Ir para conteúdo
Claudio Antonio

Peru - 17 dias - Lima - Cusco - Puno - Arequipa - Nasca - Ica - Paracas - Lima

Posts Recomendados

Fiz a viagem dos meus sonhos. Já estava na hora de faze-la pois, já nos anos de 1984 e 1985 eu e um amigo da faculdade tinha programado mas, por problemas de saúde da família dele e, no ano seguinte a falta de dinheiro de ambos impossibilitou a nossa viagem. Já no ano de 1985, conheci minha esposa. Ai vem o casamento, os filhos, 3 lindos pimpolhos. Os anos passando, a idade chegando, filhos crescendo, a faculdade dos filhos e assim vai.....e a vontade pegando fundo na alma.Fiz então umas economias e por sorte (aliás ela vem quando menos a gente espera, já estava cansado de comprar rifas, jogar na loto, até no bicho e nunca ganhava), e ai ela vem: ganhei um prêmio da empresa R$ 3.000,00........OOOOOObbbbaaaaaaa um dindim a mais.....dinheiro este se deixasse ficaria para a casa (trocar o chuveiro, colocar o lustre...rssss ::lol4:: comprar livros...). Combinei então com minha cara metade que aquele era o momento certo de fazer a viagem. Só que eu queria fazer sozinho, um sonho desde bem jovem. Agora já viu né, ela deixou mas, na seguinte condição: levar o remédio da pressão, comprimidos para a dor de cabeça, o pijama, o chinelo..... ::hahaha:: Li aqui vários relatos, fiz um pré-roteiro baseado nos roteiros de vários amigos daqui desse site.Fui então providenciar um novo RG ( o meu já tinha 35 anos de existência, os cabelos na testa, o rostinho fininho) agora poderiam confundir com meu filho. Providenciei também o passaporte. Um amigo me ajudou a comprar as passagens por aqui no site da empresa TAM, recomento. Agora era só pegar a mochila, os remédios o chinelo.....Antes gostaria de agradecer a todos daqui dos mochileiros. Sem a leitura dos roteiros e relatos, acredito que a viagem não seria igual. As dicas foram fundamentais aos locais, aos trajetos e aos hotéis.Um abraço

 

Dia 11.04.12 -Sorocaba - São Paulo

 

Sai de Sorocaba pelo Cometa no ônibus das 22:hs. Cheguei na Barra Funda e imediatamente corri ao metro com destino a estação Tatuapé. Bem próximo a saída da estação, estava estacionado o último ônibus do dia que sairia as 00.10 a linha 257 - Tatuapé ao Aeroporto de Guarulhos. Ônibus limpo, confortável e a um preço excelente R$ 4.30, por um percurso de aproximadamente 50 minutos. Pronto agora já estava no aeroporto. Como eu gosto de chegar bem cedo aos compromissos, lá estava eu a 1 hora da manhã para pegar o voo das 8.30 hs. Mas tudo bem!!!! Aeroporto, limpo, café delicioso, poltronas boas. Proto chegou rápido as 8,30 hs da manhã, já estava dentro do avião, do lado direito bem na janelinha (vc acha que eu iria perder a vista da cordilheira... ). Cheguei na cidade de Lima, era aproximadamente 12.00 hs.

 

12.04.12 - Lima

Peguei um táxi e fui até a pousada Peregrinus (tinha feito reserva aqui no Brasil) - Av. La Alborada, 1378 - Pueblo Libre, os proprietários Ricardo e Esther me deram toda atenção, foram mais do que amigos. Arrumei as coisas e procuro a lista de umas 30 palavras que deveria saber em espanhol, não achei, acredito que a esqueci em casa. Mas tudo bem pensei comigo, vou me dar bem, pois o espanhol e o português tem a mesma matriz que é a língua latina, então está tudo certo, eu irei entende-los e eles a mim ( foi ai que eu comecei a dançar na comunicação... ::putz:: ). Almocei na mesma avenida e aproveitei para fazer uma caminhada pela região. Bem próximo, passei no centro Arqueológico Mateo Salado, pena que ele não está aberto ao público mas vendo por fora, vi que se trata de um belíssimo centro arqueológico. Vi também que existem várias construções pré-incas por este bairro, que estão abandonadas, sendo alvo de constantes depredações. Lá pelas 19,30 hs, voltei para a pousada, antes tinha jantado. Estava me adaptando ao novo ritmo, se lá era 19,30 aqui no Brasil já era 21,30. Então meu relógio biológico estava em descompasso com a nova realidade de horário por lá.

 

13.04.12 - Lima - Cusco

Quando cheguei no aeroporto de Lima, aproveitei e comprei a passagem de ida para a cidade de Cusco. A empresa que estava com melhor preço foi a Star Peru o voo tinha sido marcado para as 7,30 hs da manhã. Por sorte na noite anterior tinha passado por uma loja de internet (aqui lan hause) e verifiquei que na minha caixa de e-mail, estava um e-mail da Star Peru, me informando que havia sido mudado o meu voo para as 11:00 hs. Sorte minha de ter visto este e-mail, já pensou passar mais algumas horas em um aeroporto.... ::hahaha:: Sai da pousada e cheguei as 9 hs no aeroporto, vou fazer o check in mais uma surpresa, meu voo mudou para as 12,10 hs. Tudo bem estava em ritmo de aventura. Cheguei em Cusco, lá pelas 13.30 hs. Peguei um táxi. O motorista do táxi é uma figura.Seu nome Colberto N. Villata, comunicativo, além de ser motorista de táxi é também agente de turismo. Falou que o hotel que tinha reservado não era bom, muito barulhento o local e, que me levaria em um hotel muito melhor. Antes ele iria passar de frente ao hotel que eu tinha reservado, para que eu pudesse ver como era muito barulhento aquele local. Depois me levou na Plaza Regocijo, Hotel Villa Mayor. Gostei da fachada do hotel. Quando olhei na tabela de preços vi que era em torno de U$ 60, dólares a diária, ele negociou e conseguiu um quarto individual, por apenas U$ 25,00 (acho que ele conseguiu porque era baixa temporada). A construção do prédio do hotel data do século XVI, erguida sobre uma construção Inca. Fiquei em um quarto com a janela para a praça. Que paisagem!!!! Pessoal do hotel muito atencioso, principalmente a recepcionista Jéssica que depois me deu várias dicas de pontos turísticos e se esforçava para entender o meu portunhol. Mas enquanto fazia o cadastro junto ao hotel,( o Colberto já sabia que eu iria comprar um pacote turístico para Machu Picchu ficou me aguardando).Depois sentamos em uma bela mesa e ficamos a negociar um pacote.Comprei então o boleto para o dia seguinte para visitar o Vale Sagrado, trem para Águas Calientes, visita a Machu Pichu, incluso o hotel, com um valor total de US 280,00 ( até hj não sei se era caro ou barato)..rsss. Aproveitei que ainda era cedo, fui almoçar e fazer um tur pela cidade. Estava passeando pelo pelo Mercado San Pedro, e senti uma tontura tremenda... efeito da altitude. Voltei para o hotel, tomei varias xícaras de chá de coca, com um comprimido de um tipo de AAS. Melhorou . Depois de uns duas horas voltei a passear pela cidade. Retorno ao hotel. Fico então na varanda do quarto apreciando a Praça Regocijo.

 

14.04.1 - Cusco - Machu Picchu

Tinha combinado com o Colberto de se encontrar no hotel as 7,30 hs, foi pontual, paguei a outra metade que devia à ele e fomos até o outro lado da praça de onde sairia o ônibus. Saímos as 8,30 hs, estava eu e mais uns 15 turistas. Ainda estava chateado de ter esquecido a minha lista de palavras em espanhol ::putz:: Mas tudo bem ficava prestando atenção no guia e conseguia entender as explicações. Primeiro visitamos uma feira de artesanato, próximo a cidade de pisac. Conheci as ruínas de Pisac e também o parque arqueológico nacional de Ollantaytambo, com belas construções incas que estão bem preservadas.Foi um passeio muito bom, divertido, onde pelo segundo dia tive contato com as construções do incas. Quando entrei no ônibus para seguir viagem a guia turística me informou que eu deveria ficar naquela cidade, pois o pacote turístico não me dava direito de seguir enfrente, que deveria pegar o trem ali mesmo. Pensei e agora??? Ficar sozinho aqui. Era 15 hs e o trem saíria lá pelas 20,30, o que faria agora sozinho aqui?? Fiquei chateado com o Colberto, ele me vendeu um pacote pela metade, será isto??? Ficar agora até as 20,30 esperando o trem? Mas tudo bem, já que estava ali e estava em espirito de aventura, passei a aproveitar a passear pela cidade. Cidade simples, povo simples e hospitaleiro. Vi em detalhes as construções. Só tive dificuldade para me expressar quando cheguei em um bar e comprei alguma coisa. Quando foi la pelas 19:00, bem na praça central tem uma lanchonete, que vende lanches e também porções naturais. A moça falou em espanhol, eu em português aliás em portunhol, ela não entendeu, falou então em inglês, e ai eu fiquei como vendo paisagem até que ela viu que não entendia o espanhol e nem o inglês, tentou me entender. Percebi que ai ela entendeu que eu estava querendo um lanche e um suco. Só que ela falou que já estava na hora de fechar, que faria um lanche e suco para viagem. Aceitei. Paguei pelo suco e pelo lanche 15 soles.Fui então para a estação ferroviária, o trem saiu era por voltas das 20,30hs, já na estação de Águas Callientes, um rapaz agitava uma cartolina com o meu nome. Fui para o hostel Margaritas. Depois que alguns minutos uma guia turística vai até ao hostel me passar as instruções do que eu deveria fazer no outro dia, para conhecer a cidade de Machu Picchu. Que maravilha agora poderia descansar, minha vontade era que passasse o mais rápido possível aquela noite, pois de manhã entraria naquela cidade de meus sonhos.

 

15.04.12 - Domingo - Machu Picchu

As 6,30 hs já estava acordado, tomei um desayuno e sai, foi ai que tive uma bela surpresa, que maravilha de paredões, como é lindo aquela paisagem!!!!! ::otemo:: Não sabia daquela beleza, pois, tinha viajado á noite, não tinha noção. Por isso quando você for, procure ir durante o dia, o trem tem na parte superior janelas, dando visão de e todo o trajeto. Peguei então o micro-ônibus, isto já era 7:00 hs.Chegando na entrada fiz parte do grupo azul a do Washington, onde encontrei novamente com o casal da cidade de Trujillo, que também estava no dia anterior no tur de Cusco até Águas Callientes. Conversamos, ou seja tentamos, mas deu para entender. O guia ficou com o nosso grupo até por volta das 11,00 hs e a partir desse horário quem quisesse poderia ficar mais um tempo nessa belíssima cidade.Como o meu trem só sairia as 18,45 hs, foi o que eu fiz, apreciei, curti sua beleza e seus mistérios. Estava realizando o meu sonho de vários anos. Eu ali e a cidade ao meu redor. Já era por volta das 16:00 hs, o meu estomago estava doendo, ai me lembrei que não tinha comido nada até aquele horário (é proibido lanches só água), resolvi então descer e comer alguma coisa. Mas na saída um ultimo olhar, a saudade já estava entrando em minha alma. Procurei um restaurante bem de frente com a linha férrea, tendo ao fundo o rio Urubamba. Depois fiquei passeando pela a cidade, tinha que esperar o trem e novamente fiquei bronqueado com o Colbert, pois, iria fazer novamente a viagem a noite sem apreciar as belas paisagens que o caminho dá aos turistas (juro que da próxima vez, pegarei o trem de ida e volta no horário do dia).Por volta da 20,30 hs chegamos em Ollanta e tinha uma senhora ( com um cartaz com vários nomes, com o meu incluso) nos aguardava. Ela me levou junto com mais 5 turistas até ao micro-ônibus. Chegamos em Cusco lá pelas 22,30 hs, num cansaço. Como tinha combinado com o hotel de deixar a minha mala e não pagar uma diária, o atendente me deixou em um novo quarto. Pena que não tinha uma boa ventilação. Mas como eu estava num prego, só resolvi tomar um banho e descansar.

 

16.04.12.- Cusco

- De manhã estava na recepção a atendente Jéssica, pedi a ela que me mudasse de quarto, gostaria de voltar ao antigo. Como ela é muito atenciosa, me disse que naquele dia um outro quarto seria desocupado, era do lado do que eu estava, sendo assim aceitei porque voltaria a ter uma visão da praça Regocijo. Fiz um tur pela cidade, conhecendo os principais atrativos, como a Plaza das Armas, a Catedral, o Musel De La Mercedes, o mercado San Pedro. Tirei muitas fotos. Aproveitei neste passeio e comprei um pacote turístico que faria a tarde. Quando era lá pelas 13 hs, sai em tur para Saqsayhuaman, Q'Engo, Pukapukara e Tambomachay. Belo roteiro, belas paisagens, com um guia (muito bom) e um bom ônibus. Recomendo aos amigos que quando estiver em Cusco, procure a fazer uma cotação de preços. Negocie, existem vários preços. Aproveitei a noite e comprei pela Agência de Viajer Tahuantin Soyo um tur de Cusco a Puno. Neste tur estava incluso o ônibus, o guia turistico e a refeição.

 

17.04.12 - Cusco para Puno

 

Marquei com o agente Rubens, da Viajer que me pegou no hotel as 7:00 hs e fomos caminhando até ao ônibus, que ficava bem próximo da praça Regocijo. A empresa de ônibus é a Turismomer (http://www.turismomer.com" onclick="window.open(this.href);return false;) bom ônibus, o guia Ronald, mostrou experiência e dedicação aos turistas, havia também um serviço a bordo,viagem nota 10. A viagem tinha como duração aproximadamente 11 horas. Passamos pelas cidades e sítios arqueológicos da Andahuaylillas -( chamada de capela Sistina das Américas, os altares são decorados com muito ouro e têm um colorido que não é comum em imagens católicas. As paredes são recobertas de pinturas, no melhor estilo da escola cusqueña). Raqchi ( Famoso por ter o templo de Wiracocha). A parede que ainda resta da construção é impressionante, andei ainda pelos arredores do templo entre casas e outras moradias, que ainda permanecem em pé. Ao redor vi muitas plantações, um povo simples e acolhedor), na cidade de Sicuani ( paramos no restaurante Buffet Lunch, onde serve uma comida deliciosa, com vários pratos típicos do Peru. La Raya ( neste trajeto vi ao redor montanhas com seus picos nevados e o ponto mais alto com 4.335 m acima do nível do mar). Passamos por Pukara ( situada a 106 km da cidade de Puno. Povo de ceramistas que acreditam ser a primeira civilização do sul do Peru, cuja a origem remonta a 1.600 anos a.C e, cujos restos arqueológicos estão expostas no museu local). Muito bom este roteiro, com cidades e construções incas e povos pré-incas. Chegamos na cidade de Puno, por volta das 18:00 hs. Me despedi do pessoal e no local estava uma senhora que me aguardava e levou ao hotel (hostel Arquipa , com quarto simples ), bem próximo da Plaza de Armas. Depois do banho fui jantar no restaurante La Estancia Parrilleria uma refeição saborosa, algo bem brasileiro um arroz, um puré, um molho e carne de boi. Fiz um tur pela cidade. Cidade bem simples e, como em todas as cidades do Peru, bem barulhenta com as buzinas dos carros. Pelo que eu notei todos os motoristas ficam com uma mão no volante e outra na buzina..rssss. Aproveitei e comprei no hostel, um pacote turístico para as Ilhas Flutuantes de Uros.

 

18.04.12 - Puno - Ilhas Flutuantes de Uros

As 9:00 horas fui apanhado no hotel com destino ao cais. Saímos em uma lancha, que por sinal bem equipada e bem aconchegante. Eramos em torno de 20 pessoas.Fiquei chateado de ver que as margens do lago Titicaca, o lixo é acumulado. Vi também que o esgoto da cidade de Puno é jogado de uma forma indiscriminada, sem nenhum cuidado. Pensei, um patrimônio como este sendo alvo de tanto descuido? Chegamos em uma das tantas ilhas que existem. Elas são feitas de um vegetal abundante nas margens do lago as totoras.Fomos recepcionados por senhoras que cantavam em sua língua nativa, elas estavam bem trajadas com roupas coloridas tipicas daquele povo. Fomos conhecer a casa dos moradores, casas simples feitas também de totaras. Acho que o líder da comunidade, era o responsável para dar explicações aos turistas de como era feito as ilhas. Ele nos informou que hoje a principal renda das comunidades é o turismo sendo complementada pela pesca. Eu e uma outra turista (me parece que era alemã), fomos convidados por uma senhora da comunidade, para fazer uma visita a sua casa. Nos apresentou seus filhos, que acredito que tinham uma idade de 4 e 7 anos.Ela disse, que fica na ilha fazendo artesanato e atendendo os turistas. Já seu marido, pratica a pesca como complemento da renda familiar e é também o responsável pela coleta da totoras que são utilizadas para reposição da s ilhas. Comprei dela umas peças de artesanato, muito bem feitas de um rico colorido. Eu e alguns turistas fomos navegar com um barco tipico das ilhas, feitos também de totoras. A viagem durou aproximadamente uns 40 minutos. Ao voltar para a lancha, fomos novamente surpreendidos pelas senhoras da ilha que cantavam como sinal de despedida. Voltamos para a cidade de Puno, por volta das 13:00 hs. Estava com uma tremenda fome e fui almoçar.Tinha que almoçar bem rápido. Na noite anterior comprei uma passagem no centro da cidade de Puno com destino a Arequipa, pela empresa Cruz del Sur, com saída para as 15 hs. Voltei ao hotel e peguei um táxi que me levou até ao terminal rodoviário. Recomendo a empresa Cruz del Sur. No trajeto belas paisagens. Cheguei no terminal rodoviário de Arequipa por voltas das 20.00 hs. A rodoviária fica meio afastada do centro da cidade. Uma fila imensa de táxi se forma ao redor desse terminal. E como já estava acostumado a perguntar primeiro qual o valor da corrida, ou seja, para não ter um preço abusivo no final, combinei com um taxista de me levar até ao Hostel Bolivar (já tinha reservado com antecedência). Tudo combinado com o taxista, valor acertado de 7 soles. E lá vamos nós. Papo vai papo vem muito atencioso, fomos para o centro. Foi uma corrida de aproximadamente 20 minutos. Quando chegamos ele quiz me cobrar 10 soles. Não aceitei. Falei que tinha combinado com ele 7 soles e pagaria o que foi combinado. Ai vem aquela conversa que o justo para a corrida seria os 10 soles, que ele estava ali já a muitas horas de trabalho e que era noite e tal. Foi então, que eu falei que os 10 eu não pagava, que ficaria num valor intermediário a sim mesmo a contragosto, se ele quisesse pagaria somente 8 soles para acabar com aquele assunto. Então ele aceitou.Cheguei no hostel Bolivar ( http://www.hostalbolivar.com" onclick="window.open(this.href);return false;),fica apenas algumas 4 quadras da Plaza de Armas. Tem um bom preço US 19,00,com desayuno, com bom atendimento e quartos individuais. Pena que o chuveiro é ruim com pouca água e não esquenta, isto é, uma das características marcantes nos hotéis que passei no Peru.

 

19.04.12 - Arequipa

Aproveitei o dia e fiz uma bela caminhada pela cidade. Arequipa é uma cidade muito dinâmica. No centro tem muitas lojas de diversos artigos com um preço muito bom. Em especial vale uma visita ao mercado São Camilo, com uma variedade de produtos e preços. Depois estive na Casa de Cultura que alberga o museu Santuários Andinos. Na bilheteria, avisaram que Juanita está em manutenção, mas em seu lugar está sua companheira Sarita, que na época que foi sacrificada tinha em torno de 17 anos. É impressionante ficar de frente com os restos mortais de uma pessoa que viveu a mais de 500 anos. Seu estado de conservação é excelente. Vale a pena fazer esta visita a este museu.

 

20.04.12 - Arequipa - Vale do colca

 

No dia anterior a recepcionista do hotel Bolivar providenciou junto a uma empresa de turismo um tur pelo Vale do Colca. O pessoal da agência foi me pegar no hostel as 2,30 hs da manhã. Van muito boa, bem confortável. Como iriamos passar por áreas muito frias, nos deram cobertores. Durante a viagem paramos em um lugar bem simples, para um desayuno. Como sou fumante, fui o último a chegar e só tinha um lugar em uma mesa onde estava sentada uma moça Russa. Tentei conversar como ela. Como não sei quase nada, aliás nada mesmo de inglês e nem o espanhol, foi até hilário a nossa conversa, que se restringiu a umas poucas palavras. Então alguma mimicas foram utilizadas. Alguns momentos ficava eu e ela com cara de paisagem. Já estava clareando o dia. Durante o trajeto paramos em um ponto que estava a aproximadamente 5.000 metros acima do nível do mar, onde havia muita neve, uma paisagem deserta mais muito bonita. Foi para mim muito divertido, pela primeira vez estava em contato com uma região nevada. Que experiência, frio neve e um lugar mágico. Pena que ficamos apenas uns 15 minutos. Foi muito rápido, mas prazeroso. Chegamos na cidade de Chivay. Cidade simples ruas estreitas. Pegamos uma estrada de terra. A cada momento o vale se tornava mais íngreme.Paramos umas três vezes, e a cada visão mais linda. Ao longe via os campos cultivados como a séculos. No último ponto, seria feito uma caminhada, é muito cansativo, pois o ar rarefeito mina as nossas forças. Tive que parar algumas vezes para encher o pulmão de ar. Da medo de saber que a centenas metros abaixo, está o rio Colca, com algumas construções e até mesmo uma estrada, parecendo miniaturas. Agora me lembrei que recentemente em julho/12, uma garota de seus 24 anos, tinha sofrido um acidente, bem ali próximo, ela estava com uma montaria fazendo uma trilha e me parece que a mula escorregou e ela caiu a algumas centenas de metros abaixo, foi fatal. Fomos então ao mirante do condor e por sorte vimos apenas um condor que estava se mostrando aos turistas. Até parecia que ele queria se mostrar ia de um lado para outro, tirei várias fotos. Na volta passamos em um lugar que tem umas termas. Bem próximo daquele lugar vi uma ponte que parece que está ali a pelo menos alguns séculos, desde a época colonial. No caminho na volta apreciamos o vulcão Miste, beleza de paisagens. Vimos várias fazendas de criação de lhamas e alpacas. Num trecho da estrada se deparamos com uma manada de alpacas.Chegamos em Arequipa lá pelas 17:00 hs.

 

21.04.12 - Arequipa

Novamente fiz um tur pela cidade. Aproveitei e fiz algumas comprinhas. Pena que estava sozinho e a minha mala era pesada (chinelos, toalhas, pijama, remédios, mapas, roteiro, blusas.... ufa!!!! parecia que ia ficar anos por lá.. ::lol4:: .) e não quiz me exceder nestas compras, mas comprei uma calça, duas camisas, 2 cintos. Falando em camisa cheguei até a comprar uma camiseta da seleção brasileira. A vendedora deu uma risada pois, um brasileiro comprando uma camiseta da seleção brasileira em solo peruano. Dei também risada e, falei que estava comprando uma verdadeira camisa da seleção brasileira feita no Peru. Como estava com o dia livre,e já tinha me programado para ir até Nasca, peguei um táxi indo até a rodoviária de Arequipa. Chegando lá, várias empresas faz este roteiro. Fiz então uma pesquisa de preços e, lógico como já estava a dias no Peru, pensei agora vou fazer uma viagem mais barata. Pesquisa vai, pesquisa vem, comprei a mais barata pela empresa Andorinã Pluma, com saída para o próximo dia as 5:00 hs da manhã. Voltei para a cidade e como já estava com fome, fui até um restaurante, que aliás muito bom. A sim que falei as primeiras palavras, o garçom abriu o sorriso e me perguntou, es brasileiro???? Falei sim....mas como você descobriu???... ::hahaha:: Me disse que adorava os brasileiros, principalmente as mulheres brasileiras - mui bonitas.... (já tinha ouvido isto em Lima, Cusco, Puno.) que o Pelé e Ronaldo fenômeno foram os melhores jogadores, que a musica brasileira é boa.Me sugeriu um bom prato (arroz, fritas, salada e carne de res). Foi buscar o meu pedido. Alguns minutos depois, no restaurante começou uma seleção de músicas brasileiras, com bossa nova, músicas da década de 80 e até mesmo um sertanejo. Fiquei um bom tempo, pois a saudade da terrinha já estava batendo no peito, principalmente de estar em um local que estava me fazendo lembrar de minha pátria. Ao me despedir o garçom me estendeu a mão e com um sorriso dos mais gentis, agradeceu e pediu que voltasse sempre. Agradeci pela hospitalidade.

 

22.04.12 - Arequipa - Nasca

 

Sai do hostel la pelas 3,30 hs, já estava me aguardando um táxi. O ônibus saiu no horário. Este ônibus não possui um serviço como da Cruz del Sur ou da Oltursa, fiquei na parte superior do lado esquerdo, ou seja do lado do motorista na primeira poltrona a visão era tremenda da estrada. A principio me lembrei que era desse lado que poderia contemplar o oceano Pacifico. Então vamos lá. Até que no inicio a viagem estava tudo normal, mas quando pegamos as montanhas, o desespero me pegou. Em vários trechos a rodovia é estreita, com curvas fechadas, do meu lado chegava a ver os desfiladeiros e ai passava um pensamento: e se cair daqui como é que ficaremos??? lógico ficaremos fu... Do outro lado, na primeira poltrona, estava um casal. A cada curva, o motorista invadia a pista contraria, a mulher gritava. O pior que umas 20 vezes ficamos de cara a cara com caminhões, no primeiro pensei já virei paçoca, mas depois dos décimo, passou a ser aventura. Mas a mulher não pensava assim. Teve uma hora que o seu marido a segurou, ela estava querendo descer e bater no motorista, falava que ele estava correndo muito e por diversas vezes quase provocou um acidente. Os passageiros se divertiam, eu também. Neste trajeto o risco de avalanches de pedras é normal. Nem pensei em olhar para cima, já estava muito preocupado com os desfiladeiros.... ::lol4:: A visão do Pacifico é linda. Só de saber que conheci um outro oceano... Foi uma viagem de aproximadamente 10 hs. Estava quebrado. Mas com o espirito de aventura, devido a esta viagem. Cheguei em Nasca lá pelas 15 hs. Não tinha feito nenhuma reserva em hostel. Fui então procurar. Passei em 4 hotéis, não gostei.As malas estavam pesando uma tonelada, o calor sufocante. Voltei então para a Plaza de Armas, sentei em um banco. Ao olhar para frente, vejo um hotel e pensei vou ver quem sabe? Já seria o 5º, tenho até a noite para procurar. Ao entrar notei que era simples e bem limpo. Pedi a recepcionista se poderia dar uma olhada no hotel, e ela prontamente me mostrou. Achei ele bem arejado, os quartos bons.Notei que na parte superior tem uma área em que você pode contemplar a cidade em uma visão de 360 º . Preço também bom 55 soles o dia. Aceitei e fui correndo tomar um belo banho.Deitei por umas 2 horas. Ao anoitecer fui fazer um tur pela cidade. Praça limpa, mas ao redor uma cidade que tem muita sujeira. Comi um lanche na praça central, voltei para o hotel e, pedi a recepcionista com nome de Míriam se possível providenciasse um tur pela cidade de Nasca e ela me falou que tudo bem. Passou apenas uns 30 minutos e chegou um guia turístico de nome Rosé. Que figura, me fez lembrar do Colbert de Cusco. Pessoa alegre, comunicativo. Queria me vender todos os pacotes turísticos para aquela e outra região. Me ofereceu um voo para as linhas de Nasca. Como tinha lido vários relatos desse voo em que as pessoas se sentem mal, achei melhor esperar por outro dia. Combinei então de fazer um pacote para ver o cemitério Chauchilla, a oficina de oro, cerâmica, o aqueductos, os paredones y gioglifos.

 

23.04.12 - Nasca

O hotel oferece um dasayuno simples. Esperei e chegou a van para me levar aos pontos turísticos que havia combinado com o Rosé.A principio era para ter mais 3 turistas, perguntei ao guia cadê os outros??? Ele me explicou que os três tinha passado muito mal e que duas turistas ainda continuava internada no hospital, devido ao voo sobre as linhas de Nasca. Ai pensei será que devo fazer este voo?? E a minha pressão?????? ::mmm: Fui sozinho com o guia na oficina de oro e a oficina de cerâmica. É interessante ver o trabalho artesanal da coleta e trabalho em ouro. A senhora que é a artesã da cerâmica, me disse que o processo que ela usa data de centenas de anos, arte que ela reproduz do povo nasca. Me mostrou algumas peças originais desse povo. Me ofereceu para comprar algumas peças feitas por sua oficina. Como sou econômico e como já estava muito pesada a minha mala, não comprei. Enquanto visitava a oficina o guia foi pegar um outro turista. Fiquei aguardando.Quando retornou para me pegar, estava um japonês, que tinha nascido e morava nos Estados Unidos. Cara sorridente e quando ficou sabendo que eu sou brasileiro já foi falando: já estive no Rio de Janeiro, lindas praias, mulheres mui lindas!!!Futebol bom, Ronaldinho .....

E assim foi divertido até que chegamos ao cemitério Chauchilla. O guia nos acompanhou até metade do caminho, explicou que aquele local era um cemitério do povo Nasca, que infelizmente, foi alvo de saqueadores de túmulos, que a conservação das múmias se fazia por um processo natural, que ali era extremamente seco, sem chuvas o ano todo. A imagem é impressionante. Depois eu e o Japa americano fomos conhecer outra parte do cemitério. Vimos que tinha muitos pedaços de cerâmica, muita ossada espalhada pela região. Notamos que aquele cemitério não é bem cuidado pelo governo. O que separa o visitante dos túmulos é apenas uma fita, ou umas cordinhas, em que alguns pontos elas nem existem. Fica fácil de qualquer pessoa mexer nas múmias. Até mesmo levar algo dali. Espero que as próximas gerações ainda consigam vê-las. Voltamos para a van e novamente o assunto foi o Brasil. Me senti bem de ser brasileiro. O guia já tinha atendido vários brasileiros e que, de todos os turistas que visitam Nasca os brasileiros são especiais, são amigos, são divertidos, além de ter as mulheres mais lindas (outra vez). Chegamos as 14:00 hs e estava com uma fome danada. Bem ao lado do hotel tem vários restaurantes populares com excelente preços. Fui em um que fica do lado direito ao hostel. Com 5 soles, tomei uma sopa, uma refeição com arroz, peixe e salada, com direito a chincha. Tinha combinado com o Rose para ir em tur em outras praças da cidade.Voltei ao hostel e o Rosé me disse que a van não seria possível, que os turistas tinha desistido, estavam ainda mal e, que ele me levaria em seu carro. Falei tudo bem e, la vamos nos. Entrei no carro, a porta quase que não fechou, o banco estava torto, uma poeira tremenda.Mas era diversão então já que estava aqui. Pegamos uma estrada de terra (pó) e chegamos nos aquedutos que fica bem próximo da cidade. Fiquei impressionado com o abandono que está aquele lugar. De um lado existe os muros de um hotel. Do outro uma área de plantio que usa a irrigação, que seu nível está acima dos aquedutos.Tinha estourado um canal de irrigação, água e barro estavam entrando em demasia nos aquedutos. Perguntei ao Rosé porque aquele abandono??? Disse a ele que também o cemitério que tinha visitado estava abandonado. Ele me disse que aqueles são pontos turísticos secundários, que grande parte dos turistas só aparecem em Nasca para fazer o sobrevoo sobre as linhas. Então poucos turistas e o poder público não tem investido ali. Saímos e fomos visitar os geoglifos bem próximo daquele lugar. Outra decepção, passamos em um bairro bem simples, que fora criado para atender as famílias que tinham sido vitimas de terremoto, estavam ali ocupando um espaço muito próximo ao sitio arqueológico, então a sujeira, o lixo e as depredações estavam bem visíveis. Seguimos para os paredões, um sitio arqueológico que foi construído pelos incas, onde era um centro de administração regional. Este sitio arqueológico fica próximo a rodovia, muita sujeira, mais abandono. Bem próximo dali, Rosé disse que havia um antigo cemitério inca que também foi saqueado e que está sendo destruído pelo abandono da administração pública. Ele me confidenciou que fica chateado de mostrar estes sítios aos turistas, muitos notam o abandono e sua preocupação é se num futuro próximo, Nasca só terá as linhas para os turistas. Resolvi não fazer o sobrevoo sobre as linhas de Nasca. Achei arriscado, fiquei preocupado.

 

24.04.12 -Nasca - Ica

 

Sai do hotel para pegar o ônibus das 11,30 hs pela Cruz del Sur. Não quis me arriscar em uma nova aventura. Encontrei com a russa que estava no mesmo tur do Vale do Colca. Tentamos conversar, mas ficamos nos Buenos Dias e novamente com o olhar de ver paisagem. Fiquei no pavimento superior, do lado do motorista, para apreciar a vista do oceano Pacifico. Cheguei em Ica lá pelas 14 horas. No terminal da empresa peguei um táxi e pedi ao motorista que me levasse ao hotel Ollanta. Acredito que ele não entendia o meu portunhol e eu não entendia o seu espanhol e fui levado a um hotel diferente. Ele afirmava que era ali o hotel que tinha lhe pedido. Entrei neste hotel e conversei com o recepcionista, perguntei o preço e o valor passava do que eu estava querendo, ou seja o preço era de US 100 dólares a diária. Pedi desculpas e estava saindo. Nisso o recepcionista me chamou e se prontificou de chamar um táxi, do qual aceitei. Depois de alguns minutos, chega o táxi e o recepcionista instrui o motorista de qual era o local certo do hotel Ollanta.Alguns minutos depois estava neste hotel. Hotel bom, quarto muito bom, o chuveiro com bastante água, bem limpo.Tomei um banho e já estava fazendo um tur pela cidade. Não gostei da cidade, achei muito barulhenta (característica de todas as cidades que estive) fui almoçar e ao mesmo tempo jantar em um restaurante popular, onde foi servido uma sopa de entrada, e um prato com arroz, fritas e uma salada com um creme adocicado. Não sei o nome desse prato, mas sei que a cerveja se chama cusqueña :D .Resolvi voltar para o hotel caminhando, pois o hotel tinha me dado um mapa da cidade e o recepcionista assinalou quais as ruas e avenidas que deveria tomar para voltar ao hotel. Vi que no caminho tem um museu com o nome de Regional. Já era umas 17,30 hs e ele fecha as 19:00, então entrei. Muito bom este museu. Lá tem varias cerâmicas, objetos e múmias, crânios alongados e muita coisa dos vários povos que habitavam aquela região. Recomendo aos amigos esta visita é muito rica de informações. Cheguei no hotel la pelas 20 hs, e como estava muito quente, resolvi passar em uma mercearia e pedi uma cusqueña, logo pedi mais uma.

 

25.04.12 -ica - Pisco

 

Como não gostei de Ica e como não estava a fim de surfar e nem andar de bug na dunas resolvi ir para Pisco, acreditava que lá seria bom porque estava querendo ir até Paracas e, como me pareceu ser uma cidade maior pelo mapa, deveria ter mais atrativos. No centro de Ica tem uma agência da Perubus que, a cada 15 minutos sai um ônibus para Lima. O preço da passagem é bem baixo. É um tipo de ônibus intermunicipal. A viagem para Pisco é de aproximadamente 2 horas.Quando estava no guichê, perguntei ao vendedor se o ônibus ia até o centro de Pisco, ele me disse que sim. Então comprei a passagem. Quando já passava das duas horas de viagem, chamei a senhorita do ônibus e perguntei se faltava muito para chegar em Pisco. Foi ai que fiquei preocupado. Ela me disse que o ônibus já tinha passado na CRUZ de Pisco, ou seja, eu deveria ter descido a alguns quilômetros atrás, e que agora deveria pegar um táxi, ou mototáxi que levaria alguns minutos até ao centro.Graças a minha sorte, desci no último bairro da cidade de Pisco, São Clemente de Pisco - região bem simples, no meio do deserto. Ai sim eu fiquei bronqueado comigo mesmo de não ter me dedicado a aprender o espanhol. Primeiro quando fui comprar a passagem entendi que a atendente havia me dito que o ônibus entrava na cidade e não que ele passava próximo, o segundo foi de não ter entendido o que a moça tinha falado a alguns minutos, o seu aviso de que já estava no cruzamento de Pisco. Em todas as cidades que estive, as mototáxis e os táxis são abundantes. Por sorte peguei uma motoneta (mototáxi) e tentei explicar ao condutor que estava querendo ir ao centro de Pisco. Ele fez um sinal que tinha entendido, mas que só iria me levar até um trecho, pois, não poderia pegar a estrada e que em um lugar eu deveria pegar um táxi. Em um certo ponto, bem próximo de uma ponte, havia um táxi, ele conversou com o motorista, pedindo que me levasse. Agradeci a sua gentileza. Fui então para o centro de Pisco. Comecei a caminhar e não gostei muito dessa cidade. Ela me pareceu uma cidade sem muito atrativo. Vi que a praia estava muito longe. Resolvi então pegar uma mototáxi para ir até Paracas. Em alguns segundos, parei uma. Já o condutor me explicou que só poderia me levara em um ponto de táxi. Novamente veio a explicação, que ele só poderia percorrer o trecho urbano, não poderia pegar a estrada.Então, me levou até uma região central da cidade, muito movimento, parecia com um mercado a céu aberto, muito barulho e até um lugar meio sujo, com forte cheiro de peixe. Me indicou um carro que parecia um santana.Dentro do veículo no banco traseiro havia um casal e, no banco da frente um senhor. Ai percebi que aquele era um veículo de lotação, algo comum nas cidade do Peru. Vi que muitas pessoas que possuem veículos particulares, o utilizam como meio de um ganho extra. Entrei e o cheiro de peixe se acentuou. Quando olho para trás, para ver o motorista colocando a minha mala, havia algumas caixas e um motor. Dentro das caixas estava a explicação do cheiro acentuado dentro do carro, elas continham peixes :cry: .Já que estava ali, tudo bem, vamos então para Paracas.Percorremos aproximadamente uns 30 minutos e chegamos. Este local é um bairro de Pisco, lugar pequeno, bem limpo, ponto para turistas. Fui então ao Hastal El Amigo que fica bem na esquina da avenida.Verifiquei que era simples mais bem organizado, com bom preço e sem desayuno.Aproveitei que ainda era cedo,e fui passear na orla marítima. Vi que é difícil pegar praia por ali. A água é gelada, tem muitas algas, pedras e uma areia bem diferente daqui de nosso país, ela é grossa e muito pesada para caminhar sobre ela. Na praia havia muitas aves, bonito de se ver. Resolvi ir ao restaurante, para almoçar e, experimentar o verdadeiro ceviche. Antes pedi uma cusqueña bem gelada. Gostei do ceviche e, principalmente na combinação com a cerveja...rrssss. Caminhando, encontrei um pequeno cais. Lá queria tirar informações sobre o passeio para as ilhas Ballestaras e Reserva de Paracas.Fui então indicado para uma senhora chamada Regina que me vendeu um tur para os dois locais. Gostei dessa pessoa, ela é bem simples e depois demostrou ser muito honesta, o que ela combinou tratou direitinho, prestando toda a ajuda em que precisei.

 

26.04.12 - Paracas

 

Já era 7.30 hs da manhã. No horário combinado lá estava a Regina me aguardando, me levou até ao cais, para pegar a lancha. Lancha bem equipada, bem limpa, com bancos estofados, com uma capacidade de levar vários turistas. Durante o trajeto passamos pelo candelabro. Ninguém sabe de fato a origem daquele desenho. Alguns acreditam que foi feito pelos povos que habitam aquela região. Outros acreditam que foi feito pelos piratas que viviam naquela área, servindo como um tipo de ponto de localização. Outros acreditam que foram obras dos E.Ts, com este pensamento colocam os nativos daquela região como seres inferiores, incapazes de criar uma civilização, que na época da conquista estava em em pé de igualdade com os europeus. Talvez seja a primeira e a segunda hipótese seja a explicação mais louvável. Depois de uns 30 minutos de lancha, chegamos em um local onde tinha, lobos marinhos, pinguins, gaivotas e outros tipos de aves, estas últimas chegam a ser milhares de indivíduos. As formações rochosas é espetacular. Bom passeio, vale a pena. Voltamos la pelas 13,30 hs. E como estava com o tempo muito curto, resolvi voltar ao hotel e apenas tomar um banho. Logo desço e, novamente me encontro com a Regina, que estava me esperando para levar ao micro-ônibus para o tur na reserva Nacional. Quando entro no micro o meu portunhol logo me denunciou ::hahaha:: que eu era brasileiro e o dono da van me perguntou em português de que região eu era. Caramba pensei que fosse um brasileiro, mas ele me disse que tinha vivido muito tempo no Brasil, aproximadamente uns 20 anos. Que tinha morado no Espirito Santo e que estava casado com uma brasileira e o seu filho ainda morava no Brasil. Me explicou que tinha ido jovem para o Brasil e, tinha se formado pela UFMG. Falou que adorava o Brasil, mas que como tinha uma empresa de turismo, tinha que ficar no Peru. Se pudesse ficaria no Brasil. Ficamos todo o trajeto conversando, sobre futebol, as florestas, o churrasco,a cerveja brasileira e, o turismo feito pelos brasileiros naquele país( pena que esqueci o seu nome). Achei bem interessante a Reserva. Foi mostrado que naquela região ainda hoje é tirado muito sal. As praias tem um colorido único, chegando do vermelho ao cinza. O guia explicou que aquelas múltiplas colorações é devido a cada tipo de minério. Notei que o deserto é uma marca registrada daquela região. Neste tur conheci dois irmãos brasileiros o Erico e sua irmã Roberta Soledade, pessoas bacanas, que almoçaram comigo.E ainda hoje se correspondemos.

 

27.04.12 - Paracas - Lima

 

Quando levantei fui direto para uma Agência de turismo, que vende passagens de ônibus para Lima. Por sorte só tinha um único lugar a cadeira superior nº 13. Pensei caramba só sobrou a do número 13, vou nesta gosto desse número é pra mim. A empresa é a Oltursa. O horário estava programado para as 10.00 hs. Então tinha que correr ao hostal e arrumar a minha bagunça. Me despedi do Sr. Guillen, que foi muito amigo, enquanto estive por lá. Achei o atendimento e as dependências muito boas, pena que ele não tem o desayuno, mas tudo bem. Como a Agência ficava a uns 100 metros de distância e a bagagem estava pesada fui bem tranquilo. Cheguei mas o rapaz me disse que o ônibus estava atrasado. Esperei e já era quase 11 horas ele chegou. Viagem tranquila, com ônibus confortável. Cheguei em Lima lá pelas 15 hs. No próprio terminal tem serviço de atendimento de táxi, o que facilita muito a escolha de um. Peguei um e solicitei ao motorista que me levasse ao bairro Miraflores, no hostal Porta, tive informações dele e não tinha feito nenhuma reserva. Chegando neste hostal, o recepcionista me informou que ele estava lotado. O taxista me levou em outro hotel mas o preço era salgado algo em torno de U$ 100,00. Pedi a ele que me levasse em outro lugar bem mais barato. Pelo que percebi ele queria que eu fosse em um hotel indicado por ele, acho que ele ganha pela indicação ::bad:: .Ele só me mostrava hotéis, com valores superiores a que eu estava procurando.Ele me falava que la é bairro nobre e, por isso os hotéis são melhores e lógico com preços também alto, em relação ao resto da cidade. Pensei se eu não encontrar algo aqui, voltarei a posada Peregrinus, local que conheci e já tinha ficado no inicio da viagem. Como queria conhecer novos locais, fomos então procurar um outro.Quando estava passando por uma rua vi uma placa do Hause Backpackers, pedi ao motorista que parasse, ai ele me disse que aquele não era um hotel bom, que era só frequentado por mochileiros e coisas e tal, mesmo assim pedi que parece e fui pedir informações. Como este hostel não estava com todos os quartos ocupados, combinei com a recepcionista de ficar em um quarto individual. Disse a ela que ficaria apenas dois dias. Ela então aceitou e pediu que eu pagasse adiantado um valor de 120 soles, referente aos dois dias. Nem pensei 2 vezes, fechei com ela.Este house é simples com wc e quarto coletivo, bem localizado no bairro de Miraflores. Aproveitei e tomei um belo de um banho e fui fazer um tur pelas proximidades. Pensei que o centro de Lima era perto, caminhei umas duas horas, até que eu perguntei para uma lojista se o centro estava próximo e ela me informou que ainda estava bem longe e, que deveria pegar um táxi ou um coletivo. Foi isto que fiz. Peguei uma lotação. Vi que os meios de transporte no Peru, são precários, os ônibus em grande parte são muitos velhos e barulhentos. Os motorista por aqui, tanto de transporte coletivo como os motoristas particulares ficam com uma mão no volante e outra na buzina. Fazem verdeiras acrobacias no trânsito. Pedi ao cobrador um ponto mais próximo da Plaza de Armas, ele não entendia o que eu perguntava.Foi um senhor que notando minha dificuldade de diálogo, veio me dar informações. Me informou que ainda estava longe e assim que estivesse próximo me daria um alô. Começamos então a conversar e ele disse, que já tinha ido ao Brasil, principalmente em Foz de Iguaçu e que achava o Brasil lindo. Falamos um pouco de tudo. Ele me disse que tinha saudade de ver a seleção brasileira e que o Pelé foi o maior jogador de todos os tempos.Em conversa com vários peruanos, as pessoas que eles nunca esquecem é o Pelé, o Ronaldo fenômeno e também o Roberto Carlos.Chegando em um ponto ele pediu que eu descesse e que da avenida do lado direito, a algumas quadras estava a plaza de Armas. Me despedi, e agradeci. Passei pela cidade e verifiquei que o centro de Lima é muito dinâmico, com vários prédios antigos. Aproveitei e como já estava ficando tarde, passei em um restaurante. Como já estava me acostumando com a sopa de entrada, a pedi e tomei, e veio o prato principal. Peguei novamente um micro-ônibus. Pedi a uma senhora que assim que chegasse em Miraflores me desse um alô. Alguns minutos depois, a senhora me deu um alô e desci. Olhei para os lado e me senti perdido. Havia muita agitação. Tinha esquecido o nome da rua bem como o nome do hostel. Olhei novamente para os lados e pensei, agora estou... ::lol4:: ...Sentei em um banco que estava próximo e pensei e agora ::essa:: ??? Foi ai que me lembrei: parece que eu peguei um cartão do hostel. Procurei ma minha carteira e la estava.Fiquei tranquilo ::hãã2:: . Agora é só saber onde ele ficava. Peguei ele na mão e fui até a uma loja e o vendedor me disse:" desça esta avenida. Esta rua fica a umas 5 quadras daqui'.Agradeci e de fato estava la o meu hostel. Depois desse susto fui dormir. Amanhã seria o último dia de minha viagem, teria então que aproveitar o máximo possível.

 

28.04.12 - Lima

 

Levantei bem cedo, queria aproveitar o máximo possível. fui até a orla marítima. É muito bonito, entre o bairro e a praia, tem um paredão. A visão que temos é linda. Vi que também em Lima as pessoas não pegam a praia, com exceção dos sufistas. Vi que as praias tem muitas pedras, e a água é muito gelada (devido as corrente marítimas que vem do sul). Fui caminhando até que sem querer cheguei no sítio arqueológico Huaca Pucllana. São construções feitas com tijolos de barro. Os arqueólogos estão ainda na metade das escavações. Foi me dito que la era um centro de cerimonial e,que aquela cidade foi dominada por diversos povos e a cada dominação se construía em cima do antigo.Este sitio estava até recentemente escondido, foi ocupado até mesmo por um lixão. Como era um morro, acreditava-se que era apenas uma formação natural, até que descobririam seus altares, seus centros majestosos. A guia explicou que irá levar muitos anos, talvez mais uns 20 anos para ser escavado e conhecido parte de sua história. Já era aproximadamente uma 11 horas da manhã e resolvi pegar um táxi para ir até o centro da cidade. Combinei com o motorista o valor. O rádio do carro estava ligado e, que por incrível que pareça, começou a tocar uma seleção de músicas do Roberto Carlos. Fiz um comentário com o motorista: que aquele cantor era meu conterrâneo . Ai ele me fala então es brasileiro? Sim respondi. Ele me disse que adorava o Roberto Carlos, que ele possui vários Cds com músicas desse cantor. Que sempre o Roberto vai para o Peru fazer shows. Que recentemente o Roberto tinha ido para o Peru e que, ele levou a sua esposa e sua filha ao seu show. Que infelizmente naquele ano ele não pode ir, teve que ficar cumprindo um certo horário de trabalho junto ao táxi. Falou muito bem de nosso país, do nosso povo e também do nosso futebol. Me disse que estava triste que o seu país talvez nem participe da copa do mundo aqui no brasil em 2014. Depois ele fez um comentário que até achei chato. Ele acredita que o Maradona foi até melhor que o Pelé. Para ele o Maradona era o time, Já o Pelé pertencia ao Santos e a seleção, com ele havia bons jogadores, que armavam e desequilibrava outros times. Sendo assim ficava bem mais fácil para o Pelé marcar o gol Não concordei!! Ai ele deu um sorriso e me disse:"lógico que vc não concorda, vc ira defender o seu conterrâneo!!" Ele me deixou bem de frente a Plaza de Armas. Me despediu e, me desejou felicidades e mandou dar um abraço a todos os brasileiros. Achei ele super legal. Um senhor que pelo pouco que estive com ele, conhece muita coisa de nosso país. Além do futebol conversamos de política, de medidas econômicas, do papel do Brasil na América. Fiquei parado e olhando o táxi até sumir de vista. Pensei, um camarada que não é brasileiro e sabe muito mais que muitos de meus conterrâneo.Como estava na Plaza, fui até a Catedral, que estava bem próxima. Como em todas as igrejas do Peru, lá estava um aviso informando que era proibido imagens e fotos de dentro da catedral. Uma guia acompanhou o grupo que foi formado em questão de minutos.Quanta riqueza de detalhes. foram bem trabalhados. O ouro está em destaque naquela catedral. Não só lá, como também nas igrejas que visitei. Agora pergunto, tanta riqueza tirada de quem????? Os colonizadores para impor a sua doutrina e sua dominação, construíram majestosas igrejas, impuseram a sua religião, destruíram uma cultura milenar com seus costumes e língua. Percebi que em todas as igrejas que estive, também é proibido entrar de chapéu, ou boné. Por duas vezes os guardas pediram que eu os tirasse, em sinal de respeito a igreja. Notei que o povo peruano é muito religioso, tem um forte vínculo com a igreja. Notei que as igrejas são muito procuradas. Nesta Catedral está o túmulo de Francisco Pizarro. Notei que ele não é visto como herói, mas sim, existe um sentimento de repulsa por parte dos peruanos. Quando estava de frente ao túmulo olhei e pensei: "aqui está um indivíduo que junto com outros, com sua cobiça, com atitudes criminosas acabou com uma civilização, ele e outros foram responsável pela morte de até mesmo milhões de indivíduos, um povo que habitava o Peru, Bolívia, norte do Chile, Equador e até mesmo no norte da Argentina". Sei que este colonizadores implantaram um regime econômico, social e politico totalmente desconhecido pelo povo dessa região. Quanta riqueza roubada e miséria deixada como herança da dominação. Com este pensamento fiquei mal. Olhei para as paredes daquela catedral e senti que elas não estavam pintadas com ouro, mas sim com o sangue de tantas pessoas massacradas e destruídas. Novamente com a guia fomos para as catacumbas ver as ossadas de pessoas importantes da igreja e da sociedade local. Em um compartimento, havia crânios, de mandatários da igreja e da sociedade local. Pessoas que viveram e foram serviçais de um sistema econômico opressor no período colonial. E mais uma vez veio novamente um ar de questionamento. Aquelas ossadas que um dia foram pessoas e que na sua vida tiveram uma grande participação na conquista e destruição!!! Saindo nem quiz olhar novamente para aquela catedral. Fui caminhando e passei pelo Palácio do Governo. Próximo dali estava tendo uma feira gastronômica, com pratos típicos do Peru. Como já conhecia, alguma coisa pedi um ceviche com uma jarra de chincha. Almoço bom é muito barato. Partindo dali sem rumo e a fim de conhecer bem Lima, fui até um centro comercial que me fez lembrar da 25 de março em São Paulo.Em várias ruas era igualzinho. Lojas entupidas de gente, carrinhos transportando mercadorias, gritos de pessoas anunciando as ofertas das lojas, muitos camelos, vendendo de tudo e mais um pouco. Andei por várias ruas, já estava me familiarizando com as ruas de Lima.Fiquei por várias horas, andando pelo centro da cidade de Lima. Já estava tarde, deveria voltar e descansar, meus pés já estavam doloridos e amanhã teria que pegar o voo as 12:00. Poderia ter pego um táxi, mas como queria aventura decidi pegar mais um micro-ônibus. Lá vai eu outra vez com meu gravíssimo portunhol. Até que uma senhora de uma banca me informou "pegue aquele ali ele vai para Miraflores". Como já conhecia bem o bairro de Miraflores, pensei quando chegar desço e vou para o hotel! Ela vou eu. Já dentro do micro-ônibus o tempo vai passando. Quando acordo ja tinha passado e estava em uma região bem distante. Desci. E por sorte tinha um ponto de táxi. , negociei o preço e achei meio salgado 15 soles, mas como estava cansado, aceitei. Cheguei ao hostel, tomei um banho e resolvi ir jantar. Como era a ultima noite no Peru, resolvi fazer uma bela refeição. Procurei então algum restaurante. Já era por volta das 20,30 horas, na avenida Larco, esta bem próximo do hostel, tinha um fast food e dois restaurantes. Descartei o fast food. É comum por parte dos restaurante, colocarem placas, como o nome e foto dos pratos servidos.Vi um que chamou a minha atenção: "o combinado" Entrei e o garçom me traz o cardápio, nem peguei, já estava decidido no "combinado". Pedi primeiro uma cerveja cusqueña, bem gelada. Degustei aquela maravilha de cerveja. Alguns minutos depois chega o prato solicitado. Até que estava muito bom. Estava feliz comi e bebi bem nesta última noite de aventura neste lindo país chamado Peru. Mas a noite ainda estava começando......

Cheguei no quarto, liguei a tv os meus pés estavam inchados, dores nas pernas deitei.... Quando foi la pelas 22,30 hs, acordei suando, roupa molhada, calafrios, dor de cabeça sentia uma dor insuportável em todo o meu corpo. A vontade era tremenda de ir ao banheiro. Mas quando levantei a tontura era enorme, parecia que o quarto estava rodando. Fui me apoiando pelas paredes. Senti que estava com uma tremenda diarreia. Voltei, tentava dormir mas o frio, o suor e a dor de cabeça e, a vontade de ir ao banheiro era intensa. Das 22,30 hs até por volta das 4 horas da manhã, fiz uma peregrinação ao banheiro. Por sorte tinha levado uns comprimidos, um tipo de AAS, e no quarto havia uma garrafa de água. Tomei, estava ficando desidratado. O meu sofrimento não quiz compartilhar com ninguém. Sabia que o meu caso era de hospital. Estava com uma infecção. Poderia ser internado, passar horas em um hospital. Tinha que aguentar. O meu voo era para daqui a poucas horas. Tinha que ser forte. vencer aquela infecção. Depois das 4 hs, consegui dormir um pouco. Lá pelas 7 horas ja estava de pé. Ainda com dor de cabeça e no estomago. ::essa:: Resolvo tomar um banho, para me refrescar. Arrumo minhas coisas.Soco as roupas, os tênis, sem nenhum cuidado nas malas. Desço na recepção e tento tomar o meu café. Sinto que talvez aquela refeição seja pesado para o meu estomago fraco. Fico somente em um pedaço de pão. Me despeço do recepcionista, cambaleando vou para a avenida, pego um táxi. Olho e vejo o restaurante de longe. Ao vê-lo me senti pior. Passa um táxi, negocio com ele o valor da corrida. Achei bom o preço. Poucos metros depois passamos de frente ao restaurante, aponto para o taxista que naquele local tinha jantado e que ela tinha me feito um mal-danado, que ainda não estava bem. Não sei se ele entendeu. Resolvo fechar os olhos e ficar bem quieto. Rezava para que chegasse o mais rápido ao aeroporto e partisse para minha casa. Chegamos no aeroporto, o taxista parou na avenida, ele não podia entrar, não tinha autorização. Estava a uns 300 metros de distancia da entrada. Estes 300 metros foi uma viagem. Parava a cada momento. Tomava folego. Sentei, fumei um cigarro. Caminhei. Estava bem cedo, teria espaço para utilizar bem a vontade os banheiros. Na praça de alimentação queria comer alguma coisa, mas o medo de passar mal, e ser levado ao um hospital me proibiu. Como estava com uma forte diarreia resolvi, tomar vários copos de coca-cola. A cada 10 minutos, estava eu, lá numa peregrinação pelos banheiros. Acredito que conheci todos os que estavam em funcionamento naquele aeroporto. São limpos, higienizados, muitos bons. Passei pelo che kin, e algum tempo depois estava dentro do avião. Do meu lado estava um casal de brasileiros. Só sei que eu falei bom dia. Tentei ficar bem quietinho na minha poltrona. Rezei para que não tivesse necessidade de ir ao banheiro. As poltronas desses voos são apertadas e estava na janelinha do avião, seria incomodo a cada 10 minutos, pedir que o casal saísse e me desse passagem. Acredito que Deus me perdoou os meus pecados, me concedeu uma graça, durante as mais de 5 horas de voo, nenhuma vez fui ao banheiro, estava feliz!!! Me sentia um vitorioso. Chegando em São Paulo, ainda estava zonzo. Agora sim novamente a vontade, chegou corri. Fui umas três vezes. E nesta viagem pude constatar que os banheiros de Lima, são bem mais confortáveis e, muito mais limpo do que os daqui de Guarulhos.

 

Aos amigos mochileiros. Esta foi a minha primeira viagem ao Exterior. Notei que em todas as cidades que estive a segurança é boa. Os peruanos são bastante atenciosos, gostam muito dos brasileiros. Quando estive conversando com eles, o assunto girava em relação ao futebol, ao carnaval, e as belezas naturais que temos em nosso país. Sempre que for contratar algum serviço, negocie, faça pesquisa. Neste trajeto que eu fiz, verifiquei que é muito procurado por diversos turistas, por isso é encontrado diversos preços, sempre negocie.Em relação a comida, tive muitas dificuldades, não sabia o que era, antes de ir faça uma pesquisa, para não ser surpreendido.Sempre que for fazer um tur pelos pontos turístico veja o que é oferecido, sempre compre com os ingressos dos pontos que serão visitados.Quando for para Águas Calliente, procure não fazer como eu fiz, de ir na ida e volta o trem noturno, procure durante o dia, so depois fiquei sabendo que a paisagem é magnifica. Sempre tenha em mão uma garrafa de água. Leve poucos dólares, para qualquer necessidade, mas tenha um cartão internacional, pois em todas as cidade você terá a sua disposição vários caixas eletrônicos. Para as dores de cabeça, sempre tenha em mãos comprimidos do Acido acetilsalicílico (AAS), ele será de grande valia para as dores de cabeça devido a grande altitude (ou talvez como para o meu caso das dores de cabeça por causa da infecção intestinal....rsss). E não esqueça de aprender pelo menos algumas palavras em espanhol......rssss.

Gastos um total de R$ 4.000,00

 

 

20120915153311.JPG sacada do hotel em Cuzco, praça e sede do governo

 

20120915153345.JPG Pisac

20120915155559.JPGCatedral de Cuzco

20120915155630.JPGcomercio de rua em Cuzco

20120915155700.JPGentrada de Machu Picchu

20120915155729.JPGMachu Picchu

20120915160504.JPGSacsayhuaman

20120915160804.JPGRaqchi e os restos do templo de Wiracocha

20120915161008.JPG

20120915162132.JPGVale do Colca

20120915162202.JPGVale do Colca

20120915162301.JPGEstrada entre Arequipa e Vale do Colca +- 5.000 me acima do nível do mar

 

20120915234808.JPG Desfiladeiro entre Arequipa e Nazca

 

20120915235344.JPGcemitério Chauchilla

 

20120916000012.JPGaquedutos de Nasca

 

 

20120916001420.JPGIlhas Ballestras

20120916001929.JPGReserva de Paracas

20120916002536.JPGCidade de Lima - praias

20120916002955.JPGruinas de Huaca Pucllana em Lima

20120916003354.JPGCentro comercial popular em Lima

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Claudio, sinto em te dizer que USD$ 280,00 pra machu picchu é caro sim. dava pra economizar, por baixo, uns USD$ 80,00. mas se nao comprometeu outros planos, valeu, afinal, estar lá nao tem preço. nem mesmo diante das piramidês maia eu senti tamanha emoção.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E aí Claudio, tudo bem?

Cara, meus parabéns pela viagem!!! Entendo muito bem essa alegria que vc passou, pois eu tb fiquei muitos anos (e família... e filhos...) até conseguir fazer essa aventura.

Que seja a 1ª de várias, como tem sido pra mim!!

Grande abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi

Péricles David,

 

Tudo bem??

 

Com certeza esta não sera somente a primeira viagem. Agora os pimpolhos estão adquirindo a sua independência, a minha aposentadoria está chegando, o tempo será mais longo e então novas aventuras serão realizadas. Um abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Alectus

 

Tudo bem???

Sim concordo com você paguei mais caro, mas a emoção de estar lá curtindo aquelas paisagens, aqueles mistérios, fizeram com que esquecesse. Tem emoções em nossa vida, que não tem preço.

 

Um abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, Claudio!

Parabéns pela viagem e a realização do sonho!

Estou indo realizar o meu (conhecer Machu Picchu) em abril do ano que vem.

Como irei na mesma época que você foi, gostaria de saber sobre o clima. Em Arequipa você relatou sobre frio e neve. E então, que tipo de roup você me aconselha levar? Como moro num local quente, não tenho peças para frio. E me preocupo especialmente com os sapatos. Acredito que deva comprar uma botinha de caminhada. Você tem alguma orientação?

Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Outra coisa, Cláudio, lembra quanto pagou pelo tour no Vale do Colca? Estou fazendo uma planilha de custos e não tenho idéia desse valor.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Ana, boa noite. Me desculpe de só agora responder as suas perguntas. Mas vamos la. Fico feliz que você também esteja realizando seu sonho. Esta viagem é maravilhosa!!!

Quanto ao clima, no período que estive por lá era um clima gostoso. Na cidade de Cusco, o dia era de calor, mas quando chegava a tarde e principalmente a noite a temperatura caia bem. Sendo assim aconselho você a levar alguma blusa, não muito pesada. Em Arequipa, a temperatura também caia, não igual a Cusco, mas uma blusa também é o ideal. No tur que eu fiz ate ao vale do Colca, no ônibus que eu fui, o guia deu um cobertor para cada turista. Tive que sair do hotel as 2,30 hs da manha. Ficamos em alguns trechos a uma altura de 5.000 metros de altitude. La sim o frio é intenso, mas é apenas alguns minutos quando saímos do ônibus para ver a neve.Não se esqueça que o cobertor é o melhor abrigo nesta viagem. Quando era de manha, o calor ja estava muito bom no Vale do Colca, fiquei de camiseta. Quanto a escalada, no Vale do colca, vá com um tênis bem confortável, leve o que sirva para fazer caminhadas(utilize o mesmo calçados em Machu Pichu)Veja o meu relato da ida a Machu Pichu. Na minha viagem, levei um tênis e uma botinha de caminhada. Ambos, foram ideais para a viagem.Em Arequipa, fiquei no Hostel Bolivar. É um hostel simples. Os quartos pelo que verifiquei são bem arrumados. Um ponto bom é a sua localização, em uma rua próximo a Plaza de Armas, paguei a diária de US 19,00. Neste hostel eles indicaram uma agencia de turismo,(uma representante da Agencia foi até ao hostel) do qual negociei o valor do tur. A principio eles pediram 80 soles, pechinchei e consegui por um preço de 70 soles, com direito a guia e ao desayuno. O Almoço e a entrada ao Vale do Colca e também a uma piscina de águas quente era a parte. Não se esqueça que no vale do Colca, eles tem um preço especial para Brasileiros. Para outras nacionalidades o preço da entrada é de 70 soles, para os brasileiros a tarifa é de 40 soles.Outro item não leve muita roupa , somente o necessário.(levei tres blusas, 3 calças jeans, 4 shorts....rsssss e fora outras coisas.....rsssss) Em todas as cidades que eu passei, as lavanderias cobram bem baratinho a lavagem das roupas. Não esqueça de levar uma mochila pequena, para o deslocamento nos tur. Quantos dias você ira ficar por la? Espero ter ajudado. Caso haja necessidade de novas dicas, fique a vontade, estarei aqui para te ajudar. Um abraço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi, Claudio!

Muitíssimo obrigada pelas dicas. Tenha certeza de que ajudarão.

Tenho muitas dúvidas em relação ao meu roteiro e os detalhes em cada parada.

Peço que dê uma olhada no tópico peru-10-dias-ica-arequipa-e-cuzco-em-abril-2013-t76238.html#p782554 onde escrevi o que pretendemos fazer por lá.

Aguardo seus comentários e, mais uma vez, obrigada!

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Ana,

Estive olhando seu roteiro de viagem. Espero de uma forma te ajudar neste roteiro.

1º dia Lima, com chegada la pelas 9,30 hs - caso queira fazer compras, o melhor local é o comercio do centro, la eles tem uma região idêntica a 25 de março de São Paulo, com diversas lojas populares, onde o preço é muito bom. Vc relata que depois de Lima iria para Ica.

2 º dia. Para ir até Ica vc passaria primeiro por Paracas. Sendo assim eu acredito que vc devera ir direto para Paracas. La é uma cidade bem pequena com bons hotéis 9 indico o Hotel El Amigo, com bom atendimento. Neste hotel eles vendem os pacotes turísticos para as ilhas Ballestras e Reserva de Paracas. Esses dois tur devera ser feito em um dia. O primeiro é de manha, melhor horário para as ilhas e a tarde para a reserva de Paracas. De Paracas no inicio da noite ir( veja os horários de ônibus, veja a empresa Oltursa, que tem agencia) para Ica. Particularmente não gostei muito de Ica.É uma cidade grande, mal organizada. Mas tem um Oasis, que me disseram que é bom e que possuem adegas onde vc poderá degustar vinhos que são fabricados nesta região.

3 º dia - Ica. Oasis e adegas, compra de passagem para Nasca. Nesta cidade tem duas empresas muito boa que faz este roteiro, a oltursa e a Cruz del Sur, são ônibus bons, com bom atendimento.A viagem dura aproximadamente 3 hs. Vc poderá pegar o ônibus a tarde, depois do tur pela cidade de Ica e chegar ao anoitecer em Nasca. Tem um hotel, bem de frente a Plaza de armas, com bom preço e bem arejado. La também vc poderá comprar para o outro dia os ingressos para o tur pela cidade (veja os pacotes turísticos que vc poderá escolher, adaptando ao seu período de estadia nesta cidade. Vc poderá ficar apenas uma noite e um dia nesta cidade. Como vc ira para Arequipa, veja a possibilidade de viajar de noite. De Arequipa ate Nasca eu levei aproximadamente 10 horas. Vc poderá economizar uma noite em um hotel viajando a noite.

4 º dia - Arequipa. Tur pela cidade. para fazer compras esta cidade é muito boa. Cidade organizada, com bons museus. Aproveite este dia.

5º dia - Vale do colca. no dia anterior compro um pacote turístico para o Vale do Colca. Não se Esqueça que as saídas para o Vale do Colca é de Madrugada, geralmente depois das 2 horas da manha. Vc chegara no Vale do Colca la pelas 8 hs da manha. Será feito um passeio a pé, onde o ar rarefeito levara vc ao cansaço. Depois geralmente os ônibus levam os turistas para almoçar e fazer um tur pelas águas termais. Geralmente os turistas retornam para Arequipa la pelas 17 hs. Então o jeito é jantar e dormir bem cedo (leve roupas leves, um tênis bem confortável, e não se esqueça de uma boa blusa de frio,pois tem um trecho da viagem que estará a uns 5.000 metros de altitude)

6º dia - De Arequipa para Cuzco a viagem é de aproximadamente 10 horas, tem duas empresas que fazem este roteiro, A cruz del Sur e a Expresocial - www.expresocial.com.pe e a Cruz del Sur (muito boa, com bom atendimento)

7º dia - Cusco - É bom vc fazer um tur por esta cidade, próximo tem vários monumentos no centro da cidade. Caminhe tente ir em varios pontos.

8º dia - Vale Sagrado e chegada em águas Calientenes, pernoite.

9º dia Machu Picchu - Devera sair do hotel la pelas 6,oo, para aproveitar bem. Vc poderá ficar com o guia até la pelas 11 hs. Aconselho a continuar nesta cidade. Vc estará sozinha, aprecie a construção, refaça todo o trajeto e sinta a magia dessa cidade.Volta para Cusco.

10º dia - aproveitara o período da manha e passear pela cidade, sair as 14,30 hs.

 

Ana, espero ter ajudado. Caso queira mais dicas, me de um alo. Faça o máximo de pesquisas aqui na net, ela sera de grande valia. Caso queira, vc poderá também começar sua viagem de Lima- Cusco-Arequipa- Nasca-Ica- Paracas e Lima. neste sentido vc pegara primeiro áreas mais temperadas e depois de Arequipa áreas litorânea, com belos desertos.Um abraço

 

Claudio Antonio

 

Mensagens: 9

Data de registro: 17 Fev 2012, 23:52

Localização: Sorocaba - SP

Próximo Destino: Mexico

Reputation point: 100

 

Voltar ao topo

Mostrar m

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Claudio, adorei o seu relato!! Também vou fazer a viagem dos meus sonhos em fevereiro/2013 e estou super empolgada...mas ainda tenho algumas dúvidas e queria sua ajuda.

 

1 - Eu pretendo ficar um dia em Lima p/ contratar os passeios e fazer compras na "25 de março generica" rs e pretendo ir para Huancaya - Reserva Paisagista NorYauyos , mas não li nenhum relato sobre este lugar. Vc viu alguma agencia fazendo passeios p/ esta reserva?

2 - Depois pretendi ir p/ Paracas fazer o passeio da reserva e Ilhas Balestas e depois fazer o passeio de Bugge em Huacachina. Vc sabe a distancia entre estes dois lugares e qual a melhor empresa de bus???

3 - De Ica (ou Paracas) vou para Chyvai fazer o passeio do Vale do Colca. É melhor ficar em Arequipa do que em Chivay. Vc sabe qual a distancia entre estas cidades e qual a melhor empresa de bus?

4 - Ultima perguntas, vc levou dolar ou cartão pre pago? Ainda não sei que tipo de recusros levar....Pensei em utilizar meu cartão de débito p/ me livrar da variação cambial, mas não sei a disponibilização de Caixas Eletronicos nas cidades do Peru.

 

Bom....por enquanto é só...rsrsrsr

 

Brigadão Claudio...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Cara, parabéns pela viagem e pelo relato. Torço para que de agora em diante faça muitas outras e que possa levar os filhos e a esposa juntos também, rs!

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Thais, me desculpe de só agora ler a sua mensagem. Olha que já esta quase na hora de você ir para o Peru. Me diz quantos dias você está programando? 1 - Quanto a sua primeira pergunta, se você ficar um dia em Lima acredito que você ira aproveitar bem. A cidade de Lima é uma cidade bem grande, existe sim vários atrativos, principalmente no centro onde tem varias construções antigas, e também esta "25 de março genérica", mas eu aconselho a vc a fazer compras quando estiver voltando para o Brasil. Sabe como é, as malas ficam pesadas durante a viagem.Agora esta reserva Noryauyos, eu não a conheço e me desculpe, não posso te ajudar com informações. 2- Quanto a distancia de Ica e Paracas é em torno de 75 km, no caso tem uma empresa a Oltursa (bom atendimento e ônibus muito bom), que passa em Paracas. Acredito que o melhor para vc seria ficar em Ica e, passear por Huancaya. Não esqueça de ir ate o museu Regional de Ica, achei ele bastante rico com muitas peças dos povos pre-inca. Depois de Ica, Paracas, caso você tenha tempo, fique uns dois dias nesta cidade. Ela é pequena, possui vários restaurantes. Noutro dia visite as Ilhas Ballestras de manha, e a tarde vá para a Reserva de Paracas. 3 - Paracas para Chivay. Thais entre Paracas e Arequipa, está a cidade de Nazca, você pretende ir até la? Caso tenha tempo será um excelente passeio. Caso não possa ir ate esta cidade, minha dica é ir direto para Arequipa. chivay é uma cidade pequena e muito simples (caso queira somente descansar). Aconselho vc pegar a empresa Cruz Del Sur. Tente viajar de noite, pois a viagem é muito longa para Arequipa. Já em Arequipa ela possui muitos atrativos. Você poderá ir em vários museus, fazer também algumas compras (o artesanato é bem em conta nesta cidade). Nesta cidade existe varias empresas com pacotes turístico para o Vale do Colca. Quanto fiz o passeio saímos la por voltas das 2 hs da manha. É uma viagem de aproximadamente de 5 hs. O passeio é o dia inteiro, acredito que vc ira voltar para Arequipa la pelas 18 hs. 4 - Thais, como foi a minha primeira viagem para o exterior, levei alguns dólares.Quase não houve necessidade. Mas é bom levar pouco, para qualquer eventualidade. Quanto ao Cartão eu usei um cartão internacional, oferecido pelo Banco do Brasil (sou correntista). Veja tambem o travel money. Evite de andar com muito dinheiro. Em todas as cidade em que eu passei, existem vários caixas eletrônicos que vc poderá sacar soles ou ate dólares . Vários estabelecimentos não aceitam cartão de credito, e quando aceitam eles colocam uma taxa de 5% sobre os valores. Thais você irá para Cusco e Machu PicChu?? Me passe seu roteiro de viagem. Espero estar te ajudando. Qualquer duvida estarei aqui para ajuda-la. Um abraço.

Claudio Antonio

 

20 Jan 2013, 17:43

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Claudio, pretendo ir ao Peru em abril...

Meu roteiro inclui Lima, Cusco e Machu Picchu(trilha Inca), Puno e Arequipa. Pretendo passar somente um dia em Puno e fazer o passeio no Lago Titicaca. Quanto você pagou? Onde adquiriu o passeio? Alguma dica? Em Lima também passarei um dia. Estou pensando em visitar a Plaza de Armas, shopping Larcomar e Malécon. Ficarei hospedada em Miraflores. Qual é maios ou menos o preço do táxi de Miraflores para a Plaza de Armas e de Miraflores para o aeroporto? Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá

Juliana Elisa

 

Bacana seu roteiro. Quanto ao tur pelo Lago Titicaca, fui para a ilha de Uros e paguei 25 soles. Comprei o pacote no hotel que estava hospedado. Reparei que próximo a Plaza de Armas, tem varias agências que vendem este boleto turístico. Quanto os táxis em Lima, eles não possuem taxímetro, sendo assim negocie, pois, paguei valores diferenciados. Acredito que de Miraflores até a Plaza de Armas de Lima o preço justo é de aproximadamente 10 soles. Caso queira pegar os micro ônibus (a viagem é uma aventura..kkkk) o preço é de aproximadamente 2 soles.Já para o aeroporto paguei aproximadamente 10 soles.Qualquer duvida estarei aqui a seu dispor.

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×