Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Entre para seguir isso  
nnaomi

De molho em Caldas Novas - jan-2008

Posts Recomendados

Período: 02 a 09/01/2008

Cidades: Caldas Novas

Caldas Novas é uma ferveção, em todos os sentidos! A cidade é bem quente e a principal atração são as piscinas de água quente, que podem ser conferidas em vários hotéis e clubes. Janeiro, julho e feriados a cidade ferve de turistas, famílias com crianças em férias escolares, em sua maioria de Goiânia e Brasília. Para quem curte ecoturismo, há o Parque Estadual da Serra de Caldas, onde é possível fazer algumas trilhas.

 

Confira abaixo as dicas e o relato de viagem. Ficamos hospedados no Hotel Morada do Sol. DDD da cidade é (64).

 

Obs.: "Outras opções" referem-se às indicações que recebi de colegas, mas que não experimentei por não ter tido tempo ou por ter tomado conhecimento delas tarde demais. ATENÇÃO: não possuo nenhum vínculo com pousada, hotel, restaurante, agência, loja e qualquer outro tipo de estabelecimento divulgado nos meus relatos de viagem. Alguns dos pontos turísticos, bem como alguns estabelecimentos, não foram visitados por mim e as informações foram pesquisadas em guias. Portanto, recomendo que antes de utilizar qualquer serviço, verifique com a secretaria de turismo da cidade, se os dados são atualizados e/ou verossímeis.

 

A cidade

Caldas Novas está localizada no sul do estado de Goías, na Região das Águas, com 1590 Km² e aproximadamente 62 mil habitantes (dados de 2007). Está localizada a 156 Km da capital Goiânia e a 748 Km da cidade de São Paulo. Apresenta clima tropical com verão chuvoso e inverno seco.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Está localizada a 156 Km da capital Goiânia e a 748 Km da cidade de São Paulo. O aeroporto recebe vôos fretados e particulares, não opera vôos regulares. O aeroporto mais próximo, com vôos regulares é o de Goiânia.

 

• Estação Rodoviária de Caldas Novas, R. Prof Josino Bretas, Caldas Novas, (64) 3453-1135

• Aeroporto Nélson Guimarães, Av Castelo Novo, Caldas Novas, (64) 3454-5820

• Aeroporto Internacional Santa Genoveva, Praça Capitão Frazão, Goiânia, (62) 3265-1500

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Depende das suas intenções. Nas férias escolares a cidade fica repleta de famílias com crianças. Janeiro é alta temporada, mas julho é mais cheio ainda. Em feriados e carnaval, o local fica muito cheio. Se quiser agito é um prato cheio, mas se quiser sossego fuja desses períodos.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

No centro:

 

• Igreja Matriz/Paróquia de Nossa Senhora das Dores, Praça Mestre Orlando, 3453-1438

• Feira do Luar, ao lado do Parque de Diversões, sábados e domingos a partir das 18h. O lugar estava lotado, era impossível andar pelos corredores. O forte do local é a comida e o artesanato. Os preços são parecidos com os das lojas da cidade

• Balneário Municipal, R. do Balneário, s/n. Na época estava fechado para reforma

• Casarão/ Centro de Apoio ao Artesão, R. Cel. Gonzaga, s/n, ter-dom, 9-21. Na época estava fechado para reforma

As atrações seguintes ficam uma atrás da outra, próximas à entrada da cidade (longe para ir a pé do centro):

• Jardim Japonês, estrada sentido Goiânia, diariamente das 8h às 11h e das 13 às 17h. Dizem que é muito bonito e vale a visita

• Museu da Soja, R. 17, 350, Fazenda Serrinha, 3455-5400, [email protected] . Na verdade não é bem museu, é mais uma loja de produtos da Só Soja. O local é bonitinho e pode-se degustar vários produtos diferentes a base de soja

• Monumento às Águas, entrada da cidade

• Shopping Serra Verde, Av. Santo Amaro, 1000, Solar Caldas, 3454-3707. O mirante foi desativado, não é mais possível subir nas torres. Os cristais e os chocolates Caracol de Gramado estão à venda no local, que é muito bonito, charmoso e os preços acompanham

• Mundo à Vapor, Av. Santo Amaro, 1000, Solar de Caldas, 3454-3700. Virou cervejaria, embora ele ainda conserve a fachada, retratando aquele acidente de trem

• Malharia de Gramado, ao lado do Shopping Serra Verde

• Doces da Vovó Maria, ao lado da Malharia de Gramado

 

Clubes/piscinas termais:

• Hot Park, Fazenda Água Quente, Rio Quente, 3512-8000. Acesso pode se feito por ônibus para a cidade de Morrinhos. É o parque mais chique da região, tem bela vista, localizado aos pés da Serra e tem alguns atrativos diferentes como o Half Pipe e os toboáguas, mas o ingresso é bem caro

• DiRoma Acqua Park, R. São Cristovão, 805, 3453-1586, dá para ir a pé do centro, mas fica quase na saída da cidade, em direção ao Shopping Serra Verde. Tem como atração principal a piscinas de ondas

• Parque da Lagoa Quente, Av. Lagoa Quente, 5, Bairro Lagoa Quente, 3453-1250. Acesso precisa ser feito por táxi

• Dica: dos 3, o Lagoa Thermas Clube tem a melhor relação custo benefício, é grande, tem muitas piscinas, não fica tão lotado como os demais e é agradável, arborizado, mas o acesso é feito por táxi. Comprar ingressos antecipados é uma boa, pois você não precisa parar na bilheteria e, em alguns casos, pode sair mais barato. Pode-se adquirir o bilhete para o almoço antecipadamente também, com exceção do DiRoma, onde o almoço é por Kg

 

Outras atrações:

• Cachaçaria Vale das Águas Quentes, Av. Cel Bento de Godoy, 2000, Estância Itanhangá, perto da Rodoviária, 3453-3760. O local é muito bonito, muito turístico e os preços acompanham a fama do local

• Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCAN): tem infra-estrutura razoável, com centro de visitantes, auditório, alojamento, tem sanitários, tem recepção e os funcionários dão dicas de como seguir as trilhas. Atualmente não há guias, mas as trilhas são bem sinalizadas e fáceis de seguir. Não há lanchonetes, então é necessário que leve seu lanche. Levei minha água também, mas disseram que as águas das trilhas são potáveis. São duas as trilhas principais: Trilha da Cascatinha e Trilha do Paredão. A trilha da Cascatinha é fácil de ser percorrida, segue no meio de vegetação um pouco mais fechada, mas não é muito íngreme. Passa-se pela Trilha da Diversiflora e pelo Mirante da Cascatinha. A Cascatinha é linda e há um ótimo local para banho, a água é muita limpa e muito fria. Em frente à Cascatinha há um local muito agradável para fazer piquenique com mesas e bancos de madeira. Depois fizemos a Trilha do Paredão. Essa é mais puxada, é mais íngreme e há uma série de degraus a serem subidos. A trilha é mais aberta e o sol judia mais. Há mirantes no meio do caminho, que mostram uma bela paisagem e há uma cascata no final da trilha. Essa cascata é mais alta que a Cascatinha, porém o local onde está localizada é mais fechado, não bate sol, portanto a água é mais fria. Forma uma piscina para banho, mas não tão agradável e bonita quanto à da Cascatinha. Particularmente, recomendo fazer a trilha do Paredão antes, quando se está com mais pique e depois curtir a Cascatinha. É passeio para meio dia ou pouco mais que isso, mas dá para curtir o parque o dia todo, principalmente se for preparado para um piquenique

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

• Hotel Morada do Sol, Av. Orozimbo Correia Neto, 201, Centro, a uns 800m da Praça Central, 3453-1548. É simples, instalações simples, café da manhã bem variado na parte de pães, biscoitos e bolos, mas fraco na parte de frutas e sucos. O parque aquático é pequeno, mas é bom, se o hotel não estiver muito cheio

 

Outras opções:

• Hotel Itatiaia, R. Cap. J. Crisóstomo, 171, Centro, 3453-1628. É uma boa opção, no centro da cidade, bem localizado, com piscinas termais. Só não fiquei nele, porque não tinha mais vaga

• Pousada LN. Parece ter uma boa relação custo benefício para quem está com carro. Fica a cerca de 1500m do centro, é simples, mas tem uma piscina termal

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

• Rest. Fogo do Sul, Av Orcalino Santos Q 5, s/n, lt 7, 3455-2968, almoço no sistema self-service com churrasco, local bem simples, comida razoável

• Rest. Sarandi, Av Orcalino Santos Q 17, s/n, lt 1, 3454-2453, almoço no sistema self-service com churrasco, local simples, comida razoável

• Rest. Bella Napoles, Av Orcalino Santos, 136, 3453-1620, almoço no sistema self-service com churrasco, local agradável, comida boa

• Pizzaria Fornalha, R. Cap. João Crisóstomo, 172, 3455-4384, rodízio de pizzas, local agradável, pizzas boas

• Rest. Papas, Pça. Mestre Orlando, 12, 3453-2840, jantar no sistema à la carte, local bastante agradável, tranqüilo, comida muito boa e atendimento idem. Experimentamos a famosa galinhada com pequi e guariroba e também o peixe na telha

• Rest. Show de Sabores, na Praça Central, jantar no sistema à la carte, comemos um tucunaré. A comida era simples, e boa, mas o ambiente é bem barulhento, são barzinhos/restaurantes da praça

• Rest. Nonna Mia, Av. Orcalino Santos, 45, 3453-3368, jantar no sistema à la carte, comemos um galeto excelente

• Empadão Goiano Tradicional, Feira do Luar, Box 12, 9655-2727. Tem sabores regionais com pequi, guariroba, etc.

• Sorveteria Unidunite, R. Cel Cirilo Lopes de Morais, s/n, Qd. 5 Lt.8, 3455-3925. Tem coisas diferentes como sorvete ao forno

• Tem outra sorveteria no centro, próxima à Igreja Matriz, que não lembro o nome, nem o endereço, talvez seja na R. Luiz J. Pereira, muito boa também. Achei o local muito legal e nunca vi sorveteria com água free. Tinha um purificador de água e a gente podia se servir.

• Sorv. Sabor Nativo, Centro, perto do Parque de Diversões. Tem sorvetes de massa de sabores difrentes, das frutas do Cerrado

• Sorv. Frutos do Cerrado, Centro, perto do Parque de Diversões. Tem sorvetes de massa, mas o interessante mesmo são os picolés Frutos do Cerrado, vale a pena experimentar, acho que tem uns 50 sabores...

 

Outras opções:

• Churrascaria Picanha na Brasa, R. Pedro Branco de Souza, 241, 3453-7318. Dizem que o rodízio é ótimo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Contatos úteis:

• Prefeitura de Caldas Novas, Av. Orcalino Santos, 283, Paço Municipal, 3454-3500

• Informações turísticas: na Rodoviária e na Praça Mestre Orlando, Centro, 3454-3524

 

Links úteis:

Caldas Novas

FériasBrasil

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

 

Dicas:

• Primeira dica: tomar vacina contra febre-amarela

• O Centro de Informações Turísticas é fraco, não oferece mapas, apenas folders de hotéis e clubes

• Caldas Novas é muito quente, então um quarto com ar-condicionado vai bem. Alguns me disseram que na época de julho é um pouco mais fresco, outros disseram que não faz diferença, que é quente do mesmo jeito. No geral, a temperatura no inverno não é baixa, mas eventuais frentes frias podem reduzir a temperatura

• sol forte, leve muito protetor solar

• A cidade fica muito cheia em janeiro, julho e feriados. Dizem que julho é mais cheio ainda. O local não é bom quando fica lotado, por causa da qualidade da água das piscinas, uma vez que a água não é tratada quimicamente. Também é difícil ficar disputando para conseguir uma espreguiçadeira, uma mesa, cadeiras, um lugar na piscina, na cascata. E haja paciência para enfrentar as filas nos toboáguas e tudo o mais

• Disseram que o local é repleto de velhinhos, mas na época que fui, janeiro, não tinha velhinhos e sim muitas famílias com crianças, por causa das férias escolares. Então as piscinas ficam repletas de crianças com aquelas bóias enormes...

• A cidade não é bonita, falta jardins, gramado. Acho que a prefeitura deveria investir numa reurbanização do centro

• Tem muitas lojas, muitos artigos em malha, como camisetas e pijamas, também tem muita roupa de praia, como biquínis, maiôs, sungas e saídas de praia e, para combinar, tem chinelos bordados. Para as crianças, há muitas bóias. A Av. Orozimbo Correia Neto, a R. Cel Cirilo, a Rua do Turismo e o Shopping Tropical concentram muitas lojas. Os preços são bons

• Tem várias lojas de doces caseiros, cachaça e licores. Achei interessante o doce de jiló. Os preços variam de acordo com a fama do lugar :)

• Tem bastante opção de hospedagem e alimentação, para todos os bolsos e gostos. Desde hotéis mais simples, sem piscina até hotéis sofisticados com grandes parques aquáticos

• Acredito que a maioria das pessoas que vai a Caldas, se hospeda em um hotel com piscinas termais e permanece o dia todo no hotel curtindo a área de lazer. Nesse caso compensa ficar em bom hotel, mas no nosso caso, eu queria conhecer parques/clubes diferentes, então resolvi ficar em hotel mais simples

• Transporte urbano coletivo inexiste na cidade. Uma opção mais em conta é o moto-táxi. Para quem está sem carro, acredito que compense ficar hospedado no centro, perto da Praça Central, se não quiser ficar preso no hotel

• O passeio de trenzinho é interessante para quem está sem carro, pois passa em vários atrativos que ficam longe do centro, mas é jogo rápido, visitação, degustação, compras, vapt-vupt. Há alguns trenzinhos em frente ao parque de diversões, mas não há saídas regulares programadas. Normalmente os passeios de trem são contratados por excursões ou grupos, então se você está viajando por conta própria você tem que se encaixar em algum grupo. Visitamos o Museu da Soja, o Monumento às Águas, o Shopping Serra Verde, a malharia de Gramado, os doces da Vovó Maria, a Cachaçaria Vale das Águas Quentes e uma sorveteria que servia sorvete ao forno

• O taxista Ronaldo, do ponto perto do Shopping Tropical, 9961-7862, trabalha bem

• O Clube Náutico não é bom, pagamos uma entrada cara, a mais cara da cidade, com exceção do Hot Park, e vimos apenas 3 piscinas pequenas, nenhuma atração em especial, nada diferente e um amontoado de gente. Talvez por ser sábado a situação estivesse assim tão caótica, mas ficamos decepcionados com a falta de infra-estrutura do clube e com o atendimento ruim

• Lago de Corumbá, a 10km do centro. Não vi muita graça no Lago de Corumbá. O acesso se dá pelo Clube Náutico, talvez haja outro acesso por fora do clube, mas as atividades no lago, como os passeios de escuna e Jet Sky partem do píer do clube. Pela falta de chuvas, o nível da água do lago estava baixo e não vi nada de excepcional no lago

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

02/01/2008 e 03/01/2008 - Dia ensolarado

Rodoviária de Taubaté, Rodoviária de Caldas Novas, Hotel Morada do Sol, Centro de Caldas Novas

 

Depois de uma longa noite viajando de ônibus, chegamos a Rodoviária de Caldas Novas. Aproveitei para passar no Centro de Informações Turísticas da Rodoviária, mas me decepcionei, pois não havia mapas e nem muitas informações, eram mais folders de hotéis e clubes. Depois aproveitei para ver horários de ônibus para Cachoeira Dourada e para Araxá. Estava um pouco complicado ir para Cachoeira Dourada, então resolvemos ir direto para Araxá depois da nossa estada em Caldas. Pegamos um táxi até o hotel. Curtimos um pouco as piscinas e depois fomos dar uma volta pela cidade, para conhecê-la e para almoçar. Almoçamos no Rest. Fogo do Sul, no sistema self-service com churrasco, local bem simples, comida razoável. A Av. Orozimbo Correia Neto, do hotel, dá direto no parque de diversões, é bem longa e tem muitas, muitas lojas de roupas de praia, malharia em geral, como camisetas, pijamas/camisolas e muitas, muitas bóias penduradas. Também há várias lojas na R. Cel Cirilo, paralela à avenida do hotel e em suas travessas. Bem, há muitas lojas na cidade toda. Experimentamos o famoso sorvete ao forno na Sorv. Unidunite. Bem, não é nada do outro mundo, a única diferença é a cobertura de marshmallow que foi ao forno para dourar. Fomos à Praça Central, à Igreja Matriz de N. Sra das Dores e ao Casarão, porém estava fechado em reforma. Decidimos ir à famosa Cachaçaria Vale das Águas Quentes, pois, no meu mapa, não parecia longe, mas na verdade era bem longe. Descobrimos que fica perto da Rodoviária. Experimentei licor de pequi com muito gelo, para dar uma diluída no álcool e até provei uma gota da cachaça. Não entendo do assunto, então não posso dizer se a cachaça é boa ou não, mas o local é muito bonito, muito turístico e os preços acompanham a fama do local. À noite, experimentamos a famosa galinhada com pequi e guariroba no Rest. Papas, sistema à la carte, local bastante agradável, tranqüilo, comida muito boa e atendimento idem. Compramos ingressos do Hot Park na banca Central, perto do Shopping Tropical. Eles oferecem atendimento muito bom e deram dicas de como ir de ônibus para a Pousada do Rio Quente.

 

04/01/2008 - Dia ensolarado

Pousada do Rio Quente, Hot Park

 

Fomos até o centro, em direção à sub-estação, para pegar o ônibus para a Pousada do Rio Quente, ele pára bem em frente a entrada do parque. Depois vimos que há um ponto de ônibus ao lado do hotel. Decidimos ir na sexta, pois sábado e domingo, provavelmente, estaria mais cheio. Difícil definir se vale a pena ou não visitar o Hot Park, é bom, mas é muito caro, então a relação custo/benefício é ruim... Antes de ir eu li algumas dicas na net, tem gente que amou e tem gente que detestou o parque. Eu queria muito conhecê-lo, pois é o parque mais famoso da região e, como não pretendo ficar hospedada na Pousada do Rio Quente (hóspedes tem acesso free ao parque) e provavelmente não voltarei mais a Caldas Novas, achei que poderia, uma única vez na vida, experimentar para ver como é. Pontos positivos: fica num local muito bonito, aos pés da Serra de Caldas e tem diversões diferentes como o Half Pipe. Olhando de baixo, não parece nada sensacional, você vê a bóia oscilando, no que parece ser uma pista de skate. Porém quando você chega lá em cima você vê a descida! Quase amarelei, mas como tinha ficado um tempão na fila esperando e não tinha visto ninguém desistir, então fui. Na primeira descida achei que a bóia iria capotar. Depois que desci, pensei: “nunca mais”. Foi ótimo para experimentar e ver como era, mas só. Legal mesmo é ficar do outro lado, em cima da ponte, vendo os outros descerem. A criançada sempre desce numa boa, mas ver os adultos é muito engraçado. Tem muitos marmanjões gritando e fazendo cara de filme de terror. Se tivesse visto a pista desse ângulo, provavelmente pensaria duas vezes antes de experimentar. O Acqua River são toboáguas, nas quais se ganha bastante velocidade, principalmente se descer de tapete. Mas fui de bóia, pois é muito confortável e você cai numa boa na piscina. O Lazy River não tem nada demais, é uma piscina com correnteza, você sobe na bóia e deixa a correnteza te levar. O único diferencial é que o local é bonito, circundado por fontes e passa dentro de um túnel. As outras atrações são algumas piscinas e os famosos bares molhados. Pontos negativos: é muito cheio, então tem fila para tudo. Algumas filas são grandes, mas andam rápido, outras são bem lentas, como a do Half Pipe e a fila para pegar tapete do toboágua. A primeira fila é na entrada, para comprar o ingresso, então a primeira dica é comprar ingressos antecipadamente. Além da entrada, você vai pagar tudo. Há muitas outras atrações no parque, mas todas pagas à parte. Mas a infra-estrutura é boa, tem serviço de guarda-volumes, que é ótimo para curtir o lugar sem ficar naquela preocupação com carteira, câmera, celular, etc. Você deixa os itens de valores trancados e sai apenas com toalha, protetor solar e tal, mas esse conforto custa 10,00. Aquele cartãozinho, que você pendura no pescoço, que te permite comprar sem pagar na hora também é ótimo, o único problema é acertar as contas no final do dia... Você pendura o cartão e a chave do guarda-volumes no pescoço e sai para curtir o parque. O almoço também é caro, mas inclui bebidas (água, suco e refrigerante) e sobremesas, é bom, mas poderia ser melhor, considerando-se o preço e o local. Consumir alguma coisa no bar molhado também faz um estrago na carteira, uma lata de suco Del Vale custava 4,90 e assim por diante... Leve a sua toalha, pois se não me engano o aluguel de uma saía por 7,00. Agora você não vai poder levar sua farofa, é proibido entrar com bebidas e alimentos, mas isso é regra geral nos hotéis e outros parques. Há fotógrafos tirando fotos suas, que podem ser gravadas em CD pelo módico preço de 10,00 cada foto, se não me engano. Se for de carro, há um estacionamento que também custa cerca de 10,00 e fica a certa distância da entrada, ou seja, não é bem na porta do parque. Não tenho certeza desses valores, pois não usei esses serviços. Há poucos funcionários, então o atendimento não é lá essas coisas. Não há salva-vidas no parque. A última dica do dia é acertar as contas antes das 17h para evitar as filas nos caixas. As atrações são desligadas/fechadas as 17h e a maioria das pessoas deixa para pagar o cartão depois disso. Então consuma o que tiver que consumir até as 16h30 e acerte as contas. Depois disso você ainda pode ficar no parque curtindo os últimos momentos. Voltamos de ônibus, descemos bem perto do hotel, tomamos banho e fomos ao centro num rodízio de pizza na Pizzaria Fornalha, local agradável, pizzas boas. Fomos cedo e estava muito tranqüilo, então a gente não dava conta, pois as pizzas vinham sem parar. Depois compramos os ingressos para o DiRoma Acqua Park e passamos na Praça Central e no Parque de Diversões.

 

05/01/2008 - Dia ensolarado

Lagoa de Corumbá, Clube Náutico, passeio de trenzinho pela cidade, Feira do Luar

 

Queria conhecer o Lago Corumbá, então pegamos um táxi, pois não existe ônibus circular pela cidade. Chegando lá, vi que o acesso ao Lago se dá pelo Clube Náutico. Talvez haja outro acesso por fora do clube, mas as atividades no lago, como os passeios de escuna e Jet Sky partem do píer do clube. Pagamos uma entrada cara, a mais cara da cidade, com exceção do Hot Park, e vimos apenas 3 piscinas pequenas, nenhuma atração em especial, nada diferente e um amontoado de gente. Talvez por ser sábado a situação estivesse assim tão caótica, mas ficamos decepcionados com a infra-estrutura do clube e com o atendimento. Não há guarda-volumes no local, então nem entramos nas piscinas, mas mesmo que tivesse, não havia espaço, pois as piscinas estavam lotadas. O atendimento no local resume-se a vários representantes tentando vender títulos do clube. Mas para que eu compraria um título se moro tão longe? Então, pouco tempo depois saí do local e fui procurar a administração para relatar o ocorrido. A atendente se ofereceu para estornar o valor das entradas e eu aceitei, pois não havia usufruído de nada do clube. Definitivamente não gostamos do local. Talvez tenha sido uma série de fatores que levaram a essa opinião, talvez tenha sido erro nosso não se informar sobre a infra-estrutura do clube antes de entrar, mas nenhum funcionário se prestou a dar orientação, pois a meu ver eles parecem ser orientados apenas para vender títulos. O clube está em reformas, segundo o projeto haverá uma grande ampliação com muitas atrações novas. Quem sabe depois dessa ampliação ele ficará bom, mas mesmo assim tenho minhas dúvidas, pois eles estão vendendo muitos títulos e não sei se ele será capaz de comportar todo esse fluxo de visitantes. Pela falta de chuvas, o nível da água do lago estava baixo e não vi nada de excepcional no lago. Voltamos para a cidade e almoçamos no Rest. Bella Napoles no sistema self-service com churrasco, local agradável, comida boa. À tarde fizemos o passeio de trenzinho com o pessoal do hotel. Achei interessante, pois visitamos algumas atrações que ficam mais afastadas, mas é jogo rápido, visitação, degustação, compras, vapt-vupt. Há alguns trenzinhos em frente ao parque de diversões, mas não há saídas regulares programadas. Normalmente os passeios de trem são contratados por excursões ou grupos, então se você está viajando por conta própria você tem que se encaixar em algum grupo. Passamos pelo Museu da Soja, que na verdade não é bem museu, é mais uma loja de produtos da Só Soja. O local é bonitinho e pode-se degustar vários produtos diferentes a base de soja. Paramos no Monumento às Águas e depois fomos ao Shopping Serra Verde. O mirante foi desativado, não é mais possível subir nas torres e o Mundo a Vapor, ao lado, virou cervejaria, embora ele ainda conserve a fachada, retratando aquele acidente de trem. Todo o local lembra Gramado. Dentro do shopping são vendidos os cristais e os chocolates Caracol de Gramado. O local é muito bonito, charmoso e os preços acompanham. Lá perto há uma malharia de Gramado e os doces caseiros da Vovó Maria. Voltamos à Cachaçaria Vale das Águas Quentes. Por último tomamos sorvete ao forno, numa outra sorveteria do centro, próxima à Igreja Matriz, que não lembro o nome, nem o endereço, talvez seja na R. Luiz J. Pereira, mas achei o local muito legal e nunca vi sorveteria com água free. Tinha um purificador de água e a gente podia se servir. O sorvete era bom, muito parecido com o da outra sorveteria. O trem nos deixou no hotel. À noite fomos à famosa Feira do Luar, o lugar estava lotado, era impossível andar pelos corredores. O forte do local é a comida e o artesanato. O artesanato tem algumas coisas diferentes, mas no geral é moda praia, malharia e chinelos bordados. Os preços são parecidos com os das lojas da cidade. Curiosamente, encontrei preços bons no Shopping Tropical, onde é bem mais tranqüilo e confortável para fazer compras. Demos uma volta olhando o que tinha para comer, tinha até barraca de yakissoba e, na segunda volta, compramos empadões goianos de duas barracas diferentes. Os dois eram bons, mas uma barraca tinha certo charme, oferecia opções com pequi e guariroba. Porém quando cheguei esses sabores já tinham acabado. Ganhei um imã de geladeira com a caricatura do casal da barraca, uma gracinha!

 

06/01/2008 - Manhã ensolarada/nublada, tarde nublada/chuvosa, noite chuvosa

Parque Estadual da Serra de Caldas Novas

 

Como domingo não era um bom dia para ir a algum clube/parque aquático, devido à lotação, decidimos fazer um passeio diferente, ir ao Parque Estadual da Serra de Caldas Novas (PESCAN), fomos de táxi, pois não há linhas de ônibus pela cidade. O parque tem infra-estrutura razoável, com centro de visitantes, auditório, alojamento, tem sanitários, tem recepção e os funcionários dão dicas de como seguir as trilhas. Atualmente não há guias, mas as trilhas são bem sinalizadas e fáceis de seguir. Não há lanchonetes dentro, nem nas proximidades do parque, então é necessário que leve seu lanche. Levei minha água também, mas disseram que as águas das trilhas são potáveis. Encontramos uma família muito simpática de Goiânia e fizemos as trilhas juntos. São duas as trilhas principais: Trilha da Cascatinha e Trilha do Paredão. A trilha da Cascatinha é fácil de ser percorrida, segue no meio de vegetação um pouco mais fechada, mas não é muito íngreme. Passa-se pela Trilha da Diversiflora e pelo Mirante da Cascatinha. Há placas com os nomes das plantas, passamos pelo “Pau Bosta” e daí em diante foi uma seqüência de paus: “Pau Santo”, “Pau Doce”, “Pau Terra de Folha Larga”, “Pau Terra de Folha Miúda” e depois para completar achamos um “Mandiocão”. Obviamente isso gerou muitas piadas e risadas... Porém além dos “Paus” há diversas outras plantas. O Luis Gonzaga, muito simpático e entendido do Cerrado, nos mostrou a gabiroba e até colheu uma fruta para a gente experimentar. Uma delícia! Sua esposa, Val, falou da Sorv. Frutos do Cerrado. A partir daquele momento, minha meta da viagem passou a ser experimentar todos os sorvetes de frutos do Cerrado que eu encontrasse. Voltando à trilha, a Cascatinha é linda e há um ótimo local para banho, a água é muita limpa e muito fria. Em frente à Cascatinha há um local muito agradável para fazer piquenique com mesas e bancos de madeira. Depois fizemos a Trilha do Paredão. Essa é mais puxada, é mais íngreme e há uma série de degraus a serem subidos. A trilha é mais aberta e o sol judia mais. Há mirantes no meio do caminho, que mostram uma bela paisagem e há uma cascata no final da trilha. Essa cascata é mais alta que a Cascatinha, porém o local onde está localizada é mais fechado, não bate sol, portanto a água é mais fria. Forma uma piscina para banho, mas não tão agradável e bonita quanto à da Cascatinha. Voltamos correndo, da trilha, pois começou a chover. Aproveitamos para passar pelo museu que tem animas taxidermizados. Particularmente, recomendo fazer a trilha do Paredão antes, quando se está com mais pique e depois curtir a Cascatinha. É passeio para meio dia ou pouco mais que isso, mas dá para curtir o parque o dia todo, principalmente se for preparado para um piquenique. Voltamos ao centro, almoçamos no Rest. Sarandi, no sistema self-service com churrasco, local simples, comida razoável. Depois do almoço passamos na Sorv. Frutos do Cerrado e experimentei mangaba, buriti, murici e pequi na forma de sorvete de massa. À noite jantamos no Rest. Show de Sabores, na Praça Central, comemos um tucunaré. A comida era simples e boa, mas o ambiente é bem barulhento, são barzinhos/restaurantes da praça.

 

07/01/2008 - Dia ensolarado/nublado

DiRoma Acqua Park

 

Fomos a pé para o DiRoma Acqua Park, pois eu queria conhecer a famosa piscina com ondas. Chegamos lá bem cedo, o local estava bem vazio e demos uma volta para fazer o reconhecimento da área. É bem grande e tem infra-estrutura boa. Alugamos um guarda-volumes, pela metade do preço do Hot Park. Tem a facilidade daquele cartão de consumo, mas é pré-pago, é necessário fazer um depósito. O almoço é por quilo, a comida é boa, mas poderia ser melhor, considerando-se o local. Há salva-vidas vigiando a piscina de ondas. Além da piscina com onda, tem várias piscinas de água quente, uma é coberta e a água é bem quente mesmo, também há três toboáguas, com diferentes alturas. A piscina com ondas funciona periodicamente, fica ligada por um tempo, depois permanece desligada por certo período. Nos períodos que fica desligada, o local é usado para a hidroginástica, sempre tem uma pessoa animando a galera, isso acontece em todos os clubes. É uma imitação de praia, é bem grande, começa rasinha e vai ficando mais funda, chega a cerca de 1,70 de profundidade. No fundo formam as ondas, que quebram na parte mais rasa da piscina. A água é de morna para fria, não é exatamente fria, mas não é quente, é tratada e pelo visto a água não é trocada diariamente como a água das outras piscinas de água quente. Apesar de ser segunda-feira, como era janeiro, o parque ficou bem cheio. Há obras ao lado do parque e o projeto contempla um parque aquático equipado com diversos brinquedos radicais. Jantamos um maravilhoso peixe na telha, no Rest. Papas, o ambiente é ótimo, tranquilo. Experimentamos mais alguns sabores de sorvete na Sorv. Sabor Nativo, fui de sorvete de massa de araçá, gabiroba, taperebá, araticum. Aproveitamos para comprar o ingresso do Lagoa Thermas Clube com almoço incluso.

 

08/01/2008 - Dia ensolarado/nublado, noite chuvosa

Lagoa Thermas Clube

 

Mais um dia de táxi, para ir para o Lagoa Thermas Clube. Arrumamos a mochila como sempre, água nas duas garrafinhas térmicas, boné, protetor solar, óculos escuros, toalha. Como de praxe, havia um aviso que era proibido entrar com alimentos e bebidas, mas achei chato, pois a funcionária do clube pediu para revistar a mochila. Na verdade, não foi uma revista, pois apenas abri a mochila e ela deu uma olhada por cima e nem viu minhas garrafinhas entre toalha, boné e outros itens. Acredito que seja apenas para coibir a farofada. Tirando essa primeira impressão ruim, o parque ocupa uma área grande, é muito bonito, bem arborizado e muito bem cuidado por vários funcionários. A infra-estrutura é boa, há muitas mesas, cadeiras e espreguiçadeiras, você não precisa correr para pegar uma e tem guarda-volumes a 3,00. Tem muitas piscinas, uma delas é bem grande e com várias duchas, você não precisa aguardar horas, como nos outros parques, para ter uma ducha te massageando. Há dois toboáguas e um escorregador bem acentuado. Também há rampas e outros toboáguas mais suaves. Há uma piscina infantil, toda decorada. Há vários salva-vidas, nas piscinas e nos brinquedos. No dia em que fomos não estava cheia e também como há várias piscinas, o ambiente é muito mais agradável e a qualidade das águas bem melhor. Há área grande e arborizada para camping. Tem a famosa Lagoa de Pirapitinga e as nascentes termais Poços do Cozinha Ovos, a qual leva esse nome, por ter águas brotando a 57°C. Porém a água do Ribeirão Pirapitinga entra nas nascentes e deixa a água mais morna, então de fato não é possível cozinhar um ovo, como o nome diz. Não sei se na época de seca, com o nível bem baixo do rio, seja possível sentir essa temperatura. O almoço no sistema self service é bom. O buffet de sobremesas é à parte. Os preços são razoáveis e, dos parques visitados, considero a melhor relação custo/benefício. À noite jantamos no Rest. Nonna Mia, comemos um galeto excelente, lembramos de Gramado. Depois experimentamos mais alguns picolés do Frutos do Cerrado, cagaita e mama-cadela.

 

09/01/2008 - Dia ensolarado/nublado

Rua do Turismo, Rodoviária de Caldas Novas, Rodoviária de Uberlândia, Rodoviária de Araxá, Hotel Virgilius

 

Aproveitamos a manhã para dar uma última volta em Caldas Novas. Resolvemos ir para um lado que não tínhamos visitado ainda, a Rua do Turismo. É bem legal, tem várias lojas de roupas, doces, licores, etc. Encontramos uma loja exclusiva da Havaianas. Nunca vi tantas Havaianas juntas e tão diferentes. A loja é muito interessante, tinha desde modelos mais simples até mais sofisticados por cerca de 50,00. Passamos perto do Balneário Municipal, que está em reforma. Depois deixamos a cidade em direção a Araxá

 

Continua no relato de Araxá

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Bem completo seu relato. Obrigado por compartilhar!

 

olá, fico feliz q tenha gostado.

o relato é meio antigo, mas minha irma tá indo p/ lá hj e qdo ela voltar eu pego dicas novas c/ ela p/ atualizar aqui!

 

Trilhas:

Grupo CamEcol - Caminhadas Ecológicas Taubaté

 

Relatos mais recentes:

3 dias em Monte Verde - dez/2014

21 dias na BA - fev/2014 - Parte 1: Arraial d'Ajuda | Parte 2: Caraíva | Parte 3: Trancoso | Parte 4: Porto Seguro

 

11 dias na BA - dez/2013 - Parte 1 e 3: Salvador | Parte 2: Costa do Dendê - Ilha de Boipeba e Morro de São Paulo

21 dias em SE e AL - fev-mar/2013 - Parte 1: Aracaju | Parte 2: Maceió | Parte 3: Maragogi

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

Entre para seguir isso  

  • Conteúdo Similar

    • Por capfernandes95
      O pessoal que tiver interesse em ir para Caldas Novas, procure a pousada Recanto das Caldas (http://www.recantodascaldas.com.br). è uma pousada barata e muito boa. Um apartamento para 3 pessoas estava na faixa de 85,00 (o apartamento, não cada um!).
      Fica a 2 quadras do centro comercial da cidade.
      Caso queiram ir aos parques, não deixe de ir no Hot Park, em Rio Quente, a 26 km do centro de caldas e no Lagoa Quente, a 6 km do centro de caldas. É bom chegar cedo, para pegar uma boa qualidade da água.
      O almoço dentro do Hot Park está 17,00 livre, é excelente e a bebida (refigerante e suco) é a vontade.
      Os restaurantes na cidade são bem baratos (pelo menos em setembro), cerca de 5,90 o buffet livre.
      Os parques dos hotéis Di Roma ficam muito cheios no domingo. Se puder, vá durante a semana.
    • Por mineirinha_30
      Fala galera!
       
      Como tive muitas contribuições aqui no Mochileiros de várias pessoas com relatos, perguntas, respostas e afins, em especial da Naomi, resolvi fazer um pequeno relato desta minha mini mochila em Caldas, e com este poder contribuir de alguma forma.
       
      Saímos um pequeno grupo (4 pessoas)de Uberaba/mg no dia 16/08 as 8hs de ônibus convencional até a cidade de Araguari,cidadezinha pequenininha mesmo, almoçamos em um restaurante tipo Self-Service, comida mineira boa e barata, achei muito legal, na entrada tem um carro-de-boi e decoração do tal é neste estilo, panelas de ferro e coisinhas da roça rsrs. Voltamos a rodoviária de Araguari pegamos outro busu até Caldas. Duas horas dentro de cada busu.
       
      1º dia:
      Chegamos em Caldas as 13hs fizemos o check-in no hostel, deixamos malas e fomos fazer um pequeno passeio ao centro, cidade pequena, mas cidade turística, várias lojinhas,bares, restaurantes e afins.
      A noite fomos a Feira do Luar com várias e várias e várias barraquinhas, comi o tal do "Empadão Goiano", gente aquilo é um almoço e uma janta completa! kkkk tem tudo dentro, delícia!
      Obs: fizemos "amizade" com um taxista local, gente boa,o Gilson, até conseguimos ingressos para o parque aquático mais baratim R$36,00. Preço atual: R$ 49,00 adulto na portaria e R$ 44,00 compra on-line antecipado / estacionamento R$ 10,00.
       
      2º dia:
      Após café da manhã no hostel mesmo, que é muito bom, fomos ao Lagoa (dica da Naomi kkk)
      Lagoa, parque da lagoa quente, famosa cozinha ovos,lugar maravilhoso, piscinas limpas, lugar agradável, passeio de charrete e a cavalho pelo parque. tem tantas opções que fica difícil detalhar todos, enfim fiz tudo a que tinha direito, principalmente ficar que nem jacaré, só a cabecinha do corpo pra fora d'água quentinha . Almoço no clube mesmo, Prato Executivo - Restaurante do Bosque: R$ 15,00 / Self-Service - A Vontade com Sobremesa: R$ 25,00 /Pessoa
      Depois hostel, outro passeio no centro, janta no bob´s, volta hostel e hidromassagem , hostel oferece 2 piscinas quentes, sauna e hidro 24 hs e depois descanso.
       
      3º dia:
      Mais Lagoa, mais água quentinha, mais ficando que nem jacaré, mais hostel, mais janta no centro ("empadão goiano").
       
      4º dia:
      Café no hostel, almoço no centro , churrascaria Sarandi R$14,00 com sobremesa, churrasco e comida a vontade.
      Com o tal taxista Gilson fizemos um tour pela cidade a tarde, duas horas a R$60,00 no qual inclui:
       
      Casarão
      Centro cultural de caldas. Mini-museu local com algumas obras de arte.
       
       
      Jardim Japonês
      Lindo lugar traquilo 2,00 a entrada (que é o valor do cartão postal do jardim que entregam na saída)com direito a guia do local explicando cada luminária, portal, planta caminhos e fontes etc.
       
      Cachaçaria
      Pequena capela , tonéis, provas de licores e uma pequena lojinha com doces, licores, e cachaça é claro.
       
      O guia Gilson e gente boa, detalhista e paciente dando várias explicações do mesmo e várias paradas para fotos,inclusive esperando compra de passagem na rodoviária sem cobrar valor a mais (olha que teve uma fila imensa).
       
       
      5º dia:
      Café hostel, mais piscina, sauna, mais hidro,mais arrumar malas e pegar estrada de volta.
       
       
      Apesar da cidade ser pequena, é aconchegante, povo solícito, agradável. Cidade ideal para descansar, adorei tudo e com certeza voltarei para um breve descanso.
       
       
      Gastos:
       
      Como aprendi aqui no Mochileiros viagens não se tem gastos, se tem investimentos.
      hospedagem: R$440,00 (total de 5 diárias com café da manhã) total de R$110,000 por pessoa.
      parque: R$72,00 2 dias
      tour c/ taxista : R$60,00 (por 4 pessoas R$15,00)
      empadão: R$9,00
      churrascaria: R$14,00
      táxi ate parque : R$30,00 (ida e volta contratado antecipadamente com taxista)
       
       
       

       
       

       

       

       

       
       
      "Viajar é o meu destino, a estrada é minha morada"
       

    • Por u2aninha
      Mochileiras,
       
      Esse ano em função da jornada mundial da juventude no Rio de Janeiro eu decidi fugir do frio para águas quentes de Cladas novas. Sai com Deus e minha mochila no final da tarde de quarta 24/7/13 e voltei na segunda de manhã (29/7/13). Fui por Uberlândia, pq o voo para Goiânia tava caro.
       
      Passagem Rio Uberlândia Rio R$ 331,52 pela Tam
       
      Quarta
      Saída de Rio 16h, com conexão em congonhas. Cheguei no aeroporto de Uberlândia 21h, apesar da previsão ser 20h. Peguei um taxi para o hotel real que fica colado na rodoviária. Pernoite R$48,00, quarto privativo com cama de solteiro e chuveiro quente. Limpo e familiar.
      A corrida do taxi deu R$30,00.
      Passagem de ônibus Uberlândia – caldas novas –uberlândia R$76,00 no site da expresso nacional com antecedência.
       
      Quinta
      O ônibus teria que sair as 6:15h, mas acabou saindo 7h. Fui dormindo. Atenção: ônibus com ar condicionado. Cheguei em Caldas por volta de 10h. Peguei um taxi e paguei R$20,00 até o hotel (o preço é tabelado).O taxista me explicou que se eu pedir para chamar um taxi em qualquer hotel de caldas, a pessoa que chamou ganha R$5. Daí é melhor pegar no ponto ou ligar do meu celular.
      Hotel Imperador – reservei pelo booking.com por R$100,00 quarto com cama de casal, ar condicionado e banheiro privativo.
      Cheguei no hotel e não gostei da falta de simpatia do atendimento: perguntei sobre os ingressos dos parques que eles vendiam e monossílabo qualquer foi dito...Subi pro quarto carregando minha mochila e nada contra simplicidade, mas eu esperava um quarto melhor pelos 100 reais cobrados.
      Então andei um pouco até o shopping tropical e só por curiosidade fui perguntando o preço dos hotéis. Descobri aí o hotel canto das sereias por R$45 a suíte com ventilador de teto, cama de casal e café da manhã. Acabei vendo também uma pousadinha que tem quarto coletivo, mas não me interessava e a suíte casal era 45 também.
      Almocei no último andar do shopping R$10 self service com churrasco e pode repetir.
      A cidade é bacana para comprar biquíni, pq tem muita confecção
      No primeiro andar do shopping comprei o ingresso vespertino para o Water Park que dá para ir a pé do shopping.
       
      Water park – R$27,00 a partir de 132h. Não gostei muito, pq só tem uma piscina morna, as outras são frias. Tem brinquedos para criança e adultos e piscina fria de ondas.
       
      Sexta
      Peguei minha mochila e fui para hotel canto da sereia bem cedo. Daí fui comprar o ingresso do hot park R$99,00 no hotel Goiás e o recepcionista me disse para eu não ter pressa pq o ônibus passava de hora em hora. Mentira!O ônibus passa em frente ao hotel triangulo 8:30 e 10:00, como a moça do shopping tinha me dito na quinta. O ônibus tava lotado e caindo aos pedaços, R$2,40.
       
      Hot park. R$99. Muito bom, fui em quase todos os brinquedos e levei um sanduba e biscoitos na bolsa, pq lá td é absurdamente caro. Comi discretamente, pq a rigor não pode entrar com comida. Não entrei na piscina do bar pq fiquei com nojo, ela é escura, daí mijão passa discreto. A temperatura?... coloquei um dedo do pé e é de xixi.
      Mas a melhor experiência do hot park é o rio que passa dentro do empreendimento e é quente , transparente e cheios de peixes negros. Não posso esquecer da piscina de ondas quentes, onde eu me acabei. Virei criança, mas sem esquecer do horário da volta do ônibus 17:15 e 19h. O ônibus é lotadão.
       
      Jantar: Fui experimentar o famoso empadão goiano da Vânia e é de fato muito bom.
       
      Sábado
      Fiz uma caminhada até o casarão para comer um bolo de aipim delicioso e depois caminhei bastante até o jardim japonês, que sinceramente não vi muita graça. Daí chamei o moto taxi para me levar no lagoa park. Foi R$10 para ir e R$10 para voltar. Se vc tiver companhia é melhor o taxi R$20 para ir e R$ 20 para voltar.
       
      Lagoa Park – Dei mole de não comprar o ingresso antes e paguei R$59,00 na entrada. O almoço executivo não é caro. Os brinquedos são bons, mas depois do hot park fica td repetitivo. Evitei a piscina mais quente, pq essa além da urina também fedia a cloro. Ah..lá tem camping.
       
      Jantar: Fui na tal feirinha do luar e achei bacana para comer e comprar camisola. Muvuca total. Tem o bolinho de bacalhau, sopa e crepe e doces. crepe e torta p mim.
       
      Domingo
      Como era o dia do retorno e muita gente falou mal do tropical e de outro (ccb ou ccd,,sei lá, )decidi conhecer o privê.
       
      Privê- Dentro da cidade, ao lado do water. Bem em conta R$22 com antecedência. Foi uma gradável surpresa!!! Tava super limpo, sem muvuca (O brinquedo tava reformando) e o melhor? As piscinas bem quentinhas. Tem piscina fria também, mas acho que é só uma.
       
      ME DEI MAL: Peguei o ônibus de Caldas para Uberlândia as 15h, achando que a volta era semelhante a ida, mas em vez de 3 h levou 6h. Pelo que conversei com os passageiros não há outra alternativa. Então se vc for só a Caldas volte para casa por Goiânia e se for com galera veja se não vale a pena dividir um taxi.
      O trenzinho é sem graça, talvez o de maior duração seja melhor.
      Comprar ingresso no hotel Goiás ou na entrada do parque.
       
      ME DEI BEM: A troca de hotel foi muito boa. Até o café da manhã era melhor. Acho q eu fiz bem em evitar o hot park no final de semana, pq tava cheio mas deu para aproveitar tudo e o guarda de lá me disse que final de semana é muito mais cheio.
       
      dicas:
      HOTEL CANTO DA SERRA- CALDAS NOVAS – (64) 3453-2234
      POUSADA DO CHÁ (acho que tem quarto coletivo) (64) 3453-7968
      TAXI CALDAS NOVAS (64) 9974-0047
      Lagoa park vespertino é R$33,00
      Expresso nacional de Uberlândia – caldas =R$28,75
      Hotel real – Uberlândia (34) 3231 4540.
      http://www.hotelrealudi.com.br/
    • Por Rafa!
      e ai galera! primeiro gostaria de agradecer os relatos anteriores, que ajudaram bastantea planejar a viagem, e contribuir com o meu primeiro relato aqui tambem! espero ser útil!
      fomos (eu e minha namorada) de carro para caldas novas... aproximadamente 2 horas de viajem de araguari-mg, primeiro passamos no parque estadual serra de caldas. são duas trilhas, a do paredão, com 1 km, é no sol, tem bastante escadas no caminho e , um mirante onde da para ver a cidade de caldas. da para se refrescar um pouco na lagoinha que se forma no fim do paredão. é bom levar água, o clima é muito seco. a segunda é a trilha da cascatinha(recomendo esta) eta tem 600 metros, toda na sombra, possível ver a fauna e flora local, um espaço grande no final, da para descansar, tomar banho na cachoeirinha, fazer um piquenique. na entrada do parque tem um museu, com vários animais empalhados. o preço pra entrar no parque é de 5,00 por pessoa, pode entrar das 8:00 até as 15:00, ele fecha as 17:00. Não é permitido acampar e não tem lanchonete. é próximo da cidade (5km), vale a pena conhecer! Reservamos uma manha pra conhecer tudo.
       
      Depois do parque partimos para o lagoa termas parque a uns 6 km da cidade. 80 reias por pessoa por 2 dias no parque mais uma noite na area de camping ou 55 pra passar 1 dia no parque.
       
      A area de camping é bem estruturada, muito espaçosa, toda na sombra e bem limpo, com tomadas, churrasqueiras e torneiras disponíveis, além de banheiro exclusivo pra quem está na área de camping. O carro fica estacionado ao lado da barraca e pode levar comida e bebida a vontade. O parque é muito bom. Com diversas opções de lazer, com toboáguas, half, piscinas aquecidas e frias, passeio a cavalo. Refeiçoes no parque são bem caras com opção de self service por 28 reais por pessoas, prato executivo por 18 e espetinho por 11 reais.
       
      Durante a noite não é permitido usar as piscinas do parque que são esvaziadas e limpas , apenas uma piscina exclusiva para os campistas, que estava demasiadamente quente.. tipo insuportavel!
       
      2 dias são o suficiente no parque, mas que isso acredito que ficaria cansativo.
       
      Na volta passamos ainda passamos pelo jardim japonês dentro da cidade, 2 reais por pessoa pra entrar, tem um museu e alguns animais, porém não entramos para conhecer..
       
      No geral foi uma boa viajem a preço acessível! Valeu até a próxima
    • Por mcm
      Quando a Gol meteu uma daquelas promoções de fim de semana irrecusáveis, vimos que a passagem para Goiania estava mais que convidativa. E nos lançamos a conhecer um destino que nos intrigava: Caldas Novas. Mas será que é “somente” isso mesmo de parques aquáticos?, era nossa questão. Nada melhor do que conferir in loco. Assim fizemos.
       
      Chegamos a Goiânia já no começo da madrugada de sexta para sábado. Apenas pegamos o carro alugado e fomos dormir no hotel guerreiro, mas honesto, que havíamos reservado.
       
      Dia seguinte partimos cedo para Caldas Novas. Dei mole em algum canto, porque um mês depois recebi uma bela de uma multa, daquelas para eu nunca mais deixar de prestar atenção à sinalização e aos sinais de radares. Enfim, umas duas horas depois estávamos chegando na bifurcação Caldas Novas – Rio Quente.
       
      Nosso plano era basicamente conhecer um parque por dia, ou seja, dois parques. Elegemos o bambambã Hot Park para conhecermos logo de cara. A facada da entrada pode ser levemente atenuada comprando-se antecipadamente via Inet. E a entrada lhe dá direito a entrar e usufruir das piscinas e tobogãs, nada muito além disso. O que, para mim, já estava de bom tamanho. Tem muita coisa pra curtir num dia inteiro (chegamos pouco depois da abertura), sobretudo para valorizar o salgado preço da entrada.
       


       
      São várias piscinas. Tem para a criançada, tem as dos tobogãs (alguns são meio sinistros, como o Xpirado, mas experimentei acho que quase tudo o que podia. Um dos baratos é mesmo ficar na Praia do Cerrado, onde rolam as ondas (mas acho que é de hora em hora). Além disso, rolam showzinhos, equipe de animação, etc. É meio que pra ninguém ficar parado. Consta que não se pode entrar com comida e bebidas (e as coisas lá dentro são bem salgadas), mas vi alguns com coisas malocadas. Deixamos a fome para o fim do dia. Como estamos em Goiás, a ideia era saborear um Empadão Goiano!
       

      Xpirado
       
      Rodamos bastante, curtimos a Praia do Cerrado durante quase toda a manhã, depois subimos para curtir melhor a parte de cima. É onde tem piscinas mais quentinhas, de água natural. Uma delas tem até chão de terra, ou de pedra, ou coisa parecida. Curtimos. Tem uma área que me pareceu bem bacana, onde você pode andar de barco, ou fazer snorkel, ou ainda mergulhar de cilindro. Tudo pago, e nada em conta, pelo contrário. Dispensamos. Depois curtimos os tobogãs, inclusive o Xpirado, e voltamos para a praia para curtir o resto do dia.
       

      Aqui é pra fluir com a corrente artificial
       
      Fomos embora no fim da tarde, partimos para Caldas Novas. Largamos as coisas na nossa pousada – Sampaio Hotel , preços muito convidativos e atendimento cativante; reservamos via booking – e fomos saborear o Empadão da Tania, badalado pelo Quatro Rodas. É muito saboroso mesmo, mas não é lá tão em conta. Quatro Rodas inflaciona as coisas! Demos ainda um rolê pela feirinha (muito muvucada, e com muita fumaça de gordura) e pelo parquinho antes de voltarmos para um justo sono.
       

      Emapdão Goiano -- muito bom!
       
      No domingo fomos conhecer o Lagoa Termas Parque. É lá onde tem a Lagoa Quente de Pirapitinga, a primeira fonte de água termal descoberta em Caldas Novas. Achei que lá talvez até tenha mais tobogãs que o Hot Park, mas o espaço é evidentemente menor (o Hot Park é muito grande). Ainda assim dá pra curtir tranquilamente. Pode ficar descendo nos tobogãs, pode ficar de boia na piscina com corrente, pode ficar nas piscinas de águas (MUITO) quentes. E tem a equipe de animação, tem showzinho de tarde e etc.
       

      Lagoa Quente
       
      Curtimos bastante, sobretudo a alternância entre a água quente (era muito quente mesmo) e as “frias” (que eram normais). Além da caminhadinha até a Pirapitinga.
       

      Nos arredores da Pirapitinga, uma área mais calma do parque
       
      No meio da tarde batemos em retirada para Goiânia. Nosso voo era no meio da noite, fomos conferir a Feira do Sol, que rola todo domingo na cidade. Rodamos um pouco por lá, mas não quisemos ficar. Acabamos numa pizzaria por lá, muito boa! E depois partimos de volta para o aeroporto e para o Rio.
       
      Mais um fim de semana desbravando algum canto no Brasil.


×
×
  • Criar Novo...