Ir para conteúdo

Tres Cañones de Suykutambo


Albatti

Posts Recomendados

  • Membros

No final de julho de 2019 estivemos em Yauri/Espinar e conhecemos os tres cañones de Suykutambo. Descrevo o local como surpreendente, com sítios arqueológicos da cultura Cana e paisagens absurdamente belas. Tomamos um ônibus em Cusco e descemos na cidade de Sicuani. Depois pegamos outro ônibus para Yauri/Espinar. Descemos no centro da cidade e pegamos um transporte (um tuc tuc) até a praça principal, que fica no final de um calçadão só para pedestres. Nos hospedamos num hotel legal a um preço bem barato. No dia seguinte saímos bem cedo, de ônibus, em direção ao canion. Descemos numa parada que fica justo no encontro dos três canions. Cruzamos o rio Apurimac (um rio maravilhoso) e pegamos uma trilha até o alto de um dos paredões. Tiramos umas fotos e apreciamos a vista. Depois retornamos por uma trilha que se inicia próximo da parada do ônibus. Uma trilha que leva até um sítio arqueológico chamado T'aqrachullo (ou Maria Fortaleza). O local é turístico e tem uma trilha bem marcada e com indicações. Subimos até o alto de outro paredão onde a vista dos três canions é fantástica. Lá no alto tem muitas ruínas do sítio arqueológico, com construções circulares (típicas da cultura Cana). Descemos pelo mesmo caminho e seguimos a trilha até outras ruínas fantásticas. Depois retornamos a estrada e fomos caminhando até as ruínas de Mauk'allaqta. Cruzamos novamente o rio por uma ponte de metal antiga e pegamos a trilha até o sítio arqueológico. Este era ainda mais incrível que os demais, com dezenas e dezenas de construções circulares, inclusive uma "chulpa" (urna funerária) com a cúpula de pedra. Ficamos um tempo aí e voltamos a estrada para esperar o ônibus (que era o único do dia, e o mesmo da ida) que nos levaria de volta a Yauri. Por sorte, um casal muito gente boa estava passando de caminhonete e ofereceu carona. Era um casal que havíamos visto no início do dia próximo aos três canions. Voltamos e nos deixaram na praça onde ficava nosso hotel. Quando descemos do carro vimos que eles também estavam hospedados no mesmo hotel. Coincidência boa. Depois jantamos juntos num restaurante típico local e acabamos por fazer amizade com eles. No dia seguinte pegamos o ônibus de volta a Sicuani e, de lá, uma van até Puno, de onde seguimos viagem. Não deu tempo de conhecer K'anamarka e outras atrações da região (termas, vilarejos e etc). Acredito que são necessários 2 dias livres (sem contar a chegada e a saída) para conhecer bem o local. Se eu puder ajudar em algo, é só escrever. ;-)IMG_2800.thumb.JPG.7d66ee2e61d22f96ff023aa3c6cc8cb0.JPG

IMG_2746.JPG

 

 

 

20190729_144559.jpg

20190729_093439.jpg

IMG_2849.JPG

IMG_2831.JPG

20190729_145351.jpg

IMG_2778.JPG

  • Gostei! 4
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por leocaetano
      [align=justify]Relato de viagem de um mochilão pelo Peru. Foi minha terceira viagem para fora do Brasil e, como nas outras anteriores, fui sozinho. Passei 19 dias em território peruano e, pela primeira vez, não alterei o tempo de viagem! Valeu muito a pena, mas só não voltei alguns dias antes porque a TAM complicou um pouco para trocar as passagens.
       
      Para a viagem, fui com tudo planejado. Planejei quais atrações e locais que iria visitar na viagem, quantos dias passar em cada um, onde me hospedar, quanto gastar com alimentação, passeios e transporte e uma pequena margem para alterar uma coisas ou outra durante a viagem. Isso teria funcionado melhor se tivesse começado a viagem por Machu Picchu, mas devido a falta de vagas pra fazer a trilha alguns dias antes, não foi possível.
       
      Todos os valores estão expressos em nuevos soles, salvo quando houver o R, de reais, na frente do cifrão ou US, significando dólares norte-americanos. Na época da viagem, UM real equivalia a cerca de 1,62 nuevos soles e cerca de 0,59 dólares norte-americanos.
       
      Agradeço aos amigos e conhecidos que ajudaram, principalmente à galera aqui do Mochileiros![/align]
    • Por Fernando Giroto
      Estou nesse momento em La Paz na Bolívia e estou querendo ir daqui para o Peru. 
      - As fronteiras continuam fechadas? Se não, quais as restrições para entrar?
      - Qual a melhor fronteira para entrar?
    • Por Lucass7
      Provavelmente tem essa informação em algum lugar aqui do fórum, mas não a encontrei então...
      ALGUÉM TEM ALGUMA DICA DE HOSPEDAGEM (MAIS BARATA POSSÍVEL) EM MACHU PICCHU PUEBLO?
      VALE A PENA PASSAR UMA NOITE LÁ OU VOLTAR DIRETO PRA CUSCO?
      SE TIVEREM DICAS DE TURISMO GRÁTIS PELAS REDONDEZAS TAMBÉM SERÁ DE AJUDA.
    • Por MaluAlves
      Eai Mochileiros, pretendo viajar em dezembro/2021 pra Chiclayo, e quero ir visitar o famoso machu pichu, porém gostaria de dicas para esse passeio, de quem foi pra la nos ultimos meses ou semanas. Qual o valor do trem, da Van que leva até machu picchu, sei que é em dolares, mas gostaria de uma noção de valor pra eu poder me programar. E também se compensa trocar la o real para soles, ou aqui no Brasil.  Que puder me ajudar agradeço demais. VALEUUUUU
       
       
       
    • Por Macieltk
      Alguém tem informações sobre a fronteira Brasil x Peru? Estou programado para ir ao Peru, via Acre, dia 06 de Julho, estou com medo da fronteira não abrir. 
×
×
  • Criar Novo...