Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
Fred.

Tarija, Tupiza, Villazon e Yacuiba

Posts Recomendados

Gostaria de saber se para chegar a Yacuiba, sul da Bolívia (divisa com Argentina) existe algum trem. Olhei o guia da Bolívia e vi apenas sobre o tal Trem da Morte. Queria conhecer a área mas de avião é só teco-teco ::ahhhh:: De ônibus dizem que as estradas são outro terror ::lol4:: então está restando a aventura via trem. Alguém me ajuda?

Grata

Marcia

 

Ola Márcia, eu nao sei se existe trem p esse lado, mas a viagem de ônibus é ótima. Eu fiz essa viagem, nao foi exatamente para Yacuiba e sim para Buenos Aires saindo de Santa Cruz. A estrada é ótima, pelo menos a 18 meses atras quando eu fui era tudo asfaltado e nao tinha nenhum buraco na pista. Usei a empresa Flecha Bus (Argentina) que é a melhor, outras empresas fazem o mesmo trajeto por 5 ou 10 dólares a menos e o serviço é bem inferior que a Flecha. A viagem ate Yacuiba durou 10 horas (saida 7PM chegando 5AM) Ônibus de 2 andares com 2 classes. Nessa empresa e em outra boliviana q nao lembro o nome servem comida grátis tb, no dia que eu fui nesse trecho serviram salada de Frango no jantar e Alfajor com Snacks no café da manha. Espero ter ajudado

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Oi Tiago

 

Que boa notícia! Eu não costumo confiar muito na opinião dos meus amigos nativos, porque eles estão meio que "acostumados" a algumas condições das estradas que para nós são abaixo da média. Então é bom saber a opinião de um brasileiro mesmo :D

 

De todo modo aos demais que tenham interesse, aviso que consegui os preços do trem. Tem sim para Yacuiba saindo de SAnta Cruz também. Só que a viagem demora 17 horas aproximadamente.

 

Grata

Marcia

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

[align=justify]:arrow: La Razon

http://www.la-razon.com/suplementos/especiales/yungas-chapacos-encuentran-region-Salinas_0_1596440350.html

 

Los lugareños dejaron la actividad maderera por el turismo.

 

Paisaje-Huanca-San-Pedro-Sola_LRZIMA20120415_0017_3.jpg.19a14baefc88f3a2bd1eca5604995400.jpg

 

ecoalbergue-comunitario_LRZIMA20120415_0020_3.jpg.ef3e901ce5243a748fd589c6a2548d05.jpg

 

personas-Puente-Diablo-Salinas-dorados_LRZIMA20120415_0018_3.jpg.723e96b2cc1301340ceb0df5edb5f3f3.jpg

 

Encantada-verde-halla-kilometros-Tarija_LRZIMA20120415_0016_3.jpg.e363b81c81e80bce6071ab9f8a6c0865.jpg

 

Foto: Miguel Carrasco

 

La Razón / Jorge Quispe / La Paz

02:13 / 15 de abril de 2012

Los tarijeños no necesitan viajar a La Paz para conocer Coroico o Caranavi, porque a unos 110 kilómetros de la ciudad se yergue el municipio de Entre Ríos, y dentro de éste, la comunidad de Salinas, pequeño paraíso con balnearios naturales similares a los que se hallan en los Yungas.

 

Al interior de la Reserva Nacional de Flora y Fauna Tariquía, Salinas ofrece un río del mismo nombre, donde se pueden pescar dorados de hasta 35 kilos, el Puente del Diablo y la iglesia de La Misión, además de postales paisajísticas que impactan apenas uno llega a la zona que es parte de los nuevos sitios turísticos del departamento.

 

Inigualable. En este territorio ubicado a unos 1.200 metros sobre el nivel del mar, la temperatura bordea los 22 grados centígrados en gran parte del año y las frutas brotan por donde uno vea.

 

“Teniendo en cuenta que estamos en un área protegida, hay ciertas limitantes; por ejemplo, en el tema del aprovechamiento forestal. Por eso es que cambiamos la actividad maderera por el turismo”, cuenta Pablo Cardozo, presidente del Comité de Seguimiento de este flamante emprendimiento.

 

Salinas está a una hora de viaje desde la plaza principal de Entre Ríos, y a cuatro de la urbe tarijeña (el costo del pasaje es de 35 bolivianos), y apuesta a sus atractivos naturales para recibir a visitantes de todos los confines. “Tenemos un gran potencial: aquí hay pampas, ríos y montañas boscosas, pero recién estamos trabajando con las empresas turísticas”, manifiesta el comunario Bilbao Fernández.

 

Aparte de la infinidad de árboles frutales, Salinas se vende por sí sólo. A poco de llegar, está un puente colgante llamado Puente del Diablo. Por debajo discurre el río Salinas. Desde esa área se puede ver el valle de Entre Ríos. Allí, la pesca deportiva es la opción preferida por los turistas del interior del país.

 

“Estamos esperando que la Gobernación nos pueda apoyar en los proyectos turísticos que tenemos para toda esta zona del municipio”, refiere, por su lado, el alcalde entrerriano, Teodoro Suruguay. La iniciativa turística ya cuenta con un ecoalbergue con capacidad para ocho personas, que además oferta una cocina y un parrillero. El hospedaje vale 40 bolivianos por noche. A la par, algunos campesinos habilitaron en sus domicilios refugios temporales para recibir a más visitantes.

 

A 20 minutos del Puente del Diablo se halla la comunidad de La Misión, donde una capilla de los jesuitas aguarda a los forasteros. Del monumento de más de 200 años, se cuenta que era hostigado por los indígenas chiriguanos, mientras se intentaba evangelizar a los guaraníes. Los más ancianos relatan que en el sitio hay “tapados” o tesoros escondidos. Una región mística.

 

Una sirena vive en la Laguna Verde

 

Si la depresión vence al joven enamorado, es probable que una sirena se le aparezca en la Laguna Verde del balnerario natural de la comunidad San Pedro de Sola, a unos 21 kilómetros de la plaza principal de la ciudad de Tarija.

 

“La leyenda dice que si uno está bien amargado, la sirena vendrá”, dice Anastasio Huanca, uno de los coordinadores del proyecto de turismo comunitario en esta localidad, mientras muestra una bella poza verde de unos 20 metros de ancho por 15 de largo, que está dentro de la Reserva Biológica Cordillera de Sama, en la provincia Cercado. Allí existe un albergue para una decena de personas y se busca ampliar sus ambientes.

 

La Casa del Zorro, el Ojo del Agua, la Piedra Caballo, la Piedra Letrero, dos miradores y pinturas rupestres son algunas ofertas más de este rincón urbano. “La flora y la fauna son sus otros atractivos”, precisa Mariano Gutiérrez, funcionario de la Unidad de Turismo del municipio tarijeño.

 

Ahora se pretende completar este circuito turístico en el antiguo leprosario de Lazareto, adonde mucha gente acude entre agosto y septiembre para llevarse agua en botellas, líquido que tendría dotes milagrosas.

 

La meta de este emprendimiento es mostrar que Tarija no sólo es la Ruta del Vino, sino que tiene otros interesantes atractivos para los visitantes.[/align]

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal,

 

Desculpa-me pelo novo tópico, mas gostaria se saber alguma coisa sobre o sul da Bolivia, especialmente Tarija, Tupiza e Villazon e de quebra La Quica(Argentina).

 

Se alguem já se aventurou por lá mande uma dicas sobre os passeios nesta região.

 

Valeu

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá HJARDIM!

 

Ainda não conheci a cidade de Tarija e Villazon pessoalmente, estou pretendendo ir na primeira semana de março, quero ficar alguns dias em Tarija, pois sou apaixonado pela peculiaridade da cidade. Particularmente acho essa parte sul da Bolívia, muito rica culturalmente falando, é como se fosse uma região totalmente desprendida da aquela atmosfera característica do restante da Bolívia, para muitos é uma região que chega a lembrar muito a Argentina em diversos aspectos. Infelizmente não é possível ver muito sobre Tarija, aqui no fórum. Mas pretendo mudar isto, ao chegar do meu mochilão que pretendo fazer em março, juntamente com dois outros amigos. Deixo para você um tópico, onde usuários bolivianos postam fotos da cidade:

http://www.skyscrapercity.com/showthread.php?t=517895

E também um site do governo, que é um incentivo ao turismo da cidade:

http://www.turismo.tarija.gob.bo/

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Edu,

 

Muito bom esses dois sites, o do skyscrapercity.com eu já conhecia e as fotos me encantaram, o outro do governo não.

 

Mais agora as informações já estão todas anotadas.

 

Maria Emília

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Infelizmente não é possível ver muito sobre Tarija, aqui no fórum. Mas pretendo mudar isto...

 

Edu.

 

Não tenho quase entrado no fórum esta semana por motivo de saúde e também não recebi nenhuma alerta de mensagens deste tópico, como ocorre normalmente. Mas vamos em frente.

 

Não conhecia os links que você postou. Gostei muito das fotos e só confirma o que eu lí sobre Tarija. Que é uma cidade muita bonita, agradável e limpa. Acho que vale a pena. No meu caso eu iria ainda em Tupiza, Villazon e La Quiaca(Argentina), por minhas pesquisas essas outras três cidades ficam entrelaçadas por roteiros rodoviários. Outra boa notícia é que a passagem de avião de La Paz a Tarija (pela BOA) esta por volta de 77 dolares. Isto facilita muito .

 

Realmente alguns destinos aqui no fórum são poucos citados. Existe na Bolívia, no Departamento de Santa Cruz, uma cidade atendida pelo trem da morte, chavada Robore. O local é um polo turístico crescente e possui águas termais e o Pantanal Boliviano. Fica bem perto para quem vem por Corumbá.

 

Vamos ver se conseguimos dar uma reviravolta neste fórum e mostrarmos mais opções de passeios aos nossos amigos.

 

Grato,

Hilário

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Isto mesmo Tarija é uma cidade bastante limpa, um exemplo a ser seguido até mesmo aqui no nosso país. Sobre Robore ainda não ouvi nada a respeito, ótima sugestão vou pesquisar. Em março, iremos visitar Tupiza, Villazon também, e chegaremos em Uyuni por esta rota, entretanto ainda não está definido se vamos fazer esta rota no começo ou no final do mochilão. Um boa dica, ir de avião pela Boa, o preço está muito camarada, dizem que é uma empresa ótima, algumas pessoas até fazem piadas dizendo que nem parece ser uma empresa boliviana, puro preconceito característico de quem não exerga na Bolívia, um país cheio de potencial. Assim que retornarmos, vamos contribuir com a difusão dessa parte sul da Bolívia, tão pouco explorada, porém muito rica.

 

Uma pergunta pretende mochilar quando?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
... puro preconceito característico de quem não exerga na Bolívia, um país cheio de potencial

 

Concordo. O trem da morte também é muito bem organizado. Será que também não é boliviano? RSRS.

 

Vou agora em agosto começo por Lima x Cusco x Machu Picchu x Puma x Copacabana x La Paz e de La Paz ainda não decidi para onde.

O meu problema é que minha viagem começa por Lima e termina por Lima. Comprei a passagem de Rio x Lima x Rio, com a opção de dispensar a volta por Lima, pois ida e volta estava bem mais em conta que só Ida. Entretanto marquei um passeio no trem Andino Lima x Huancayo na anti-vespora de minha volta. Portanto para fazer o passeio tenho que retornar a Lima. Este passeio de trem acontece apenas uma vez por mês e as paissagens são lindas.

 

Estou tentando fazer um roteiro que eu não retorne pelo mesmo caminho da ida e inclua o Sul da Bolivia e La Quiaca. Mas com certeza vou ter que abrir mão de alguma coisa.

 

Se você for realmente para o Sul da Bolívia, pesquise também Yacuiba, La Quiaca e Salta, as duas últimas na Argentina. Acho que em Tupiza existem uns passeios de cavalo em um ambiente que lembra as passaigens dos filmes de faroest. Realmente um barato.

De Yacuiba você trem para Santa Cruz de La Sierra.

 

Hilário

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Mochileiros,

 

Estou planejando um mochilão para América do Sul e não consegui achar boas informações sobre os trajetos Copacabana-Tarija e Tarija-Tupiza.

Na realidade Copacabana-Tarija pelo o que eu vi a melhor opção é Copa-La Paz-Tarija, procede isso?

E sobre Tarija-Tupiza eu só consegui achar péssimos relatos sobre o trajeto de ônibus direto.. Vocês conhecem outra opção?

Vi alguma coisa sobre um trem Villazon-Tupiza, mas aparentemente o ônibus Tarija-Villazon é pior ainda, ainda teve aquele acidente de 2011..

 

Qual ajuda é muito bem vinda, desde já agradeço.

Beijos

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

  • Conteúdo Similar

    • Por lcnaryds
      Tarija é uma cidade boliviana de 500mil habitantes, onde há uma das maiores e mais reconhecidas produçoes de vinho da America Latina. Está a poucas horas de Uyuni (se vêm à Bolivia precisa ir ao Salar! Incrivel!!), mas como o turismo tarijense nao é tao explorado como em Sucre ou La Paz, muitos mochileiros nao sabem o que há para fazer e passam direto. Por isso vim contar um pouco da minha experiencia e falar para vocês que se têm espaço no seu roteiro, dá um jetinho de colocar essa cidade porque vale a pena.
      Eu dediquei algumas semanas da minha viagem em terras bolivianas para conhecer a gastronomia, a cultura, as paisagens, a historia e as belezas de Tarija. Comi comidas típicas deliciosas como Saice, Churrasco, Picante de Pollo (e muuuito barato), fiz alguns tours com agência e outros trekkings sozinha tambem. Em Abril é aniversario da cidade, entao têm varios eventos culturais interessantes todos os dias... apresentaçoes de dança, de musica e de teatro, feiras de roupas e de comida tradicionais, onde te fazem provar uma por uma de graça (por fim, eu ja estava satisfeita e nem precisei comprar nada haha).
      Passeios e trekkings têm vários! San Jacinto, Coimata, San Lourenzo, El Valle de La Concepción, sao povoados lindos que ficam ao redor da cidade e pode-se pegar um bus por 0,75 centavos e visitar com algumas horas, um dia ou acampar e fazer uma caminhada de dois dias. O centro da cidade também têm praças lindas, miradores, de onde se vê toda a cidade do alto, e construçoes antigas e coloniais. E o melhor dos passeios: tour guiado nas vinerias com degustaçao gratis! Vinhos incriveis! haha
      Por ultimo, o que tornou melhor minha estadia em Tarija: La Cúpula Hostel & Camping, uma pousada que fica perto do centro, é a mais barata da cidade (por 17 reais voce acampa e com 27 reais voce tem um dormitorio compartilhado, ambos com cafe da manha incluso) e têm uma energia super boa. No proprio hostel os donos preparam eventos de intercambio cultural, com dança, comida e musica, entao sempre há o que fazer. Nunca vai estar sozinho e, ao mesmo tempo, se quer relaxar um pouco, é um otimo lugar!
      Fotos da vigem e link do hostel La Cúpula:
      https://www.facebook.com/hostelandcamping.tarija.bolivia/?ref=bookmarks
       



×
×
  • Criar Novo...