Relatos de viagens pela Bolívia



#1094269 por morganriva
01 Jun 2015, 23:44
DIA 3 - SUCRE | La ciudad blanca

Acordei cedo mas nem tanto, 9h. Esse foi o dia em que eu acordei MAIS TARDE em toda a viagem.
Havia já me programado já para fazer um walking tour organizado pelo hostel, que começava às 10h. O preço era módico, de 10Bs., segundo eles destinados às crianças pobres dos subúrbios de Sucre. Sabe-se lá.

Tomei café da manhã e antes de sair para o walking tour fui procurar por uma casa de câmbio, porque estava quase sem bols. Perguntei na recepção e me disseram que havia diversas próximas ao Mercado Central. Fui para lá e de fato havia muitos câmbios, todos os que eu vi por 6,93Bs. Troquei logo US$400,00.

Voltei para o hostel correndo porque o grupo já estava quase saindo. Era um grupo bem grande, cerca de 20 pessoas, só eu de brasileiro.
A primeira parada foi na Iglesia de San Lazaro, a mais antiga da Bolívia, construída em 1538.
Depois subimos a Calle Calvo em direção ao Mirador de La Recoleta, o local com a melhor vista do centro histórico de Sucre.
Ficamos um tempo por lá (descansando, porque a subida é bem íngreme) e depois saímos para caminhar pelas ruas próximas. Passamos pelas ruas Gato Blanco, Gato Negro, Gato Pendenciero... não entendi muito bem o porquê de tantos gatos porque o inglês do guia era um tanto precário e tinha muita gente, mas parece que tinha alguma coisa a ver com as moças solteiras daquelas ruas que tinham gatos (?) e tal. [insira uma explicação melhor aqui]. Passamos também por uma rua supostamente mal assombrada, mas que de dia parecia bem bonitinha.

A próxima parada foi no Mercado Central. É um mercadão mesmo, que tem de tudo. Desde frutas até perfume paraguaio. Provamos umas frutas diferentes nas barraquinhas de hortifruti e depois entramos no mercado em si.

GENTE.

Tem açougue lá.

...

Depois daquele dia não deu mais a menor vontade de comer carne na Bolívia (mentira, comi horas depois). Não tem refrigeração nenhuma, a tia não usa luva, a carne fica exposta no balcão com azulejo lascado, mosca pousando, cachorro passando, pomba voando. SIM, POMBA VOANDO. Eu juro que em cima do "açougue" (o termo em espanhol, carniceria, cabe bem melhor) tinha um ninho de pombas. :oops:

IMG_20150427_123502.jpg
Açougue dentro dos Padrões Sanitários Bolivianos
IMG_20150427_123502.jpg (844.26 KiB) Exibido 1864 vezes


E do lado dessa carniceria tinha uma barraquinha de hamburguer. Os gringos, claro, se atracaram no sanduba, que era megabarato (algo como 7Bs.). Pode me chamar de fresco, mas eu é que não ia comer lá não. Não comi nada dessas coisas da rua e já passei mal (mais a frente), que dirá se tivesse comido.

threw up.gif
Eu vendo os gringo comerem o sandubão
threw up.gif (476.75 KiB) Exibido 1864 vezes


Depois do Mercado, caminhamos até a Plaza Central, onde terminamos o tour. Ao todo foi cerca de 1h30 ou 2h.

Voltamos juntos para o hostel e depois saí para almoçar (sozinho :cry: ).

Almocei no Joy Ride Café (site: http://www.joyridebol.com/), um restaurante bem pra gringo (cujo slogan é "no solo para gringos", ou seja, só vai gringo rs) que eu vi no meu guia. O menu é gigante, tem todos os tipos de comida, de todas as partes do mundo, mas decidi comer algo boliviano. Pedi um prato chamado "Brocheta", uma espécie de espeto de carne, similar aos "anticuchos" peruanos, com papas fritas. O prato era bem apresentado, mas achei bem mais ou menos. A carne era dura (embora não fosse de coração como os anticuchos peruanos) e o molho tinha um gosto estranho. Enfim.

IMG_20150427_152815.jpg
"Brocheta" no Joy Ride Café. Gostei não...
IMG_20150427_152815.jpg (811.8 KiB) Exibido 1864 vezes


Depois de almoçar decidi ir em busca da passagem de ônibus para Uyuni para o dia seguinte. Queria comprar a passagem direta, sem ter que trocar de ônibus/estação em Potosí, que sai às 9h da manhã de Sucre. Havia lido aqui no mochileiros.com que poderia comprar na Expedia Travel, que fica junto ao Mercado Central. Também é possível comprar diretamente com a empresa, 6 de Octubre, mas o escritório fica na Terminal de Buses, que é afastada do centro de Sucre. Fiquei com medo de deixar para comprar na hora e não ter mais lugares. Paguei 85Bs. No fim das contas, no dia seguinte, o ônibus saiu quase vazio e a passagem no terminal custava 60Bs. Fazer o quê...

Dei um tempo no hostel e por volta das 17h saí caminhando para o Mirador de la Recoleta. Sentei em uma mesa externa do bar e fiquei lendo meu livro com a bela vista da cidade de Sucre. Tomei uma Paceña e comi uma panqueca de frutas (eu sei, combinação estranha rs). Quando estava quase anoitecendo voltei para o hostel, parando no caminho para comprar uns snacks para a viagem do dia seguinte.

Como eu disse antes, todas as noites no Kultur Berlin têm uma festa, e ela é sempre temática. Segunda-feira era a noite mexicana e tinha comida mexicana liberada por 45Bs. Dei uma olhada na mesa do buffet, que parecia bem atraente, e decidi arriscar. Enchi meu prato e tava comendo bem de boa, até que cheguei no pimentão recheado. Veja bem. Não era um pimentão. Era uma pimenta GIGANTE recheada com carne moída. Eu já tinha comido o "rocoto relleno" no Peru e adorado, mas pra esse eu não estava preparado, jurava que era só um pimentão inofensivo. Quase morri. E tenho a sutil impressão que foi essa comida mexicana que me fazer passar alguns dias de rei nas semanas seguintes :/

spicy.gif
Eu quando descobri que o pimentão era apimentado
spicy.gif (1.91 MiB) Exibido 1864 vezes


Depois de recuperar minhas faculdades físicas e mentais, fiquei mais um tempo no pátio com um casal de ingleses que eu tinha conhecido pela manhã no walking tour, o Sam e a Jenna. Eles estavam viajando há poucos dias, mas iam viajar pelo mundo por pelo menos mais um ano. Inveja². Tipo, agora eles estão viajando. E eu aqui.
Na verdade, conhecer esse pessoal que largou tudo - emprego, família, casa, cachorro, papagaio - e partiu sem rumo pelo mundo é muito inspirador, pelo menos pra mim. Anotem aí. Antes dos 30 eu faço isso. ANOTEM E COBREM, PFVR!!!

Fui dormir não-lembro-que-hora. No dia seguinte, acordar cedo e partir para UYUNI!!!!!

GASTOS:
Almoço: 55Bs., com propina
Passagem p/ Uyuni: 85Bs.
Comida na Recoleta: 45Bs.
Gorro: 20Bs.
Snacks: 8Bs.
Comida Mexicana: 45Bs.
Creme Labial: 7Bs.
Paceñas: 25Bs.


Studio_20150503_211910.jpg
Iglesia de San Lazaro
Studio_20150503_211910.jpg (5.53 MiB) Exibido 1864 vezes


IMG_20150427_152313.jpg
Calle Gato Blanco, que fica perto da Calle Gato Negro
IMG_20150427_152313.jpg (1.04 MiB) Exibido 1864 vezes


IMG_20150427_132628.jpg
A rua supostamente mal assombrada. À noite, talvez?
IMG_20150427_132628.jpg (1009.94 KiB) Exibido 1864 vezes


DSC_0086.jpg
Sucre, vista do Mirador Recoleta
DSC_0086.jpg (6.54 MiB) Exibido 1864 vezes


DSC_0089.jpg
Sucre, rua próxima ao Mirador (adoro essa foto, sintetiza bem a vibe da cidade)
DSC_0089.jpg (10.79 MiB) Exibido 1864 vezes


IMG_20150427_180558.jpg
Deboas na Recoleta
IMG_20150427_180558.jpg (1.02 MiB) Exibido 1864 vezes
Editado pela última vez por morganriva em 02 Jun 2015, 00:20, em um total de 2 vezes.
#1094276 por morganriva
01 Jun 2015, 23:52
Alan.Pereira escreveu:Belo Relato, estou querendo ir em Novembro.
Mais quanto mais leio sobre a Bolívia mais acho que ela merece uma atenção especial e uns 15 dias de viagem só por ela!

Acompanhando...


Valeu, Alan!
De fato, eu fiquei 22 dias e com certeza poderia ter ficado muito mais, tem muitos lugares pra conhecer que poucos brasileiros vão, como por exemplo a região Amazônica. Vale a pena reservar um tempinho extra na Bolívia, sem dúvidas!
#1094545 por juliad
02 Jun 2015, 23:17
adorei a foto que adoraste. realmente, dá pra se sentir na cidade...=))
#1094584 por morganriva
03 Jun 2015, 02:02
DIA 4 - SUCRE - UYUNI | Piolho, barraco & "banheiro"

Nesse dia meu ônibus para Uyuni partiria às 9h30, então acordei às 7h30, tomei um banho, arrumei minha mochila silenciosamente pra não acordar os coleguinhas e fui tomar café da manhã. Fiz check-out e antes das 8h30 já estava na rua para pegar um táxi. Parei o primeiro que passou e perguntei quanto custava até o terminal de ônibus. Ele me disse que custava 5 bolivianos. Achei que tivesse entendido errado, mas entrei no táxi mesmo assim. Talvez fosse 15, ou então o caminho era mais curto do que eu imaginava. Na verdade o percurso levou uns 15 minutos, e quando chegamos perguntei de novo o preço. "5 bolivianos". OK... Povo, muito barato! 5 bolivianos são R$2,00!!! Por uma corrida de 15min! Em POA já daria R$30,00! Tá certo que a gasolina lá é mais barata do que aqui (porque é altamente subsidiada), mas não justifica.

Enfim.
Entrei no terminal e fui procurar o guichê da 6 de Octubre. Não foi difícil, fica bem na entrada. Troquei o voucher que me deram na agência pela passagem de fato e constatei que havia pago 25Bs. pelo serviço.

IMG_20150428_101221.jpg
Eu paguei 85Bs. Opa pera...
IMG_20150428_101221.jpg (862.55 KiB) Exibido 1735 vezes


Daí fui para frente do box de onde sairia o ônibus. Eram ainda 8h30, então teria que esperar lá por 1h ainda...
O terminal de Sucre é bem antigo e precário, parece que parou no tempo. Me sentia nos anos 70.

Importante: antes de embarcar deve-se pagar uma taxa de 2,50Bs. (varia de terminal para terminal) referente ao uso da rodoviária. Isso existe no mundo todo, só que em geral já está incluído no preço da passagem. Mas na Bolívia e no Peru funciona desse jeito.

O ônibus chegou um pouco atrasado, já eram 9h40. Ele era razoavelmente novo e os bancos eram relativamente confortáveis, embora tivessem um cheirão de mofo. Na lataria do ônibus tinha uma "arte" intrigante, que eu adoraria se alguém me ajudasse a entender:

IMG_20150428_102012.jpg
"Sucre de mis amores". Alguém me explica o soldadinho pfvr?
IMG_20150428_102012.jpg (1008.17 KiB) Exibido 1735 vezes



Bom. Entrei no ônibus, me acomodei confortavelmente no meu assento (se é que isso é possível, porque eu tenho 1,90m e não me acomodo confortavelmente em transporte público nenhum do mundo) e esperei o busu partir. Quando eram 9h50 e o motora enfim ligou o motor chegou correndo um cidadão gritando:

(imaginem em espanhol)
Cidadão: ''É o ônibus pra Potosí??!!"
Motorista: ''Sim!"
Cidadão: "Belê, tenho 3 passagens!"
Motorista: "Entra ae."

Bom, nesse momento fiquei indignado, porque aparentemente o ônibus passaria em Potosí, e eu tinha comprado uma passagem DIRETA.
Mas a minha indignação foi substituída rapidiiiinho, porque o cidadão das 3 PASSAGENS entrou no ônibus, seguido pela mulher, 3 FILHOS e, claro, um gato. Sim, um gato. Numa caixa, mas era um gato. Nada contra gatos, até gosto, mas então compra uma passagem pro bichano! E pelo menos duas pros barrigudinho! Ainda bem que o ônibus não estava cheio.

Bom. Os SEIS se acomodaram CONFORTAVELMENTE nos seus TRÊS assentos logo na minha frente e o ônibus partiu (às 9h55).

Uns quilômetros depois, ainda antes de sair da zona urbana de Sucre, o bus parou no posto de gasolina para abastecer (???). Como se já não estivesse atrasado. Mas confesso que eu não me surpreendi.
Nesse momento, enquanto esperávamos no posto, percebi um movimento estranho no assento da frente, onde estavam sentados o cidadão e uma das filhas. Parecia que ele estava catando piolho da cabeça da menina. Me aproximei e observei pela fresta entre os bancos e percebi que, sim, ELE ESTAVA CATANDO PIOLHO DA CABEÇA DA MENINA!!! Paaaaaaara esse ônibuuuuuuus!!!!!! (opa já tava parado). O cara fuçava no cabelo, pegava um piolhinho, espremia, jogava no canto. Pegava outro piolhinho, espremia, jogava no canto. Coisa linda essa demonstração de afeto entre pai e filha. Minha cabeça já tava coçando só de ver. Era SOL que me faltava pegar piolho na Bolívia. Nunca tive piolho na vida, nem quando dava infestação no colégio, será que ia ser agora?? Enfim. Pra concluir o "tratamento", claro, o pinta passou um pente fino na cabeça da pirralha. Gente. Eu ria pra não chorar. Não acreditam? Pois bem, eu filmei:

phpBB [video]


Depois disso a menina pegou no sono, o cara botou ela de lado e eu enfim consegui esquecer os piolhos que saltitavam por aquele ônibus.

No caminho até Potosí entraram algumas pessoas, algumas desceram, mais algumas entraram... Nada do meu conceito de ÔNIBUS DIRETO.

Quando chegamos em Potosí, em uma rua qualquer dos arredores da cidade, o ônibus parou, o motorista desceu, abriu a porta dos passageiros e gritou que quem ia pra Potosí poderia descer ali.

PRA QUÊ.

O moço do piolho se emputeceu. Começou a gritar com o motorista dizendo que tinha comprado passagem até o terminal de Potosí, que aquele não era o terminal, que ele só ia descer no terminal, que ia chamar a polícia etc etc etc etc.

Uma hora ele gritou:
"Eu comprei 3 passagens!!!! Tenho direito!!!"
OK parça tu compro 3 passagens pra 6 seres vivo troca o argumento que esse não tá bom não

Alguns turistas que iam descer em Potosí não estavam entendendo nada da zoeira. Aí um dos turistas entendeu o que tava rolando e se enfureceu também, começou a xingar o motorista de tudo que era nome. Os dois, na verdade, em coro. Não entendi quase nada, mas aparentemente em espanhol tem alguma coisa com a expressão "la torre" que não quer dizer boa coisa. Foi "la torre" pra tudo que era lado. Barraco, amiguinhos, barraco.


Barraco.gif
Assim que tava o busu
Barraco.gif (7.42 MiB) Exibido 1735 vezes



Enfim o cidadão do piolho cumpriu a promessa, pegou o celular de um outro passageiro e ligou pra polícia. Quando ele começou a explicar a situação pra pessoa do outro lado da linha o motorista ligou o ônibus e partiu, aí ele disse que "aparentemente a situação estava resolvida" e desligou. No fim das contas fomos para a estação de buses de Potosí. Sim, no meu ônibus DIRETO mais caro.

Chegamos na estação. O casal e as lêndeas, digo, os filhos, desceram satisfeitos, bem como alguns outros passageiros. Nesse momento uma gringa que ia seguir viagem desceu e perguntou pro motora se tinha banheiro ali, porque ela precisava. Ele disse que não, mas que poderia parar mais a frente.

A menina não ficou muito feliz. O ônibus seguiu viagem e ela ficou parada na porta, em pé, do meu lado. Se retorcia que dava dó. Ela aparentemente precisava MUITO ir no banheiro. Fazia caras e bocas. Eu já tava vendo a coitada se mijar ali do meu lado.

PEE.gif
EXPECTATIVA
PEE.gif (632.13 KiB) Exibido 1735 vezes


O bus andou mais uns 10min e enfim parou. O motorista desceu, abriu a porta e gritou "QUEM QUERIA IR NO BANHEIRO??". A gringa saiu correndo e perguntou onde era. O motora apontou pro barranco na beira da estrada. ::lol4:: Sério, a cara dela foi impagável!!! Ela baixou a cabeça e desceu o barranco, afinal não tava em condição de protestar. Atrás dela foram mais umas quatro meninas que deveriam estar bem apertadas também. Minutos depois voltaram todas pro ônibus com uma expressão que era um misto de alívio e vergonha. Tadinhas.

Tudo isso é pra dizer: pessoal, antes de entrar em um ônibus na Bolívia, ALIVIEM BEM A BEXIGA!!!. 99% dos ônibus não têm banheiro e frequentemente as viagens são longas e sem paradas. E, se parar, pode ser no barranco! Se liguem.

O caminho para Uyuni seguiu sem mais percalços. Não conseguia dormir, então fiquei admirando a paisagem, que é linda!!! Tirei trocentas fotos, mas nenhuma conseguiu captar a beleza do lugar. Foto em veículo em movimento sempre fica meio escrotinha. Mas são uns longos vales com montanhas ao fundo, relvas verdejantes, ricos mananciais, árvores frondosas... coisa mairrlinda! Recomendo que sentem do lado esquerdo do ônibus como eu sentei.

Enfim dormi um pouquinho e só acordei quando já estávamos entrando em Uyuni. Não anotei a hora, mas acho que eram cerca de 17h30. Desci do ônibus, peguei minha mochila e parti a procura do hostel que havia reservado, o Piedra Blanca. Não foi difícil de achar. Tinha salvo um mapa offline da cidade no Google Maps, mas no final das contas era só seguir reto pela rua. Fiz um mapa (abaixo) com as informações mais importantes de Uyuni. Como vocês podem ver, não tem muitas informações importantes em Uyuni. É só isso mesmo.

Mapa de Uyuni.jpg
Pontos importantes de Uyuni. São só esses aí. Dá pra ver que eu fiz no Paint ou nem?
Mapa de Uyuni.jpg (79.97 KiB) Exibido 1735 vezes


Cheguei no hostel, fiz o check-in e me acomodei no meu quarto.

O HOSTEL: fiquei no Piedra Blanca Hostel, o único que existia no Hostelworld. Aparentemente é bem concorrido, porque vi algumas pessoas chegarem junto comigo na recepção sem reserva e não havia mais vagas. O quarto estava cheio. É uma construção bem antiga, o assoalho de madeira raNge assustadoramente, mas a cama é bem confortável e tinha cobertas suficientes. Tem wi-fi, que funciona bem mais ou menos, e banho quente das 7h às 22h. Durante a madrugada a água quente é desligada por perigo de congelamento dos canos. Que tal? O café da manhã é OK e as moças da recepção foram bem simpáticas. Recomendo, porque também não sei como são os outros hostels da cidade. De qualquer forma, é só pra passar uma noite mesmo. Paguei 70Bs.


Depois de deixar minhas coisas no quarto, saí para a rua para jantar e para comprar snacks para os 3 dias no Salar. Ia dar uma olhada nas agências já, mas desisti porque já tinha anoitecido e era capaz de encontrar preços melhores de manhã, com mais gente.

Comprei uma Pringles, muitOs chocolates, e 2 litros de água, além de um rolo de papel higiênico, que é essencial. Os refúgios não têm. Além disso, meu intestino já estava sentindo os efeitos da comida mexicana :/

Ouvi mais de uma pessoa dizer que tinha comido pizzas ÓÓÓÓÓTEMASS em uyuni, então fui atrás das pizzas. Nessa rua do hostel, Plaza Arce, tem diversos restaurantes, então escolhi pela cara mesmo e entrei em um que estava tocando Natiruts bem alto. Pedi uma pizza de mussarela e uma coca zero, porque não tinha como errar nessa pedida.

Resultado:
1. A Coca Zero na Bolívia tem um gosto horrível de adoçante, parecia que grudava na boca;
2. A pizza de mussarela que eu pedi veio com um temperinho de brinde, alguma coisa que parecia muito com o gosto de vegemite (que é basicamente a pior coisa do mundo), e eu quase não consegui comer até o fim. E olha que pra eu não gostar de uma pizza tem que estar MUITO RUIM.

Paguei a conta e saí decepcionadíssimo com o meu jantar. Voltei pro hostel e tentei alucinadamente conectar com o Wi-Fi. Aos trancos e barrancos consegui, muito devagar. Precisava muito da internet, porque eu tinha que enviar a minha declaração de IRPF. Brasileiro que sou, deixei pro último dia MESMO, já que nos próximos ia estar no meio do Salar. Consegui!

Fiquei um tempo no pátio conversando com uma menina sueca simpática e com um cara alemão meio carrancudo. A menina me contou várias histórias sobre o inverno sueco e sobre como as pessoas realmente se suicidam lá nessa época do ano.
Depois desse papo alto astral, ficou muito frio lá fora e fomos dormir.

Para o dia seguinte?

ERA O GRANDE DIA!!! O DIA DE CONHECER O SALAR DE UYUNI!!!

Hora de dormir. Mas ansiedade mil! ::hahaha::

Volto em breve!

PS1.: realmente dá um trabalhão escrever um relato mais completo. Vou tentar manter o ritmo, mas é difícil!

PS2.: Sorry, mas quase não tenho fotos desse dia. Como disse, as do caminho ficaram péssimas...


GASTOS:
Táxi: 5Bs
Derechos de Terminal: 2,50Bs.
Janta: 50Bs., com propina
Snacks: não lembro, mas foi SUPERCARO, porque compreI Pringles, Snickers e Twix, e isso na Bolívia é ouro. Foi tipo 100Bs.
Hostel: 70Bs.


IMG_20150428_094534.jpg
Terminal de Buses de Sucre. 1970?
IMG_20150428_094534.jpg (1.06 MiB) Exibido 1735 vezes
#1094807 por elianealves
03 Jun 2015, 22:34
muito legal tua Trip eu também fui em Abril/maio 2015 , dia 26/04 estava em santa cruz , sai de porto alegre até campo Grande de Avião, depois fui de ônibus , atravessei a fronteira por Puerto Quijarro, eu fiz 25 dias Bolívia e Peru , queria ter ficado mais, mas não deu lugares lindos , agora é planejar próxima Trip, já tenho duas em mente.
#1094818 por Li Rodrigues
03 Jun 2015, 23:21
Quero tanto! Esse ano vou fazer um mochilão pela América do Sul por alguns meses e a Bolívia é um dos lugares que mais estou ansiosa pra conhecer ::love::


Usuários navegando neste fórum: Nenhum usuário registrado e 1 visitante