Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Posts Recomendados

Resolvi criar este tópicos com o intuito de passar algumas dicas para quem se interessa em estar por Foz do Iguaçu em alguma oportunidade. 

É uma cidade muito boa de modo que dá vontade de morar. Primeiro pela calmaria e segundo pelo custo de vida bem acessível e pela praticidade de mover-se pelo centro (tudo se interliga e você "se encontra" com facilidade). O clima é agradável e as pessoas são bem educadas. Tive a oportunidade de estar de 10 a 13 de fevereiro de 2018 (carnaval) de modo que, pelo pouco tempo, deu para tomar algumas coisas como importantes não apenas para repassar para viajantes como para planejar minha próxima ida à Foz. Se nesse momento você está planejando viajar pra lá com amigos, sozinho, com família ou em viagem romântica este tópico pode lhe servir muito! As dicas estarão separadas de modo a facilitar:

DICAS DE TRANSPORTE EM FOZ DO IGUAÇU (BRASIL)

Eu fui de avião então tomei um táxi apenas do aeroporto para o hotel e do hotel para o aeroporto. Como NÃO TEM UBER ou outros aplicativos de transporte na cidade, o TAXI custa caro até mesmo para pequenas distâncias. As corridas que mencionei custaram 70,00 e 55,00 respectivamente mas foram necessárias por causa das malas. Para ir aos destinos turísticos (Cataratas, Parque das Aves, Paraguai e Argentina) utilizei os ônibus coletivos sem nenhuma dificuldade e com muita praticidade. Logicamente alguns ônibus estavam cheios de gente justamente por causa do período de carnaval e muitos turistas também estavam utilizando dessa forma de transporte. Se você for, por exemplo, visitar as Cataratas ou o Parque das Aves, cada trecho de ida e volta custa R$ 3,45 por pessoa! Os trechos dentro de Foz no Brasil são baratos. Se você quiser pegar um TAXI apenas pelo ar-condicionado e porque estará sentado, pagará entre 40 a 60 reais (nesse caso pode até valer a pena desde que você "rache" o preço com outras 3 pessoas para ocupar o TAXI inteiro. Mas mesmo assim, eu pegaria ônibus pela economia. O terminal de ônibus é MUITO perto da Av Brasil.

DICAS DE TRANSPORTE PARA A ARGENTINA

Você poderá tomar um ônibus no centro de Foz do Iguaçu diretamente para a Argentina (free shop). É um ônibus que vem escrito no letreiro (FOZ DO IGUAÇU - ARGENTINA) e a passagem custa 5,00 por pessoa. São ônibus humildes (sem ar condicionado) e cadeiras tradicionais como as do Brasil. Porém, paga-se pouco e chega-se logo. O ônibus para exatamente na frente do Free Shop de Puerto Iguazu que fica ao lado da Aduada para entrada na Argentina. Dependendo do período que você for à Foz, pode ter trânsito intenso pela alta demanda de turistas além dos próprios moradores de Foz e do Paraguai que transitam por ali todos os dias. Para voltar da Argentina à Foz você pode tomar um ônibus na rodoviária de Misiones que custa também 5 a 8 reais por pessoa mas em ônibus mais confortáveis (ar condicionado e poltronas acolchoadas). Atente-se aos horários dos ônibus!

DICAS DE TRANSPORTE PARAGUAI

No mesmo ponto de ônibus já mencionado (em frente a igreja da Av. Jorge Sch...) tomei um ônibus paraguaio (há muitos) com o valor de R$ 5,00 por pessoa.Há muitos ônibus paraguaios que fazem a rota Foz - Ciudad del Este. Basta perguntar na cidade qual vai direto e o valor mas sái em média 5 reais por pessoa. Também há (claro) ônibus de volta do Paraguai para o Brasil pelo mesmo preço mas você deve se atentar aos horários!

ORGANIZAÇÃO DE PASSEIOS

PRIMEIRO DIA: Por ter chegado em Foz ao meio dia, peguei o restante do primeiro dia para ir logo ao free shop da Argentina. Fiquei em um hotel na Av Brasil, que facilita o acesso à tudo. Subindo à pé até a avenida Jorge Schimmelpfeng (em frente a igreja), tomei um ônibus (já mencionado anteriormente) e fui. Foi uma viagem curta por um preço muito acessível: um TAXI cobraria 70 reais só pra isso. Passei pouco tempo nesse free shop pois o dólar estava alto na cotação do dia e comprei pouca coisa mas também tirei fotos em volta do shopping (que é muito bacana). Aproveitei para passar pela Aduana e segui à pé. O primeiro ponto de parada foi o Casino logo no início: dá pra tirar fotos e otimizar seu tempo, jogar não é aconselhável, lógico (você perde tempo e dinheiro). Na entrada principal da cidade (logo após o Casino), dobrei à direita e encontrei uma Vinõteca muito simpática ao lado esquerdo onde praticamente tudo era a preço de custo! Lanchei ali, fui super bem atendido pela vendedora e pelo dono e recebi boas dicas! Como estava chovendo, peguei um taxi por 10 reais até o centro de Misiones-Puerto Iguazu. Neste centro você tem: a feirinha, o freddo (sorveteria) o bar da cerveja Quilmes, a rodoviária (para voltar, claro) e algumas feiras de artesanato e produtos regionais. Na feirinha (o principal) aproveitei pra comprar Alfajor e alguns temperos de cozinha que são muito bons, em boa quantidade e a excelente preço (que no Brasil seriam MUITO CAROS). Sobre alfajor: há uma marca que vem numa caixa branca com 24 unidades por 25 reais. Há outras marcas como Milka que são muito bons mais são unidades pequenas a 25 reais e apenas 15 unidades. No fim das contas, Alfajor tem o mesmo sabor! Você encontrará muitos potes grandes de azeite, salame e principalmente azeitonas (muitas) expostas sem proteção e isso eu não recomendo. Ah...nessa feirinha também tem restaurante mas como já havia comido, nem liguei. Passei pela sorveteria Freddo (pedi o sorvete pequeno de doce de leite, claro) e continuei o trajeto pelas outras lojas na Av Brasil deles e de lá fui pra rodoviária pegar o ônibus de volta para Foz a 5,00 por pessoa (com ar e poltronas muito boas)! Se for à Argentina, lembre-se de não ir apenas ao free shop e deixe pra comprar Alfajor nessa feirinha já mencionada: sái mais barato!

SEGUNDO DIA: O segundo dia aproveitei para fazer dois passeios por serem ambos próximos: CATARATAS + PARQUE DAS AVES. Como um é do lado do outro literalmente, vale a pena conhecer logo esses dois em turnos distintos, claro. Eu optei pelo Parque das Aves a manhã inteira e as Cataratas à tarde. Acredite, você vai cansar e no final do dia estará exausto mas VALE A PENA! Você pode comprar os ingressos das Cataratas pelo site deles até mesmo antes de viajar! Nas Cataratas o passeio custa em média 36,00 e no Parque das Aves 45,00 (valores por pessoa). No Parque das Aves, se você for estudante (com carteirinha) ou professor (com comprovação) paga meia entrada a 22,00 mas nas Cataratas o valor é inteiro para todos. Há um restaurante muito bom dentro do Parque das Aves onde fui muito bem servido com um cheesebacon gormet e um chopp artesanal em tulipa com 27 reais (e satisfaz). Nas Cataratas também tem, mas não comi porque já estava cheio.

Optei por jantar num restaurante muito bom na Av Brasil no primeiro quarteirão perto do hotel onde estive (Rhema). Come-se bem, barato e satisfaz (mas não lembro ao certo o nome do local).

TERCEIRO DIA: Aproveitei para ir ao Paraguai. Já que comprar leva tempo justamente pela altíssima demanda de lojas e produtos no país e, também, pelo trânsito MUITO INTENSO (toda hora) tanto para entrar como para sair daquele país, fiquei o dia todo focado nisso. No mesmo ponto de ônibus já mencionado (em frente a igreja da Av. Jorge Sch...) tomei um ônibus paraguaio (há muitos) com o valor de R$ 5,00 por pessoa. Há muita (mas muita) gente o tempo todo circulando, ambulantes vendendo de tudo e muitas barracas em torno dos shoppings e prédios comerciais. (LEMBRE-SE DE LEVAR SUA CARTEIRA E CELULAR SEMPRE NOS BOLSOS DA FRENTE...VOCÊ CORRE RISCO DE SER FURTADO SEM PERCEBER, SE DER BOBEIRA). Os camelôs vendem algumas coisas muito baratas e outras nem tanto. Os ambulantes, obviamente tentarão lhe vender coisas a preço de banana, principalmente meias, calcinhas e cintos. Meu conselho: compre apenas lembranças (artesanato, tipo chaveiro) para dar de presente a amigos nesses camelôs. Deixe para fazer as suas compras de preferência no SHOPPING PARIS (onde fica no último andar o SHOPPING CHINA). O Shopping Monalisa é muito divulgado mas tudo é muito caro, os únicos andares de coisas boas são os últimos (coisas originais) mas os vendedores são rudes. O Shopping China já é mais organizado, tem uma variedade muito maior em um mesmo espaço e tem muita coisa etiquetada em promoção (comprei perfume, roupa, acessórios e até whey protein) nesse shopping! Os restaurantes do centro da Ciudad del Este são "fedidos a mijo e outros odores", cheios de formiga e insetos, são amontoados de gente mas são baratos e, claro, NÃO RECOMENDO! O Shopping Paris dispõe de uma praça de alimentação com excelentes opções de comida a preço bom, mas o atendimento do povo paraguaio parece padrão: rude, irônico e esnobe! Para voltar ao Brasil, devido ao trânsito e o cansaço, optei por tomar um TAXI paraguaio dentro do Shopping Paris que cobrou-me 50 reais até o meu hotel em Foz. Ele pegou um baita atalho, não demorou tanto e fui com um pouco mais de conforto para o hotel. No entanto, os carros são velhos, muitos são batidos e os paraguaios também dirigem como na Índia. Por falar e Índia, alguns amigos me disseram e eu lembrei que Ciudad del Este lembra bem a Índia por motivos óbvios. E lembre-se: no Paraguai não é tudo que vale a pena comprar primeiro pelos preços e, claro, pelo risco de falsificação (algumas extremamente grosseiras). 

Outra dica que lhes dou: alguns paraguaios vão lhe parar na rua perguntando o que querem. Não dê muita importância e dispense logo! Se disser o que quer eles irão lhe seguir até a loja onde eles querem que você vá com a conversa de que "meu patão vai ficar feliz sabendo que lhe trouxe" e lhe esperam dentro da loja e lhe seguem de volta!

Já de volta ao Brasil, optei por jantar em um barzinho chamado O BOTECO na Av Jorge Sch. Fui muito servido de comida e bebida (uns pastéis de creme de frango e milho + um senhor pão de alho + 1 chopp de 300ml + 1 caipirinha + 1 chopp de 1 litro). A conta saiu a preço de custo a uma excelente refeição, lugar muito aconchegante com música ao vivo, boteco requintado e descontraído e super bem atendido! E o local não cobra os 10% do garçom.

QUARTO E ÚLTIMO DIA: Com o voo de volta previsto para as 18:00 pude ir apenas ao templo budista! Fui e voltei de ônibus coletivo brasileiro saindo do terminal a 3,45 cada trecho. O templo não cobra a entrada e as fotos são maravilhosas! É excelente para fotos! O ambiente, as obras, as estatuas, esculturas, o jardim, o silêncio...o conjunto da obra encanta e vale a pena! É um passeio que não demanda de tanto tempo justamente porque só se tratam de fotos então você acaba tendo tempo para conhecer outro ponto da cidade. Pelo tempo apertado em virtude do voo, só pude conhecer este.

Tomei um lanche na CONFEITARIA MARIAS & MARIA que fica na própria Av Brasil. É um conceito de padaria e restaurante. Eu fiquei com a opção de almoço mas também comi alguns quitutes da padaria. Todos os dias eles oferecem uma excelente opção de almoço (sem bebida) por 15,00 por pessoa cada prato já feito por eles. Come-se bem, em um ambiente MUITO BOM e é SUPER BEM ATENDIDO. Além disso, os pratos e demais produtos são bons! Você pode optar por comprar alguma coisa ali para levar de volta pro hotel ou pra acompanhá-lo em seus passeios.

 É uma viagem que preciso fazer novamente não apenas para repetir alguns (ou todos esses passeios) mas para conhecer o Marco das 3 Fronteiras e outras atrações que não deu tempo. No geral, foi uma viagem que considero ter sido super bem aproveitada, custeada muito bem e bem servida de passeios e atrações para uma viagem curta. 

 Busquei passar as dicas de ônibus pois, como a cidade não tem UBER acaba tudo sendo focado em TAXI e pode sair mais caro do que você planejou. A cidade é pacata (pelo menos me pareceu) e andei tranquilo. 

 

 

 

  • Gostei! 2
  • Obrigad@! 2

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por RoxaneOliveira
      Olá, pessoal!
      Alguém que tenha ido para Jujuy partindo de Foz do Iguaçu de ônibus pode me informar a viabilidade do Seguinte roteiro?
      19/06 - 23h (Véspera de Corpus Christi)  
      ✈️Chegada a Foz do Iguaçu para dormir;
      20/06 - Cataratas Brasil;
      21/06 - Cataratas Argentina;
      22/06 - Parque das Aves e outro passeio não definido;
      23/06 - partindo de CDE para Encarnación (Ruínas San Ignacio);
      24/06 - Encarnación x Asunción (aproveitar o entardecer;
      25/06 - Asunción;
      26/06 - Rumo à fronteira da Argentina e depois Corrientes. 15h 🚍;
      27/06 - Corrientes x Jujuy 🚆;
      28/06 - Jujuy x Tilcara, curtir o vilarejo;
      29/06 - passeio para Salina Grande;
      30/06 - Passeio para Montanha de Siete Colores;
      01/07 - Passeio para Quebrada;
      02/07 - passeio para Salta;
      03/07 - Saída cedo para Puerto Iguazu 30h de Viagem 🚌
      04/07 - Retorno para Foz do Iguaçu e partida para o Rio ✈️
      Sei que não é o suficiente e que faltaria muitas coisas, mas gostaria de saber se o essencial já atende. Foto para chamar a atenção e interessados 😂😂😂

    • Por Magnum Brito
      Olá mochileiros!
      Estou planejando uma empreitada para a região do Campos do Quiriri.
      Não conheço a região e gostaria de saber como é a trilha, se é bem demarcada e também se alguém tem o track log saindo da Pedra da tartaruga até o Marco da Divisa. 
      Abraço;
    • Por PriAbdias
      Período: 11 a 16/08/18
      Pessoas: 8 adultos e 3 crianças (2, 5 e 6 anos)
      Passagens: Latam – voo direto SDU a FOZ.
      Hotel: Tarobá – muito bom. Hotel com boa estrutura: área para crianças, piscina, guarda volumes, sala de repouso, sala de TV, agência de viagem, loja, cadeira de massagem, outros. Boa localização, limpeza e equipe muito atenciosa.
      Normalmente, compro tudo separado, mas comparando os preços, compensou fazer pela Decolar que trouxe voo direto e hotel de boa qualidade, podendo parcelar em 10x.
      Preços – maioria do Ticket Loko
      Roteiro dia a dia:
      Dia 1 (sábado) – pegamos ônibus 120 em direção ao Terminal de Transporte Urbano (TTU), valor R$ 3,55. É ônibus comum de linha, não daqueles rodoviários que têm bagageiro etc. Mas, entramos com nossas malas e foi tranquilo. Aproximadamente meia hora até o hotel.
      Fizemos o check in, almoçamos no mercado Mufato que fica perto do hotel. Aproveitamos para comprar itens como biscoitos, água, bolinhos, enfim, coisas essenciais para quem está com crianças. No mercado, há caixa 24h.
      Por volta de 17h30, saímos para o Marco das 3 fronteiras brasileiro. Lá no Marco, compramos o passaporte 3 fronteiras, custa R$ 89 para adultos e R$ 39 criança (a partir de 6 anos; se for menor de 6, não precisa comprar, pois a criança só vai pagar R$ 10 nas Cataratas). Dá direito à entrada no Marco, Cataratas e visita à Itaipu com Ecomuseu – além de alguns descontos que não usamos. Vale a pena!
      O Marco brasileiro é muito bonito, tem apresentações de dança, loja e locais para comer. Estava um frio absurdo. Se for à Foz no inverno, esteja sempre com agasalho na bolsa.
       
      Dia 2 (domingo) – em frente ao hotel, há um quiosque do Ticket Loko onde compramos os ingressos para todos os demais passeios que queríamos fazer. Eles trabalham com descontos e, passando de R$ 500, a compra pode ser parcelada em até 3x no cartão.
      Uma viagem à Foz, basicamente, inclui ficar saindo e entrando de atrações pagas. Não é aquele tipo de viagem de colocar a cadeira de sol na areia da praia e ficar o dia inteiro curtindo o vento. Então, separe um dinheirinho. Algumas agências (como a própria Decolar) vendem ingressos podendo parcelar em 10x, mas costuma sair mais caro que o Ticket Loko.
      Após a compra dos ingressos, pegamos o ônibus 120 sentido Cataratas. Resolvemos visitar primeiro o Parque das Aves (R$42,75). O local é muito bonito. Não almoçamos, comemos numa lanchonete lá no parque – a coxinha é maravilhosa!
      Saindo do parque, seguindo por uns 5 minutos, está o Parque Nacional das Cataratas \o/ (ingressos já inclusos no passaporte 3 fronteiras). Não sei se pela data (Dia dos Pais), o parque não estava tão cheio. Após entregar os tickets, você entra numa fila para apanhar um ônibus que para em alguns pontos dentro do parque. Conseguimos sentar na parte superior que é semiaberta, dali fomos curtindo o visual. Descemos no ponto a partir do qual se acessa uma trilha de cerca de 1,2 km para as Cataratas. Quem tiver dificuldades de locomoção, pode descer num ponto acima. A caminhada na trilha é muito tranquila, você vai adentrando e tendo a vista daquela maravilhosa obra de Deus. É fabuloso.
      Por volta de 16h, fomos até o ponto da trilha para fazer o passeio Macuco Safari (R$199). Primeiro, pegamos uma caminhonete até certo trecho, depois você pega um veículo elétrico que te deixa num ponto onde você pode guardar suas coisas (R$10, o armário). Leve roupa, chinelo e toalha. Como fomos no inverno, ao sair do passeio estava muito frio, felizmente, tínhamos levado casaco. Em seguida, pega-se um funicular que desce até o ponto do rio onde embarca-se num bote. O bote vai seguindo pelo rio e chega em um ponto onde se pode admirar as cataratas, depois ele segue para a parte mais emocionante que é o banho!!! O tempo total de passeio e deslocamentos é de cerca de 2 horas.
      O passeio é caro, mas vale muito. Nesse passeio, fomos meu marido, minha cunhada, minha filha de 5 anos (não pagou, acho que só cobram para crianças a partir de 8 anos) e eu. Eles dizem que o passeio é seguro e, me parece que crianças a partir de 2 anos já podem ir. Não recomendo para crianças tão pequenas, pois ele fica em baixo da queda d’água por uns segundos, parece que você vai se afogar, além daquele volume de água batendo no quengo rsrs. Minha filha curtiu a emoção do barco, mas não gostou da água gelada rsrs. Procurei protegê-la com meu corpo para que ela não tivesse essa sensação de perder o fôlego. No final, esse é um passeio que recomendo muito e que faria de novo!
      Na saída, há táxis e ponto de ônibus da linha 120.
      Dia 3 (segunda) – reservei esse dia para ir ao Paraguai, pois tinha lido que costuma ser mais vazio às segundas. Pegamos um ônibus perto do mercado (R$ 6). Demorou um pouco, pois a travessia da ponte é muito lenta.
      Antes da viagem, vi muitos vídeos sobre o Paraguai que me ajudaram a ter noção das coisas. É fundamental fazer uma lista, pois são muitas coisas para ver e o processo de compra nas lojas não costuma ser rápido (não é só escolher o produto e pagar no caixa; em geral, tem que fazer cadastro, se quiser testar, tem que entrar em outra fila etc etc.). Durante a viagem, acabamos voltando por mais 2 vezes. Percebemos que seria mais rápido ir de táxi e atravessar a pé. Os táxis ao lado do TTU cobram cerca de 18 reais, levam uns 10 minutos e, para atravessar a ponte, leva-se mais uns 10 minutos andando. Não nos pediram documentos para entrar e, para sair, em uma das vezes, um dos carros foi revistado. Tranquilo.
      Apesar de o dólar estar alto quando fomos (variando em R$3,96), ainda assim, compensa comprar. As lojas mais baratas que vimos foram: Mega e Mega Eletrônicos, Atacadão Games, Charme (Perfumes), uma loja logo na entrada do Shopping Del Este, lado direito, também tinha bons preços para produtos de cabelo.
      Recomendo levar somente bagagem de mão (até 10kg) e comprar, antes, um despacho de bagagem de volta (até 23kg). Daí, é só comprar uma mala no Paraguai para poder trazer as coisas sem preocupação com o peso. Com os índices de furto de bagagem, sugiro despachar roupas e itens de menor valor e levar as coisas mais caras na bagagem de mão.
       
      Dia 3 (terça-feira) – esse dia estava reservado para cataratas argentinas, mas alguns de nós não estávamos bem fisicamente e mudamos a programação. Fica para a próxima.
      À tarde, fomos no complexo Dreamland. Eu só tinha interesse no Vale dos Dinossauros e Bar de gelo. Porém, como o ingresso para fazer as 4 atrações era quase o mesmo preço de fazer só 2, acabamos comprando o pacote 4 em 1 que inclui Museu de Cera, Maravilhas do Mundo, Vale dos Dinossauros e Bar de gelo, já que alguns não conheciam (R$ 128, 86 adulto, para criança era em torno de 80 reais, não anotei). Minha dica é que se veja uns vídeos dos locais para se ter noção dos locais e avaliar se vale. Eu gostei muito do Vale, principalmente, por causa das crianças. O bar de gelo também é muito divertido, mas é muito difícil ficar até o final – os dedos congelam. Dica: apesar de eles oferecerem casaco e luva, leve agasalho pesado, principalmente, luvas, touca e meias. Nós levamos tudo, mas, ainda assim, alguns tiveram que sair antes, pois as crianças não aguentaram muito. Faz parte, mas, gostei kkk. Eles tiram várias fotos lá dentro. Ficam bem legais. Compramos o kit que eles mandam pelo WhatsApp por ser mais barato.
      No final, pegamos um táxi até o shopping onde jantamos.
      Dia 4 (quarta-feira) – pela manhã, pegamos um ônibus no TTU e fomos para Itaipu (ingressos já inclusos no passaporte 3 fronteiras). São as linhas 101 a 103; leva uns 30 minutos. Fizemos a visita panorâmica que é a permitida para crianças. O passeio é maravilhoso, é muito bonito ver uma empresa desse porte em nosso país, no trajeto, vê-se a integração da tecnologia com a natureza (muitas árvores e animais pelo caminho). Saindo de Itaipu, fomos ao Ecomuseu (ingressos já inclusos no passaporte 3 fronteiras).
      Ao lado do hotel Tarobá, há uma lanchonete/restaurante que serve pratos bons, com preço bacana. Almoçamos e descansamos um pouco.
      Às 16h, tínhamos agendado o citytour (R$ 60 adulto e R$30 criança) que vai para Argentina. Aqui, precisa apresentar documentos para entrar e sair e, se a criança estiver com apenas um dos pais, tem que ter a autorização autenticada em cartório daquele que está ausente. O roteiro inclui paradas na Aripuca (vale comprar a compota de madeira comestível), Marco das Três Fronteiras (vista bonita) e centro comercial (local simples onde se pode comprar doce de leite, azeite e outros).
      Dia 5 (quinta-feira) – fomos ao Paraguai pela manhã e depois arrumamos as malas para voltar. Como estávamos em um grupo grande, e agora com mais malas, optamos por um transfer.
      Essa viagem foi muito boa. Pegamos dias de sol e noites bem frias. O destino Foz, Ciudad Del Este e Puerto Iguazu tem muitas atrações e, como falei, a maioria é paga. Por outro lado, costuma se achar bons preços de passagens e hospedagem e o preço da alimentação é muito parecido com o que se paga no Rio de Janeiro, 25/30 reais numa refeição. Sobre a quantidade de dias, achei ideal o tempo que ficamos, pois conseguimos passear com calma. Ter disponível um carro alugado traz conforto e rapidez, mas, em geral, os deslocamentos podem ser feitos com os ônibus de linha ou táxi, sem grandes dificuldades. Algumas atividades como Cataratas Argentinas, Museu 3d, Templo Budista e Mesquita não foram feitas, pois tivemos contratempos de saúde. Ir a churrascarias e sair à noite não era nosso foco por conta das crianças.
      A viagem é super indicada para crianças e pessoas de todas as idades. Ver as cataratas é algo que todos deveriam fazer, pelo menos, uma vez na vida!
       
    • Por Julian Lima
      Depois da ajuda de alguns relatos, venho aqui compartilhar minha experiência em Foz. Bom, Foz sempre esteve na minha lista de lugares que gostaria de visitar. As Cataratas com certeza está na maioria da lista de lugares de vários viajantes e mochileiros e no meu caso não era diferente. Eu tinha 3 dias para fazer os passeios e meu roteiro era no 1º dia chegar no hostel e depois ir cambiar o real pois no dia seguinte iria visitar as Cataratas do lado Argetino e eu precisa de Pesos. 2º dia visitar o lado argentino. 3º dia visitar Cataratas lado Brasileiro e parque das Aves e no 3º dia Templo Budista, Mesquita e Marco Três Fronteiras. 4º dia, volta para casa.
      Vou focar mais como foi meu roteiro para visitar o lado argentino, o lado que causa mais dúvidas para as pessoas de como chegar e etc. Porém qualquer outra dúvida eu respondo também
      1º Dia (06.08.2018).
      Bom, minha jornada iniciou-se na segunda. Eu sai de SP às 16:00, voei pela Gol até Foz, voo tranquilo. A duração foi de 1:40 aprox.
      Eu já tinha pesquisado antes em vários sites e aqui no Mochileiros como se locomover pela cidade, e li que pegar ônibus na cidade era muito fácil e realmente é. Eu tinha lido que uma linha de ônibus passava no aeroporto e lá fui atrás do ponto para pegar o ônibus e chegar no hostel. Assim que cheguei no aeroporto de Foz eu sai pela esquerda e segui até o final do corredor, assim que sai do aeroporto desci as escadas e a minha esquerda estava a parada do ônibus 120 que te leva para o centro de Foz, passando pela Avenida Cataratas. Sentei e fiquei esperando o ônibus, eu aguardei uns 15 minutos e o ônibus chegou, porém cheio, mas consegui entrar mesmo com meu mochilão de 50L, MAS, assim que entrei no ônibus e ele começou a sair do aeroporto veio outro ônibus bem mais vazio rsrs.
      Aqui uma dica de app, eu baixei o aplicativo MAPS.ME totalmente gratuito, rápido, detalhado com mapas inteiramente offline. Eu reservei o Tetris Hostel pois ele foi bem avaliado por uma mochileira aqui do site, reservei o hostel pelo Booking.
      Voltando ao relato, peguei o ônibus e paguei R$ 3.55, eu já tinha visto que o hostel ficava na avenida das Cataratas e que tinha um ponto a uma quadra do meu hostel. Eu abri o app e fiquei olhando o meu deslocamente em tempo real para quando eu chegasse próximo ao ponto de ônibus desse o sinal de parada. Do aeroporto até essa parada levei uns 30 min. Assim que vi que estava chegando eu dei o sinal e desci do ônibus, caminhei descendo a avenida e em menos de 5 minutos cheguei ao hostel.
      Fiz meu check-in às 18:50 e percebi que a casa de câmbio onde iria comprar os pesos já tava fechando e não ia conseguir ir até lá (era bem próximo do hostel, era só descer a avenida). Pedi ajuda a recepcionista do hostel e ela disse que no supermercado Muffato tinha um loja de câmbio chamada Scappini. Bom, me ajeitei no meu quarto, que era muito legal e aconchegante, e fui até o supermercado trocar os reais. Cheguei no supermercado (era também só descer avenida direto) em uns 15 minutos e fui até a loja, cambiei 480 pesos (preço do ingresso do parque na Argentina, eles não aceitam outra moeda, só pesos) e deu R$ 77, aproveitei para comprar algumas coisas no supermercado para levar no outro dia para o passeio, pois as coisas para comer e beber lá no parque do lado argentino eram muito caras, segundo relatos. Coisas compradas voltei para o hostel, jantei no hostel, conversei com a galera que estava lá (maioria franceses, ingleses, eu era o único brasileiro da mesa) e depois fui repousar.
      2º dia (07.08.2018)
      Nesse dia o roteiro era pegar ônibus até o TTU, depois outro ônibus para a Argentina e de lá outro ônibus para o parque das cataratas.
      Nesse dia eu já sabia tudo que tinha que fazer para chegar até o lado argentino. Acordei umas 07:00, me arrumei, fui para o ponto de ônibus pegar o busão para o terminal de ônibus que fica no centro de Foz para poder outro ônibus que leva até a Argentina, no caso Puerto Iguazu.
      Cheguei no terminal e depois eu sai, o ônibus que leva para a Argentina fica ao lado do terminal e não dentro. Cheguei no ponto e tinha duas bandeiras, uma do Brasil e outra da Argentina, no ponto só tinha uma senhora e eu perguntei se o ônibus tinha passado e ela disse que sim. Ela comentou que o ônibus tinha ido cheio, e pouco antes alguns taxistas tinham passado ali para levar alguns turistas para Puerto Iguazu. Bom, eu aguardei ali mesmo, após não mais que 20 minutos o ônibus chegou, ele vem escrito ARGENTINA, o preço da passagem foi de R$ 6. O ônibus foi vazio, sobrou lugar (UFA). Mas se programe, esse ônibus demora de 30min a 1 hora para passar dependendo do horário que você pega.
      Esse ônibus te leva até a fronteira, onde você vai descer pra passar na alfândega junto com as demais pessoas. Finalizado todo mundo, você vai ter que esperar novamente o ônibus do lado argentino para ir até a rodoviária de Puerto Iguazú, o ponto final. Mas é bem fácil, o motorista para, dai todo mundo desce pela porta do fundo, você fica na fila, passa pelos agentes, apresenta o documento (eu apresentei o passorte e ele carimbaram), passa pelo detector de metai e raio x dai você sai e já avista o ônibus, entra e depois segue viagem. Comigo foi tudo muito tranquilo, eu demorei não mais que 1:30 até o ponto de ônibus na Argentina.
      Eu tinha lido que esse ônibus para em um ponto antes da rodoviária de Puerto Iguazu e que ali passava de qualquer forma o ônibis da Rio Uruguay para o parque e que desse sorte podia fechar um taxi com outras pessoas até o parque das cataratas. Bom, foi isso que aconteceu. O motorista parou nesse ponto e avisou que ali era o ponto até o parque das Cataratas, eu fiquei na dúvida, mas desci pq vi várias pessoas descendo (todos turistas rsrs). Ali no ponto já tinha algumas pessoas aguardando o ônibus da Rio Uruguay. Em poucos minutos um taxista se aproximou oferecendo corrida. Prontamente eu perguntei quanto sai e ele disse que R$ 25 (era o mesmo preço do ônibus da Rio Uruguay). Eu conversei com o pessoal que tava ali e conseguimos fechar em 4 pessoas para o taxi. Pegamos o taxi em uns 30 minutos chegamos até a entrada do Parque. Paguei os 25 reais (podia ser pago em peso) e o taxista muito gentil nos explicou como funcionava as trilhas la dentro e tal. Ele também mostrou onde ficava o ponto da Rio Uruguay que levava até a rodoviária de Porto Iguazu (que fica no lado direito saindo do parque e no lado esquerdo o ponto dos taxitas). O taxista também cambiava, ele fazia 480 pesos por 80 reais (eu podia cambiar com esses taxistas na parada do ônibus, mas eu já tinha os 480 pesos).
      Fui até o guichê comprar o ticket, o parque não estava cheio, estava bem tranquilo. Comprei o ticket por 480 pesos porque Brasileiro tem desconto (https://iguazuargentina.com/es/parque-nacional-iguazu).
      Assim que você entra no parque você pode fazer um percurso que eles chamam de trilha verde que fica na estação central até a estacão Cataratas ou pegar um trem da estação Central para a estação Cataratas. Da estação Cataratas você tem que pegar uma senha para o trem que leva até a estação Garganta para iniciar a trilha que leva até a Garganta do Diabo.
      Eu cheguei no parque às 10:00, fui até o guichê pegar a senha do trem até a estação Cataratas. Aguardei uns 20 minutos e o trem chegou (esse trem passa a cada 30 minutos). Depois desci na estação Cataratas. Chegando lá fui pegar a senha (UMA BAGUNÇA, não tem fila para pegar a senha, o atendente grita para formar fila, mas o povo não entende ou se faz de desentendido) para a estação Garganta do Diabo e espera estava em 1 hora até o próximo trem. O trem iria sair 12:15 (tem monitores informando a númeração da senha e que horas o trem daquela senha partirá), então resolvi fazer o trilha do circuito superior, pois daria para fazer em 1 hora (no meu ritmo) e dar tempo de voltar e pegar o trem para a Garganta do Diablo. Iniciei a trilha uma 10:40, tudo muito lindo, e 11:50 eu já estava na estação Cataratas para pegar o trem. Depois que pega o trem você desembarca na estação Garganta e de lá você inicia a trilha para majestosa Garganta do Diabo. O percurso é incrível, toda aquela vibe, os animais que você vê pelo caminho, é inexplicável e quando você chega próxima a Gargante do Diablo e vê a névoa branca causada pela força das águas e o barulho a sua ficha começa a cair. Quando eu finalmente cheguei eu fiquei de abismado, sem palavras.
      Tirei muitas fotos, o mirante estava até que tranquilo e com paciência e pedindo licença você consegue tirar suas fotos. Eu fiquei por ali por um tempo até retornar para a trilha até a estação Garganta e de lá voltar a estação central e fazer circuito inferior, que também é demais, não deixem de fazer, o Salto Bosseti é lindo demais e rende um fotão. Consegui fazer tudo e às 16 estava voltando para Puerto Iguazu para pegar o ônibus para Foz.
      Aqui eu dou uma dica, leve pesos ou reais já trocados para comprar sua passagem da Rio Uruguay para a rodoviário de Puerto Iguazu. Quando fui comprar a passagem lá no loja deles, não tinham troco para reais e tive que pegar meu troco em pesos. Outra dica, como na volta vai fazer todo o processo lá na fronteira, sente-se no fundo do ônibus ou senão tiver lugar já fique no fundão mesmo, pois você é um dos primeiros a descer e depois uns dos primeiros a subir, tendo mais chance de ir sentado caso o busão esteja cheio.
      Na rodoviária de Puerto Iguazu aguarde o ônibus para Foz na plataforma 7. Esse ônibus passava exatamente naquele ponto que fica a 5 minutos do meu Hostel. Cheguei no Hostel umas 17:45 + ou -.
      Foi tudo muito tranquilo e com certeza é uma experiência que todo mundo deveria ter uma vez na vida. Espero ter colocado tudo que lembro e de forma objetiva.
      É isso galerinha, para ajudar o amiguinho aqui clique no joinha e se inscreva no canal, e não esquece de compartilhar kkk zuera.
    • Por mixellett
      Olá, pessoal!    Fui para Foz do Iguaçu e Puerto Iguazú com o meu namorado para conhecer as Cataratas agora em maio e gostei muitoooo! Vim aqui compartilhar meu relato de viagem 😊       Dia 1   Saímos bem cedo de Campinas para pegar o vôo em Guarulhos. Chegamos cedo em Foz do Iguaçu e nosso quarto na pousada não estava pronto ainda. Aproveitamos para tomar um café da manhã na Marias & Maria Confeitaria. Café colonial muito bommmmmm 😋, se não me engano, era R$40/kg, vale a pena dar uma passada lá! Conhecemos também o zoológico, não tem muita coisa não, se você tiver o que fazer, pode deixar pra lá. A entrada é gratuita.   A tarde tiramos um cochilo e acabou passando um pouco da hora, rs, a ideia era conhecer o Templo Budista e a Mesquita, mas deixamos pra outro dia, pois queríamos ir de ônibus (para dar uma economizada), mas um dos funcionários do terminal disse que não daria tempo pra chegar nesses lugares :(, já que eles fechavam às 16hs. Decidimos ir então para o Marco das 3 Fronteiras do lado brasileiro, de ônibus mesmo. A passagem estava R$ 3,55. A gente deu azar que era horário de pico e o ônibus estava super lotadoooooo. Demorou bastante pra chegar até o Marco das 3 Fronteiras 😰, mas chegamos. Na ida, não notamos que a mesma linha de ônibus tinha dois sentidos diferentes e acabamos pegando o sentido errado também, mas o cobrador nos avisou do erro rapidamente, rs! Então, prestem atenção nos sentidos das linhas 😅! Fora isso, andar de ônibus por lá foi bem tranquilo. Aliás, a cidade é bem tranquila, andamos a pé a noite várias vezes e tudo bem iluminado, várias pessoas na rua.    Linhas de ônibus para pontos turísticos:   O Marco das 3 Fronteiras é muito bonito, mas não tem muita coisa pra fazer, o espaço é pequeno. Antes de ir, eu olhei as fotos no TripAdvisor e tive a impressão que era bem maior. Pagamos 22 reais para entrar (pra falar a verdade, achei bem caro pelo o que oferece). Uma dica é entrar no site TicketLoko, eles vendem várias atrações com um bom desconto! Vimos o pôr-do-sol, tomamos um açaí (que não era açaí de verdade não, rs!) e ficamos para ver os shows que acontecem 20hs e 20h30. Lá tem várias barraquinhas de comidas, uma mini exposição na entrada contando a história do lugar, tem uma sessão com um vídeo de 12 min também contando sobre o descobridor das cataratas e um restaurante. Demos azar com o restaurante, era sistema de coma à vontade por R$49,90/pessoa e não tinha muitas opções. Optamos por pedir um hambúrguer com batata frita que era 35 reais, mas um tempo depois o garçom veio nos avisar que aconteceu um problema com a chapa e seria servido apenas o buffet. Pedimos duas caipirinhas e ficamos conversando até o horário do show (a caipirinha foi 12 ou 13 reais, achei o preço bom!)     Minha operadora de celular é a TIM e em nenhum momento consegui sinal lá. Na volta, íamos voltar de Uber, mas nem conseguimos pedir, voltamos de ônibus mesmo (que desta vez estava vazio e foi bem rápido!). O Uber lá é bem recente e não tem muitos motoristas ainda, então, quase não conseguimos usar. Um dos funcionários da pousada nos deu a dica de usar o aplicativo Garupa, ele é a mesma coisa que o Uber, preço bem semelhante, mas com mais motoristas. Na primeira viagem, ganhamos 10 reais de desconto 😄   Depois fomos comer hambúrguer com batata frita no Brasa Burger; gostei muito do lanche e tem um preço bem amigo! Dois hambúrgueres com batata frita, refrigerante e caipirinha + 10% saiu R$75. O espaço é bem bonito e o atendimento muito bom! Super recomendado!       Dia 2   Fomos conhecer as Cataratas do Iguaçu do lado brasileiro no período da manhã! Pagamos R$36,00 para entrar (mais uma taxa de conveniência). De tempos em tempos tem um ônibus (tipo, a cada 5/10min) para levar todo mundo para a parte que está as Cataratas mesmo. A vista é muitooooo linda! Você vai andando pela trilha e vai se aproximando cada vez mais das cachoeiras. A trilha não é muito grande não e não me molhei muito também, tinha umas pessoas vendendo capa de chuva, mas achei desnecessário (eu tinha levado uma minha já, mas nem usei). No final, tem um elevador panorâmico que tem uma vista muito legal!! No local tem várias borboletas e quatis, mas muitos quatis mesmo! E tem que ficar esperto, porque eles atacam e levam suas coisas embora mesmo. Assim que chegamos, estava uma euforia do pessoal pela quantidade de quatis. Todo mundo: "olha os quatis! Olha! Yayyy! Que fofinhos 😍" até que uma senhora deu bobeira lá e um quati agarrou a sacola dela e rasgou tudo, nisso veio vários pra pegar o que tinha saído da sacola (e aí ninguém mais queria os quatis perto, hahaha). Na área de alimentação, tem muitos!! Os funcionários ficam os espantando toda hora. Não tem muitas opções pra comer lá dentro, tem um restaurante, que não lembro se era R$50 ou R$60 por pessoa, à vontade, acho que era R$60; um fast food, que era R$35,00 o combo com refrigerante, batata frita e hambúrguer e umas lanchonetes. Nós pegamos o combo do fast food, mas não estava muito bom não. Do lado de fora do parque fica umas barraquinhas vendendo empanadas e outras coisas, acho que teria valido mais a pena!     Depois de almoçar, fomos ao parque das aves e este foi uma ótima surpresa! Ele é de frente pro parque das Cataratas, é só atravessar a rua. O parque é muito lindo!! Tem aves de todos os tipos e você entra dentro do viveiro deles. Eles ficam voando pra lá e pra cá (uma arara quase bateu na minha cabeça), eu achei legal demais, amei! Na hora que fomos, estava tendo um passeio com umas crianças e tinha uns monitores explicando as coisas pra eles, eu e meu namorado ficamos os acompanhando, rs. Tem umas partes com muitas árvores e você olha pra cima, tem várias aves nela; até fiquei com medo de passar em baixo e algum me acertar lá de cima, hahah. Achei que vale muito a pena conhecer! Nós pagamos R$42 e pouco, com o desconto do TicketLoco.      À noite, fomos jantar numa churrascaria perto da pousada, chamava Churrascaria do Gaúcho e foi R$39,90 por pessoa com rodízio e sobremesas. O buffet até que tinha boas opções e o atendimento muito bom, mas achei a carne um pouco esturricada, não existia ponto mal passado, rs. Se você estiver procurando uma boa carne, não recomendo não!        Dia 3   Fomos conhecer as Cataratas do lado da Argentina. A gente, inicialmente, ia de ônibus mesmo (detalhe que primeiro fomos no ponto de ônibus errado, o que era pro Paraguai, e uma moça nos avisou onde que era o ponto certo, rs, tem as bandeirinhas dos países no ponto, gente, é fácil de acertar, haha, só vi depois!), mas estávamos lá esperando, veio um taxista e disse que fazia 30 reais pra cada um (nós e mais 5 pessoas que estavam esperando o ônibus também). Achei que compensou bem, pois na volta, voltamos de ônibus e pagamos R$20 no ônibus para levar das Cataratas até a rodoviária de Puerto Iguazú e depois mais R$5 para até o ponto no Brasil.   Gente, as Cataratas Argentinas são muito, mas muito lindas!! É muito melhor do que do lado brasileiro!! Na do Brasil, você tem uma vista mais panorâmica das Cataratas e na da Argentina, você vê bem mais de perto. Então, quando vocês forem, vão primeiro nas brasileiras e depois nas argentinas, porque acho que dá pra ficar desapontado no caso inverso, rs. Nós pagamos $480 (pesos argentinos) pra entrar e pagamos R$0,17 no peso (isso já com as taxas), compramos lá em Foz mesmo, na Access Câmbio e Turismo, na avenida Brasil, eu achei o preço bom, pois em na cidade que moro estava R$0,20 quando fui comprar e tinha outras casas de câmbio em Foz que também estava cobrando R$0,20. Lá tem 3 trilhas pra fazer, no mapinha que eles dão na entrada tem a distância em cada uma delas, em torno de 1300m a 1700m cada uma. Mas, assim, é uma bela de uma caminhada, porque é 1300m ida e depois mais 1300m volta, rs! A gente ficou o dia todo lá, meus pés estavam super cansados, é bom ir com um sapato mais confortável!    Nós fomos primeiro ver a Garganta do Diabo, tem uma estação de trem para levar até o lugar desta (sai um trem a cada 30 min) e depois você segue a trilha pra chegar até lá. Esta trilha é menor e você vai andando por uma ponte de metal, por cima do rio e entre árvores. Eu achei legal que o contato com a natureza é bem maior nas trilhas argentinas, você vai andando por estas pontes de metal por dentro da floresta, em cima do rio, aí você fica bem perto das cachoeiras!! Dá pra ver várias aves diferentes, tem várias borboletas que pegam carona em você, rs, tem macaquinhos e quatis (em quantidade bem menor do que do lado brasileiro). Na hora que você chega na Garganta do Diabo é muito inacreditável, é muita água, muita mesmo e é enormeeeeee! E molha muito!! Neste dia usei minha capa de chuva, haha   Depois de ficar admirando a vista, fomos almoçar, lá tinha a mesma rede de fast food do parque do Brasil, um restaurante, que achamos caro, mas não lembro o preço e estava super vazio também, e umas lanchonetes. Resolvemos ir na lanchonete, compramos um combo que vinha 3 empanadas + uma garrafa de 600ml de Coca-Cola por $150 (pesos). Pegamos de carne, frango e presunto com queijo. Gente, a de carne estava deliciosa 😋, muito mesmo! Me arrependi por não ter pegado as 3 de carne, hahaha   À tarde, fomos nas trilhas Inferior e Superior. Foi uma caminhada muito prazerosa! Você vai andando e tem vários pontos com as quedas d'água, várias árvores, os bichinhos, arco-íris pra lá e pra cá, eu amei!! Voltaria com certeza!!     À noite, fomos conhecer Puerto Iguazú, compramos um passeio na própria pousada, foi R$50 por pessoa, aí, fomos conhecer o Marco da Fronteira do lado Argentino, a feirinha e o cassino que fica na entrada da cidade. Nesse passeio, conhecemos um casal do Rio de Janeiro e um moço da minha cidade mesmo, hahaha, achei que foi uma noite muito divertida! Adorei conhecê-los!!   O Marco da Fronteira argentina é menos glamorosa que a do Brasil, tem umas lojinhas simples lá com lembrancinhas e doces, que achei caro, e tem um show de luzes, que achei bem bonito! Mas, oh, se não der tempo de conhecer, pode deixar pra lá! Depois fomos pra feirinha e andamos bem pechinchando os preços. Lá tem bastante queijo, salame, azeitonas, azeites e alfajores. Nós compramos 1 kg de doce de leite por R$15, um azeite de 1L por R$15, uma caixa com 12 alfajores da marca Las Colonias por R$20 e uma caixa com 24 alfajores da marca Recoleta por R$40 (eles são menores). Esse alfajor da Recoleta é muito gostoso e o da Las Colonias é ok. Depois jantamos na feirinha mesmo, tem vários botecos lá, pagamos R$78 em um kg de picanha com uns acompanhamentos, achei que compensou, estava muito boa! E depois fomos pro cassino 🤑. Eu sempre tive vontade de conhecer um, rs, e adorei! Achei muito divertido! Imagino que não seja tão glamoroso quanto o de Las Vegas, mas era bem grande, tinha uma parte só com máquinas, tipo essas de caça-níquel e outra área com carteados e roletas, tinha bastante gente. Nós fomos só pra brincar, comecei apostando 5 reais, só pra ver como que era, hahaha. No começo eu fui ganhando e aí você começa a ficar animado e quer continuar a jogar, mas depois perdi tudo! Dá pra apostar em dólar, pesos e reais, é só escolher a máquina que aceite a moeda que você tem. Nas mesas de carteado e roletas, era apenas dólar, se não me engano.       Dia 4   Fomos conhecer Itaipu no período da manhã! Compramos os ingressos pelo TicketLoko, saiu 73 reais o circuito especial, que faz um passeio com vista panorâmica e conhece o funcionamento da hidrelétrica e como é por dentro. Fomos no primeiro horário do dia e foi ótimooooooo! Foram umas 3 horas de passeio. Os guias de lá são ótimos, explicam tudo, tiram dúvidas... o passeio interno é bem interessante e o de vista panorâmica é lindo, tem vários pontos com mirantes, dá pra ver o Rio Paraná em toda sua extensão, achei lindo! Itaipu é enormeeeee! Quando você está chegando, não parece lá grande coisa, mas você vê os veículos se aproximando e eles viram miniaturas, rs!     Depois de almoçar (almoçamos no restaurante de Itaipu mesmo, tinha uns pratos executivos por 25 reais), fomos ao Paraguai. Pegamos um ônibus em frente a Itaipu, não lembro o número, mas uma das mocinhas da recepção que nos orientou quais ônibus pegar para o Paraguai e foi R$3,55. Você desce na ponte da amizade e anda um pouco (no máximo 10 min de caminhada). Tem bastante gente a pé lá fazendo este trecho até o Paraguai. Eu não gostei muito não, é carro, moto, gente pra tudo quanto é lado, dá pra ser atropelado fácil!! E é bem feio. Esse dia que fomos o dólar estava R$3,70, snif, não comprei muitas coisas, porque não estava precisando, mas tem uns preços bons sim! Só achei as maquiagens caras, estavam saindo o mesmo preço do Brasil.   Depois voltamos pro hotel e decidimos conhecer um dos shopping que ficava perto da nossa pousada. Jantamos no Madero junto com o casal que conhecemos na "night na Argentina". Achei que o lanche de Campinas é melhor, rs, porque o bacon do de Foz estava meio molenga, mas estava gostoso também!        Dia 5   Dia de voltar para casa. O café da manhã da nossa pousada era bem ruinzinho, poucas opções, pão duro, suco de saquinho, aí decidimos conhecer uma padaria que ficava perto da nossa pousada no último dia. Chamava Doce Pão, se não me engano, adorei! Achei o preço muito bom, cappuccino grande com chantilly por R$6,50, pão na chapa por R$2,50, pão de queijo grande por R$2,50. O local é uma graça também!! Vale a pena conhecer!   Depois disso fomos conhecer a Mesquita. Tem entrada gratuita e explicam o que a religião acredita e tudo o mais, achei bem interessante! Demorou cerca de 30 min a visita. As mulheres tem que entrar com um lenço que é disponibilizado gratuitamente também. De frente, tem uma doceria árabe e comprei alguns pra experimentar. Gostei muito! Eles são feitos com mel e castanhas, nozes, amendoim... bem diferentes dos doces que como normalmente (são meio caros também!!).     E depois fomos para o aeroporto! Nós fomos um pouco noobs e não tínhamos pensado que teria que passar pela Polícia Federal e fomos pro aeroporto muito em cima da hora, porque não iríamos despachar malas. Quando chegamos, tinha uma fila gigantesca pra embarcar e uma das atendentes disse que demoraria em torno de 30 min, na melhor das hipóteses. Então, fica a dica! No final deu tudo certo, porque nosso vôo acabou atrasando umas 2 horas, rs.   E foi isso! Eu amei muito a viagem! É um destino que eu voltaria 😍    
       
       
       


×