Ir para conteúdo

Patagônia - "Frio nas Canela" - 14 dias (Ushuaia, El Calafate, El Chaten, Torres del Paine, BA)


Posts Recomendados

  • Membros

[t1]INTRODUÇÃO[/t1]

 

Olá mochileiros,

 

Depois de coletar muitas informações aqui no site, montar meu roteiro e planejar os detalhes de minha viagem para Patagônia, sinto-me na obrigação de dividir minha experiência com vocês.

 

Apesar de ser um destino onde se anda bastante (trekking), minha viagem foi bem light e vocês saberão por que no decorrer do relato. Foi uma viagem a dois: eu e minha mulher (agora - ex-mulher - atualizado em 03/03/2013 ::hãã2::). Um queria andar demais, o outro queria andar de menos. O plano inicial foi 18 dias mochilando, e o realizado foram apenas 14 dias. Infelizmente voltei com a sensação de que podia ter aproveitado mais, mais tinha que adequar meu ritmo ao dela.

 

Fomos numa época (fim de abril, início de maio), que já é baixa temporada em razão do clima que já não está tão favorável: dias mais frios e mais curtos. Em compensação a paisagem de outono me fascina muito, acho que valeu a pena.

 

[t1]PLANEJAMENTO[/t1]

 

Praticamente 100% das informações que necessitei para planejar minha viagem, encontrei aqui no mochileiros.com; Abaixo uma pequena lista dos tópicos que mais me ajudaram:

 

[linkbox]• Como vestir-se em Locais Frios - Sistema de Camadas (Anorak - Fleece - Underwear)

http://www.mochileiros.com/como-vestir-se-em-locais-frios-sistema-de-camadas-anorak-fleece-underwear-t32962.html

 

• Como você organiza sua mochila

http://www.mochileiros.com/como-voce-organiza-a-mochila-t11508.html

 

• Torres del Paine sem Trekking

http://www.mochileiros.com/torres-del-paine-sem-trekking-t43754.html

 

• Checklist de equipamentos Patagônia

http://www.mochileiros.com/checklist-de-equipamentos-patagonia-t36176.html

 

• Guia de gastos e Moedas na Argentina

http://www.mochileiros.com/guia-e-dicas-sobre-moedas-cartoes-e-gastos-na-argentina-t29014.html[/linkbox]

 

Os relatos que me ajudaram bastante, e que agradeço profundamente aos mochileiros autores:

 

[linkbox]- Relato da Cris*Negrabela

http://www.mochileiros.com/pantufando-na-patagonia-23-dias-tdp-calafate-chalten-ushuaia-b-aires-nov-dez-11-t63560.html

 

- Roteiro do Ruths

http://www.mochileiros.com/roteiro-patagonia-argentina-chilena-jan-2012-t62044.html

 

- Relato do José Luiz Gonzalez

http://www.mochileiros.com/relato-patagonia-dez-2010-ushuaia-punta-arenas-torres-del-paine-el-calafate-el-chalten-t50958.html

 

- Relato do Thiagozuza

http://www.mochileiros.com/patagonia-argentina-e-chile-24-dias-t39064.html[/linkbox]

 

Tópicos que me ajudaram a planejar o que fazer e onde se hospedar em cada cidade:

 

[linkbox]- Ushuaia

http://www.mochileiros.com/ushuaia-perguntas-e-respostas-t12001.html

 

- El Calafate

http://www.mochileiros.com/el-calafate-e-perito-moreno-perguntas-e-respostas-t23345.html

 

- El Chaten

http://www.mochileiros.com/el-chalten-guia-de-informacoes-t63271.html

http://www.mochileiros.com/el-chalten-perguntas-e-respostas-t8457.html

 

- Torres del Paine

http://www.mochileiros.com/torres-del-paine-guia-de-informacoes-t63246.html

http://www.mochileiros.com/torres-del-paine-perguntas-e-respostas-t8367.html

 

- Buenos Aires

http://www.mochileiros.com/buenos-aires-guia-de-informacoes-t15670.html

http://www.mochileiros.com/resumao-para-quem-vai-para-a-argentina-t24242.html

http://www.mochileiros.com/buenos-aires-hoteis-e-albergues-t18079.html[/linkbox]

 

[t1]ROTEIRO / CRONOGRAMA DA VIAGEM[/t1]

 

20120511180508.png

20120511180615.png

 

Para cada cidade visitada criei uma aba na planilha contendo dicas coletadas de:

- Passeios

- Hoteis / Hostels

- Restaurantes

 

[t1]DIA - A -DIA[/t1]

 

19 de abril – São Paulo

 

Chegamos por volta de 10:00 horas em São Paulo, e rumamos do aeroporto para a Decathlon, onde iríamos comprar alguns equipamentos que não tínhamos. Compramos para ambos: segunda-pele e luvas. Para ela que não tinha roupas para frio, compramos: jaqueta, calça, meias para frio e gorro. Deixamos para comprar a bota dela em Ushuaia, que se mostrou bem mais em conta que no Brasil, além de ter opções de várias marcas em um só lugar (Rua San Martin).

 

Depois das compras, fomos para a casa de meu amigo que nos hospedou, e a tarde aproveitamos para dar um rolé no centro de São Paulo (rua 25 de março, mercado municipal, igreja de São Bento, etc.); Não conhecia a 25 de março, que beleza que é aquilo: você acha qualquer tipo de bugiganga, bom demais!!

A noite uma cervejinha para descontrair e cama, nosso voo saia de Guarulhos as 6:00 da manhã.

 

20 de abril – São Paulo > Buenos Aires > Ushuaia

 

Saímos de SP no horário previsto, e chegamos a Buenos Aires (Aeroparque Jorge Newbery). Passamos pela imigração do país do los hermanos, fechamos os olhos e seguimos reto pelo free-shop (deixamos para a volta para não encher nem pesar as mochilas). Como nosso voo para Ushuaia era apenas por volta de 15:00 hs, aproveitamos para ir ao centro cambiar um pouco de dinheiro, almoçar e ver a cara de Buenos Aires.

 

Fui ao centro de informações turísticas do aeroporto, consegui um mapa de Buenos Aires, saquei um pouco de dinheiro no caixa-eletrônico para pagar o taxi, e saí à procura de um lugar para deixar as mochilas.

 

No Aeroparque não tem lockers como em muitos aeroportos, no entanto tem um luggage room que fica fora do aeroporto, perto das guaritas do estacionamento. Para deixar as mochilas, procure o quiosque de informações do aeroporto (fim do corredor, depois do desembarque): lá você preenche uma ficha, um atendente lhe acompanha até uma máquina que faz um raio-x da bagagem, e em seguida lhe acompanha ao luggage room. Para minimizar o risco de violar nossas bagagens, lacrei nossas mochilas com uma capa específica (mandamos fazer capas de nylon no Brasil, com ziper resistente) e cadeados. Custo do luggage room: 18 pesos por mochila.

 

Pegamos um taxi que nos deixou perto da calle Florida (58 pesos). Pesquisamos as cotações nas ruas Corrientes, Florida, Sarmiento, escolhemos a melhor e efetuamos o cambio. Naquela semana o real havia caído bastante, frente à valorização do dólar, e no dia seguinte achei cotação melhor em Ushuaia que em BA (que ódio: vontade de falecer.. , heheheh). Em seguida, voltamos para a Florida, andamos um pouco nas lojas, almoçamos e voltamos para o Aeroparque. Notei que é muito fácil pegar taxi nessa região, e preocupado com os famosos golpes nos taxis de BA, olho no taxímetro e nas notas trocadas com o motorista!!!

 

Chegamos ao aeroporto com tempo de folga para nosso check-in. Pegamos uma atendente muito simpática que nos colocou em um voo direto para Ushuaia (o anterior tinha escala em El Calafate e chegava um pouco mais tarde). Ponto para a Aerolíneas...

 

Falando em Aerolíneas, fiquei surpreso com a companhia. Todos já sabem que a companhia tem muito mais reclamações que elogios, mais em nossa ida fomos super bem atendidos, o serviço de bordo esteve na média de outras companhias e os atendentes foram simpáticos. Como nem tudo é perfeito, a companhia pisou na bola no fim da viagem (irei comentar no decorrer do relato).

 

Chegamos em Ushuaia por volta de 20:00 horas, pegamos um taxi para nosso Bed and Breakfast: La Casa de Alba. Lugar simples, cerca de 10 a 15 minutos do Centro (San Martin), quarto privado com banheiro, diária de 180,00 pesos. Escrevi uma avaliação do lugar no tripadvisor:

 

[linkbox]http://www.tripadvisor.com.br/Hotel_Review-g312855-d485558-Reviews-Alba_s_Bed_Breakfast-Ushuaia_Province_of_Tierra_del_Fuego_Patagonia.html#mtreview_129411022[/linkbox]

 

21 de abril – Ushuaia – Cerro Martial

 

Acordamos por volta de 08:30, tomamos café e saímos para explorar um pouco a cidade e comprar uma bota para a patroa. Fomos caminhando passando pela Av. Maipú, com vista para a Bahia Encerrada. Pausa para fotos na Plaza de Las Malvinas, e seguimos rumo a San Martin.

 

Como o dia estava muito nublado, não deu para ter uma ideia da beleza da cidade, só no dia seguinte é que pude observar como Ushuaia é cercado de monhanhas... Andamos bastante na San Martin, paramos em cada loja de equipamentos e acabamos comprando o que procurávamos na Popper: pegamos uma bota da Hi-tec com excelente custo-benefício.

 

Para quem quer comprar equipamentos em Ushuaia, pesquise muito. Tem uma variedade grande de marcas e modelos, portanto não compre na primeira loja que pode se arrepender. Dica para a loja da Montagne, marca que tem bons preços, Popper pela variedade, além de ter lojas comercializando Columbia, The North Face e outras.

 

Após as compras almoçamos (um belíssimo bifão com papas fritas...), pegamos um taxi para subir o Cerro Martial (aproximadamente 40 pesos). Lá em cima, apesar do tempo meio nublado, uma vista maravilhosa de Ushuaia. Já tinha bastante neve lá em cima, e tinha uma pequena turma com pranchas de snowboard.

 

Aproveitamos para explorar a área, até o momento que começou a nevar um pouco mais forte: corremos para um pequeno complexo ali, que tem umas lojinhas, casa de chá etc. ::Cold:: Ficamos ali um tempo, e nos deliciamos com o alfajor mais caro de toda a viagem: mais valeu a pena, enquanto nevava lá fora, lá dentro estava bem quentinho. O teleférico do lugar ainda não estava funcionando, uma pena!!

 

Íamos descer o Cerro Martial a pé, e para nossa surpresa encontramos uma família argentina em um ônibus adaptado para motor-home, que devia ter uns 200 anos. Sem brincadeira, a condução deles era bizarra de tão antiga. Para nossa surpresa, os “hermanos” começaram a cantar “Ai se eu te Pego – Michel Teló”, aí não aguentamos, tivemos que entrar na brincadeira. Resumo da ópera: fizemos amizade com eles, descemos o Cerro Martial de carona com direito a chá, biscoitinhos e muitas fotos. Foi super divertido, com direito a fotos segurando a bandeira da argentina, declarações que o Maradona é o melhor e por aí vai. ::toma::

 

À noite, procuramos um pouco de diversão. Fomos ao Bar Ideal (fechado há algumas semanas) e acabamos em um Pub (Macario 1910), no início da San Martin, onde tomamos algumas Quilmes por lá.

 

PS:

• Não vi baladas em Ushuaia;

• Achei cerveja e refrigerantes super caros (viva o Brasilllll);

• Achei os vinhos muito baratos;

 

22 de abril – Ushuaia – Parque Nacional Tierra Del Fuego

 

Começamos o dia com a programação em aberto. Como amanheceu um dia lindo, ensolarado e clima mais ameno que o dia anterior, decidimos ir ao Parque Nacional Tierra Del Fuego. Tinha um casal de Filandeses no B&B que também iam, mais acabamos indo um pouco depois, pois passamos no supermercado La Anonima para comprar uns sanduiches.

 

Fomos ao parque de taxi (45 pesos à partir do La Anonima), 60 pesos de entrada para residentes do MERCOSUL. Chegando lá, andamos um pouquinho e logo conseguimos uma carona até a Ensenada Zaratiegui. Após recuperar o fôlego perdido para a beleza do lugar, seguimos caminhando rumo ao início da trilha Senda Costera, que é uma belíssima trilha de 8km, que recomendo a todos. Não temos experiência em trekking, no entanto achamos a trilha fácil, bem sinalizada. Esta trilha rendeu algumas das fotos mais maravilhosas da viagem. Quem não quiser se aventurar nas trilhas, deve pelo menos conhecer a Bahia Lapataia, lugar de beleza singular.

 

Ao final da trilha, encontramos 2 sul coreanas que estavam iniciando a trilha ao contrário. Elas não sabiam a distância que tinha que percorrer, e como já estava meio tarde, desaconselhei elas de seguir adiante, sob pena de escurecer e eles não terem terminado a trilha. Apesar de baixa temporada, encontramos muitos gringos no parque, cada um com sua história – se você fala um pouco de inglês, interaja com essa turma: o Brasil está na moda e a grande maioria é louca para visitar nosso país.

 

Para voltar, ganhamos carona de um casal super simpático de argentinos, que nos deixou praticamente em frente nosso B&B. Nota 10 para nossos hermanos. ::cool:::'>

Final de tarde, saímos para fotografar a cidade, aí sim, com o céu aberto deu para ver a beleza de Ushuaia. A noite fomos jantar umas empanadas no Dieguito (empanadas deliciosas, baratas – IMPERDÍVEL). O próprio Dieguito que nos atendeu, o cara é uma figura!!

 

23 de abril – Ushuaia – Navegação Canal Beagle

 

Iniciamos o dia com o intuito de fazer a navegação no Canal Beagle. Saímos rumo ao centro de informações turísticas, e iniciamos nossa pesquisa de preço dos passeios lá. Recomendo fortemente a quem for a Ushuaia, dar uma passada neste centro. O pessoal tem muitas informações, mapas e dicas para passar.

 

Optamos pelo Catamarã Canoero, que fez o Canal Beagle com Ilha dos Lobos, dos Passaros, Farol Les Eclaireurs e Ilhas Bridges (incluso parada e caminhada na ilha). De todos os catamarãs que fazem este passeio, ele estava 50 pesos mais barato (pagamos cada um 200 pesos pelo passeio, mais taxa de embarque em torno de 8 pesos), com café, chá e umas guloseimas incluídos. O Catamarã era novo, do mesmo porte dos demais, acho que valeu a pena.

 

Infelizmente o tempo estava nebuloso, chuviscou em alguns momentos mais deu para aproveitar legal o passeio. Ao final, quem quiser receber no passaporte o carimbo de fim do mundo, o pessoal do catamarã faz esta gentileza, além de dar um certificado de Buen Navegante atestando que você esteve no fim do mundo...

 

A tarde fomos a um shopping (Paseo Del Fuego, um pouco afastado, depois do porto..), onde almoçamos e relaxamos um pouco por lá. Em seguida aproveitamos para descansar as pernas da caminhada do dia anterior, entrar em contato com os parentes no Brasil, etc. A noite um vinhozinho para relaxar!!

 

Dicas:

• Para tirar a famosa foto da plaquinha Ushuaia – Fin Del Mundo, basta caminha um pouco depois do centro de informações turísticas, seguindo a orla.

• O dia em Ushuaia começa um pouco mais tarde, com lojas abrindo depois de 09:00 hs. A tarde muitas lojas fecham e reabrem mais tarde ficando abertas parte da noite. Não sei se é assim o ano todo, portanto, programe-se;

 

24 de abril – Ushuaia > El Calafate

 

Acordamos mais tarde, fizemos check-out no B&B e saímos para comprar algumas lembrancinhas e fotografar alguns lugares históricos. Almoçamos em um lugar simpático (Bodegón Fueguino, na San Martin) e pouco depois fomos para o aeroporto pegar nosso voo para El Calafate.

 

Chegando em El Calafate, tive a impressão que lá sim era o fim do mundo. Como o aeroporto é afastado da cidade (18 KM), você não vê nada além do Lago Argentino, que está ao lado do aeroporto. A paisagem até a cidade é meio desértica, bem diferente de Ushuaia. Pegamos um transfer para a cidade, que nos deixou em frente ao Hostel Glaciar Del Libertador.

 

Recomendo muito o lugar, tem uma infra-estrutura legal, quartos bons com aquecimento e um bom café da manhã. Aproveitamos o fim de tarde para bater perna na cidade e vê os preços de excursões, mini-trekking no Perito Moreno.

 

Minha avaliação do lugar no TripAdvisor:

[linkbox]http://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g312851-d1067051-r129413251-Hostel_del_Glaciar_Libertador-El_Calafate_Province_of_Santa_Cruz_Patagonia.html[/linkbox]

 

Me arrependo muito de não ter feito o mini-trekking. Chegando no Perito Moreno e vendo a grandiosidade daquilo, minha vontade foi estar lá em cima de todo aquele gelo. Podem me matar e me chamar de mão de vaca, eu mereço!!

 

Optamos por pagar pelo Tour Alternativo ao Perito Moreno, oferecido pelo próprio Hostel (180 pesos por pessoa). Este tour saí por volta de 08:00 da manhã, passa pela estrada antiga com belas paisagens, com pausas para fotos, entra no Parque Nacional Los Glaciares, para em um mirante onde quem quiser pode fazer uma pequena trilha de no máximo 1,5 km até o local de onde sai o barco que navega até perto do glaciar, e em seguida para nas passarelas que dão acesso ao “Moreno”.

 

A noite mandamos uma pizza e um vinhozinho, preparados na cozinha do hostel.

 

25 de abril – El Calafate – Perito Moreno

 

Acordamos cedo e saímos para o Tour Alternativo ao Perito Moreno. Frio nas canela, entramos na vã com o pessoal do Hostel e seguimos em frente pela estrada antiga. Algumas pausas para fotos, foi possível ver uma patagônia diferente, meio desértica, até ir chegando perto do Perito Moreno e observando um novo tipo de vegetação.

 

No percurso foi possível fotografar alguns pássaros interessantes (águias, condores), rebanhos de ovelhas e guánacos, foi muito legal.

Nosso Tour parou em um dos mirantes do Perito Moreno, e quem quisesse podia seguir por uma trilha, até o local que faz a navegação no glaciar. Seguimos em frente pela trilha, de fácil dificuldade, e que acabou rendendo fotos fantásticas.

 

De volta a van, seguimos mais alguns minutos até chegar ao Glaciar. Lá, foi cada um por si, achei que teríamos o guia do tour à disposição, mais por outro lado foi legal, pois possibilitou andar nas passarelas em nosso ritmo e pelo caminho que queríamos.

 

Descrevo o glaciar em apenas 2 palavras: FANTASTICO e GRANDIOSO. Muitíssimas fotos, tentei observar alguns pequenos desprendimentos e andei as passarelas explorando o máximo cada vista do glaciar.

 

Aí vai minha dica: façam o mini-trekking ou se possível o BIG-ICE.

 

A fome apertou e fomos à lanchonete / restaurante que havia ali. Achei os preços justos, e lá estava aceitando reais a uma cotação melhor que as casas de cambio. Quem for, sugiro pagar com uma nota grande para cambiar uns pesos a uma cotação legal ::cool:::'>

 

A volta do tour foi pela estrada nova (totalmente asfaltada), mais com belas paisagens para se ver. Chegando ao hostel, descansamos um pouquinho, banho e fomos passear no centro de Calafate.

 

Em nosso plano original, iríamos seguir para El Chaten no dia seguinte. Masss, conversando com uns e outros mochileiros, resolvemos ir para Puerto Natales, alugar um carro e ficar 2 ou 3 dias no Torres de Paine (que acabou não se concretizando, explico logo abaixo).

 

À noite, passamos no La Anonima e compramos alguns suprimentos para o jantar. Resultado: Raviolli de carne e um vinhozinho.

 

25 de abril – El Calafate > Puerto Natales

As 08:30 pegamos o ônibus para Puerto Natales (Cootra – 110 pesos por pessoa). Foi uma viagem tranquila e lenta, o ônibus estava relativamente vazio e o processo na aduana chilena foi tranquilo e rápido.

 

Por volta de 13:30 chegamos Puerto Natales. Como não tinha reservas, fui atrás de alguns hostels que eu tinha anotado indicações aqui no mochileiros.com. O plano era ir para o Lili´s Patagonicos, e meus problemas começaram no momento que tomei a decisão de ir para lá.

 

Primeiro: havia perdido o endereço do lugar;

 

Segundo: saindo do Bus e perguntando nos arredores, ninguém sabia onde era o lugar, e algumas informações desencontradas não nos levavam a lugar nenhum;

 

Terceiro: não tinha pesos chilenos para pegar um taxi que possivelmente me levaria ao lugar, e tampouco estava conseguindo sacar dinheiro nos caixas de lá (WTF); ::vapapu::

 

Quarto: minha mulher surtou, porque estava com fome, com frio, com dor nas costas e sem um lugar para ficar;

 

Bom, me restou o Hostal Reymar, que estava pertinho da parada do bus todo o tempo. Apesar do lugar não ter nos passado uma boa aparência inicial, foi lá mesmo que pousamos (20.000 pesos por um quarto privado com banheiro). O proprietário (Marcus) é um sujeito bastante simpático e prestativo, e nos atendeu muito bem. No geral o hotel é velho, e não sei pontuar se foi um bom custo benefício, pois não olhei outros lugares antes, mais ficamos confortáveis lá em nossa estadia.

 

Confira a avaliação que fiz do lugar no TripAdvisor:

[linkbox]http://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g297400-d2166749-r129411607-Hostal_Reymar-Puerto_Natales_Patagonia.html[/linkbox]

 

Após o check-in no Reymar, fui tentar obter algum dinheiro. Tinha poucas alternativas:

- Pagar tudo no cartão de crédito;

- Fazer o cartão funcionar;

- Assaltar um banco;

 

Optei pela2º alternativa, e com muito custo consegui sacar no Banco Santander, no entanto não consegui sacar diretamente de minha conta corrente como fiz na Argentina, e acabei utilizando o saque no cartão de crédito (osso né!?)

 

Após muito estresse, fomos almoçar e planejar nossa ida a TDP. Minha esposa não quis ficar e fazer os dias que havíamos planejados, o que encurtou minha viagem alguns dias. Como foi um assunto pessoal, não vou estender os motivos aqui. Resultado: acabamos comprando um tour de Full Day in Torres Del Paine (15.000 pesos por pessoa), que é mais ou menos o que o MauroBr descreveu no tópico: torres-del-paine-sem-trekking-t43754.html

 

Essa decisão do tour no TDP me deixou muito zangado, afinal de contas poderíamos comprado um tour destes El Calafate e não precisaríamos ter ido a Puerto Natales só para isto, além de ter economizado tempo e dinheiro!! Mass, a vida sem em frente, antes ver um pouquinho do TDP que nada!! ::otemo::

 

27 de abril – Puerto Natales > Torres Del Paine > Puerto Natales

 

Acordamos bem cedo pois nosso tour nos pegaria as 07:30, que acabou nos pegando cerca de 08:00 hs. Como estava dando tudo errado no Chile, achei que tinha entrado em uma roubada neste tour, mais tudo correu bem durante o dia.

 

Estava frio, muito frio. No dia anterior pela manhã segundo um morador local, fez -4ºC, creio que este dia deve ter sido mais ou menos isso também em razão do frio. Inexplicável, nem na Europa eu havia sentido tanto frio (muita pena que quem mora na Rússia, Canadá, países nórdicos... hehehehe). ::Cold::

 

Continuando no tour havia quatro espanhóis de meia idade, nós brasileiros e um casal de chilenos de Vinã Del Mar. Seguimos em frente com uma pequena parada em Cerro Castilho para banheiros e café da manhã, e seguimos em frente rumo a TDP.

 

Algumas paradas para fotografar, além de belas paisagens observamos o pastoreio de ovelhas beirando a estrada e um bando de guánacos selvagens.

Em Torres Del Paine, a primeira parada foi na Laguna Amarga, que rendeu belíssimas fotos, aparecendo um pouquinho das torres ao fundo. A coloração da laguna é fantástica, muito show o lugar.

 

A segunda parada foi no lago Nordenskjold (como diz a Cris – lago do nome impronunciável), onde observamos bem os cuernos e as torres.

 

A terceira parada, foi bem perto da Salto Grande. Fizemos uma pequena caminhada para observar o lugar, e mais uma vez nos rendeu fotos maravilhosas.

 

Em seguida, a vã continuou o percurso rumo ao lago Pehoe, onde fizemos mais uma parada e aproveitamos para almoçar (cada um com sua merendinha...). Mais uma vez a paisagem nos surpreendeu, muito bonito o lugar. Nesta hora a temperatura já estava mais amena, e o sol estava querendo dar as caras.

 

Seguimos margeando o rio Paine, rumo a guarderia do Lago Grey, onde fizemos a quinta parada, onde fizemos uma pequena caminhada para observar o lago e o glaciar ao fundo. Nosso tour no TDP chegava ao fim. Fizemos mais uma parada na caverna do Milodon (http://www.southamerica.me/the-milodon-cave-near-puerto-natales/), e chegamos em Puerto Nalates por volta de 18:30.

Banho tomado, compramos nossa volta a El Calafate e arrumamos as mochilas para seguir em frente.

 

28 de abril – Puerto Natales > El Calafate > El Chaten

 

Nada de especial aconteceu neste dia. Chegamos em El Calafate, fomos almoçar, trocar nossos voos de El Calafate > Buenos Aires e de Buenos Aires > São Paulo, em razão dos dias que antecipamos no Chile. Chegamos a Calafate e o escritório da Aerolíneas havia fechado a 40 minutos (mais uma vez a sorte estava ao meu lado ).

 

Tivemos que apelar para o atendimento pelo 0800, que da 1º vez quando solicitado o atendimento em inglês, esperei até a ligação cair. Como “yo hablo muy bien, portunhol” solicitei ajuda na agência Hielo & Aventura, onde a atendente me ajudou a realizar as trocas de voos pelo call Center da Aerolíneas. Ainda existem pessoas boas neste mundo :D

 

As 18:30 pegamos outro bus para El Chaten (salvo engano 90 pesos por pessoa), chegando lá por volta das 21:30 embaixo de uma fina garoa. Paramos no Hostel Condor de Los Andes (diária de 180 pesos o quarto privado com banheiro) e ficamos por lá os dois dias).

 

Avaliação no TripAdvisor:

[linkbox]http://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g316035-d800815-r129412223-Condor_de_los_Andes-El_Chalten_Province_of_Santa_Cruz_Patagonia.html[/linkbox]

 

29 de abril – El Chaten

 

Após dormir quase 12 horas, acordamos, tomamos café no hostel (o café não é o forte deles..), passamos na padaria, compramos sanduiches e partimos rumo ao Cerro Torre. Como tínhamos pouco tempo na cidade, acho que o sensato era fazer o Fitz Roy, mais como não temos experiência em trekking buscamos algo mais rápido e que nos demandaria menos esforço.

 

Tivemos um pouco de dificuldade para achar o início da trilha, acho que poderia ser melhor sinalizado nas ruas. Chegando a trilha, só alegria, achei tranquilo e bem sinalizado. Fizemos a trilha com um grupo de franceses, e encontramos muita gente fazendo o percurso.

 

Acho que Chaten é um lugar que merece mais dias, há muito que se ver, basta ter “pernas”. Pretendo voltar um dia, vez o Fitz Roy de perto. No mais, a cidade estava bem vazia, já havia muitos lugares fechados e acredito que em maio, junho com a vinda do inverno a cidade irá parar. Recomendo fortemente ir no verão, creio que os melhores meses devam ser janeiro, fevereiro.

 

A noite uma pizza antes de dormir. O hostel estava paradasso, não deu para interagir muito com a galera lá. Durante a madrugada o tempo virou, parece que estava passando um tornado em Chaten, e a chuva veio com força. Acho que era o sinal que a temporada de Chaten já estava terminando...

 

30 de abril – El Chaten > El Calafate > Buenos Aires

 

Longo dia de deslocamentos. Nesta época há ônibus de Chaten para Calafate apenas 2 vezes ao dia. Partimos por volta de 08:00 debaixo de uma garoa fina (ainda bem que o dilúvio da madrugada já havia passado), e chegamos a Calafate por volta de 11:00 hs.

 

Calafate estava bem parada em virtude de ser véspera do feriado de 1º de maio. Como nosso voo era apenas as 18:00 horas, fomos matar o tempo em uma Lan House, em seguida andamos no centro e compramos algumas lembrancinhas, almoço e por volta das 14:30 já estávamos no aeroporto . Odeio esse tempo de espera, aproveitamos para dar uma cochiladinha no aeroporto.

 

Check-in feito, passageiros embarcados, partiu o amaldiçoado voo 1872, rumo a Buenos Aires com escala em Ushuaia. Já ouviu falar dos ventos patagônicos? Pois é, lá estava ele jogando o avião para cima, para baixo, para o lado, foi foda, nunca havia vivenciado uma turbulência tão forte. Aproveitei para fazer umas declarações a minha esposa, na certeza que era nossos últimos minutos, hauhuahauah. Olhava para os passageiros, quase todos estavam com cara de assustados, acho que o primeiro ali que gritasse, todo resto iria gritar também.

 

Chegando em Ushuaia, minha esposa não aguentou e vomitou. Foi tenso!! ::essa:: Como chegamos em BA antecipadamente, tive que cancelar minha reserva no “Petit Hotel El Vitraux”, e como já estava bem tarde, acabamos parando no hostel Suites Obelisco, onde pegamos um quarto duplo nos andares mais de cima.

Achei o lugar muito bem localizado,com excelente atmosfera e com um excelente café da manhã.

 

Minha avaliação no TripAdvisor:

[linkbox]http://www.tripadvisor.com.br/ShowUserReviews-g312741-d970200-r129412613-Hostel_Suites_Obelisco-Buenos_Aires_Capital_Federal_District.html[/linkbox]

 

01 de maio – Buenos Aires

 

Acordamos, nos fartamos com o café da manhã e fomos planejar nosso dia. Um tour grátis ia sair do hostel as 09:30 com destino a La Boca e San Telmo. Optamos pelo tour, que acabou sendo um grupo super pequeno (nós, duas chilenas e 1 americano).

 

Nossa guia era uma argentina simpaticíssima, super brincalhona e alto astral. Saímos pé, pegamos um ônibus para La boca. Chegando lá, conhecemos toda a história do lugar, passamos pelo Caminito, pausas para fotos com os dançarinos de tango e rumamos para San Telmo.

 

Em San Telmo também, muita história sobre o lugar, nos mostrou os principais pontos turísticos do bairro e o tour acabou por ali. Ficamos lá mais um tempo, andamos pelas lojinhas e depois fomos caminhando rumo ao centro onde visitamos os pontos principais.

 

Almoçamos uma boa massa na Av. Corrientes (Petala Restaurante), demos uma passeadinha na Av. 9 de Julio que estava tendo diversas manifestações referente ao dia 1º de maio, e terminamos o dia passeando em Puerto Madero.

 

Tive ótima impressão de Buenos Aires. Merece uma viagem com mais tempo, qualquer hora vou aproveitar essas promoções aéreas e passar mais uns dias na capital argentina.

 

02 de maio – Buenos Aires

 

Acordamos e fomos fazer o programa predileto de minha esposa: COMPRAS!! Saímos rumo a Florida, andamos bem por lá e no entorno. Como nosso tempo era curto, concentramos apenas nas lojas dessa região.

 

Fiquem atentos, muitas lojas em BA estão aceitando reais a uma cotação melhor que as casas de cambio. Caso vá a BA e tenha intenção de fazer compras, deixe alguns reais e aproveitem!!

 

Após o almoço, fomos explorar Pallermo, passamos um tempinho no parque 3 febrero, passamos pelo jardim botânico e passeamos pelas belas ruas do bairro. Para ganhar tempo, pegamos um metrô e fomos explorar melhor os pontos turísticos do centro, que no dia anterior havíamos passado muita rapidamente.

Gostaria de ter ido a Recoleta, porém o tempo estava curto. Aproveitamos para conhecer mais um pedacinho do Puerto Madero e finalizamos o dia por lá.

 

03 de maio – Buenos Aires > São Paulo > Casa

 

Esse foi o dia que a Aerolineas pisou na bola comigo. Chegamos ao aeroporto cerca de 2:20 mais cedo, pois sabíamos que teríamos que acertar a multa pela mudança de voo no guinche da empresa.

 

Sabia que teria que pagar a multa (50 doletas) mais a diferença de tarifa (40 doletas). No guinche da empresa, uma atendente antipática virou para mim e disse:

- O atendente do 0800 calculou errado a diferença de tarifa, não é 40 dólares e sim 70 dólares.

 

Achei um absurdo, cheguei a achar que estava sendo passado para trás. Após um belo “pega pra capar” com a atendente, eu falando inglês, ela respondendo espanhol, chegamos ao ponto:

- Eu: não pago a mais esta tarifa. Isto é um absurdo!

- Ela: não paga a tarifa, então não voa. ::grr::

 

Simples assim. Quando concordei em pagar, ela refez as contas lá e voltou atrás: segundo ela, havia feito uma confusão pela diferença de cambio (eu havia comprado as passagens em reais, ela estava calculando a multa e a diferença de tarifa em pesos). Ela se desculpou, mais já estava estressado com a situação. Lamentável.

Chegando em Sampa, deslocamento de Guarulhos para Congonhas, novo voo e casa!

 

Espero que tenham gostado do relato. Qualquer dúvida, estou à disposição para ajudar com o que for preciso!

 

Saudações mochileiros!

 

[t1]FOTOS[/t1]

 

Pessoal,

 

Havia me esquecido de postar o link com algumas fotos. Segue aí:

(atualizado em: 12/05/2012)

 

[linkbox]

[/linkbox] Editado por Visitante
Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 30
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

  • Membros

Olá Marthinha29,

 

Que bom que gostou do relato. Acabei de atualizar o tópico com o link contendo as fotos (no flicker).

Levei em dinheiro R$ 2.000,00 e o restante fui sacando em caixas eletrônicos. Eu prefiro assim por achar que é mais seguro. Qualquer dúvida estou à disposição!

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Colaboradores

OIi Rafael...muito bom seu relato parabéns...

Eu fui pra buenos aires, el calafate e ushuaia em julho do ano passado e adorei o lugar tbm...

Tbm ia fazer el chalten e TDP mais como vc eu e meu irmão tbm tivemos contratempos como o bendito do vulcão...tbm passamos perrengues com a aerolineas e sofremos em el calafat pra sacar dimdim...nós e um monte de brasileiros não estavamos conseguindo sacar....imagina, chegamos la num feriado, banco fechado e os caixas sem grana...sofremos um bocado tbm...mais depois de tudo vc da risada neh...os lugares q conhecemos as paisagens recompensa tudo neh...só não fiz o relato até hj....só vou ajudando os pessoal dando informações....enrolei muito pra fazer o relato e agor não lembro de todos os detalhes...rsrs...

Falow....abraços

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


×
×
  • Criar Novo...