Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros de Honra

Vou relatar aos amigos duas experiências terríveis que vivi no exterior: perder o passaporte. Quando isso acontece, você se sente impotente e tudo desmorona. Não existe mais ânimo para nada e tudo que você pensa é em seu passaporte e oque deverá fazer para continuar a viagem ou voltar para casa.

Na primeira ocorrência eu estava apenas começando meu tour pela Europa, onde visitaria 5 países, porém, logo no segundo o triste fato: me dei conta que meu passaporte havia desaparecido.

Era ainda ‘recruta’ em viagens e por descuido eu deixei momentaneamente o passaporte no bolso traseiro da calça: um erro banal que facilitou a ação dos ‘bate carteiras’, também chamados de ‘pickpockets’, que agiam em Las Ramblas, uma avenida muito famosa de Barcelona (Espanha), que por sinal é grande centro de compras e também com altos índices de furtos a turistas.

A subtração do meu querido documento aconteceu na manhã de sábado e eu tinha voo para Paris ao meio dia de segunda-feira. Entrei em desespero e praticamente perdi toda empolgação da viagem. Como eu estava acompanhado de mais dois amigos, não era justo estragar a viagem deles, por isso eu me separei e enquanto eles faziam visitação aos pontos turísticos eu procurava o passaporte em departamentos de polícia e pontos de achados e perdidos.

Chegue a ir ao Consulado, onde fui muito mal atendido. O atendente disse que eu precisava fazer o agendamento do atendimento pela internet e que eu teria que fazer o boletim de ocorrência e esperar quase uma semana para ser atendido: um absurdo. Liguei para a operadora de seguro, que me orientou a fazer o boletim de ocorrência, cancelar o passaporte e solicitar o seguro disponível, no valor de 3 mil euros.

 Mas nesse caso, todos os outros trechos (aéreo e ferroviário) já pagos seriam perdidos e eu teria que fazer um único voo de volta para o Brasil. Ou seja, como eu estava praticamente no início da viagem, seria o fim de meus planos de conhecer a Europa.

Tomei uma decisão difícil, que foi de NÃO CANCELAR o passaporte e aguardar até  a segunda-feira, para ver se o encontrava. No hotel, meus amigos conferiam fotos dos pontos turísticos visitados e à noite curtiam baladas no estilo ‘Pub Crawl’ ou maratona de bares, que é uma rota criada para os turistas conhecerem os melhores pubs e bares da cidade.

Também conhecido como “Tour de Bares”, o Pub Crawl é muito popular na Europa e oferece a oportunidade de você conhecer várias boates em uma única noite. E enquanto eles se divertiam eu permanecia hibernado no hotel, onde me contorcia de preocupação.

Chegou a segunda-feira e eu acabei me separando de vez dos meus parceiros de viagem. Precisei deixar o hotel e também perdi o voo para Paris. Passei a vagar pela cidade, carregando duas mochilas, sendo uma já bem carregada com alguns litros de vinho do Porto, adquiridos no primeiro país visitado.

Já no início da tarde, voltei ao posto policial de Las Ramblas, onde já tinha até uma certa familiaridade devido minhas insistentes visitas. Diferente das outras vezes, um policial me orientou a seguir até uma praça (Pça S. Paulo nº 10), onde existe uma central de ‘achados e perdidos’. Ao chegar no estabelecimento fui muito bem atendido por uma senhora de óculos, que usava um vestido azul, já de idade bem avançada. Perguntei se eles haviam encontrado meu passaporte e ela fez uma rápida checagem em seu sistema e, na sequência, entrou em uma sala. Ao retornar disse uma frase que jamais me esquecerei: “Ah sí. Hay un pasaporte a su nombre”.

E lá estava ele. Amassado, surrado, parecia que um trator havia passado várias vezes sobre ele. O dinheiro e um cartão de crédito que estavam no interior não foram localizados. Óbvio que os ladrões não seriam bonzinhos a esse ponto. 

Aquele foi o momento mais feliz de toda viagem e imortalizei o momento em duas fotos, que mostram bem o estado crítico que meu passaporte foi encontrado (fotos abaixo). 

Como eu já havia perdido o voo para Paris, fui até a estação ferroviária e comprei uma viagem de trem até Paris, um trecho que foi sumariamente interrompido na cidade de Cèrbere. Já era noite quando policiais armados invadiram o trem e mandaram todo mundo descer. A fronteira local acabava de ser fechada. Eu começava a achar que não era mesmo para eu continuar a viagem. Mas esse foi outro drama que eu conto em outra oportunidade.

Enfim, fui forçado a descer do trem e junto de outros viajantes de diversas nacionalidades pegamos um taxi, que nos levou por uma estrada de terra até chegar em outra estação férrea.  

Embarquei em outro trem e cheguei em Paris por volta das 8 ou 9 da manhã. Tomei um cappuccino e fui até o hotel, em Pigalle, um bairro super boêmio, bem em frente do Moulin Rouge, exatamente o hotel que eu havia reservado com meus amigos, que já estavam visitando a cidade.

Dei umas voltas pela região e logo depois do almoço acabei os reencontrando. Foi uma grande alegria e, juntos, continuamos a viagem.

 

O segundo caso de perda (ou furto) de passaporte aconteceu em New Jersey, nos Estados Unidos. Eu fazia compras no shopping de mesmo nome da cidade e em certo momento dei conta que meu passaporte, que no ano anterior havia sido recuperado na Espanha, tinha desaparecido novamente. O terror voltava a tomar conta de outra viagem, sumariamente interrompida por puro descuido e falta de responsabilidade com único documento que garante o livre acesso do viajante no exterior e também seu retorno para casa.

Mais uma vez tudo desmoronava, principalmente porque meu retorno para o Brasil deveria acontecer em 3 dias. Procurei o ‘achados e perdidos’ e a negativa me trouxe ainda mais desespero. Retornei para o hotel e aguardei até o dia seguinte, quando fui novamente ao shopping. E nada do meu passaporte. Sem outra opção, fui até o Consulado Brasileiro e, diferente do atendimento recebido em Barcelona, fui tratado com total atenção e prioridade. Preenchi o formulário DS-64 e me pediram um documento de identificação autenticado; que me foi enviado do Brasil por email. Precisei pagar uma taxa em forma de cheque administrativo. Também pediram uma foto com fundo branco e tamanho 2x2 polegadas (5x5cm), e do Boletim de Ocorrência de perda. De posse destes documentos solicitei um passaporte de emergência (que tem validade de apenas 1 ano). No dia seguinte à solicitação meu passaporte já estava pronto e pude voltar ao Brasil.

Vale acrescentar que, se o viajante não conseguir emitir o passaporte há tempo, também existe a possibilidade de solicitar uma ARB (autorização de retorno ao Brasil) em vez de passaporte. A ARB é um documento mais simples, que poderá ser utilizado apenas uma vez, para uma viagem de retorno ao Brasil.

Estas tristes experiências aconteceram quando eu era um ‘bisonho aprendiz’ de viajante. Avoado, não tinha cuidado com o documento mais importante do viajante e bem por conta disso sofri as consequências e paguei o alto preço deste descuido.

E depois destas tristes fatos, aprendi a carregar uma doleira sempre colada ao corpo e meu passaporte nunca mais saiu de dentro dela. Hoje estou em meu sexto passaporte, mas tenho muita saudade daquele azulzinho que sobreviveu ao furto de Barcelona, votou surrado ao Brasil, mas que não teve a mesma sorte nos Estados Unidos.

Depois de alguns anos e quase 100 países visitados, nunca mais perdi o meu querido e amado passaporte. Aprendi com meu erro!!!  Fica a dica!

 

Achei passaporte.JPG

passaporte achado.jpg

  • Gostei! 4
Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Também já tive a infeliz experiência de ficar sem  o documento numa viagem ao exterior.

No caso tive meu RG furtado na primeira viagem para a América do Sul. 

Meu passaporte estava vencido na ocasião e como era uma viagem pelo Chile decidi ir com o RG mesmo, o roteiro seria Santiago e posteriormente a região dos lagos em Puerto Varas.

Num dos 3 primeiros dias da viagem (não lembro muito bem), fui conhecer o valle nevado. Estavamos viajando 4 amigos e eu. 

Chegando no Valle Nevado, aluguei um armário para deixar as coisas , tinha uma carteira normal, mas para passeios levava uma carteira dessas bem pequenas só com o RG , cartão de crédito e parte do dinheiro(o resto tinha deixado em Santiago), eram o equivalente a uns 100 dolares em pesos chilenos

Ao abrir o armário a primeira coisa que fiz foi tirar a carteira do bolso e colocar no armário (o grande erro), e depois fui colocando o resto das coisas.

Aproveitei o dia como nunca, e ao voltar para ir embora já no final da tarde, voltei ao armário e peguei as coisas de volta. Ai foi meu erro, como a carteira era pequena e foi a primeira coisa que coloquei, ela ficou no fundo do armário, ao tirar todo o resto acabei não me ligando na carteira.

E aí voltamos até o estacionamento para pegar a van de volta a Santiago, logo dentro da van já percebi que estava sem a carteira, procurei dentro da van, da minha mochila e dos colegas (vai que eu tinha dado pra alguem guardar e não lembrava né), porém nada.

Isso eu tinha saído do vestiário há uns 20-30 minutos, na hora corri de volta ao vestiário e NADA! Falei com funcionários no entorno e ninguem tinha visto nada. Meu mundo desabou na hora. Claramente tinha sido furtado por alguem que estava no vestiário

Voltei até santiago cabisbaixo, no dia seguinte começaria a saga de como iríamos fazer para seguir a viagem.

O planejado era seguir até Puerto Varas de onibus, porém sem RG eu não conseguiria embarcar, logo tirei o dia para resolver isso. Tive que ir na delegacia fazer BO, fui muito mal tratado e fiquei horas naquele lugar até conseguir fazer a papelada de perda/furto. depois na embaixada brasileira onde informaram que o passaporte não ficaria pronto a tempo, e a permissão para voltar demoraria menos, porém também não teria como seguir para a patagônia com ele apenas.

FO**, o plano da viagem mudou tudo porque eu tinha perdido o RG, todo mundo do grupo "entendeu" a situação mas ficou aquele clima chato que eu tinha estragado a viagem.

Decidimos ficar pela região de Santiago mesmo, conhecendo viña, valparaiso , algarrobo e fomos skiar outros dias...

TODOS os dias ligava ao valle nevado pela esperança de pelo menos o rg aparecer. porém nada.

voltei ao brasil com a permissão de retorno. pelo menos como tinha uma carteira principal, o grosso do dinheiro estava lá e além disso a embaixada pediu outros documentos que eu tinha na carteira (tipo cpf e cnh essas coisas). Senão teria que correr atrás de cópias autenticadas vindas do brasil

 

Depois disso passei a ser totalmente neurótico com o passaporte ou outro documento, no ponto de deixar ele trancado no hotel para não correr o risco de sair e perder ele pela cidade. Até que uma vez eu estava em Berlin, e era meu primeiro dia na cidade, portanto estava com o passaporte em mãos, porque iria trocar dinheiro e geralmente as casas de cambio pedem o passaporte. Como falei até então sempre deixava ele no hotel.

2 pessoas que estavam a paisana perto da catedral de berlim, chegaram perto de mim, se identificaram como policias e pediram o documento. Por sorte estava com o passaporte no dia, porque senão imagina o BO que seria falar que estava sem documento, com certeza daria uma dor de cabeça. Depois desse dia passei a carregar o passaporte também, porém sempre na doleira, onde fico colocando a mão a cada 5 min para ter certeza que o passaporte está la hahaha

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra
3 horas atrás, FCRO disse:

"fico colocando a mão a cada 5 min para ter certeza que o passaporte está la hahaha....." 

 

Putzz...  Sempre faço isso também!  O pior que a gente tem absoluta certeza que o passaporte está lá na doleira, mas sempre damos aquela conferida né? kkkkkkkkkkkkkkkkkkkk 

E o que mais me deixa indignado na história é você estar em uma situação de desespero e ainda ser mal atendido no consulado.  PQP

 



 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por ALIRIO GABRIEL
      OLÁ, MEU PASSAPORTE FORA CARIMBADO NO DIA 08-10-19 (MADRID), ATUALMENTE ESTOU EM PORTUGAL, PORÉM SURGIU UMA OPORTUNIDADE RELACIONADA A UMA VIAGEM PARA PARTICIPAR DE UM EVENTO EM MOÇAMBIQUE, EVENTE ESTE COM DURACAO DE 4 DIAS, NO ENTANTO PRETENDO VOLTAR PARA PORTUGAL. MEU VISTO É DE TURISMO (90 DIAS). ISTO É POSSÍVEL OU O CARIMBO É DE ENTRADA UNICA ?  

      (MEU CARIMBO TEM A DATA E EM SEGUIDA UM PEQUENO ESPACAMENTO COM UMA NUMERAÇÃO 07)
    • Por gabrielzucchi
      Fala galera!
      Então, em novembro irei para a Europa e a Jordânia, em uma viagem só. Comprei o visto da Jordânia utilizando o número de passaporte brasileiro, mas estava planejando entrar na europa com o passaporte italiano que eu tenho (e consequentemente sair da europa também com ele). Será que haveria problema sair da europa com o italiano e entrar na Jordânia com o brasileiro? Porque não haveria nenhum carimbo de entrada na europa no meu passaporte brasileiro, essa é minha dúvida.
       
      Valeu!
    • Por arturfdo
      Minha esposa alterou o nome após o casamento e com isso alterou o nome que consta no CPF, CNH e RG. O passaporte continua com nome de solteira, ainda é válido e a passagem foi emitida com nome de solteira também. Até aí, pelo o que venho lendo, não teria problema para sair do Brasil, certo? O ponto é que o título de eleitor dela, que constava nome de solteira, foi cancelado, pois na cidade dela em MG era obrigatório cadastro biométrico e não sabíamos. Ela teve que emitir um novo título eleitoral recentemente, agora em SP, já aproveitou e colocou o nome de casada igual todos demais documentos (exceto passaporte). Ele veio com outro numeração. Quando ela emitiu o passaporte atual dela, com nome de solteira ainda, ele estava atrelado ao título de eleitor antigo que foi cancelado.
      Será que ela poderia ter algum problema pra sair do Brasil?
       
      obrigado!
      abs
    • Por Abextado
      Pessoal, se eu for de São Paulo para Montevideo de ônibus, em algum momento meu passaporte será carimbado, ou isso só ocorrerá se eu for de avião? Obrigado!
    • Por Marco A. Pinto
      Boa tarde pessoal.
      Eu tenho dupla cidadania e portanto dois passaportes e preciso usar os dois na minha próxima viajem. O meu nome completo está correcto nos dois passaporte, mas existe uma diferença na divisão de nomes e sobrenomes.
      Por exemplo. Nome Completo: João Manuel da Silva Couto
      Passaporte 1: Nome: João Manuel           Sobrenome: da Silva Couto
      Passaporte 2: Nome: João Manuel da Silva           Sobrenome: Couto
      Essa diferença pode me causar problemas com passagens aéreas e migração ?
      Obrigado.
×
×
  • Criar Novo...