Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Sandro

Caminho do Peabiru, Trilha dos Tupiniquins, Goianases ou Caminho de Piaçagüera

Posts Recomendados

Bateu uma vontade hehehe quem sabe num sabadão com previsão de sol eu faça essa trilhazinha... mas quero ir sem guia... será que dá? ou não irão deixar eu descer?

 

abraços ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Houve uma vez Ogum que eu desci a Tupiniquins até o Rio Mogi e subi por ele até a ponte da Cremalheira, passei sobre ela e subi por uma canaleta de drenagem de águas pluviais até as ruínas do quarto patamar do Sistema Funicular. Um dia de muita adrenalina, escoriações, hematomas e susto com um jararaca. ::otemo::

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/7/photo-7.jpg?et=wOey6K2toFdLzPLXCF4%2CsA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Atravessando a ponte do Sistema de Cremalheira.

Ao lado restos de ponte demolida do primeiro Sistema Funicular de 1867.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/9/photos/33/500x500/6/photo-6.jpg?et=IMXvuRx96Wcb6i7V2q1nPQ&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Ruínas do 4º Patamar do segundo Sistema Funicular construído em 1901.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/9/09-Ponte-do-Sistema-de-Cremalheira-sobre-a-Grota-Funda.jpg?et=xyIYxo7STIrFMhy%2CzbIgag&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Subindo para a Funicular. Abaixo ponte do Sistema de Cremalheira construído em 1974.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/10/photo-10.jpg?et=g3v1cNOO4UsS9HLOU4HspA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]4ª Casa de Máquinas e ponte do Segundo Sistema Funicular de 1901.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/23/photos/33/500x500/13/photo-13.jpg?et=CKmzVf1Uh04Msy12KY9ZtA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]A máquina a vapor do 4º Patamar do segundo Sistema Funicular construído em 1901.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/9/photos/33/500x500/14/photo-14.jpg?et=XaKaLQ%2BkbaQhGmdVb%2BNGnA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]O tempo implacável consome tudo, senhor soberano do universo restitui tudo ao nada.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/19/photo-19.jpg?et=xhwnuHJRrLjV2Ixg%2B%2Bqdqg&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Sobre a estrutura da ponte da "Grota Funda" do 2º Sistema Funicular ninguém ousou passar. Os trilhos pousam agora sobre dormentes apodrecidos que se desmancham sob nossos pés e as placas de ferro enferrujadas rangem e ameaçam se partir.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/21/21-Ponte-do-Sistema-de-Cremalheira....jpg?et=VFEwbuiPZCKS2CMUoQfFwA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Ponte do Sistema de Cremalheira e o que sobrou da ponte do primeiro Sistema Funicular sobre a "Grota Funda".

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/22/photo-22.jpg?et=7bh%2Bt4c1D4BaFCHxXy7haw&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Túnel do 4º Patamar do Sistema Funicular.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/23/photo-23.jpg?et=LLlVxlIHmjz20%2BCtmCsxNw&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Minério de ferro descendo rumo ao Porto de Santos.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/24/photo-24.jpg?et=SMDdYKqMXBFyNuKCnCfZgA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]O tempo escureceu de repente.

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/25/photo-25.jpg?et=NvRFRt%2BYnfATUo934T6RpA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Retornando pela antiga calçada de serviço da "São Paulo Railway Company Ltd."

 

[picturethis=http://images.docemundodeilusoes.multiply.com/image/8/photos/33/500x500/29/photo-29.jpg?et=vZ1exzuBFPEJUKQ3qyG2ZA&nmid=41640430 500 375 ][/picturethis]Por entre algumas nuvens os raios do Sol tocam novamente o chão em alguns pontos da serra e do litoral.

 

Saibam mais sobre os Sistemas Funiculares e a história de Paranapiacaba aqui.

Abraços.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Sandro, que espetacular suas fotos dessa trilha pelo funicular...

 

Paranapiacaba é 'quintal de casa', também vivi a fase áurea das trilhas do poço das moças, dallanese park e etc... Mas também vivi a fase ruim, na tão famosa trilha do assalto brilhantemente relatada pelo Jorge Soto! Mas infelizmente não tive a oportunidade de fazer essa "trilha" do funicular... Hoje em dia é possível passar por esses trilhos????

 

 

Quanto a trilha que dá nome a esse tópico, reitero que é bem simples, basta seguir o rio. Não precisa de guia, e no local dessa trilha não há fiscalização, é só se embrenhar no mato e descer sem parar.

 

Já desci 3 vezes por elas, todas a mais de 6 anos, e tenho me coçado de vontade de descer por lá, principalmente agora, que os comentários sobre assaltos diminuíram drasticamente...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mas dos relatos de assalto nunca ouvi sobre a trilha que desce o rio mogi, só das outras fora do perímetro, especialmente da que sai ali da Solvay. Ou estou errado?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Sandro, que espetacular suas fotos dessa trilha pelo funicular...

... Hoje em dia é possível passar por esses trilhos????

Possível é Edu...

Tenha em mente que a Funicular é área privatizada por concessão de uso pela MRS Logística e se os guardas te pegarem poderão lhe ocorrer duas coisas: Ou eles irão te extorquir uma grana pra te liberarem ou você poderá responder um processo por invasão de propriedade.

A Funicular é cheia de armadilhas em decorrência da deterioração estrutural, as pontes, túneis e Casas de máquinas estão desabando, existem fossos ocultos pela vegetação, além de ser habitat de aranha armadeira e algumas espécies de cobras venenosas, ou seja, um local bastante perigoso.

Se mesmo assim decidir ir não deixe que os maquinistas das locomotivas que passam lhe vejam, pois eles alertam pelo rádio os guardas que ficam numa cabine de vigia no alto da Cremalheira.

 

Abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Mas dos relatos de assalto nunca ouvi sobre a trilha que desce o rio mogi, só das outras fora do perímetro, especialmente da que sai ali da Solvay. Ou estou errado?

Está certo Raulzito. Porém nos últimos dois anos não tenho ouvido, nem lido relatos de assaltos por lá.

 

::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E aí pessoal!

 

Eu e meu colega Fábio descemos a serra nessa sábado, num espetacular dia de sol, com tempo super aberto, coisa difícil de pegar na serra do mar!! A visibilidade era absurda, do mirante do rio mogi podia-se claramente observar a baixada santista, e da trilha pude observar detalhes dos sistemas de trens que rasgam a serra...! Inclusive a ponte que o Sandro postou, vista de baixo, do meio da mata, um espetáculo!!!

 

Bom, não vou abrir novo relato, pois nós fomos num esquema "preparados para assalto" então nem levamos máquina fotográfica... :-(

 

A gente não fazia essa trilha há muito tempo, 6 anos, então foi tudo praticamente novidade. Deixa eu perguntar umas coisas aqui, pois boa parte da trilha achei que estava em outra trilha, ehhehe:

 

- Por quantas torres de alta tensão a trilha passa? Na minha cabeça eram umas 3 torres, depois na base de uma dela descia-se um barranco apoiando num cabo de aço preso na base de concreto, e depois em pouco tempo chegava-se no rio. Perdi a conta, mas passamos por umas 5. Esse trecho descida com o cabo de aço não tem mais, acho que abriram uma trilhinha contornando esse barranco... Confirma?

 

Nós demoramos 03:40 para alcançar a "prainha", isso porque descemos uma bifurcação a esquerda que levou numa cachoeira. Essa bifurcação fica bem ao lado de uma torre de alta tensão. A trilha principal, clara e batida segue pela encosta, enquanto essa trilha desce forte em direção ao rio. Acredito que esse não era o rio mogi. Nesse ponto, haviam várias picadas na mata descendo junto com o rio, imagino que esse seja um caminho mais 'roots' para alcançar o rio mogi mais abaixo... É isso mesmo? Nós preferimos voltar a trilha principal..

 

E essas outras bifurcações para a esquerda?? Levam aonde?

 

Eu não sei, na minha cabeça não demorava tanto o trecho de mata dessa trilha... Outra coisa, quando chegamos na prainha, a trilha saiu do lado direito do rio, sendo que existe uma trilha do lado esquerdo (que eu me lembrava muito bem!) !!! Peguei a trilha errada?? (para localização, pense que você está dentro do rio mogi, olhando no sentido da água).

 

Mais uma coisa da trilha, desde que você sai do mirante, claramente você desce a encosta direita de um vale. Só que em determinado momento, no fim do vale, a trilha toma a direita para alcançar a encosta direita de um novo vale, e na minha cabeça eu deveria descer a esquerda para alcançar o rio... Tá certo isso? Será que o fato de trilhar com grupos de mais de 20 pessoas não me deixava prestar atenção no passado??? hehehehehe

 

 

Da prainha até a cosipa fomos muito rápido, mesmo parando em quase todos os poços para mergulhar...

 

Outros pontos da trilha:

 

- Não havia mais nenhuma alma fazendo a trilha...

- De acordo com a frase acima, sem o menor problema com segurança...

- Cobras. Muitas. Passamos por 3 cobras pequenas, de uns 40cm. Uma outra quase me beijou quando subia um barranco, de uns 80cm. E uma, um dos momentos mais espetaculares da minha vida de trilheiro, preta e amarela, 1,50m , enorme, no meio da trilha, bem lenta tomando sol... Coisa belíssima e assustadora, ficamos uns 15 minutos olhando que nem bobos... Nunca tinha visto uma cobra tão grande em ambiente natural... sem palavras e sem fotos...

 

Na saída para a cosipa, muitos trens, mas sem guardinhas. Sossego, pegamos carona com um funcionário da MRS até o ponto de ônibus...

 

Uma pena o estado de conservação do prédio da raiz da serra... Prédio datado de mil oitocentos e noventa e pouco... totalmente abandonado... triste...

 

Abraço a todos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
E aí pessoal!

 

Eu e meu colega Fábio descemos a serra nessa sábado, num espetacular dia de sol, com tempo super aberto, coisa difícil de pegar na serra do mar!! A visibilidade era absurda, do mirante do rio mogi podia-se claramente observar a baixada santista, e da trilha pude observar detalhes dos sistemas de trens que rasgam a serra...! Inclusive a ponte que o Sandro postou, vista de baixo, do meio da mata, um espetáculo!!!

 

Bom, não vou abrir novo relato, pois nós fomos num esquema "preparados para assalto" então nem levamos máquina fotográfica... :-(

 

A gente não fazia essa trilha há muito tempo, 6 anos, então foi tudo praticamente novidade. Deixa eu perguntar umas coisas aqui, pois boa parte da trilha achei que estava em outra trilha, ehhehe:

 

- Por quantas torres de alta tensão a trilha passa? Na minha cabeça eram umas 3 torres, depois na base de uma dela descia-se um barranco apoiando num cabo de aço preso na base de concreto, e depois em pouco tempo chegava-se no rio. Perdi a conta, mas passamos por umas 5. Esse trecho descida com o cabo de aço não tem mais, acho que abriram uma trilhinha contornando esse barranco... Confirma?

Exatamente Edu. É isso aí. ::otemo::

 

Nós demoramos 03:40 para alcançar a "prainha", isso porque descemos uma bifurcação a esquerda que levou numa cachoeira. Essa bifurcação fica bem ao lado de uma torre de alta tensão. A trilha principal, clara e batida segue pela encosta, enquanto essa trilha desce forte em direção ao rio. Acredito que esse não era o rio mogi. Nesse ponto, haviam várias picadas na mata descendo junto com o rio, imagino que esse seja um caminho mais 'roots' para alcançar o rio mogi mais abaixo... É isso mesmo? Nós preferimos voltar a trilha principal..

Essa trilha que você pegou na bifurcação é a Trilha do Poço Formoso a pequena cachoeira leva o nome do poço e o riacho é um dos afluentes do Mogi.

 

E essas outras bifurcações para a esquerda?? Levam aonde?

Acabam em riachos como o do Poço Formoso ou sobem até a linha Cremalheira.

 

Eu não sei, na minha cabeça não demorava tanto o trecho de mata dessa trilha... Outra coisa, quando chegamos na prainha, a trilha saiu do lado direito do rio, sendo que existe uma trilha do lado esquerdo (que eu me lembrava muito bem!) !!! Peguei a trilha errada?? (para localização, pense que você está dentro do rio mogi, olhando no sentido da água).

A trilha encontra o Rio Mogi pela margem direita no sentido em que o rio desce, a trilha do lado esquerdo deve ser uma das trilhas que os operários que construíram as linhas férreas utilizavam para descer até o rio para tomarem banho.

 

Mais uma coisa da trilha, desde que você sai do mirante, claramente você desce a encosta direita de um vale. Só que em determinado momento, no fim do vale, a trilha toma a direita para alcançar a encosta direita de um novo vale, e na minha cabeça eu deveria descer a esquerda para alcançar o rio... Tá certo isso? Será que o fato de trilhar com grupos de mais de 20 pessoas não me deixava prestar atenção no passado??? hehehehehe

Ta certo sim, você desceu certo.

 

Da prainha até a cosipa fomos muito rápido, mesmo parando em quase todos os poços para mergulhar...

 

Outros pontos da trilha:

 

- Não havia mais nenhuma alma fazendo a trilha...

- De acordo com a frase acima, sem o menor problema com segurança...

- Cobras. Muitas. Passamos por 3 cobras pequenas, de uns 40cm. Uma outra quase me beijou quando subia um barranco, de uns 80cm. E uma, um dos momentos mais espetaculares da minha vida de trilheiro, preta e amarela, 1,50m , enorme, no meio da trilha, bem lenta tomando sol... Coisa belíssima e assustadora, ficamos uns 15 minutos olhando que nem bobos... Nunca tinha visto uma cobra tão grande em ambiente natural... sem palavras e sem fotos...

Acredito que esta cobra preta e amarela que você viu tenha sido uma Caninana, mas pode ser também uma Cobra D’água que apesar de passar a maior parte do tempo na água precisa se expor ao Sol para regular seu metabolismo como todas as outras cobras.

Veja se o padrão de cores de uma dessas combina com a que você viu?

 

[align=center]20091026152913.jpg20091026153124.JPG

20091026153203.JPG[/align]

Na saída para a cosipa, muitos trens, mas sem guardinhas. Sossego, pegamos carona com um funcionário da MRS até o ponto de ônibus...

Nos diga qual a linha de ônibus você pegou até a rodoviária de Santos e quanto está custando o bilhete e também qual ônibus você pegou para voltar pra São Paulo.

 

Uma pena o estado de conservação do prédio da raiz da serra... Prédio datado de mil oitocentos e noventa e pouco... totalmente abandonado... triste...

 

Abraço a todos!

Valeu Edu! ::otemo::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Beleza Sandro, então a trilha é essa mesma...! Só alegria!

 

A cobra que eu vi é muito parecida com a da terceira foto... Caninana? Peçonhenta?

 

Então, da rodoviária pagamos R$2,00 do ônibus municipal de Cubatão. Descemos na avenida "9 de abril", e caminhamos umas 4 ou 5 quadras até a rodoviária de cubatão.

 

Lá, tem ônibus para São Paulo sim, mas como eu sou de Santo André peguei um Expresso Brasileiro, por 14,50. (é o mesmo valor para São Bernardo, Santo André, Mauá e Ribeirão Pires)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Beleza Sandro, então a trilha é essa mesma...! Só alegria!

 

A cobra que eu vi é muito parecida com a da terceira foto... Caninana? Peçonhenta?

Sim uma Caninana, as outras duas são Cobras D’água, uma “Helicops carinicaudus” e uma “Liophis miliaris” todas comuns na região. Imaginei logo que seria uma Caninana pelo seu espanto no tamanho, pois elas chegam fácil aos dois metros e meio, algumas até atingem três metros ao passo que as Cobras D’água crescem no máximo até um metro e vinte.

Mas todas são inofensivas a nós, por não inocularem veneno a primeira reação delas ao nos aproximarmos é fugirem, a Caninana só fica agressiva quando molestada ou acuada.

 

Então, da rodoviária pagamos R$2,00 do ônibus municipal de Cubatão. Descemos na avenida "9 de abril", e caminhamos umas 4 ou 5 quadras até a rodoviária de cubatão.

Beleza; da vez que eu desci peguei um ônibus na COSIPA direto para a rodoviária de Santos, mas esqueci de anotar a linha.

 

Lá, tem ônibus para São Paulo sim, mas como eu sou de Santo André peguei um Expresso Brasileiro, por 14,50. (é o mesmo valor para São Bernardo, Santo André, Mauá e Ribeirão Pires)

Valeu Edu; abraço. ::cool:::'>

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...