Ir para conteúdo
criskeune

Medicamentos em Viagem - Como proceder de forma segura?

Posts Recomendados

Bom dia, mochileiros,

 

Gostaria de uma dica de vocês quanto à questão de levar medicamentos em viagens.

 

No próximo sábado (dia 02/02/2013) eu começo minha viagem de 31 dias pela Europa. Irei pela TAP, de Porto Alegre a Londres, com conexão em Lisboa. Após Londres, vou de Lufthansa até Munique e de lá, sigo a viagem de trem pelos outros destinos.

 

Minha dúvida aqui se refere a questão de estar portando medicamentos durante as passagens pelas imigrações e segurança (em Lisboa, Londres e Munique).

 

Eu preciso levar uma certa quantidade considerável de medicamentos, pois tomo dois de uso contínuo (Syntrhoid, o T4, que é reposição hormonal da tireóide e um ansiolítico de venda restrita), e outros de uso temporário (remédio para varires e um anti fúngico em pomada), além de medicamento simples como Luftal, analgésicos, anti-inflamatórios e antialérgicos. Então, como é uma viagem de 30 dias, praticamente vou levar uma superfarmácia, e isso me deixa um pouco apreensiva em relação à possível revista de bagagens, apesar de todos estes remédios terem a devida prescrição médica.

 

Mas as receitas não estão em inglês e algumas delas (ansiolítico de venda restrita) ficaram retidas com a farmácia. Como faço para comprovar a prescrição e necessidade de uso desses medicamentos, caso minha bagagem seja revistada? Devo pedir para o médico me fornecer a prescrição em inglês também, ou isso é desnecessário? (Não irei comprar lá, apenas já eastarei levando comigo na bagagem)

 

Porém, quanto à medicação anti fúngica, se trata de um creme dermatológico (que vai ter de ir na mala de bordo, por causa de restrição de "líquidos"). O medicamento é o CANESTEN (princípio ativo Clotrimazol), e eu creio que precisarei levar umas 2 a 3 bisnagas para o uso diário por 30 dias, que é o período do tratamento. Alguém sabe se esse creme dermatológico anti fúngico pode ser adquirodo na Europa sem problemas em farmácias ou é aquela complicação em relação à receita? (mesmo que eu a tenha em português?). No Brasil, na bula está escrito que é medicamento de "venda sem prescrição médica". No exterior também tem a mesma classificação?

 

Pergunto isso porque não estava a fim de levar 3 bisnagas desse creme, por receio no controle de bagagens e por isso estava pensando em levar apenas 1 bisnaga e comprar o resto por lá mesmo, a medida que eu for precisando. Alguém sabe se isso é possível, ou pelo menos onde eu posso checar essa informação? Ou levo as três bisnagas mesmo e deixo de me preocupar?

 

Com os outros medicamentos, não tem problema, pois estarei levando apenas uma caixa de cada um deles.

 

Abs,

 

Cris

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para os medicamentos, deve ter todas as receitas discriminando posologia e total necessário pelo tempo da viagem. Ex. na receita o médico coloca que os medicamentos necessários para 30 dias serão xxxxxxx.

 

Opcionalmente pode levar todas as receitas num tradutor juramentado para tradução na língua dos países que irá visitar e após levar ao consulado de cada um destes países.

 

Usualmente apenas as receitas bastam, mas legalmente o que coloquei a título opcional lhe garante 100% contra quaisquer aborrecimentos.

 

Caso necessite de medicamentos lá no destino, obrigatoriamente terá que passar por um médico do país onde estiver.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

O que o pensador falou está certo, mas na prática nunca vi ninguém questionar sobre isso em imigração nenhuma.

Sempre levo vários medicamentos, nunca levo receita, nunca me questionaram sobre nada em lugar nenhum.

Só me preocuparia no caso de medicação injetável por causa da agulha no avião, mas mesmo assim não sei se pedem algo.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pensador e Samantha,

 

Obrigada pelas respostas. Já viajei outras vezes, mesmo para a Europa, com medicamento, e também nunca precisei explicar nada ou mostrar receitas. Mas vocês sabem como é, nós vamos envelhecendo e os problemas de saúde vão aparecendo. Até o ano passado, eu só levava o ansiolítico, paracetamol e um decsongestionante nasal. Agora, além desses, tenho de levar T4, anti-inflamatório, anti-fúngico, antibiótico, medicação para varizes, e isso que ainda estou agora com usando óculos de grau... (tentem enxergar normalmente após os 40 anos, hehe .....)

 

Mas a resposta de vocês já adiantou bastante. Hoje eu fui ao médico, e apesar de não ter feito a receita em inglês, ele fez exatamente desta forma: Remédio tal, para XXX dias, XXX comprimidos por dia, total XXX caixas. E deu um essa receita num receituário, com todas as medicações explicadas com suas doses e tempo de tratamento, assinado e carimbado, e outra receita nos receituários que serão retidos pela farmácia.

 

Só que eu não entendo essa mania estranha dos médicos "old school" de rabiscarem umas garatujas nesses receituários!! Poxa, mal dá para entender o que ele escreveu ali ! (na hora, eu entedi, mas olhando agora, já não dá para saber o que está escrito! ::putz:: )

 

O médico da minha mãe (que é filho do meu médico, LOL), faz tudo muito organizadinho no computador e imprime a receita bem bonitinha! Tudo no mesmo consultório!

 

Não vou fazer a tradução juramentada. Creio que sempre deve ter uma pessoa com muitos mais problemas de saúde que viajam com seus remédios numa boa.

 

Abs, e obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Prezados,

Mochileiros do mundo todo passam por Centros Especializados e Medicina de Viagem antes de viajar. No Brasil, esta conscientização está se sedimentando aos poucos, mas muitos priorizam não se arriscar, optando por um atendimento especializado em Viajantes. É mais seguro procurar um Centro de Atendimento ao Viajante credenciado pela ANVISA (www.anvisa.gov.br/viajante vide Lista e Centros de Orientação ao Viajante), onde poderão obter devida orientação por profissionais especializados em Medicina de Viagem. As receitas são feitas em outras línguas, principalmente inglês.feitas no computador. Estes Centros da ANVISA também acompanham o viajante quando retorna da viagem, pois muitas doenças graves manifestam sintomas depois de 10 dias do retorno. Algumas vacinações podem ser realizadas quando houver indicação.

Somente estes Centros de Orientação ao Viajante da ANVISA estão autorizados a emitir o Certificado Internacional de Vacinas.

Vale apena viajar cada vez mais e com saúde!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×