Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

Pessoal há muito tempo o Mochileiros.com me ajuda muito na preparação das minhas viagens, então achei que seria justo retribuir com todos os viajantes as nossas experiências e poder auxiliá-los nas suas viagens. Essa viagem para Alagoas fizemos em 2014 e foi muito legal! Assim as impressões que tivemos são de 2014, muita coisa pode ter mudado.

Dia 01

Voo da Gol, saímos de GRU até Maceió com escala em Salvador.  Chegamos em Maceió por volta de 13:00, almoçamos e pegamos o carro que eu tinha alugado previamente na Localiza. Daí fomos direto para Maragogi. Tentei encontrar transporte público mas achei bem difícil de chegar em Maragogi e os transfers eram muito caros (tipo R$300,00). Achei que compensava mais alugar o carro e depois achei que foi o melhor a fazer. As estradas são muito ruins porque são mal sinalizadas. Tem dois caminhos, pelo litoral e pelo interior, achamos melhor pelo litoral porque é mais perto, mas as estradas são piores em compensação e tem muitas cidades no caminho, logo tem redução significativa de velocidade. Apesar do maps indicar 2 horas, levamos 3:30 até Maragogi. Chegando em Maragogi, estávamos muito cansados e já era umas 17:00, fomos para a pousada Areias Belas, jantamos uma pizza em um restaurante próximo e fomos descansar para o próximo dia. Excelente pousada que apesar de bem simplesinha, tem um ótimo café da manhã e varanda de frente para o mar, muito bonita a vista. Quando fomos reservar pelo booking, pedimos em observações para ficar em um quarto com vista para o mar, nos foi concedido sem alteração no preço. No café da manhã não deixem de pedir o omelete misto e a tapioca que é muito boa.

Dia 02

Nesse dia pela manhã ficamos na praia de Maragogi, não achei nada de muito diferente das outras praias. Na pousada mesmo fechamos um passeio de bugue para o norte e foi o melhor passeio da viagem, tudo muito paradisíaco. O bugue vai pela faixa de areia até a divisa com Pernambuco. O destaque é a praia de Xaréu que é muito bonita com águas muito claras e bem rasinho até os recifes.

Depois do passeio descansamos um pouco na praia e depois fomos jantar em uma tapiocaria que fica de frente um parque de diversão, muito boa mas a do café da manhã da pousada ainda ganhava.

16.jpg.b0abd3a99dae853ed824b16cb765957b.jpg

18.jpg.99461067dcaefcc04c943469d7e3dc33.jpg

Dia 03

 Nesse dia acordamos cedo e fomos fazer um passeio de bugue para o sul. Bem bonito, porém não tem tantos cenários paradisíacos como nas praias do norte. A primeira parada nesse passeio é em um hotel fazenda que você paga uma quantia pequena convertida em consumação (na época deu uma água de coco) e o bugueiro leva em um mirante que fica no meio de uma plantação de côcos o que deixa a vista bem maneira. Rende várias fotos nesse lugar.

 59.jpg.cd7c1c9c753f760c87a186d71d872310.jpg

Próxima parada é em uma vila onde tem uma produção caseira de biscoito de goma (conheço como biscoitinho de festa de criança). Bom para comprar porque é gostoso e barato, mas não vale perder muito tempo. Depois começa o trajeto de praias que vai até Porto de Pedras, várias vezes pedi para o bugueiro parar para eu dar um mergulho. Vale muito a pena porque a água é bem azul. A dica é antes do passeio avisar que você quer mergulhar que o bugueiro te leva no melhor lugar para banhista. Não preocupem com o tempo como eu, dá e sobra nesse passeio, aproveitem bem cada lugar. Mas na volta do passeio a maré sobe daí o bugue não passa e tem que ir pela rodovia, então a idéia é curtir bem a ida porque a volta pode não dar para retornar em alguns lugares. Finalmente o bugueiro nos levou em um restaurante que não lembro o nome, não gostamos do restaurante e a comida veio fria apesar de super cara. Os bugueiros fazem super propaganda de um lugar chamado Bica que é uma queda d´agua natural. Não gostamos, achamos sujo e nem animamos a entrar na água. Depois disso, foi a viagem de volta. Resumindo, nossa opinião é que o passeio de bugue para o sul é bom mas não imperdível. A noite jantamos no restaurante Maragaço, pedi uma posta de peixe que estava muito gostosa.

Dia 04

 Nesse dia bem cedo saimos para conhecer as piscinas, foi o único dia e horário que a maré permitiu o passeio. Quanto mais baixa a maré mais bonitas são as piscinas, consulte no site da marinha, apesar que pra mim não deu certo, a previsão foi super furada. Fechamos o passeio no hotel mesmo, fomos de lancha o que permitiu ser bem mais rápido que o catamarã e chegamos mais cedo que a maioria das pessoas. Esse passeio é imperdível para conhecer, é muito bonito mesmo. 

Ainda de manhã fomos para Maceió. Ficamos hospedados no hotel Mercure (praia de Pajuçara), lugar bom com preço bem acessível. Esse dia a tarde tiramos para conhecer Maceió, as praias são bem bonitas com uma cor da água surpreendente e a orla é bem organizada. A noite vale a visita no centro de artesanato de Pajuçara, um pouco mais a frente tem outro centro bem bacana também. Esse lugar é bom para comprar as lembranças.

Dia 05

 Esse dia saímos cedo em direção a Praia do Francês. Achei essa praia bonita, porém não muito diferente de outras praias em geral. Além disso, quando fui a cor da água estava normal e não verde como Maceió. A tarde partimos para praia do Gunga, essa praia é uma propriedade particular, então é cobrado para entrar na praia. Porém, tem muita estrutura para receber turista contando com amplo estacionamento. A estrada de acesso tem um bom trecho de terra, mas a estrada é boa, não tem perigo, mas é bom evitar dias de chuva pra não encravar o carro. Chegando na praia já fizemos o passeio nas falésias que sai de bugue ou triciclo. Esse passeio é muito bonito e rende boas fotos nas falésias. Por fim, tem uma parada para banho em um rio com metade de água fria e metade de água quente. Dizem que a lama desse rio é medicinal. Em seguida, voltamos para praia, almoçamos e curtimos ali o resto do dia.

Dia 06

 Esse dia deixamos o carro no hotel e fizemos um passeio com a Jaraguá Turismo. A van passa cedo no hotel e nos levou para São Miguel dos Milagres, um lugar paradisíaco. Chegando lá eles nos deixaram em um restaurante chamado Luna, é um restaurante de proprietários mexicanos com um ambiente muito agradável. Quando chegar lá você já escolhe seu almoço e quando chegar do passeio já vai estar pronto. Fizemos um passeio legal até o projeto peixe boi em Rio das Pedras, uma cidade bem próxima. Esse passeio é oferecido pela própria Jaraguá. Ao chegar na sede do projeto, o guia nos leva por uma ponte sobre um mangue aparentemente bem preservado onde se vê bastante caranguejo, entre outras espécies próprias desse ambiente. Após a ponte chegamos em um rio onde acontece o projeto, de lá partem balsas bem rudimentares sem motor, onde a propulsão depende de uma pessoa que empurra a balsa por uma vara que finca no fundo do rio. Chegando no local do projeto se vê vários peixe bois. O problema foi que nenhum deles chegou muito perto da nossa balsa, mas disseram que é comum eles chegarem bem pertinho. É um passeio legal mas não diria imperdível. Ao chegar no restaurante, o almoço já estava pronto. Após o almoço você tem duas opções, ficar na praia ou fazer um passeio de bugue pelas praias do lado, optamos pela primeira opção. Mas se eu tivesse que optar de novo iríamos fazer o passeio de bugue, o pessoal que foi falou que foi muito bonito e chegaram cedo, então também puderam aproveitar bem a praia. A praia é bonita, mas não tem a cor tão verde quanto outras praias da região, mais um motivo que gostaria de ter feito o passeio de bugue.

 

47.jpg.b6231f0f44823a92bc484e1e8b9a68df.jpg

Dia 07

 Último dia em Alagoas, a ideia inicial era conhecer a ilha de carro quebrado que dizem ser muito bonita. Para chegar lá vocês precisam ir de carro até o restaurante Mar e Cia na cidade de Paripueira, ao lado de Maceió (30 Km), bem fácil de chegar. De lá sai um barco pontualmente às 9:00 para ilha de Carro Quebrado, chegamos tarde e perdemos o barco infelizmente.

O restaurante em si tinha uma boa estrutura mas a praia não era paradisíaca. Então decidimos ir em um condomínio fechado na estrada entre Paripueira e Maceió chamado Hibiscus. Nesse local você paga uma taxa e pode desfrutar da estrutura do condomíno. Confesso que não esperava muito, e que surpresa tivemos, chego a dizer que esse passeio é imperdível e merece um dia nesse lugar. A praia era paradisíaca (praia de Ipioca) e a estrutura fenomenal. O restaurante era bacana e a cor da água surpreendente. Passamos o dia lá, o único fato ruim é que no fim do dia choveu muito e tivemos que ir embora.

53.jpg.d791ba25444a3bd207c52214e8b83e51.jpg

Chegando no hotel, arrumamos as malas, abasteci e lavei o carro que estava muito sujo, passamos na feirinha de artesanato para comprar mais algumas lembrancinhas e fomos para o aeroporto para pegar o vôo de volta.

Espero ter ajudado vocês com nossas experiências nessa viagem bem legal por Alagoas!

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Obrigado.

Não sei quanto está hoje, mas na época pagamos em torno de 150 reais cada passeio.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Zazá Cerqueira
      Olá, estou em dúvida se viajo para Maceió ou Recife. Pretendo viajar com um bebê de 11 meses e queria uma cidade com mais opções de bares, barracas, quiosques que funcionacem a noite, porque não tenho como curtir baladas a noite com o bebê e opto por bares e quiosques a noite. Igual a Fortaleza que pode ficar com crianças até a no que não serena
       
    • Por BrunoMCZ
      Olá, galera!
      Estou desenvolvendo com outros colegas de MBA, o projeto de um Hostel aqui em Maceió!
      Gostaria de pedir a ajuda de vocês para responderem um questionário sobre o tema e para compartilhá-lo com amigos viajantes/mochileiros!
      O questionário é rápido e o link é do site SurveyMokey, totalmente seguro! Fiquem tranquilos!
      Segue o link: https://pt.surveymonkey.com/r/hostelquest
      Obrigado pela força e boas viagens!
      Espero vê-los em breve aqui em Maceió!
    • Por praondetuvai
      É possível viajar sem dinheiro? Pelo Óbvio, diria que sim. Porém, nem todos, querem ter a experiência de sair de casa, e passar necessidades básicas.
      Agora pense bem, não seria melhor, viajar fazendo grana? Ir só com a passagem de ida, e fazer grana durante sua viagem, e tornar seu mochilão um pacote de experiências boas!?
       
      Vou resumir as principais dicas para que você se jogue na estrada, e que a situação financeira não seja empecilho.
      Fiz um mochilão de 6 meses durante a alta temporada de 2018, no Nordeste. Agora , 05/2019 estou programando a próxima viagem, porém dessa vez, bastante maduro.
      Vamos as dicas!!
      1° Faça o cadastro em plataformas de troca de hospedagem por trabalho, pois a econômica em hospedagem e a quantidade de pessoas que você irá conhecer, cara, é sensacional. 
      2° Escolha um local com grande fluxo de turistas, veja a estação de alta temporada e aplique as datas. (Não precisa ser com tanta antecedência). Mas, não demore muito. Locais com grandes fluxos de turismo, tem demanda de empregos em comércio local, e vendas autônomas, como está na próxima dica.
      3° Descubra habilidades de coisas que você pode fazer (Brigadeiro, artesanato, música), e que vai te render uma grana. 
      4° Se você tiver na intenção de fazer voluntariado e trabalhar como free Lancer em bares ou restaurantes, tem que combinar os horários antes de fechar as datas no Hostel que você irá voluntáriar. 
      Obs: A minha dica é você vender algo na rua. Pois se não você vai trabalhar, trabalhar e não aproveita a viagem.
      5° Em hostel, não aceite trabalhar mais de 6 horas diárias. Pois se torna exploração.
      6° Economize na comida. É possível comer bem, gastando pouco. Frutas, verduras, goma de tapioca, ovos, macarrão, arroz e feijão, alimentam super bem, e rendem muito. Além de ser muito barato.
      7° Para quem quer mudar de Estado, o voluntariado é uma mão na roda. É uma oportunidade para você fazer contato, espalhar currículos e ver se aquele local realmente é para você. 
      8° Não espere o medo passar para decidir sair. Vença seus medos, se jogue! Lembre, a lei da atração é real. Então, pense positivo, seja produtivo, faça o seu melhor em tudo. Pois assim, as portas se abrem. 
      Obs: Fazendo isso, nunca me faltou nada em todos os lugares que fui. Não faltou comida e não faltou trabalho.
       



    • Por Cristiane Hipólito
      Olá, pessoal! Gostaria da ajuda de vocês quanto ao deslocamento em Maceió e arredores. Chegarei lá em julho/19 e não quero me deslocar através de agências e nem ficar dependente de táxis e ubers, pois dependendo do local, pode ser que eu não consiga esse tipo de transporte.  Dois lugares que eu quero muito conhecer é a Praia de Sonho Verde e de Ipioca (Hibiscus). É possível chegar e sair desses locais de transporte público ou alternativo como vans? Não alugarei carro, mas quero liberdade de horário, por isso não pretendo contratar passeios, só para os locais mais complicados de chegar. Aproveito para pedir sugestões de locais não tão conhecidos que sejam tranquilos e com alguma estrutura. Obrigada. 


×
×
  • Criar Novo...