Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Bolívia, Chile e Perú - 15 dias - Dez/Jan - 2013/2014


Posts Recomendados

  • Membros
Parabéns pelo relato até agora! E belas fotos!

Vou continuar acompanhando, porque vou viajar para essas terras em março

 

Edu, qual será o seu roteiro?

 

Oie Deborah!

Então meu roteiro está assim até agora:

La Paz - Cuzco (pela Amaszonas Airlines)

Cuzco - Águas Calientes - MP

Cuzco - Puno

Puno - Copacabana

Copacabana - La Paz

La Paz - Oruro

Oruro - Potosí

Potosí - Uyuni

Uyuni - Tupiza

Tupiza - Tarija

Tarija - Garulhos (pela BoA)

 

Acha que dá pra fazer em 22 dias?

 

Então, Edu, tudo vai depender de quantos dias você pretende ficar nos lugares e do tempo que você vai levar para chegar até esses lugares.

 

Em Uyuni você vai fazer o passeio de três dias?

 

Estive em Machu Picchu em novembro de 2012. Lá é o seguinte: se você não fizer a trilha inca, dá para ficar um dia a menos, por que daí dá para ver Machu Picchu e subir a Wayna Picchu no mesmo dia, agora se você optar por fazer a trilha como eu fiz, vai levar um dia a mais. Fiz a trilha de um dia só (tem a opção de trilha de 2 dias, mas daí você pega ela no começo e não no km 104) e foram 13 kms andando, desde o km 104 até aguas calientes, daí não dá para subir a Wayna Picchu no mesmo dia, tem que ser no dia seguinte. Para subir a Wayna Picchu você vai levar uma hora e para descer é mais uma hora.

 

Eu faria a trilha inca de pelo menos um dia, por que a vista é maravilhosa. ::otemo::

 

Fora isso, em Cuzco tem o Museu do inca que eu recomendaria que você fosse e também o circuito de sítios arqueológicos (Saqsayhuaman, Tambomachay, Puka Pukara e Q’enco). Esses passeios você pode fazer no mesmo dia.

 

Tem também o povoado de chinchero, a salineira de Maras e os terraços de Moray e você precisará de um dia para fazer esses tours.

 

Se for fazer todos esses passeios em Cuzco, você vai precisar de 3 ou 4 dias.

 

-> Importante: Você precisa comprar a entrada para a Wayna Picchu com antecedência, por que eles permitem que somente 400 pessoas subam a montanha por dia. É melhor comprar a entrada para Machu Picchu antes também.

 

Quando fizemos o roteiro, calculamos mais ou menos o tempo que passaríamos em ônibus/avião e procuramos fazer os longos trajetos de ônibus a noite, por que assim não perdíamos o dia. É importante se informar também sobre os horários dos ônibus de preferência logo quando você chegar nas cidades, assim você compra a passagem e fica tranquilo. Perdemos um dia em Calama para chegar em Arica, por que devido as festas de dezembro, não tinha mais ônibus na parte da manhã e ficamos um dia inteirinho lá enquanto poderíamos ter ficado mais um dia em San Pedro de Atacama, mas essas coisas acontecem, não dá para prever tudo.

 

Outra coisa importante: Também nos informamos sobre os horários dos passeios, por que tem alguns que só saem na parte da tarde. Fomos de Uyuni a SPA e lá chegamos ao meio dia. As 15 horas do mesmo dia já fomos fazer o tour pela Laguna Cejar.

 

Optamos por fazer os trechos Santa Cruz/Sucre e La Paz/Santa Cruz de avião por que eram os trechos mais longos e isso também nos faria perder muito tempo, resumindo, tudo depende de quantos dias você ficar em cada lugar, mas comprar passagens de ônibus assim que você chegar nos lugares também ajuda bastante.

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 28
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

Dia 6 (25/12/2013) – Potosí - Uyuni

 

Acordamos cedo, fomos até a farmácia e meu namorado comprou um soroche pills por 3,80 bolivianos.

 

Acertamos o valor do hostel que saiu por 180 bolivianos o quarto com café da manhã incluso e pedimos um táxi que nos levou para o terminal de ônibus por 10 bolivianos.

 

Compramos a passagem para Uyuni no próprio hostel por 39 bolivianos por pessoa. O direito de uso do terminal saiu por 2 bolivianos por pessoa.

 

A essa altura da viagem, minha mochila já estava nas últimas. Tinha visto outras mochilas para comprar, mas queriam cobrar os olhos da cara, então não comprei. Improvisamos e utilizamos uma blusa de frio. Amarramos ela em uma ponta e do outro lado colocamos várias roupas e andávamos com aquilo nas costas kkk.

 

Chegamos na cidade de Uyuni com uma mochila pesada, a outra rasgada e a blusa cheia de coisas nas costas, fora as sacolas com garrafas de água, o panetone, bolachas, a garrafa de vinho e logo vieram nos oferecer o tour pelo salar. Queriam cobrar 750 bolivianos por pessoa. Eu disse que pagaríamos 700 por pessoa.

 

Fechamos com a Agência San Juan por 700 bolivianos cada um, com transfer a San Pedro de Atacama incluso.

 

A dona da agência deve ter ficado comovida quando nos viu naquela situação kkk e nos levou até o escritório dela, nos explicou os locais que visitaríamos e nos indicou o Hotel Avenida que fica na Av. Ferroviaria 11.

 

Fomos então conhecer pela cidade. Desta vez eu estava determinada a comprar uma mochila.

 

Nesse dia comemos comida mexicana, tacos com guacamole e queijo e taco com mostarda, cebola e shoyu, mais duas sprites de 300 ml. Tudo saiu por 60 bolivianos.

 

Finalmente encontrei uma bolsa em uma loja de artesanatos, por 120 bolivianos.

 

Trocamos bolivianos por pesos chilenos, demos uma volta por uma feirinha que tinha ali por perto e compramos dois suportes para as garrafas de água por 10 bolivianos cada.

 

Nesse ponto da viagem percebi que estava emagrecendo. Todas as minhas roupas estavam ficando cada vez mais e mais largas, acho que de tanto carregar aquelas mochilas nós não tínhamos nem forças para pensar em sair para comprar coisas engordativas.

 

Cidade de Uyuni:

 

itinerario_trem.jpg.b0fb2972819bf56190f014d9fa7c0047.jpg

 

Dakar.jpg.93ec1195c0d698c284ec6b654d083228.jpg

 

Uyunim.jpg.9c9e565fdfbfdcce591334ddb33bbfb9.jpg

 

Gasto casal= bolivianos = 1.861 bolivianos = R$ 620,60

Gasto por pessoa em reais = R$ 310,30

DSC00939.JPG.77c40fcae590111b1652b15e4c59c34e.JPG

598dad5e7f187_UYUNI2.jpg.2be33aae16a150761f18154a2b21451e.jpg

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 7 (26/12/2013) – Cidade de Uyuni - Salar de Uyuni

 

Comemos metade do panetone que compramos no dia anterior no café da manhã. A maioria dos hostels/hotéis na cidade de Uyuni não oferecem café da manhã, mas o preço médio é de 10 bolivianos por pessoa nos restaurantes locais.

 

Fomos até a agência, que é do outro lado da rua do hotel em que nos hospedamos e ficamos esperando o jipe que nos levaria ao Salar, torcendo para que as pessoas que nos acompanhariam durante os 3 dias fossem tranquilas.

 

O guia chegou, colocou nossas coisas em cima do jipe e depois mais dois casais entraram no veículo.

 

Comecei a ouvir AC/DC e fiquei toda animada achando que o guia curtia aquilo, só que eu estava empolgada demaaaaaais e as outras pessoas não. Parando no cemitério de trens, me dei conta de que não sei como meu celular estava tocando minhas mp3 do AC/DC. Fiquei super sem graça, desliguei o celular e preferi não tocar no assunto.

 

Paramos no cemitério de trens e logo que descemos o casal de japoneses que estava no jipe veio conversar conosco. Nos apresentamos e eles nos disseram que se casariam daqui a 5 meses. ::love::

 

Depois fomos falar com o outro casal que estava no jipe. Mais uma vez eu fui toda empolgada e dei outro fora: perguntei se eles também eram japoneses. ::ahhhh:: Eu juro, eles se pareciam com japoneses !! Ainda bem que eles eram extremamente educados e me responderam que são colombianos. Depois desses dois foras, resolvi falar menos e fomos tirar fotos. ::putz::

 

DSC00947.JPG.5d616ccbf2e60f3ef64c34404f0fd97d.JPG

 

DSC00948.JPG.e4bb4745e049fd82b92022d397a7bf65.JPG

 

Antes de descermos do jipe, o guia nos falava quanto tempo teríamos para ficar em cada local. Nosso grupo foi excelente em todos os sentidos inclusive com relação ao horário, todos colaboraram e ninguém se atrasou em nenhum momento.

 

O guia fala somente em espanhol e tínhamos que traduzir o que ele dizia para o inglês para que os nossos amigos japoneses pudessem compreender.

 

Nossa próxima parada foi um museu de sal no meio do deserto. Lá tinha também diversos artesanatos a venda.

 

Compramos alguns chaveiros com o sal de Uyuni por 6 bolivianos cada um.

 

DSC00978.JPG.6037a6f16d47591dcbfe94411408fa18.JPG

 

Depois, fomos até o deserto de sal. Era época de chuva e no início tinha muita água, tudo muito lindo, daí passei a entender por que de quando chove chamarem o salar de espelho do céu.

 

Tentamos tirar as fotos criando ilusões de ótica, mas não deu certo, até que vimos nossos amigos colombianos tirando fotos legais e eles resolveram nos ajudar.

 

Vou explicar: o objeto deve bem ficar próximo a câmera e as pessoas beeeeeeeem longe para dar certo.

 

DSC01024.JPG.45193eb73ae66e71ce5c008bdc3a69ba.JPG

 

DSC01034.JPG.8dd7827e26674fe80aa643214e7f4890.JPG

 

DSC01049.JPG.e170f6dd77dbbae3f73c758e2be3a83e.JPG

 

DSC00997.JPG.ba67a8df1b1884bdbb7ad8e15087679f.JPG

 

Almoçamos ali mesmo, naquele ponto do salar. Nosso almoço foi quinua com legumes e queijo, para beber tinha coca cola e água e de sobremesa bananas. Tinha frango também para as pessoas que comem carne.

 

Acredito que aí comecei a emagrecer ainda mais, por que quinua, legumes e queijo branco=estômago vazio e mesmo comendo um segundo prato em todas as refeições, parecia que cabiam mais uns dez pratos daqueles no meu estômago, daí eu tomava muita coca cola e colocava muita, mas muita maionese nos legumes. Isso ajudava a criar uma falsa sensação de saciedade. Mesmo assim, não me senti incomodada, foi apenas uma fase de adaptação, afinal de contas eu não estava ali para comer pratos sofisticados e sim para conhecer o salar. E, diga-se de passagem, todas as refeições que fizemos no salar eram saborosas.

 

Almoço em Uyuni

DSC01023.JPG.a01ff8682c6e50d93b9886e4c4bdadeb.JPG

 

Após, fomos para a Ilha do Pescado ou Incahuasi (em quéchua, casa do inca). Paga-se 30 bolivianos para entrar no lugar. Cada um dos cactus que vimos por lá, crescem um centímetro por ano. Tem também um casal de llamas no local.

 

Tentamos dar a volta na ilha, mas desistimos no meio do caminho. O sol estava muito forte e estávamos cansados. Mesmo com protetor solar meus braços estavam fritando com o sol.

 

DSC01063.JPG.65caecc586230fe097d9e62367a33c7f.JPG

 

DSC01098.JPG.b36c7197c4e9644f59679b5b90fe1451.JPG

 

DSC01106.JPG.092a5e1230b2df5e1663e4c89ce64c33.JPG

 

No caminho para o hotel de sal, avistamos várias vicunhas.

 

DSC01126.JPG.3e3ab56c15d11046bc320752d67ce369.JPG

 

Enfim, chegamos ao hotel de sal. Nosso grupo foi o primeiro a chegar e o guia nos disse que só tinham 2 quartos com cama de casal e que precisávamos escolher qual casal ficaria no quarto com camas de solteiro. Disse que eu e meu namorado ficaríamos no quarto de solteiro. Em seguida chegaram outros dois grupos com mais casais, que também tiveram que ficar em quartos com duas camas de solteiro.

 

Nesse hotel não há suítes e existem apenas dois sanitários e uma ducha.

 

Você tem que pagar 10 bolivianos pelo banho. Eu vi aquela fila toda se formando para tomar banho e optei por tomar banho no dia seguinte.

 

Tomamos chá com bolachas.

 

Mais tarde e nem aí para os meus quilos perdidos, dei a outra metade do panetone para o cachorro do hotel, e depois disso, percebi que estávamos sem comida reserva. :cry:

 

De janta, nos serviram sopa de legumes e quando tomaram conhecimento de que eu não como carne, começaram a me servir omelete em todas as refeições. Comi omelete e salada e as outras pessoas salsicha e salada.

 

Nesse dia fez muito frio e usamos nossos sacos de dormir.

 

Depois das 21 horas o hotel fica sem energia elétrica, desligam o gerador e você tem que se virar para encontrar suas coisas no quarto, ir até o banheiro, etc. Usei o celular e deu tudo certo.

 

Ah, e para carregar os eletrônicos é meio concorrido. Uma das primeiras coisas que fiz foi colocar a bateria da minha câmera e meu celular na tomada, por que já estavam descarregados.

 

DSC01135.JPG.77c68fe4a7dbb108adc58fd0995d58a6.JPG

 

Nosso quarto no hotel de sal

DSC01136.JPG.3c9976b818ea9bf2dd96d24d5cfb2228.JPG

DSC01137.JPG.dcaea4ddf63ab99bb911b8b78b3175e9.JPG

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 8 (27/12/2013) – Uyuni

 

Acordamos as 5:30 e fomos tomar banho. Minha estratégia funcionou, pois a esse horário não tinha mais ninguém na fila, mas o senhor que vendia a ducha a 10 bolivianos também não estava por lá. Meu namorado foi até a cozinha e chamei uma moça que ascendeu o aquecedor para ele (com fósforos) e eu que antes disso sequer sabia como funcionavam esses aquecedores ...

 

Saímos, apreciamos a vista ao redor do hostel e voltamos para o café da manhã. Nos serviram panquecas americanas, geléia e manteiga e para beber leite com café ou achocolatado.

 

DSC01139.JPG.aeac5ce4642f4f7dbaf15e410fe888e6.JPG

 

DSC01143.JPG.3d3336fb4344f7f5ce73593de1b8dc18.JPG

 

DSC01155.JPG.ac8371e47166320cda86d5ff105f2cd0.JPG

 

Nesse dia visitamos rochas que se formaram a partir de lava vulcânica.

 

DSC01243.JPG.183cbd6bdb5384ec14a4bebc15e0249f.JPG

 

No percurso, avistamos vários animais silvestres, dentre eles chinchilas, bem diferentes da chinchila que eu tenho em casa. Elas se camuflam nas pedras, então o guia descia do jipe e jogava uma pedra menor perto delas, com o barulho elas se moviam e podíamos vê-las.

 

DSC01186.JPG.3a892dd71b3de58faf804aa1de217f5e.JPG

 

Chinchila na pedra

DSC01188.JPG.7ebb7b86436a2d0a076394e7adf5d9fa.JPG

 

Passamos Laguna Verde, depois pela Laguna Colorada e por fim pela arbol de piedra.

 

DSC01206.JPG.a398e618cd6beb8f00e855ea3d3077a6.JPG

 

DSC01219.JPG.1a08c636b5c5face88aac8767854cd30.JPG

 

DSC01221.JPG.effaeb6d8ee04396afca179204fae758.JPG

 

DSC01236.JPG.d2f48e229074f4748f63a17a90316f40.JPG

 

DSC01277.JPG.3c5b474fc974591e3ec9fc82e1d26e7d.JPG

 

DSC01281.JPG.41a110a59afb3e61e28d2056cb84e5a2.JPG

 

DSC01257.JPG.f1c43ac309658ecc512292512d335448.JPG

 

Chegamos no hotel de sal do segundo dia.

 

Nesse hotel, a situação é bem precária. Tivemos que ficar no mesmo quarto que os dois casais que foram conosco no jipe e não há como tomar banho.

 

No começo ficamos um pouco mau humorados, mas quando saímos e vimos o céu estrelado de Uyni, todo o mau humor foi embora.

 

598dad9deef6f_cu.jpg.d3a70b3d4609d34b6c7c6aaacf39f222.jpg

 

Nesse dia, para nos sentirmos um pouco menos incomodados, usamos lenços umedecidos. Não é como tomar um banho, mas melhora a situação em uns 60%, por isso eu recomendo a quem for fazer o passeio de três dias ao salar que leve lenços umedecidos.

 

No jantar serviram sopa de legumes e macarrão com molho de tomate. Para beber, serviram vinho e coca cola.

 

No final do tour pelas lagoas, pagamos 150 bolivianos por pessoa, referente a reserva Eduardo Avaroa, que compreende todos esses lugares.

 

Gastos casal = 320 bolivianos.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 9 (28/12/2013) – Uyuni - San Pedro de Atacama

 

Acordamos as 5 horas da manhã pois o guia havia dito que sairíamos bem cedo.

 

Tomamos o café que consistia basicamente no mesmo de sempre: panquecas americanas, geléia de morango e manteiga e para beber leite com café ou achocolatado.

 

Percebemos que estava chovendo, logo de manhã e então já preparamos as capas de chuva.

 

Vimos os outros dois grupos saindo do hotel e nada de o nosso guia aparecer.

 

Nosso grupo começou a ficar meio tenso. As mulheres que trabalham no hotel foram procurá-lo pelas redondezas e não o encontraram. Uma delas viu que ele estava em um quarto dentro do próprio hotel e pediu para que o meu namorado o acordasse, ele o fez.

 

Depois de 10 minutos vem o guia correndo, todo descabelado e todos nós com os piores semblantes que vocês possam imaginar. ::lol4::

 

Dava para ver na cara dele que isso aconteceu por causa da bebedeira que teve com os outros guias na noite anterior.

 

Rapidamente ele colocou nossas coisas no jipe e partimos para o último dia no salar.

 

Tinha gente filmando o horário para depois reclamar do atraso na agência.

 

Eu também estava revoltada com a situação e já imaginando que aquele atraso estragaria nossos passeios, entrei no jipe e comecei a dormir. Depois de uns 15 minutos meu namorado me acordou, dizendo que estava nevando. Mal pude acreditar quando abri os olhos e vi essa paisagem:

 

DSC01299.JPG.921017e7fcc06f069f68e1d1c4373c17.JPG

 

Nossa primeira parada foram os gêiseres. Infelizmente acabamos não subindo para ver todos por conta da neve.

 

DSC01303.JPG.807a7f2bdf1ae2ea25a540290fae6d69.JPG

 

598dada0d503c_Neve3.jpg.c621adf6082dc58ffc5df44c91358b6d.jpg

 

Neve4.jpg.dfea0555d677fc60c4e17259fc3e33bb.jpg

 

O guia nos advertiu sobre o risco de dirigir na neve e disse que só continuaria o passeio caso achássemos viável e ficava toda hora falando que tinha que chegar cedo a fronteira do Chile por que caso nevasse muito eles a fechariam.

 

Ele já estava em débito conosco devido ao atraso, então não caímos nessa de ter que chegar cedo a fronteira, além do que, nossos amigos japoneses e colombianos não iriam para San Pedro de Atacama e achamos egoísmo da nossa parte estragar o passeio deles e é claro, nosso passeio também. Optamos por conhecer tudo conforme o que foi combinado com a agência.

 

No meio do percurso, tinham vários jipes presos por conta da neve, mas isso não nos intimidou.

 

DSC01342.JPG.0915ed1da500a30ba77525a2157832ef.JPG

 

Nosso guia desceu do carro para ajudar os caras com o outro jipe. Eu e meu namorado descemos também e começamos a fazer bolas de neve e a jogar um no outro. Nossos companheiros de salar continuaram dentro do jipe. Quando o guia voltou, falou para entrarmos no jipe por que sequer era para termos saído. Nesse momento pensei em dar uma cutucada falando que também não era para ele ter se atrasado ::toma:: , mas fiquei quieta e cheguei a conclusão que a melhor coisa a se fazer era não dar gorjeta ao final do tour e foi o que eu fiz.

 

598dada1cbee9_nevejipe.jpg.9707687cbac1cc72048d38363ab8298a.jpg

 

Em seguida, fomos para os banhos termais mas, devido ao frio, não tivemos coragem de entrar. ::Cold::

 

DSC01358.JPG.bffb39f0e51a32bbc7417b53cb5dd2dd.JPG

 

No final do passeio, a paisagem estava ainda mais bonita com a neve se desfazendo.

 

DSC01365.JPG.ebbb4255d5047a3573d3e485ca0102f7.JPG

 

Ao final, vimos o vulcão Licancabur.

 

DSC01373.JPG.7d174f45596676a96835d18110d1c947.JPG

 

Uma hora depois, estávamos na fronteira com o Chile, onde uma van nos esperava.

 

Passamos pela imigração e nos cobraram ilegalmente ::vapapu:: 15 bolivianos por pessoa.

 

Vi um brasileiro saindo de lá revoltado, gritando: "Esse dinheiro vai ficar para eles!".

 

Mais uma vez fiquei bem quietinha ::xiu:: . Tudo bem, eu concordo que está errado cobrar algo que não é devido, mas estragar minha viagem por conta de R$ 5,00 não valeria a pena. Olhei para o meu namorado e falei: Como vou reclamar para a polícia que a própria polícia está me cobrando algo que é ilegal? ::prestessao::

 

A van só sai com uma quantidade mínima de 9 pessoas, então tivemos que esperar ali por mais duas horas até que completasse esse número.

 

Passando a fronteira, a estrada era de asfalto e não mais de terra e em uma hora chegamos a San Pedro, mortos de cansaço, sede, calor. Seguindo na Calle Toconao, avistamos o Hostal Licancabur. Rosa, a dona do local nos disse que só teria um quarto com duas camas de solteiro e banheiro compartilhado. Aceitamos na hora. Saiu por 20.000 pesos chilenos o quarto e não tinha café da manhã incluído.

 

Depois, seguimos para a agência Terra Extreme para fechar o tour pela Laguna Cejar, Ojos del Salar e Laguna Tebinquinche, com pisco sour incluso e snacks. Saiu por 13.000 pesos chilenos por pessoa.

 

Agência

DSC01383.JPG.9a43ea91cbf9c6bba5c329646baed3e9.JPG

 

Tomamos sorvetes por 1.950 pesos chilenos cada na sorveteria Bavaria.

 

Corremos para a rodoviária comprar as passagens para Arica, mas não teriam para aquele dia.

 

Compramos então passagens para Calama, por 2.500 pesos chilenos por pessoa pela empresa Frontera del norte.

 

Voltamos para o hostel, descansamos e as 15:00 horas nosso tour saiu.

 

DSC01385.JPG.8a355b0c1c1d32e4617cd55e4b98f369.JPG

 

Laguna Cejar

598dada1d1b89_Lagunacejar.jpg.cfa160ffc4075eab93891131d189ecc2.jpg

 

A laguna cejar foi o passeio que mais gostei em San Pedro. Trata-se de uma lagoa 8 vezes mais salgada do que a água do mar e por isso flutuamos quando entramos nela. Deve se ter cuidado com os olhos por conta do sal. Assim que saí, meu cabelo estava muito, mas muito duro e minha pele imediatamente ficou coberta por uma fina camada de sal.

 

O guia nos disse que tinha água apenas para lavarmos as mãos e o rosto e assim fazíamos ao final de cada passeio.

 

Ojos del salar

DSC01409.JPG.fc267718da811309a849892f1786d9f9.JPG

 

Ojos del salar são outras duas lagoas menos salgadas do que a Cejar. Entramos nela mais para tirar o sal do corpo, por que tem umas gramas estranhas no fundo.

 

Pagamos 2.000 pesos chilenos por pessoa para entrar em cada uma dessas duas primeiras lagunas. Se você tiver carteira internacional de estudante paga meia entrada.

 

Laguna Tebinquinche

DSC01440.JPG.c2b6d83dbee3588733a1650cf5b4f5bd.JPG

 

Pôr do sol na Laguna Tebinquinche

DSC01441.JPG.90690cbc8c81304fb772cda2896fdb1b.JPG

 

Na Laguna Tebinquinche nos serviram snacks (azeitonas pretas, bolachinhas salgadas, pringles e queijo) e pisco sour.

 

Lá também vimos o pôr do sol e a lagoa muda de cor conforme o sol vai se pondo.

 

Voltando para a agência, saímos e compramos uma garrafa de água, 4 salgadinhos, um pacote de bolachas e chocolates por 3.500 pesos chilenos para o café da manhã no dia seguinte.

 

Jantamos no restaurante El Sol que também fica na Calle Toconao por 16.500 por pessoa com sobremesa e refrigerante KEM (que lembra um pouco o gosto da Inca Kola).

 

Gastos por casal -> 30 bolivianos + 87.500 pesos chilenos

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 10 (29/12/2013) – San Pedro de Atacama - Calama - Arica

 

Saímos cedo do hostal Licancabur e pegamos o ônibus para Calama as 7:30.

 

Chegamos em Calama as 10:00 da manhã.

 

Tentei comprar passagens para Arica, mas o ônibus só sairia as 21:00 horas.

 

Comprei as passagens pela Pullman por 15.000 pesos chilenos por pessoa. O jeito seria esperar.

 

Demos uma volta pela cidade, chegamos a uma praça, entramos na igreja, demos voltas e mais voltas para passar o tempo.

 

Voltamos ao mercado central de calama, onde comemos empanadas fritas de queijo mais dois refrigerantes por 3.400 pesos chilenos tudo.

 

Andamos mais ainda pela cidade e não encontrávamos nada para fazer, enfim, ficamos olhando um para o outro o dia inteiro.

 

Calama

DSC01446.JPG.bdafc6551f48ed1af05c7284121524fd.JPG

 

DSC01447.JPG.c36e813f7f3bfbe4ef9d0b59acc4db8a.JPG

 

DSC01450.JPG.b513d2e494ba8dc4c450ccd90da4c264.JPG

 

Mais tarde jantamos uma pizza e 2 sucos de abacaxi. A pizza saiu por 5.000 pesos chilenos e os sucos por 1.900 pesos chilenos cada.

 

Comprei uma água de 1,5 litros por 1.800 pesos chilenos.

 

A propósito, nunca comprem uma água chamada Potosina que tem na Bolívia, é meio salgada e ruim demais!

 

Serviram refeição no ônibus: frango com arroz e um suco. Não comi nada. O cheiro da fritura era tão forte que me enjoou.

 

Andamos tanto a toa o dia inteiro que dormimos/apagamos no ônibus.

 

Gastos casal = 44.000 pesos chilenos

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 11 (30/12/2013) – Arica - Tacna - Arequipa

 

Chegamos em Arica de Madrugada.

 

Andamos até o terminal de táxis que fica ao lado do terminal de ônibus e pagamos 4.000 pesos chilenos por pessoa para ir até Tacna. No táxi foram mais 3 argentinos, o pai e seu casal de filhos.

 

Em uma hora estávamos em Tacna. Fizemos os trâmites migratórios e fomos até a rodoviária com esse mesmo táxi.

 

Lá chegando trocamos dinheiro em uma casa de câmbio dentro do terminal de ônibus.

 

Fomos então comprar passagens para Arequipa com a empresa Moquegua. Nos custou 20 soles por pessoa + 1 sol por pessoa pelo direito de uso do terminal.

 

A moça do guichê nos avisou que tinham nos dado uma nota falsa, disse para voltarmos lá e pedirmos para trocarem e dizermos que iríamos chamar a polícia.

 

Voltei na casa de câmbio e pedi para que trocassem a nota educadamente. O atendente ficou muito sem graça e trocou a nota sem reclamar.

 

Para o café da manhã compramos 4 chocolates, pão com queijo e dois sucos por 13 soles no terminal de ônibus mesmo.

 

Depois comprei 3 salgadinhos por 5 soles.

 

Terminal Rodoviário Tacna

DSC01456.JPG.814d87d5fe8435b612f435e6e72e2485.JPG

 

Túnel no trajeto Tacna - Arequipa

DSC01457.JPG.4c467a352090abc0fe0b2bfb32808206.JPG

 

Chegando em Arequipa, estávamos tensos, muito tensos. ::ahhhh::

 

Não sabíamos se daria tempo de irmos até Nazca e eu queria muito fazer o sobrevoo. Pela terceira vez estava no Perú e tinha ido somente por conta desse sobrevoo.

 

Não tinha como comprar passagens do trajeto Nazca-Arequipa-Puno por lá, somente quando chegássemos nos locais.

 

Foi quando avistei uma agência de turismo no terminal de Arequipa e comecei a conversar com o Edinson, proprietário da agência.

 

Ele conseguiria comprar essas passagens de ônibus antecipadamente para nós!!

 

Compramos as passagens de ônibus para Nazca pela empresa Oltursa por 105 soles cada uma.

 

Fechamos com ele por 390 dólares os dois sobrevoos mais traslados, duas passagens de ônibus de Nazca-Arequipa, 2 passagens de ônibus Arequipa - Puno e + 2 passagens de Copacabana a La Paz e ficamos tranquilos.

 

Além disso, já que dormiríamos no ônibus para conseguir fazer esse trajeto, ele nos arrumou um hostel para deixarmos nossas bagagens (Hostel Santa Catalina, na Calle Santa Catalina) e lá tomamos banho por 5 soles cada um. O táxi até o hostel nos custou 10 soles.

 

Estávamos no centro da cidade, na mesma rua do Museu e Convento de Santa Catalina.

 

Fizemos uma visita a esse museu por 70 soles cada (entrada).

 

Depois fomos até o museu da múmia Juanita (Museu Santuários Andinos) e nos custou 20 soles por pessoa (entrada).

 

DSC01471.JPG.44bad6de8e65bd4f17d4d310bacb2310.JPG

 

DSC01589.JPG.02f0e1d5152dc40e7693b9d61b1da9c8.JPG

 

DSC01575.JPG.f2f355c754ada7b3bab580d99ca69165.JPG

 

llama.jpg.b658bde4c8e057c4a735a5615ac71b9f.jpg

 

Compramos uma água e 3 salgadinhos por 13 soles tudo.

 

Voltamos para o terminal de ônibus de táxi por mais 10 soles e embarcamos para Nazca.

 

Pagamos 0,50 soles por pessoa para usar o banheiro, sem saber que o direito de uso do terminal inclui também o uso do banheiro, ou seja, não precisávamos pagar nada por isso.

 

Custo casal = 474 Soles + 4.000 pesos chilenos + 390 dólares.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 12 (31/12/2013) – Arequipa - Nazca - Arequipa

 

Embarcamos de Arequipa para Nazca no dia 30 de madrugada.

 

Chegamos em Nazca as 6:20.

 

Esperamos a agência abrir e enquanto meu namorado aguardava, dei uma volta pelos arredores.

 

DSC01592.JPG.b5f9704add235dfe41f5f902d09f5e80.JPG

 

Quando a agência abriu nos ofereceram vários passeios, mas optamos por fazer somente o sobrevoo. Já estávamos bastante cansados e até pensei em ver as múmias de chauchilla, porém, não teríamos tempo.

 

Entrando em Nazca

DSC01594.JPG.76351ab5bf73eaf45beecddc7a3ce862.JPG

 

Antes do embarque tivemos que pagar uma taxa de 25 soles por pessoa.

 

Também nos pesaram antes do sobrevoo.

 

Junto conosco foi um casal de japoneses. Me colocaram na parte de trás com a senhora e meu namorado foi na parte do meio com o esposo dela. Certamente fazem isso para equilibrar o peso do monomotor.

 

Recomendo para quem for fazer o sobrevoo que não se alimente antes pois o monomotor faz umas manobras doidas. Primeiro o piloto mostra as linhas para quem está do lado direito e depois para quem está do lado esquerdo e ele inclina muuuito para os lados. Além disso, de vez em quando o monomotor dá umas baixadas um pouco bruscas, nada que dê muito frio na barriga, é suportável, mas o estômago fica um pouco ruim.

 

Site das Alas Peruanas -> http://www.alasperuanas.com/

 

Antes do sobrevoo

DSC01597.JPG.f3b46c1788557d7b665892f2968f2fc2.JPG

 

O astronauta

DSC01618.JPG.0f42cf4e8f3e613865d1e38f78792da5.JPG

 

Mãos

DSC01636.JPG.30fb70586b0849da9671bddc455a3696.JPG

 

Após o sobrevoo recebemos certificados com nossos nomes e neles está escrito que sobrevoamos as linhas de Nazca.

 

O senhor que nos levou ao local do sobrevoo nos esperava assim que saímos do monomotor e nos levou até uma loja de artesanatos onde compramos várias pedrinhas com as figuras de Nazca. Cada uma custou 5 soles.

 

Voltamos para a rua da agência e almoçamos. Eu pedi um arroz com legumes e meu namorado um prato com arroz (10 soles), frango e batata frita (10 soles). Experimentamos também chicha morada, adoramos (6 soles uma jarra de 1 litro)!

 

Depois do almoço voltamos para a nossa rotina sofrida de ônibus com destino a Arequipa. :roll:

 

Chegamos em Arequipa as 11:40, com receio de não conseguirmos táxi devido ao fato de ser véspera de ano novo. Nem pensamos em pechinchar e gastamos 18 soles para ir do terminal de ônibus até a Calle Santa Catalina.

 

Lá chegando, descemos para a praça para ver a queima de fogos.

 

DSC01650.JPG.b9e12cbfa298b1bbe368b9708fa48b3e.JPG

 

DSC01653.JPG.5700f2f5cae9165432a483df61555d41.JPG

 

Voltamos para o hostel Santa Catalina e lá passamos a noite por 25 soles o quarto. As camas eram de solteiro e o banheiro era compartilhado.

 

Gasto Casal= 101 soles

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 13 (01/01/2014) – Arequipa - Puno - Copacabana - La Paz

 

Fomos cedo para o terminal de ônibus. Gastamos 11 soles com o táxi.

 

Não existem ônibus direto de Puno para La Paz, portanto, tivemos que fazer esse longo trajeto e, acreditem, a melhor coisa a se fazer é levar aquelas almofadinhas para pescoço e dormir ou rezar para dar sorte de colocarem um bom filme no ônibus. Gastamos 2 soles por pessoa pelo direito de uso do terminal.

 

Levamos vários salgadinhos e esse foi nosso café da manhã.

 

De Puno pegamos o ônibus para Copacabana no mesmo terminal. Direito de uso do terminal: 2 soles por pessoa.

 

Já era uma hora da tarde, estávamos com fome e não havia nenhum restaurante do terminal aberto. Compramos 4 empanadas por 1 novo sol cada, 2 refrigerantes por 3,50 soles cada e 2 chocolates por 1,50 soles.

 

Embarcamos para Copacabana e lá chegando estávamos com fome. Compramos 4 empanadas de uma moça que as vendia na rua por 1 novo sol.

 

Pegamos outro ônibus para La Paz. Depois de um tempo dentro desse ônibus, o motorista parou e mandou as pessoas descerem. Fui perguntar o que estava acontecendo e ele respondeu que teríamos que atravessar um trecho de barco. Pensei que tinha entendido algo errado pois ninguém havia me alertado sobre isso. Descemos do ônibus e andamos um trecho a pé até que vimos uma balsa e vários barcos. :shock:

 

DSC01666.JPG.ddd21b6eb5805b57486090d6dd082dd8.JPG

 

DSC01669.JPG.6d945413282275f5b89b37445774ae56.JPG

 

Entramos na fila e nos disseram que teríamos que pagar 2 bolivianos por pessoa para fazer a travessia de barco. Nesse momento meu namorado me falava que iríamos morrer. ::ahhhh:: Falei para ele continuar na fila, respirei fundo e pensei: se não morri naquele monomotor nem na estrada Arequipa - Nazca, não seria agora que iríamos morrer. Comprei os tickets para o barco que comporta umas 20 pessoas.

 

DSC01672.JPG.9c7196910e12d64e1932427eac5de217.JPG

 

Chegamos do outro lado e só então nos demos conta de que tínhamos atravessado o Lago Titicaca. :lol:

 

DSC01673.JPG.e986083706a36fcb069c7bc146686d8d.JPG

 

Entramos no ônibus e fomos chegar em La Paz a noite.

 

Para variar, cada viagem de ônibus na Bolívia é um surpresa diferente. O motorista nos falou para descer no meio da rua por que não poderia entrar com o ônibus no terminal. ::hein:

 

Descemos e pegamos o primeiro táxi que encontramos. Pedimos para o taxista nos deixar no Hostal Copacabana que fica na calle Illampu. O táxi nos custou 20 bolivianos.

 

Recomendo esse hostel. O café da manhã é excelente e, além disso o quarto é confortável, tem banheiro privativo e tv a cabo.

 

Site do Hostal Copacabana -> http://www.hostalcopacabana.com/

 

Gastos casal= 22 soles + 34 bolivianos.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

Dia 14 (02/01/2014) – La Paz

 

Tiramos o primeiro dia em La Paz para fazer compras. ::otemo::

 

As melhores ruas para fazer compras são a Granero (camisas, meias), Potosí e Sagarnaga.

 

Os perfumes em geral são mais em conta que no Dutyfree. A loja fica em um shopping na rua Potosí.

 

Na calle Illampu é possível comprar blusas The North Face e outros artigos.

 

Comprar prata na Bolívia sai em média 1/3 do valor do Brasil. Comprei na rua das bruxas, mas não nas barraquinhas que tinham fetos de llamas ::vapapu:: .

 

Depois de muito andar, voltamos a Calle illampu, fomos até a pizzaria Matinni e comemos uma pizza vegetariana por 36 bolivianos mais dois refrigerantes por 6 bolivianos cada um. A pizza desse lugar é excelente.

 

Compramos o passeio para Tiwanacu por 70 bolivianos por pessoa em uma agência na Calle Illampu, praticamente na frente do Hostal Copacabana.

 

A noite fomos em um restaurante do outro lado da Calle Illampu, na frente do hostel e comemos macarrão por 30 bolivianos cada um e pedimos refrigerantes por 6 bolivianos cada.

 

Gastos casal = 230 bolivianos

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...