Ir para conteúdo

Do Fado ao Flamenco


Posts Recomendados

  • Membros de Honra

[info][align=justify]Este relato é um pouquinho do que foi nossa viagem a Portugal e Espanha em final de outubro e início de novembro de 2012. O título é sugestivo do que vimos e vivemos destes dois ícones da cultura Portuguesa e Espanhola. Cultura não se discute, deve ser vivida![/align][/info]

 

[align=center][t1]PORTUGAL E ESPANHA GERAL[/t1][/align]

 

[align=justify][t3]1. TRANSPORTE[/t3]

 

Urbano: o transporte público serve muito bem nas cidades, logicamente, nos horários de pico o transtorno ocorre. Os metrôs são ótimos, sempre boa opções quando não se tem muito tempo para ver a cidade. Digo isso porque os metrôs te impedem de ver a cidade e se perder, ter que pedir informações, conviver com as pessoas. Os ônibus vão parando e vc tem que ver os lugares, e muitas vezes pedir informações sobre onde chegar. Os taxis são a última das ultimas opções para um mochileiro, não entrei em nenhum, não precisei, mas me informei, por exemplo, para ir do centro ao aeroporto El Prat, eles cobram 35 euros e mais 10 euros por cada bagagem, isso mesmo, cerca de 55 euros... Opção para quem tem pouco tempo são os city tours estilo Sight seeing ou hop on / hop off. São aqueles ônibus grandes, com a parte superior descoberta, e com áudio-guia em português e outros idiomas. Vc pode entrar e sair do veículo quando quiser, ele vai parando nas principais atrações e pode trazer algum desconto nas entradas. Pelo que observei, muitos ônibus demoram a chegar às paradas, e no horário de inverno talvez não seja uma boa opção porque vai até as 17/19 horas, sem um minuto a mais. Mas é boa opção para quem deixou pouco tempo para cada cidade.

 

Bilhetes turísticos: em Madri ele se chama Madri Card Bilhete turístico, comprado nas lojas das Informações Turísticas da Plaza Mayor ou no Aeroporto ou nas Estações de trem maiores, nas lojinhas dos sightseeing nem pense em pedir, porque eles só vendem os dos ônibus turísticos e só saberão lhe informar sobre eles.

Em Barcelona, vc compra direto nas máquinas das estacoes de metro e se chamam T10, o bilhete individual não chega a um euro por essa opção, porque o bilhete de trem (ônibus, metrô, trem) normal custa dois euros!

 

Interurbano / internacionais:

Trem: a melhor opção é sempre o trem em viagens na Europa, pois vc embarca no centro de uma cidade e desembarca no centro de outra, muito tranquilo, rápido, limpo, só que se vc deixa para comprar em cima da hora é caro.

Em Portugal, a empresa se chama Comboios Portugueses, site: Comboios Portugueses.

Na Espanha, a melhor opção é a Renfe. Renfe

 

Ambas te permitem compra antecipada de até 40 dias antes de sua viagem e vc em alguns casos precisa só trocar o bilhete impresso via internet pela passagem na estação. Importante chegar um tempo antes. Ah, e passam-se as bagagens pelo raios-x, portanto se vc não quer se incomodar não transporte nada indevido. Sua bagagem entra com vc e vai aos bagageiros sobre os assentos, as mochilas cabem perfeitamente.

 

Avião: ótima opção de compra antecipada com muito desconto, chega a ser bem mais em conta que o bilhete de trem. Porém, aqui vai uma observação: em algumas empresas o limite de bagagem é menor, ou seja, vc precisa pagar por excesso de bagagem. Outra coisa importante é ver o transporte do aeroporto ao centro das cidades, que, dependendo do horário e na iminência de pegar taxi, fica bem mais caro do que o trem. É preciso calcular sempre.

Empresas: Aireurpa, Vueling, Easyjet, Ibéria,Ryanair

 

Ônibus: um opção ainda mais em conta é o busão. Em viagens curtas até que vai, mas viagens longas chega a ser um pesadelo, devido à maioria parar várias vezes para comer, para ir ao banheiro, pois muitos ônibus não tem banheiro disponível e por ser monótono. Uma coisa muito interessante é vc poder ir observando a paisagem e outra o fato de as estradas serem muiiiiiiiiiiito lindas.

Empresas Portugal: Rede Expressos

Na Espanha: Alsa

 

Carro: um parêntesis, o que impressiona é o valor pago nos veículos, muiiiiiiiito inferior ao que pagamos. O custo do aluguel diário varia de acordo com o veiculo, para duas pessoas vc pode pegar um compacto, bem tranquilamente, para mais pessoas convém pegar um maior, devido às bagagens, sempre observe.

Algo que julguei muito importante e a dica veio do Mauro é observar todos os itens que o carro tem, o triangulo, os outros itens de segurança, faça fotos, veja se está tudo ok na presença do funcionário da empresa. Em Portugal o que mata são os pedágios, tem uns 500, depois de cada trevo, chega a enjoar. Você tem a opção de pagar antes, sabendo quantos pedágios vai passar, ou depois, daí em cada parada, vc precisa pegar o comprovante e paga depois. O preço dos combustíveis varia de 1,40 a 1,80 euros. Faça portanto a conta, se vale a pena alugar um carro. No centro das cidades maiores é muito difícil vc conseguir passar de carro, assim como em Coimbra e em Toledo, porém, alguns detalhes passariam sem ver como em Coimbra as ruinas de Conímbriga, que ficam, de quem está vindo de Lisboa, pouco antes de chegar em Coimbra e vale a visita, pois não tem como ir de Coimbra até lá sem ser desta forma, nem o city tour da empresa Sightseeing passa lá.

Empresas: Hertz

Europcar: Europcar

 

[t3]2. TEMPO, CLIMA E AFINS[/t3]

 

Na Espanha tem a cesta, lojas abrem até 12 e depois a partir das 14:30. Alguns museus não abrem às segundas-feiras, outros não abrem aos domingos e outros fecham aos feriado, é bom verificar antes. Os melhores meses para conhecer a Europa são os meses de abril e maio e de outubro e novembro. Primeiro devido ao menor frio e menor calor e outra devido às férias. Nestes meses vc depara com melhores preços, é final de temporada para as coleções de roupas, tem menor possibilidades portanto de vc deparar com imensas filas nas atrações. Bom a fazer é vc levar algum app de tempo/temperatura dos locais que vc vai visitar. Se ali está dizendo que vai chover, pode acreditar que chove mesmo! As temperaturas são bastante fidedignas. Na Espanha usamos o da TVE da Espanha.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119182938.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]O app "falou" que choveria em Toledo, a TV também, e choveu mesmo! Vai duvidar? A previsão não falha![/picturethis]

 

 

[t3]3. ROUPAS / O QUE LEVAR[/t3]

 

Os fleeces pesam pouco, ocupam pouco espaço, são versáteis, abuse deles. As roupas de segunda pele quando a temperatura está beirando os 5 graus, são imprescindíveis, portanto verifique nas previsões do tempo qual temperatura vc vai se deparar. Capas de chuva, daquelas melhores, com possibilidade de dobrar, são muito boas, também ocupam pouco espaço. Estas roupas abaixo são para os meses que citei anteriormente.

 

Roupas

dois conjuntos (calça e blusa) de segunda-pele, que deve ficar bem colado ao corpo, pois permite que o calor fique e o suor seja eliminado, abuse da tecnologia.

Maiores informações em: Como vestir-se em locais frios sistema de camadas

Fleeces coloridos, dai vc se diverte com as cores e as fotos ficam diferentes. De 3 a 4 unidades.

Camisetas manga curta, duas unidades.

Jaqueta no estilo 3 x 1: corta vento, proteção para o frio e capa de chuva, você pode usar ou só a jaqueta externa, ou só a interna ou ambas, dependendo da situação do tempo.

Cachecóis e echarpes, abuse deles, todos coloridos, importantíssimo.

6 pares de meias, 6 calcinhas, 6 sutiãs...

2 ou 3 calças, não recomendo jeans pois pesa muito.

 

Itens que não saio de casa para viagens sem:

Kit de garfo, faca, dobráveis, muito importantes, saca rolhas, kit de costura (algum botão desprende, ou vc enrosca numa roseira, ou pega bicho de pé, vai saber...), lanterna pequena (daquelas a fricção) ou app de lanterna, (em Sintra se eu estivesse sem a minha e o André sem o app de lanterna, não teríamos entrado nos labirintos da Quinta da Regaleira E teríamos perdido muita coisa), cadeado

Itens de higiene e limpeza: lenços umedecidos, xampu, condicionador, kit de unhas (esse sempre precisa ser despachado, com lixa, alicate e espátula), encontrei recentemente uns lencinhos removedores de esmalte. Eles vem em potinho pequeno, tipo potinho de valda, comprei nas americanas, ocupa pouco espaço e vc não precisa levar algodão e acetona. Escova de cabelo, absorvente íntimo. Toalha seca rápido, alguns hostels não tem. Nos que ficamos todos tinham, mas levamos mesmo assim, ocupam pouco espaço.

 

Medicamentos/curativos: bandaid ou similar (vc nunca sabe quando vai precisar, lembrando que vc pode andar muito de um lado para o outro e muitas vezes em calçado com mais meias, ou meias maquis grossas, o que pode causar alguma bolha e esta precisa estar protegida), analgésicos, antialérgicos, antidiarreicos, isso tudo vc precisa avaliar o que vai precisar. Sempre que possível, peça a um médico a receita, mesmo em português, para vc evitar ter que se explicar. Uma pomada quebra-galho como Minâncora, não saio de casa sem!

 

 

[t3]4. ENTRADA NA EUROPA[/t3]

 

O primeiro país onde vc entrar, mesmo que apenas seja conexão do voo, será o seu país de entrada na Europa, ou seja, vc precisará passar tua bagagem de mão, e seu passaporte será carimbado. Tivemos um problemão ao termos entrado pela França, o meu passaporte foi carimbado sem tinta. Sabe quando o cara não molha o carimbo pra carimbar? Foi isso que aconteceu. No início pensei até que fosse aquela tinta de ver na luz negra, mas não, só ficou uma marca do carimbo de minha entrada na Europa. Gastei os meus “s'il vous plaît”, para solicitar novo carimbo, mas o cara me mandou “a mierda” e eu fui! Deixei minha passagem junto com o passaporte, assim como a do André. Tive problema, logicamente, na passagem de Portugal para a Espanha. Mas como o guarda de fronteira viu este detalhe, ele nos deixou passar, mas FOI UM ESTRESSE! ::carai::

 

 

[t3]5. HOSPEDAGEM[/t3]

 

Dentre as inúmeras opções de hospedagem, tudo vai depender do que vc estará disposto a pagar.

Convém verificar sempre as facilidades que você deseja. Computando: acesso wifi nos quartos, café da manhã, estacionamento (se vc tiver reservado carro), possibilidade de cancelamento de reserva, essas coisas incluídas na diária são gastos a menos. O café-da-manhã nas ruas não sai menos de E$ 3,00 (café + croissant ou pão com presunto o queijo).

Recomendo fortemente reservas pelo site Booking, fiz por ali pelos 6 hotéis que fiquei hospedada e foi muito tranquilo. Ali vc reserva, com seu cartão de crédito e tem a opção de cancelamento gratuito, o que acho muito interessante. O site tem em língua portuguesa, o que é muito importante, para vc verificar todos os itens que julgar necessário ter num quarto, ou as facilidades do local que ficar hospedado, conforme citado acima.

 

 

 

Hostel: são os mais econômicos, normalmente com várias camas num mesmo quarto, com opção para vc deixar tuas coisas num armário com cadeado, com banheiro compartilhado, muitas vezes com opção de café da manhã incluído. Normalmente oferecem festas.

 

Hostal (é “tal” mesmo, na Espanha e países de língua espanhola) ou Pensão: são hospedagens mais familiares, sem tumulto, normalmente sem festas. Vc pode optar por quarto com banheiro privativo, o que é interessante em especial no inverno, porque vc não precisa sair do banheiro quente para o frio dos corredores, um dos motivos. Alguns oferecem café da manhã, verificar na reserva. Outros, tem que pagar por internet, estacionamento e café da manhã em separado.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119181632.JPG 500 332.089552239 Legenda da Foto]Nosso quarto na Pensão Avenida em Porto, Portugal. Muito limpo, bem localizado, "pequeno almoço" modesto e staff atencioso, o que mais desejamos? Sossego, muito sossego![/picturethis]

 

 

Hotel supereconômico / simples: são os do tipo IBIS, antes eram chamados de formule 1, agora de Ibis Budget. Os aqui do Brasil tem banheiro no quarto, alguns da Europa não, convém verificar. Tem que pagar por internet, estacionamento e café da manhã em separado.

 

[t3]6. ATRAÇÕES[/t3]

 

É conveniente vc verificar que cada lugar tem o seu “vc não esteve em... se não foi em /no...”. Exemplo: não vejo alguém ter conhecido Barcelona sem ter visitado ou o Parc Ghell ou Casa Batlló ou La Pedrera e Sagrada Família.

Nas cidades, existem alguns cartões que proporcionam descontos ótimos nas atrações, nos restaurantes, alguns transportes. Exemplos para nós: Madrid Card e Lisboa card. Não recomendo o Barcelona Card porque o desconto nas atrações é pequeno, ah, que como são caras as atrações em Barcelona!

Esses cartões vc precisará ativar nas atrações que visitar. O cartão pode ser adquirido hoje e começar a ser usado daqui a 3 dias. Pode ser comprado pela internet. Lembrando que só se pode entrar em cada atração uma vez, por isso, o atendente passará teu cartão por uma máquina de cartão de crédito. Dá-lhe tecnologia!

 

[t3]7. COMPRAS[/t3]

 

Na verdade eu queria era comprar um carro daqueles a 16 mil euros e trazer pra cá, falar que aqui o mesmo carro custa em torno de 100 mil reais, é coisa de maluco mesmo! Dá vontade de comprar um motor home e deixar estacionado por lá heheheh

Caso esteja indo pra fazer compras de roupas e afins, é adequado verificar aqui o preço pra poder comparar. Vê-se turista cheio de mala, pagando excesso de bagagem, sendo que o preço de dado produto que está sendo levado pode ser mais em conta aqui. Exemplo: vimos uma jaqueta da Levis (em couro) aqui por R$ 1549,00 e lá a mesma jaqueta, após o câmbio, ficava em R$ 1900,00 ao passo que um Iphone 4S (esquece de encontrar o 5) a valor em torno de R$ 1500.

Fiz a festa na Zara! O André na Springfield! E ambos na Decathlon!!!!

 

[t3]8. DINHEIRO[/t3]

Nosso investimento foi de E$ 2.800,00 para o casal, para 15 dias de viagem entre Lisboa, Fátima, Coimbra, Porto, em Portugal e Madrid, Toledo e Barcelona na Espanha.

Levamos no VTM e em papel moeda, sempre carregados na doleira (vulgo, barrigueira).[/align]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 20
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros de Honra

[align=center][t1]MADRID[/t1][/align]

 

[align=justify][t3]1. HOSPEDAGEM:[/t3]

 

Ficamos no Hostal Fabíola, fica há meia praça (Tirso de Molina) e meia quadra da estação de metrô Tirso de Molina e há duas quadras da Puerta del Sol. Não tem como vc identificar onde está o hostel, porque não tem placa. Fica num prédio antigo, no quarto andar, sendo os outros andares outros hostals. Na entrada, a staff te dará um molho com chaves do seu quarto, da porta do hostal e da rua. Nos quartos não há banheiro, somente alguns tem um banheira com ducha com porta que a separa do quarto tipo box, além de uma pia de banheiro. Estava fazendo um frio danado em Madri e infelizmente só tivemos aquecimento central nos últimos dois dias. O nosso quarto também ficou distante dos banheiros, porém eu nem iria gostar se fosse mais perto porque os hóspedes fumam nos banheiros, deixando um cheiro terrível, quem fuma nem percebe. A limpeza dos quartos também não é das melhores, somente as toalhas são trocadas e a cama é feita.

Endereço: Calle del Doctor Cortezo, 15, perto do metrô Tirso de Molina

Valor: E$ 40,00 por quarto com ducha / noite, sem café-da manhã, sem estacionamento.

 

 

[t3]2. ALIMENTAÇÃO[/t3]

 

Café da manhã: Como não tínhamos café da manha no hostal, tomávamos nosso café e gastávamos em torno de E$ 5,00 por pessoa por uma xícara de café com leite e um misto (pão de forma + presunto + queijo). O tradicional de Madri é comer churros com ou sem recheio ou croissants + café, porém os churros para o meu paladar são ótimos, excelentes na primeira por lá...

 

Água: nos mercadinhos, variando de E$ 0,40 a E$ 1,00 a de 1,5 litros. Nas máquinas das estações, em torno de E$ 0,80 a de 500 ml. No aeroporto E$ 1,80 a de 500 ml.

 

Outras refeições:

Oferecem a opção de menu del dia, com:

Pão +

Entrada, podendo esta ser sopa ou ensalada, ou tortilla francesa (omelete) ou paella (seca, horrível, só com o gosto dos mariscos) ou salada de arroz (esqueça de encontrar nosso arroz soltinho, branquinho como acompanhamento dos pratos, dificílimo de encontrar). +

Prato principal: carne (Entrecot, filete, chorizo, salmão ou outro peixe) + patata frita. +

Bebida, podendo ser refrigerante ou taça de vinho ou copo de cerveja. +

Postre: flan (o nosso pudim), cheesecake, tarta de manzana (torta de maça)

+ café ou café (cafezinho pequeno).

Isso tudo por E$ 8 a 12,00 nos locais mais afastados das zonas turísticas e até o valor que teu bolso pode pagar nos lugares turísticos.

 

Tem Mc Donalds e burguer king: ensalada Ceasar de E$ 5,10 a E$ 7,00. Hambúrguer + batata frita média ou ensalada média + refri a E$ 8,00. Os KFC tem vários tamanhos, mas eu não gosto do tempero e nem de tanta fritura, e corro léguas... O museu do jamón vc encontra presunto de todos os tipos possíveis e as lojas estão espalhadas por toda a cidade. Um local legal de visitar é o Mercado San Raphael cujas tendas oferecem menús de degustação de graça (provas), ou algumas tapas por de E$ 3,00 a 8,00 dependendo.

Nos mercadinhos tem vinhos espanhóis por preço bem baixinho. Eu gosto sempre de carregar comigo meu saca rolhas... oportunidades não faltam.

 

Recomendo fortemente ir aos mercados maiores (tem uns 5 PDVs), os mercadinhos dos indianos, angolanos, turcos, enfim mudam os preços de acordo com a cara do freguês.

 

 

[t3]3. TRANSPORTE[/t3]:

 

Madri tem uma rede de metro e transporte urbano invejável, mas nos horários perto das 10 da manhã e entre 18 e 20 horas é um horror, especialmente no centro da cidade, como em qualquer lugar do mundo. Tarifa do metrô custa E$ 1,60. Existe a opção do bilhete turístico, que vale para os metrôs, ônibus, inclusive aeroporto, com opções de dias, sendo o principal a Zona A, que é a de Madrid e Zona T a dos arredores, o que não é interessante, porque vc não usará, exemplo: Toledo, Ávila e Segóvia ficam distantes de Madri. O bilhete turístico custa: E$ 8, para 1 dia, $ 13,40 para 2 dias, e$ 17 para 3 dias e aí vai. Recomendo fortemente, pois só em um dia, economizamos juntos uns 20 euros em transporte. A não ser que queiras entrar nos Sight seeing! Vc pode comprar o bilhete pelo site: Neoturismo. Existe desconto para compra online e cartões de crédito na Mastercard.

O bus turístico, é como os hop on / hop off da vida, parando nos pontos turísticos, com ônibus de 2 andares, aberto no andar superior, com áudio-guia em vários idiomas, inclusive português. Compensa acho eu se vc for usar até dia 31/10, após esta data, o horário diminui.

O que compensa muito em Madri é o Madri card, vc paga por um bilhete que te dá direito a todos os museus, teleféricos, ficamos viciados nele, chegando em Barcelona, esperávamos que houvesse, mas só havia descontos nas atrações, que são caras!

 

 

[t3]4. TECNOLOGIA[/t3]

 

Antes de irmos, baixamos os app dos metrôs, de city walks, mapas das cidades, tudo no celular, ajudou muito. Os de metro, por exemplo, você coloca o local onde está (endereço) ou estação de origem e ele configura qual trecho vc fará, dizendo onde serão tuas paradas com trocas de metrôs. Com os de city walks vc coloca os locais de interesse e ele traça as rotas, deixando os lugares mais próximos, assim vc tem como saber se necessitará de algum transporte entre as atrações, diminuindo assim as possibilidades de erros. Porém, permita-se errar, quando vc erra, vc descobre lugares interessantes que estão fora dos roteiros turísticos tradicionais, vc interage com as pessoas, tentando descobrir por onde sair, assim como vê e vive o que eles estão vivendo, interessantíssimo! Pergunte-lhes sobre sua história, a de Dom Quijote, a das touradas, eles adoram!

 

 

[t3]5. CITY TOURS[/t3]

 

O Madrid card te dá direito a fazer tours guiados pela cidade gratuitamente, todos com saída da Plaza Mayor. Outra opção é pegar, caso vc não queira ir com a galera, pegar os mapas dos tours, o que é interessante. Caso fores fazer o tour guiado, é bastante conveniente verificar a língua que o guia falará. Mas por conta própria é muiiiito mais interessante.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119184936.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Puerta de Alcalá.[/picturethis]

 

[t3]6. RUIM[/t3]

 

No quesito informações turísticas, nos quiosques consegue-se informações somente sobre os city tours conveniados, querer outra informação, nem se vc for parente! Bom mesmo é pedir informações às pessoas nas ruas. Difícil se encontrar em Madri, não tem os nomes das ruas, somente na parte turística. Bom levar GPS também no Smartphone.

 

 

[t3]7. O QUE NÃO PODE FALTAR[/t3]

 

Visita ao Museu do Prado, ao Palácio Real, catedral de Almudena, Parque el Retiro, comer churros, tapas (vc sabe porque tapa é tapa?), comer / visitar o Museu do Jamón e o Mercado san Rafael.

 

 

[t3]8. DIAS PARA VISITAR[/t3]:

O número máximo de dias que vc puder ficar ainda será pouco. É uma cidade relativamente barata, tem lojas de todas as marcas que vc possa imaginar, a comida é das melhores, o povo é atencioso, os museus, as praças, tudo é cheio de detalhes. Tanto os tickets individuais como o Madrid Card podem ser adquiridos pela internet com antecipação, evitando as filas. Em cada museu, vc precisará passar teus pertences pelo raio.

 

 

[t3]9. O QUE VISITAR[/t3]

 

Com o Madrid card estão inclusos todos os abaixo, que visitamos em 2 dias, lembrando que pegamos horário de verão, estendendo então as entradas para até 20 horas, horário de inverno até 18 horas, ou seja, ganhamos 2 horas cada dia. Compramos este Madrid Card para 2 dias, e traçamos no Google Maps as melhores rotas para maximizar o tempo. Deixamos depois 1 dia para “perder-se”. Na entrada também te oferecem áudio-guias, em todos com pagamento à parte, inclusive do Madrid Card, com exceção do Las Ventas, que é gratuito. Os guias também estão por lá se oferecendo, sinceramente, se eles tiverem no grupo mais americanos, ingleses, franceses, alemães, espanhóis, eles falarão nestas línguas e, mesmo que o seu conhecimento destes idiomas é bom, será difícil entender, eles falam rápido demais! Não coloquei aqui todos os que visitamos, apenas alguns.

 

Tour de estádio Santiago Bernabéu: bastante turístico, se todos os times brasileiros fizessem isso, arrecadaria muiiiiiita grana, afinal o futebol está no nosso sangue. O cuidado com o gramado, com limpeza, com as paixões pelo futebol por lá também. Para assistir aos jogos, os ingressos podem ser comprados por lá mesmo, nas máquinas. Na internet os valores iniciavam em E$ 235,00 e ali iniciavam em E$ 90,00, dependendo logicamente da localização. Onde o tour acaba? Na loja da Addidas, lógico! E$ 22,00, e a volta inteira com o museu demora em torno de 1 hora e meia. Metro Santiago Bernabéu. Real Madrid site oficial.

Venda de ingressos para os jogos

 

Tour de las ventas: Apesar de ser contra matança de animais, esta é uma visita que vale a pena fazer para se ver uma das maiores tradições da Espanha. Só pra constar, o bichano ou o toureiro morrem no final kkkkkkkk. Ali tem também o museu taurino com figuras lendárias desta cultura espanhola. O áudio-guia é gratuito, precisa deixar um documento como garantia, que será devolvido no final do tour, na lojinha! E$ 9,00 leva em torno de 1 hora. Metrô las ventas. Las ventas Tour

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119183837.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Vista da arquibancada da Plaza de Toros Las Ventas, à direita o camarote real.[/picturethis]

 

Museu de Cera: Bastante interessante, um cheirinho de mofo, mas vc pode fazer fotos com George Clooney, Barak Obama, Os Simpons, Brad Pitt e Jolie, s e por aí vai. E$ 17,00 (sem o Madrid card eu não pagaria). Visita dura uns 40 minutos. Perto do metrô nuevos ministérios. Museu de cera de Madrid

 

Ciências naturales: bastante interessante, denota valores naturais que esquecemos com o passar do tempo. Demonstra as fases do desenvolvimento humano, da natureza, biodiversidade. Para chegar tem ao menos 3 metrôs perto. Preferimos o Nuevos Ministérios, porque antes fomos no Museu de Cera. Visita 1 hora no mínimo. E$ 6,00. Museu de ciências naturais

 

Para os museus abaixo, fomos de metrô até a estação Banco de España e então, andando fomos para a Puerta de Alcalá (antiga Plaza de Toros, só ficou a réplica do portão, e então pelo Paseo del Prado paramos no Thyssen, Caixa Fórum, Reina Sofia, real Jardín Botanico, Parque del retiro, Palácio de Cristal, Museu Del Prado e se foi o dia! Caso tenha menos tempo, convém ao menos visitar o Prado e o Parque del Retiro. Outra opção é conhecer iniciando pela estação Atocha. Foi um dia bastante cansativo, mas valeu a pena!

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119184426.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Vista parcial do Parque del Retiro, ao fundo, no centro da foto, o Museu del Prado.[/picturethis]

 

 

Museu do Prado: não tem como estar em Madri e não ter passado por ele. Como todo museu, prezam pela segurança, passando teus pertences pelo raios, cuidando para que vc não coloque teus dedos imundos em nenhuma escultura ou pintura, e por aí vai. Áudio-guia cobrado à parte E$ 7,00 (roubo!!!) e E$ 16,00 entrada, guia e torno de E$ 10,00 por pessoa, para grupos de até 20 pessoas, ou seja, muita gente. Visita dura umas 2 horas. Museo Del Prado

 

Museo del ferrocarril e ciências e tecnologias: saindo do metrô, saia pelo lado direito, logo haverá um grande portão de ferro, que te leva ao prédio do escritório da Renfe. Na parte de trás deste prédio estão estes dois museus que são acoplados. O de ciências e tecnologias é meio caído, só tem alguns instrumentos antigos, entrada free. O do ferrocarril tem muitos trens da Renfe dos tempos idos, muito interessante, mas a parte de miniaturas perde longe para o Minimundo de Gramado – RS! Metrô Las Delícias. E$ 5,00. Visita dura uns 40 minutos para cada um dos museus. Museo del Ferrocarril

 

 

Museu reina Sofia: entre este e o do Prado, do Prado sempre. Neste museu em particular me deu uma raiva danada da segurança que tratou com muito descaso uma senhora espanhola que estava à nossa frente na fila, ui, levei aquela cena comigo, infelizmente. Visita leva 1 a 2 horas. E$ 6,00. Museo Reina Sofía

 

Museu Thyssen-Bornemisza: o do Prado sempre, mas este vale a visita. Oferece coleção com data de inicio no século X. Tem algumas exposições temporárias. E$ 10,00. Visita de 1 hora. Museo Thyssen-Bornemisza

 

Caixa fórum: lugar interessante, com exposições temporárias. Muito interessante na parte externa a parede toda de arbustos em vertical. Visita de 30 minutos a 1 hora. Caixa fórum[/align]

 

 

[align=center][t1]TOLEDO[/t1][/align]

 

[align=justify]Bate e volta desde Madrid. Achei a cidade linda, maravilhosa, culturalmente magnífica. é importante levar um mapa, vc pode baixar no smartphone. Toledo tem um total de 10 museus, sendo portanto dificílimo de conhecer a todos em um único dia, assim como entrar nos vários monastérios, sinagogas, igrejas da cidade.

 

[t3]Como chegar[/t3]:

 

Toledo Card:

Pode ser comprado pela internet ou na estação Atocha Renfe em Madri, no piso inferior, perto da porta de embarque da Renfe. Para um dia com a ida em trem rápido + entradas nos museus + ônibus Turístico fica em E$ 42,00. Porém é preciso pagar a mais E$ 5,00 por pessoa para voltar do centro de Toledo à estação, mesmo tendo adquirido o cartão.

 

Para ir por conta:

de Renfe: sai da estação atocha Renfe, veja no site os horários: http://www.renfe.com/viajeros/index.html. O valor é E$ 12,10 por trecho por pessoa. Chegando na estação vc tem opções do ônibus ida ao centro E$ 5,00 ida e volta, guarde o bilhete. Ou pegar taxi E$ 5,00. Ou pegar o bus turístico E$ 10,00 só ele sem as entradas dos museus. Ou o ônibus estação centro, ele te pega na estação e te deixa na Plaza Zocodover. Chegando ao centro, especificamente na Plaza Zocodover.

Ali vc pode adquirir a Pulseira turística, ou Bono Turístico que te garante acesso aos museus, o valor é E$ 8,00 por pessoa (só a entrada para a Catedral primada é E$ 11,00). Coloquei abaixo o valor de entrada normal em cada atração.

 

[t3]Aonde ir[/t3]:

Uma das únicas praças de Toledo que é arborizada é a Zocodover, as outras são encontros de ladeiras, ruas e escadarias, sem bancos, sem árvores. Nas casas estão os jardins e essa cultura é proveniente de muito tempo, permanecendo viva. Cada cantinho entre uma casa e outra, vc pode observar lindos jardins.

A partir da Zocodover para facilitar o acesso e a localização:

 

Mesquita de Cristo da Luz: de arquitetura no estilo islâmico, bem conservado, apesar de ter sido construída no século X. estão sendo realizadas ali algumas escavações, onde se consegue observar ruínas de calçada romana. Tem muitas salas interessantes que valem a visita. E$ 2,50. Tempo de visita: 1 hora. Mezquita de Cristo La Luz

 

Subindo em direção à Catedral Primada de Toledo e se puder se encaixar em algum dos tours guiados ou pegar o áudio guia, é fundamental para vc ver o significado de cada gravura, de cada capela. De estilo gótico, dificilmente se consegue chegar a ela sem se perder nas ruelas. Valor E$ 11,00 por pessoa, e o áudio-guia custa em torno de E$ 3,00. Visita leva no mínimo uma hora e meia. Catedral de Toledo

 

Iglesia de Santo Tomé e Entierro de Del Señor de Orgaz, igreja pequena, onde não se pode fotografar nada, pois tudo é feito em ouro, altares e tal, muitas gravuras. Na porta da Igreja, logo se depara com uma grande gravura de Greco, o Entierro del Señor de Orgaz, que foi um dos senhores da Castilla, esta figura é de uns 5 metros de altura, e logo abaixo está o túmulo del Señor. Dentro da igreja não tem como não ficar boquiaberto com o altar tendo acima são Tomé. É preciso ver pra acreditar, tal como o santo!!! E$ 2,50. Visita de 30 minutos, aproximadamente. Iglesia de Santo Tomé

 

Museo Del Greco, retratando vida e obra do maior artista Toledano, cujas obras denotam cores frias, escuras e não agradando as pessoas de seu tempo. É um lugar que se visita em 40 minutos. E$ 3,00. Museo Del Greco

 

Logo na saída tem uma pracinha de onde vc faz lindas imagens do Rio Tejo (em português é Tejo).

 

Museu sinagoga Santa Maria la Blanca, é um espaço de meditação, tem algumas abóbodas diferentes, mas nada de esculturas ou gravuras, a não ser se haja alguma exposição de arte. Entrada E$ 2,50 por pessoa. Visita leva uns 15 minutos.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119185606.JPG 332.089552239 500 Legenda da Foto]Sinagoga de Santa Maria la Blanca.[/picturethis]

 

Sinagoga Del Tránsito: muito lindo, com detalhes nos vitrais em flores, e estilo árabe. 30 minutos de visita. Entrada E$ 3,00. Sinagoga del Tránsito

 

Monastério de san Juan de los Reyes, um espaço de linda arquitetura, se vc puder subir no andar superior e também, no térreo, caso não esteja aberta, peça para a moça da bilheteria que ela abre. A Igreja tem muitas gravuras, esculturas, mas nem sempre está aberta à visitação. Visita com a Igreja leva em torno de 1 hora. Monastério de San Juan de los Reyees, E$ 2,50.

 

Depois vc pode voltar a Zodocover com o busão 12 e então voltar para a Estação.

No google maps fazendo o trajeto acima e sem errar (o que é impossível), fica total de 3 km.[/align]

 

 

 

[align=center][t1]BARCELONA[/t1][/align]

 

[align=justify]O estilo catalão, o idioma catalão, o fato de quererem fundar um local único dá um ar de: “estou em outro país sem ter saído da Espanha”. O catalão é uma mistura de espanhol, francês, italiano formando uma identidade pelo sotaque carregado. Nas regiões turísticas vc percebe que só falam em catalão entre os locais. Nas regiões fora de zonas turísticas é horrível, parece que o mundo é deles e vc está ali de intrometido (talvez eles tenham razão). Conseguir alguma informação de motoristas de ônibus é algo dificílimo, eles não fazem questão alguma de se fazer entender.

A presença de Gaudí remete-nos a perceber de como seria Barcelona sem sua presença na arquitetura e arte. Estar em Barcelona e não conhecer lugares como Parc Ghell, Sagrada Família, casa Batlló ou La Pedrera é como não ter estado ali. Todos esses atrativos são caros para serem visitados, mas devem ser previstos no orçamento para se estar ali.

 

 

[t3]1. HOSPEDAGEM[/t3]:

 

Ficamos no Hostal Abrevadero, fica em um bairro bem tranquilo de Barcelona, há uma quadra do metrô Paral-Lel, mas não gostamos. Em primeiro lugar, estávamos super cansados, final de viagem, e nossa diária começaria as 12:00. Tudo bem, chegamos 10:30 e o carinha não quis nos colocar no quarto porque estava ocupado. Durante o tempo que estávamos ali, ninguém desceu, o Gasparzinho devia estar lá, então, e deixou muitos cabelos pelo quarto e cabelinhos menores no banheiro. Inclusive os que estavam debaixo da cama ali permanecerem até o fim de nossa estadia. Eles não gostaram de nos receber e estava muito evidente. Entendi direitinho! Tudo tinha que pagar, E$ 7,00 café da manhã (croissants + café), E$ 2,00 internet, E$ 2,00 lockers, enfim, um horror. Porém e porque escolhemos: devido ao preço! E$ 45,00 / dia / casal.

 

 

[t3]2. ALIMENTAÇÃO[/t3]:

 

Café da manhã: Como não tínhamos café da manha no hostal, tomávamos nosso café e gastávamos em torno de E$ 4,00 por pessoa por uma xícara de café com leite e um misto (pão de forma + presunto + queijo).

 

Outras refeições: Idem a Madrid, recomendo fortemente de postre o creme catalão, uma delícia, uma espécie de flan com gosto de limão e canela, cobertura de açúcar mascavo queimado.

Nesta cidade um lugar que amamos foi o LA VACA PACA, que delícia!, comida com jeito e gosto brasileiros, e uma barbada; come-se de tudo; saladas, pratos quentes, churrasco no estilo grelhado, café, sobremesa, refri ou cerveja ou água, tudo isso por E$ 9,00 por pessoa, uma barbada. Deveria ter um La vaca paca em cada esquina!

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119191107.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Cometendo excessos, último jantar em Barcelona, já que sobrou grana! Vista da Marina de Barcelona a partir do Restaurante Marítimo.[/picturethis]

 

 

[t3]3. TRANSPORTE[/t3]:

 

O metrô eu superrecomendo aqui, mas fuja dos ônibus, fuja mesmo, os motoristas, salvo raríssimas exceções, não dão informações, ou quando as transmitem é em catalão, eita povo, imagino como foram as olimpíadas aqui, credo! Vimos uma recomendação no mochileiros.com mesmo para comprar o Bilhete de metrô T 10, que vc compra nas máquinas que vendem bilhetes de metro, em cada estação. Com este bilhete, você faz 10 viagens por E$ 9,45 (ou coisa parecida) e cada bilhete individualmente custa E$ 2,00.

 

 

[t3]4.TECNOLOGIA[/t3]

 

Assim como para as outras cidades que visitamos, baixamos app de GPS, city walks e metrôs, o que nos ajudou muito.

 

 

[t3]5.CITY TOURS[/t3]

 

Fizemos por conta própria, com metrô para os pontos mais distantes. Sentamos em muitos bancos para conversar com pessoas dali mesmo, tentando se integrar, daí vimos que a conversa ignorante é só com os motoristas de busão e cremos que tenha sido devido ao nosso conhecimento zero em catalão. Perguntar sobre a histórica, dicas e peculiaridades, foi fantástico. Perder-se no Bairro Gótico (não sei escrever em catalão)!

 

 

[t3]6.RUIM[/t3]

 

Passamos raiva no hostal e nos ônibus. Encontramos muitos mendigos, muitos mesmo, mais que Madri. A cidade é bastante cara, qualquer entrada era E$ 10,00.

 

 

[t3]7.O QUE NÃO PODE FALTAR[/t3]:

 

É imprescindível conhecer alguma das obras de Gaudí, escolha entra uma delas. Gostamos particularmente de todas as que visitamos. O Museu Picasso é muito interessante, assim como o Aquário.

 

 

[t3]8.DIAS PARA VISITAR[/t3]:

 

Ficamos 3 dias inteiros em Barcelona e foi mais que suficiente. Se puder visitar Figueres, é igualmente interessante, a cidade de Salvador Dali, fica há 140 km de Barcelona, podendo ser um bate-e-volta. Fizemos de trem rápido da Renfe, passagem custa E$ 14,00 por trecho, durando de 1 hora e 48 a 2 horas e 20 minutos. Início às 5:56 da manhã e retorno até 21:46. O Teatro Museu Dali é a principal atração e a igreja que fica à frente deve ser visitada, cuidando com o horário da siesta que é respeitada. Os tours que saem de Barcelona custam E$ 71,00 por pessoa.

 

 

[t3]9.O QUE VISITAR[/t3]

 

Museu de ciências, planetário / Cosmocaixa: muito legal, para relembrar da escola e das aulas de química, física, matemática que assististe e das que estiveste dormindo (kkk). Tem algumas exposições temporárias e algumas permanentes. Uma parte interessante é a floresta inundada, onde um grande aquário com imensas árvores e peixes mostram a realidade dentro do rio e também uma chuva artificial mostra o que muda com sua presença. Este grande aquário pode ser percorrido em toda sua extensão, sendo que na parte posterior, estão algumas cobras em jaulas também inundadas. O ponto alto deste local é o planetário. Pesávamos que fosse como o de Buenos Aires, para observação astronômica, mas ao invés, é um pequeno cinema em 3D cujo documentário mostra a vida e a obra de Darwin. Interessante para quem, como nós, é fã do Darwin. Para entrar no Museu de ciências é E$ 13,00, para entrar no Planetário E$ 4,00, sendo que não se pode visitar o planetário sem ter passado pelo museu. Visita de 1 hora e meia para o museu e floresta inundada e mais 50 minutos do documentário no planetário. Caixa Fórum

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119190758.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Vista da Floresta Inundada, Cosmocaixa, Barcelona.[/picturethis]

 

Parc Guell: um dos ícones deixados por Gaudí para a cidade de Barcelona, é uma mistura de arquitetura e natureza, tentando sua interação. Neste lugar, logo após a porta principal, tem o dragão, confundido por muitos como sendo um lagarto, cheio de mistérios, assim como todo o Parc. Na parte média, uma grande praça com os bancos contorcidos, sem pontas ou arestas, proporcionando linda visualização da paisagem de Barcelona, inclusive o Mar! Quando fomos, como estava passando por reformas, a entrada estava gratuita. Para chegar, do metrô....seguir as placas, o melhor mesmo é ir andando tranquilamente. O total dá quase 2 km, mas vale a pena, em especial na volta porque é só descida! Parc Guell

 

No dia em que visitamos o Parc Ghell, podes estender ao Tibidabo, caixa fórum e Camp Nou.

 

Camp Nou: Se o Dani Alves estivesse lá a visita seria melhor, muito turístico o negócio. Assim como nossas paixões por futebol, o fato da Espanha ter sido campeã na última copa e apesar dos problemas financeiros que tem assolado a Europa (em especial Portugal /Espanha / Grécia), futebol é a alegria da população, não encontramos risos e sorrisos naqueles rostos, inclusive das crianças. E$ 22,00, em torno de 1 hora e meia de visita. Camp Nou

 

Casa Batlló e La Pedrera: também ícones da arquitetura gaudiana, formam conjunto com as outras inconfundíveis obras, identificando Barcelona. Ambas se confundem e se fundem aos prédios vizinhos, antes de visitar, procure ver muitas imagens para não confundir quando chegar lá. Cada uma demora cerca de 1 hora para visitar. Casa Batlló, E$ 20,35. La Pedrera E$ 16,50

 

Sagrada Família: tentamos comprar os ingressos pela internet, mas não conseguimos. Tentamos também comprar no “La Caixa” que fica do outro lado da rua. Mas não tivemos problema, ficamos no máximo 5 minutos na fila. O ingresso simples é E$ 13,00, com o guia, acrescenta E$ 5,00, com o áudio-guia, acrescenta E$ 3,00, com subida às torres acrescenta E$ 7,00. Verificar horários dos guias em espanhol / inglês ou pegar o áudio-guia, caso veja necessidade, se bem que as explicações sobre cada milímetro da Sagrada Família podem ser encontradas na internet. A subida nas torres também tem horário pré-estabelecido. Sobe-se em elevadores e desce-se por escadas. De longe é algo ruim, descendo pode-se passar para a parte interna da igreja e a visão dali é fenomenal. Na porção posterior do altar é possível observar a igreja que está sendo usada até que a construção esteja terminada. Para entrar naquela igreja, onde está sepultado Gaudí, precisa ser em horário de missa, onde cada sussurro é silenciado pelos seguranças! Visita leva em torno de 1 hora e meia a 2 horas.Sagrada Família

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119191552.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Sagrada Família, vista da pracinha[/picturethis]

 

Museu de Colón: chegando na marina, vc tem a estátua de Colombo, e logo atravessando a rua o museu, meio caidinho, mas conta detalhes da história.

 

O Oceanário de Barcelona para quem não mergulha, é muito interessante, para quem mergulha é talvez um “eu já vi melhor que isso”, mas sem hipocrisia, vale! Neste aquário em particular, você passa por um túnel-aquário bastante interessante. Coisa que chegamos a ver mas não nos encorajamos por causa do preço é o mergulho com tubarões, que custa E$ 300,00 e inclui a visita ao Oceanário, mas apenas para quem tem credencial de mergulho. E$ 17,00. Visita de 1 a 2 horas. Oceanário de Barcelona

 

Las ramblas / marina: muitos cafés, bares, lojas fazem parte deste tradicional ponto de Barcelona. As ramblas ficam no Port Vell, tem um quilometro de extensão, mas vale a visita tanto durante o dia quanto à noite. Las Ramblas

 

Museu Picasso: bastante interessante, com obras originais intactas deste ícone da história de Barcelona. Picasso é nascido em Málaga, mas estudou em Barcelona. Pode ser diferenciado tranquilamente no museu as obras das várias fases de seu trabalho, que são divididas em cores, retratando sua sociedade, vida e sentimentos na época de suas composições. E$ 11,00.

Museo Picasso

 

 

Em Barcelona, vimos o flamenco, muito interessante, é uma dança típica espanhola, cujas dançarinas usam as castanholas e o sapateado como instrumentos. O flamenco retrata a cultura cigana, árabe e mourisca. O flamenco é originário da região da Andaluzia, mas como não íamos até lá, e como em Barcelona estava mais em conta que Madri, preferimos. Tablao de Carmen , ou Palacio del Flamenco.

Em torno de E$ 20 a 30,00 só o show, E$ 35,00 show + jantar, e vc tem como escolher o menu, de acordo com o preço, logicamente.

 

 

Teleférico de Montjuic (ó céus devo ter esquecido os acentos nesta palavra kkkkk): proporciona uma linda visão do porto e da cidade de Barcelona, saindo pela Miramar (Avenida Miramar) e chegando na Torre de San Sebastiá (Barceloneta) ou vice versa. E$ 15,00 ida e volta e E$ 10,00 só ida. Teleférico de Montjuic[/align]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

[align=center][t1]LISBOA[/t1][/align]

 

[align=justify]Lisboa é uma cidade cheia de ladeiras, escadarias, ruas estreitas. O povo português é mesmo muito detalhista, metódico. Os portugueses nos respeitam muito e se identificam conosco. Nossa musica rola solta por lá, até porque você passar ouvindo “as tábuas do teu caixão...” não é algo lá muito agradável para ser ouvido diariamente. O fado é uma das musicas de identidade portuguesa, falando de vida e emoções fortes, que deve ser ouvido e não dançado pela plateia, diferentemente do que estamos acostumados.

 

 

[t3]1. HOSPEDAGEM[/t3]

Ficamos hospedados na Pensão Santo Tirso em Lisboa, muito bem localizado, na Praça do Rossio. A pensão não oferece elevador, mas as escadarias que no início apavoram, depois vc tira de letra. Os quartos são pequenos, optamos por pegar com banheiro. A televisão transmite poucos canais, o que não atrapalha muito, e vc pode verificar a presença televisiva brasileira por aqui. Na praça do Rossio existem vários restaurantes, cafés, estação de comboio (trem) e metrô. E nas ruas próximas o comércio de marcas famosas é bem fortalecido. Na rua atrás da pensão existem mercadinhos da rede pingo doce, onde vc pode encontrar vinhos portugueses bons a E$ 5,00 (tem mais em conta, mas não gostei da qualidade).

E$ 40,00 a diária / casal / wifi / sem café da manhã.

 

 

[t3]2. ALIMENTAÇÃO[/t3]

 

Come-se muito bem em Portugal, o bacalhau é particularmente muito bem preparado. Provei o bacalhau com natas e alguns outros preparos. O pastel de nata, que na verdade é um bolinho fofo, em formato redondo, muito doce, que é saboreado em todos os lugares. Outro doce igualmente bom é o bolo de arroz que parece um cup cake sem recheio e cobertura, muito delicioso também. Os vinhos portugueses são bons, não maravilhosos, bons. O vinho verde, que ao contrario do que se pensa não é verde por causa da cor e sim da uva, que é colhida precocemente e deve ser consumida antes do vinho completar um ano, é muito delicioso para um final de tarde. O vinho do porto em especial é servido, caso vc queira como aperitivo pré e pós-refeição. O que observamos é que eles tomam conhaque junto com o café da manha, certamente como habito para quando está mais frio (mas não estava tanto frio, por isso virou hábito). Muitos restaurantes e cafés oferecem show de fado no jantar, mas atente, ouça, não converse eles realmente querem ser ouvidos. Se vc não gosta de musica triste, fuja!

 

 

[t3]3. TRANSPORTES[/t3]

 

Os metros e ônibus são bastante eficientes e os elétricos são históricos. Passe individual E$ 1,50, passe com o Lisboa card Free.

Do aeroporto para o centro, e para nossa sorte, no Rossio, pegamos o aerobus E$ 3,50, outra opção seria o autocarro número 91, mas pegamos o que chegou primeiro!

De taxi, apesar de ser perto, custaria uns E$ 12,00, conforme nos informamos.

Para comprar o Lisboa card, pode ser online e retirado nas informações turísticas do Rossio ou do Aeroporto, mas pode ser comprado diretamente no aeroporto. E$18,50 para 24 horas, E$ 31,50 para 48 horas e E$ 39,00 para 72 horas.

Ao usar o rede expressos, não é colocado o número em sua bagagem para retirar depois, é preciso perguntar ao motorista que lado do ônibus deixar a bagagem, eles não te ajudam com isso e no primeiro ônibus que entramos estranhamos um pouco. Os ônibus não contam com banheiros.

 

 

[t3]4.TECNOLOGIA[/t3]

 

Assim como para as outras cidades que visitamos, baixamos apps de GPS, city walks e metrôs, comboios, o que nos ajudou muito. E se o teu app de tempo / clima / temperatura disser que vai chover, chove mesmo, não é como aqui o “pode chover ou pode passar sem chuva” hahaha.

 

 

[t3]5.CITY TOURS[/t3]

 

Fizemos por conta própria, com metrô para os pontos mais distantes. Fizemos a visita do centro: iniciando no Rossio, no teatro nacional, passando na Praça da Figueira, rua Augusta (ótimo lugar para compras), Praça do Comércio, Arco Triunfal, Rua do Ouro, Elevador do Carmo, Igreja do Carmo, tiramos fotos com Fernando Pessoa no A Brasileira. No outro dia, igrejas, igreja da sé e Santo Antônio, homenagem a Lisboa, onde ele nasceu, dirigimo-nos para Alfama, no Largo São Miguel, e subir até o castelo São Jorge, e ficamos até o final do dia, vendo a iluminação da cidade e o por do sol, foi muito linde, depois descemos dali em direção ao Rossio nos perdendo pelas ladeiras.

 

 

[t3]6.RUIM[/t3]

 

Na casa da música, quando fomos pegar o Rede Expressos para Fátima, fui ao banheiro e a moça estava limpando. Fiquei esperando logicamente. Daí ela falou assim: “vocês brasileiros vem aqui só pra sujar”, segurei o xixi e fui embora! Morri de raiva! Estávamos com uma ótima impressão do povo português e isso foi muito, mas muito chato e inconveniente. Deveria ter denunciado a moça pra polícia e isso e aquilo, mas não creio que seria algo efetivo.

 

 

[t3]7.O QUE NÃO PODE FALTAR[/t3]:

 

Não tem como ir a Lisboa sem comer bacalhau, tomar vinhos, tomar ginjnha (espécie de licor, feito de ginja) pastel de nata, conversar com o povo português sobre nossa cultura, sobre a colonização brasileira. Beber vinho e ouvir o fado, apesar de ser triste, faz parte da cultura daquele povo. Visitar o Mosteiro dos Jerônimos, o Castelo são Jorge, as ruelas estreitas do centro antigo da capital e também, se possível, visitar a EXPO (Parque das Nações), a Lisboa cosmopolita.

 

[t3]8.DIAS PARA VISITAR[/t3]:

 

Ficamos 3 dias inteiros para conhecer Lisboa, mais um para Sintra, no dia em que havíamos deixado para Cascais / Estoril, estava chovendo muito e a previsão era de mais chuva para os próximos dias e resolvemos seguir viagem para Fátima.

 

 

[t3]9.O QUE VISITAR[/t3]

 

Com o Lisboa Card há muita coisa que pode ser visitada sem pagar (logicamente, pagando o Lisboa card), vc não paga pelos metrôs, autocarros (Ônibus), comboios (trem), e tem desconto em alguns lugares. Aprovamos! Todos os lugares abaixo estão com o preço para ajudar a calcular, com o Lisboa Carde, muitas das atrações era grátis, o que nos rendeu economia.

 

Castelo São Jorge: são as ruínas de um castelo medieval que fora construído na colina mais alta de Lisboa, proporcionando vista de 360 graus do entorno. Fomos no final da tarde e foi muito lindo ver o pôr-do-sol lá de cima, assim como o iluminar da cidade de Lisboa. A parte interna não tem iluminação, portanto leve uma pequena lanterna ou seu smartphone com app de lanterna. Castelo São Jorge E$ 7,50, se fores no final da tarde leva uma hora para visitar, não tem nada de espetacular, só a vista.

 

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119202827.jpg 332.089552239 500 Legenda da Foto]Castelo São Jorge.[/picturethis]

 

Mosteiro dos Jerônimos: edifício de magnifica arquitetura e se olhando a parte externa impressiona, não deixe de visitar a parte interior. Vislumbrar a arquitetura, os lustres, a presença de Camões, Vasco da Gama e Fernando Pessoa (este fica no Claustro) torna a visita emocionante. E$ 7,00 (Para visitar o mosteiro + Torre de Belém + Palácio da Ajuda, E$ 13,00) Mosteiro dos Jerônimos

 

Torre de Belém e Padrão dos Descobrimentos: monumentos muito interessantes, na orla do rio Tejo. Muito interessante visitar a torre, diferenciando suas salas e o baluarte, percorrendo sua casamata. Ao lado da torre de Belém existe o Museu do Exército, e na sua lateral, um monumento amuralhado, com os nomes dos heróis de guerra portugueses. E$ 3,00. Torre de Belém e Padrão dos Descobrimento

 

Museu Nacional de História Natural: este museu pertence à Universidade de Lisboa, formando então com o Jardim Botânico, o Museu Bocage e o Museu Mineralógico e Geológico, o Museu nacional de história Natural. E$ 4,00 para o Museu e E$ 1,50 para o Jardim Botânico, comprando para os dois museus E$ 6,00 (hahhah). Estar no planetário numa noite de céu limpo, é muito legal. O Jardim Botânico tem espécimes de várias partes do mundo, sendo a rua das palmeiras de grande beleza.

Museu Nacional de História Natural

 

Museu Calouste Gulbenkian: conta com coleção de objetos históricos da Mesopotâmia, Grécia, Roma, Islâmicos, dentre outros. Aos domingos ao meio-dia, ocorrem concertos com entrada free. Este museu, é um dos mais importantes de Lisboa pela vasta e rica coleção. E$ 8,00, áudio-guia E$ 4,00. Museu Calouste Gulbenkian

 

Museu do Oriente: peças da cultura oriental, denotando a presença islamita e muçulmana na colonização lisboeta e denota também outras religiões do oriente, como o budismo chinês. Visita dura em torno de 1 hora. Museu do Oriente

 

Oceanário de Lisboa, Teleférico e Parque da Nações: esta região mais nova de Lisboa é cosmopolita. Conta com diversos prédios de escritórios, a ponte Vasco da Gama, o Teleférico, um shopping center (centro comercial Vasco da Gama) e o parque das nações, que é um grande parque de exposições. viemos do Rossio e percorremos o trecho a pé pela Avenida dos Oceanos e levamos um baita susto quando um dos chafarizes em forma de vulcão jorrou, kkkkkk. Nesta avenida, passam apenas carros e ônibus turísticos, duas pistas apenas, no centro um amplo calcada o com estes chafarizes. o Oceanário é interessante com espécimes da fauna marinha de todos os oceanos. Existe também um aquário só de tartarugas, mas está com poucos exemplares. No shopping tem um restaurante de comida brasileira, que infelizmente não marquei o nome. A entrada para o Oceanário é E$ 12,00 + 4,00 para o aquário das tartarugas. O teleférico custa E$ 3,00 ida e E$ 4,50 ida e volta. Portal das Nações[[/align]

 

 

[align=center][t1]SINTRA[/t1][/align]

 

[align=justify]Fizemos bate-e-volta a partir de Lisboa. Eu havia cogitado conhecer Cascais e Estoril no mesmo dia que conhecemos Sintra, estava chovendo muito em Lisboa e a previsão era de muita chuva para os próximos dias. Valeu muito a pena ter deixado o dia inteiro para Sintra. Havia cogitado também fazer tour saindo de Lisboa, mas é melhor fazer o próprio percurso e observei que muitos deles não passavam na Quinta da Regaleira e eu tinha vontade louca de conhecer este lugar. Saímos de Lisboa, partindo da estação de comboios do Rossio, às 8:08 horas da manhã, é isso mesmo, e chegamos em Sintra exatos 39 minutos depois, após diversas paradas no decorrer do percurso, conforme consta no site do comboios Portugueses. O valor da passagem é E$ 2,05. Chegando na estação em Sintra, nos informamos e optamos por comprar o bilhete para os 4 palácios, (E$ 5,00) começando por Montserrat e indo até o Palácio da Pena. Como no início da manhã ainda estava chovendo, optamos por subir de busão, também para minimizar o tempo de deslocamento.

Comboios Portugueses

 

 

Palácio de Monserrate: a partir da estação são 5 km de subida até lá e nem cogitamos ir a pé, é subida e curva mesmo, não tem calçada, tem um espaço onde cabe uma pessoa. Este castelo tem inspiração romântica, sua fachada é rosa, com detalhes em branco, muito bonito. Lá de cima, é possível avistar o Castelo dos Mouros. A parte interior, cheia de detalhes, é uma relíquia, os azulejos parecem ter sido feitos um a um por uma mesma pessoa e as colunas em mármore avermelhado criam um ar mesmo oriental. E$ 4,50. A visita leva em torno de 40 minutos. Palácio de Monserrate

 

Quinta da Regaleira: este lugar particularmente me interessava muito, pois eu havia visto uma reportagem há muito tempo falando sobre ele. É a antiga casa (quinta) de um nobre de meados do século XX. Seus jardins, fontes, estátuas, evocam ao mistério e misticismo. Tudo tem alguma simbologia. Você entra em um labirinto escuro, e aqui eu abro um parêntesis, afirmando da necessidade de se levar uma lanterna pequena ou um app de lanterna no smartphone para poder se encontrar, e esse labirinto se abre à parte de trás de uma cascata. Depois, pelo outro lado, você passa por uma ponte de pedras, e sai, acha que sai na mesma cascata e é na verdade um jardim, incrível! Demoramos umas duas horas para conhecer este lugar. Um dos aposentos da casa principal que chama a atenção é a biblioteca com espelhos no chão circundando as prateleiras de livros, dando a impressão de que existe outra biblioteca logo no piso inferior. E$ 5,00. Quinta da Regaleira

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119194246.JPG 500 332.089552239 Legenda da Foto]Porque amei este lugar? Pelo mistério! Você pensa que isso não é nada, uma das entradas dará para um túnel escuro e frio, e a outra entrada se abre para um lago cheio de patinhos...[/picturethis]

 

Museu do Brinquedo: “vire à sua esquerda, e desça as escadinhas”, foi isso que uma portuguesa me explicou para chegar a este museu kkkkkkkkkk. Uhum, escadinhas! Descida, enfim! Este museu são 3 pisos de brinquedos de muitos anos, porém todos comprados e fabricados na Europa, lembrando a Disney de Paris, carrinhos de fabricação alemã, muitos e muitos soldadinhos de todas as bandeiras possíveis de imaginar (europeias, logicamente), casinhas de boneca até com banheiro, carrinhos de rolimã e jogo de bets. E$ 3,00. Museu do Brinquedo de Sintra

 

Palácio da Pena: de arquitetura igualmente romântica, porem evocando muito mais a porção oriental, suas salas e quartos são maravilhosos, e a visita é toda vigiada por guardas, porque os itens de arquitetura chinesa, cheios de detalhes são mantidos e preservados, também não é possível fazer fotografias nesta área. Os quartos são contíguos, este é o quarto da rainha, este é o quarto de seu servo, este é o quarto do rei, este é o banheiro da rainha e por ai vai. As paredes parecem pinturas, mas são entalhes, alto relevo. E$ 7,00. Visita dura 1 hora. Palácio da Pena

 

Castelo dos Mouros: construção amuralhada, esplendorosa, que pode ser vista das mais várias regiões da cidade de Sintra. Suas torres e muralhas podem ser percorridas. Proporciona a vista mais linda de Sintra, de onde os outros castelos e palácios podem ser observados. E$ 3,50. Castelo dos Mouros

 

Terminamos nossas visitas eram passadas das 17 horas, por isso que não haveria tempo de ir a Cascais/Estoril.[/align]

 

 

[align=center][t1]FÁTIMA[/t1][/align]

 

[align=justify]Fizemos um pit stop em Fátima, para depois seguir para Coimbra. Não havíamos incluído Coimbra no roteiro, mas foi uma linda surpresa. Saímos de Lisboa às 8:00, saindo da Casa da Música, compramos a passagem pela internet e não tivemos problema só levamos o número e o atendente do Rede Expressos trocou pelas passagens. Chegamos a Fátima 9:25, deixamos as bagagens no guarda-volumes. No guichê da rede expressos é possível comprar o ticket do guarda-volumes. Fica em uma sala separada. O valor é de E$ 2,50 por bagagem por dia. É super tranquilo para quem não ficar hospedado em Fátima. Visitar Fátima é algo muito emocionante, para nós, católicos.

rede Expressos

 

Saindo da Rodoviária, seguimos em direção ao centro religioso. Visitamos a Basílica da Santíssima Trindade, muito imponente. Foi concedido a esta Basílica o título de Basílica Menor, devido à sua importância. Saindo dali, em direção à capelinha das aparições, está o tocheiro, onde são acesas velas dos mais variados tamanhos e formas. Cujo preço inicia em E$ 0,50.

 

Capelinha das aparições. É muito difícil chegar próximo a ela, pois tem missas e o local fica fechado. Onde está a imagem de Nossa senhora é o exato local onde apareceu Nossa Senhora pela primeira vez aos Pastorinhos. Neste local havia uma azinheira (oliveira), que durou, segundo a freira que presta as informações, apenas um ano, porque todos que passaram por ali levaram um ramo da frondosa árvore. Uns passos mais acima, está uma azinheira nova, porém cercada para que não se levem suas folhas e ramos.

 

Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima. Nesta basílica se encontram os restos dos três pastorinhos. Imagina-se o que eles passaram e como foram mal interpretados ao falarem que Nossa Senhora lhes havia aparecido. A cada hora, os sinos desta basílica tocam o “a treze de maio, na cova da Iria...”, muito emocionante! A fachada conta com uma imagem de Nossa Senhora tendo em suas mãos o rosário, que fica esvoaçando ao vento. Na parte interna, além das imagens de Nossa Senhora sendo coroada, ao lado do altar as imagens de Santo Antônio Maria Claret e São Domingos. Santo Antônio Maria Claret, da congregação dos Missionários Claretianos é a congregação de padres daqui de minha cidade, o que nos identificou com aquela linda basílica.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119193606.JPG 332.089552239 500 Legenda da Foto]Basílica de Nossa Senhora do Rosário de Fátima[/picturethis]

 

O peregrinos chegam de todos os lugares, muitos ônibus vindos das varias regiões de Portugal trazendo romeiros, assim é o cotidiano desta cidade tão acolhedora.

Saindo do complexo religioso, muitas lojas de souvenires. O que chamou nossa atenção foram as fitinhas como as do Senhor do Bonfim, coloridas, com uma diferença bastante significativa no preço. Em Fátima cada fitinha custa E$ 0,50 (cinquenta cêntimos!), dá pra comprar 50 fitinhas do Senhor do Bonfim em Salvador.

 

Museu de Cera: este museu conta por imagens em cera as aparições de Nossa Senhora, retratando a realidade das guerras que aconteciam durante as aparições, assim como ela havia previsto. E$ 7,50

Museu de cera de Fátima

 

Museu das aparições: após termos saído do Museu de Cera, estávamos procurando este, despretensiosamente e tranquilamente, quando fomos abordados por um rapaz mau vestido e sujo que dizia que nos levaria até o museu da Aparições. Poxa, pra que isso? Foi um horror, tentávamos fugir do dito cujo e ele ali, nos seguindo, entrávamos em loja, ficávamos um pouco e ele ali, nos esperando! Foi horrível. Conseguimos chegar no local e o cara nos seguindo, dizendo que estava ali pra ajudar, mas não sei a quem, reclamei muito no bom português. O museu é interessante, conta a história das aparições por meio de cenários. O cheiro de mofo é insuportável e a bronquite falou alto! Não recomendo este passeio. E$ 3,50.[/align]

 

 

[align=center][t1]COIMBRA[/t1][/align]

 

[align=justify]Foi uma surpresa linda termos parado nesta cidade. É uma cidade universitária. Estava acontecendo uma maratona entre universitários das mais diferentes regiões do pais. Na verdade acontece no pais inteiro no ultimo final de semana do mês de outubro. Eles com seu uniforme típico preto e capa de lã também preta percorrem as ruas cantando, prestando homenagem a idosos, a turistas, parando nos monumentos, praças e escadarias e igrejas, e principalmente bebendo, e bebendo muito!

 

Ruínas de Conímbriga: fica há 16 km do centro de Coimbra, entre Fátima e Coimbra. São ruinas de civilização romana, estudadas e preservadas, tem mosaicos, ruinas de termas, ainda tendo muito a ser escavado para futuras visitas. É difícil chegar até o local, somente de carro, deixamos para alugar o carro no outro dia, e depois seguimos para Porto. É possível ir de busão, que sai de Coimbra duas vezes ao dia, em direção a Condeixa-a-Nova, deste local até as ruinas são aproximadamente 3 km, convém pegar taxi, em torno de E$ 10,00.

 

Centro Histórico: a parte histórica de Coimbra é muito linda, as ruas estreitas, feitas em paralelepípedos, permitem a passagem de um veiculo apenas por vez. As lindas janelas deixam mostrar leves cortinas de crochê delicado contrastando com as floreiras de calças jeans grossas.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119193950.JPG 500 332.089552239 Legenda da Foto]Floreiras, Coimbra.[/picturethis]

 

Jardim Botânico: No jardim botânico, apesar de também pouco cuidado, deixa belos exemplares da flora expostos. A paisagem de inverno estava deslumbrante, deixando cair as folhas de tília, árvore frondosa.

 

Sé Velha: Nas suas escadarias estava acontecendo a maratona cultural universitária, mas pudemos ver um dos mais lindos exemplares da cultura religiosa de Portugal. Externamente parece um castelo com torres, e internamente, muito romântica, sendo o altar principal dourado, no estilo gótico. Pudemos percorrer o claustro, cheio de arcos, interessantíssimo, que não está aberto todo o tempo.

 

Sé Nova: Fica perto da Universidade de Coimbra, visitamos após sair da Universidade. Assim como a Sé Velha, tem forte marco Jesuítico, nesta em especial, cujos santos na fachada, Santo Inácio, São Luís Gonzaga, São Francisco Xavier, São Francisco de Borja.

 

Coimbra foi um passeio muito prazeroso. No Largo da Sé Velha também pudemos ver um show de fado, lembrando que fado se ouve e se vive. O show é gratuito, só show mesmo. Conversar com os universitários dali é ótimo, são muito gentis.[/align]

 

 

[align=center][t1]PORTO[/t1][/align]

 

[align=justify]Outra cidade que nos agradou foi Porto, nos identificamos muito com Portugal, as pessoas agradáveis, sempre prontas a ajudar, e a cultura, semelhante à nossa.

 

 

[t3]1. HOSPEDAGEM[/t3]

 

Ficamos hospedados na Pensão Avenida, a localização é ótima, fica na praça da Liberdade, há poucos passos do Metrô Aliados. O café da manha, chamado pequeno almoço é modesto, vem numa bandeja individual. Os quartos são impecavelmente limpos, e olha que sou chata! Reservamos um quarto com banheiro, e foi ótimo, pois estava muito frio.

Pensão Avenida E$ 35,00

 

 

[t3]2. ALIMENTAÇAO[/t3]

 

O mercado do Bolhão oferece a possibilidade de se conhecer a culinária local. Comer bacalhau em suas mais variadas preparações é imprescindível e delicioso, em especial às margens do rio Douro ou à beira Mar. Na frente da pensão, atravessando a rua, tem um barzinho muiiiiiiiito legal, com música ambiente moderna e de comida deliciosa.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119192726.JPG 500 332.089552239 Legenda da Foto]Bacalhau com natas (natas mesmo), Vila Nova de Gaia.[/picturethis]

 

[t3]3. TRANSPORTES[/t3]

 

O ônibus coletivo é a melhor forma de chegar aos lugares mais afastados. O metrô também serve muito bem a cidade, principalmente nas partes mais turísticas.

 

 

[t3]4. TECNOLOGIA[/t3]

 

Assim como nas outras cidades, baixamos apps de city tours, mapas, metrôs

 

 

[t3]5. CITY TOUR[/t3]

 

O centro histórico de Porto é bem tranquilo, tudo pertinho. Mas para chegar aos locais mais afastados é preciso pegar ônibus. Antes de irmos, fizemos também um roteiro dos locais que íamos visitar.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119194652.JPG 332.089552239 500 Legenda da Foto]City tour com a "galera" da dentária![/picturethis]

 

 

[t3]6. RUIM[/t3]

 

O passeio de barco pelo Rio Douro deveria sair da cidade, passando pela parte agrícola, sem tanto custo. Cheguei a ver para fazer o passeio de 5 horas pelo rio, mas o preço por pessoa chegava a E$ 60,00.

Na casa da Música, passamos por uma situação muito chata. A servente estava fazendo a limpeza do banheiro feminino e eu estava aguardando, porque havia só um vaso sanitário disponível. Ela fumando lá dentro. Eu aguardei e ela, depois que terminou falou: “vocês brasileiros só vem aqui pra sujar”... Fiquei muito, mas muito chateada com aquela situação, pois era nosso último dia por lá...

 

 

[t3]7. O QUE NÃO PODE FALTAR[/t3]

 

Conversar com os universitários, muito adequado. Comer o bacalhau do Porto em Porto, delicioso, nos seus preparos mais variados. Parar em Vila Nova de Gaia e visitar as várias vinícolas, esqueça de visitar uma só, visite mais e compare os vinhos. Tem uma espécie de Boca Maldita, que fica em uma pracinha em frente à Igreja de Santo Antônio, divertido de se ver. Lá vimos um balão escrito: “doe um rim, faz bem para o coração”. Tudo bem que deva fazer bem ao coração mesmo emocionalmente, mas rimos muito!

 

 

[t3]8. DIAS PARA VISITAR[/t3]

 

Ficamos dois dias inteiros em Porto, e mais um para Braga e Guimarães. Logicamente que, se houver tempo e possibilidades, convém ficar mais. Braga foi fundada pelos romanos. Inclusive a catedral da Sé é a mais antiga do país. É mais conveniente para conhecer estas duas cidades, alugar carro por um dia em Porto, caso contrário não há tempo suficiente. Entre Guimarães e Braga, existe mais um sítio arqueológico romano, a Citânia de Briteiros, que só fica viável, assim como a Conímbriga, se chegar de carro.

 

Site locadoras: Strawberry autos

 

Site Citânia de Briteiros: Citânia de Briteiros

 

 

[t3]9. O QUE VISITAR[/t3]

 

Torre dos clérigos: é lindo ver a cidade lá de cima, o problema é que fecha cedo, assim como tantas atrações em Porto, no horário de inverno (17 horas). A torre dos clérigos pertence à Igreja dos Clérigos, que poucos chegam a entrar e conhecer, objetivando o turismo. A igreja é muito bela, do estilo barroco. E$ 3,00. Torre dos Clérigos

 

Mercado do Bolhão: exemplos da gastronomia portuguesa e de Porto podem ser encontrados. Desde bacalhau, fumo, queijo, as sobremesas e doces portugueses. As pequenas lojas se espalham nas imediações, concentrando na região, ícones da culinária portuguesa. Prove por exemplo o frango com espumante e maçãs, fabuloso!

 

Castelo do Queijo: o chamado Castelo de São Francisco Xavier, de alcunha Castelo do Queijo, porque segundo relatos históricos, o granito principal que originou este castelo tinha a forma de um grande queijo. Foi inicialmente edificado no século XV, servindo como fortaleza. Interessante passar pela ponte elevadiça e ver o por do sol, um dos mais lindos de Porto. E$ 0,50

Castelo do Queijo

 

 

Praias: Muita gente fazendo exercícios, mas ninguém na água, pois estava muito frio. São praias urbanizadas, com calçadão, poucas palmeiras e poucas barraquinhas. A areia não é tão branquinha quanto a de nossas praias. Estávamos em pleno outono, o frio iniciava, não tinha como testar a temperatura da água!

 

Passeio de Barco pelo Rio Douro: Esse é o chamado Passeio das 7 pontes, pois percorre no Rio Douro, 7 pontes que dividem Porto de Vila Nova de Gaia. Gostaria de ter feito aquele passeio que vai até as vinhas, mas custava E$ 60,00... a duração deste passeio gira em torno de 1 hora. E$ 10,00.

 

Vila nova de Gaia: Um passeio pelas ruelas é muito interessante, parar no cais e visualizar Porto do outro lado é maravilhoso, em especial no final do dia, gosto de fazer passeios assim para ver o sol se pondo e as luzes se acendendo. Beber um vinho do Porto é também algo sugestivo a se fazer ali. Comer um bacalhau com natas vislumbrando a paisagem, além de delicioso é maravilhoso!

 

Monastério da Serra do Pilar: aqui iniciamos nosso passeio na vizinha Vila Nova de Gaia, na verdade, as duas cidades são separadas pelo Rio Douro e parecem ser uma só. Esse monastério está com projeto para se iniciar as visitas internas a partir de dezembro de 2012. Mas a arquitetura exterior já vale a visita. É possível observar esse lindo Monastério de vários pontos da beira do rio Douro.

 

Vinícolas de vila Nova de Gaia: Gosto sempre de visitar ao menos 3 vinícolas onde visito e aqui não foi diferente, visitamos a Cálem, a Sandman e a Fonseca. Todas as 3, de grande tradicionalismo e muito conhecidas por aqui. Na degustação normal, paga-se E$ 7,50 e degusta um vinho do porto branco e um tinto. Vinho do porto é tradicionalmente vinho aperitivo, com teor alcoólico elevado e bastante doce, por isso não é possível harmoniza-lo com outros pratos. Em Portugal se usa como aperitivo pré-refeição e harmonizando-o com a sobremesa. Com pastel de nata, por ser gorduroso, fica ótimo! As uvas são produzidas nas imediações do Rio Douro, e o solo, pelo que havia de amostra, é bastante seco, com umas pedras que eles chamam de xisto. As vinhas tem forma de espalda. Falando em bebida, outras que se bebem muito em Portugal são a ginjinha, que é feita com o fruto da ginja, bastante doce, e o moscatel, espumante também adocicado.

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119195023.JPG 332.089552239 500 Legenda da Foto]Vinícola Sandman, uma das 3 que visitamos. No nosso grupo haviam uma moça argentina que ama o Brasil (ora pois, pois), e um rapaz da Venezuela, que nos cedeu uns pedaços de chocolate venezuelano 70% de cacau, para harmonizarmos com os vinhos do porto!!!![/picturethis]

 

Igreja de São Francisco: Em homenagem aos Mártires do Marrocos, é um museu-igreja. Aqui não se celebram missas, só se pode visitar. Os altares são todos em ouro, cujas estátuas e gravuras parecem se fundir com a luminosidade que vem das abóbadas, muito lindo! Fizemos esse passeio pela manhã e foi maravilhoso! Ao lado da igreja, está o museu, que tem algumas peças, incluindo um sacrário em forma de coroa com um cordeiro acima, todo em metal, e um ostensório lindíssimos! Logo abaixo deste museu está um cemitério. Antigamente, os senhores eram enterrados assim, nos falou o guia do museu. E$ 7,00. Visita de 1 hora.[/align]

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

Bem, é maravilhoso retribuir todas as dicas que tiramos daqui!

 

E vamos que vamos, planejando as próximas.

 

Abraços e Beijos!

 

[picturethis=http://www.mochileiros.com/upload/galeria/fotos/20121119204051.jpg 500 332.089552239 Legenda da Foto]Káren e André.[/picturethis]

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra
Excelente relato! Parabéns!

 

Valeu, filipe, obrigada!

 

::otemo::

 

Legal, que bom que deram sorte em Portugal. Na nossa curta passagem por Portugal (Lisboa, apenas) nossa impressão foi muito negativa.

 

Marcos, nossa decepção foi Barcelona, não a cidade em si, mas algumas pessoas, foi chato. Também nossa entrada na Europa (via Paris)

foi chata, porque o PF não carimbou meu passaporte!

 

Bacana Káren.

 

Que bom que se divertiram. ::otemo::::otemo::::otemo::

 

Joy, da próxima vez teremos parada por aí, já disse o André, dessa vez foi corrido.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


×
×
  • Criar Novo...