgo em 10 dias


digobora

Posts Recomendados

  • Membros

Pessoal, segue relato de minha viagem feita em Outubro/2011 com minha esposa para Moscou e São Petersburgo. Espero poder ajudar a quem ainda vai conhecer esse lugar muito doido que é a Rússia. Comecei a escrever logo que chegamos, mas só agora me empolguei para terminá-lo.

 

Nossa viagem foi planejada por muitos meses e por isso sabíamos de antemão o que queríamos fazer cada dia, e foi quase tudo conforme planejado. Foram +ou- 4 dias em Moscou e 6 dias em são Petersburgo (Leningrado). Acredito que a distribuição ideal de dias entre as 2 cidades sempre vai privilegiar São Petersburgo. Era a capital do Império Russo, não dá pra ficar poucos dias por lá.

 

A viagem contemplava uma conexão de dia todo em Madrid, mas como não é o foco, vou ignorar essa parte.

 

Ao invés de descrever cronologicamente a viagem, vou colocar aqui a sequencia de lugares que visitamos e em seguida comentar cada um dos itens que considero importantes pra quem vai pra lá, de modo que fique um texto mais objetivo.

 

Dia 1 – Chegada a Moscou, ir para o Hotel e reconhecer a área

Dia 2 - Praça Vermelha de manhã, Shopping Gum, Mausoléu do Lenin, visita ao Kremlin, Rua Arbat, trocar o ticket do passeio de barco no píer do hotel Radisson, Shopping Evropeisky pra comer alguma coisa, Praça Vermelha à noite

Dia 3 – Gorky Park, Obelisco do museu do Cosmonauta, Roda Gigante no VNDKh, Parque VDNKh, trocar o ticket da internet pelo ingresso no Bolshoi, bar CHE

Dia 4 – Kremlin de Izmailovo, Feira de Izmailovo, trem para São Petersburgo. À noite umas voltas pela Nevsky Prospekt e Catedral de Nosso Senhor do Sangue Derramado, restaurante de comida japonesa com nome impronunciável na Nevsky

Dia 5 – Andar pelas ruas, Praça do Palácio de Inverno, Coluna de Alexandre, Palácio Strogonoff, Catedral de Kazan, Catedral de Santo Isaac, Cavaleiro de Bronze (Pedro, o Grande), à noite comer o legítimo strogonoff num restaurante com nome louco

Dia 6 – Pushkin (Tsarskoe Tselo – Palácio de Catarina), interior da Catedral de Nosso Senhor do Sangue Derramado, jantar no restaurante Teplo

Dia 7 - Fortaleza de Pedro e Paulo, Hermitage, loja do Zenit na Nevsky, depois restaurante de comida japonesa com nome esquisito

Dia 8 – Peterhof, Catedral São Pedro e São Paulo, peregrinação por vários pubs e bares próximos à Nevsky

Dia 9 – Última voltinha na Nevsky, avião pra Moscou, Bolshoi à noite

Dia 10 – Rua Arbat pra comer no My My, Praça Vermelha de novo, colocar nosso cadeado na Luzhkov bridge (ponte com as Love Trees), Passeio noturno de barco pelo Rio Moscou.

Dia 11 – Pegar o voo de volta :cry:

 

20120428223038.JPG

Avião da S7 no aeroporto de Barajas - Madrid

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 68
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

Chegando em Moscou: se você está chegando no Domodedovo, prepare-se para o caos. Ao chegar ao aeroporto vc vai dar de cara com duas opções de imigração. A primeira é uma sala não muito grande cheia de gente, sem fila alguma, uma zona, todo mundo se matando pra passar pelos poucos guichês (acho que uns 5). As placas dizem que essa sala é para os estrangeiros. Quando cheguei fiquei perdido, acho que só tinha 1 guichê com um policial e todo mundo se olhando com cara de quem não está entendendo nada. Há 2 escadas rolantes dentro dessa sala, elas levam para um andar de cima onde também é feito o controle da imigração, mas para os cidadãos russos, de acordo com as placas. Abordamos uma policial e ela falou pra subirmos porque seria mais rápido. Achamos estranho, mas seguimos a orientação e fomos para o andar onde, teoricamente, seria para os russos. É um salão imenso com muitos guichês atendendo. Havia muita, mas muita gente mesmo nesse salão. Foi a primeira das muitas vezes que comprovamos que o russo não respeita fila. Eles realmente não querem nem saber, vão passando na frente e os outros que se lasquem. Enfim, não tem o que fazer, é ir andando junto com a multidão até ser atendido em um guichê. Os brasileiros que estavam no mesmo voo passaram pela mesma sala e deu tudo certo.

Saímos de lá, pegamos as malas, que a essa altura já estavam todas jogadas no chão fora da esteira, e saímos para procurar o taxista que já estava contratado. Se você está chegando à noite, sugiro que faça o mesmo. Contratei o serviço pelo site WayToRussia.net e foi tranquilo demais, atendimento excelente. Recebi até SMS lá dizendo que o taxista já estava esperando na saída do desembarque (meu cel é TIM) com uma placa escrito meu nome. Ao contratar o serviço você escolhe o que estará escrito na placa. O valor até o centro de Moscou vai ficar em uns 100 reais, é bem longe, dá 1h mais ou menos. Optei por pagar uns 15 reais a mais para ter um motorista que falasse inglês, o que foi ótimo, pois fomos conversando com o cara super gente fina durante todo o trajeto e tiramos um monte de dúvidas que restavam. Além disso, se tivéssemos algum problema poderíamos resolver diretamente com o cara. Esse serviço só pode ser pago em dinheiro, se tentar pagar pelo próprio site com cartão do Brasil, mesmo que seja Internacional, vai dar erro. Mas se você estiver chegando durante o dia, pegue o Aeroexpress, vai ser bem mais barato, nós o pegamos quando voamos de volta a partir de São Petersburgo. Trata-se de um trem que tem como única função conectar o aeroporto ao centro de Moscou e sai a cada 30 minutos. É super tranquilo, procure a placa escrito Aeroexpress, vc vai achar os caixas eletrônicos, que tem menu em inglês e são simples demais. Em 3 minutos vc emite a passagem com seu cartão de crédito e embarca no trem. Outra opção é comprar direto no site, daqui mesmo do Brasil (http://www.aeroexpress.ru/en). Você chega lá com o papel impresso e passa no leitor da roleta, ou simplesmente abre o código de barras QR recebido no seu celular e encosta a tela dele no leitor da roleta. O Aeroexpress é um trem moderno, espaçoso, muito bacana, te deixa direto na estação Paveletskaia, o trajeto leva 45 minutos.

 

20120427171529.JPG

A "fila" da imigração

 

20120427180153.JPG

O aeroporto Domodedovo

 

20120427180345.JPG

Entrando em Moscou

 

Hotel em Moscou: ficamos hospedados no ótimo Izmailovo Gamma Hotel, um dos 4 prédios de um complexo de hotéis construídos na década de 80 para as olimpíadas, diária +- 145 reais com antecedência pelo Booking.com, sem café da manhã. O café da manhã é imenso, esquisito (para um brasileiro) e caro (dava uns 50 reais pra 2 pessoas). Comemos lá só uma vez, nos outros dias comprávamos iogurtes e biscoitos em um minimercado do próprio Hotel. O hotel é excelente, além de ficar do lado da estação de metro Partisanskaia e do melhor lugar de Moscou para comprar souvenirs, a feira de Izmailovo. Da estação Partisanskaia até a Praça Vermelha são apenas 5 estações sem baldeação, é bem rápido e tranquilo. A menos que você queira ficar se embriagando até de madrugada e voltar a pé para o hotel, não creio que compensa pagar caro por hotéis meia boca e com banheiro compartilhado só pra ficar perto da Praça Vermelha. Informação muito importante pra quem pretende ficar neste hotel ou ir na feirinha de Izmailovo comprar lembranças: Essa estação de metro mudou de nome, na hora fiquei doidinho, até me dar conta que meu mapa estava desatualizado. Ela se chamava Izmaylovsky Park, agora o nome é Partisanskaia!

 

20120427181031.jpg

Hotel Izmailovo

 

20120427181222.JPG

Estação Partisanskaia do lado do Hotel

 

Metro em Moscou: Uma estação mais linda que a outra, e o mais legal é que são bem diferentes umas das outras, o que dá mais vontade de sair conhecendo uma por uma. Tinha lido em algum lugar que as mais bonitas são as da linha marrom, mas achei todas bonitas demais. É imprescindível ter em mãos um mapa atualizado contendo os nomes das estações tanto em cirílico e na escrita fonética. Apesar de não ter nada em inglês, acredite, é bem simples andar pelo Metro de Moscou. Funciona como qualquer outro lugar, você vai saber o sentido olhando uma placa que fica pendurada na chegada de cada plataforma. Do lado esquerdo tem um trajeto, do lado direito outro, aí é só ler a sequência no mapa na sua mão e saber qual pegar, não tem como errar. É tudo em russo, mas acredite, é bem simples mesmo. Você vai aprender rapidinho que выход = SAÍDA e вход = ENTRADA.

 

20120427181407.JPG

Metro de Moscou: parece complicado mas não é

 

20120427181522.JPG

Não precisa entender o que se fala nos alto-falantes, as luzes vão se acendendo à medida que as estações passam

 

Atravessando as ruas de Moscou: Fique esperto, lá tem muitas passagens sob as largas avenidas, não vai dar uma de doido e tentar atravessar correndo. Quando vc achar uma avenida que parece não ter faixa de pedestres, procure pelas placas com indicação de passagem subterrânea.

 

20120427182141.jpg

Passagem por baixo da avenida

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Praça Vermelha: vale a pena ir durante e dia e à noite, a iluminação é uma coisa de doido... não entramos na Catedral de São Basílio, um colega falou que não tem nada demais.

 

20120427183242.JPG

A praça vermelha à noite

 

20120427183601.JPG

Catedral de São Basílio

 

Kremlin: A visita ao Kremlin é muito bacana, todas as catedrais lá dentro são bonitas demais por dentro e por fora. Não é permitido tirar foto no interior delas. Sugiro que leia antes sobre as catedrais, o sino, a torre de Ivan, o canhão, pois cada um tem uma história, o que deixa o passeio bem mais interessante. Não pode entrar de mochila no Kremlin, tem um guarda volume do lado de fora, bem perto da bilheteria, basta descer umas escadas. Lá perto tem banheiro também. O feminino é onde estiver escrito um negócio parecido com um asterisco. Curiosidade: tem vários Kremlins na Rússia, só que o de Moscou é o mais famoso, por ser a sede do governo.

 

20120427183921.JPG

Praça das Igrejas dentro do Kremlin

 

Shopping Gum: Um Shopping Center só com lojas de grife, tudo é caríssimo. Antigamente era um centro comercial com lojas estatais. O mais cômico é ver esse símbolo do capitalismo de frente para o Mausoléu do Lenin.

 

20120427184141.JPG

Shopping Gum. Pense num lugar caro.

 

Mausoléu do Lenin: É grátis e imperdível, apesar da fila demorar muito e o passeio de fato durar apenas uns 20 segundos. A fila começa do lado do Museu Russo, tente chegar cedo, pois a fila vai ficando gigante. Não pode entrar com bolsa, celular, nada. Ao chegar perto do detector de metais os policiais vão mandar vc deixar suas coisas no guarda volumes que fica no museu russo, tem que pagar, é barato mas não me lembro quanto foi. Os policiais que ficam ali dão medo, são sinistros. Não faça a asneira de jogar nada no chão ou sentar na corrente que separa o ambiente do mausoléu e a praça, senão vai tomar um esporro daqueles. Os guardas andam com um apito, eles tocam alto e vão andando firme em direção à pessoa que está, no entendimento deles, desrespeitando. Tire o chapéu antes de entrar no Mausoléu e não cochiche lá dentro, senão toma esporro de novo. Entrando você vai passar ao redor do corpo do Lenin, envolto por uma estrutura belíssima, é bem perto e tem que continuar andando, não pode parar. Fui comentar algo com minha esposa na hora e o guarda apontou o dedo na minha cara fazendo assim: ssssshhhhhhhhhhhhhhhhh!!!!!!!!! Curiosidade: uma das mãos do Lenin está fechada porque está sem as pontas dos dedos. Não lembro como foi, li em algum lugar que ao manusearem o corpo aconteceu algo que as pontas foram acidentalmente arrancadas.

 

20120427185210.JPG

A estrutura dentro do Mausoléu do Lênin é bonita, mas o clima é pesado

 

Museu Russo: não fomos porque tinha lido em algum lugar que tudo lá dentro é escrito em cirílico, então não entramos.

 

20120427184404.JPG

Parte de trás do Museu Russo

 

Arbat Ulitsa (Rua Arbat): Dá pra ir a pé do Kremlin, é uma rua de lazer muito bacana, artistas vendendo seus quadros, cds, artesanato, tem muitos restaurantes, entre eles o Hard Rock Café. Tem um restaurante chamado My My que nos foi indicado por um taxista. É uma rede espalhada pela cidade, fácil de identificar, pois sempre tem uma vaca malhada na frente. É quase um self-service, você aponta o que quer e moça coloca na sua bandeja, comida deliciosa e preço bom, dá tipo uns 20 reais por cabeça. Ainda sobre a rua Arbat, não se empolgue com as lembranças lá, deixe pra comprar na feirinha de Izmailovo pela metade do preço.

 

20120427184803.JPG

Na rua Arbat tinha uns caras muito loucos vestido de soldados e com máscara de gás correndo de um lado pro outro

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Gorky Park: É tipo o Central Park deles. É gigante e bonito, mas não creio que seja um passeio imperdível. Um russo me falou que eu poderia ter aproveitado esse tempo pra ir a outro parque que não lembro o nome agora. De qualquer forma não me arrependi de ter ido, é um passeio agradável, porém demanda muito tempo. Lá tem uma espaçonave (tipo a Space Shuttle dos EUA) que era uma unidade de testes da época da União Soviética, dá a impressão que não é muito bem cuidada. Na ocasião havia uma montanha russa (literalmente) em construção lá. Também é possível alugar bicicletas no Gorky Park para andar lá dentro, eu quis fazer isso, mas as placas do guichê estavam em cirílico e não tinha ninguém lá tomando conta, acho fomos muito cedo, não sei ao certo.

 

20120427190044.JPG

Entrada do Gorky Park

 

20120427190641.JPG

Espaçonave no Gorky Park

 

20120427190837.JPG

 

 

Museu do Cosmonauta: Fica ao lado do Parque VDNKh. Era uma das coisas que eu mais queria ver em Moscou, mas eu sou um cavalo e deixei pra ir numa segunda-feira, justamente o dia que o Museu não abre. Planejei a viagem durante 8 meses e cometi esse erro bobo de não verificar se o museu fechava na segunda... queria muito ter entrado, porque gosto de astronomia e porque dizem que é incrível lá dentro.

 

20120427191128.JPG

Obelisco em cima do Museu do Cosmonauta

 

VDNKh: Não sei bem qual é a história desse lugar. Só sei que é um enorme parque de exposições com um pequeno parque de diversões em anexo, onde tem uma roda gigante bem antiga, fomos nela, é legal porque dá uma visão boa das coisas ao redor, é bastante alta. No parque VDNKh tem um monte de pavilhões, são belas construções, todas grandes, pelo que entendi cada um representando um estado da antiga USSR. Dentro desses pavilhões funcionam feiras ou lojas, que vendem desde roupas e tapetes até peças de ouro e talheres de prata antigos. Tem um pavilhão, acho que o único de madeira, que vende aqueles tecidos gobelin, bons pra comprar e fazer quadros. Compramos um gobelin da Catedral de Kazaan e um porta revistas dobrável lá, esse último por uns 35 reais. Enfim, é um passeio que demanda tempo e disposição, eu não costumo me cansar em viagens, mas nesse dia meu pé tava pedindo arrego, o lugar é realmente grande. Já reparei que algumas reportagens da Globo são feitas nesse parque, tendo como fundo uma fonte dourada (Fonte da Amizade dos Povos). Ainda no parque há uma cópia do foguete russo Vostok, que levou o primeiro homem ao espaço (um russo) e um avião todo coberto com uma pintura dedicada à vitória soviética na 2ª guerra mundial. São desenhos de tanques, soldados com armas e uma mulher costurando uma imensa bandeira da USSR. Parece que o avião é um modelo criado pelos russos e utilizado na guerra.

 

20120427191847.JPG

Parque VDNKh visto da roda gigante

 

20120427192021.JPG

Foguete Vostok

 

20120427192217.JPG

Sangue nos zóio

 

20120427200504.JPG

Lênin

 

Bar Club CHE: Um barzinho que tinha ouvido falar em uma comunidade do Orkut sobre a Rússia, fica perto do prédio da KGB e tem a cara do Che Guevara na fachada. Chegamos lá e fomos praticamente enxotados. Abri a porta, que parece aquelas de incêndio, tinha 2 caras mal encarados na entrada. Fiz a burrada de mandar um “English?”. Aí um deles fez cara feia do tipo “putz, malditos gringos” e o outro que estava sentado falou “english is baaaaaaaad” com a cara mais porca do mundo. Falei pra ele que poderíamos conversar em português se ele quisesse, aí notei que o clima ficou pesado e preferimos picar a mula dali.

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Kremlin de Izmailovo: É um Kremlin que fica atrás do complexo de Hotéis Izmailovo. Esse Kremlin multicolorido é um centro de entretenimento e cultura. No dia que escolhemos pra ir estava chovendo e era cedo, então não havia nada aberto, infelizmente. Lá dentro tem um palácio para casamentos, um palácio de madeira com restaurante, museu da Vodca, museu de brinquedos, palcos para apresentações, igreja, entre outras construções que não entendemos a finalidade.

 

20120428223534.JPG

Izmailovo Kremlin

 

20120428223629.JPG

Um dos palácios

 

Feira de Izmailovo: Trata-se de um mercado (Izmailovo Market) com trocentas bancas vendendo coisas pela metade do preço da Rua Arbat. Funciona todos os dias, mas fim de semana é que tem mais bancas abertas. Tinha um cara vendendo uma AK-47 por 1900 rublos, falei que era do Brasil, ele abriu um sorriso de todo tamanho e deixou eu tirar uma foto com a metralhadora. Pechinchar lá é bem fácil também, quem tem facilidade consegue ótimos descontos. É aquilo, quanto maior o seu desinteresse, maior o desconto.

 

20120428224154.jpg

Matrioskas na feirinha de Izmailovo

 

20120616100721.JPG

hheheheh

 

20120616100132.JPG

O vendedor disse que ainda funcionava

 

Sapsan: (trem bala entre Moscou e São Petersburgo): É um dos meios mais caros entre Moscou e São Petersburgo. Quis ir pela experiência e achei que foi legal. A compra do bilhete foi feita pelo WayToRussia.net. Esse site, além de possibilitar a compra, tem explicação de todos os trens disponíveis entre as duas cidades, e são muitas opções, tem pra todos os bolsos e gostos. O Sapsan é muito confortável e moderno, demora 3h45m para fazer a viagem, ele não fica o tempo todo na velocidade máxima, fica variando entre 195 km/h e uns 240 km/h, pelo que puder perceber. A paisagem não tem grandes coisas, é bonita, porém não muda, sempre o mesmo tipo de árvore do início ao fim, nenhuma montanha ou morro. Uma coisa que me chamou a atenção é que todas as cidadezinhas que passavam não tinham asfalto. Eu via muitas casas boas, mas tudo estrada de terra, achei curioso. Esse trem tem um vagão-restaurante, mas só comprei coca-cola e café, não lembro o valor das comidas. No dia de pegarmos o trem aconteceu uma situação engraçada e tensa ao mesmo tempo. Para acessar a plataforma é necessário passar pelo detector de metais, inclusive as malas, como se fosse no aeroporto. Quando fui passar a minha mala, a mulher que estava operando fez uma cara estranha e chamou um cara que estava ao lado. Eles olharam para o monitor, conversaram entre si e chamaram um policial. Eles começaram a falar umas coisas pra mim e eu não entendendo nada, óbvio. Aí mandei um “ia ni panimaio parusqui” (não entendo russo). Nisso foi juntando mais policiais, nenhum deles com cara de bons amigos, eram uns 5 no total. O cara me chamou, apontou para o monitor e falou nervoso: METAL! BALL! METAL BALL! Aí olhei e realmente tinha 2 objetos redondos parecendo uma granada. Na hora fiquei muito tenso, veio um monte de coisas na minha cabeça, pensei que alguém ali tinha colocado granadas na minha mala, que era algum golpe, sei lá, pensei mesmo que ia dar m3rda. Aí um policial gigante falou algumas coisas pra mim, apontou pra minha mala e depois pra uma mesa, como se ele me mandasse colocar a mala lá, aí fiz isso. Quando eu ia abrir ele empurrou meu braço e começou a abrir a minha mala, quando finalmente eu lembrei o que era e falei para os policiais: FABERGÉ!!!! FABERGÉ EGGS!!! Aí um deles entendeu o que eu disse, falou algo com os demais e de repente todos caíram na gargalhada, inclusive eu, que já estava quase me cagando. Os ovos Fabergé eram uma tradição na troca de presentes entre membros da família imperial russa e depois se popularizou, agora vendem como souvenires, esses eu tinha comprado na feira de Izmailovo. Curiosamente, na volta de avião para Moscou, ninguém questionou no aeroporto.

 

20120428224453.JPG

Sapsan

 

20120428224610.JPG

A vista da janela do trem era quase sempre igual a essa

 

Hotel em São Petersburgo: Ficamos no Nevsky Hotel Aster, um hotel muito recomendado no TripAdvisor. Pagamos 88 reais com café da manhã incluso pelo EasyToBook.com. A localização deste hotel é perfeita, pertinho da Nevsky Prospekt, da Catedral do Sangue Derramado, vários bares, casa de câmbio, farmácia, entre outros.

 

20120428225018.JPG

A rua tranquila do nosso hotel

 

Metro de São Petersburgo: Ao contrário do metro de Moscou, esse tem informações e placas em inglês. Fique esperto, tem muitos relatos de batedores de carteira, portanto carregue em um local de difícil acesso. Não tem muito o que falar, é um metro fácil de andar como qualquer outro, mas usamos poucas vezes, visto que a maioria das atrações de St Petersburg estão bem próximas umas das outras.

 

20120616095512.JPG

Estação do metro em São Petersburgo. Há portões de metal para o embarque no trem.

 

Comida japonesa em St Pete: tem um restaurante na Nevsky, quase em frete à loja Zara, que tem uma ótima comida e preços razoáveis. O ambiente é muito bom também, gostamos tanto que fomos umas 3 vezes lá tomar sopa, comer comida japonesa e beber Baltika. Como não sei escrever o nome, estou colocando o link do Google Street View, é um restaurante com toldos vermelhos. http://maps.google.com.br/?ll=59.935817,30.323231&spn=0.006439,0.01929&t=h&z=16&layer=c&cbll=59.9358,30.323381&panoid=K-aVLXBdzzv0Xxw7UE_Y9A&cbp=12,340.36,,0,1.54

 

Catedral de Kazan: Foi a primeira coisa impactante que vimos em São Petersburgo. É uma construção muito bonita, pena que é tudo escrito em cirílico. Me pareceu uma mistura de Igreja com Museu. Lá dentro tem umas bandeiras e chaves das fortalezas francesas, de quando Napoleão tomou uma enrabada da Rússia e as tropas russas tomaram esses objetos.

 

20120616095914.JPG

Interior da Catedral de Kazaan. Nas Igrejas Ortodoxas não há imagens, apenas ícones (pinturas).

 

20120616100401.JPG

Catedral de Kazaan

 

Catedral de Santo Isaac: Não deu tempo de conhecer, no dia que fomos estava fechada, era uma quarta-feira. Sei que dá pra subir no topo dela por uma escadaria e ter uma boa visão da cidade. Também lá funcionava, por incrível que pareça, o Museu do Ateísmo, mas não sei dizer se ainda tem isso. Essa Catedral também foi utilizada na época da Guerra como esconderijo para peças valiosas do Palácio de Catarina, quando os alemães estavam arrebentando tudo por lá. Essa informação eu li num dos impressionantes quadros, com fotos reais da época, na saída do Palácio de Catarina (Tsarskoe Tselo).

 

20120616101158.JPG

Catedral de Santo Isaac

 

Pushkin (Tsarskoe Tselo – Palácio de Catarina): Esse é sem dúvida um dos lugares mais bonitos que já fui. O Peterhof é muito bonito, ok. Mas o Palácio de Catarina realmente é coisa de outro mundo. O interior do palácio deixa qualquer um impressionado. Os jardins são muito bem cuidados. Além disso, o lugar tem uma história muito rica, primeiro pela própria época do Império, depois pelos nazistas invadindo aquilo, quebrando e roubando tudo no cerco a Leningrado. No interior do Palácio de Catarina foi onde mais senti falta de um guia, ou pelo menos um audioguide, desses que se baixa o mp3 e vai ouvindo (só fui descobrir que dá pra alugar no próprio palácio quando já tinha voltado). Se você vai, tente contratar, vale a pena, pois são muitos cômodos, muitos quadros, tetos pintados, ficamos sem saber sobre os detalhes de muita coisa ali, infelizmente. Pra chegar lá é muito fácil e não precisa pagar uma fortuna para agências te levarem. Pegue o metro, salte na estação Moskovskaya (cuidado pra não confundir com outras estações de nome parecido: Mayakovskaya ou Moskovskiye vorota) e no mesmo lado da avenida procure as minivans número 342 ou 545. A que fomos tinha um adesivo TSARSKOE TSELO, vai ser muito mais barato que pelos ônibus de agência. Na hora de voltar é um pouquinho mais chato. Saímos de lá, paramos num ponto de ônibus onde tinham 2 mulheres e arrisquei: Gde metro? (onde é o metro?). É claro que eu sabia que não havia estação por perto, mas certamente elas entenderiam que eu queria dar um jeito de chegar no metro. Elas falaram umas 10 frases e viram que não entendi nada. Aí veio a prova de novo que o povo russo é gente boa. Elas deixaram o ponto de ônibus (coberto) e foram andando na chuva fina e fazendo gesto pra segui-las. Depois de 3 quarteirões elas pararam em outro ponto de ônibus conosco e falaram mais um monte de coisas que não entendemos nada. Aí veio um ônibus com um adesivo do metro na janela e elas apontaram, tentando dizer que era aquele. Falamos vários “spasibo” (obrigado) e fomos. Saltamos na estação do metro com muita facilidade. O caminho exato para sair do Palácio de Catarina e chegar a esse ponto de ônibus é esse do link abaixo, fica de frente a uma praça com um igreja bonita: http://maps.google.com.br/maps?saddr=%D1%83%D0%BB.+%D0%A1%D0%B0%D0%B4%D0%BE%D0%B2%D0%B0%D1%8F&daddr=%D1%83%D0%BB.+%D0%9E%D1%80%D0%B0%D0%BD%D0%B6%D0%B5%D1%80%D0%B5%D0%B9%D0%BD%D0%B0%D1%8F&hl=pt-BR&ie=UTF8&ll=59.717713,30.404835&spn=0.006481,0.01929&sll=59.719255,30.408247&sspn=0.003787,0.009645&geocode=FTI2jwMdPNTPAQ%3BFdo-jwMd5P_PAQ&t=h&mra=mift&mrsp=1&sz=17&z=16

 

20120616101841.JPG

Dentro da belíssima Van pra Pushkin. Aquele extintor caiu umas 2 vezes na escada rs

 

20120616101445.JPG

Palácio de Catarina (Tsarskoe Tselo)

 

20120616102209.JPG

Palácio de Catarina (Tsarskoe Tselo)

 

20120616102329.JPG

A modesta entrada

 

20120616102539.JPG

A pintura no teto desse salão é coisa de louco...

 

20120616102740.JPG

Somente uma das dezenas de salas do Palácio

 

 

Catedral do Sangue Derramado: Disparado a igreja mais bonita por dentro. Ela é toda feita de mosaicos, só vendo pra crer nos desenhos feitos com essa técnica. Atrás dela tem uma feira bacana pra comprar lembranças.

 

20120616103010.JPG

Catedral de Nosso Senhor do Sangue Derramado

 

20120616103215.JPG

Na boa, não dá pra acreditar que fizeram tudo com mosaico

 

Teplo: Um dos restaurantes mais bem recomendados no TripAdvisor, fomos lá pra comemorar o aniversário da minha esposa. O lugar é tudo aquilo que falam no Tripadvisor, comida boa pra caramba, especialmente o Strogonoff, ambiente bacana, diferente, cerveja gelada, gente de toda parte do mundo, de um lado pessoas conversando em alemão, do outro francês, bem louco, um lugar interessante pra ir. Fomos sem reserva e só conseguimos mesa por causa de uma desistência, o lugar não é grande. Fica perto da Catedral de St Isaac, que inclusive fica muito bonita iluminada à noite.

 

20120616103658.JPG

Um dos ambientes do Teplo

 

Fortaleza de Pedro e Paulo: Essa é na verdade a origem da cidade. É uma ilha que foi construída estrategicamente para defender a cidade de quem viesse pelo mar Báltico. Fomos até lá a pé, saindo da feirinha atrás da Catedral do Sangue Derramado e passando por uma praça toda gramada e com uma chama no meio, tinha muitos corvos lá, parecia aquelas trilhas sonoras de filme de terror. Atravessamos uma ponte e chegamos. Dentro da Fortaleza há um museu muito legal, não deixe de ir porque vale muito a pena, e uma catedral onde estão enterrados Pedro o Grande e Catarina. Os Romanov também estão enterrados lá, o problema é que não tem nada em inglês e fica difícil identificar. Os túmulos são todos de mármore, coisa de doido. Ainda na fortaleza há a antiga prisão, um passeio meio macabro, mas é legal.

 

20120616103948.JPG

Escolhendo um picolé antes de entrar

 

20120616104319.JPG

Entrada da Fortaleza

 

20120616104832.JPG

Catedral da Fortaleza

 

20120616105145.JPG

Um dos muitos túmulos dentro da Catedral. Não dava pra ter certeza, mas imagino que esses sejam dos Romanov. Pedro e Catarina não são, porque ficam perto do altar.

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Hermitage: Atração imperdível de São Petersburgo, o lugar é realmente enorme, nos perdemos muitas vezes lá. Fica até difícil dar uma dica de como aproveitar melhor esse lugar, porque se você vai à tarde já deve estar cansado, se for de manhã vai ter que sair mais cedo pra almoçar. O que eu diria é: vá descansado, porque a parada é tensa! Saímos de lá com os pés doendo, são muitos prédios, muita coisa pra ver. Compramos o ingresso de 2 dias, mas o cansaço acumulado nos venceu e não deu pra ir no segundo. Depois nos arrependemos de ter ido só 1 dia. Uma pena também que a maioria dos objetos expostos não tem legenda em inglês. Não há padronização e a sinalização é muito confusa. Pra comprar água é uma aventura, você nunca mais vai conseguir voltar no lugar que estava. Compramos os ingressos com antecedência pelo site do Hermitage para evitar pegar fila na hora, sugiro a quem for que faça o mesmo. 51 dólares o ingresso de 2 dias para 2 pessoas.

 

20120616110214.JPG

Hermitage

 

20120616110835.JPG

O Hermitage é manero demais e em toda sala tem uma vovozinha pronta pra te dar esporro

 

Peterhof: Fomos para o Peterhof da mesma forma que fomos ao Pushkin, metro + van. Pegue o metro e vá até a estação Avtovo (linha vermelha). Depois é só pegar uma van onde esteja escrito Peterhof ou Фонтаны, que é Fountains em russo, nome da parada de ônibus do Peterhof. É só levar esse nome impresso e mostrar pro motorista. Não precisei fazer isso porque quando vi a Catedral de São Pedro e Paulo sabia que era hora de saltar. Por falar nisso aproveite pra ir lá nessa igreja quando sair do Peterhof, ela é belíssima. Acho que fizemos esse passeio bem mais rápido do que o de Pushkin. De qualquer forma, são dois passeios imperdíveis. As fontes desse lugar realmente são incríveis. A do centro é a mais imponente, tem o jato mais alto e uma história interessante, ela representa a vitória da Rússia sobre a Suécia na Grande Guerra do Norte, trata-se do Sansão (a vitória de uma das batalhas foi no dia de Sansão) abrindo a boca de um leão (brasão da Suécia). Como quase tudo de valor na Rússia, a estátua original foi roubada pelos alemães na 2ª Guerra e a que se vê hoje é uma réplica. Na saída há uma pequena feira de lembranças, achei que as camisetas, assim como em todas as outras lojinhas que fomos na Rússia, eram de baixa qualidade. Dá pra ir pra lá por barco também, deve ser bem legal ir assim, mas lembro que ficava bem mais caro. Além disso, na época estava ventando forte demais e o mar estava muito mexido, preferimos não arriscar. Para os mais extravagantes, parece que a Baltic Airlines oferece transporte de helicóptero saindo da Fortaleza de Peter and Paul para o Peterhof, e o pior que é barato, tipo uns 40 dólares.

 

20120616135914.JPG

Frente do Peterhof

 

20120616140012.JPG

As fontes e o canal que desemboca no Golfo da Finlândia

 

20120616140404.JPG

Um dos vários noivos em Peterhof

 

20120616140209.JPG

Sansão em primeiro plano

 

20120616140614.JPG

Sinistro

 

20120616141153.JPG

Catedral de Pedro e Paulo, bem em frente ao Peterhof.

 

Bolshoi: Se vc quer se sentir pobre faça como eu, pergunte no bar do Bolshoi se tem cerveja. O garçom respondeu com um sorrisinho maroto que não tinha. Olhei pro lado e vi aquele monte de gente bebendo champanhe rs. Pra quem gosta de carros, tem lojas da Ferrari e Maserati bem perto do Bolshoi, seguindo em direção ao Prédio da KGB. Vou colar aqui o que já tinha postado no fórum Mochileiros:

Tem trocentos sites que vendem ingresso pro Bolshoi, curiosamente bem mais caro que o próprio site do teatro. Quando eu estava vendo isso fui orientado a comprar no site do Bolshoi mesmo e assim o fiz. Ficou 3200 Rublos o casal. A não ser que tenha mudado de setembro pra cá, você será direcionado para um site chamado Assist.ru (https://paysecure10.assist.ru) e lá vc paga pelo site com cartão de crédito e recebe um email de confirmação. Imprima esse email ou anote os números que vem nele, você vai precisar apresentá-los lá na bilheteria do Bolshoi para pegar o ingresso de verdade. Fiz isso alguns dias antes da data do espetáculo, não sei se dá pra fazer no dia. Se deixar pra fazer na hora prepare-se para uma fila gigante.

O e-mail recebido é assim:

 

Your order �338552 has been successfully authorised, and you can now collect it from the

Bolshoi Theatre box-office.

To receive tickets paid for by credit card you should:

1. Print out the booking certificate or write down its code and number.

No sooner than the day after completing and paying for your order and/or on any

subsequent day before the performance, collect the paid-for tickets at the Box Office

One (located in the Bolshoi Theatre Administration Building) from 11 a.m. to 3 p.m.

and/or from 4 p.m. to 8 p.m.

2.

Show your order code and number to the cashier, along with the credit card (or the

last 4 digits of its number) that you have used to pay for the tickets.

3.

4. Collect your tickets.

The box office of the Bolshoi Theater:

Working hours: from 11 a.m. to 3 p.m. and from 4 p.m. to 8 p.m.

Tel.: +7(499) 250-73-17 from 10 a.m. to 6 p.m.

Fax: +7(499) 250-73-17.

 

Compramos para o andar mais alto, era um dos mais baratos, mas dava pra ver tranquilo. Vão tentar te alugar binóculos, a gente fez a besteira de pegar, é desnecessário. Ao tirar fotos, o que por si só já é proibido, tire o flash, tomei um esporro bonito do segurança. Lá dentro não vende cerveja e é tudo caríssimo. As pessoas vão muito bem arrumadas. Se eu fosse de novo compraria um horário mais cedo. Não sei se foi uma impressão equivocada, mas achei o ambiente perto da estação de metro um pouco sinistro quando saí do teatro, era um domingo tipo umas 11 da noite.

 

20120616142212.JPG

Bolshoi

 

20120616142358.JPG

Visão de onde estávamos

 

Luzhkov bridge: É a ponte com as Love Trees, árvores de metal nas quais os namorados e recém-casados colocam cadeados personalizados representando sua felicidade, um costume dos moradores de Moscou.

 

20120616142523.JPG

Love trees na Luzhkov bridge. Nosso cadeado tá lá.

 

Radisson Cruise: Essa dica eu peguei num site gringo e foi uma das melhores. Existe um passeio de barco incrível pelo rio Moscou que dura umas 2,5 horas e tem jantar (opcional). Vale muito a pena fazer esse passeio, ele passa pelos principais pontos turísticos de Moscou, inclusive o Kremlin. Tem um píer na frente do Hotel Radisson e é de lá que os barcos saem. A comida é um pouco mais cara que nos outros lugares, mas nada absurdo. Pedimos uma salada e lasanha, que era bem mais ou menos, parecia congelada da Sadia. Nossa, tinha chopp da Erdinger, gostoso demais, tomei vários, na volta já tava meio grog. Pra quem passa mal em embarcações, não há motivo pra se preocupar, o barco vai andando muito suavemente.

Comprei pelo site deles e imprimi o cupom que eles me mandaram. Fomos lá uns dias antes passeio e trocamos os cupons pelos bilhetes definitivos, não sei se era obrigatório fazer isso. Para Outubro/11 o valor foi uns 75 reais por pessoa.

Site do passeio: http://radisson-cruise.ru/index_en.php?page=17

Pra chegar lá é necessário saltar na estação Kiyevskaya e ir a pé

 

20120616142750.JPG

Barco do passeio

 

20120616142855.JPG

Dentro do barco fica mudando de cores, doido demais

 

20120616143027.JPG

Percurso do passeio, passa pelos principais pontos turísticos de Moscou

 

********** Informações adicionais **********

 

Inglês: Esse é um tema controverso. Muitos alegam que ninguém fala nada de inglês lá. Eu digo que fui com isso na cabeça e me surpreendi como foi exatamente o contrário. Depois de alguns dias pensei comigo mesmo: peraí, onde não se fala inglês é no Brasil, estou conseguindo me comunicar aqui com muita gente! Faça essa experiência, vá ao McDonalds da sua cidade no Brasil e tente falar inglês. Enfim, a dica é: aborde jovens, suas chances serão bem maiores. Os vendedores ambulantes também falam o básico para negociação. Se eles não falam, mostram o preço na calculadora para te mostrar o valor. Em contrapartida achei que o inglês está muito pouco inserido nas atrações turísticas. Parece não haver preocupação se o turista vai entender ou não o que está exposto. No Hermitage somente algumas peças tem legendas em inglês, dá a impressão que começaram o trabalho e deixaram pela metade. Na catedral de Kazaan em São Petersburgo, belíssima por sinal, só encontrei uma única frase em inglês, colada numa na caixinha de metal: Offering for maintenance of Kazansky cathedral. É mole?

 

20120616143227.JPG

Frase em inglês dentro da Catedral de Kazaan

 

Simpatia: Não achamos os russos rudes, muito pelo contrário, bastante solícitos e preocupados em ajudar. Foram várias as vezes em que nos ajudaram sem que pedíssemos muito, às vezes ficávamos até sem graça do pessoal empenhado em fazer a gente achar determinado lugar. Grossos mesmo só os policiais, e mesmo assim não foi a maioria (tirei até foto com o policial que achou que tinha granada na minha mala). Uma dica para ganhar a simpatia deles: arrisque pequenas frases em russo, eles vão abrir aquele sorriso. Coisas como bom dia, boa tarde, obrigado, almoço, café da manhã, amigo, por favor, quanto custa, onde fica, se é longe, são fáceis de aprender e fazem a diferença na hora. Quando chamava alguém de drug (amigo) eles se amarravam.

 

20120616145313.JPG

Nós com uma vendedora muito gente boa em São Petersburgo, que nos explicou que existe o papai noel russo e o da Lapônia.

 

As mulheres: não tem aquele papo que na Rússia as mulheres são todas lindas? Pois é meu amigo, é a mais pura verdade. As mulheres lá realmente são lindas. E achei curioso o fato de que, mesmo com o frio do capeta, elas andam de mini-saia. Outra curiosidade, pelo menos entre jovens, é não haver pessoas gordas. É esquisito, mas simplesmente não há gente gorda lá, isso é bastante notável.

 

In Your Pocket: Trata-se de uma publicação bimestral com programação de eventos, restaurantes, dicas úteis, muito bom, recomendo baixar os PDFs de Moscou e de São Petersburgo, imprimir e levar.

Moscou: http://www.inyourpocket.com/data/download/Moscow.pdf

São Petersburgo: http://www.inyourpocket.com/data/download/st-petersburg.pdf

 

Guia de conversação Russo: Tem um guia muito bom da PubliFolha. É um livro pequeno, cabe no bolso e tem palavras e frases divididas por situações, por exemplo para usar em restaurantes, em hotéis, na rua etc. Muito útil. Levei muitos aplicativos de tradução para Android, mas me adaptei melhor ao livreto.

Segue o link:

http://publifolha.folha.com.br/catalogo/livros/136258/

 

Cachorro-quente: comemos uns hot-dogs bem diferentes láé gostoso. Parece um pão francês fininho com salsicha e um molho show de bola, tipo uma mostarda. Ao pedir refrigerante, é provável que vão pegar da prateleira e te entregar direto. Na volta para o Brasil fizemos conexão em Madrid, e lá quando pedi uma coca cola veio um copo com gelo, fiquei muito feliz na hora. Na boa, hoje em dia eu dou muito valor ao gelo rs

 

20120616140809.JPG

cachorro quente viciante

 

Subway: As coisas que você mais verá em Moscou são lojas do Subway e a cara do Lenin. Nas unidades do Subway que fui não conseguia entender nada mais além da palavra Pepsi, mas dá pra ir apontando e pedindo o que se quer, mesmo esquema aqui do Brasil.

 

Brigas: No terceiro dia já tínhamos visto 2 brigas e 1 confusão no metro, na qual uma policial partiu pra cima de um cara metendo o chute na canela porque ele tentou pular a roleta, foi muito engraçado, o cara voltou todo sem graça pra comprar o bilhete. Na primeira briga vimos 2 caras bem arrumados, um deles de terno, lutando como se estivessem no UFC. Na outra briga vimos um bêbado enchendo o saco de uma mulher no metro, ele perturbou tanto que ela partiu pra cima do cara e descendo a porrada, chute, soco, foi hilário, aí o cara desceu numa estação e a mulher foi atrás dele!!! Como também era a nossa estação continuamos vendo a mulher espancando o cara, até que ele conseguiu se levantar e saiu correndo feito um louco, rimos muito...

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Bêbados: impressionante a quantidade de bêbados cambaleando que vimos por lá, e não é mendigo não, é gente bem vestida e até mulheres. Um taxista muito gente fina estava explicando que os russos não sentem orgulho dessa fama e que o álcool é um problema social muito sério por lá. Foi por causa de um bêbado que descobri um costume interessante deles. Estávamos no trem de Moscou para São Petersburgo, quando fui comprar um café no vagão-restaurante. Nisso vem um bêbado em minha direção, não sei como ele conseguia se manter em pé, o cara tava em outro planeta. Ele veio cambaleando, caiu me abraçando e pisou no meu pé. Começou a falar um monte de coisas em russo e eu já pensando “isso não vai dar certo”. O cara começou a apontar para o pé dele e falando sem parar. Eu só repetia “it’s okay man, dont worry, it’s ok, no problem”. Mas ele continuava apontando para o pé dele, mostrando pra mim e tentando falar algo. Aí ele viu que eu não tinha entendido nada, segurou na minha calça na altura da canela, levantou a minha perna e colocou meu pé em cima do dele, como se ele pedisse: pisa no meu também. Achei engraçado e dei um jeito de sair dali pra comprar o café. Voltei depois pra minha poltrona e comentei com minha esposa sobre o bêbado muito louco que ofereceu o pé pra eu descontar a pisada. Pois bem, uns 2 dias depois, já em São Petersburgo, estava numa fila para usar um banheiro público, e vi uma agente de viagens conversando com duas jovens, quando ela sem querer pisa no pé de uma das jovens, aí na mesma hora ela ofereceu o pé pra menina pisar, que deu uma pisadinha de leve e elas continuaram conversando normalmente. Aí que a ficha caiu! Lembrei do bebum na hora, ele só estava seguindo uma tradição deles.

 

Tepemok: Uma rede de fast food lá, vende um negócio parecido com uma panqueca, só que com uma massa um pouco mais elástica. Você escolhe o recheio e manda brasa. Gostei, não é nada incrível, mas mata a fome. Minha esposa não gostou muito, achou sem graça.

 

20120616152131.JPG

Tepemok, rede de lanchonetes que vende um troço tipo panqueca

 

Pelmeni: Quando saí do Peterhof (St Petersburg) tava um frio do cão e tinha uma lanchonete vendendo o tal do Pelmeni, aí resolvemos experimentar, porque é servido quente. É bem gostoso, praticamente a mesma coisa que o cappelletti. Pra acompanhar pedi uma Baltika nº3, que a moça tirou da prateleira e me deu heheheh já tava me acostumando a tomar cerveja quente (ou pouco gelada).

 

Cervejas russas: Baltika nº3 e nº7 pra mim foram as melhores, especialmente a nº7, é muito gostosa mesmo. A Oxota é ruim demais, parece uma kaiser bock com açúcar. Também gostei de uma chamada Бочкарев, só Jesus pra saber como se fala isso, mas lá tem ela em vários cardápios.

 

20120616152633.JPG

Baltika 7, a mais gostosa

 

Vodka: Não posso falar muito porque não gosto, bebi em um barzinho lá só pra experimentar, não tem aquele cheiro forte das vodcas daqui. As que eu trouxe fizeram sucesso, um camarada meu que gosta falou que era muito boa. Comprei garrafinhas em um supermercado de São Petersburgo na Nevsky Prospekt.

 

Sopas: Notamos que lá eles consomem muita sopa, principalmente de cogumelo, todas que experimentamos estavam muito boas.

 

20120616153059.JPG

Essa sopa branca era a de camarão, uma delícia mesmo. Lá no restaurante japonês da Nevsky Prospekt.

 

Strogonoff: Foi inventado por uma família de São Petersburgo, tem inclusive o Palácio Strogonoff na Nevsky, que era dessa família. Lá dentro tem um restaurante chique que parece que estava fechado. Mas bem no meio do palácio, na área vazia, tem um restaurante muito bom, lá comemos o melhor shitake de todos. Tem Baltika lá também e os garços são muito gente boa.

 

20120616153451.JPG

Strogonoff de lá, achei bem parecido com o nosso

 

Internet: notamos que a maioria dos restaurantes e cafés de São Petersburgo oferece internet gratuita, não necessitando pedir senha para acessar. Se o seu celular tem wi-fi não precisa nem entrar, é só ficar na porta que vc consegue acesso.

 

Face control: Isso é pra quem vai pra lá curtir baladas, essas coisas. Não é a minha praia, então não posso dizer muito, apenas que existe um controle rigoroso em casas noturnas por lá, o segurança olha pra sua cara e decide se você pode entrar ou não. Dizem que a pessoa tem que ser bonita e bem vestida pra conseguir entrar em determinados lugares.

 

Cartão de crédito: Uma dica, ande sempre com alguma quantia em dinheiro. Em 3 lugares que fomos em São Petersburgo os nossos cartões não passavam de jeito nenhum. Só tínhamos VISA, não tentamos portanto Mastercard. Aconteceu no Palácio de Catarina, na Catedral do Sangue Derramado e outro lugar que não lembro. No Palácio de Catarina demos muita sorte de ter dinheiro, porque lá só tem 1 restaurante pra almoçar. Entrei em contato com o Banco do Brasil que confirmou que estava tudo certo com nossos cartões, o erro provavelmente ocorreu em virtude da utilização de algumas máquinas mais antigas. A máquina emitia um bilhete, mas tudo em cirílico.

 

Casamentos: Tanto em Moscou quanto em São Petersburgo você vai ver um monte de noivos pela rua tirando fotos e bebendo nos pontos turísticos da cidade. Chegamos a ver uma situação muito inusitada, um congestionamento de limusines, contei umas 12 numa área perto do Hermitage, em frente a um prédio que parece ter algo a ver com a Marinha deles.

 

Lugares que faltaram: Os lugares a seguir estavam na lista, mas não deu pra visitar. Catedral de Cristo o Salvador, Convento Novodevichy, Ostankino tower, Universidade de Moscou, Museu do Cosmonauta, interior da Catedral de St Isaac, Kremlin Armoury e Volgogrado (Stalingrado).

Queria muito ter ido a Volgogrado, mas ficava muito contramão. São Petersburgo fica ao norte de Moscou e Volgogrado bem ao sul, perto do Cazaquistão. Foi lá que ocorreu a famosa batalha de Stalingrado, considerada a maior da história, onde mais de 1 milhão de pessoas morreram. A atração principal da cidade é gigantesca a estátua da Mãe Pátria. Pra se ter uma ideia do tamanho, só a espada dela é maior do que Cristo Redentor.

 

20120616154152.jpg

A estátua em Volgogrado

 

Ostankino tower, que não deu pra ir também, é a maior torre da Europa. Dizem que tem uma visão legal de Moscou, mas acabou que não deu tempo e não consegui encontrar informações exatas sobre o funcionamento. Alguns sites dizem que o restaurante que tinha lá (Seventh Heaven) está fechado desde 2000 quando a torre pegou fogo, outros falam sobre o lugar como se estivesse funcionando normalmente. A mesma informação é desencontrada sobre o Deck de observação. Enfim, se alguém tiver interesse em visitar será necessário fazer uma pesquisa melhor, porque até as informações no site oficial são antigas (http://www.tvtower.ru/6_News_MRC/eng/)

 

Considerações finais:

Moscou é uma cidade gigante tipo São Paulo, a diferença é que ela é linda demais, pra onde vc olha tem alguma coisa gigantesca e imponente. A Praça Vermelha é coisa de doido, de tirar o fôlego. Muitas limusines, carrões modernos, às vezes parece Estados Unidos. Os carros velhos são quase sempre Lada.

 

São Petersburgo tem mais coisas para conhecer, é mais turística, menos caótica, a maioria das pessoas parece compartilhar da mesma opinião: “Moscou é belíssima e imperdível, mas São Petersburgo é ainda mais incrível”.

 

Da mesma forma que o rosto do Lenin está estampado pra todo lado em Moscou, assim é com “Pedro, o Grande” em São Petersburgo, fundador da cidade.

 

Os russos tem um jeito peculiar de estacionar. Você não vai demorar pra perceber a maneira deles de arrumar uma vaga. Se o carro não cabe eles entram meio de frente e sobem na calçada, ou então largam a 2 m de distância do meio fio. A impressão que dá é que o motorista chegou e falou: foda-se, vai ficar assim mesmo.

 

20120616154525.JPG

O jeitinho "foda-se" de estacionar dos russos

 

Os russos tem um “cc” FORTE.

 

20120616134136.JPG

Loja do Zenit. Eles fazem camisa personalizada com o seu nome em cirílico.

 

Apesar de ter um tempinho que o visto não é exigido para brasileiros, vi o caso de um casal que teve dificuldades na entrada e conseguiram depois de muita conversa. Por isso sugiro a quem for que imprima o texto em russo disponível no site do Ministério de Relações Exteriores da Rússia, que diz sobre a liberação de visto para brasileiros. Eu levei e não precisei, mas acho que é melhor se prevenir. O link é esse: http://www.mid.ru/dks.nsf/5f8c1354c8a43e0143256caa003fe24a/432569990037736bc32577240041f8c9?OpenDocument

 

Enfim, recomendo muito a Rússia. Acho que nunca me empolguei tanto com um lugar. Se pudesse mudar alguma coisa, acrescentaria muito mais dias. Dá pra ir num monte de lugar perto. Estônia de ônibus, Helsinki de trem bala (Allegro), Lapônia pra tentar ver uma aurora boreal...

 

E por último, mas não menos importante, não posso deixar de citar o site Melhores Destinos, foi graças a uma promoção divulgada por eles que consegui comprar as passagens de ida e volta por inacreditáveis 705 reais por pessoa com taxas inclusas, pela ótima S7 - Siberian Airlines.

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Excelente relato! Estive em Moscou em 2010 e o lugar é realmente mágico. Parabéns pela riqueza de detalhes e dicas maravilhosas. Uma pena vc não ter visitado a Catedral de Cristo o Salvador, é linda demais. Mas nem sempre o tempo (e a grana, rsrs) atua em nosso favor. Parabéns!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


×
×
  • Criar Novo...