Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''caraíva''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Fazer perguntas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Encontrar Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Enviar e ler Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Planejar e relatar experiências em Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Tirar dúvidas e avaliar Equipamentos
    • Equipamentos
  • Outros Fóruns
    • Demais Fóruns
    • Saúde do Viajante
    • Notícias e Eventos

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 10 registros

  1. Fala Viageiros! Vou contar um pouco dessa deliciosa viagem para o Sul da Bahia no início do ano. Mas antes, quem puder, segue lá a página no Instagram: @profissaoviageiro No YouTube também: Profissão Viageiro Em breve vou postar vídeos de todas as viagens! Para mais detalhes e fotos, acessem o blog: www.profissaoviageiro.com Ficamos 15 dias entre o extremo sul, em Caravelas onde fui fazer o mergulho em Abrolhos, e Ilhéus, de onde meu voo retornava. É a segunda vez que fui para essa região, mas dessa vez pude conhecer mais lugares lindos pelo caminho, como Cumuruxatiba, que não tive a oportunidade de conhecer da primeira vez. As principais cidades;praias que passamos foram: Porto Seguro – Caravelas – Prado – Cumuruxatiba – Caraíva – Trancoso – Arraial d’Ajuda – Ilhéus. A partir daí exploramos as principais praias e passeios dessas regiões. E foi assim: Dia 1 Cheguei em Porto Seguro já bem tarde. Fui direto para a pousada para descansar, o que não consegui fazer muito bem. O quarto não tinha nenhum isolamento acústico e os adolescentes durante a madrugada e os funcionários da pousada durante o início da manhã simplesmente não pararam de fazer barulho. Foi uma noite muito mal dormida. Pela manhã tomei café, que estava ok, e saí para passear pela cidade. Fui andando até perto da balsa, passando pela Passarela do Álcool! Fui para Porto Seguro na formatura do 3º colegial e aquele lugar só trazia lembranças boas!!!! Na volta paramos em mercado e farmácia para comprar as coisas que precisava para seguir viagem. Então fui até o Aeroporto para pegar o carro e iniciar a viagem rumo ao sul. Acabei dando muita sorte e consegui um upgrade. Peguei uma Pick Up Toro que realmente foi muito melhor que o carro pequeno que havia alugado. As estradas são terríveis! Bom, com tudo certo, parti para o sul! Amanhã é dia de mergulho em Abrolhos!!! Dia 2 Era o dia do mergulho em Abrolhos. Já havia deixado tudo organizado com antecedência com a operadora de mergulho que escolhi. Lá em Caravelas existem algumas que fazem o passeio. O que acontece é que algumas não fazem o bate e volta no mesmo dia, e isso já limita um pouco a oferta. Outro detalhe é que não é todo dia que existem saídas para o bate e volta. Sendo assim, é importante para quem tem o tempo contado, fazer a reserva primeiro antes de organizar o roteiro, porque nem sempre vai encontrar saída no dia escolhido. Para dormir embarcado lá em Abrolhos, existem opções de 2, 3, 4 dias. Até mais caso alguém queira é possível encontrar. Quando fui da primeira vez para lá, fiz o de 2 dias. Dessa vez foi no bate e volta mesmo. Bom, para chegar lá no horário, tive que acordar absurdamente cedo. A estrada estava linda com a névoa no meio dos coqueiros e o sol nascendo ao fundo... Lindo!!! Mas não tem nem acostamento na estrada, então não quis arriscar parar o carro no canto da estrada. O pessoal lá não é muto bom de volante e o horário ainda sugere gente com sono dirigindo! Me encontrei com o pessoal da agência no píer de Caravelas e lá descobri que a menina que tinha feito minha reserva não tinha anotado que eu iria fazer o mergulho...... Inacreditável... A sorte é que deu tempo do pessoal da agência ir buscar o equipamento par mim e no fim eu consegui fazer o mergulho, mas fiquei bem puto na hora. É um longo caminho até Abrolhos... Nessa lancha que é considerada rápida, foram 3 horas. Durante o trajeto não tem muito o que ver, especialmente em época que não é das baleias visitarem a região, mas quando chega lá, vale todo o cansaço! A água do mar é maravilhosa! Todo o arquipélago é muito bonito! Um lugar especial!!! A maioria das pessoas do barco não iria mergulhar, então logo que parou o pessoal já partiu para um snorkel perto de uma das ilhas, e eu me juntei a eles enquanto não chegava a hora do meu mergulho. Estava cheio de tartarugas nesse lugar. Muito lindo! Depois fui chamado de volta ao barco para me arrumar para o mergulho. Diferente de muitos outros lugares, eles faziam apenas 1 cilindro o pacote. Mas beleza... A parte ruim foi na hora que pulei na água... Minha câmera fotográfica travou e não funcionou o mergulho inteiro... Bem decepcionante! Mas o mergulho foi lindo. Foi um mergulho raso, mas cheio de vida em uma água maravilhosa! De volta ao barco o almoço estava pronto. Estava boa a comida. Fomos então para perto de outra ilha onde um casal iria mergulhar novamente e enquanto isso fui fazer um snorkel. Mais uma vez muito bonito o lugar. Depois o barco partiu lentamente passando pelas demais ilhas e aproveitei para tirar umas fotos. Essas cabras que são algo muito louco lá! Normalmente se pode descer em uma das ilhas para passear e ver as aves bem de pertinho, mas dessa vez por conta da pandemia a descida estava proibida. Como tudo para empresas estatais é motivo para fechar, não trabalhar e não pensar, essa pandemia está ajudando muito nessas metas de empresas públicas. Então estava proibida a descida em uma ilha inabitada! Bra zil zil zil! E foi isso. Depois de algumas horas muito bem aproveitadas iniciamos nossa volta. Mais 3 horas até o píer de Caravelas. Então seguimos para Prado, onde passamos os próximos dias. Dia 3 Esse dia ficamos em Prado mesmo e pegamos praia na Praia Novo Prado. A praia tem estrutura de restaurantes e uma longa faixa de areia. Passamos uma tarde bem gostosa lá. A praia estava bem tranquila e fizemos até umas fotos mais bacanas por lá! De noite fomos para o point de Prado, o Beco das Garrafas! Andamos por lá e escolhemos um restaurante bacana para jantar. E fomos pras cabeças! Pedimos um Camarão na Moranga para 4 pessoas! A Tati come muito pouco, então minha missão era comer por 3 pessoas e meia! Hahahaha!!!!! A missão foi árdua! Eu comi em um nível digno de programa de TV – Man X Food, versão Prado! Bom, fiz o que podia, mas ainda sobrou um restinho. Sobrou bem pouco, mas foi realmente muita comida! Eu tenho um bom histórico de suor de carne, mas hoje foi dia de suor de camarão!!!! Cheguei de volta à pousada molhado de suor e sem conseguir me mexer direito!!! E foi isso, preciso me recuperar dessa orgia! Dia 4 Esse dia era da visita ao Parque Nacional do Descobrimento, que fica em Prado. Lá a visita é guiada e eu fiz a reserva com alguma antecedência com o pessoal. Foi bem tranquilo. O parque estava deserto. Nós éramos os únicos visitantes do dia. Tudo bem que era época de pandemia e isso obviamente diminuiu muito as visitas, mas mesmo assim, o parque é muito pouco visitado em tempos normais. Não dá para entender... Fora do Brasil, qualquer pracinha arrumadinha ganha divulgação e recebe um monte de visitantes. Aqui, esses locais são esquecidos, mesmo sendo tão bacanas. O parque não tem uma estrutura boa, consequência óbvia de qualquer administração pública nesse país. Nem banheiro para visitantes tem. Tivemos que usar o banheiro dos funcionários. Já as pessoas foram ótimas! Desde a reserva da data até depois da visita que ainda tive contato com eles. Todos muito simpáticos e prontos para nos ajudar. Nosso guia foi o Márcio e adoramos ele! Foi muito legal ter feito o passeio com ele! Fomos com meu carro parando nas atrações do parque. Primeiro paramos na linda Gameleira e ficamos lá um tempo contemplando aquela linda obra da natureza! Depois paramos na torre de observação de incêndios do parque, onde um elevador (que está quebrado) leva o pessoal da brigada de incêndio para um observatório bem alto onde se tem uma ótima visão do parque e de eventuais focos de incêndio. De lá fomos para um mirante e ficamos curtindo um pouco aquele verde sem fim! Em seguida fomos para o lago que fica logo abaixo do mirante. O lugar é bonito e ficamos um tempinho por lá, aproveitando para tomar um lanche. A partir de lá saí para andar um pouco pelo parque e tirar umas fotos. Saímos para mais um trecho de carro onde também aproveitamos para descer um pouco e caminhar pela região. Depois voltamos para o lago e ficamos por lá. Voltamos então para a entrada do parque para a última trilha do passeio, a Trilha do Macaco. No final ainda batemos um papo com o Marcio sobre o parque e ele nos contou a história dele como guia. Eu vou postar isso lá no meu YouTube em breve! Eu ainda fiquei ali na região da entrada do parque tirando umas fotos de aves antes de ir embora. Até que rendeu algumas fotos! E foi isso, fomos embora com a vontade de voltar em breve para explorar mais esse lindo parque! Praia de Guaratiba – Prado Como ainda tínhamos algumas horas de sol, fomos para a Praia de Guaratiba, no sul de Prado. A praia é bonita e bem grande! Eu cheguei pela entrada principal, que não fica dentro dos condomínios de lá, que são predominantes por ali. Paramos no restaurante/barraca logo na entrada da praia para pedir algo para comer. O lugar já estava perto da hora de fechar e o cara era muito chucro. Eu quase tive que pedir desculpar por querer gastar meu dinheiro com ele! Inacreditável! Aí como não tinha muita opção, fomos procurar outro lugar e recebemos a indicação que dentro dos condomínios havia restaurantes abertos na beira da praia. Encontramos um lugar bem bonito e apesar do horário conseguimos comer e fomos bem atendidos. De bônus estava rolando um Rock N’ Roll dos bons no som! Eu não gosto de música na praia, mas um bom Rock não tem como reclamar! O peixinho estava ótimo! Depois de comer fomos tirar umas fotos porque a luz já estava ficando ótima! E assim encerramos o dia. De noite voltamos para o centrinho para jantar e passear um pouco. Não foi das melhores experiências porque paramos em um barzinho fora do Beco das Garrafas, bem na praça principal da cidade. A galera da cidade leva suas caixas de som para os bares e liga elas na maior das alturas, independente se outras caixas já estão ligadas e os carros na frente já estejam com seus porta-malas abertos com som no último volume. Quando percebi, estava no meio de um inferno auditivo e então pedi para o pessoal do bar embalar para viagem minhas coisas e fui embora o mais rápido possível. Comi no hotel e já logo capotei! Dia 5 Era o dia de sair de Prado e conhecer a Ponta do Corumbau. Fiquei um tempo ainda passeando ali na região da pousada para tirar umas fotos antes de partir. Fui então em direção à Ponta do Corumbau. Lá iria encontrar um casal de amigos que vieram de Caraíva para nos encontrar. A ponta do Corumbau tem uma boa estrutura de restaurantes, pousadas e um grande resort. É uma praia muito bonita, porém mais movimentada. Mas andando um pouquinho para longe da muvuquinha ao redor dos restaurantes, a praia já fica deserta e se pode curtir toda essa beleza bem tranquilo! Ficamos curtindo o dia inteiro por lá, um lugar muito lindo! A Gio e o Ross tinham hora para ir embora, pois tinham que pegar um buggy de volta para Caraíva. Acabei acompanhando-os até a saída do buggy. Depois voltei andando por dentro, na entrada da reserva indígena que tem ali. Já estava escurecendo e resolvi jantar antes de seguir para a próxima base, que seria em Cumuruxatiba, ainda no município de Prado. Que sorte que fiquei por lá, porque pude presenciar um pôr do sol de tirar o fôlego!! Depois do espetáculo da natureza chegou a janta. Estava tudo ótimo! Então parti para Cumuru porque esse dia já estava terminando! Dia 6 Acordei e fui conhecer a minha pousada, que era bem legal. Depois parti para o café da manhã e fui conversar com o dono da pousada para ver com ele algumas dicas de praias da região. Nesse dia escolhemos a praia Japara Mirim. Era uma praia ao sul do centro de Cumuru que parecia bem bonita! Chegando lá a previsão se confirmou, era uma praia linda e estava praticamente deserta! A praia possui lindas falésias e um mar lindo! Curtimos a tranquilidade da praia o dia inteiro!!! Em certo momento uma linda cachorrinha veio para perto de nós. E a partir desse momento ela não desgrudou mais da gente. Nós a chamamos de Mãezinha! Ela era tão magricela e tinha acabado de ter filhotes. Ficamos com muito dó. Começamos a dar nossa comida para ela. Pobrezinha, estava morrendo de fome. Bom, ela passou o dia inteiro co m a gente e nós demos absolutamente toda a comida que tínhamos levado para ela. Fomos caminhando até a praia vizinha, a Japara Grande. Lá existe um restaurante e é bem mais movimentado. Lá a vantagem é que o rio é bem bonito na chegada à praia! Voltamos para Japara Mirim para aproveitar o restinho do dia e fazer mais carinho na Mãezinha, que fez todo o passeio conosco. Só que na hora de ir embora foi muito triste. ☹ A Mãezinha percebeu a movimentação e já foi nos acompanhando nos olhando, muito ansiosa. Assim que entramos ela saiu na frente pela estrada de saída da praia. Talvez o que passe pela cabeça dela é que se dessa vez ela correr muito mesmo, ela vai finalmente conseguir ficar perto de alguém que tratou ela bem, mesmo que por tão pouco tempo....... Quando conseguimos ultrapassar ela na estradinha ela saiu correndo em disparada atrás do carro e aquela cena de abandono olhando pelo retrovisor foi uma cena terrivelmente triste. Aí eu comecei a pensar, quantas vezes essa pobrezinha já passou por isso? Quantas vezes ela "foi abandonada" e saiu correndo atrás de alguém que ela só queria dar amor??? E é isso que eu não consigo entender... Como que as pessoas por aí conseguem abandonar um cachorro que já foi parte da família?????? Como alguém consegue se olhar no espelho depois de ter visto seu cachorrinho ficando para trás pelo retrovisor??????? Uma pessoa dessas não tem mais nada por dentro, sério.... Eu estou viajando de férias, muito longe de casa e dependendo de hospedagens e transportes que não permitem animais. Naquele momento nós não poderíamos fazer muito. E infelizmente não tem como sair pegando todo cachorrinho e gatinho abandonado que encontramos nessas viagens, especialmente passando por regiões mais pobres que não existe nenhum controle para que esses vira-latihas não se reproduzam e só aumentem o problema. São muitos! Bom, o que me restou foi passar em uma loja de rações e comprar um monte de ração para levar lá nos dias seguintes, mesmo que fora da minha rota, para tentar dar um mínimo de comida para essa pobrezinha, que mesmo nessa condição tão ruim e sendo enxotada por outras pessoas só por chegar perto, só tinha amor e carinho para oferecer. Queria poder fazer mais. Foi triste demais. De noite pegamos um açaí e ficamos no hotel. Estávamos bem cansados. Dia 7 Era o dia de conhecer a Barra do Cahy e eu estava com ótimas expectativas para esse dia! Antes paramos para conhecer a praia central de Cumuruxatiba, a Praia do Píer. A praia era linda e com estrutura de restaurantes e pousadas. Essa praia era mais movimentada que outras que fui. Depois partimos para a Barra do Cahy, que não fica muito longe de Cumuru. Lá existe um estacionamento pago para deixar o carro. Logo na entrada já se chega pelo restaurante que tem na praia. A maioria das pessoas ficam perto do restaurante e acabam usando a sua estrutura. Os preços são bem salgados por lá! Como nós tínhamos nossas bebidas e comidas, fomos andando pela praia e encontramos um coqueiro bacana para nos dar sombra em uma parte bem bonita da praia. Montamos nosso acampamento por lá. E aqui estamos acomodados onde tudo começou para nosso Brasil! Apesar de por muito tempo a praia Coroa Vermelha em Porto seguro ser considerada a primeira praia do Brasil, hoje se sabe por estudos de pesquisadores que o primeiro local de desembarque dos portugueses foi na Barra do Cahy, aqui no município de Prado. A praia é muito tranquila sem dúvida uma das mais bonitas do Sul da Bahia. Não deve estar tão diferente da “Ilha de Santa Cruz” que foi avistada pelos portugueses mais de 500 anos atrás. Torço muito para que continue assim! Preservar lugares como esse é tão importante! Um pouquinho mais para frente, encontramos a Cruz e placa em homenagem ao reconhecimento da Barra do Cahy como a primeira praia do Brasil. A Terra de Vera Cruz! “Mandou lançar o prumo. Acharam vinte e cinco braças; e ao sol posto, obra de seis léguas da terra, surgimos âncoras, em dezenove braças — ancoragem limpa. Ali permanecemos toda aquela noite. E à quinta-feira, pela manhã, fizemos vela e seguimos em direitos à terra, indo os navios pequenos diante, por dezessete, dezesseis, quinze, catorze, treze, doze, dez e nove braças, até meia légua da terra, onde todos lançamos âncoras em frente à boca de um rio. E chegaríamos a esta ancoragem às dez horas pouco mais ou menos. Dali avistamos homens que andavam pela praia, obra de sete ou oito, segundo disseram os navios pequenos, por chegarem primeiro. XXX Eram pardos, todos nus, sem coisa alguma que lhes cobrisse suas vergonhas. Nas mãos traziam arcos com suas setas. Vinham todos rijos sobre o batel; e Nicolau Coelho lhes fez sinal que pousassem os arcos. E eles os pousaram.” - Pero Vaz de Caminha Bom, depois de passar um dia tão agradável e com tanta história, fomos para a foz do Rio Cahy, um pouco mais para frente ainda. A beleza do lugar é de tirar o fôlego! Ainda entrei no rio para nadar um pouco e curtir aquele lugar. O mar ali é meio agitado, então o lado do rio é a melhor escolha para relaxar. Antes do fim do dia a praia já estava deserta e curtimos o pôr do sol sozinhos! Conseguimos até fazer umas fotos ao estilo largados e pelados!!! Já no caminho de volta ainda tive que parar para apreciar mais um pouco o lugar. Na estrada da volta presenciamos uma cena dessas inusitadas... Eu que já não dirijo muito devagar, vou vendo um cara no retrovisor chegando rápido perto de mim. Naquela estrada de terra, a velocidade do cara não era muito segura, ainda mais com uma pick up dessas pequenas com a caçamba carregada, inclusive com uma antena parabólica nela. Na hora que ele foi me ultrapassar tinha uma lombada na pista e foi bem a hora que ele acelerou mais... Meu, o cara voou com aquela pick up e metade das coisas que ele tinha na caçamba saíram voando pela estrada para todos os lados!!! Foi muito engraçado! Cena de filme de comédia! O pior é que o cara era local. Ele conhecia a estrada. Provavelmente estava meio bêbado, igual a maioria da galera lá que está dirigindo ou andando de bike de noite. As leis lá não são iguais as daqui, e isso a gente percebe rápido!!! De noite depois de um belo banho, fui para o centrinho de Cumuruxatiba para jantar. Apesar das opções mais sofisticadas de lá, nesse dia acabei pegando um lugar mais voltado para os locais! Bem gostosa a comida! Ainda fui buscar a ração no carro para alimentar os cachorrinhos famintos que andavam por lá! Ainda deu tempo de um pudim no famoso Uh Tererê de Cumuru! Dia 8 Infelizmente já era hora de deixar Cumuruxatiba. Realmente adoramos Cumuru! Saímos já fazendo planos de quando voltaríamos! Tomei café da manhã, dei uma última voltinha e parti! Antes de cair na estrada, tive a experiência de usar um “posto de gasolina” local. Esse era em uma mecânica. A gasolina vem em garrafas pet de 2 litros. Sensacional!!! Não vou negar que para alguém que mora em São Paulo como eu moro, isso não seja um pouco impressionante... Abastecer o carro com garrafas pet e um funil no meio da cidade na porta de uma loja que armazena essa gasolina sei lá em que condições e por quanto tempo... É bem bizzaro! Um belo choque de realidade desse nosso Brasil. O outro Brasil não consegue nem aprovar lei que libera o sistema de self service em postos oficiais e fiscalizados, igual é nos EUA... Bom, vencida essa etapa, parti para Caraíva. No caminho tive que parar para fotografar essa obra de arte! Quando cheguei em Caraíva, fiquei assustado como aquele lugar mudou. Gente para todos os lados, estacionamento lotado, ônibus de excursão... Minha nossa! Aí parei o carro, deixei algumas coisas que não iria usar dentro do carro e fui para a travessia. Existe uma casinha que cobra um ticket ecológico para entrar, mas não é obrigatório. Eu acabei pagando, mas não precisava. Só tem que pagar a travessia para o pessoal já dentro do píer. Quando chega do outro lado, o pessoal vem oferecer de levar as malas e as pessoas de charrete. Eu sou absolutamente contra o uso de charrete. Tudo que escraviza um animal, eu sou contra. Decidi não pegar e levar eu mesmo. Foi uma decisão complicada... Minha pousada era meio longe e andar naquela terra fofa com a mala na cabeça foi muito complicado... Muito mesmo! Para quem não sabe, Caraíva é uma vila de pescador que virou point. Pousadas para todos os lados. A vila não tem asfalto, é uma terra fofa por toda a vila que as pernas ficam queimando se andar muito por lá. Praticamente não existem carro na vila. O que tem além das charretes são os buggys que o pessoal usa como taxi, mas eles não ficam rodando por lá, então é bem difícil de pegar um se não for lá no centrinho. Nesse dia acabei indo na praia lá em Caraíva mesmo. A praia lá é bonita, mas existem outras mais bonitas na região. Pegamos um pôr do sol incrível por lá! Saí já de noite da praia e acabei parando em um restaurante bem movimentado no centrinho, na beira do rio. Aí foi uma cervejinha e um delicioso pastel de arraia que animou minha noite. Daí foi só caminhar até a pousada e dormir Dia 9 Dia de visitar a Praia do Espelho. Tomei um café em um lugar bem na frente da pousada. Depois parti para a travessia do rio para ir buscar o carro. Não é muito longe o caminho até a Praia do Espelho. O estacionamento lá é pago. Um amigo meu estava hospedado lá no Espelho e fui encontrá-lo assim que cheguei. Essa é outra praia que está tão diferente desde a última vez que vim. Cheia de gente para todos os lados. Depois de um tempo ali na muvuquinha eu acabei indo para o outro lado da praia, cruzando o rio. Essa parte da praia eu gostei muito mais. É uma parte quase deserta. No mar um monte de tartarugas marinhas! Foi bem mais bacana ficar desse lado e aproveitei para fazer umas fotos da Tati por lá. Mais para o final do dia a praia já estava bem mais tranquila e fui caminhar pela praia. E assim o dia foi acabando. Na hora de ir embora ainda paramos no mirante e também na vendinha que fica no estacionamento. Aí mandamos um creme de Açaí com Cupuaçu. Uma delícia! Já em Caraíva fomos jantar mas estava tudo tão absurdamente caro que resolvemos mandar só um lanche e ir dormir. O problema é que nessa noite teve uma festa em uma praia que para se chegar tinha que passar na frente da minha pousada. A pousada não tem absolutamente nenhum isolamento acústico e a noite inteira ficou passando gente falando alto e buggys barulhentos que pareciam estar dentro do quarto. Foi difícil de dormir essa noite. Dia 10 Já era o dia de ir embora de Caraíva, mas ainda deu tempo de visitar a Prainha. A Prainha é uma praia de rio bem bonita no lado oposto do centrinho. Peguei um buggy para chegar lá, pois era uma caminhada razoável. Chegando lá foi uma grata surpresa. A Prainha é linda! E não tinha quase ninguém lá esse dia. Estava maravilhoso! Aí enquanto eu estava fotografando uns pássaros, aconteceu uma coisa bem chata. Acabei fazendo um resgate de um filhote de passarinho. Teve uma festa na noite anterior aqui na prainha e tinha muito saco de lixo com as coisas da noite anterior espelhadas por aqui. Eu estava passando e achei bem estranho uns barulhos de passarinho vindo de um monte de saco de lixo. Acabei parando para investigar, mas eu achei que era algum pássaro tentando comer restos que estariam em volta dos sacos. Procurei um monte e não achei nada. Foi quando percebi que o barulho vinha de dentro do saco! Acabei vendo uma pequena movimentação dentro do saco e chamei a Tati para me ajudar e filmar tudo. Tinha muita garrafa em cima dele, qualquer coisa poderia fazer as garrafas mexerem e esmagarem o pobrezinho. Ainda bem que a coleta de lixo não tinha chegado ainda. Eu realmente não faço ideia de como ele foi parar dentro do saco de lixo. Ele era muito bebezinho ainda. Os pais estavam por perto respondendo aos chamados, mas sem poder fazer nada. Então depois que eu o tirei de lá, fiquei procurando algum lugar seguro para deixá-lo. Não encontrei nada muito bom, então fizemos um “ninho” com uma toalha velha que achamos por lá e colocamos ele dentro. Os pais já correram levar comida para ele, que estava morrendo de fome! Ele até que ficou uns minutos por lá, mas logo já pulou e foi para o mato. Subiu em um galho e por lá ficou. Ele é um Papa Capim de Costas Cinzas - Sporophila ardesiaca. Não tinha muito mais o que fazer, mas ele aparentemente estava bem. Acho que ele era muito novo para estar fora do ninho e não é fácil sobreviver assim tão pequeno solto na natureza, mas ele estava lá e os pais estavam por perto levando comida... Sei lá. Ele já conseguia se empoleirar bem e eu acho que só podia torcer para o melhor. Fiquei feliz de estar atento e poder ajudar esse nenenzinho! Espero que ele tenha ficado bem! Aí infelizmente chegou a hora de voltar para poder seguir viagem. Como não tinha como chamar um buggy, fui andando até a pousada. O problema foi que a areia estava pegando fogo naquela hora. Mesmo com o chinelo foi um sofrimento até chegar na pousada, pois a areia é fofa e o pé afundava até a metade. Aí na hora de ir para o centro para pegar o barquinho para a travessia, não resisti e chamei uma charrete para nos ajudar. Eu não tinha condições nenhuma de carregar aquela mala na volta. Mas para não sobrecarregar o cavalinho, eu fui andando do lado. O importante era aquela mala chegar lá! A ideia nesse dia era conhecer a Praia do Sahy. Como já era meio tarde, parei em um lugar para almoçar e pensar no que fazer no dia. Acabei parando em uma pousada que servia comida que o dono era um cara bem bacana! Comemos bem, curtimos um som, e o cara nos levou para ver a vista de Caraíva lá do fundo do terreno dele. Ele nos aconselhou a não ir para a praia nesse dia, porque a maré já estava cheia. Ele ainda nos arrumou de nos levar de carro para a praia no dia seguinte. A opção que 90% das pessoas fazem é ir caminhando desde Caraíva. Ir de carro era show! Então segui para Trancoso que era o próximo destino e fiquei de acordar bem cedo no dia seguinte e voltar até lá para ir nessa praia tão bem falada. Já em Trancoso, fui para o Quadrado dar uma volta e jantar. O Quadrado de Trancoso é uma grande praça no centro que está cheia de lojas e restaurantes sofisticados. Na hora de dormir dei azar de novo. O quarto da pousadinha não tinha nem vidro na janela. A casa do lado foi alugada por um monte de adolescentes que ficaram fazendo festa até altas horas. Que desgraça! Dia 11 Depois dessa noite mal dormida cai da cama cedinho e segui para Caraíva. No horário cheguei lá e partimos para a Praia do Sahy. Deixa eu contar como é o esquema lá... Como comentei, a maioria das pessoas vem andando desde Caraíva até a Praia do Sahy. Ir de carro tem uma grande dificuldade... O acesso à praia é feito por dentro de uma fazenda. Apenas as pessoas que moram dentro da fazenda podem autorizar visitantes entrarem. Então ou você conhece alguém lá, ou não consegue entrar de carro, porque seu nome tem que estar na portaria da fazenda de manhã. Ouvi uma história que o dono da fazenda é um doleiro desses vagabundos que toda hora aparece em noticiário criminal. Uma tristeza essa país... Agora vamos ao que interessa... Essa praia é sensacional! Existem 2 bares mais arrumadinhos na praia, mas eles ficam tocando música, então ficamos bem longe deles. Ficamos cada hora em um lugar da praia, aproveitando a beleza de cada canto. Também fizemos snorkel naquele mar lindíssimo! Mais para o final do dia fomos até a foz do rio e paramos em uma barraquinha para comprar uma cerveja. Nessa parte perto do rio, fica uma argila branca que a mulherada passa para hidratar a pele e fazer uma graça para as fotos. A Tati deu uma geral com a argila!!!! O pior é que a pele fica muito macia mesmo! Impressionante! Bom, como sempre, decidimos ir embora quando já estava quase escuro. Pouquíssimas pessoas na praia ainda. Um pequeno detalhe que não nos foi avisado, é que a pessoa da portaria só fica lá até um pouco antes das 5 da tarde. Depois vai embora e só consegue abrir a porta o pessoal que mora lá....... Quando descobri isso, fiquei meio desesperado... Tentamos voltar lá na praia e o pessoal das casas não queria por nada ir até a portaria com a gente... Um cara que iria passar a noite na praia até ofereceu de compartilhar o peixe que ele iria assar durante a noite com a gente, caso não conseguíssemos sair. Eu não conseguia nem sonhar em ter que passar a noite lá ao relento. Porque a galera que iria passar a noite lá tudo tinha barraca e mantimentos. A gente não tinha nem água! Nisso falei para a Tati ir falar com o cara da barraca que compramos a cerveja. Por sorte ele iria sair e disse que a gente poderia sair com ele. Minha nossa, que sorte! O cara demorou muito para sair, mas no final deu tudo certo! O pessoal lá é meio estranho, para falar o mínimo... Tinha um outro carro que depois apareceu que parecia que estava na mesma situação que eu. Precisava que alguém abrisse a porta para eles saírem. Ele estava um pouco para trás da gente. Só para não ajudar esse cara, eles abriram a porta rapidinho, saíram e mandaram eu sair rápido. Aí fecharam a porta correndo e o cara ficou lá... Os caras ficaram com aquela cara de missão cumprida só porque conseguiram prejudicar o outro cara. Achei bem zoado. A educação dessa galera é.... diferente. E foi isso nesse dia. Dia 12 Dia de conhecer o Parque do Pau Brasil! Depois de mais uma noite mal dormida por causa da festinha dos adolescentes, fiz o check out e saí da pousada bem chateado. Parti para o parque com as malas no carro porque depois de lá já iria para Arraial d’Ájuda. O parque do Pau Brasil está sob concessão da iniciativa privada, então o esquema já é bem melhor que o Parque do Descobrimento. Uma estrutura melhor e mais organizada. O passeio foi feito no carro do parque, e por isso foi cobrado um valor extra. Fizemos várias trilhas dentro do parque e nos deparamos com lugares lindos. Vimos muitas bromélias no caminho. Quando uma árvore desse tamanho cai, abre um clarão na mata que é insano. Isso é um monstro que vai abrindo caminho por onde passa. E tem também essa árvore que parece árvore de desenho animado! Dá para imaginar tirando a cabeça de dentro com um bicho grudado no nariz! Ela é oca e dá para ver um pontinho de luz lá em cima! Mas a principal atração do parque é sem dúvida o Pau Brasil. Existem árvores de aproximadamente 1.500 anos nesse parque!!!! É realmente emocionante ver a força da natureza e estar diante de um gigante desses! Conhecemos 2 árvores que tinham aproximadamente essa idade. Uma curiosidade sobre o Pau Brasil é que as árvores crescem muito devagar. Uma árvore de 2 metros de altura já pode ter mais de 50 anos. Outra curiosidade é que o Pau Brasil tem espinhos apenas enquanto é “jovem”. Quando a árvore cresce, ela deixa de ter espinhos. Paramos depois desse encontro em um mirante. E partimos para a última trilha do passeio, até a cachoeira Salto do Jacuba. Essa trilha deu um medinho porque fizemos uma parte dela sozinho, porque o guia foi até a sede encontrar outros visitantes que haviam chegado. A trilha não é difícil, mas o medo de pisar em uma cobra não era pequeno. Acabamos indo bem devagar para tomar todo cuidado. A cachoeira fica em uma região bem bonita com umas mesas de pique nique. O rio é muito bonito com a água limpinha! E a cachoeira é bem legal! O único problema é o medo de entrar no poço dela, porque existem muitas cavernas e locais escuros que para aparecer uma cobra ali não custa nada! Eu me arrisquei um pouco ali, mas não cheguei a entrar debaixo dela. Aproveitamos para fazer umas fotos porque o lugar merecia!!! E foi isso. Voltamos para a sede, ficamos lá um pouquinho e andamos até um mirante ali perto. Depois seguimos para Arraial. No caminho, encontramos um restaurante bem caseiro que nos deliciamos com um belo arroz, feijão e macarrão!! Em Arraial ficamos em uma pousada bem bacana! Fizemos o check in e já corremos pegar uma praia em Arraial mesmo. Ficamos na Praia do Araçaipe e depois na Praia do Apagar-Fogo, já bem na margem do rio, de frente para Porto Seguro. Ali é lotado de condomínios que fecham o acesso para a praia. O acesso fica limitado aos pequenos corredores públicos que existem ali. Enquanto na rua, você vai andando na beira da praia, mas a única coisa que vê são muros altos. A vantagem dessas praias é que fazem parte de uma grande faixa de areia que facilita para encontrar um lugar tranquilo para montar o acampamento! As praias são bonitas e estavam limpas. Foi um passeio bacana, mas sem nada de especial. Na volta paramos no cento para nosso almojanta. Um peixinho delicioso! De noite fomos para o centrinho e mandamos essa extraordinária barca de açaí para encerrar o dia com estilo! Dia 13 Pegando dicas de praias com o pessoal de lá, nos sugeriram visitar a Praia Taípe, mais para o sul, indo em direção à Trancoso. Seguimos essa dica e fomos então curtir nosso último dia de praia em Taípe. Chegando lá, ficamos um pouco decepcionados com o lugar. Tinha inclusive 2 ônibus de turismo da CVC estacionados lá. Definitivamente não era isso que estávamos procurando. Como a praia tem estrutura de restaurante, fica uma bela muvuca ali. O estacionamento é pago. Bom, andamos um pouco por ali e avistamos mais ao sul uma parte da praia que parecia bem mais bonita e tranquila, cheia de coqueiros. Decidimos então voltar para o carro e tentar a sorte naquela direção. A estrada não beira o mar bem de perto, então precisa procurar onde que se tem acesso às praias pelo trajeto. Um pouco antes de chegar em Trancoso achamos um acesso por dentro de um condomínio para a Praia do Rio da Barra. Ali a praia era muito mais bonita e tranquila. Achamos um coqueiro para chamar de nosso e já nos instalamos! Obvio que aproveitamos para mais uma sessão de fotos! Já mais para o final do dia fomos até a foz do Rio da Barra. Lindo demais ali! O privilégio de pegar esse pôr do sol no último dia inteiro de praia! E como sempre só saímos da praia depois que o último raio de sol se apagou. De noite fomos para o centrinho de Arraial para passear e jantar. Assim como em Porto Seguro, Arraial d’Ajuda também tem a sua passarela do Álcool! E a gente não poderia deixar passar a oportunidade de beber um Capeta!!!!! Quem passou a formatura do 3º colegial em Porto Seguro sabe quantas histórias boas começam com um porre de Capeta!!!! E sob efeito do Capeta, fomos para a pousada! Dia 14 Já com clima de despedida, ainda teríamos uma manhã em Arraial. Decidimos ficar curtindo a pousada para não ter que se envolver em nenhuma correria nesse dia. De tarde pegaríamos um ônibus de Porto Seguro para Ilhéus. Eu aproveitei que a pousada ficava em uma ária de bastante verde e saí para tirar umas fotos dos bichos. A Tati já foi direto para a piscina Depois eu deixei o carro para lavar, porque dava até vergonha de devolver o carro na situação que ele estava, e fui para a piscina também. Mas infelizmente chegou a hora de nos despedirmos de Arraial. ☹ Olha que anúncio maravilhoso nesse carro que estava na balsa! Aí devolvemos o carro no aeroporto e pegamos um Uber para a rodoviária que fica do lado do aeroporto. Embarcamos no horário e fomos para Ilhéus. Em Ilhéus o pessoal da pousada não conseguia informar direito o endereço da pousada e perdemos um tempinho até achar o lugar. Realmente não consigo entender como que com tanto aplicativo de localização alguém tem dificuldade de informar a localização da sua pousada, mas... Como já era de noite, não fizemos mais muita coisa esse dia. Dia 15 Tomamos café na pousada e já partimos para a praia, pois o tempo era curto. Nosso voo de volta para São Paulo era no meio da tarde. Pegamos praia na Praia do Milionários que era a mais próxima da pousada. Dizem que é uma das melhores praias de lá e uma das poucas com mar próprio para banho. Olha, foi uma decepção absurda. A praia estava imunda! Era difícil achar um lugar que não se deitasse em cima de algum tipo de lixo. A galera é muito porca! Se essa é uma das melhores praias por lá, imagino as piores... Que pena. Mas era isso para o momento e aproveitamos os últimos minutos de férias na Bahia por lá mesmo. E como não tinha outra saída, tivemos que fechar as coisas e voltar para casa! Olha, foram 2 semanas especiais que passamos lá! De verdade! A Tati não conhecia nada e eu já conhecia uma boa parte dos lugares que visitamos. Mas acho que a emoção foi a mesma que a dela. Lugares lindos, alto astral, sol, natureza exuberante e muitas fotos e histórias que se fosse escrever tudo aqui deixaria ainda mais longo o post. Olha, não tem uma semana que passa que não brincamos de largar tudo aqui e abrir uma pousada em Cumuruxatiba!!! Quem sabe! E é isso viageiros, qualquer coisa que eu puder ajudar com as dúvidas de vocês desses lugares é só perguntar! Abraço! Profissão: Viageiro Insta: @profissaoviageiro
  2. Oiie!!! Bom, será meu primeiro relato de várias viagens que fiz então, pq não começar pela melhor? (JULHO/2017) Demorei pra postar né? kkkkk Alugamos um carro e fomos em 3 pessoas (eu, meu noivo e um amigo nosso), a diária ficou em 60 reais, ou seja, 20 reais para cada um. Total: Em 10 dias deu 200 reais para cada. 10dias x R$20=200 Gasolina: Os 10 dias deram um total de R$ 450 / 3= 150 pra cada. Antes de partir, passamos em um supermercado(compramos coisas para cozinhar durante a viagem do tipo macarrão, linguiça(pois nao estraga), pão de forma, tapioca, ovos, etc) Total: R$50, dividido por 3= R$ 16,65 pra cada. Bebidas deixamos para comprar la, burrice nossa! Hospedagem: CARAÍVA pousada estação: Diária nesta época do ano R$ 30,00 (eu fiquei 7 dias, mais abaixo vou explicar a transição que fiz) Total: 30x7 = R$210 Foi o lugar mais barato que achei, mais tem época do ano em que o valor aumenta! Telefone: (73)9803-2019. Você fala com Felipe, ele é super atencioso, a família toda são muito receptivos, você se sente em casa! O quarto é simples porém muito arrumadinho, eu achei uma simplicidade em meio ao luxo! Tem uma cama de casal e outra de solteiro(da pra pôr um colchão no chão), ambas são muito confortáveis, além de ter uma tela pra mosquito nas duas camas. WI-FI: Disponível, porém só o sinal só fica bom na varadinha, que inclusive tem uma rede maraa! hehe Localização: É logo no começo da vila, ao lado dos indios. Contra: só tem um problema, o quarto para 3 pessoas que fiquei não tem cozinha, então isso não é muito bom ja que caraiva as coisas são BEM caras! Porém, la tbm aluga-se casa que tem cozinha! Mas mesmo assim fizemos uma 'cozinha' no quintal, mais abaixo vou detalhar isso ahahaha Agora, partiu CARAÍVA! 1º DIA: Saímos do Espirito Santo as 5h da manhã! Saímos em baixo de chuva e morrendo de medo de chover a viagem toda, até pq a previsão era só de chuva, massss pra quem tem Fé.............. Taí, a estrada linda chegando em caraíva, olha o só nosso Astro Rei estava presente *-* Enfim, chegamos em CARAÍVA! As ruas são todas assim, de areia! Prepare a panturrilha!!!! ahahaha, lá não entra carro, nenhum tipo de veículo, apenas jipe, carroça e tem uns doidos la que consegue andar de shineray na areia kkkkk Nós fomos pela parte dos indios então o nosso carro ficou no estacionamento do Felipe(dono da pousada estação), só deve ter cuidado para o carro não atolar! Pra quem vem pelo lado do rio, onde a maioria vem(vc deve pagar um valor de R$15 para o carroceiro te levar com a bagagens, ou leve no braço mesmo) Assim que chegamos fomos direto procurar um restaurante pois depois de uma longa viagem, paramos apenas pra comer um pão na padaria em Aracruz. Fomos no primeiro restaurante que encontramos aberto...... Fomos no restaurante Aquarius. Preço: ok, depende mt da sua fome kkkk Acredite, o meu prato foi o mais caro e olha que eu peguei muita salada, só que a salada o peso saíria muito mais caro do que você encher o prato de carne, vai entender né? Restaurante: Meu prato saiu à R$22. A comida é muuito boa! E essa é a entrada do restaurante........ Depois, com a barriga cheia, fomos fazer um tour para conhecer esse lugar maravilhoso! Acabamos por curtir um pôr-do-sol ..... Não deu pra aproveitar tanto o dia pois chegamos cansados e saímos para conhecer o local, depois que o sol de pôs fomos descansar para então curtir o verdadeiro FORRÓ de caraiva! ahahaha que vamos combinar né, O MELHOR! Primeiro passamos no beco da lua, la sempre rola um som ao vivo, desde o rock até o samba! Há, e os drinks são ótimos! Eu quis levar meu copo ↓ só que neste mesmo dia eu perdi no forró kkkk vai saber onde foi parar! O forró pra quem aguenta vai até de manhã, mas como estávamos muito cansados da viagem ficamos só ate as 3h da manhã rs Gastos: R$15 para entrar no forró da padaria. O beco da lua é grátis, porém consumimos bebida e pra ser sincera não faço a minima de quanto foi ahahaha 2º DIA ....Assim que acordamos não perdemos tempo e fomos direto para praiiiia!! Que ao lado tem um rio, que desemboca na praia! No caminho a praia damos de cara com essa linda árvore! Enfim, rio..praia...!!? Aproveitamos para atravessar o rio até uma ilha, uma parte você vai andando, mais pra frente não da mais pé e o rio puxa um pouco para o mar então deve ir nadando e rápido! Na hora almoço sentamos nessa mesa para almoçar, quando garçom chegou o cardápio nós levantamos na hora e falamos que tínhamos esquecido a carteira kkkkkk Caara, o PF la era 42 reais!! E era o prato mais barato rsrs Sem divulgações desse restaurante ! ahahaha Depois saímos perguntando os nativos onde tinha PFs mais em conta e conseguimos um por 12 reais o prato e bem servido! O lanche da tarde nada mais era que Tapioca, foi a partir daí que viciei nesse negócio.! Eu não lembro o nome da tapiocaria, mais é de uma senhora bem simples que fica exatamente em frente o rio. e a tapioca custa R$10. PS: Era pra foto ser com o prato cheio, mais a fome era negra e não deu tempo kkkkk Dpois que curtimos toda a vila, praia, rio, passeios .. fomos pra casa descansar pro forró! OBS: o estado do carro! Ô DÓ rs Eu e Lelo(meu noivo) acordamos mais cedo para dar uma volta pela vila a noite, o joão(nosso amigo) continuou dormindo. Essa foto eu acho que estava tentando pagar de modelo, não sei exatamente kkkk vai entender, me julguem! ahaha Sim, estava frio! Faz bastante frio pro lado da praia a noite! ah, conhecemos um casal super bacana que tirou essa foto ↓ pra gente! Eu não me lembro o nome deles, conhecemos tanta gente la e sou bem fraquinha pra gravar nomes ah, essa foto do barzim não ficou boa, só postei pra mostrar qual é. Super indico tbm, rola um sonzim vibes e o local é muito bonitinho!! Agora, é voltar pra casinha, se arrumar e ir pro forró! Entrada do forro do pelé: R$ 20 PS: não julguem minha cara de fantasma, eu acho que nesse dia exagerei na base, minha desculpa é que a iluminação não estava muito boa! kkkkk 3º DIA: e ultimo em caraiva Isso era oq estava nos planos, mas algo mudou.. oq será?! hehe Este foi nosso cantinho! Não irei detalhar este dia pois não teve nada de diferente dos outros! 4º DIA, nos despedindo de caraiva 7hAM. Quintal.......↓ E PARTIU ITACARÉ..... Mas antes, demos uma parada na fazenda da avó do Lelo(meu noivo) que é há 40 min da vila de caraiva! E que calmaria..... A comida era sem dúvidas a melhor desta viagem! A carne era fresca, macia, coisa que aqui na cidade é dificil de encontrar, as verduras e legumes eram frescos, colhidos na hora.. Seguindo viagem.... Até que.. chegamos em itacaré, por volta das 21h. Bom, agora vou relatar a péssima experiência que tive neste dia! Nós tinhamos alugado um hostel (cujo nome era hostel babel) o preço era excelente! R$10 a diáriaaa!! Mais como assim? 10 reais a diária em itacaré? Ficamos loucos e logo fechamos, pagamos a metade antes, depositamos na conta do proprietário (Gaston). Fechamos em 6 dias, e a outra metade iriamos pagar no ultimo dia! Ao chegar la fomos recebidos pelo Gaston, nos tratou bem porém foi tudo muito rapido rs ele entregou a chave e disse pra quando agnt sair trancar a porta, ele mostrou a casa e ja saiu e sumiu! Então deixamos as malas no quarto e fomos 'conhecer' a casa que por sinal era bem pequena, o quarto tinha 6 camas e você mal conseguia andar nele, era bem apertado. Agora vou contar oq passamos la, quando chegamos percebemos um cheiro muito forte vindo de dentro do hostel ou casa seila rs, era um cheiro gordura velha, um cheiro forte de alguma comida estragada.. Ja na entrada, que era uma sala, estava uma bagunça, o quarto ao lado era puro mofo, o cheiro de mofo pra quem tem sinusite como eu era insuportável, meu nariz logo entupiu e ja comecei a sentir os sintomas da sinusite(na mesma hora), os meninos tbm passaaram mal com o forte cheiro de mofo. Mas o mofo não era bem o problema, quando fomos na cozinha descobrimos onde estava aquele cheiro de podre. A cozinha era gordura pura, gordura na parede, no teto, as panelas estavam na pia a dias, a água que estava nas panelas estavam podres ja, o lixo ao lado tinha criado bicho e quando abrimos o forno tinha 3 panelas com óleo ate a boca e com certeza estavam a dias la! A casa era bem simples, o chuveiro era suuuper gelado! mas esse não era o problema, o único problema foi a limpeza. Eu não sei se demos azar por ele nao estar em um bom dia ou se tenha brigado com a faxineira(pois ele tinha dito por mensagem que teria faxineira) ahahaha só sei que eu nao queria ficar ali nem mais um dia! Fomos pra rua procurar alguma outra hospedagem, das 22h até as 23h. Itacaré dorme cedo, diferente dde caraiva kkk não tinha nada aberto, unico lugar que estava aberto a hospedagem era 100 reais. Ficamos na baddd mais resolvemos dormir esta noite la mesmo. Foi a pior noite, meu nariz simplesmente fechou, tinha baratas no quarto e o cheiro daquela gordura velha nao saía do meu nariz! ahahaha Este é o 'hostel'.. Eu juro que vi muitas pessoas falando bem e queria muito entender, será que demos azar ou as pessoas que elogiaram realmente não ligam para limpeza?? Pq cara......... 5º DIA: Depois dessa noite péssima ahahaha levantamos as 6h(nem chegamos a dormir), o gaston estava dormindo(ele ja tinha nos informado que só acordava depois de meio dia), então ja colocamos nossa bagagem no carro e fomos, graças a Deus conseguimos um hostel MARAVILHOSO e com um preço excelente! Hostel O´pharol o nome, contamos nossa historia triste para a recepcionista e ela nos recebeu super bem ahaha cobrou R$30 a diária, não pensamos duas vezes, ja ficamos por la mesmo. Só que tinhamos que avisar o Gaston ne? Vou chegar la! Hostel O´pharol: R$30 a diária (Ficamos 2 noite e 3 dias= R$60 por pessoa) WI-FI: OK Recepção: ótima Quarto: 4 camas, ar cond, banheiro com chuveiro quente, varanda com rede e pufs, ah e o melhor, tudo muito limpo e cheiroso rsrs Cozinha: compartilhada Lazer: Sinuca, bar Localidade: Fica no centro ↓ Hostel O´pharol, obrigadaaaaa, salvou o rock!!! rsrs Depois que organizamos as coisas e tomamos o café da manhã, voltamos la no gaston para conversar com ele e explicar o ocorrido, isso era 10h da manhã. Chegamos la e ele estava dormindo ainda kkkk não queriamos acordar então fomos conhecer as praias e depois voltaríamos. Não fomos em uma época muito boa para itacaré, não tinha onda e fazia muito frio a noite, de tarde chovia, parava, chovia, parava.. mas nada que desanimasse agnt de sair! Não contratamos guia, fomos por conta própria e as trilhas são super tranquilas! Primeiro fomos em Jeribucaçu........ Nessa foto da pra ver que o mar não estava bom, bem mexido e nada verdinho como costuma ser rs Na volta de jeri, recebi uma mensagem do gaston.. Uma mensagem de baixo calão, super grosseiro e pedindo o dinheiro restante, mesmo agnt não ficando la! Ficamos apenas uma única noite e nem iriamos pedir o dinheiro de volta, poderiamos entrar em contato com o site e recolher o dinheiro de volta mais preferimos deixar para ele. Voltamos então por volta das 16h para conversar com o gaston, assim que chegamos na porta ele ja saiu gritando com os meninos, dizendo que eles deveriam pagar pelo restante do dinheiro, que ele perdeu clientes(sendo que o hostel esstava vazio, só tinha agnt e varias camas sobrando ahaha) tentamos explicar a situação do mofo, que sou alergica mas ele não deixava ninguem falar, nisso joão ficou nervoso e acabou falando umas boas pra ele sobre como receber hospedes em seu hostel, ainda mais quando pagamos por tal. Enfim, fomos embora descansar para curtir um pouco da noite, em paz! A noite la tbm é bem legal, gostamos muito! Tem forró, reggae, samba, rock, varias variedades! 6º DIA: neste dia conhecemos o Bruno, ele ocupou a 4º cama do nosso quarto, quando acordamos fomos tomar café da manhã e quando voltamos tinha umas coisas em cima da cama e uma mala, ficamos com medo de ser alguém que ronca kkkkk nisso o bruno apareceu, se apresentou.. Ele estava fazendo uma tour pelo Brasil e depois iria pra Europa, ele sim é mochileiro rsrs a partir dai nos demos super bem e ele fechou com agnt! Então.. partimos para cachoeira tijuipe: (sem contar com as outras praias que conhecemos no caminho) Esse é o Bruno:...... É tudo muito lindoo!! Eu não consegui entrar na agua, cheguei ate a colocar o biquini mais estava muuuuito friooo, nao consegui e logo coloquei a roupa de frio kkkk Depois deste ultima foto começou a chover e muuuito! esperamos estiar e fomos embora! Choveu a tarde inteira então conversamos e decidimos voltar para caraiva, ligamos para o felipe(da pousada estação) e ele disse que o sol estava pocando la! ahahaha passamos mais este dia em itacaré e voltamos pra caraiva.. só por conta do clima mesmo e pq não tinha onda! zeeero onda! aH, mas rolou sushii de despedida! 7º DIA: Voltando para Caraiva vivaaa!! Dessa vez com o Bruno rss Na estrada, de volta...... Então... chegamos em Caraiva!!!! Ufffaaa.. ahahah Cara, nosso primeiro dia em caraiva uma mulher nos disse que nós sairiamos de caraiva mas caraiva não sairia da gente e que agnt nao iria conseguir ir embora! dito e feito kkkk esse lugar é magico!! Neste dia, como ja tinhamos perdido dinheiro com aquela situação, resolvemos fazer um fogão no quintal do felipe kkkk os meninos cavaram um buraco, colocaram uns troncos, pedimos panela ao felipe, pratos e talheres e ele com toda humildade nos forneceu. E não é que deu certo? kkkkk Ali virou nossa cozinha! hehe Depois as 23h é hora de curtir um reggae e logo após o forró ;D 8º DIA: Dia de apresentar a vila toda ao Bruno! ahahaha 9º DIA: Ahhh, o céu de caraiva!!! 10º DIA E ULTIMO: Bate aquela tristeza :// Ultimo dia foi fechado com chave de ouro, acordamos cedo e tomamos café no cantinho da Duca, que local lindo, ela é muito receptiva e a comida é super saudável. É é isso, até logo CARAIVA!!!!! QUALQUER DUVIDA! ESTOU AQUI. OBG PRA QUEM ACOMPANHOU! PROMETO QUE A PROXIMA SERÁ UM DIÁRIO BREVE KKKKK
  3. Na primeira semana de outubro, fui com um amigo conhecer Arraial d'Ajuda e cidadezinhas próximas: Trancoso e Caraíva. Fomos do Rio de Janeiro de GOL (vôo com escala em Brasília), chegamos em Porto Seguro às 11:20h. Não alugamos carro, fizemos tudo por conta própria. Vou detalhar tudo para vocês. Fiquei hospedada em 2 hotéis da Rede Porto Firme: Saint Tropez e Arraial Bangalô. Do dia 02 a 04 no primeiro, e do dia 04 a 07 no segundo. Ambos são MARAVILHOSOS! O Saint Tropez tem um ar de sofisticação e o atendimento foi perfeito, a praia do Parracho, que fica em frente, é tranquila e muito bonita. Andando 800m para a direita, praia da Pitinga, e 800m para a esquerda, praia do Mucugê. Fiz ambos os trajetos andando pela areia. Tranquilo! A localização é um pouco afastada do centro, mas taxis levam e trazem por R$20 o trecho. Fui em dupla, então, R$10 pra cada (as vans custam R$3,50). OBS.: Para ir ao centro, o hotel oferece uma van às 18h para os hóspedes. Super recomendo para quem gosta de glamour, sofisticação, sossego e pé na areia! O Arraial Bangalô é todo cercado de árvores e pé na areia mesmo (cadeiras de sol na areia dentro do hotel). A praia em frente é a Apaga Fogo, que possui em algumas épocas do ano, desova de tartarugas bem em frente ao hotel. Quando a maré está baixa se formam algumas piscinas naturais em frente ao hotel. E por possuir muitos recifes de corais e pedras em frente (com ouriços e peixinhos), basta andar 30 metros para direita ou esquerda, para conseguir entrar no mar. A praia é deserta, muito tranquila! Ponto positivo: O hotel fica muito perto da balsa que leva a Porto Seguro e mais perto do centro. Vans passam a todo instante e rodam a noite toda. R$3,50 é o preço. PRIMEIRO DIA (02/10 - terça-feira): Chegamos em Porto Seguro pela GOL às 11:20h. Do aeroporto pegamos um táxi até a balsa de Porto - Arraial d"Ajuda (R$30 reais). Atravessamos de balsa (R$4,50) e do outro lado pegamos uma van que fica parada logo ao lado da balsa (R$6,00). Encheu, saiu. A van nos deixou em frente ao nosso hotel (Saint Tropez). Fizemos nosso check in e fomos almoçar na Cabana Uikí, que fica ao lado do hotel (melhor acesso pela areia). Tinha uma banda ao vivo, muito animada. Pedimos uma moqueca de frutos do mar para dois (R$119), que servia três. Muito saborosa. Aproveitamos o resto do dia no hotel, tomando nosso drink de boas vindas e tirando fotos da paisagem e atrativos. A Praia do Parracho é bem tranquila e bonita. À noite, pegamos a van do hotel (exatamente às 18h eles disponibilizam para os hóspedes uma van para levar ao centro) e fomos conhecer a Rua Mucugê e o Beco das Cores. Depois, fomos à Pizzaria Paolo, localizada próximo à Rua Mucugê, no coração de Arraial D'Ajuda. O restaurante é muito aconchegante e acolhedor, com mesas em volta de uma gigantesca árvore. As opções de pizza são inúmeras. Pizza de massa feita NA HORA e bem fina, assada em forno à lenha, muito saborosa. Você vê sendo feita, um charme a parte! Uma pizza grande serve tranquilamente 4 pessoas e tem preço justo! No sabor, há opções para todos os gostos, inclusive combinações de ingredientes, com toque especial do Chef Paolo, uma figura muito simpática e acolhedora. Escolhemos metade Portuguesa Especial e metade Caprese (com mussarela de búfala, rúcula e tomate cereja), uma delícia. Pedimos cerveja para acompanhar. Uma das melhores pizzas que já comi! Super recomendo o restaurante pelo ambiente (que é uma graça), pela comida e pelo excelente atendimento. SEGUNDO DIA (03/10 - quarta-feira): Tentamos fechar um passeio para Trancoso + Praia de Taípe, mas não haveria saída na quarta. Então, resolvemos conhecer Trancoso por conta própria. Pegamos um táxi para o centro (R$20), e esperamos a van para Trancoso (R$12). Uma hora depois, chegamos à Praia dos Coqueiros. Lá, ficamos na Cabana Enseada Beach Trancoso. Tomamos uma Original 600ml (R$20) e só. Achamos os valores bem altos. O espaço tem chuveirão e banheiro. Além de rede para descanso junto ao restaurante. Andamos um pouco até a Praia dos Nativos (tem que atravessar o rio) e voltamos para conhecer o Quadrado. O vilarejo é muito tranquilo e traduz a paz. Lá tomamos um açaí de 500ml na Açaiteria Trancoso. Delicioso! Pegamos a van de volta à Arraial d"Ajuda às 14:30h (R$12), visitamos o Centro Histórico (igreja, mirante das fitas e lojinhas para comprar lembrancinhas) e depois paramos na Rua Mucugê para um "almojanta" PF de respeito (no Varanda Mucugê) e depois aproveitamos o finzinho de tarde no hotel. TERCEIRO DIA (04/10 - quinta-feira): Este dia foi um pouco corrido, já que precisaríamos fazer check out e check in no hotel novo. Acordamos cedo e fomos conhecer a Praia da Pitinga. Praia linda com falésias e mar calmo. Voltamos umas 10h, arrumamos nossas coisas e fizemos check out no Saint Tropez. Deixamos a mala na recepção e fomos almoçar na Cabana La Plage, na Praia de Mucugê (800m do hotel pela areia). O ambiente é lindo e acolhedor, tem espreguiçadeiras, redes e lounges para uso dos clientes, um excelente lugar para passar o dia e tirar muitas fotos lindas. Pedi uma cerveja assim que cheguei, e já agendei meu almoço. Fiquei relaxando no lounge, curtindo a música e olhando o mar. O almoço é servido em mesas dentro do ambiente. Sem problemas deixar os pertences longe. Mesmo para uma Carioca acostumada com a violência, confiei e me surpreendi. Almocei uma moqueca de camarão para dois (que serviu duas pessoas duas vezes, rs), bem temperada e muito saborosa, e, para acompanhar, uma cerveja, que estava super gelada. O preço é abaixo de outras cabanas que conheci. Voltaria, com certeza e indiquei para todos os amigos! Destaque para o DJ pelas ótimas escolhas musicais, tocou de rock à eletrônico. Dancei e cantei junto. Parabéns ao dono, Laurent, pela administração do local, e aos seus funcionários pela simpatia e cordialidade! Quando vier, não deixe de passar por aqui. Voltamos para pegar nossas malas e pedimos um táxi até o Arraial Bangalô (R$35). Fizemos check in e passamos o resto da tarde aproveitando a piscina do hotel tomando um drink de morango delicioso. À noite, novamente, fomos à Rua Mucugê e comemos um hambúrguer artesanal na Hamburgueria Mucugê. Super recomendo! O pão se assemelha com o do Madero e paguei apenas R$18 num hambúrguer artesanal e muito gostoso. Pedimos meia porção de fritas e um refrigerante para acompanhar. Neste dia, queríamos ir à Quintaneja do Morocha Club, mas começava as 23h e tínhamos passeio no dia seguinte. Voltamos! QUARTO DIA (05/10 - sexta-feira): Fechamos o passeio para a Praia do Espelho com a Portal Turismo (R$60 no dinheiro) e eles passaram pra pegar a gente às 8:10h. O guia Fernando e o motorista baiano que me fugiu o nome agora, são muito atenciosos e divertidos. Nota 10 para o serviço! No caminho passamos por uma aldeia indígena, a Aldeia de Imbiriba. Descemos para tirar fotos e comprar utensílios. Dica: as crianças deixam você tirar foto com as aves, dois reais e elas ficam felizes da vida. Entre para ver os preços das peças e se surpreenda positivamente. Chegamos na Praia do Espelho às 10:30h e lá ficamos no Bar e Restaurante Aconchego do Espelho. Não nos cobraram consumação mínima porque eles são parceiros da Agência, mas consumimos uma carne de sol com mandioca (R$60) e uma Brahma 600ml (R$12). Voltamos no horário combinado (15:30h) e passamos para dar outra volta em Trancoso (40min). Tomamos um sorvete na Sorveteria Mucugê, no Quadrado. A loja tem uma árvore imensa dentro, saindo pelo seu telhado. Incrível! Chegamos às 18h no hotel. Cansados! rs Pedimos um hamburguer do hotel e dormimos cedo, amanhã tem mais passeio! QUINTO DIA (06/10 - sábado): Queríamos conhecer Caraíva, mas ficamos com receio de ir por conta própria, mas depois vimos que seria tranquilo, porém mais demorado. Então fechamos um passeio com a Cacau Tour (já que a Portal não tinha fechado grupo) - (R$70 no dinheiro). Passaram pra buscar a gente também às 8:10h. O motorista Nando é um amor! Às 10h chegamos para atravessar o rio. Ao chegar em Caraíva há estacionamento "do lado de cá" do rio (não sei o valor). Dali é só cruzar de canoa (R$5) e em menos de cinco minutos você já estará na vila, onde não circulam carros. A Vila é toda de areia fofa. Fomos direto para a praia e nos largamos no bar da Casa da Praia, que possui puffs da Corona muito confortáveis e colchões com almofadas coloridas. É pra relaxar MESMO! Conhecemos a praia e tomamos banho no rio ao lado esquerdo no final e depois voltamos para petiscar uma batata-frita (R$29). O atendente Junior é super atencioso. Infelizmente (ou não), em Caraíva não tem fácil acesso a internet. Fiquei o dia inteiro sem redes sociais! rs Às 16:30h atravessamos de volta (R$5) e esperamos o Nando para voltar para Arraial d'Ajuda. Chegamos no hotel ainda com sol e degustamos um espumante para já ir nos despedindo do paraíso! À noite fomos jantar no Cantinho Mineiro (na Brodway). Comi um contra-filé acebolado (R$24) e uma Brahma 600ml. Muito gostoso! SEXTO DIA (07/10 - domingo): Nosso vôo era cedo, infelizmente. Tomamos café da manhã e fomos para a balsa de van (R$3,50), atravessamos o rio (a volta é de graça) e pegamos um táxi até o aeroporto (R$30). Escala em Confins. Chegamos no RJ às 14:50h. DICAS: • Se tiverem mais tempo, conheçam Taípe e Araçaípe. • Sempre perguntem se as cabanas e bares das praias possuem consumação mínima. • Não tenham medo de andar de transporte púbico.
  4. capucho

    Caraíva

    quero informações de lugar p ficar , de preferência em casas ou pousadas
  5. Olás amigos de mochila! No começo do ano passado nós estivemos de carro no sertão da Bahia com um objetivo bem específico: deixar meu pai (suas cinzas) de volta na sua terra. Foi uma viagem maravilhosa, conciliadora (para o meu coração), conheci uma gente fantástica e minha primeira promessa de ano novo foi: Bahia, sertão, eu volto logo! O relato da viagem de 2019 está AQUI pra quem quiser espiar, pois tb fizemos o circuito histórico de MG e foi MUITO legal! (mas gastamos muito dinheiro tb, kk) Mas continuando. Voltei da Bahia (e MG) em janeiro de 2019 já focada em voltar pro sertão. Mas tb focada em várias outras viagens, kkk, pq eu sou maníaca overplanning ansiosa e etc. Teríamos disponível o mês de janeiro de 2020... e depois de pensar e pensar no tempo que teríamos pra esta viagem, considerando a altíssima temporada e os preços salgados, a falta de grana e todas estas coisas, resolvemos ficar só no litoral sul: Porto Seguro e arredores, que já é caro o suficiente! Salvador ia ficar pra próxima! E desta vez, minha mãe, que não tem nadinha de mochileira andarilha nem gosta muito de praia, rs, iria conosco! Ela queria conhecer a família do agreste e ver onde ficou o papis! Emitimos passagens com milhas chegando em Porto Seguro em 04/01/2020 e compramos o trecho de volta bem baratinho desde Vitória da Conquista, já no interior, dia 15/01/2020, pra evitar uma longa viagem de volta até Porto Seguro só pra pegar um avião! E tb pq era bem mais barato, mesmo considerando a taxa de retorno do carro alugado. ROTEIRO 4.jan: Londrina – Porto Seguro (centro histórico) 5.jan: Santa Cruz de Cabrália (praias Mutá e Coroa Vermelha) 6.jan: Porto Seguro (praia de Taperapuã) 7.jan: Arraial D’Ajuda – Praia da Pitinga 8.jan: Praia do Espelho (Trancoso) e Caraíva 9.jan: Trancoso – Praia dos Nativos 10.jan: Praia do Espelho (Trancoso) 11.jan: ida Riacho de Santana (~675km) 12.jan: Riacho de Santana/Caitité/Igaporã 13.jan: Riacho de Santana 14.jan: Riacho de Santana 15.jan: ida VDC e retorno para casa (~315km) Obs.: Este era o roteiro programado, mas a GOL fez o favor de melar a ida mudando os horários várias vezes e atrasando o vôo em algumas horas e DESTRUIU a volta com conexões longuíssimas, nos fez voltar uma dia antes, perdemos uma diária do carro e ainda arcamos com hospedagem em VDC, e transportes e alimentação em SP. Está judicalizado! Uma palhaçada sem fim! Aliás, temos tido muitos problemas com a GOL ultimamente, ano passado já tivemos um processo (ganho) contra eles... tá difícil... zuado demais! Mas continuando... HOSPEDAGENS Oh dúvida cruel! Aqueeeele dilema entre ficar em Porto Seguro ou em Arraial D’Ajuda (onde estão as praias mais bonitas). Até Trancoso cheguei cotar, mas affe! Minha principal preocupação era a balsa de travessia entre as duas, Porto Seguro e Arraial! Dizem que as filas são gigantescas na alta temporada, e o preço para a travessia de carro tb não era dos mais camaradas. Eu tinha achado opções legais de hospedagem dos dois lados, ambas meio caras... mas aí pensei: Se eu ficasse em Porto Seguro teria que atravessar 4 vezes em direção a Arraial, seriam 8 travessias. Se eu ficasse em Arraial teria que atravessar 3 vezes em direção a Porto Seguro, seriam 6 travessias. E SE, eu ficasse as duas primeiras noites em Porto Seguro e as cinco seguintes em Arraial d’Ajuda atravessaria SOMENTE duas vezes! E ainda no contra-fluxo! Hein? Hein? Eu não gosto muito de ficar trocando de casa não, mas a economia de tempo e dinheiro falou mais alto. Pegamos 2 airbnbs que recomendo, um SENSACIONAL, em Porto Seguro, e um normal em Arraial. Vou deixar mais informações nos relatos por dia, mas seguem os links: Porto Seguro: MARAVILHOSA!!!!!! Pagamos 420,00 em 2 diárias para 4 pessoas (55 reais pr noite por pessoa) https://www.airbnb.com.br/rooms/31595990?source_impression_id=p3_1580817851_CAUCev%2Bzmp2U93i8 Arraial: TRANQUILA! Pagamos 800,00 em 5 diárias para 4 pessoas (40 reais por noite por pessoa) https://www.airbnb.com.br/rooms/24569640?source_impression_id=p3_1580817866_NfG0ku3oZ505faIT Foram preços bem bacanas considerando a altíssima temporada! Se vc curtiu e ainda não tem cadastro no airbnb, faz com meu link que eu e vc ganhamos descontos de viagem! https://www.airbnb.com.br/c/jcarneiro3?currency=BRL ALUGUEL DO CARRO O carro foi alugado com bastante antecedência (pq mais próximo sobe muito o preço e fica sem opção): pegamos um Sandero 1.4 novíssimo pela Localiza, por meio do site rentcars, por 1.400,00 – 11 diárias, com taxa de deslocamento, pois pegamos em Porto Seguro e devolvemos em Vitória da Conquista. Achei que pagamos um preço bom e valeu muito a pena, pois fizemos viagens longas e durante os dias de estadia no litoral todo dia a gente ia pra um lugar LONGE e diferente. Na real achei fundamental se quiser ir em Trancoso, Caraíva, Espelho, estando em Arraial... a não ser se estiver sozinho, aí os passeios de van podem compensar, mas nem vi os preços. VACINAS Apensar de ninguém obrigar, vale muito ter vacina contra febre amarela. Em Arraial eu fui picada por TODAAAAS AS PERNILONGAAAAS DO ESTADOOOO DA BAHIAAAA, hahahahauah! Faz parte! E partiu! CONTINUA por cidade.
  6. Dia 01 - Viagem de guarulhos para salvador Voo direto Azul, saída 16h10, Valor Pago: 191,44 (Comprado 27/08) Chegamos pegamos uber para um Shopping que fica a caminho da Rodoviaria de salvador (Comida no shopping de lá é mais barato que nos shoppings de Jundiai/São Paulo) Pegamos outro Uber para pegar o ônibus (as 23:00) sentido Lençois na Chapada Diamantina. Empresa de onibus: Rapido Federal (https://passagemrapidofederal.com.br/ ) Preço: 108,00 (compramos antecipado e pagamos alguma taxa de conveniência, tem que ir no guichê para pegar a passagem, se informe sobre o hr de funcionamento) Dia 02 - Lençois (Gruta da Lapa Doce, Pratinha e Morro do Pai Inácio) Chegamos de ônibus em lençóis por volta das 5:30 da manhã, os lugares para tomar café só abriram por volta das 6:30. Após o café fomos deixar as malas no hostel e pegar o carro que havíamos reservado. Estadia: Viela Hostel (30,00), bem hostelzão, bem localizado, comodidade média. Mas achei que o custoxbeneficio valeu MUITO a pena. Veja como a avaliação do hostel no booking é boa http://bit.ly/vielahostel Aluguel de carro: Empresa Seabra 75 9901 7946 Retirada em lençóis e devolução em Capão (devolução em capão facilitou muito a logística, pra não pagarmos o carro enquanto estávamos no Pati) Passeio: Gruta da Lapa Doce, Pratinha e Morro do Pai Inácio. Vá cedo para lapa doce, passe a maior parte de dia na pratinha (tem boa estrutura) e no max 15h30 vá para o por do sol no pai inácio (imperdível). Morro do pai inácio tem hr limite para subir (por isso não pode sair tarde da pratinha. Para nós foi uma aventura chegar a tempo, pq saímos tarde, mas isso nos rendeu algumas amizades rsrs).. Pratinha tem uma flutuação de snorkel em águas cristalinas e dentro de uma gruta. Recomendo! *o Horario do por do sol (e hr que deve sair da pratinha) varia de acordo com a epoca do ano, o google mostra o horario do por do sol. Dia 3 - Ibicoara (Cachoeira do mosquito + Poço azul) Saímos de lençóis cedo com tudo no carro, a ideia era fazer os passeios durante o dia e dormir em Ibicoara (a viagem é cansativa). Passeio: Cachoeira do mosquito + Poço azul. Poço azul tem horários melhores de se fazer a flutuação, se informe e se planeje para chegar pelo menos 2h antes (é comum ter fila) Normalmente as pessoas fazem Poço azul+poço encantado, nós decidimos (no dia anterior) fazer cachoeira do mosquito, pqe poço azul é só contemplação. Estadia: Hostel Kosmos, 30,00 Reais, acomodação boa com vibe roots. Você encontra essa acomodação no Airbnb (Essa estadia não esta listada no booking). Aproveito e deixo pra vocês um cupom de desconto no air bnb https://www.airbnb.com.br/c/caiov277?currency=BRL Dia 4 - Ibicoara (Cachoeira do Buracão) Passeio: Cachoeira do Buracão. Trilha de 3km cada trecho, nada muito pesado. É obrigatório uso de guia Cachoeira do buracão é IMPRESSIONANTE, bastante alta e com um visual completamente diferente, tem paredões que cercam a cachoeira e o percurso que o rio faz depois dela. É uma vista imperdível. Guia: Nina (77 8111-5477 - @nina__guia são 2 underlines) ou o marido dela, Clayton (77 98153 5697 não fizemos com ele). Ambos São MUITO BONS. Nós fizemos o percurso com a Nina, ela é uma otima guia, sabe manter a cadencia da trilha e tem otimas conversas, explica bastante sobre a região. Em determinados pontos ela mostra exatamente como atravessar obstaculos. Recomendo MUITO. Comida: Jantamos TODOS os dias no restaurante “point dos amigos”, a comida é muito barata e gostosa. A comida é preparada de forma caseira pela dona do restaurante, com quem fizemos amizade e no fim parecia nossa tia kkkkk. Dia 5 - Ibicoara (Cachoeira da Fumacinha por baixo) Passeio: Cachoeira da Fumacinha por baixo. Trilha de 9KM cada trecho, caminho PESADO, principalmente por ter que ficar andando nas pedras (leito do rio). Segundo a guia quando o rio enche (que não era o caso) a trilha fica ainda mais difícil. Uso de guia não é obrigatório, mas acho MUITO recomendado, principalmente por que alguns trechos tem escalaminhadas. A trilha é bem bonita e a cachoeira da Fumacinha é um ABSURDO. Linda DE MAIS. a agua é bem gelada (já que quase não bate sol) Guia: Nina (77 8111-5477 - @nina__guia são 2 underlines) Dia 6 - Capão (cachoeira da fumaça por cima) Saímos cedo de Ibicoara para ir para o capão e fazer a trilha da cachoeira da fumaça por cima. Viagem é longa e feita em sua maioria por estrada de terra (se for por guiné, que é bem mais rápido). Chegando em Capão, fomos para a estadia Sempre viva, algum dos amigos que fizemos na viagem nos indicou e depois nos encontramos com o nosso guia do Pati (Val - contato vou colocar mais pra baixo, quando for falar do pati). A comunicação no vale do Capão é bastante dificil, já que não tem sinal de celular. Basicamente tem que achar um wifi para se comunicar. Passeio: Para chegar na cachoeira da fumaça é preciso fazer uma trilha (cerca de 1h30), antes de subir é necessário assinar um livro de controle (para saberem se todos que foram, realmente voltaram) e se quiser, pode contribuir com qualquer valor para a preservação do lugar. O inicio da trilha é bem Ingreme, mas depois a trilha é pana e tranquila. Tente ir pela manhã, para fugir do sol quente. Existe um horario limite para iniciar a trilha, 13h. O horário é para dar tempo de subir, apreciar e voltar antes de ecurecer. Estadia: Sempre viva (40,00) - Acomodação boa, custo beneficio OTIMO. 40 reais por pessoa por quarto privado. Caso for fazer o vale do pati, a acomodação cobra 10 reais para guardar a bagagem e permite banho na volta. Não encontrei a acomodação no booking Dia 7 - Pati (Cachoeirão por cima) Saímos cedo em direção a guiné, por onde dariamos inicio a travessia do Pati (entramos por Guiné, por uma subida chamada Aleixos e saímos por Capão). Passamos em palmeiras para o guia (Val, que recomendo MUITO (075) 99167-6817) fazer as compras dos lanches para os 4 dias, ele carrega tudo no mochilão, e nós só precisamos levar nossos proprios pertences na mochila pequna (usei uma de 30L). Como você vai carregar o peso nos dias em que estiver fazendo o pati, economize no peso, evite coisas desnecessárias. Devolvemos o carro em guiné, na entrada da trilha. Isso ajuda DE MAIS na logística e na economia, fazendo desse jeito você não paga transfer para guiné e nem paga o carro durante os dias que estiver no pati. Vai ter que pagar uma taxa de devolução extra por devolver em guiné, mas acaba compensando. Foram 4 dias de trilha que o carro ficaria parado, a diária do carro é 140, ou seja, economizamos 560 reais. Para devolver o carro em guiné, pagamos 130,00 mas isso nos economizou o transfer, então um abateu o outro. (Essa foi uma baita dica p vc economizar uns dins hehe) Nosso roteiro esse dia foi: Guiné (aleixos), cachoeirão por cima, descida pela fenda e pernoite na casa do Sr Eduardo. Esse é um roteiro que poucas pessoas fazem, achei a fenda uma trilha perigosa devido aos buracos disfarçados com mato. Andamos cerca de 18Km, subida íngreme no aleixos e descida muito íngreme na fenda (não recomendo fazer o caminho inverso, subindo a fenda). A caso do Sr Eduardo é bem simples se comparada com a igrejinha. A comida é deliciosa. Dia 8 - Pati (Cachoeira dos funis) Saímos não tão cedo da casa do Sr Eduardo sentido igrejinha passando pelo poço da árvore e funis. cerca de 15 km percorridos, caminhada tranquila. Foi um dia para tomar banho de cachoeira e relaxar. Não achei as cachoeiras nada MUITO impressionante. Mas foi um dia gostoso pra curtir com calma. Neste dia o val (guia) cozinhou o jantar. A igrejinha é uma das estadias mais conhecidas, por ter fácil acesso. E em consequência também é bastante cheia. Ali tem alguns banheiros com água quente (o guia só me avisou depois que eu já tinha tomado banho gelado kkk) Dia 9 - Pati (Morro do castelo) Percurso esse dia foi Igrejinha - Sr Wilson (para deixar o que não iriamos usar. É caminho) - Morro do castelo - Sr Wilson. Total de +- 14KM, porém subida forte na ida e descida forte na volta. Apesar do percurso íngreme, não foi um dia cansativo. Morro do castelo tem 3 mirantes, um deles está sendo estudado e talvez seja fechado (por risco de queda de placas de pedra). Nesse dia é necessário lanterna, pois para acessar os mirantes se passa por dentro do “castelo” através de grutas, a lanterna do celular dá, mas uma de cabeça é o ideal. A caminhada nesse dia é bastante protegida do sol. O morro do castelo tem vistas IMPRESSIONANTES, com certeza é um dos lugares imperdíveis do pati. A casa do Sr. Wilson tem ótima recepção e tem o que julgamos a melhor comida do vale (não que as outras foram ruins, mas aqui a comida foi espetacular). Dia 10 - Pati (Gerais) Percurso: Casa do Sr wilson - capão (saindo pela bomba). Esse dia a caminhada é MUITO exposta ao sol, já saímos do vale e andamos vários KMs por cima. Caminhada total é de 22KM. Dia bastante cansativo. O visual por cima do pati é bastante bonito. Ao terminar a trilha na bomba, precisamos contratar um transporte para chegar ao vale do capão, caso contrário seriam mais 7 KM de caminhada. Logo que acaba a trilha tem um bar/lanchonete, o guia pediu para a atendente chamar o responsavel pelo transporte (que aparentemente mora ali perto). Chegando no vale, jantamos e fomos rapidamente para a estadia bem estar tomar banho e pegar o restante das malas. Dali pegamos um trasnporte para palmeiras (15,00) e de palmeiras pegamos o ônibus para salvador. Empresa de onibus: Rapido Federal (https://passagemrapidofederal.com.br/ ) Preço: 94,00 Dia 11 - Salvador (Turistando) Chegando em salvador, pegamos um uber e fomos para o hostel (que procuramos no onibus). Alguns amigos que fizemos na viagem nos indicaram ficar no bairro Rio Vermelho, um bairro bohemio de salvador (compararam com a vl Madalena em SP). Estadia: The Hostel (40,00), fica no bairro Rio vermelho, Hostel é bom, tem piscina e café da manhã. Não deu para avaliar tão bem, já que ficamos só 1 noite.Mas as acomodações no geral são MUITO boas. http://bit.ly/TheHostelSalvador Passeio: Fizemos um tour por conta própria, de uber. Saímos do Hostel - Basílica senhor do bonfim - Sorveteria ribeira (não achei que vale a pena, tem uns sabores diferentes mas nada de maaais) - Pelourinho, elevador lacerda, mercado modelo (almoçamos por la, tem 2 restaurantes com visual legal e preço “ok”) - Por do sol no farol da barra (imperdível) Durante o dia ficamos em dúvida se iríamos ou não para morro do SP no dia seguinte ou ficar um dia a mais em salvador. Por fim decidimos ir no dia seguinte e fechamos translado para Morro de SP (umas 21h) com a cassi turismo por 90,00 (negocie, pois as vezes cobram mais caro.) Comida: Acarajé da dinha, é um ótimo local para experimentar a comida típica. Tem um quiosque pertinho do hostel. Dia 12 - Morro de SP (Praia de Gamboa) A empresa Cassi turismo passou nos buscar cedinho no hostel (6h30, se não me engano. Perdemos o café) com uma van. Fomos levados para um local onde acertamos o valor do transfer e pegamos uma balsa para fazer uma travessia, depois da travessia pegamos um ônibus e então uma lancha rápida (esse percurso é fácil de achar detalhado na internet) Esse modo é chamado de semi-terrestre. Julgamos ser a melhor opção para chegar em morro de SP, devido principalmente aos horários. A empresa cassi turismo você encontra por TODO CANTO de salvador. Chegando em morro de SP várias pessoas vão oferecer para levar a sua mala, a primeira subida é MUITO íngreme, depois é mais tranquilo. Vai de cada um julgar a necessidade de pagar ou não (nós não pagamos, até pqe nem sabíamos onde íamos ficar qnd chegamos). Depois de passar algum perrengue procurando estadia, fechamos com a pousada tranquila uma indicação de uma amiga que já tinha visitado morro de SP Estadia: Pousada tranquila 110 o quarto com 4 e 3 lugares (negociado na hora), tivemos que mudar de quarto no meio da estadia. Pousada com ótimo custo x beneficio, fica na frente do mar na terceira praia (da pra ver o nascer do sol do quarto, se ficar no quarto de 4 pessoas). Pousada conta com bom café da manhã (com vista para o mar). Recomendo muito a estadia! http://bit.ly/PousadaTranquila Passeio: Passado algum perrengue para fecharmos a estadia, deixamos as coisas na pousada e fomos para a praia de Gamboa (praia da argila), fomos de barco e voltamos andando (a caminhada não é longa, mas é necessário ficar atento a tábua das marés). Passamos o restante do dia relaxando na praia de gamboa em um dos quiosques. Jantar: Lá tabla. o Nhoque é otimo e bem grande. Vale a pena. Dia 13 - Morro de SP (Caminhada pelas praias) Passeio: Andar pelas praias - Fomos até a quarta-praia, a maré estava já bastante alta e mesmo assim a praia é bonita. A quarta praia não oferece tanta estrutura quanto a segunda e primeira. As piscinas naturais ficam logo no comecinho (onde tem umas árvores que dividem a terceira da quarta praia), depois passamos o dia em um quiosque da segunda praia. Mais pro fim do dia subimos na tirolesa, o visual é incrível. Vale a subida mesmo para quem não for descer de tirolesa. Eu desci a tirolesa e por mais que digam que é a mais alta do BR, não achei nada de mais (não da muita adrenalina). Não achei que vale os 60,00. Próximo da tirolesa existe um mirante do por do sol, vale muito a pena! É de graça e tem o mesmo visual da toca do morcego (onde é pago para entrar). Dia 14 - Morro de SP (Piscinas naturais de Garapua) Passeio: Garapua. O passeio é feito de 4x4, passa também pela quinta praia (na ida ou na volta). O melhor do passeio é curtir as piscinas naturais (onde fica um bar flutuante), o ideal é evitar horário de pico, e ir na maré baixa. Quando tem muita gente, a água fica turva (devido as pessoas revirarem a areia do fundo do mar) e fica uma sensação de superlotação. O acesso as piscinas naturais é feita com um barco bem simples e quando desejar retornar, tem uma ótima estrutura de quiosques para curtir o dia ainda na praia de garapuá. Custo do passeio foi de 80,00 Reais Dia 15 - Morro de SP Passeio - Volta a ilha, esse foi o que achei o melhor passeio. É um passeio feito de lancha, passa nas piscinas naturais de garapua (a msm que fomos no dia anterior), nas piscinas naturais de moreré, para por algum tempo na ilha de boipeba e para em um bar flutuante. *Dica que não encontrei em lugar nenhum: Esse passeio pode ser utilizado como meio de travessia de morro de SP para valença (foi o que fizemos), na última parada tem a possibilidade de tomar um banho e trocar de roupa. É necessário levar as malas para o passeio e o barqueiro guarda em um compartimento do barco. Negocie isso antes de fechar o passeio. O banho é completamente sem luxo, mas pra quem viaja no estilo “mochileiro” deve estar acostumado com isso. Nesse dia pegamos um ônibus para porto seguro com duração de 09h de viagem (dormimos no onibus) Empresa: https://www.aguiabranca.com.br Custo: 109,36 Dia 16 - Trancoso (Caminhada + Praia dos nativos) Chegando na Rodoviária de porto seguro pegamos um Uber para a travessia para Arraial d’ajuda, depois de atravessar pegamos um onibus para trancoso (acredito que a van seja mais rápida). Os horários e preços de van/ônibus é facilmente encontrado em uma pesquisa no google. Chegando em trancoso e passado algum perrengue (de novo) para decidirmos onde ficar, deixamos as coisas na pousada e fomos para a praia. Andamos bastante para o sentido norte e depois voltamos para a praia dos nativos. Surpreendentemente os quiosques lá fecham cedo (começaram a fechar por volta das 15h30). Estadia: Pousada campestre (150,00) - Café da manha MUITO bom, o melhor da viagem toda. Boa localização (bem perto do quadrado, 5minutos andando). Preço negociado na hora, quarto para 3. O preço para reserva era mais alto. http://bit.ly/pousadaCampestre Dia 17 - Trancoso Passeio: Neste dia fizemos uma caminhada para o lado sul, chegando até itaquena. São cerrca de 8 KM de caminhada cada trecho. Pelo caminho se passa por itapororoca. Na maré baixa em Itaquena se formam corais MUITO bonitos. Importante falar que nesse trecho não tem quiosques ou ambulantes. Leve água e comida. Dia 18 - Caraiva (praia do espelho) Passeio: Nesse dia o plano era ir para a praia do espelho, como o taxi custaria 350,00, decidimos alugar um carro (alugamos na Localiza). A praia do espelho esta entre as praias mais bonitas de toda a viagem, na maré baixa são formadas piscinas naturais lindas e as faléias dão um visual bem diferente. As águas são cristalinas e calmas. Com certeza é um lugar que não se pode deixar de conhecer se estiver na região. Depois da praia do espelho, nosso destino foi Caraíva, onde não é permitido entrar de carro (até pqe as ruas são de areia). Mesmo assim, pelos nossos calculos acabaria compensando, já que economizaríamos o taxi + o transporte para caraiva. Nosso plano era ficar 2 dias em caraíva (1 noite), gostamos tanto que acabamos ficando 3 dias e 3 noites. Quanto mais tempo for ficar em caraíva, menos compensa alugar carro, pois o carro ficará parado. Os transportes de caraíva não tem horários muito bons, acaba perdendo metade do dia. Os horários são facilmente encontrados na internet. Transfers costumam ser bem caros (cerca de 300,00) Passamos MUITO perrengue para encontrar estadia em caraíva. Fomos pegos de surpresa, pois estava acontecendo um festival (novo mundo) e estava tudo cheio. No fim, deu td certo Estadia: Hostel Aruanda (40,00) - Se caraíva tem uma vibe FODA, o hostel aruanda tem ainda mais. Você vai ficar com saudades do hostel. É um estilo bem hostelzão mesmo, sem luxo. Fica próximo ao desembarque da travessia de barco. http://bit.ly/Aruanda_Hostel A noite em Caraíva é um atrativo a parte. Sempre muito animado e pelo que nos falaram, cada dia tem um role, que não costuma acabar tarde. Porém depois que o role acaba, o pessoal faz tipo um luau com voz e violão. MUITO MASSA! Caraíva tem uma bebida “típica” chamada Netuno, é uma bebida feita com gengibre, muito famosa por la. A bebida lembra catuaba, porém, de gengibre. Custa 10,00 a garrafa. O que não é tão comum saber, é que existe o netuno preto e um outro branco/transparente, menos famoso. O mais claro tem o gosto de gengibre mais forte. A cidade tem o clima roots e jovem. Dia 19 - Caraiva (Ponta do corumbau) Passeio: Ponta do corumbau. É um passeio feito de buggy (90,00 por pessoa), na maré baixa é formada uma ponta mar adentro. Antes de acessar essa praia você para em um lugar que vende vários artesanatos feitos por índios (colares, pulseiras etc), é muito mais barato aqui do que em trancoso ou Arraial d’ajuda. Nesse passeio você sai cedo e volta no fim da tarde. Nós precisamos trocar de estadia, já que não havia vaga no hostel aruanda. Fomos procurar e surpreendentemente encontramos fácil uma pousada (bastante boa) Estadia: Pousada da Angélica (170,00) - Preço negociado na hora, boa instalação, bom wifi. Preço de quarto para 3. Praticamente de frente pro muro “sorria, voce esta em caraiva” Não encontrei nem no booking e nem no air bnb Dia 20 - Caraiva (Praia do Satu) Passeio: Caminhada praia do Satu. Caminhando para o lado norte da praia (é preciso atravessar o rio), você vai chegar na praia de satu (a caminhada não é tão longa, mas foi cansativa). Na maré baixa se formam piscinas naturais. Existem 2 rios, o primeiro de agua escura e o segundo de água verde. Esse de água verde tem argila que o pessoal passa no corpo como tratamento estético (essa info não achei em lugar nenhum quando pesquisei) Dia 21 - Arraial D’Ajuda (Praia de mucuge) Saímos cedo de Caraíva para devolver o carro em Trancoso e pegar a van para Arraial D’Ajuda. Chegando em Arraial d’ajuda fomos para o hostel que pesquisamos na van durante o trajeto Trancoso-Arraial. Estadia: Pousada Mikaela. A dona é muito simpática e a pousada muito aconchegante. Fica bem localizada, a 7 minutos andando da rua “Brodway”. O café da manhã é muito bom, com tapiocas feitas na hora :9 http://bit.ly/Pousada_Mikaela Passeio: Nesse dia ficamos na praia do mucugê (é a mais próxima). A praia é bem bonita e movimentada. Para ficar no guarda-sol e cadeira dos quiosques é cobrado uma consumação “da cozinha” ou seja, exigem que você almoce no local. Com muito custo conseguimos negociar uma consumação de 30,00 por pessoa independente se fosse um pedido de prato ou não. Dia 22 - Arraial D’Ajuda (Taipe) Passeio: Taipe. Tiramos o dia para relaxar, já que era o ultimo que poderíamos aproveitar da viagem. Decidimos não ir andando e pegar um transporte, nos foi falado que por ali era fácil de conseguir transporte, mas não foi assim. Foi bem difícil, pois não é caminho das Vans/onibus. Com algum tempo de espera conseguimos uma van que praticamente nos fez o favor de levar até la. A praia não é nada de mais. As falésias dão um visual diferente, mas eu preferi a praia de mucuge (que fica proxima ao centro) O retorno fizemos andando e percebemos que foi um erro ter desperdiçado tempo esperando transporte, já que a praia de taípe não é longe do centro. Jantar: De noite a ideia era jantar em um lugar legal para nos despedirmos da viagem e voltarmos a vida real de trabalho (fazer o que né). Fomos no restaurante Alecrim dourado e pedimos camarão no abacaxi. Foi uma das melhores refeições da minha vida. Dividimos em 3 e ficamos “ok” (não estávamos com muita fome). Depois do jantar ainda fomos para o bar “casa mangue neon” é um bar com ambiente despojado, com cadeiras de praia e drinks “diferentoes”, eles nos deram um drink cortesia de caipirinha de netuno (bebida bastante consumida na região), outra bebida curiosa foi caldo de cana com cachaça (bastante boa, por sinal) Depois do bar neon fomos para o beco das cores, como se fosse uma galeria onde tem vários bares, começou ficar agitado perto das 23h. Rolou uma banda ao vivo e estava bem animado, aparentemente vão muito locais para o beco das cores, já que a entrada é gratuita. Depois do beco das cores finalizamos a noite no “morocha” é uma balada conhecida da cidade. Dia 23 - Volta Porto Seguro - São Paulo Voo: Porto seguro Guarulhos 192,54 reais , LATAM 14h35, voo direto , Dia 3/11 comprado em 10/09 (Melhor preço que vi durante o tempo que acompanhei. É difícil achar essa tarifa) DICAS GERAIS POR LOCALIDADE Dicas Gerais Arraial d’ajuda Saindo um pouco da praia se compra 3 cocos por 5 reais, enquanto na praia normalmente custa 1 coco 5 reis. Restaurante Alecrim dourado (não é considerado barato, mas é muito bom para quando quiser aproveitar um lugar com uma comida mais sofisticada) É muito dificil ter uber disponível Dicas Gerais Caraíva: Se for ficar varios dias, não alugue carro. O carro vai ficar parado Netuno: Bebida tipica de lá a base de gegibre Os roles noturnos são bons Vá de mochilão. As ruas são de areia, o que dificulta transporte da mala Sinal de celular, não tem. Wifi, tem. Mas a maioria que usamos não era mt bom. Achei Caraíva a cidade mais cara (hospedagem, comida, agua, etc) Por do sol a beira do rio é MUITO bonito, vale a pena curtir. Nos dias que fiquei la dava pra ver a lua ainda com o céu alaranjado. Um espetáculo Não é possível fazer o translado saindo de caraíva de uber Dicas Gerais Trancoso: Os quiosques fecham muito cedo (cerca de 3h30) Os restaurantes no quadrado são MUITO caros. É possível se afastar um pouco e comer mais barato Não vi nenhum motorista de aplicativo disponível Dicas Gerais Morro de SP: Ficar na terceira praia é uma otima localização Na maré baixa TUDO fica mais bonito, de preferencia para fazer os passeios nesse horário, principalmente os que envolvem piscinas naturais. Ir na quarta praia na maré baixa. As piscinas naturais são MUITO bonitas Tirolesa não vale os 60,00 Da para usar o passeio “volta a ilha” para atravessar de Morro de SP para valença Dicas Gerais chapada Vá de mochilão, andar na cidade de mala é ruim. Alugue Carro, transfers e passeios fechados são MUITO mais caros Use Google maps offline (se não baixar o mapa vai ficar na mão) melhor que o Google maps offline é o Maps.me (Usando os 2 vai conseguir chegar nos lugares) Ibicoara: Restaurante Point dos amigos Antes de entrar no Vale do Pati, deixe as coisas que não for usar em algum lugar (agencia, hostel, conhecido) RESUMO DE ESTADIAS INDICADAS: LENÇOIS, Chapada Diamantina Estadia: Viela Hostel (30,00), bem hostelzão, bem localizado, comodidade média. Mas achei que o custoxbeneficio valeu MUITO a pena. Veja como a avaliação do hostel no booking é boa http://bit.ly/vielahostel IBICOARA, Chapada DiamantinaI Estadia: Hostel Kosmos, 30,00 Reais, acomodação boa com vibe roots. Você encontra essa acomodação no Airbnb (Essa estadia não esta listada no booking). Aproveito e deixo pra vocês um cupom de desconto no air bnb https://www.airbnb.com.br/c/caiov277?currency=BRL VALE DO CAPÃO, Chapada Diamantina Estadia: Sempre viva (40,00) - Acomodação boa, custo beneficio OTIMO. 40 reais por pessoa por quarto privado. Caso for fazer o vale do pati, a acomodação cobra 10 reais para guardar a bagagem e permite banho na volta. Não encontrei a acomodação no booking SALVADOR Estadia: The Hostel (40,00), fica no bairro Rio vermelho, Hostel é bom, tem piscina e café da manhã. Não deu para avaliar tão bem, já que ficamos só 1 noite.Mas as acomodações no geral são MUITO boas. http://bit.ly/TheHostelSalvador MORRO DE SP Estadia: Pousada tranquila 110 o quarto com 4 e 3 lugares (negociado na hora), tivemos que mudar de quarto no meio da estadia. Pousada com ótimo custo x beneficio, fica na frente do mar na terceira praia (da pra ver o nascer do sol do quarto, se ficar no quarto de 4 pessoas). Pousada conta com bom café da manhã (com vista para o mar). Recomendo muito a estadia! http://bit.ly/PousadaTranquila TRANCOSO Estadia: Pousada campestre (150,00) - Café da manha MUITO bom, o melhor da viagem toda. Boa localização (bem perto do quadrado, 5minutos andando). Preço negociado na hora, quarto para 3. O preço para reserva era mais alto. http://bit.ly/pousadaCampestre CARAÍVA Estadia: Hostel Aruanda (40,00) - Se caraíva tem uma vibe FODA, o hostel aruanda tem ainda mais. Você vai ficar com saudades do hostel. É um estilo bem hostelzão mesmo, sem luxo. Fica próximo ao desembarque da travessia de barco. http://bit.ly/Aruanda_Hostel Estadia: Pousada da Angélica (170,00) - Preço negociado na hora, boa instalação, bom wifi. Preço de quarto para 3. Praticamente de frente pro muro “sorria, voce esta em caraiva” Não encontrei nem no booking e nem no air bnb ARRAIAL D’AJUDA Estadia: Pousada Mikaela. A dona é muito simpática e a pousada muito aconchegante. Fica bem localizada, a 7 minutos andando da rua “Brodway”. O café da manhã é muito bom, com tapiocas feitas na hora :9 http://bit.ly/Pousada_Mikaela Quem quiser ver fotos ou tirar duvidas, me chama no instagram @caioviniciusaleixo (lá eu fico mais atento as mensagens)
  7. Olá, pessoal! Quem aí vai pra Caraíva no final de setembro, avisa aqui nos comentários! Outra coisa, queria saber se nos arredores tem alguma trilha pra fazer? Abraços!
  8. Olá pessoal, sempre acompanho e uso o site antes de fazer alguma viagem, então resolvi postar sobre uma que fiz a Caraíva em Porto Seguro (BA). Espero que ajude! Caraíva é um vilarejo no extremo sul do município de Porto Seguro, muito conhecida por suas casinhas coloridas, o encontro do rio com o mar e pela atmosfera própria lá presente. Eu fui em Outubro de 2018 e escrevi tudo no meu blog: Informações sobre Caraíva (BA) Como Chegar em Caraíva (com fotos e preços) Onde comer em Caraíva (com fotos e preços) Mas vou fazer um resumo aqui. COMO CHEGAR: A partir do centro de Porto Seguro, deve-se atravessar o Rio Buranhém pela balsa com destino a Arraial d`Ajuda, essa travessia leva cerca de 10 minutos, funciona todos os dias, 24h e com saída a cada 30min, se houver lotação antes (ou a presença de uma ambulância/carro de polícia) ele sai antes. Custa R$4,50 (preço de não morador, a volta é grátis). Vou falar da ida em ônibus porque foi a que eu fiz. Talvez a forma mais cômoda e com certeza barata de chegar à vila. Quem faz o serviço é a empresa Viação Águia Azul. O micro-ônibus que eles utilizam para fazer a linha não é dos melhores (não vou mentir, meu assento não tinha nem cinto), mas cheguei vivo lá. A viagem é por grande parte em estrada de terra, subindo e descendo morro, passando por umas pontes bem estreitas, no total dura quase 3 horas e ele ainda faz algumas paradas, como em Arrial d`Ajuda, Trancoso, entrada do Teatro L’Occitane, Outeiro das Brisas e em algum lugar (que não faço ideia onde) para você ir ao banheiro, comer um café ou um biscoito. Horários de ida: 7:00h e 15:00h Horários de volta: 6:20h e 16:00h Preço: Balsa - Caraíva: R$20,00 / Arrial d`Ajuda - Caraíva: R$19,00 / Trancoso - Caraíva: R$17,00 Ao chegar no porto de Nova Caraíva você encontrará um caminho de pedras e no fim várias canoas a espera para fazer a travessia até o vilarejo. Logo no início deste caminho, a esquerda, existe um quiosque (ou um stand) de madeira, lá uma moça te recebe e pede uma contribuição de R$10,00 para manutenção da vila, eles mostram todo o orçamento já conquistado e onde o dinheiro foi aplicado, se quiser ajudar, doe, qualquer valor é bem vindo, mas isso é OPCIONAL. Você não deixará de entrar se não pagar, se não quiser é só passar direto, eu paguei os 10 golpes. No fim haverá uma tenda com vários caras, eles que farão a travessia com você. O custo é de R$5,00 por pessoa para cada trajeto, ida e volta. O tempo de espera depende, pode ser com muitas pessoas ou só você, depende deles. Se estiver com mala, coloque dentro, eles levam tudo. A travessia leva cerca de 5 minutos, bem rapidinho! A partir do momento que você chega, parece que toda a atmosfera muda, parece que aquela vila ficou alí parada no tempo, e interprete isso da melhor forma possível. Todas aquelas casinhas, na sua grande maioria de porta e janela ou meia morada emolduram e te dão as boas vindas. As ruas todas de areia, as árvores, o som do mar, o rio e aquelas pessoas, tudo harmonizam com o ideia de paraíso. Ao chegar, você estará na Av. dos Navegantes que é o Beira Rio, a partir daí já procure onde você vai se hospedar, tem uns totens que te indicam o caminho, ou então, é só perguntar a qualquer morador que eles te indicam. Se você chegou de manhã, um dos primeiros lugares que você pode ir é na Rua do Cruzeiro, uma das transversais que te leva do rio ao mar, é lá que está a famosa casinha que tem escrito “Sorria você está em Caraíva” que tooodo mundo tira foto, depois já escolhe para onde ir, ao mar ou ao rio. Ambos são lindos. De frente para a praia se vê à sua esquerda as falésias da praia do espelho, e à direita, a ponta do Corumbau, a água de ambos é extremamente azul e linda, porém a do mar para tomar banho é mais escura, porque é onde o rio deságua. No encontro do rio com o mar tem umas pedras, onde pode-se admirar todo esse paraíso. Outro lugar a se conhecer é o Quadrado de Caraíva. Lá está a Igreja de São Sebastião, a igrejinha matriz que segundo o IPHAN foi construída por volta do século XVI, algumas lojas a mais , bares e um lugar para forró. De modo geral, vale a pena se perder pelo vilarejo, cada ruazinha de areia é linda. A noite o point da vila deixa de ser a praia e passa a ser a Av. dos Navegantes, ou o Beira rio, onde estão a maioria dos bares e restaurantes de lá. Comida indígena, oriental, italiana, árabe, brasileira, sorveteria, lojinhas, tem um pouco de tudo. Alguns estabelecimentos já tem Wi-fi e quase todos aceitam cartão de crédito e débito, só depende do sinal de telefone, as vezes da uma falhada. Esses bares abrem umas 16h, para que as pessoas fiquem para ver o por do sol (lindo!) de lá, sentados ao lado do rio. Esse também é o ponto mais iluminado a noite de toda a vila, devido aos bares, todo esse trecho fica lindo a noite, tem um até que utiliza tochas de bambu, fica lindo. Junto com algumas opções de forró, o Beco da Lua (que fica fechado durante o dia) abre como mais uma opção de entretenimento. Com alguns bares, lanchonetes e um palco para show ao vivo, é lá que tem as casinhas cenográficas que todo mundo tira foto. ONDE COMER: Não imaginaria que uma vila tão pequena, com cerca de 600 habitantes fixos, poderia ter tantas opções para comer. Tudo muito arrumado e bonito, meio personalizado. Encontrei um pouco de tudo, árabe, japonês, indígena, brasileira, vegetariana... Uma das comidas mais tradicionais lá que eu pude perceber foi o pastel de arraia, servido com molho de pimenta, sai por menos de R$11,00 cada. Alguns botecos estão fechados na segunda-feira. Em relação ao pagamento, havia lido antes de ir que grande parte dos estabelecimentos não aceitava cartão, que seria bom levar dinheiro suficiente para os dias que passaria lá, mas o que encontrei foi o contrário, quase todos os lugares aceitava sim cartão (crédito e débito), mas como não existe sinal de telefone lá, depende do humor da internet para o mesmo passar, porém, não tive o menor problema, tudo certinho. Apenas um restaurante não aceitava, que era o Cantinho da Duca, onde se vende comida vegetariana, esse na verdade não tinha nem cardápio, era dito diariamente pela senhora que trabalha lá. ________________ Bom essas foram minhas impressões sobre Caraíva, caso queiram mais detalhes entrem lá no blog que tem mais coisa: EstandoPorAí.wordpress.com ou no instagram @daanielvalverde Qualquer dúvida podem perguntar
  9. Ola galera, sou o Rafael do site Follow the Portuga e estou deixando meu relato da bela cidade de Caraíva, para quem quiser ver mais fotos tenho o instagram @followtheportuga e o facebook Follow the Portuga. Caraíva é um paraíso baiano, disso não tenho duvidas, quando decidimos ir para o litoral marcamos vários lugares para conhecer, mas conforme íamos conhecendo as pessoas, todos nos recomendavam a ida a Caraíva. Assim, decidimos ir para lá, foram 14 horas de carro da Chapada Diamantina, pegamos uma estrada muito ruim nos seus últimos 30 km, quando era 22 horas da noite no meio do nada o carro atolou no meio do barro, a sorte foi que tinha outro carro atolado, assim ajudamos uma Doblo a sair do lamaçal, ai depois eles ajudaram a empurrar o Peguet, nem precisa dizer que ficamos com lama ate o joelho. Além disso, estávamos com o receio de não ter nenhum barqueiro fazendo a travessia já que era bem tarde já, mas tudo isso valeu a pena. rs Deixamos o carro em um estacionamento que cobrava 20 reais por dia, pegamos o barco que custa 05 reais por pessoa e finalmente havíamos chegado no paraíso desconhecido, CARAÍVA. A ideia inicial era se ficar apenas 02 dias, no máximo 03, no total foram 06, a única explicação viável para isso foi que existe um mosquito muito especifico na cidade, e quando ele te pica, você esta ferrado, só não ficamos mais porque meu amigo tinha data certa para voltar a trabalhar, senão poderíamos estar lá ate agora hehehe. Confira o relato completo: - Hospedagem Ficamos hospedados em um hostel que foi nossa melhor escolha, é uma casa muito acolhedora, com vários voluntários, deixando um clima muito legal, ali fizemos muitas amizades que fez total diferença na nossa estadia. O engraçado é que todo dia falávamos que no dia seguinte a gente iria embora, e quando chegava de manhã, sempre avisávamos que íamos ficar mais um dia, e a galera sempre dava risada. O lugar se chama Aruanda Hostel, o valor da diária ta 55 reais, mas pelo convívio com a turma, vale muita a pena. Queria contar essa história que foi muito legal para nós, a cidade praticamente só aceita dinheiro, como íamos passar apenas 02 dias, tínhamos dinheiro para isso, e não para 06 dias, no final além do Vitor, dono do hostel, ter feito um desconto, ele deixou a gente fazer um deposito na conta dele quando chegássemos em São Paulo, foi muito bacana da parte dele essa confiança. Claro que conseguimos falar com um amigo nosso de SP e ele fez a transferência ainda no mesmo dia, mas fica a historia de que ainda tem pessoas boas no mundo. - Transporte Infelizmente no Brasil o turismo não tem o investimento e a estrutura que merecem, geralmente se você não tiver um carro, você não conseguira chegar a lugar nenhum, só se estiver viajando de bike ou carona, pois se depender de transporte público dificilmente chegara aos lugares turísticos, ou então vai ter que depender de agências de viagem que vão cobrar o olho da cara e nem é em toda cidade que elas existem. O que posso recomendar é ter um carro, ou alugar um, pegar o mapa da cidade com os pontos de seu interesse e dirigir ate ele, aqui você já tem dicas dos principais pontos, jogue no google maps e vá. O paragrafo acima eu estou colocando em todos os posts, mas Caraíva é dos lugares que o carro não é tão necessário assim, a cidade não aceita carros, então você pode chegar de ônibus, pegar o barco e ficar por Caraíva, já que da para fazer tudo a pé. - Alimentação No centro da cidade tem alguns mercadinhos onde é possível comprar algumas coisas para cozinhar, os mercados são bem simples, mas tem o básico. Existem alguns restaurantes no centro, os preços são um pouco mais caros que o normal, porque a praia é bem turística, mas uma coisa que você precisa provar é o pastel de arraia. Famoso na área. - Segurança Caraíva é muito tranquila, você nem vê presença do governo na região, muito menos da policia, um lugar perfeito para se estar, andávamos de madrugada por lá, e nunca houve nenhum tipo de problema. - Passeios Por ser praia, a pegada é totalmente diferente dos destinos anteriores, ali era o lugar para relaxar e curtir, tivemos a sorte de encontrar com um casal de Espirito Santo que havíamos conhecido na Chapada Diamantina, um casal muito gente boa que foram bem parceiros com nós, então durante o dia ficávamos na praia, curtindo o sol, conversando e conhecendo pessoas, aproveitando toda a vibe do lugar, durante a noite sempre rolava um samba em algum canto, logo depois um forró pé descalço e na areia, era assim todos os dias, lá as casas se organizavam para receber o evento, então cada dia era em algum lugar, e somente um lugar abria, fazendo com que todos fossem para o mesmo local. Isso foi uma das coisas que não sabíamos, e que acabou nos fazendo ficar mais tempo, pois queríamos um pouco de diversão noturna, chegar de manhã no hostel, acordar tarde e passar o dia na praia de ressaca esperando a noite chegar hehehe. Nesse lugar conhecemos muitas pessoas que marcaram e que a amizade permanece ate hoje, apesar da distancia. Ponta do Corumbau: Esse é o único passeio que encontramos para fazer e o fizemos, você contrata um bug para te levar ate esse local, são quase 40 minutos ate chegar, é uma praia muito bonita, onde passamos o dia por lá, conhecemos uma tribo indígena que fica próximo ao local explorando o artesanato e no final da tarde retornamos para Caraíva, recomendo levar lanches e água, pois no local não tem lugar para comprar. O valor depende muito da oferta e demanda, em 04 pessoas ficou R$220,00. Se for em 02 pessoas, eles fazem um valor mais barato. Essa foi nossa passagem por Caraíva, íamos ficar menos dias para tentar aproveitar outras praias, ate ao Espirito Santo, mas esse lugar cativou e nada como não permanecer num lugar onde nos faz bem, não?! Com isso, fomos com o casal que conhecemos ate Vitória/ES, eles nos emprestaram um apartamento para ficarmos 2 dias, já que precisávamos arrumar o escapamento do carro e dar uma descansada, já que foram 05 dias de balada chegando de madrugada e estávamos exaustos já de enfrentar tanta estrada, depois dali fomos para o RJ onde ficamos na casa de uma amiga nossa, ate chegarmos a São Paulo, onde foi o fim da nossa viagem. Não farei relatos de nossa passagem por ES e RJ, porque não fizemos nada turístico, ficamos na casa de amigos, descansando e aproveitando para sair a noite para beber uma cerveja. Foram 25 dias de viagem, rodando 6.100km por esse lindo Brasil, foi uma ótima experiência, já que viajei de tudo que é jeito, mas de carro por tanto tempo foi a primeira, e a liberdade que você tem, é incrível. Follow me.
  10. Nessa virada de ano, decidi passar em 2 cidades que mexem demais comigo: Itacaré e Caraiva. A primeira eu ja conhecia, a segunda nao. Cheguei no aeroporto de Ilhéus as 2hrs (malditos horarios de promocoes de aviao) da manha com mais uma amiga, e de início iríamos dormir no aeroporto até dar a hora de pegarmos o primeiro onibus para itacaré. Porém, logo no desembarque, vi grupinhos de 4 pessoas se formando na porta e negociando com os taxistas uma corrida até itacaré por 100 reiais. Bastou eu falar propositalmente em voz alta com minha parceira de viagem "NOSSA, SERA QUE A GENTE CONSEGUE MAIS GENTE PRA DIVIDIR UM DESSES ATÉ ITACARÉ" que mais uma menina se aproximou para se juntar a nós. Saiu 33 reias para cada numa viagem de aproximadamente 40 minutos, com a vantagem que o taxi te deixa bem no meio de itacaré, enquanto o ônibus para de 100 em 100 metros pela estrada para embarque de pessoas (sem exageros) e só o taxi do areporto até a rodoviária, com horarios de hora em hora bem atrasados, custaria 25 reais. Achei um ótimo custo-beneficio. Aproveite quando desembarcar do aviao em ilheus, muitas pessoas estarao indo para Itacaré e voce podera fazer facilmente essa jogada. Fui a pe mesmo para minha pousada localizada perto da praia das conchas, o lugar mais divertido que encontrei em itacaré: o Navio Pousada Albergue Camping POP! É um lugar totalmente alternativo, com um ambiente muito acolhedor, as donas te tratam como filho e tudo é muito simples, porém caprichado! As refeicoes tem um preco bem justo, e o café por 8 reais para que esta no camping, sustenta uma boa parte do dia! Como falei, é um lugar SIMPLES, ALTERNATIVO, porém com um astral ótimo. Porém aconselho a quem estiver indo sozinho para ficar nos Albergues. Tem 3 excelentes por lá: Che Lagarto, o Pharol e o novíssimo El mist. O Che é famoso, tá sempre agitado e é onde as noites de itacaré geralmente se iniciam. O Pharol é mais barato que o che, e considero a estrutura dele melhor, uma graca de lugar e mais sossegado. Quanto ao El mist eu nao tenho mto o que dizer, ainda nao o conheco e ele é bem mais afastado que os outros, porém eu sempre ouco falar MUITO BEM dessa rede em cidades como Rio e buzios. Acho que vale a pena arriscar. Para casais, principalmente fora de temporada, vale chegar e dar uma olhada nas pousadas por la mesmo. Voce escolhe o lugar e precos com chances de sucesso bem maiores, dada a grande oferta da cidade.
×
×
  • Criar Novo...