Ir para conteúdo
Effren

Quantos Euros por pessoa pra uma viagem Hungria - Budapeste?

Posts Recomendados

Galera, boa noite! 

Me chamo Victor, moro em Salvador Bahia e estou aqui meio perdido.

Estou com pretensão de viajar junto com minha esposa em 01/09/2018 e pretendemos ficar lá até 09/09/2018, viajando por conta própria.

Será nossa primeira viagem pra fora do Brasil

Tenho algumas duvidas:

1- Quais hostels baratos pra casal e nos melhores locais vcs indicam?

2- Airbnb o pagamento da hospedagem é feita aqui ainda no brasil em real e eles convertem? ou paga no local? 

3 - Melhor Hostel ou Airbnb?

4 - Quanto se gasta numa viagem dessas? com passagens, hospedagem, alimentação, transporte e passeios? ( foco sempre economia financeira, sem muito luxo)

5 - Quantos Euros por pessoa pra uma viagem dessas? 500? 700? Euros ao todo?

6 - Qual valor dos ingressos das atrações de lá?

 

Desculpem a quantidade de perguntas e o texto grande rs.. espero que vocês possam me ajudar!

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ti falar que X euros serao suficientes para sua viagem completa é dificil. O que posso sugerir é:

1. Pesquise em sites como hostelworld.com ou booking e verifique a nota de avaliaçao dos locais. Leia os review de quem se hospedou pra voce ja ter ciência dos pontos positivos e negativos de cada lugar. Na pesquisa voce terá a opção de ordenar por preço, mas fique atento tambem nos endereços dos estabelecimentos e tome cuidado pra nao escolher algo barato mas que fique longe das atraçoes desejadas ou do centro da cidade, pois voce tera mais gastos com o deslocamento.

2.  Sobre passagens eu aconselho voce pesquisar em sites como skyscanner ou kayak pra ter noçao de preço e sempre que possivel refazendo as pesquisas pra ter noçao se os preços estao aumentando ou diminuindo. Nesses sites voce tem a opçao de cadastrar seu email para receber um alerta assim que o preço sofrer alteraçao e chegar proximo de um valor ideal que voce estipular e quiser pagar.  Acesse o site da cia aerea desejada pra comprar a passagem, sites como submarino, viajanet, dentre outros, pode ate mostrar um preço mais em conta mas ao finalizar a compra sempre tem uma surpresinha de taxas adicionais que encarecerá o preço da passagem. E por ultimo, procure as passagens apos a meia noite pois os preços normalmente diminuem. Por experiencia propria eu comprei a minha de madrugada qdo fiz minha rtw e a diferença de preço durante o dia e na madrugada chegou a pouco mais de 2K. Comprar bem antes e bem proximo da data de partida voce nao encontrará bons preços, normalmente por volta de 90 - 120 dias antes é um bom periodo, mas claro que podem surgir surpresas nesse meio tempo, entao nada melhor do que ir acompanhando constantemente.

3. Pesquise sobre o que voce deseja fazer no local a ser visitado, como chegar, se é pago, tudo pra vc ter noçao dos gastos.

Na internet voce acha sobre tudo, basta ter tempo e disposição pra procurar.

Boa sorte

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
22 horas atrás, Effren disse:

Galera, boa noite! 

Me chamo Victor, moro em Salvador Bahia e estou aqui meio perdido.

Estou com pretensão de viajar junto com minha esposa em 01/09/2018 e pretendemos ficar lá até 09/09/2018, viajando por conta própria.

Será nossa primeira viagem pra fora do Brasil

Tenho algumas duvidas:

1- Quais hostels baratos pra casal e nos melhores locais vcs indicam?

2- Airbnb o pagamento da hospedagem é feita aqui ainda no brasil em real e eles convertem? ou paga no local? 

3 - Melhor Hostel ou Airbnb?

4 - Quanto se gasta numa viagem dessas? com passagens, hospedagem, alimentação, transporte e passeios? ( foco sempre economia financeira, sem muito luxo)

5 - Quantos Euros por pessoa pra uma viagem dessas? 500? 700? Euros ao todo?

6 - Qual valor dos ingressos das atrações de lá?

 

Desculpem a quantidade de perguntas e o texto grande rs.. espero que vocês possam me ajudar!

 

 

As únicas perguntas que são possíveis de se responder são sobre

 

=> a cobrança do Airbnb: assim que vc efetua a reserva pelo site já é debitado no seu cartão de crédito com a cotação do dia em que foi confirmada a reserva.

=> Sobre "melhor hostel ou airbnb": você vai ter que pesquisar os preços e conforto que desejam. Se você quer algo barato, muuuito provavelmente Airbnb será mais em conta. Pois em geral quartos privativos em hostel costuam ser bem caros. Tenha em mente que não é porque um lugar se autodenomina hostel que será "barato". Às vezes, para o hostel ser realmente barato, vc tem que estar disposto a dormir em quartos com mais 15 ou 20 pessoas, por exemplo (algo que eu não animaria nunca em fazer).

=> passagens de avião: deixe para pesquisar faltando uns 4 meses para sua viagem. Ainda está muito longe... De preferência, fique ligado em sites e páginas como http://www.melhoresdestinos.com.br/, por exemplo; eles divulgam diversas promoções com preços de passagens absurdamente baixos para diversos locais do mundo. Talvez, nesse período você aproveita uma super promoção e vai para outro(s) destinos que também sejam interessantes.

Veja este exemplo: Passagens para Paris, Roma e Amsterdã na mesma viagem a partir de R$2.400,00: http://www.melhoresdestinos.com.br/promocao/passagens-europa-roma-paris-amsterda.

 

As outras perguntas que fez não tem como responder. Você tem que pesquisar por conta, tendo em vista o seu perfil e da sua esposa. Leia todos relatos que puder sobre Budapeste (na minha assinatura tem um relato do ano passado) e tente "salvar" o que te interessa do ponto de vista de atrações, etc.

 

Penúltima coisa: eu acho 8 ou 9 dias inteiros em Budapeste muito tempo. A cidade demanda no máximo 4 dias para vc explorar as melhores atrações. Se eu fosse você, ficaria 3 dias inteiros em Budapeste e iria para Viena ou Praga (de trem ou ônibus) terminar o período de viagem, que são cidades que também demandam uns 3 ou 4 dias para se explorar. Mas, como falei, isso é minha opinião. Se o sonho de vocês é realmente ficar esse tempo todo só em Budapeste, aproveitem! Mas procurem outras cidades húngas ao redor para explorar, fazer bate-e-volta, etc.

 

Última coisa: Budapeste é sensacional! Uma das cidades mais bacanas que fui. Budapeste é conhecida como "Paris da Europa Central"; mas eu gostei mais de Budapeste do que Paris.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
16 horas atrás, lourencobj disse:

As únicas perguntas que são possíveis de se responder são sobre

 

=> a cobrança do Airbnb: assim que vc efetua a reserva pelo site já é debitado no seu cartão de crédito com a cotação do dia em que foi confirmada a reserva.

=> Sobre "melhor hostel ou airbnb": você vai ter que pesquisar os preços e conforto que desejam. Se você quer algo barato, muuuito provavelmente Airbnb será mais em conta. Pois em geral quartos privativos em hostel costuam ser bem caros. Tenha em mente que não é porque um lugar se autodenomina hostel que será "barato". Às vezes, para o hostel ser realmente barato, vc tem que estar disposto a dormir em quartos com mais 15 ou 20 pessoas, por exemplo (algo que eu não animaria nunca em fazer).

=> passagens de avião: deixe para pesquisar faltando uns 4 meses para sua viagem. Ainda está muito longe... De preferência, fique ligado em sites e páginas como http://www.melhoresdestinos.com.br/, por exemplo; eles divulgam diversas promoções com preços de passagens absurdamente baixos para diversos locais do mundo. Talvez, nesse período você aproveita uma super promoção e vai para outro(s) destinos que também sejam interessantes.

Veja este exemplo: Passagens para Paris, Roma e Amsterdã na mesma viagem a partir de R$2.400,00: http://www.melhoresdestinos.com.br/promocao/passagens-europa-roma-paris-amsterda.

 

As outras perguntas que fez não tem como responder. Você tem que pesquisar por conta, tendo em vista o seu perfil e da sua esposa. Leia todos relatos que puder sobre Budapeste (na minha assinatura tem um relato do ano passado) e tente "salvar" o que te interessa do ponto de vista de atrações, etc.

 

Penúltima coisa: eu acho 8 ou 9 dias inteiros em Budapeste muito tempo. A cidade demanda no máximo 4 dias para vc explorar as melhores atrações. Se eu fosse você, ficaria 3 dias inteiros em Budapeste e iria para Viena ou Praga (de trem ou ônibus) terminar o período de viagem, que são cidades que também demandam uns 3 ou 4 dias para se explorar. Mas, como falei, isso é minha opinião. Se o sonho de vocês é realmente ficar esse tempo todo só em Budapeste, aproveitem! Mas procurem outras cidades húngas ao redor para explorar, fazer bate-e-volta, etc.

 

Última coisa: Budapeste é sensacional! Uma das cidades mais bacanas que fui. Budapeste é conhecida como "Paris da Europa Central"; mas eu gostei mais de Budapeste do que Paris.

@lourencobj nossa cara, obrigado mesmo.. vc foi sensacional.

eu tava pensando em Airbnb mesmo, fiquei com receio por ter poucas avaliações de brasileiros rsrs.

Na verdade a estadia em Budapeste seria de 7 noites (02/09 a 09/09 já retornando neste dia pra o Brasil).

Tava pensando justamente em ir em Viena de ônibus,  vc sabe qual site pra comprar as passagens? E utilizar dos 7 dias 3 dias pra Viena, o que acha?

Reservo a passagem de volta de Viena mesmo ou volto pra Budapeste pra pegar o avião? O que acha melhor?

Obrigado novamente pelas dicas.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
5 horas atrás, Effren disse:

@lourencobj nossa cara, obrigado mesmo.. vc foi sensacional.

eu tava pensando em Airbnb mesmo, fiquei com receio por ter poucas avaliações de brasileiros rsrs.

Na verdade a estadia em Budapeste seria de 7 noites (02/09 a 09/09 já retornando neste dia pra o Brasil).

Tava pensando justamente em ir em Viena de ônibus,  vc sabe qual site pra comprar as passagens? E utilizar dos 7 dias 3 dias pra Viena, o que acha?

Reservo a passagem de volta de Viena mesmo ou volto pra Budapeste pra pegar o avião? O que acha melhor?

Obrigado novamente pelas dicas.

Como eu falei antes: leia os relatos sobre Budapeste e Viena (eu fiz um da viagem ano passado: 

 

Se as passagens entrando por Budapeste e saindo por Viena (ou vice-versa) ficarem em conta, é melhor do que ir para uma cidade e depois voltar. Tudo depende do custo. Esse ano comprei passagens com ida para Londres e volta de Londres, mas fui e voltei de Paris de trem e valeu muito a pena, porque as passagens com entrada por Londres e volta por Paris estavam absurdamente mais caras. Enfim, tudo depende.

 

Entre Budapeste e Viena, acho que vale a pena ir de trem (foi o que fiz; repito: leia o relato), que é uma experiência que dificilmente temos no Brasil.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
47 minutos atrás, lourencobj disse:

Como eu falei antes: leia os relatos sobre Budapeste e Viena (eu fiz um da viagem ano passado: 

 

Se as passagens entrando por Budapeste e saindo por Viena (ou vice-versa) ficarem em conta, é melhor do que ir para uma cidade e depois voltar. Tudo depende do custo. Esse ano comprei passagens com ida para Londres e volta de Londres, mas fui e voltei de Paris de trem e valeu muito a pena, porque as passagens com entrada por Londres e volta por Paris estavam absurdamente mais caras. Enfim, tudo depende.

 

Entre Budapeste e Viena, acho que vale a pena ir de trem (foi o que fiz; repito: leia o relato), que é uma experiência que dificilmente temos no Brasil.

 

@lourencobj Fiz uma pesquisa rápida por aqui e sai mais barato entrar e sair por Budapeste! em torno de 4600 Casal ida e volta.

não consegui entrar no site das operadoras de trem ou de ônibus, principalmente a de ônibus que só da erro no site.

Amei seu relato, inclusive ja peguei várias dicas. Estou mais tendencioso para Airbnb pois pesquisando quartos privados consegui encontrar preços beem mais baratos do que quartos privativos em hostels. Estava pensando em pegar o cartão, mas pelo visto é dinheiro jogado fora.

o que achei interessante tbm é que voce ja paga a hospedagem aqui no Brasil - fica mais fácil administrar quanto pra gastar lá, se estiver equivocado por favor me sinalize rs

Pelo menos hoje os valores mais baixos estão 31/08/18 e volta 09/09 os outros dias estão uma facada nos aéreos

estava pensando em levar 1500 euros ao todo eu e minha esposa.... um colega que foi pra europa (cidades mais badaladas) disse que era muito pouco kkkk mas como budapeste era mais barato do que cidades que usam Euros mesmo acho que dava..

 

Mais uma vez, muito obrigado.. vc esta sendo sensacional cara.

 

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Effren Tudo bem?!

Não sou das mais experientes viajantes não, mas acho que ter planejado uma viagem por conta própria que fiz com meu marido esse ano e estar planejando a segunda, me dá condições de ousar responder.

Em março deste ano, estive em duas cidades: Roma e Paris e, em ambas fiquei hospedada via airbnb. Eu pesquisei muiiiitooo, muito mesmo antes de optar por essa hospedagem. Primeiro, levei em consideração que queríamos pagar pouco, mas tbm ficar numa região relativamente bem localizada e com um mínimo de conforto. Daí, o primeiro passo, foi entender um pouco sobre a cidade para onde ia, entender onde ficam os pontos turísticos, como são os meios e transporte e assim, onde (bairro) seria interessante ficar. Para essa pesquisa, consultei relatos aqui mesmo no mochileiros, e internet de um modo geral, além do guia de bairros que o próprio airbnb possui que dá um panorama bacana de cada bairro (https://www.airbnb.com.br/things-to-do/budapest/sightseeing/neighborhood). Olhava no mapa, aquele bairro e a distância dos pontos turísticos e me baseava nisso para fazer minha escolha. Por exemplo: em Roma fiquei num bairro que me permitiu fazer a maior parte dos meus roteiros a pé. Já em Paris, como para qualquer lugar eu ia precisar de metrô, fiquei num bairro central, mas não caro.

Daí que, definido onde eu gostaria de ficar, as opções de bairro, iniciei a pesquisa por preços de hostels, hotéis e apartamentos. E, no meu caso o airbnb saiu bem mais em conta. Pode ser que a realidade mude de acordo com a cidade, tipo: estou programando uma próxima viagem e, em Amsterdam tenho achado os apartamentos caros, talvez compense mais ficar em hostel. Mas, na viagem que fiz esse ano, o air bnb compensou. Um ponto importante é: verificar com cautela os comentários de outras pessoas que se hospedaram no apartamento que você quer alugar. Quanto ao pagamento, no momento que você efetua a reserva o pagamento é debitado na cotação do dia. O airbnb recebe seu pagamento e só o transfere ao host no momento que você faz chekin.

Minha experiência nestas duas cidades com o airbnb foi muito boa, tanto que na viagem que estou planejando já tenho pesquisado aptos de airbnb. Uma vantagem de ficar em apto é que vc tem cozinha, máquina de lavar etc.

Quanto a grana, para saber quanto levar, eu recomendo muitaaaa pesquisa em blogs, assistir vlogs e, claro, é algo muito relativo: depende de onde vc vai comer, o que vc vai fazer etc. Um site que recomendo é: https://quantocustaviajar.com/ nele há preços dos ingressos, valores médios de alimentação etc.

Eu li muitas experiências. Jogaa no google: o que fazer em roma em 5 dias, e ia lendo as ideias, postagens. Assisti muitos vídeos e com isso fui tomando nota do que eu querer ver e fazer, depois então pesquisava no site da própria atração os valores de ingressos. Outra coisa que sempre googlava era: como se locomover em tal lugar. Aí, tomava nota de como funcionava o transporte público, tipos de bilhetes e assim, podia avaliar o que melhor se encaixava pra mim.

No mais, se tem uma dica que dou é: pesquiseee muito.

Eu achei um barato planejar uma viagem desde o início, cada passo, cada roteiro. Desejo sorte e que vc se divirta muito.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
11 horas atrás, tássila.paiva disse:

@Effren Tudo bem?!

Não sou das mais experientes viajantes não, mas acho que ter planejado uma viagem por conta própria que fiz com meu marido esse ano e estar planejando a segunda, me dá condições de ousar responder.

Em março deste ano, estive em duas cidades: Roma e Paris e, em ambas fiquei hospedada via airbnb. Eu pesquisei muiiiitooo, muito mesmo antes de optar por essa hospedagem. Primeiro, levei em consideração que queríamos pagar pouco, mas tbm ficar numa região relativamente bem localizada e com um mínimo de conforto. Daí, o primeiro passo, foi entender um pouco sobre a cidade para onde ia, entender onde ficam os pontos turísticos, como são os meios e transporte e assim, onde (bairro) seria interessante ficar. Para essa pesquisa, consultei relatos aqui mesmo no mochileiros, e internet de um modo geral, além do guia de bairros que o próprio airbnb possui que dá um panorama bacana de cada bairro (https://www.airbnb.com.br/things-to-do/budapest/sightseeing/neighborhood). Olhava no mapa, aquele bairro e a distância dos pontos turísticos e me baseava nisso para fazer minha escolha. Por exemplo: em Roma fiquei num bairro que me permitiu fazer a maior parte dos meus roteiros a pé. Já em Paris, como para qualquer lugar eu ia precisar de metrô, fiquei num bairro central, mas não caro.

Daí que, definido onde eu gostaria de ficar, as opções de bairro, iniciei a pesquisa por preços de hostels, hotéis e apartamentos. E, no meu caso o airbnb saiu bem mais em conta. Pode ser que a realidade mude de acordo com a cidade, tipo: estou programando uma próxima viagem e, em Amsterdam tenho achado os apartamentos caros, talvez compense mais ficar em hostel. Mas, na viagem que fiz esse ano, o air bnb compensou. Um ponto importante é: verificar com cautela os comentários de outras pessoas que se hospedaram no apartamento que você quer alugar. Quanto ao pagamento, no momento que você efetua a reserva o pagamento é debitado na cotação do dia. O airbnb recebe seu pagamento e só o transfere ao host no momento que você faz chekin.

Minha experiência nestas duas cidades com o airbnb foi muito boa, tanto que na viagem que estou planejando já tenho pesquisado aptos de airbnb. Uma vantagem de ficar em apto é que vc tem cozinha, máquina de lavar etc.

Quanto a grana, para saber quanto levar, eu recomendo muitaaaa pesquisa em blogs, assistir vlogs e, claro, é algo muito relativo: depende de onde vc vai comer, o que vc vai fazer etc. Um site que recomendo é: https://quantocustaviajar.com/ nele há preços dos ingressos, valores médios de alimentação etc.

Eu li muitas experiências. Jogaa no google: o que fazer em roma em 5 dias, e ia lendo as ideias, postagens. Assisti muitos vídeos e com isso fui tomando nota do que eu querer ver e fazer, depois então pesquisava no site da própria atração os valores de ingressos. Outra coisa que sempre googlava era: como se locomover em tal lugar. Aí, tomava nota de como funcionava o transporte público, tipos de bilhetes e assim, podia avaliar o que melhor se encaixava pra mim.

No mais, se tem uma dica que dou é: pesquiseee muito.

Eu achei um barato planejar uma viagem desde o início, cada passo, cada roteiro. Desejo sorte e que vc se divirta muito.

@tássila.paiva , nossa, muito obrigado..

Eu tenho pesquisado bastante sim, porém aqui no site não tinha encontrado nada referente a experiências no Airbnb.

Em Budapeste tem saído muito mais em conta o Airbnb pelas pesquisas. Dei preferência na pesquisa mais recente nas hospedagens supershot que são consideradas as melhores. Em que pouco teve problemas,etc..

Tenho feito uma pesquisa básica até então terei até a viagem 1100 euros.

Pra um total de 7 noites lá.

Sei que está longe ainda mais quanto mais leio e me informo mais coisas aparecem kkkk

Te agradeço pelas dicas.

 

 

  • Curti 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá!

Concordo com as coisas que o pessoal já mencionou, como por exemplo, achar que é muito tempo só para Budapeste. Fiquei quatro dias lá e a-do-rei a cidade, muito mesmo! Mas esse tempo foi bem apropriado, tendo mais dias eu também combinaria com outra(s) cidade(s).

Note que a moeda lá não é euro, e sim florins. A cotação ficava (em agosto desse ano) em torno de 280-300 florins por euro. Ressalto o que já disseram: é muito complicado dizer o quanto vocês vão gastar, mas vou te dar uma ideia do quanto eu gastei. Saquei 100.000 florins para esses quatro dias. Disso, gastei 28.000 com o hostel, que é um gasto que vocês não terão se pegarem Airbnb (pois o pagamento é feito no momento da reserva). Eu e meu marido gostamos de usar Airbnb principalmente por ter cozinha disponível (gostamos de cozinhar e economizamos assim) e muitas vezes fica bem mais em conta do que um quarto privado de hostel para um casal, mas quando estive em Budapeste fui sozinha e por isso fiquei no quarto coletivo do hostel.

Dos 70.000 que sobraram, deu para fazer tudo: comer (todas as refeições, pois o hostel não incluía café da manhã), usar transporte público, entrar em atrações e ainda ir em dois dos banhos termais mais famosos de lá: o Szecheny (4900 florins) e o Gellert (5300 florins). Não fiz a visita que é das mais caras entre as atrações turísticas da cidade, que é o tour no Parlamento, então meus 70.000 deram e sobraram para comer bem (sem luxo) e fazer tudo que eu queria. Ainda deu para gastar uns 10.000 florins em comprinhas supérfluas.

Ah, nesse valor não estava incluso o transporte de trem que peguei para Viena, pois eu já havia comprado pela internet.

Alguns estabelecimentos aceitam euros, mas nem sempre a cotação é vantajosa. Às vezes a conversão era 300/1, mas às vezes 250/1.

Minha sugestão para esse tempo que vocês tem é combinar Budapeste com Viena (também maravilhosa!) e talvez Bratislava (estava no meu roteiro, mas não consegui ir).

Um site que me ajudou muito quando estava planejando a viagem, além dos relatos aqui no Mochileiros, foi o www.360meridianos.com, tem bastante informação sobre Budapeste lá.

Qualquer coisa, pergunte! ;)

Abraço!

 

Helen.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Effren , caso você não queira quebrar sua viagem fazendo, por exemplo, 3 dias em Viena e 3 em Budapeste (+o dia de deslocamento, que são 3h de trem), uma sugestão é montar uma base em Budapeste e fazer bate-volta. Principalmente se você ficar em apartamento alugado.

Sugestões para bate-volta: Szentendre (cidadezinha perto de Budapeste com várias galerias de arte, é como Embu das Artes para eles); o lago Balaton; Pécs (tem uma mesquita que virou igreja, alguns museus de arte, a antiga fábrica de porcelana Zsolnay)... perto de Pécs tem cidades como Szekszárd e Villány, com vinícolas. Tem também o castelo de Siklos (aliás, o interior da Hungria tem vários castelos interessantes). Você pode visitar cidades históricas com influência do Império Austro-Húngaro: Győr (se gostar de handebol tente ver um jogo do Győri Audi-ETO, um dos principais times do país), Eger, Sopron, Esztergom (a vista da basílica a partir do rio Danúbio é fantástica), enfim, muita coisa.

Bate-volta a Viena num único dia... bem, já fiz e acabou sendo para dizer que fiz mesmo. São 6h de trem no total. Para Bratislava talvez valha mais a pena, pois é mais perto.

Boa viagem!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@LF Brasilia me diz uma coisa.

Vc sabe quais empresas de ônibus fazem esses trajetos para estas cidades que citou próximas a Budapeste?

Se souber e puder compartilhar o link do ou dos sites eu agradeço.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Effren , dentro da Hungria o mais fácil é ir de trem: http://elvira.mav-start.hu/. A disponibilidade de horários é bem maior. Já para países vizinhos, aí tem que ver caso a caso. Principalmente entre cidades do interior.

As empresas de ônibus mais conhecidas lá são a Orange Ways e a Volán Busz.

Orange Ways: https://www.orangeways.com/en/

Volán Busz: http://www.volanbusz.hu/en

Dessas duas empresas só viajei pela Volán, para uma cidade na Sérvia perto da fronteira. O ônibus da volta era operado por uma empresa de outro nome - talvez fosse uma empresa sérvia coligada. Além disso, estava no período de férias escolares e alguns horários não operavam.

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@LF Brasilia maravilha.

Mais informações para minha planilha!

Como meu orçamento estará meio restrito talvez para ir para outro pais, comecei a me interessar pelas cidades próximas a Budapeste , vi que eram bem legais.

Muito obrigado mesmo.

 

  • Curti 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Legal, @Effren !

Minha família materna é húngara e já fui algumas vezes fazer intercâmbios curtos. Geralmente acabo ficando mais em cidades do interior e elas têm bastante coisa legal, sim.

No que eu puder ajudar, estamos aí. :-)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@LF Brasilia nossa, que legal.

Eu só pelas pesquisas que já fiz , estou apaixonado pela cidade, imagino até que o interior deve ser encantador tbm.

Aproveitando, estava agora pouco no site da bkk de transportes.

E tive uma dúvida o bilhete de 24 horas de passagem ele da direito a usar entre todos os modais? Igual ao Budapest card?

Ou esse ticket é só para um tipo de modal Durante as 24 horas?

 

  • Curti 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@Effren , o ticket da BKK pode ser usado entre todos os modais, sim. Quando estive lá este ano, comprei o de 72 horas (*). Não lembro se essas 72h contam a partir da compra (acho que é isso) ou do primeiro uso. Você não precisa validar, já que o horário está escrito no ticket (confirme essa informação, pois vai que muda!). Tenha sempre o ticket com você. Na entrada das estações de metrô não tem catracas, mas sempre tem uns controladores que ficam de olho nos bilhetes. Às vezes também esses controladores entram de repente nos meios de transporte, colocam uma braçadeira que os identifica e saem pedindo para ver os tickets validados.

Essa figura dos controladores do metrô inspirou até um filme: https://en.wikipedia.org/wiki/Kontroll

Veja mais sobre o transporte público de Budapeste aqui:

https://welovebudapest.com/en/2016/02/17/bkk-basics-a-guide-to-budapests-public-transportation-system/

https://www.elte.hu/en/public-transport

Outra opção é comprar o ticket direto do motorista de ônibus ou VLT ("tram"), principalmente se você só quiser fazer uma viagem mesmo. Isso pode ser interessante caso você visite outra cidade na Hungria e queira usar o transporte de lá. Não se esqueça de validar o bilhete logo após comprá-lo, mesmo que o compre com o motorista.

(*) Comprei o meu na estação Keleti, perto de uma das entradas do metrô. Não consegui efetuar a compra na máquina e o jeito foi fazer isso num escritório de vendas que funciona lá mesmo.

  • Curti 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Em 19/11/2017 em 19:47, Effren disse:

Vc sabe quais empresas de ônibus fazem esses trajetos para estas cidades que citou próximas a Budapeste?

Eu comprei passagens de ônibus pela Student Agency: http://studentagencybus.com/

Na época as passagens giravam em torno de 9 e 12 EUR.

 

Observação: não precisa ser estudante para comprar passagens com esses preços. hehe

 

Em 15/11/2017 em 21:07, Effren disse:

o que achei interessante tbm é que voce ja paga a hospedagem aqui no Brasil - fica mais fácil administrar quanto pra gastar lá, se estiver equivocado por favor me sinalize rs

 

Sem dúvida! Ajuda muito a chegar lá já com várias coisas pagas. Na minha viagem desse ano eu já tinha todas reservas pagas pelo Airbnb quando cheguei lá, inclusive tickets de várias atrações (mas não recomendo comprar antecipadamente tickets de atrações que dependam do clima). Então no período de viagem em si, eu só tinha as despesas de consumo diário normal.

 

Em 15/11/2017 em 21:07, Effren disse:

estava pensando em levar 1500 euros ao todo eu e minha esposa.... um colega que foi pra europa (cidades mais badaladas) disse que era muito pouco kkkk mas como budapeste era mais barato do que cidades que usam Euros mesmo acho que dava..

O orçamento no lugar não é muito difícil de se fazer. Em geral, eu estimo assim (por pessoa e por dia):

Alimentação:

~ 5 a 8 EUR para café da manhã

~10 a 15 EUR de almoço

~5 a 8 EUR de café da tarde/lanche

~15 EUR de jantar

Demais atrações: pesquiso nos sites e faço o levantamento dos preços dos ingressos. Preço de transporte público também é fácil de se conseguir pesquisando no site da empresa de transporte da cidade (em Budapeste não vale a pena comprar passe de transporte. É melhor comprar ticket de metrô somente quando precisar), etc.

 

Na média, para mim, eu estimava sempre em torno de uns ~70 EUR por dia por pessoa. Era mais que suficiente! Claro, tinha dia que eu gastava mais, dia gastava menos... Porém, sempre levava uma válvula de escape (um cartão pré-pago da PICCHIONI, por exemplo, que é super fácil e rápido de recarregar), sem contar o cartão de crédito. Tem gente que se vira com ~50 EUR por dia, outras 100 EUR, enfim, depende muito do estilo de cada um. Tem gente que gosta de jantar em restaurante bacana, outros preferem comer um sanduíche no almoço. Mas ressalto que, mesmo que queira fazer um verdadeiro estilo "low cost", vale a pena tirar ao menos um dia para "esbanjar" num restaurante bom. Vale a pena se presentear também. hehe

 

  • Curti 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@lourencobj meu irmão.. você é um anjo rsrs

Obrigado pelas dicas e informações. Com toda certeza vai ser muito mais fácil com essas dicas. eu fiz uma planilha baseada na sua, acho que ficou bastante detalhado tbm.

Qualquer duvida que tiver pergunto aqui novamente. Mas com certeza você sanou inumares.

Obrigado!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@LF Brasilia Com certeza outro anjo aqui neste tópico rs!
 

Muito obrigado por me ajudar a sanar até então todas as duvidas que tinha!

 

Qualquer coisa espero poder contar com vocês novamente!

 

Obrigado!

  • Curti 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora


×