Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Posts Recomendados

Primeiro quero agradecer ao Mochileiros.com por todo conteúdo disponibilizado que tanto me ajudou na organização dessa viagem. Quero dizer que as infos aqui compartilhadas, não só me incentivaram como me ajudou a fazer uma estimativa real de gastos para o meu estilo de viagem (voltei com R$100,00 porque acabei pulando muitas refeições menos em função do clima seco), o que foi excencial para a minha experiência.

Então vamos lá!

Comprei a passagem pra Santiago em setembro, em princípio ia somnte para lá. A vontade de ir ao Atacama era grande apesar da grana ser curta. 

Vi num tópico sobre sobre as passagens da SKY airlines (obrigada pessoa maravilinda), e num dia pós drinks cheguei alegrinha e bam, comprei uma passagem por 75USD -muito barata!!Como já sabia que os custos lá eram grandes, optei por ficar só duas noites- me arrpendi fique mais dois dias, Santiago é cara também.

Meu roteiro ficou assim:

Poa- Guarulhos- Stiago 24/12

Stiago-Calama-San Pedro - 25/12

San Pedro - 26/12

San Pedro- Calama - Santiago - 27/12

Santiago- 28/12

Santiago 29/12

Valparaíso/Viña- 30/12

Saniago- Guarulhos-31/12

Guarulhos-PoA - 01/12

Saí de Porto Alegre por volta das 13h esperei em guarulhos até às 20h (tempo que pareceu uma eternidade), cheguei em Santiago às 11:55 de lá aqui já era 00:55, imigração vazia e tinha um papai noel andadando por lá :D catei o Wifi gráis do aeroporto e fui dar Felix Natal pra família. Terminadas as comemorações fui catar um banco pra dormir. Frio pra cara*** ainda bem que estava com a corta vento amarrada na cintura, tive que me cobrir.

Dormda, ás 3h fui pra área de embarque - a de embarque domésticos é melhor que a de internacionais- e me arrependi de não ter ido dormir por lá, bem mais confortável... Embarquei às 4h o voo saiu 5 e pouco. O voo, low cost, não tem serviço de bordo grátis é bem apertado, ainda bem que sobraram umas poltronas e pude deitar, dormi até Calama. Ahhh se você quer ver as cordilheiras sente do lado esquerdo, tanto vindo do Brasil quanto pra Calama.

Chegando em Calama peguei o transfer da Lincabur, eles cumprem direitinho o lance das reservas então, apesar de ter chegado ás 7:20 saímos só às 9h pra esperar gente de um outro voo O.o mas assim, a mesma seriedade vale pra volta, assim me disseram no hostel: Lincabur sempre passa!!!

Iniciamos o caminho e que caminho, acordilheira ali sempre acompanhando, demorou cerca de 1:40h até San Pedro. Cheguei no hostel (Pange Norte), amei! O Staff era uma menina americana muito fofa, me ajudou a guardar a mochila e eu já saí em busca de tours pra tarde. Como era natal, muita coisa estava fechada, orcei em alguns lugares e fechei dois tours com a Tani Tani, fiz Valle de la Luna e Piedras Rojas por 45000CHL (o cara me deu 10000 de desconto pra fechar), troquei uns reais pois tinha tocado 100000CHL em PoA (a 180, o que foi uma cotação igual ás que peguei no Chile) e ahei que podia icar sem grana muito rápido e no outro dia o tour era o dia todo, achei um lugar na Taconao que estava trocando a 182, troquei mais 30000 e fui me preparar pro Valle. Passei num Armazém que tem próximo do hostel, comprei uma água de 6l por 1600CHL(vai por mim compre) pra reabastecer minha garrafa de 1,5l que tinha comprado no aeroporto e que já tinha ido.Comprei um pacote de pão com 4 tipo hamburger por 2000CHL uma lata de atum por 1750CHL e um tomate, fiz um sanduiche no hostel, troquei os tenis por uma bota, pus um boné a corta vento e na mochila água, salgadinho, protetor e bpantol (leve Bpantol! e use, use muito pq é seco pra cara*** e sua boca  nariz vão sentir). 

Dei uma volta na pracinha, tirei umas fotos usei o wifi gratis da praça e fui pra agência pegar a van pro passeio.

o passio, que vou dizer... maravilhoso! Você ve paisagens indescritíveis, passa por dentro de cavernas, sobe dunas enoooormes e , se tiver minimamente sentimento, vai se sentir insgnficante nesse mundo.

No passio já comecei a conversar com duas Brasileiras de São Paulo, umas amadas. Descobrimos que iríamos fazer o tour do dia seguinte juntas e já combinamos! Ah elas tinham perdido as malas no voo da LAN pq era necessário pegar e despachar de novo pra Calama então, fiquem atentos.

Depois do Valle subimos na Pedra do Coiote para o por do sol, aqui o vento pega, então LEVE CASACO! E leve boné (melhor que chapéu pois venta muito e o chapéu vooa vc pode perder se cair fora das trilhas onde não se pode pisar) pois o sol é de rachar e reflete na areia, nem preciso dizer que óculos escuros tb são ítem de primeira nescessidade.

Chegamos perto das 21h, no hostel e fui pra fila do banho que estava um alvoroço pois a água estava acabando... consegui, mas tava um fiapo, fazer o que... deserto e hostel cheio.Na fila, conheci uma brasileira de Floripa, depois do banho sentei com ela e mais uns paulistas e catarinenses, muitas conversas sobre as viagens ... cama, podre, e tendo que levantar ás 6:30h pro passeio.

Uma coisa divina desse hostel que achei, além da área comum que propicia o enconro dos hóspedes, é o colchão e a roupa de cama :-D um mínimo de conforto depois do cansaço da viagem e das dunas.

 

26609906_1682870645067822_582643074_o.jpg

26540673_1682870625067824_1342067020_o.jpg

26539849_1682870638401156_1323122338_o.jpg

26612917_1682870618401158_1512132637_o.jpg

 

Continua...

  • Curti 3
  • Acompanhando 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Segundo dia, Piedras Rojas.

Levantei às 6:30, já tinha separado a roupa pro passeio a mochila a água, o sempre comigo bpantol e sancks (que trouxedo Brasil na mala:D eee atestado de pobresa), fui escovar os dentes e... nada de água.

Grata por ter podido tomar banho na noite anterior (pois o passeio do Valle é o que da sujeira no corpo mesmo por causa da junção suor, vento e areia), peguei os meus agora 4l de água, escovei os dentes, tomei água e fui esperar a van. Aqui dou a dica de esperar dentro do hostel pois é frio nesse horário e o motora da van pergunta por vc na recepção, então fique sussa que vão te chamar se estiver pelas áreas comuns- é de praxe!

A van chegou pouco depois das 7:10, já haviam algumas pessoas, muitas que haviam feito o passeio no dia anterior, continuamos a rota pegando mais pessoas, o guia- um turco radicado em San Pedro- meio atrapalhado mas cheio de boa vontade e dominando os tópicos dos lugares a serem visitados, e saimos rumo ao altiplano. A primeira parada é cerca de 40 min depois de sair de San Pedro, em Taconao, um povoado de 700 e poucos habitantes muito bonitinho, onde visitamos uma igreja e um campanário dá época da colonização; Tambem vemos o cactus adulto - grande mesmo- ja damos o dinheiro das entradas pras próximas paradas na Laguna Chaxa e Lagunas Miscanti e Meniques (5500CHL inteira, estudate paga 3000CHL), eu que gosto de ver povoados fiquei meio frustrada pq queria ter andando no meio das casinhas mas entendo que viagem em tour de grupo é assim mesmo... Aqui já tinha me reunido com as meninas de SP e para a felicidade do guia fomos umas das primeiras a entrar na van.

A viagem continua e começamos a entrar no Salar do Atacama, as primeiras visões do deserto de sal é de uma terra revolta com o mesmo, mas conforme se vai adentrando, vai ficando branquinho, branquinho.Cerca de 1h depois de sair e Taconao a segunda parada, laguna Chaxa. descemos da van, um misto de calor e frio.

Nessa reserva tem um mini museo explicando as espécies de flamingos, banheiros e ao final do corredor uma varanda com vista pra lagoa e cordilheira : que vista!

As montanhas avermelhadas se fundem com as águas transparentes e profundas da lagoa que reflete as montanhas, o ceu de um azul sem igual e... flamingos <3. Dali cruzamos o caminho que leva próximo à lagoa em meio ao salar. Conforme vc vai se aproximando vai batendo o frio, apesar do sol fooorte e quando ve está ali, vc e os flamingos. É de uma beleza sem igual. Ficamos fazendo muitas fotos e videos dos rosadinhos e da paisagem e decidimos voltar pois o guia havia dito que dentro de 20min o café estaria pronto.

Senhor, que café! Leite, café solúvel, pão, bolo, queijo, geléia e ovos mexidos. Nhami! deu pra todos comerem bem e sobrou.

Ficamos ali conversando com duas cariocas queridonas, mãe e filha, e mais um casal de... paulistas (vão dominar o Chile, vai por mim), embarcamos todos e seguimos viagem. Agora já "dentro" da cordilheira os picos de vulcões e outras montanhas nos acompanhavam todo o tempo, que caminho maravilhoso!

Depois do que pareceu mais 1h de viagem paramos em Socaire, este local foi habitado tanto pelos povos atacamenhos quanto pelos incas (que deixaram seus terraços pelo povoado onde acumulavam água. Depois, pra variar veio a Igreja catequizar os povos e fizeram uma igreja sobre esse terreno e de fronte ao vulcão Miscanti, que era adorado pelos povos locais, assim a cultura desse lugar é cheia de sincretismos entre cristianismo e a adoração à Pachamama. Além de toda essa informação histórica tb veio a de que esse era o último banheiro em horasO.o. Embarcamos na van e seguimos rumo ao Vulcão Miscanti onde encontraríamos as lagunas altiplanicas. 

Eu nunca amei tanto a paisagem de um lugar: vai subindo, subindo e a cordilheira sempre ali<3, aqui pus os fones e fui curtindo a paisagem, os rebanhos de vicuñas, zorro (uma raposa andina), gaviões e gaivotas andinas...uma delícia.

Muita subida e curva depois, chegamos à laguna Miscanti, de novo outra paisagem difícil de compreender de tão linda. Aqui tinha baño, ehehe e muitas outras agencia tb =/ entre a laguna Miscant e meniques tem uma trilhazinha de pedra... nos demoramos fazendo fotos achando que podíamos voltar pra pegar a van o que foi a nossa surpresa de que a van nos esperou mais pra frente. Aqui começou a odisséia das brasileiras que ficavam pra trás:-D, sério o guia me chamou a atenção...mas o que ia fazer? o cenário era lindo e nós fomos ficando ashshsh. depois disso nos tornamos conhecidas por ficar pra trás ashshshs, o pior é que os outros brasileiros foram entrando na onda e o pobre guia teve que aceitar que dominamos ashshshs.

Nesse local já se começa a sentir os efeitos da altitude, andar mais rápido parece uma corrida de 100metros rápidos e pra algumas pessoas já se tornou impossível sair da van (pobre da carioca mãe que já estava sofrendo horrores pela secura do ar (nariz sangrando e olhos escorrendo), aqui tb começou a penar pela falta do mesmo.

Fomos pra segunda lagoa, que é linda mas não se compara à primeira.

Muitas fotos e e introspecção em todo esse ambinte depois embarcamos pra subir mais e mais até nosso destino final: Piedras Rojas!

Minha Deusa! Que lugar! Esqueça tudo o que falei sobre os demais, aqui você vai demorar pra acreditar que esse lugar existe nesse planeta! Montanhas enormes cinzas e vermelhas, rajadas em branco. O solo todo de uma areia fina que... não é areia, é sal, sal que não tem fim, e uma laguna verde claro transparente refletindo toda a imensidão dessas montanhas. é increditável!!!!

Nossa, demoramos com gosto! A paulistas foram esperta e trouxeram uma llaminha pra tirar aquelas fotos em que se perde a escala (ótimas), andei, sentei, admirei, fotografei, mas sobetudo procurei fotografar com a mente a maravilha que é esse lugar. É de se emocionar.

De volta a van, a tadinha da mãe carioca tinha melhorado um pouco, já pedi um cabo emprestado pra carregar meu celular pras cariocas (pois o meu deu de não dar contato), começamos a decida e de voltá à Socaire paramos pra almoçar num restaurante pequeno familiar onde outras agencias tb pararam.

O banheiro não tinha descarga, então tinha que encher uma jarra pra dar adeus às necessidades O.o.De comida tinha 3 opções de prato principal (só lembro do que comi que foi frango com creme de milho arroz e salada era o peruano do cardápio) de entrada escolhi a sopa de carne, tinha refrescos de laranja e uva (tipo tang mesmo) em jarras e um pãozinho com uma pasta de aji (pimentão e pimenta vermelha) tudo simples mas delicioso ao meu gosto.

Saindo dali o retorno derradeiro =/, ainda paramos pra foto na placa de trópico de capricórnio cousa que não o fizemos pq achamos muito mais interessante (os brasileiros, claro) tirar fotos sentados e pulando na estrada deserta o deserto:-D. Nessa onda entraram os colombianos que viajavam junto e claro, atrasamos o guia ashshsh.

Chegamos à San Pedro pelas 18h fui correndo pro hostel ver se tinha água e...nada, saí pra jantar com as paulistas e nos despedirmos. Comemos uma pizza por 8000 + 500 para ser de 2 sabores mais uma coca1,5l por 2500tudo saiu 11000 dividido por 3 :) (pizzaria na Taconao não lembro o nome mas é toda de pedra e dentro é bem simples mas arrumadinha, uma porta de madeira com vidro. mas a médias das pizzas é tudo esse valor então não se preocupe em achar esse lugar, mas era deliciosa a pizza era, ah e sempre vem os tais pãezinhos com aji)

De volta ao hostel, umas 22h encontro a menina de Floripa pronta pra ir tomar uns drinks, sí com ela, fomos ao Lola onde no andar de cma estava tocando uma banda de sertanejo ashshshs, bebemos umas cervejinhas cantamos um pouco e bora pro hostel descançar e dormir sem banho:/. Cada ceva oi 3000CHL (longneck de estela ou escudo):o.

Asreeições do passeio são incluídas no preço. 

Tivemos sorte que não ventava, então não estava frio em Piedras mas o normal eh fazer muito rio, leve casaco.

P.s.: Depois de falar com um ex guia brasileiro no outro dia da viagem ele disse que tem 3 coisas que vc só vê no Atacama (não tem em uyuni: Valle de la Luna, Lagunas saladas -cejar ou escondidas- e Piedras Rojas) então eleja esses se tiver poucos dias. Eu não me arrepend das minhas escolhas <3 <3 <3

 

26235582_1683976164957270_1285141274_n.jpg

26653153_1683975154957371_585573798_o.jpg

26541011_1683975198290700_1264412436_o.jpg

26553386_1683975161624037_759840420_n.jpg

26241307_1683997681621785_96417012_n.jpg

  • Curti 2
  • Acompanhando 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Terceiro dia de viagem e último de Atacama :?

Acordei por volta das 9h e fui direto ao banheiro, água!!!

Ao que ando pelo pátio já vem o staff brasileiro anunciando: tem água, aproveita!!!

Fui direto pro banho, quente e com muita água, Deusa, que coisa divina. Não estava nem put* com o hostel pq na saidinha à noite para as bebidinhas descobrimos que todo o povoado estava assim, sem água mesmo...

Arrumei minhas coisas fiz o check out (a quero só fazer um adendo que paguei na entrada 250000CHL por isso troquei mais dinheiro na chegada), guardei a mochila numa salinha e saí pra cidade. Fui nas feirinhas de artezanato comprei lembrancinhas, os preços das coisas pequenas como llaminhas, mascaras, pratinhos, chaveiros... variam entre 1000 e 3000CHL, como eu tinha uma lista extensa gastei cerca de 20000CHL nas compras e água, tirei fotos da Igreja, da pracinha, fui andando para a parte nova da cidade mas aí o cansaço e o sol bateram forte resolvi voltar pro hostel, comi o que sobrou do atum pão e tomate, encontrei o staf brasileiro de folga pelo pátio e fomos tomar uma ceva, logo já estavam um argentino, uma colombiana duas italianas e a querida staff america sentados juntos dividindo umas Escudo litro que compramos por cerca de 1500CHL cada na botilleria da rua do hostel (tipo um armazem mas só de bebidas).

Bebemos e conversamos muito enquanto eu aguardava às 16:30 o transfer de volta ao aeroporto.

deeu 17h e apesar da conversa muito boa comecei a me procupar, mas o pessoal do hostel me disse que eles sempre passam ehehe passaram, saí correndo meio bebada (não tinha bebido muito mas na altitude pega a fú o alcool, na correia não rolou ir ao baño, senhor entrei naquela van e o sono da bebida começou a tomar conta, mas mais que isso toda a água e ceva junto começou a me incomodar, não deu outra, tive que pedir pra ir ao baño na natureza pq na estrada até o aeroporto é soh deserto:ph34r:, que vergonha,mas história pra contar né ashshsh

Dormi até o aeroporto e chegando lá corri pro embarque internacional pq era lá que estava saindo o voo, entrei e apaguei. Acordei em Santiago, já na saída tinha o guichê da transvip, aberto mesmo sendo 22h, paguei o tansfer até o hostel- 7000CHL- The bella Vista em Bella Vista, me embarcaram e por sorte fui a primeira a desembarcar.

Fiz o check in, paguei em dólar como estava especificado na reserva, fui levada até meu quarto (fica a dica, aqui o quarto feminino tem baheiro dentro do quarto :)) só tinha uma menina americana já indo dormir. Deixei minhas coisas e fui pra rua, os barzinhos abertos, fui direto no pátio bella vista comer um Mc DoaldsO.o, 2900CHL o mc lanhe feliz, saí e continuei caminhando, pedi informação pra um cara, músico estava indo pra casa ele disse que me acompanhava, me pareceu gente boa e no caminho ele foi me explicando toda a história do bairro pois ele vive lá des de sempre. Cheguei no hostel perto da 1h fui dormir que o outro dia ia ser longo...

  • Curti 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pretendo ir em Maio. Também irei sozinha. Suas dicas são de muita valia!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Chile eh caro pacas... Eu vou p Argentina outubro, mas to quase desistindo por Peru ou Bolívia... Ta osso o custo de vida em Buenos, salário lá já eh 10k

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por Dérik Martins
      O downhill na estrada da morte na Bolívia não pode faltar para aqueles mochileiros que amam uma aventura, como eu! Para quem ainda não conhece, é a descida de bike em uma das mais perigosas estradas do mundo, com precipícios que beiram os 900 metros de altura e trechos com apenas 3 metros de largura.
      Nós pagamos cerca de 150 bolivianos (R$70,00) mas o valor pode variar de acordo com o tipo de bike e tração. É bom reservar um tempinho para andar na rua Sagàrnaga e pechinchar entre as agências para conseguir o melhor preço.
      Este passeio dura o dia todo, mas em nosso caso, tivemos uma situação um tanto conturbada que dobrou o tempo de duração, portanto irei dividi-lo em três partes: Início, meio e experiência de quase morte. hahahhaaha. Calma que eu vou explicar.
      Início: O tour inicia-se às 7h00 e inclui transporte até o topo da estrada, na cidade de El Alto, vestimenta (jaqueta fina, calça e luvas), equipamentos de segurança, fotos, almoço e guias para conduzir o grupo.
      Quando desembarcamos lá em cima, fazia muito frio, portanto recomendo levar mais uma blusa apenas para o início da descida, pois da metade para o final faz muito calor. Dessa forma, é importante ter uma camiseta por baixo de tudo. Também é fundamental levar óculos de sol para evitar que a poeira entre nos olhos.
      A descida começa ainda em estrada asfaltada, a uma altura de mais ou menos 4.000 mil metros. A sensação de liberdade é indescritível e é ainda mais incrível olhar para os lados e perceber que está pedalando na altura dos picos das montanhas!
      Após em média 50 minutos pedalando na estrada asfaltada, começa o temido caminho na estrada de cascalhos, terra e muita poeira. O guia fez algumas recomendações importantes e demos início a largada!
      Não vou negar que no começo fiquei com bastante medo, mas depois de 10 minutinhos, peguei o jeito e me acostumei. Ahhh! Fique tranquilo, caso não tenha experiência com bikes,  é só descer com calma e não há motivos para algo dar errado. O trajeto completo dura em média 4 horas e vai dos 4.000 aos 1.110 metros em 65km de estrada.
      Meio: O percurso passa por pequenas cachoeiras e recomendo que OLHEM PARA OS LADOS, mesmo pedalando, pois a vista é inacreditável! Eu até vi um gavião voando na mesma altura que estava! É incrível! Há paradas para descanso, fotos, lanche e histórias macabras.
      Depois de completarmos a descida, há um almoço delicioso com comida bem típica e depois, começamos a volta à La Paz, já dentro da van.
      Experiência de quase morte:  Depois do almoço, retornamos à van e notei logo de cara que o guia estava bêbado e não conseguia formar uma frase, provavelmente, tinha bebido enquanto almoçava.
      Mesmo com essa situação, ninguém se manifestou de início e seguimos viagem pela estrada, que não é da morte, mas ainda sim, haviam precipícios e neblina. Um pouco antes da metade do caminho, nossa pista estava interditada em um pequeno trecho, sendo necessário desviar por um minuto na contramão, era uma manobra fácil e foi o que nosso motorista fez, o único problema era o caminhão vindo em nossa direção e o motorista da van continuou indo, mas parou bem em cima!
      Depois desse susto, todos ficaram preocupados e alguns até mais exaltados. Assim, exigimos que eles parassem a van, o que eles se recusaram de início, mas cederam quando viram um comércio na beira da estrada. Nós descemos da van e paramos uma outra van de transporte público que estava indo para La Paz e nos levou junto.
      Nós falamos com a agência e a responsável nos reembolsou o dinheiro extra gasto com a van pediu mil desculpas. Acredito que o guia e motorista eram novos e foram advertidos ou até dispensados depois das reclamações que receberam.
      Tenho certeza de que essa situação foi uma exceção e quero que entendam o relato como uma lição para prestarem mais atenção nos guias, pois não depende somente das agências. Por favor, não deixem de fazer esse tour incrível, lindo e sensacional!!!!! As fotos dizem por si só!
       



    • Por felipenedo
      Olá Viageiros!!!
       
      Vou contar um pouco da minha passagem por Riga, capital da Letônia, que foi o início da minha viagem pela Europa, que ainda teria Ucrânia, Polônia, Alemanha e Holanda.
       
      Para mais detalhes e fotos, visitem o meu blog:
      www.profissaoviageiro.com
       
      Agora uma novidade: Um novo canal no Youtube com todos os vídeos das viagens e muitas outras coisas que pretendo mostrar por lá!
      Youtube: Profissão Viageiro
      Agradeço muito quem puder se inscrever por lá!   
       
       
      Então, eu não sou um cara muito Europa para falar a verdade... Acho que lá o turismo é mais fácil e quase tudo que eu faria lá agora, posso fazer quando estiver mais velho.
      Já outros lugares do mundo, ou é agora, ou provavelmente não vai rolar, pois exigem mais do meu físico e capacidade de me adaptar aos lugares.
       
      De qualquer forma, não preciso dizer o quanto a Europa é linda e em cada esquina tem algo bonito para ver ou fazer.
       
      Riga é assim, uma cidade muito bonita, cheia de prédios antigos e cheios de história.
       
      Vamos lá...
       
      Cheguei em Riga no início da noite em um voo vindo de Amsterdã. O voo durou pouco mais de duas horas e foi bem tranquilo.
       
      Transporte
      Riga é bem tranquilo de se locomover. Eles têm muitos ônibus, metrô e bondes. Certamente você irá encontrar uma linha que te atenda
      Eu fui do aeroporto ao centro da cidade, perto de minha pousada, em um ônibus que sai do Aeroporto e chega em poucas paradas no centro da cidade. O ponto fica logo atrás do estacionamento do Aeroporto, bem tranquilo de encontrar.
       
      Hospedagem
      Bom, como em quase todos os lugares tem opções para todos os bolsos.
      Como meu orçamento é bem apertado, fiquei em uma pousada em um prédio no centro da cidade, na avenida Satekles Iela. Nesse prédio tem um McDonald’s e uma “padaria” no térreo! Bem cômodo, principalmente porque era um dos poucos lugares abertos no final da noite.
       
      O Rolê
      Quando eu fui era Outono, final de Novembro, e já estava muito frio! E para piorar o sol nascia altas horas.
      Foi bem estranho isso... 8 da manhã ainda era noite e não tinha ninguém na rua. Nenhum comércio aberto e sequer um lugar para tomar café da manhã. Se não me engano a maioria dos lugares abria depois das 8:30.
      Bom, saí para andar no centro antigo, no escuro, com frio e fome!
      Era muito curioso... Não tinha quase ninguém na rua! Era dia de semana, mais de 8 da manhã e ninguém fora de casa ainda! Tudo vazio!!!!











       
      Depois de andar um pouco achei um lugar bem bacana que já estava aberto para tomar meu café.



       
      Alimentado, segui o rolê pelo centro...







       
      Aí fui em direção ao Rio Duína Ocidental, que corta a cidade. Ali que eu vi uma movimentação maior de gente. A avenida estava bem carregada.






       
      Voltei então para o centro para curtir aquele lugar lindo!

       
      Aqui meu conceito das pombas mudou! Estava -1 grau e as pombas estavam tomando banho na poça praticamente congelada...

      Vou falar, chamar de sujo um bicho que toma banho nesse frio me parece algo bem errado!!!!
       


       
      Aqui é uma das artes mais charmosa que achei...










       
      E foi isso! Bora pegar o ônibus de volta para o aeroporto! A próxima parada é Kiev!

       
       
      Qualquer dúvida que eu puder ajudar, é só falar!!!
       
      Valeu!
       
      Abraço,
       
      Felipe
      Instagram: @profissaoviageiro
       
    • Por Amanda Sfair Gonçalves
      Vou começar dizendo que escrever relato do Clássico Bolívia Chile e Peru é muito difícil.
      A maioria de vocês aqui já leu relatos fantásticos e super detalhados e com fotos maravilhosas.  Muitas pessoas fazem esse mochilão então muita coisa acaba se repetindo. Mesmo assim, Olha eu na América do Sul dando a minha versão de como são 23 dias por essas bandas. ^.^
      A preparação:
      A preparação dessa viagem começa lendo os roteiros postados por aqui e todas as dicas possíveis que todos os mochileiros podem nos dar. Depois vem a compra das malas, roupas, passagens e afins haha
      O que eu levei e não precisava:
      Para quem pretende ir durante o verão (também conhecida como a época de chuva!) mesmo para os passeios mais frios não é necessário luva e muitas camadas de roupa (calças e blusa segunda-pele foram e voltaram dobradas na mala). Pijama ou “roupa apenas para dormir” Tênis para passeio (se você for com essa botinhas padrão de mochilar o tênis é dispensável). Blusinha mais arrumadinha para sair a noite (aqui é muito particular, eu preferi sempre que possível dormir e descansar.. mas sou casada e fui com meu esposo.. se você é solteiro talvez queira levar uma roupa menos esportiva) Almofadas para o pescoço (aqui também é particular mas achei que ia ser útil para dormir nos ônibus, a mim mais atrapalhou do que ajudou e tinha que ficar carregando fora da mochila porque não cabia) O que esqueci e fez falta/tive que comprar:
       Desde o primeiro dia tenha contigo protetor solar e um estoque de remédio para estômago/intestino haha Uma mochila de ataque de tamanho considerável para não precisar ficar apertando todas as coisas (tem que caber uma garrafa de 1,5l de água e mais todas as suas coisas, pelo menos) Compras antes de ir:
      É muito pessoal saber o que precisa comprar, como foi meu primeiro mochilão tive que começar do zero, incluindo a compra da mochila e  muitos passeios na Decatlon. O que comprei aqui e foi importante:
      Passagens ida e volta de avião Curitiba –SP – Santa Cruz Seguro viagem Pré-reserva (sem pagamento) de hospedagem em São Paulo na ida Pré-reserva (sem pagamento) do tour de 3 D – 2 N no Uyuni  Entrada do Machu-Picchu O que comprei aqui e não precisava:
      Passeios no Atacama (reserva com pagamento de parte dos passeios antecipada) Hospedagem em Arequipa Hospedagem em Águas Calientes O que não comprei mas deveria/recomendo:
      Passagem de ônibus de Sucre-Uyuni No mais a dica é simples: quanto mais confortável melhor. Essa é uma viagem cansativa em muitos aspectos. É corrida, dorme-se em ônibus e em camas de qualidade duvidosa e a altitude pode te pegar a qualquer momento assim como a intoxicação alimentar haha Quanto mais confortável você puder estar maiores as chances de curtir tudo com a devida intensidade.
      O roteiro:
      Depois de muito ler os roteiros pesquisar e olhar infinitos instagram de viagem, ver preço de passagem e combinação com os dias de férias o roteiro final ficou o abaixo.

      Mesmo com os problemas que aconteceram durante a viagem seguimos esse roteiro ficando os dias exatos previstos em cada uma das cidades muito porque em algumas já tínhamos a reserva dos hotéis e não quisemos nos estressar com trocas ou mudanças em cima da hora.
      Espero que esse relato ajude os próximos viajantes, inspire os que estão com a viagem marcada e, se puder sirva de guia para algum detalhe de um próximo mochileiro assim como todos os relatos que li me ajudaram e inspiram e a montar o meu. Darei o meu melhor!
       
    • Por TMRocha
      Estou aproveitando esse espaço para contar um pouco de como foi a minha experiência de intercâmbio nesse país que é tão próximo de nós, mas mesmo assim tão diferente.

      Entenda um pouco sobre a experiência que obtive após estudar espanhol por um mês no Uruguai.
      Caso queira acompanhar o post diretamente pelo blog clique no link abaixo:
      http://viagensdosrochas.blogspot.com/2018/08/consideracoes-minha-experiencia-de.html
      Lista de Posts - meu intercâmbio para o Uruguai:
      https://viagensdosrochas.blogspot.com/search/label/URU - Intercâmbio em Montevideo c%2F passeios em Punta del Este. Colonia del Sacramento e Salto del Penitente (Minas) [Fev a Mar%2F17]

      Para não perder tempo, estou dividindo os tópicos desse dessa forma:
      1) Alguns dados interessantes do Uruguai; 2) Por que estudo Espanhol?; 3) Minha Experiência de Intercâmbio no Uruguai; 4) Índice dos Relatos de Viagem; 5) Considerações Finais. 1) Alguns dados interessantes do Uruguai

      O Uruguai é um país pequeno e muito charmoso, com cidades arborizadas, campos extensos, praias limpas e um povo muito cordial e amistoso. O país faz fronteira com a Argentina e com o Brasil, no estado do Rio Grande do Sul.
       

      Os verões são quentes, com temperaturas que variam entre os 23 e 38ºC, já os invernos são frios e a temperatura gira ao redor dos 15ºC, com algumas madrugadas geladas abaixo de zero. Com um clima temperado, o Uruguai possui estações bem definidas, atendendo a todos os gostos.

      Os uruguaios gostam de futebol, mate e churrasco. É muito comum vê-los com uma garrafa térmica sob o braço e o mate na mão andando pelas ruas, nos shoppings, em todos os lugares. São pessoas alegres, receptivas e solícitas, que estão sempre prontas pra ajudar.

      Mate uruguaio.
      O país conta com pouco mais de 3,3 milhões de habitantes, sendo que destes, 1/3 vive na sua capital, Montevideo. A economia é estável e vale ainda citar que o Uruguai é um dos países mais seguros e possui uma das mais altas taxas de qualidade de vida de toda a América do Sul.

      Fonte Pesquisada:
      http://www.brasileirosnouruguai.com.br/conheca-o-uruguai
      2) Por que estudo Espanhol?
       

       
       
      Olá, me chamo Thiago e acho que deve fazer ao menos uns três anos que estudo espanhol  [04/10/2017] e pouco a pouco estou melhorando meu conhecimento nesse idioma tão interessante. Com o espanhol tive a oportunidade de conhecer outras culturas que antigamente estavam fechadas para mim.
       

      Vestimenta típica para festas musicais de alguma região do Equador.

      Touradas, na Espanha.

      Murga, uma apresentação típica do carnaval uruguaio.

      Festa dos Mortos, no México.
      Descobri novos povos, outras comidas típicas que antes não fazia ideia que existiam e ainda tive a oportunidade de me aventurar por um novo país: o Uruguai, onde fiquei morando por um mês em uma casa de família super simpática enquanto estudava espanhol de forma intensiva em uma academia de ensino uruguaia.
       
      3) Minha Experiência de Intercâmbio no Uruguai
       
      Minha ideia inicial era fazer um intercâmbio junto ao CACS para a Espanha, mas como a crise estourou pesado em 2014 esse plano acabou caindo por terra, então continuei juntando mais algum dinheiro e resolvi fazer isso por conta própria junto a CVC, e numa das opções apareceu o Uruguai, país que decidi passar um mês inteiro realizando o intercâmbio de espanhol.
       

      Montevideo, capital do Uruguai.
      Lá fiz muitos passeios pela capital Montevideo e ainda conheci outras cidades próximas como Punta del Este, Colonia del Sacramento e Salto del Penitente (em Minas). Nesta última cidade andei a cavalo, me aventurei em uma tirolesa e até me arrisquei num rapel [que na verdade foi uma falha total!].
       

      Academia Uruguay, onde estudei no meu intercâmbio.

      Praça Independência, Montevideo.

      Monumento Los Dedos, em Punta del Este.

      Colônia do Sacramento, vista do alto de um Farol.

       

       

      Nas últimas três fotos acima: Eu me arriscando nos esportes de aventura em Salto del Penitente, no Uruguai.
      Com o intercâmbio conheci mais do comportamento dos uruguaios e descobri que eles são um povo incrível, cultos, organizados, super trabalhadores, que gostam da natureza e realmente amam o seu pequeno país.
       
      E claro, como um bom viajante também passei por alguns perrengues mais complicados, em especial para me adaptar com o clima e a comida típica do país, que é muito diferente da brasileira.
       
       

      Milanesa Pollo Napolitana con fritas.

      "Pasta". Esse é o nome que os uruguaios dão para o macarrão.
       

      Carne de Javali, uma iguaria típica de Salto del Penitente.
      O mais importante é que tive boas experiências que serão lembradas por mim até o meu último dia de vida. Mesmo em todo esse texto não foi possível relatar sequer um décimo do que fiz e do que senti por lá. Resumindo...
       
      "Ter a oportunidade de aprender um novo idioma é o mesmo que se abrir para novas oportunidades no presente e no futuro."
       
      Acho que isso resume um pouco do aprendizado que tive por lá. E pensando nisso, resolvi organizar esse tópico para que incentive novos viajantes ou até mesmo outras pessoas que pretendam aprofundar mais o seu conhecimento nessa língua.

      Sem mais delongas, abaixo estou colocando o índice organizado de toda essa maratona que fiz por lá, sem claro, deixar de ensinar um pouco do espanhol também e contando praticamente tudo que aconteceu no país, desde a minha saída do Brasil até a chegada no outro mês.
       
      4) Índice dos Relatos de Viagem
      Intercâmbio no Uruguai [05/02 a 04/03/17] 
       
      Clique AQUI ou na imagem abaixo para acessar o índice dessa viagem:
       

      E para fechar com chave de ouro, só falta esse assunto
      5) Considerações Finais:
       

       
      Desejo um agradecimento especial à família que estava me hospedando: O Álvaro, a Stela, a Fernanda e também aos dois hóspedes gringos que ali estavam e me ajudaram muito, o Míchel da Suíça, e a Kelsy, dos Estados Unidos. E também para toda a equipe da Academia Uruguay que me ajudou bastante.
        Desejo que todos vocês aproveitem a vida, trabalhem bastante e que viagem sempre que puderem. A todos os leitores, espero que tenham sempre uma boa viagem!
       
      Caso queira acessar a lista de posts referentes a essa viagem diretamente pelo blog clique AQUI ou na imagem abaixo:

      Clicar: [Índice do Relato de Viagem: Intercâmbio]
       
×