Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

Pessoal, boa tarde.

Poderiam me ajudar com alguns esclarecimentos?

Meus Tataravós(falecidos 1928) por parte paterna, vieram da Alemanha - Tiveram meu bisavô(falecido 1948) - meu bisavô teve minha vó(falecida 1954) - minha vó teve o meu Pai(vivo) e por último Eu que gostaria de verificar se tenho direito a dupla cidadania.

 

Com essa breve linhagem, eu poderia solicitar a dupla cidadania? Talvez pedindo para o meu pai primeiro seja possível, e meu pai passaria para mim.

 

Poderiam me ajudar com essa dúvida ?

 

Att Davi Machado

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
Em 13/04/2021 em 17:14, Davi Machado disse:

meu bisavô teve minha vó(falecida 1954)

A cidadania alemã é somente por linha paterna, ou seja, o direito a cidadania alemã terminou na sua avó.

Em 13/04/2021 em 17:14, Davi Machado disse:

Meus Tataravós(falecidos 1928) por parte paterna, vieram da Alemanha

Se ele faleceram em 1928, provavelmente vieram para o Brasil antes de 1908, acontece que até 1908, se não me engano, quem imigrava para outros países era obrigado a se registrar no consulado alemão a cada 1 ou 2 anos, e dos alemães que emigram para o Brasil antes de 1908, praticamente ninguém se registrou no consulado, e todo mundo perdeu o direito a cidadania alemã.

Ou seja, muito provavelmente o direito a cidadania já tinha sido perdido pelo seus tataravós por não terem se registrado no consulado alemão. 

Em 13/04/2021 em 17:14, Davi Machado disse:

Com essa breve linhagem, eu poderia solicitar a dupla cidadania? Talvez pedindo para o meu pai primeiro seja possível, e meu pai passaria para mim.

A princípio não.

Mas se você realmente tiver interesse, e estiver disposto a investir uma quantia de tempo e dinheiro considerável para juntar toda a documentação dos seus antepassados (precisa dos documentos de todos até o seu tataravós, documentos estes que muitas vezes já se perderam), eu recomendo entrar em contato com um advogado ou pessoa que trabalhe com processos de cidadania para que ele avalie o seu caso e veja se você por acaso não se enquadraria em alguma exceção.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 semanas depois...
  • Membros
Em 16/04/2021 em 12:05, ALB disse:

Mas se você realmente tiver interesse, e estiver disposto a investir uma quantia de tempo e dinheiro considerável para juntar toda a documentação dos seus antepassados (precisa dos documentos de todos até o seu tataravós, documentos estes que muitas vezes já se perderam), eu recomendo entrar em contato com um advogado ou pessoa que trabalhe com processos de cidadania para que ele avalie o seu caso e veja se você por acaso não se enquadraria em alguma exceção.

Sinceramente? eu não perderia tempo. Meus avós nasceram no que é agora a Eslovenia, mas quando eles vieram pra cá, o país estava so dominação italiana (por volta de 1927) e meu avô constava como italiano e o advogado nos convenceu que seria fácil de obter a cidadania, inclusive mudamos o sobrenome que foi abrasileirado na chegada dele no BR, foi uma grana investida, e no fim vieram nos dizer, veja só, não acharam o lugar que ele havia nascido, pois o  Ranziano daquela época agora se chama Renče... o que alias nós sabiamos visto que não perdemos contato com a familia por um tempo, mas fomos levados pela lábia do advogado.. melhor procurar o consulado que se tu não puder fazer, já te cortam direto. (melhor assim do que ter pagar pra não conseguir nada)

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

A cidadania alemã. austríaca, tcheca, eslovena, etc, são algumas das mais complicadas de se conseguir, existem muitas regras e leis que deixam o processo praticamente impossível de conseguir para quem veio ao Brasil antes da 2ª Guerra Mundial( 1945), então o pessoal que vivia na região de fronteira com a Itália quase sempre tenta conseguir a cidadania via Itália, por que o processo italiano é muuuuito mais fácil.

 Mas em se tratando de regiões de fronteira, que foram alvo de ocupação estrangeira, sempre é um processo complicado, pois há muitas divergências quanto ao status destas regiões durante este período. 

Por exemplo, a Itália atualmente fala que a região não fazia parte do território dela por era somente um território esloveno ocupado, mas a Eslovênia tb fala que não fazia do território dela por que era região ocupada pela Itália, e você fica travado no meio deste empurra-empurra.

Mas concordo que é uma grana significativa que você tem que investir neste processo e dar um nada, principalmente se pegar um advogado meio desonesto, ou então você ficar eternamente esperando o consulado responder se não tiver ninguém para "mexer" os pauzinhos por você lá dentro, então só vale a pena investir tempo e dinheiro nisto se você tiver bastante certeza de que vai certo.

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

E veja você, os meus primos ainda me levaram em Nova Gorica para pegar o registro de meu avô, tudo certo, nascido em Renče, e mandei pro consulado que por sua vez mandou para Eslovenia, e eles ainda me responderam que está faltando a nacionalidade de meu avô... daí não dá pra entender.. 🤣

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...