Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

_maya

É possível viver mochileiro?

Posts Recomendados


É possível, sim, viver mochileiro. É possível e aconselhável!

Sempre haverá a preocupação com a carreira, a família, o futuro. Posso dizer que tudo é uma questão de planejamento e sorte, além da dedicação, claro. Qualquer que seja a direção que tomemos na vida, sempre haverá a possibilidade de "derrota", mas isso dependerá do ponto de vista do "derrotado". Há pessoas que escolheram cuidar da carreira pra depois, já estabilizadas, cairem na estrada; assim como há aqueles que optaram por viajar primeiro. Tanto faz, que se tome um ou outro caminho, o que "pesa" é o que se vai fazer com o conteúdo(diplomas, experiências, dinheiro, histórias, cargos,etc.) adquirido nessa caminhada. Então, a gente encontra pessoas arrependidas em ambos os lados dessa estória das escolhas pessoais. Gente que cuidou da carreira e, quando resolveu cair na estrada descobriu que física e mentalmente não tinha mais condiões de realizar o intento. Gente que preferiu o mundão e, mais tarde, viu a idade chegar sem ter uma condição de vida digna, nem mesmo profissionalmente. sse negócio de meio termo é bom, mas só pro começo, pra sentir "qual é"; porque, depois, as vida mesmo se encarrega de forçar o indivíduo a fazer uma opção.

Eu tenho experiência na arte de perambular sem gastar muito dinheiro, trabalhando "aquí e alí", foi ótimo( e vai ser de novo...me aguardem, rsrs). Claro, não tenho nível superior; diploma?Tsc, tsc, nécas! Formação profissional de boa remuneração? Também não. Valeu a pena? Sim, sim!!! Cada momento, cada cidade, cada amizade, cada aprendizado. Tento é que, eu e minha companheira, ambos acima dos 40 anos(nunca levei companhia, mais um desafio), estamos nos preparando para cair na estrada. Veja, estou, neste momento, digitando esta mensagem sentado em um apartamento de classe média, na beira da praia, confortável, com carro bom na garagem e emprego estável à vista. Optamos por arriscar a busca por mais qualidade de vida, liberdade, simplicidade e, quem sabe, nunca mais parar de viajar. Claro, viver na estrada requer flexibilidade, paixão, várias habilidades profissionais simples, humildade também ajuda; claro, comunicabilidade é fundamental(pra não dizer, tudo!).

Depois posto mais umas dicas que aprendí, pra quem quiser saber, porque aprendí bastante, lendo os posts da galera.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Desde 10 Fev 2010, 16:55 que não temos noticia de _maya (Autor desse topico) - estou acompanhando o plano/sonho dele e gostaria de informações...ele disse que no meio do ano de 2010 sairia do trabalho e se iniciaria a aventura e desde fevereiro de 2010 não deu mais noticias...

 

Se eles está na estrada, em junho 2015 saberemos, ou antes, ou depois...

 

Se foi, tendo sucesso na viagem ou não, é um verdadeiro heroi, deixou a rotineira vida que muitos gostaria de deixar e ganhou o mundo...

 

Aguardo noticias dele...

(tenho 22 anos, em 2015 'quando ele retorna' terei 26 - com o relato dele, parto por meus 5 anos de "verdadeira vida").

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Natss,

 

Eu também fico meio preso da mesma forma que você, mas não adianta, do que vale isso? Do que vale ter dinheiro, ter estabilidade... O que você vai levar disso? Caixão não tem gaveta, e dessa passagem só levamos as experiências como bagagem. Viver de verdade é se desapegar disso, é viver naturalmente, o mundo está ai, e temos muito o que conhecer, muito o que viver, não só esse núcleo em que somos pressionados por todo mundo, onde se você não estudar, trabalhar, ter uma casa e uma família você é errado. Isso que é errado! Nossa sociedade hoje vive da pior maneira possível, e mesmo com tudo isso acredito que temos que ser superior, aprender que o material não vale de nada.

 

Eu imagino o que você passa, pois também não sou super liberto assim, mas o que eu mais gostaria nessa vida era largar tudo, e viver por aí! Quem saiba um dia eu ainda faça isso...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gente e o Maya? to curioso para ter noticias, afinal ele abriu esse tópico... Viajar é realmente algo incrível, já são 10 paginas de relatos, analise, opiniões, e mesmo assim ainda cabe respostas para essa pergunta. Afinal é possível viver mochilando ? !! Muito bom esse tópico

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Compartilho do mesmo sentimento do colega que abriu o tópico. Investi o dinheiro que eu tinha na compra de um carro 0 e meio que me arrependo... Os 35 mil rederiam uma bela viagem. Meu grande sonho é jogar tudo pro alto, pegar minhas economias e fugir dessa rotina. Mas e a coragem? E o medo de não dar certo e enfrentar perrengue quando voltar? :cry:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

George, o problema é que não é só a nossa atitude que é capitalista. O mundo é. E ele não valoriza as pessoas pelo que são, e sim pelo que tem.

 

Temos mesmo que encontrar o tal "caminho do meio", não dá pra adotar uma atitude minimalista 100%. Podemos nos treinar para valorizar as experiências ao invés das coisas materiais, os serviços ao invés das compras etc... Mas você concordar que sem dinheiro nada disso é possível?

 

O ideal é tentar conseguir um meio de sobreviver sem ficar preso à nada. Seja diminuindo muito o padrão de vida (ninguém quer) ou achando uma atividade que possa ser realizada em qualquer lugar. Isso se você não encontrar alguém pra bancar seu estilo de vida :(

 

Em tempo: o ser humano não é nômade desde o mesolítico. É da nossa natureza querer se fixar e construir riquezas sim. O que está matando o homem não é ser sedentário, é ser escravo. Escravo de uma sociedade que nos faz doentes de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para... vocês entenderam. :idea:

 

 

Natss,

 

Eu também fico meio preso da mesma forma que você, mas não adianta, do que vale isso? Do que vale ter dinheiro, ter estabilidade... O que você vai levar disso? Caixão não tem gaveta, e dessa passagem só levamos as experiências como bagagem. Viver de verdade é se desapegar disso, é viver naturalmente, o mundo está ai, e temos muito o que conhecer, muito o que viver, não só esse núcleo em que somos pressionados por todo mundo, onde se você não estudar, trabalhar, ter uma casa e uma família você é errado. Isso que é errado! Nossa sociedade hoje vive da pior maneira possível, e mesmo com tudo isso acredito que temos que ser superior, aprender que o material não vale de nada.

 

Eu imagino o que você passa, pois também não sou super liberto assim, mas o que eu mais gostaria nessa vida era largar tudo, e viver por aí! Quem saiba um dia eu ainda faça isso...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Existem várias formas de se viver mochileiro:

- Viajando e trabalho a vida toda nos locais

- Arrumar um trabalho que possa ser feito a distância e viajar trabalhando

- Com muita grana investida (mais de 200K) e gastando nas viagens menos do que sua grana rende (viajando quase exclusivamente em países do 3º mundo)

 

George, o problema é que não é só a nossa atitude que é capitalista. O mundo é. E ele não valoriza as pessoas pelo que são, e sim pelo que tem.

 

Temos mesmo que encontrar o tal "caminho do meio", não dá pra adotar uma atitude minimalista 100%. Podemos nos treinar para valorizar as experiências ao invés das coisas materiais, os serviços ao invés das compras etc... Mas você concordar que sem dinheiro nada disso é possível?

 

O ideal é tentar conseguir um meio de sobreviver sem ficar preso à nada. Seja diminuindo muito o padrão de vida (ninguém quer) ou achando uma atividade que possa ser realizada em qualquer lugar. Isso se você não encontrar alguém pra bancar seu estilo de vida

 

Em tempo: o ser humano não é nômade desde o mesolítico. É da nossa natureza querer se fixar e construir riquezas sim. O que está matando o homem não é ser sedentário, é ser escravo. Escravo de uma sociedade que nos faz doentes de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para comprar remédios para curar a doença de trabalhar para... vocês entenderam

O ser humano não segue nenhum padrão. Desde sempre houveram peregrinos, nômades, ciganos etc... Existem povos inteiros nômades (os mongóis por ex). Acho improdutivo criticar o capitalismo, ele é o melhor modelo econômico e não proibe ninguém de valorizar o interior , ele só não permite que pessoas vivam sem trabalhar. O consumismo não é fruto do capitalismo, é fruto de problemas de auto estima dos homens , principalmente quando não procuram nenhum crescimento filosófico/espiritual.

 

 

Eu também fico meio preso da mesma forma que você, mas não adianta, do que vale isso? Do que vale ter dinheiro, ter estabilidade... O que você vai levar disso? Caixão não tem gaveta, e dessa passagem só levamos as experiências como bagagem. Viver de verdade é se desapegar disso, é viver naturalmente, o mundo está ai, e temos muito o que conhecer, muito o que viver, não só esse núcleo em que somos pressionados por todo mundo, onde se você não estudar, trabalhar, ter uma casa e uma família você é errado. Isso que é errado! Nossa sociedade hoje vive da pior maneira possível, e mesmo com tudo isso acredito que temos que ser superior, aprender que o material não vale de nada.

Muito interessante essa colocação. Eu já refleti muito sobre o assunto, principalmente tentando ver tudo isso pela ótica budista. É verdade que se praticarmos o desapego , veremos que não precisamos de tantos bens materiais, que não precisamos estudar para ter trabalhos melhores nem ter que trabalhar tanto. Podemos ser felizes trabalhando pouco e tendo uma vida simples, apenas com algum abrigo e com comida (simples!).

 

Mas se você começar a refletir sobre isso, também verá que para ser feliz você também não precisa de viajar. A vontade de viajar também é um apego.

 

Como eu não sou uma pessoa nem um pouco próxima dessa condição, eu tento valorizar o caminho que eu acredito que vá me permitir chegar mais perto de ser uma melhor pessoa. Eu estudo sim, não só pelo conhecimento técnico, mas por todas as oportunidades que isso pode me abrir. Se eu não tivesse ido para minha faculdade, eu não teria me tornado um mochileiro, não teria contato com pessoas de todo o Brasil e não teria acesso a muita coisa que tive.

 

Eu trabalho, para ter a liberdade para fazer as coisas que sonho.

 

Também valorizo as viagens, por que assim posso ter contato com pessoas diferentes, com filosofias e culturas diferentes, e talvez encontrar algo que me ajuda a melhor compreender meu mundo e minha vida, e assim eu possa crescer. Se eu chegar a um ponto que eu perceba que não preciso mais trabalhar, estudar, nem viajar, que bom! Mas será uma decisão baseada em experiências e reflexões que vieram disso, e não simplesmente uma decisão estritamente intelectual.

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
O ser humano não segue nenhum padrão. Desde sempre houveram peregrinos, nômades, ciganos etc... Existem povos inteiros nômades (os mongóis por ex). Acho improdutivo criticar o capitalismo, ele é o melhor modelo econômico e não proibe ninguém de valorizar o interior , ele só não permite que pessoas vivam sem trabalhar. O consumismo não é fruto do capitalismo, é fruto de problemas de auto estima dos homens , principalmente quando não procuram nenhum crescimento filosófico/espiritual.

 

Em nenhum momento critiquei o capitalismo. mas o que eu disse, repito e continua valendo: o mundo é capitalista e não valoriza as pessoas pelo que são, e sim pelo que tem. Não há o que discutir neste conceito. Se isso é ruim ou bom depende muito do ponto de vista. Com certeza tem gente que se sente muito satisfeita dessa forma, e gente que se sente prejudicada.

 

Eu não penso de nenhuma das duas formas, como afirmei no post anterior eu gosto mais de prezar pelo caminho do meio. Não conseguiria nunca viver como Leo Babauta, prezando o minimalismo e tendo somente o essencial. Só que se analisarmos melhor, ele próprio com seu blog "zenhabits" já fez muito dinheiro e minimalista ou não, o cara está rico. E aí? Olha o capitalismo dando as caras.

 

A questão do tópico é: é possível viver mochileiro? Sim é. Mas como tudo na vida é uma balança, você ganha de um lado e perde do outro. Se a pergunta fosse: é possível viver mochileiro e ser aceito como uma pessoa bem sucedida no mundo atual? A resposta seria bem diferente, cheia de variáveis que teriam que incluir o capitalismo na resposta. Como a pergunta não é essa, vamos simplificar a resposta, até que nosso amigo volte ao tópico e nos diga se foi feliz com sua escolha (supondo que ele realmente tenha tentado).

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...