Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Rogerio Felix

Barra do Garças

Posts Recomendados

Nobres e bons companheiros,

 

Saudações a todos! Em janeiro agora estou indo de ônibus a Barra do Garça a partir do Rio de Janeiro. Precisaria de algumas dicas:

- O melhor é ir a partir de Goiania, não?

- Como é o clima na região nesse período? Chove muito?

- Como é o esquema de estadia na região? Viajo com apetrechos de Camping, mas existem pousadas lá? Bem vou aguardar algum contato para aprofundar as perguntas. Semana retrasada abri um tópico sobre a Serra do Roncador e ninguém respondeu... Talvez sinal que esses caminhos não são muito comuns.

 

Abraço a todos,

 

André

Compartilhar este post


Link para o post

André,

 

Tu pode sair do Rio, passar por Minas e seguir ou por Brasilia ou seguir como quem vai para o Mt, Tu segue em direção a Rio Verde-Go,Dai tem 2 opções, ou subir por Goiania( + perto) ou ir pelo mato Grosso ( Mais emocionante). Quanto ao Clima da região, nessa época costuma chover, mas como em tempo nao se acredita, pode ser que tu tenha sorte,As estadias podem ser variadas, dependendo de seu bolso, tem camping, Pousada, hotel, a cidade recebe bastante turista de todo o pais. Espero que encontre boas praias de rio que são maravilhosas.

 

Valeu,

 

Rog.

Compartilhar este post


Link para o post

Tem q ver direitinho as condições das estradas, pois agora com as chuvas algumas ficam bem judiadas. Eu quase fui pr'aqueles lados ano passado, não achei muitas informaçòes sobre campings, realmente é meio complicado de achar informaçòes sobre viagens praquelas bandas...

 

Acho que agora vai pegar muita chuva, eu deixaria pra ir na época do inverno, até pq nào vai poder pegar as tais praias de rio, agora estará tudo cheio.

 

[]'s

Compartilhar este post


Link para o post

Sanuel,

 

Concordo com vc, nessa época do ano esta chovendo em todos os lugares do pais e naqueles lados tem o agravante de que as estradas são super precárias e os riscos de se chagar a um local fica dificil e é muito pouco provavel que as estradas estejam boas. Se tu optar ir por Goiania, o bicho fica dificil ainda mais. Bem melhor ir numa época onde a chuva seja pouca e as estradas estejam ao menos secas e sem buracos.

 

Rog.

Compartilhar este post


Link para o post

Em relação à Serra do Roncador, parece ser um lugar muito interessante, acho que não é divulgada e explorada turísticamente como merece, estou certo?

 

Acho q tem tudo pra se tornar um destino ecoturístico muito interessante, entretanto não vejo muita coisa sobre essa região por aí... pq será?

 

Qto à Barra do Garças, ano passado adiei um projeto por lá, espero que nesse ano consiga realizá-lo, quem sabe não rola um esquema de dividir as despesas pra lá após as chuvas.

 

[]´s

Compartilhar este post


Link para o post

Caros samuel e Rogério,

 

Já estou na região do Roncador faz mais ou menos 13 dias. Estou enviandoessa mensagem de Nova Xavantina. Depois com mais calma trocamos informações. Muito obrigado pelas informações. Abraços, André.

Compartilhar este post


Link para o post

A Serra do Roncador foi onde o Coronel Fawcett desapareceu... é um lugar que gostaria de conhecer. Já li dois livros sobre a história de Fawcett e achei muito interessante a obstinação dele em encontrar uma civilização desaparecida nesta região ... vai ver que a tal cidade ainda está por lá e ninguém encontrou.

 

Escreva um report quando voltar da viagem.

Compartilhar este post


Link para o post

Nobres e bons companheiros,

 

Como foi solicitado segue um breve relato de minhas andanças no Roncador.

 

Meu interesse de conhcer a região se deu num misto de conhecer meu país (conheço pouquíssimo o Centro-Oeste), visitar um espaço de eco-sistema ainda selvagem... mas principalmente o fascínio pela mística que envolve a Serra do Roncador e as mais diferentes narrativas que tem como cenário essa região.

 

Ao contrário das Chapadas (Diamantina, Veadeiros e Guimarães) pouca informação se consegue sobre o Roncador. No gia 4 Rodas atual, a Serra nem aparece.

 

Assim mesmo viajei meio no escuro sabendo que Barra do Garça era a porta de entrada para a região do Roncador. A idéia era a partir dali planejar a exploração da região. Para vocês terem idéia de como essa parte do país é interesante: Stevens Spielberg criou o personagem Indiana Jones baseado no coronel inglês Percy Harrison Fawcett, que em 1925 desapareceu nas Serras do Roncador, após passar quase 10 anos de sua vida procurando uma cidade perdida na região, a mítica El Dorados - que para Fawcett era resquício da civilização atlante. Seu desaparecimento é cercado de controvérsias que vão desde o pesquisador ter encontrado a cidade até de ter sido morto por índios xavantes. Mas a verdade é que a região tem sido abordada com frequência nos últimos 50 anos tanto pela mídia quanto pelos trabalhos de diversos movimentos espirituais, que vêem no Roncador o local de onde se originará uma nova civilização. De Barra do Garça até Água Boa (uns 250 kms ao norte) exitem diversos grupos espirituais voltados estudos do Roncador. Maioria desse tipo de abordagem se mistura com muita fantasia, desequilíbrio psicológico e coisa desse nível... mas o que sobra de papo sério sobre esse assunto torna o Roncador um lugar muito interessante de se conhecer.

 

Cheguei em Barra de ônibus vindo do Sul de Minas com escala obrigatória em Goiânia. Fiquei num hotelzinho próximo ao centro muito simples com quarto a 10 reais. Na cidade conheci o Parque de águas quentes e o Parque da Serra Azul. Saindo de um ponto próximo à cidade é possível percorrer uma trilha que passa por 10 cachoeira de água não gelada (quem conhece as cachoeiras da Mantiqueira como as de Aiuroca sabe doque estou falando). No terceiro dia fui conhecer a gruta dos pezinhos famosa por suas inscrições rupestres no formato de pés numa parede vertical... são pegadas de animais e de humanos - algumas com misteriosos 6 dedos. A visitação da gruta agora é feita sob acampanhamento da FEMA (Fundação Estadual de Meio-Ambiente de Mato-Grosso) que nos acompanha na visita e solicita a chave da porteira que conduz ao local - após depredações, a área agora está sob responsabilidade da aeronáutica, que tem uma base ali na Serra.

Após contatos com moradores da região e pesquisa na Internet, fiz um programa de conhecer alguns pontos chaves: uma parte ligada aos relatos da expedição de Fawcett no Roncador e outra parte às tribos e parques indígenas na região. Em relação às narrativas fantásticas do Roncador queria conhecer: A gruta Seca, A Gruta Azul, A Lagoa Encantada, O Portal do Roncador. Quanto ao interesse sobre a cultura indígena pensava em conhecer alguma aldeia e o Parque Nacional do Xingu - o maior do País.

Encontrei duas grandes dificuldades durante todo o caminho. Esse período é extremamente chuvoso em Mato-Grosso, é o chamado inverno mato-grossense. Esse é um fator que dificulta muito os projetos de caminhadas. Outra dificuldade foi a ausência de um transporte já que os pontos de visitação ficam em locais de difícil acesso.

 

Sai de Barra com um contato que segundo me informaram me abriria as portas para conhecer parte da Região. Era o Maurinho, um proprietário de um chácara no pé-da-Serra que faz o trabalho de guia para visitação em diversos pontos na Serra. O Sítio do Mauro fica justamente abaixo do chamado Dedo de Deus, uma formação de bico de serra cuja foto é fácil de se achar na internet... quase um cartão postal da serra. Resolvi então mudar a estratégia de viagem. Ao invés de me espichar Roncador acima, resolvi me ancorar na propriedade de Mauro. Como ele estava finalizando contruções de quartos e chalés num fundo da propriedade, fiquei num quartinho semi-pronto com meu saco de dormir. Pousei lá durante 14 dias. Quando alguém aparecia de carro pedindo para conhecer algum canto da Serra, eu ia junto. Foi assim que eu conheci a cachoeira do São Francisco, que fica seguindo 30 km pelo altiplano do Roncador... lugar fantástico, cachoeira de verdade com gruta debaixo da queda e tudo. Outra trilha feita foi a da Pedra Verde, atravessando um pedaço da Serra num corredor cavado entre dois imensos blocos de pedra limosa, pincelados por pequenas cachoeiras dos dois lado, com árvores centenárias caídas pelo caminho, passando por grutas recém-descobertas... um cenário mezozóico em sua beleza selvagem... se aparecesse um tiranossauro ali, me espantaria pouco. Isso é uma coisa muito interessante no Roncador. É um lugar muito inexplorado. Basta uma expedição de dois dias, um acaso e eis um lugar que ninguém conhecia.

Inclusive, um motivo de frustação nessa viagem diz respeito a uma expedição planejada e não realizada. Conversando com Mauro fiquei sabendo de um grupo espiritual pediu para ser levado a um lugar específico ali na Serra. Era uma espécie de Canyon onde se abriam 2 grandes portais - eu os vi de longe... lembra senhor dos anéis. Foram 5 dias de expedição num lugar não tocado pelo homem, descobrindo grutas com cachoeiras subterrâneas e lagoas, matas virgens, contato visual com onças e uma interessante busca por contato com núcleos de civilização intraterrena. Tínhamos planejado uma expedição de 7 dias pelo Canyon... visitando com mais calma alguns lugares que não foram explorados. No entanto, as pessoas que tínhamos pensado para compor o grupo não puderam ir.

Fora isso, fizemos algumas caminhadas de dia inteiro nas encostas, passando por cachoeiras onde poucas pessoas tomam banho... e no último dia pernoitamos no cume da serra próximo ao Dedo de Deus... como começou a chover, desmontamos as barracas de um platô de pedra com medo da dupla vento & raio e migramos improvisadamente para uma gruta - um conhecido pouso de onça, todos atentos ao horário de 4 horas, quando o bichano costuma retornar a esses lugares.

Apesar de não ter seguido viagem como tinha planejado, minha permanencia com Mauro permitiu auxiliá-lo na elaboração de sua Ong ou instituto chamado Portal do Roncador, que tem por objetivo trabalhar com questões ambientais e culturais da região.

E por fim, percebi o seguinte: eu só fui para lá para montar a base de uma expedição seguinte. Vai ser em julho desse ano, período da seca. De cara já vai ser possível conhecer as famosas praias do Araguaia. Estou tentando montar um grupo. Precisamos mobilizar uma ou duas pessoas de carro para fazermos os roteiros mais afastados e lendários... alguns ficam em reservas indígenas - que também só podem ser visitada de carro. A idéia é montar uma expedição ao Grand Canyon do Roncador de 7 dias. No último dia encontrei com um bombeiro de Barra do Garça, que visitava o Mauro e planejamos um outro roteiro: 4 ou 5 dias descndo o Araguaia ou o Rio das Mortes em Caiaques-canoas... dormindo na beisa do rio e tudo. Esse é um movimento que no mínimo, no mínimo tomaria 3 semanas de julho.

Minha idéia para 2005 era passar julho inteiro percorrendo a Chapada Diamantina. Mas mudei de idéia... o Roncador vale muito a pena. Vamos manter contato caso haja interesse.

 

Nobres Ever(?), Samuel e Rogério, obrigado pela atenção e pelas informações. Como esse foi um relato muito superficial, qualquer informação adicional é só me acessar.

 

Como dizem os Jedis: que a força esteja com vocês.

 

Grande abraço,

 

André.

Compartilhar este post


Link para o post

Tô dentro dessa expedição em julho! E já disponibilizo a minha toyotinha bandeirante para encararmos os trechos que forem mais complicados! É só acertarmos os detalhes!!!

 

A Serra do Roncador deve ser espetacular! Andei lendo umas matérias na net, inclusive uma bem interessante da expedição Roncador-Xingu dos Villas-Boas, fascinante!!!

 

Confiram em: http://www2.uol.com.br/caminhosdaterra/reportagens/140_roncador.shtml

 

"Use the force, Luke!" :-)

 

[]'s!

Compartilhar este post


Link para o post

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×
×
  • Criar Novo...