Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Colaboradores

Data da viagem: 12 a 19/02/2020

Principais gastos:

Passagens aéreas - BSB-SSA - Latam - R$897,40 (ida e volta, 2 pessoas,compra em 11/2019)

Catamarã - Salvador-Morro de São Paulo - Biotur: R$384,10 (ida e volta, 2 pessoas, compra antecipada pela internet em 12/2019)

Taxa de entrada em Morro de São Paulo: R$15 por pessoa. Taxa obrigatória independente dos dias que for ficar. No desembarque te encaminham para o pagamento. Aceitam cartão. Total: R$30.

Hospedagem - Reserva pelo booking.com em 12/2019: Salvador - 2 diárias para casal no Hostel La Ventana - Total: R$130; Morro de São Paulo - 5 diárias para casal no Hostel Farofa Loca - R$620,40. Total: R$750,40.

Passeios: Tirolesa - R$60 por pessoa (só eu fui); entrada na Toca do Morcego - R$15 por pessoa; Caiaque duplo - R$25 por pessoa; Volta a Ilha - R$ 180 por pessoa; barco de ida para Gamboa - R$7 por pessoa; Aluguel de snorkel - R$15 por pessoa.Total: R$ 544.

Roteiro:

Quarta - Salvador

Chegada 15h
Check in no Hostel La Ventana 
Visita a Igreja Nosso Senhor do Bonfim 
Pôr do Sol no Forte de Nossa Senhora de Monte Serrat (15min andando da igreja ou Uber)
Sorveteria da Ribeira (Uber a partir do Forte, também tem essa sorveteria em Morro de São Paulo, se preferir)
Noite no Pelourinho (Uber a partir da sorveteria)

IMG_20200212_185224_336.thumb.jpg.bf57bd802d5151f7e3bb9251f894b0a0.jpg

Igreja

IMG_20200212_190657_042.thumb.jpg.f80fb7f1536fd881aa76c50d9b9fb3e4.jpg

Forte de Nossa Senhora de Monte Serrat

Forte

Pelourinho

Quinta - Morro de São Paulo

Catamarã Biotur 9h
Chegada 11h30

* Caso precise, os locais oferecem serviço de levar sua bagagem em carrinho de mão até a pousada. Eu não achei necessário.

Check in Hostel Farofa Loca 
Almoço Restaurante Papoula na Rua da Lagoa (excelente custo x benefício)
Caminhada da Primeira a Quarta Praia (30min)
Tarde na Quarta Praia
Final de tarde na Segunda Praia
Jantar no Áurea na rua de acesso à Primeira Praia (bom custo x benefício)
Noite na Segunda praia - Luau (mas abaixo explico melhor como é esse evento)

Chegando em Morro de São Paulo

Primeira Praia

Segunda Praia

Terceira Praia

Quarta praia

Caipiroska de Pitaia

Sexta - Morro de São Paulo

Segunda Praia até o almoço
Almoço Point na rua de acesso à Primeira Praia (bom custo x benefício)
Descanso na Terceira Praia
Café Solar das Artes na Praça Aureliano Lima (bom custo x benefício)
Noite na feirinha da Praça e na Segunda Praia
Gula's burguer na rua de acesso a Primeira Praia (bom custo x benefício)

Deck na descida para a Segunda praia

Segunda Praia

Segunda Praia

Sábado - Morro de São Paulo

Mirante do Farol
Tirolesa 
Praia de Gamboa de barco 
Bar Experimenta em Gamboa (baixo custo x benefício, porções muito pequenas)
Retorno de Gamboa caminhando (maré baixa)
Parada no paredão de argila
Pôr do sol na toca do morcego (médio custo x benefício,  qualidade do petisco e drink ruim, caro, mas lugar mto maneiro, vista linda, com DJ/banda ao vivo)
Jantar no Bodeguita na rua de acesso à Primeira Praia (bom custo x benefício)

Mirante do Farol

Mirante da Tirolesa

Tirolesa

Primeira Praia

Gamboa

Retorno de Gamboa

Paredão de Argila

No retorno de Gamboa

Retorno de Gamboa

Toca do Morcego

Pôr do sol na Toca do Morcego

Igreja Nossa Senhora da Luz

Domingo - Morro de São Paulo

Caminhada até Praia do Encanto (quinta praia) - 40min
Retorno com parada na Quarta e na Terceira Praia
Almoço no Restaurante Santa Luzia no deck da Terceira Praia (bom custo x benefício)
Passeio de caiaque à Ilha de Caita (a partir da Terceira Praia), a travessia leva uns 10min, é bem tranquila, eles fornecem o snorkel sem acréscimo no valor
Pôr do sol no Mirante do Farol
Churrasco no hostel
Noite na Segunda praia

Praia do Encanto

Praia do Encanto

Terceira Praia

 

Deck da Terceira Praia

Snorkel na Ilha de Caitá

Caiaque

Curtindo música ao vivo do mirante

Mirante do Farol

Mirante

Churras com a galera do hostel

Segunda - Morro de São Paulo

Passeio Volta a ilha - Este passeio inclui mergulho nas piscinas de Guarapuá, Praia de Moreré (ou as piscinas se a maré estiver baixa), Praia Boca da Barra (onde se pode dar uma volta na vila de Boipeba e almoçar, almoçamos no restaurante Ponta da Barra - bom custo x benefício, mas fica a critério do grupo), visita a comunidade Canavieira (degustação de ostras e lambretas) e centro histórico de Cairu (é cobrada uma taxa simbólica para os locais fazerem o tour até o convento). O passeio dura das 10 às 17h30. Pode levar gelo e bebidas e usar o cooler do barco. O barco sai da terceira praia e retorna no porto. Tem que fazer reserva e pagar o passeio com antecedência, se a ilha estiver movimentada.
Fim de tarde no Bodeguita (saideiras com pessoal do passeio)
Restaurante beira-mar Pedra sobre Pedra no início da segunda praia (bom custo x benefício, mais caro, mas vista bonita, dose dupla de drinks)
Noite na Segunda Praia - Luau

Moreré

Praia de Moreré - parada do passeio

Boioepa

Restaurante Ponta da Barra

Canavieiras

Degustação de ostras

Lambretas

Retorno do passeio Volta a Ilha

Colegas de passeio

Restaurante Pedra sobre Pedra

Terça - Morro de São Paulo/Salvador

Segunda Praia
Almoço Restaurante Papoula
Caminhada no Forte
Retorno - catamarã Rio Tur 15h
Chegada em Salvador 17h30
Check in no Hostel La Ventana de novo
Noite no Rio Vermelho - Praça Caramuru - Antigo mercado do peixe
Bebidas no Bar e Restaurante Quatro Ventos (excelente custo x benefício, dose dupla de drinks, preços bons), e cocada e acarajé no famoso e delicioso Acarajé da Cira (excelente custo x benefício)

Segunda Praia

Forte

Forte

Rio Vermelho

Acarajé da Cira

Quarta - Salvador

Retorno Brasília - voo 5h25

Informações úteis:

- Hostel La Ventana: quarto de casal com ventilador (ar-condicionado fez falta), banheiro compartilhado, sem café da manhã. Muito limpo, recepção boa. Apenas para uma noite vale a pena devido ao valor e à proximidade do porto (fomos andando).

- Hostel Farofa Loca: quarto para casal, banheiro privativo, ar-condicionado, piscina, café da manhã. Recepção e limpeza excelente, quarto confortável, bom para fazer amizades, mas localização não é estratégica, precisa caminhar bastante até às principais atrações. Com o passar dos dias fica cansativo.

- Sobre as praias: a primeira não é muito movimentada e é pequena, é onde a tirolesa desce; a segunda é a principal, mais restaurantes e agito, à noite é o principal point, durante o dia achei uma das mais bonitas, na maré baixa formam piscinas naturais e é possível ver muitos peixinhos, tem aluguel de stand up para quem gosta; a terceira tem pouca faixa de areia e mais pedras, é de onde sai o passeio de caiaque para a Ilha de Caitá; a quarta é mais deserta e tem a água mais clara, é bem tranquila e muito bonita; e a quinta (Praia do Encanto) achei a mais linda de todas, a cor bem clarinha, é bem extensa, vale muito a pena a caminhada até lá, que dá uns 40/50min indo com calma.

- Leve snorkel e sapatilha aquática se tiver. Caso não tenha, alugue pelo menos o snorkel para o passeio de volta na ilha.

- Faça os passeios e vá as praias quando a maré estiver baixa, pois é quando se formam as piscinas naturais, as águas ficam mais claras e é possível ver mais peixes. Consulte a tábua de maré de Morro de São Paulo nesse link: https://www.morrodesaopaulo.net/mare.

- No geral, os restaurantes e bares possuem preços bons, com exceção dos localizados  na praia, mas mesmo esses não possuem preços absurdos. É possível gastar bem pouco com alimentação se quiser economizar.  No geral, cervejas 600ml saem entre R$10 e 13; caipvodka custam entre R$15 e 18, experimentem as que levam pitaia! Delícia! O restaurante Papoula é uma excelente opção para almoço ou jantar, com pratos bem servidos e valores entre R$19 e 35  (pratos individuais), hóspedes do Farofa Loca ganham um shot de batida de maracujá.

- Há vários pontos para assistir ao pôr do sol, se não quiser pagar a entrada do Toca do Morcego, vá ao Mirante do pôr do sol, no Farol, ou ao Forte. Retornando de Gamboa também é uma boa opção se a maré estiver baixa.

- A Toca do Morcego, o Mirante do pôr do sol, o Farol e a Tirolesa ficam na subida que inicia em frente a Igreja da Nossa Senhora da Luz. O Forte fica na direção do local onde se paga a taxa de entrada na ilha.

- Teatro do Morro não é teatro e Luau da Segunda Praia não é luau (voz e violão), são baladinhas. O Teatro geralmente tem DJ e banda, com dois ambientes, música eletrônica e música brasileira, o ingresso tava R$60 masculino e R$30 feminino, rola descontos para grupos, eu não fui, mas falam que é bem animado, tem que subir uma escadaria enorme para chegar, começa 00h e vara a madrugada, rola toda quarta e, às vezes, domingo. O Luau acontece às quintas e segundas, também começa à 00h, leve canga para descansar, é gratuito.

- Toca do Morcego e Pulsar Disco são outras baladas famosas no Morro. Toca fica mais animada na sexta e Pulsar no sábado.

- Para chegar ou voltar de Gamboa caminhando a maré precisa estar baixa, caso contrário, pegue um barco/lancha (R$7). Eu fui de barco e voltei andando, vale a caminhada de uns 45min. Para pegar o barco ou iniciar a caminhada é só ir no Porto.

- Os preços dos passeios são tabelados, e dificilmente conseguirá descontos.

- Quem tem problemas com enjôo, se medique antes de pegar o catamarã, pois balança um bocado.

- Mais fotos e vídeos dessa viagem nos destaques do meu Instagram: @dressas_carneiro 

 

Boa viagem, espero ter ajudado! 😘

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Iana Briaca
      Vou falar aqui no meu relato sobre formas de transporte que usei, hospedagem, duração da viagem e valores. Porque eu acho que é isso que uma pessoa procura quando busca informações sobre Mochilão. Sendo que na maioria das vezes é a primeira experiência da pessoa com um; 
      Resumo: 
      Tipo de transporte: ID JOVEM e carona pelas br da vida.  
      Hospedagem: Couchsurfing e voluntariado em hostel.
      Alimentação: Fazia compras para preparar minha própria comida ou às vezes eu comprava PF (mas comprar PF sai mais caro)
      Valor em dinheiro que levei: R$ 550,00.
      Duração da viagem: 54 dias.
      Quantidade de estados: 3 Estados e uma pequena parada em Brasília.
       
      SOBRE HOSPEDAGEM, TRANSPORTE PARA SAIR DO MEU ESTADO E ALIMENTAÇÃO NO PRIMEIRO DESTINO; PERNAMBUCO: Então, meu mochilão começou quando eu saí de Belém, que é a cidade que eu moro, no dia 04/07/2019, ruma à Pernambuco. Fui de ônibus usando o ID jovem, de passagem de Belém para Recife eu paguei 3,50. Isso, três reais e 50 centavos. Esse valor corresponde à taxa de pedágio que é cobrado pela empresa de ônibus, apenas. Quando eu cheguei em Recife fiquei hospedada na casa de um casal que consegui estadia pelo Couchsurfing. O tempo que passei na casa deles foi incrível, pessoas super legais. Com o mesmo aplicativo consegui estadia para passar um final de semana em Olinda, em uma pousada localizada bem no centro histórico. Também não paguei nada para ficar hospedada, apenas tinha que ajudar a moça que trabalhava na cozinha com serviços bem simples pela parte da manhã. Ah, e sobre alimentação, essa era por minha conta. (Talvez o seu anfitrião não tenha problema em ajudar nesse quesito com algumas coisas, mas também ninguém gosta de gente folgada né, se tu tiver condições de comprar a tua comida é muito melhor, caso contrário é bom você avisar à pessoa que vai te receber que vais precisar de alimentação também).
      OBS: Couchsurfing é uma plataforma que possibilita a troca de hospedagem em qualquer lugar do mundo. Na época era totalmente gratuita quando usei, agora o app tá cobrando uma contribuição de R$ 4,99 mensal ou R$ 29,99 anual por conta da crise do corona vírus.
      ROTEIRO: Quando estive em Pernambuco conheci Recife, Olinda, Porto de Galinhas, Praias do litoral de Cabo de Santo agostinho: Calhetas e Gaibu (caara, as praias mais lindas que conheci até hoje, e por não serem tão famosas quanto Porto de Galinhas, elas não são taão movimentadas, o que eu acho ótimo) e vila de Nazaré. Isso em uma semana, que foi o tempo que passei em Pernambuco. 
      TRANSPORTE PÚBLICO: Como eu fui com um amigo que sabia tocar banjo e eu enrolava no Maracá, optamos por não pagar passagens em transporte público e sim pedir para os motoristas deixarem a gente subir e tocar Carimbó nos ônibus. E assim, essa ideia deu super certo, tanto que a galera até ajudava com uns trocados, o que ajudou muito a gente na viagem. Sobre o valor de passagem de ônibus urbano não vou saber falar do custo, pois não tive essa experiência. Porém, fica a dica: Toquem nos ônibus ou subam pra vender algo. 
      SAÍDA DE PERNAMBUCO RUMO À BAHIA:  Saí de Pernambuco de carona, com a intenção de descer até a Bahia. Porém, no primeiro dia consegui carona com um caminhoneiro que tinha como destino Maceió, aceitei porque isso ia me deixar mais próxima do meu destino, né. Tive que ficar uma noite em Maceió para poder partir no outro dia. 
      Fiquei em uma Pousada de beira de estrada que custou R$ 40,00 no total pra dormir eu e meu amigo em um quarto com duas camas. 
      Jantei em um Restaurante que o PF custava R$ 10,00.
      No outro dia peguei mais duas caronas Alagoas-Sergipe Sergipe-Bahia e cheguei na Bahia, finalmente.  Passei uma semana em Salvador, consegui hospedagem no Couchsurfing, alimentação por minha conta, fazendo compras e preparando minha própria comida, de transporte usei o mangueio kk pedindo pra subir e tocar. Depois de uma semana, saí da bahia e voltei à br para pegar carona. Consegui diversas caronas no mesmo dia e cheguei na Chapada Diamantinaa. 
      NA CHAPADA DIAMANTINA:  Não consegui estadia com o couchsurfing na Chapada, tive que pagar uma semana de Hostel. 
      VALOR DO HOSTEL: 15 Reais a diária (pedindo desconto)
      ALIMENTAÇÃO: Comprava minha comida e preparava. 
      GUIA: É necessário guia apenas em algumas trilhas em outras tem como fazer de boas usando o gps. 
      DICA DE APP: MAPS ME Nele tem como usar o gps da localidade que tu se encontra sem internet. 
      SAINDO DA BAHIA RUMO GOIÂNIA: Saí da Chapada Diamantina de carona com inumeráveis pessoas, carona com caminhoneiro e carro particular, e passei perrengues, porque a Bahia é imensa. Levei 4 dias pra chegar em Goiânia.
      Nesse percurso nem sei quantas caronas peguei, foram muitas. Em nenhum momento precisei pagar pousada, até porquê nem tinha como, pois a grana já tava curta. Na primeira noite dormi na casa da família de um rapaz que me deu carona quando ainda estava indo para Chapada, Na segunda passei a noite em um posto de gasolina, Na terceira noite dormi na casa de um amigo que conheci com a experiência de carona também, isso em Brasília. (aproveitei pra comprar logo minha passagem de volta pra belém quando eu estava em Brasília) E por fim, no quarto dia consegui a carona para Goiânia. Em Goiânia passei quase algumas semanas, fiquei na casa de um amigo, apenas ajudando com a alimentação, no trasporte também não gastei nada.
      GOIÂNIA ATÉ A CHAPADA DOS VEADEIROS: De Goiânia até a Chapada dos Veadeiros, por muita sorte, tive só uma carona. Consegui carona com um fazendeiro que tinha uma propriedade próximo da cidade que eu ia ficar. Ele me deixou até a cidade que era meu destino, lá eu fiquei hospedada em um hostel onde trabalhei como voluntária em troca de estadia. Nos dias eu que trabalhava as minhas refeições eram por conta do hostel. A dinâmica de trabalho era a seguinte, eu trabalhava um dia e folgava dois. Passei uma semana na Chapada do Veadeiros, conheci a cidade de Cavalcante e Alto Paraíso. 
      FINAL DA VIAGEM: Saí da chapada dos Veadeiros de carona também, e fui até Brasilia. Lá eu passei apenas uma noite e no outro dia embarquei de volta pra Belém. A passagem que eu comprei foi com o ID Jovem, paguei apenas R$ 5,00. Ah, eu comprei com antecedência, sempre tens que comprar a passagem com usando o id com antecedência, não deixa pra comprar na hora senão vais te ferrar. 
      Enfim, minha experiência foi essa, espero ajudar em alguma coisa, é nooós!

    • Por MARTINS CRISTIANE
      Olá, iniciante no pedal e louca por viagens. 
      Quem puder dar dicas, depoimentos e sugestões para quem busca iniciar no cicloturismo eu agradeço.
      Abraços
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Você curte carnaval? Quer saber quais são as melhores cidades no Brasil para curtir o carnaval? O que cada uma delas tem de único? Então você está no lugar certo! 
       

       
      Tem quem acredite que o ano só começa depois do Carnaval. Então, nada melhor do que começar o ano com uma viagem, certo? O Brasil é mundialmente conhecido pelo carnaval e suas festas típicas de fevereiro. Muitos lembram de cara do Rio de Janeiro, Salvador e São Paulo, mas acredite há muito mais para ser explorado durante essa época do ano.
      Afinal, estamos falando de um dos países mais multiculturais do mundo. Então, se você quer descobrir novos ares nesse começo de ano, confira aqui 7 cidades para aproveitar o carnaval no Brasil. 

      Continue lendo: 7 das Melhores Cidades para Aproveitar o Carnaval no Brasil
    • Por ribeiro_ribeiro
      ola [email protected] venho relatar minha viagem no verão de 2019.
      Eu e minha esposa decidimos passar o verão 2019 na bahia. Primeiro desafio !!!! Definir onde ir. apos muitas pesquisas no Google e com amigos decidimos ir ao município de Cairu  devido a sua características de município arquipélago, segundo informações são 32 ilhas que fazem parte do município. porem três são as habitáveis. Ilha de Cairu que tem como grande atracão o convento de Santo Antonio relíquia arquitetônica e histórica. Ilha de Tinharé (Morro de São Paulo)  sem duvida a mais conhecida de todas. E por Fim a ilha de Boipeba.
      A ilha de Cairu vale uma visita rápida para conhecer o convento . não e' necessário mais de algumas horas. Ja as ilhas de Boipeba e Morro de São Paulo merecem um tempo especial, como a grana e o tempo eram curtos tivemos que escolher um dos locais pra ficar hospedado. Escolhemos Boipeba, Morro de São Paulo e' pra quem busca festa e agitação, Boipeba e' pra quem busca praias paradisíacas e festas organizadas pelo próprios visitantes. Cada forro e sambão que amanhecíamos na praia. E dentre os vilarejos em boipeba escolhemos o Moreré pra ficar devido as características que mencionamos anteriormente. 
      Para hospedar buscamos um camping na areia da praia e resolvemos escolher o Camping Airumã devido as ótimas avaliações de clientes. E acertamos em cheio !!!! ótima estrutura, limpo e organizado.  deixo aqui a pagina . https://airumacer.wixsite.com/airumacamping  
      Definido local e hospedagem começamos a organizar nossa ida. como dizem os próprios nativos pra chegar no paraíso não e'.  Pegamos uma aviao de nossa cidade natal ate 
      Salvador. Para pagar um voo mais Barato chegamos as 03h. Cochilamos ali mesmo no aeroporto. as 07h pegamos o metro no aeroporto e descemos apos trocar de linha na estacão Brotas , la utilizando o app Movitt pegamos um onibus ate a Sao Joaquim (Ferry Boat).  as 09h embarcamos no ferry e chegamos próximo as 10 na ilha de itaparica. No próprio desembarque pegamos um ônibus ate a cidade de valença. Descemos na rodoviária e la mesmo compramos passagem no Expresso Boipeba, para boipeba. Passagem integrada com ônibus que leva ate graciosas (25min) e la embarcamos na lancha ate Boipeba (30 min). Chegando em boipeba estávamos já preparados pra uma bela caminhada +- 25 min ate o ponto do trator que leva ate moreré. Por sorte tinha uma lancha saindo do cais para moreré o que foi maravilhoso já que não caminhamos e a viagem e' lindíssima e super divertida.  Alem disso desembarcamos em frente ao camping. onde fomos super bem recebidos pelo Claudio e la passamos dias maravilhosos.
      Em proximo post comento como foi a nossa estadia e os passeios.  
    • Por maisbahiaturismo
      Já está com viagem marcada para Praia do Forte? O lugar é fascinante e mistura o rústico com o moderno, nascida de uma pequena vila de pescadores em torno da fortaleza do fidalgo português Garcia D’Ávila. Nesse artigo nós vamos apresentar 5 lugares sensacionais para você que está se perguntando sobre o que fazer em Praia do Forte. Com esse guia você não vai ficar perdido ao chegar nesse paraíso do litoral baiano.
      1. Projeto Tamar

      Esse passeio é indicado para os adultos e principalmente para as crianças que ficam fascinadas com as tartarugas marinhas. O projetoTamar trabalha na pesquisa e proteção e manejo de 5 espécies de tartarugas marinhas ameaçadas de extinção no Brasil.
      Entre setembro e Março, as tartarugas chegam para desovar na Praia do Forte e outros pontos da Costa Brasileira. O litoral norte da Bahia é a principal área de desova de tartarugas-cabeçudas, e tartarugas-de-pente no atlântico sul.
      O centro de visitante mostra o que o Tamar faz para proteger as tartarugas marinhas através da sensibilização e educação ambiental. Um ótimo passeio, concordam? Vale a pena colocar o projeto Tamar no seu roteiro de viagem.
       
      2. Instituto Baleia Jubarte - Observação de Baleias

      O objetivo do instituto é monitorar e fazer a conservação das baleias jubartes em águas brasileiras. A Praia do Forte se tornou uma área de concentração e reprodução desses mamíferos que chegam da Antártida fugindo das águas frias no período de julho a outubro.
      Os visitantes têm a oportunidade de participar da observação de baleias, atividade desenvolvida para avistar de perto o comportamento desses animais em alto mar. Antes do passeio é realizado palestras com informações sobre o mamífero, seus hábitos, comportamento e curiosidades. Dentro do instituto também se encontra um museu para visitação.
      Para saber mais informações sobre a observação de baleia, recomendamos que acesse o site do projeto.
       
      3. Reserva Sapiranga

      Para quem gosta de turismo de aventura a reserva de Sapiranga é um prato cheio de muita emoção! A reserva oferece sete trilhas devidamente sinalizadas, os passeios podem ser percorridos a pé, de bicicleta, quadriciclo ou a cavalo. Formada por seiscentos hectares de Mata atlântica e habitat natural de diferente espécies de flores, e plantas nativas como orquídeas e bromélias.
      Os passeios costumam incluir banhos no Rio Pojuca, observação de pássaros, banho na Lagoa Açu e visita ao Centro de Estudo Ambiental, onde se encontram animais da região.
      Para realizar os passeios use roupas leves, boné, calça comprida e tênis, não esqueça do repelente e da mochila para levar seus pertences, lanche e uma garrafinha de água.
       
      4. Castelo Garcia D'Avila

      Um dos principais pontos turísticos de Praia do forte é a ruína da casa da torre de Garcia D’Ávila, considerado um dos principais monumentos do patrimônio histórico e cultural Brasileiro. A construção é considerada a primeira grande edificação portuguesa construída no Brasil.
      O monumento começou a ser construído em 1551 por Garcia  D’Ávila que chegou à Bahia em 1549 no cargo de almoxarife da coroa real, acompanhado do primeiro governador geral, Tomé de Souza. Conheça um pouco da história da Bahia e do Brasil visitando o Castelo Garcia D’Ávila.
       
      5. Piscinas Naturais
       
      Com a maré baixa, alguns pontos de Praia do Forte se transformam em verdades piscinas naturais. Um das praias mais procuradas é a Papa Gente, com piscinas rasas é possível realizar mergulhos para contemplar cardumes de peixes coloridos.
      Na Praia do Lord forma-se uma grande piscina natural e é possível beber e apreciar as iguarias da culinária baiana servidas dentro do mar.
       
      Leia Mais em: http://www.maisbahiaturismo.com.br/o-que-fazer-em-praia-do-forte
       
×
×
  • Criar Novo...