Ir para conteúdo
GIACOME

Cusco; Machu Picchu + Hayna e Puno; 05-17 de Jul; via Acre de Carro;

Posts Recomendados

Pessoal, ansiei por este momento de relatar minha tão sonhada viagem para o Peru

e sinto que não me arrependi de ter planejado exaustivamente;

Gostaria de dividir algumas dicas atualizadas sobre a viagem que possam contribuir para com os colegas mochileiros;

 

Já deixo aqui dois links do meu blog sobre questões históricas e semióticas que vi em Cusco, principalmente da cultura Inca; se alguém se interessar por antropologia / simbologia / história, fiz dois textos sobre o turismo histórico em Cusco, com locais e elementos a serem observados.

 

Matéria I http://teoliterias.blogspot.com.br/2013/07/turismo-cultural-em-cusco-simbologia-e.html

 

Matéria II http://teoliterias.blogspot.com.br/2013/07/cusco-simbologia-historica-quase.html

 

Em primeiro lugar, vou fazer um outro tópico sobre a viagem de carro entre Assis Brasil e Cusco, chegando em Puno; vou abrir um tópico específico para esta viagem na área de Viagens de Carro, pois tem dicas específicas para os motoristas; aqui falarei da minha mochilagem, com minha esposa, por Cusco e região, uma vez que deixei o carro guardado e fiz quase tudo de mochila;

 

A chegada em Cusco foi meio atropelada; o trânsito é caótico e a chegada na Plaza de Las Armas foi meio no susto; mas lá chegando o carro estacionou na praça onde não mais saiu; ficamos em um hostel bem no centro, pertinho do hotel Monastério, que é um ::tchann:: puta hotel cinco estrelas rsrsr

o nosso hostel era humirde, o mixperu;

 

(continua)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

SEGUNDA-FEIRA (08 DE JULHO)

 

Bem, dando sequência ao relato, cheguei em Cusco com uma leve dor de cabeça, que mais tarde tornou-se bem forte. Mas não foi motivo para desanimar. Saímos, estava bem frio, para comer e e fomos direto ao La Cicciolina; mas estava muito cheio e nos encaminhamos ao Baco; comemos uma Pizza muito gostosa e experimentamos o(a) Pisco Soul; maravilhoso; realmente a nossa primeira experiência culinária em Cusco;

 

Voltamos para o hotel e fomos dormir; a minha cabeça latejava (dirigir o dia inteiro e mal dos andes); conseguimos fechar o Hostel por 80 soles o casal; quarto legal e bem no centro; mas sem arrumação de cama; o café da manhã era um leite muito gostoso (leite vaporizado Glória) e um bom café preto, mas só pão e geléia.

 

Saímos o primeiro dia na Plaza de Las Armas e muitas fotos; belíssima e histórica; linda paisagem kitsh que povoava meu imaginário; fui abordado por um vendedor que se disse pintor de quadros; comprei duas telas por 70 soles; uma a óleo e outra em aquarela; depois descobri que paguei caro; tinha mais barato; mas para mim foi o preço mais que justo; belíssimas telas feitas a mão;

 

Saímos para o Mercado San Pedro; sensacional; os artesanatos e as comidas; insanas; claro que não comeríamos por lá; compramos umas bonecas peruanas com crianças no colo; achamos que a imagem que levaríamos de Cusco era aquela: as mães peruanas e suas lindas crianças; comovente; almoçamos em um restaurante com uma bela vista para a praça; menu turístico e aproveitamos para experimentar a sopa de Kinoa e o Lomo Saltado; bom; a sopa sim, surpreendente; ainda tomamos um belo suco em uma lanchonete de sucos na ida ao Mercado San Pedro; suco delicioso;

FILE00610.jpg.617fbe3368b9f9e8865ca83005eb56c5.jpg

DSC00420.JPG.2f88ea375f731e7f3d19eed2bcb2e34f.JPG

 

 

De volta ao hostel, a noite nos aguardava; decidimos conhecer o Fallen Angel; restaurante insano, com arte moderna, pós-moderna e arte decó. Um pouco carinho, mas compensa. Comemos o Ceviche e achamos muito apimentado e azedo; mas carne crua de peixe é o que há; rsrs; gastamos 90 soles e fomos com amigos do Brasil que fizemos no caminho para o Mama Africa. Lugar legal para solteiros; gostamos também porque nos divertimos; tomamos umas cusquenhas, que achei bem caras aqui em Cusco; de 6 a 7 soles a garrafa;

 

Fomos embora felizes da vida e cheio de fotos e lembranças.

Indico muito ir ao Falen Angel; mesmo que seja para tomar apenas uma Pisco Soul; o local é um museu moderno; bebida em Cusco é bem caro; o menu turístico ainda compensa muito; entrada, que pode ser sopa; prato principal e sobremesa; além da bebida; pechinche uma Pisco Soul dos caras que abordam na rua;

 

bem pessoal, continua...

DSC00413.JPG.5db8fc2e60c8fa763c1551700569a41c.JPG

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito interessante seu relato. Coloque mais os preços porque vc fez uns tours gastronômicos legais. O Cicciolina eu conheci na primeira vez que fui pra cusco. Nao curti muito nao, ou a comida era doce ou talhada na pimenta.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu Aletucs

 

que bom que gostou do relato,

este foi o primeiro dia rsrs

 

tem mais dias para sair, com mais restaurantes e preços

 

no próximo relato colocarei outras experiências culinárias, porque sou vidrado em restaurantes quando viajo rsrs

 

abração e até o próximo

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Giacome li os textos do blog. Cara que legal, a gente vê aqueles muros e nem imagina o que é. Onde vc conseguiu aquele guia, com ai pra gente quando chegar a hora.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Opa GIACOME, aguardarei ansiosamente seu relato de carro. Fui em Abril para o Peru, mas fui de avião, quero ir uma próxima vez de carro indo pelo atacama e voltando pelo Acre.

 

Olhando seu blog, vi a foto do guia Julio Cezar. Ele foi meu guia no passeio pelo Vale Sagrado ::lol4:: Bem gente boa ele. Sempre ele falava Los Pentacampeones quando vinha falar comigo e com a minha esposa ::lol4::

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Giacome li os textos do blog. Cara que legal, a gente vê aqueles muros e nem imagina o que é. Onde vc conseguiu aquele guia, com ai pra gente quando chegar a hora.

 

Aletucs, que bom que gostou dos textos;

vou contar como encontrei o guia

 

Um grande abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Opa GIACOME, aguardarei ansiosamente seu relato de carro. Fui em Abril para o Peru, mas fui de avião, quero ir uma próxima vez de carro indo pelo atacama e voltando pelo Acre.

 

Olhando seu blog, vi a foto do guia Julio Cezar. Ele foi meu guia no passeio pelo Vale Sagrado ::lol4:: Bem gente boa ele. Sempre ele falava Los Pentacampeones quando vinha falar comigo e com a minha esposa ::lol4::

 

Amigo,

 

vc achará sensacional ir de carro;

é emocionante;

quando cruzei Assis Brasil rumo à Puerto maldonado senti algo que a muito tempo não sentia;

o novo a frente e seus desafios nos fazem vivos;

sensacional;

logo logo postarei o relato de carro;

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

TERÇA-FEIRA (09 DE JULHO)

 

O dia começou tenso;;; pensei que tinha "backupeado" as fotos da noite anterior e deletei todo o cartão da câmera principal. Caramba. Fiquei igual a um doido procurando um software que recuperasse; encontrei um software, o Micro Sd Recovery, que salvou minha vida. Tomamos o café clássico, com aquele leite sensacional, e saímos a toda rumo à Salinas de Mara e os círculos de Moray; embarcamos no ônibus e o nosso guia chamava-se Eric; chegamos em Chinchero, uma típica comunidade especialista em fazer trabalhos têxteis com lã de lhama ou alpaca; as artesãs nos ensinou a fazer a tintura; depois nos ofereceu os produtos; claro que sei que é uma articulação comercial; mas neste jogo comercial estamos todos, não podemos nos insentar; no geral gostei; mas gostei mesmo de Moray; me fez pensar, enquanto estávamos no caminho, na questão da propriedade no Peru; quase não tem cercas; os terrenos são pequenos para cada agricultor; a terra é árida e merece muita tecnologia Inca para produzir.

DSC00611.JPG.863f20c3624255b4d127a29ebc1bf31a.JPG

E é isto que é Moray; um maravilhoso celeiro com muros de contensão, contendo alturas diferentes, criando climas diferentes; é majestoso, grandioso e fotogênico; esteticamente perfeito; o nosso Guia Eric iniciou sua fala explicando da relação entre o três e a cruz andina; que também é composta de três degraus em cada vértice, formando doze espaços; dali já nasceu minha boa relaçao mística com a cruz andina; ele não é um amuleto comum; ele é um amuleto com um princípio geométrico e numérico bem definido; não é passivo de interpretações casuais; é objetivo;

 

Fotografias e nos encaminhamos à Maras, as salineras; uma nota antes: quase morri para descer Moray e subir; pensei que talvez a ideia do Wayna não fosse tão oportuna; Wayna ficou em minha mente como um desafio físico real;

Bem, enfim chegamos em Maras; a chegada já é insana; um penhasco com um estradinha que passa bem pertinho de cair, já é uma emoção chegar e fotografar no momento oportuno; temos uma visão privilegiada de Maras;

DSC00738.JPG.1e88188cfc3d94d0efcfb5bc9ee998d8.JPG

O guia explicou o processo de salinização e a importância daquele fiozinho de água salgada que forma todos os tanques; cada tanque ou piscina de sal tem a dimensão proporcional a da família; lindas fotos são possíveis; saímos do passeio já era 14:00 horas; estávamos famintos; a expectativa é comer no restaurente Fuego and Barbecue, acho que o nome é esse; ele fica no andar superior, na Rua de baixo da Plaza de Las Armas, pertinho do Mama Africa.

Comemos as famosas costeletas de porco ao molho Barbecue; elas tem duas configurações: Texano e outro que não me lembro agora; sei que pedimos o menos picante, com mel; muito bom; duas costeletas e refrigerante ficou em 91 soles, no cartão; salgadinho (a conta, claro);

 

Nosso dia estava quase completo, e íamos para o hotel quando decidimos conhecer a pedra dos doze ângulos; conhecemos a pedra dos treze ângulos e muitas outras, em um relato simbólico / histórico que fiz no blog TEOLITERIAS, que já está linkado na primeira postagem; comprei um Quoricancha de bronze em uma lojinha na frente da pedra dos treze ângulos; no fundo do palácio Inca Roca vimos uma lojinha que vende all stars com temas andinos; show de bola; mas achamos meio "free" demais para o brasil;

DSC00661.JPG.358689f304c4450a2399945cac79842d.JPG

Acabamos este dia comendo na grata surpresa La Bodega; uma pizzaria show de bola, com uma decoração rock / pin up massa; comemos uma pizza exuberante e pagamos apenas 30 soles; valeu demais a pena; é bem pertinho da plaza de las armas, mas na rua que passa na frente do Hotel Monastério; indico a todos esta pizzaria. Lembrem do nome: La Bodega.

 

Bem, fico por aqui. Continuarei com a quarta-feira em cusco...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

 

mas lá chegando o carro estacionou na praça onde não mais saiu;

 

(continua)

 

GIACOME

 

Pode explicar melhor essa parte, vc deixou o carro na rua?

 

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

E vc tava com seu próprio carro, placa br?

 

Arriscou ou já tinha recomendações que era seguro?

 

Não tem estacionamento rotativo ou algo do tipo?

 

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
E vc tava com seu próprio carro, placa br?

 

Arriscou ou já tinha recomendações que era seguro?

 

Não tem estacionamento rotativo ou algo do tipo?

 

Abraço

 

Meu carro mesmo; placa do BR; lá já tinha alguns carros do Brasil estacionados; não tem estacionamento rotativo não; é free!!! o centro histórico tem pouco movimento de carro particular; é fácil conseguir vaga sim;

 

abraços

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

GUIAS TURÍSTICOS E RELATO DE QUARTA-FEIRA (10 DE JULHO)

 

Bem, antes de relatar a quarta-feira em Cusco, é importante comentar sobre a minha experiência com os Guias Turísticos; a primeira experiência foi com o Rolando, da Pumas Trek; indico este guia e esta agência, como já referendada aqui no site mochileiros. Como sempre ficamos muito preocupados com tudo antecipadamente, é natural que nos sentimos ansiosos em agendar tudo. A minha experiência sugere o seguinte: agende antecipado se for subir o Wayna; caso contrário pode fazer tudo por aqui mesmo; como sou muito ansioso agendei tudo com antecedência com o Rolando; ele foi muito atencioso, tanto aqui como lá em Cusco; nos recebeu sem surpresas e nos levou para explicações e comprar o boleto turístico (essencial); segue seu e-mail:

 

Rolando Auccapuri I. Guia oficial de turismo machupicchu-peru [email protected]

 

Uma outra dica é procurar o guia Juan Alberto, próximo à pedra dos doze ângulos; o relato dele e as demonstrações nas pedras, além das informações pela praça e adjacências foi essencial para fortalecer nossos laços culturais com a cultura Inca.

DSC00825.JPG.42f041a9f2d0460cbaced329f89b45e9.JPG

Bem, ao adentrar à Catedral principal é fundamental um guia; muitas informações essenciais só são obtidas por aqueles profissionais que já atuam; óbvio que uma leitura antecipada é crucial; a Igreja é muito importante para o Barroco e arte renascentista de vocação religiosa; portanto a visita a esta Catedral é essencial.

Voltando ao relato, a quarta-feira foi marcada pelo City Tour; ele começaria às 14:00 horas; assim, teríamos tempo de comprar algumas coisas para levar para o Machu Picchu; em uma rua paralela à Avenida El Sol tem um supermercado; mas antes fomos ao Mercado San Pedro comprar mais algumas bonecas; aproveitei e comprei uma boneca de Lhama bem bacana; nesta mesma rua do mercado, encontramos uma loja chamada Tiptop (tipo C&A); nela comprei minha única jaqueta (estilo Jaspion/motoqueira resistente ao vento e frio) que melhorou meu conjunto de roupas, composto por apenas: sweter + fleece + luvas + gorro andino do Chaves; bem, mas para Cusco creio não ser preciso muito mais; mas para Puno, aí sim;

 

Resolvidas as questões de compras, fomos procurar algum restaurante legal que atenda no cartão; como nosso dinheiro em espécie era limitado ao fato de que não teríamos como sacar lá, sempre demos preferência ao cartão de crédito; fomos abordados na rua e entramos em um restaurante bem em frente à Plaza; também no primeiro andar; a Helem queria comer espaguetti; eu queria uma Parilla; havia parrilla de dois tipos: a de carnes andinas (alpaca, Cuy etc) e a normal. Pedi a normal. (ainda não dava para ousar); a Parilla estava deliciosa; o Espaguetti também; no total foram 65 soles, para minha Parilla, que dava direito ao Buffett de salada e ao Menu turístico da Helem: sopa crioula + Espaguetti + sobremesa + suco; ali que conseguimos conversar com nossa funcionária pela primeira vez; ela estava com a Lívia, nossa Bebê de um ano e seis meses; conversamos pelo facebook; indico comprar um chip Peruano da Claro. Com ele você tem um bom acesso à internet e pode se conectar até em Machu Picchu; além de ser bem barato;

 

dica: mesmo se você não goste, tome a sopa crioula; é bacana;

 

Dali fomos conduzidos pelo Rolando ao nosso City Tour; o guia era o Julio Cezar, um guia muito bom, mas tinha a dificuldade de atender tanto em espanhol como em Inglês, o que tornava cansativo as informações; na próxima postagem falarei do que acho interessante olhar no City Tour; também das dificuldades e dicas imperdíveis; até logo... (continua)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, acompanhando e gostando bastante do seu relato.

Fiquei curioso a respeito do chip peruano da Claro.

É só comprar e colocar direto no seu celular que trouxe do Brasil ? Esse chip permite navegar na internet ?

E pode ser usado em tablet/notebook?

Abç

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Olá, acompanhando e gostando bastante do seu relato.

Fiquei curioso a respeito do chip peruano da Claro.

É só comprar e colocar direto no seu celular que trouxe do Brasil ? Esse chip permite navegar na internet ?

E pode ser usado em tablet/notebook?

Abç

 

Gustavo,

 

o chip é só comprar e colocar;

comprei por 10 soles e coloquei mais 3 soles de crédito

naveguei por uns 3 dias; net boa;

depois coloquei mais 10 soles e naveguei o restante do tempo (uns cinco dias)

 

Que bom que está gostando do relato;

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Relato bacana, parabéns!!!

 

Percebi que vc gastou uma graninha boa com comida. Vc chegou a ver uns restaurantes mais simples? Tipo, beeeemmmmm simples. Pq vou ficar um mês lá em Outubro e teria que me controlar nas gastanças com comida.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

tem restaurante de 7 soles, babjow, mas a comida é equivalente ao preço, ou seja, beeeemmmmm simples, como vc falou.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

DICAS IMPORTANTES PARA O CITY TOUR (E OUTRAS NEM TANTO)

 

Como relatado anteriormente, fiz o City Tour em uma quarta-feira; foi muito especial, porém muito corrido; é contraditório eu ter feito o City Tour por empresa se eu estava de carro lá; deveria ter ido com o carro aos locais; mas valeu para uma próxima experiência: antes de tudo: leve mais blusas de frio do que o normal; o negócio vai ficando frio ao avançar do City, que termina bem tarde;

 

1. KORICANCHA --> Local muito especial, onde começa o City Tour; mas muito lotado; você tem que pagar 10 soles para entrar; é importante prestar atenção nos acabamentos em pedra, a forma geométrica perfeita com que dimensionaram e poliram as pedras; fique atento à explicação do guia quando chegar no mural em ouro (réplica) que aborda a mitologia Inca; é muito interessante compreendê-la; a importância do sol, natureza, montanhas etc. além disso, prestar atenção à relação entre as constelações de úrsula maior e o vale sagrado; merece uma ida depois, em outro horário, com menos pessoas; acaba ficando muito lotado;

 

2.SACSAYHUAMAN --> Local interessantíssimo e muito importante; aqui uma dica; já come o "choclos", milho gigante com queijo; iguaria deliciosa e dificílima de encontrar em outros lugares; não fique limitado ao guia; as informações que ele te trará são facilmente encontradas em bons artigos na Net; leia antes de fazer o City (obrigação do bom turista); lá chegando, já vá explorar, fotografar, sentir a energia deste local enorme e encantador; tudo nele é grandioso, as dimensões, espaços, pedras, formas; exuberante; talvez uma das grandes atrações Incas;

 

3. QUENQO --> O lance de Quencho é o túnel na rocha e a mesa de sacrifícios; provavelmente ela sobreviveu em função de estar escondida; os espanhóis destruíram qualquer referência aos sacrifícios no império Inca;

 

4. PUCA-PUCARA - Local que eu não entendi bem o sentido; merece uma pesquisa mais aprofundada; é uma oportunidade de comer mais um milho gigante com queijo rsrsr

 

5. TAMBOMACHAY -Infelizmente este local foi o último; uma pena; belíssimo local; místico, pois relaciona água e elementos geométricos caros aos Incas; como os portais pequenos e grandes; bem feitos e bem polidos; fotografe estes portais; fotografe logo pois anoitece rápido; as dicas do guia são relevantes; nesta altura do City Tour vocês estará bem cansado e com frio;

 

Em suma, é um passeio longo e muito interessante; torna-se cansativo se você não estiver preparado; leia antes sobre as atrações para entender seu significado; (continua)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×