Ir para conteúdo

Cartão de crédito pré-pago


Posts Recomendados

  • Membros

Ana,

 

Se tiver como habilitar seu cartão de débito para realizar saques no exterior seria uma boa opção. Assim você tema cotação do dia e recebe a moeda local sacando em qualquer ATM (conforme a bandeira do cartão).

Eu geralmente levo um pouco de dólar/euro para emergencias e uso muito o saque ou cartão de crédito que acumula milhas.

Cartão pré-pago no final das contas sai muito "caro"

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

Depende para que você for usar, de quais países for visitar, quanto tempo ficará viajando, etc... Tanto cartão de crédito tradicional, cartão de débito do banco e cartão de crédito pré-pago tem as suas vantagens e desvantagens.

 

Que em resumo seriam:

 

Cartão de credito Tradicional:

- Vantagens: você só paga no fechamento da fatura, se tiver sorte e a cotação do dólar baixar você economiza dinheiro, e pode juntar milhas.

- Desvantagens: a cotação do dólar pode variar até o fechamento da fatura e você pagar bem mais caro, e você paga 6,38% de IOF.

 

Cartão de Crédito pré-pago

- Vantagens: Você limita a quantidade total de gastos ao limite do cartão, e fica protegido das flutuações das taxas de câmbio

- Desvantagens: Você tem que saber antecipadamente o quanto vai gastar e paga 6,38% de IOF, se for usar em uma moeda diferente da carregada, paga mais 2% a 3% de taxa de conversão a cada compra/saque.

 

Cartão de Débito do banco

- Vantagens: Você pode sacar moeda em qualquer países sem precisar pagar 2 ou 3% de taxa de conversão, e tem taxas mais baixas.

- Desvantagens: Só funciona se for Mastercard, Visa não funciona direito, você nunca saberá o valor exato dos gastos, pois a cotação varia a cada dia, e também paga 6,38% de IOF

 

Dinheiro em espécie

- Vantagens: Paga só 0,38% de IOF

- Desvantagens: É muito arriscado viajar com quantidades grandes de dinheiro, o risco de ser furtado e perder tudo é grande, alem de você ficar sempre estressado sabendo que está com um monte de dinheiro no bolso, e nunca saber se a próxima pessoa que chega perto de você vai lhe furtar ou não..

 

 

O ideal é escolher uma opção principal com a qual você se sinta mais confortável, mas sempre ter uma segunda opção, para o caso da primeira falhar.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros
O ideal é escolher uma opção principal com a qual você se sinta mais confortável, mas sempre ter uma segunda opção, para o caso da primeira falhar.

 

Eu costumo usar nesta ordem de frequencia:

1)Cartão de Débito - logo que der acesso a conta e faço os calculos de quanto saiu. Se estiver valendo a pena, faço mais saque.

2)Cartão de crédito para compras grandes - albergues, passeios, etc.

3)Espécie - levo geralmente uns 20% do gasto da viagem. Uso somente em ultimo caso ou quando for vantajoso.

 

Cartão pré-pago eu passo longe, apesar de ser uma carta na manga se a opcão 1 e 2 falharem (oq nunca aconteceu).

 

E você Adriano? oq costuma usar?

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

O Pré pago é interessante para quem não tem cartão internacional com um limite razoável, e também para quem não tem cartão de débito Mastercard.

 

Mas a maior vantagens do pré-pago é mesmo fechar o câmbio antes da viagem, assim você já tem certeza de quanto vai gastar antes mesmo de viajar, isto pode ser bem interessante para quem vai viajar com o orçamento bem justo, sem muita folga. Já no cartão de crédito/débito tradicional, você está sujeito a variação cambial, que pode tanto ser boa para você se o câmbio cair, ou ser ruim se subir.

 

Pense no seguinte, você tem exatamente R$ 5.000 (US$ 2.272) para viajar, valor este que já seria apertado para a sua viagem, mas faltando 1 mês para a viajem, a cotação do dólar dispara e sobe 15%, como aconteceu neste mês, e agora você só teria US$ 2.000. Se o seu orçamento já estava bem apertado antes, esta alta de 15% em 30 dias pode ser um problemão e até inviabilizar a sua viagem, com estes US$ 272 que você "perdeu" na alta do dólar, daria para pagar a comida ou hospedagem por uma semana... Com o pré-pago, você compra os dólares/euros antecipadamente, e depois de comprado, a cotação pode subir o quanto quiser, que não irá afetar você.

Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra
Eu costumo usar nesta ordem de frequencia:

1)Cartão de Débito - logo que der acesso a conta e faço os calculos de quanto saiu. Se estiver valendo a pena, faço mais saque.

2)Cartão de crédito para compras grandes - albergues, passeios, etc.

3)Espécie - levo geralmente uns 20% do gasto da viagem. Uso somente em ultimo caso ou quando for vantajoso.

 

Cartão pré-pago eu passo longe, apesar de ser uma carta na manga se a opcão 1 e 2 falharem (oq nunca aconteceu).

 

E você Adriano? oq costuma usar?

 

Geralmente eu sigo a mesma estratégia que você:

 

1- Saques no cartão de débito

2- Cartão de crédito para as compras maiores.

3 - Levo uns 20% em espécie, para gastos de primeira hora, no aeroporto, etc...

 

Alem disto, eu sempre levo um pré-pago que eu possa recarregar pela internet. Levo ele só com 50 dólares/euros, é meu último recurso, caso os outros me deixem na mão, o que até agora nunca aconteceu, no máximo ou ou outro foi recusado ou não funcionou, mas nunca os dois.

 

Mas com a recente volatilidade do câmbio, talvez eu mude a minha estratégia na próxima viagem, e concentre a maior parte num pré-pago.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros de Honra

Quando você carrega Euros/dólares/Libras no pré-pago, você paga a cotação do dólar turismo + 6,38% de IOF, cotação do Turismo que sempre é mais cara que a cotação do comercial (na verdade tanto no pré-pago, credito, débito e espécie você paga a cotação do turismo). Mas depois que os dólares/euros/libras estão no cartão, o valor é debitado diretamente na moeda do cartão, sem ser convertido novamente e sem taxas adicionais.

 

O que acontece, é que se você tiver um pré-pago em dólares e sacar euros, pesos argentinos, ou qualquer outra moeda diferente daquela carregada no cartão, você pagará uma taxa adicional de 2% a 3% pela conversão.

 

Ou seja, se você for para o Chile, Argentina ou Europa com um pré-pago em dólares, alem de pagar a cotação mais cara do turismo e os 6,38% de IOF, você paga mais 3% de taxas a cada saque/compra. O que no final das contas deixa a coisa toda meio cara, então sempre tente fazer um pré-pago na moeda do país que for visitar.

 

Já no cartão de débito, você saca sempre na moeda do país onde está e não paga estes 3% adicionais de conversão, mas está sujeito a flutuação do câmbio...

 

Então dependendo para onde você for viajar, o pré-pago pode ser menos vantajoso ou mais vantajoso, não tem uma solução que sempre será a melhor, você tem que avaliar caso a caso.

 

Mas segurança e tranquilidade tem o seu preço, se você não quiser arriscar ser assaltado e perder tudo ou então ser pego desprevenido por uma alta na cotação do dólar, terá que se conformar com estas taxas, ou então arriscar... E cada pessoa sabe o quanto de risco está disposta a correr sem ficar desconfortável com a situação.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...