Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

murillus

Bonaire - Perguntas e Respostas

Posts Recomendados

Bonaire, é uma ilha das Antilhas Neerlandesas, situada no mar das Caraíbas ao largo da costa da Venezuela. É a segunda maior em área neste arquipélago depois de Curaçao e uma das chamadas ilhas ABC.

 

Bonaire é uma ilha tranquila e de grande beleza. Os indígenas que a habitavam, os Arawak, chamaram-lhe Bojnay ("Terras baixas"). Também estava povoada por grupos de índios Caiquetio.

 

Bonaire foi descoberta por navegadores espanhóis em 1499, numa expedição dirigida por Alonso de Ojeda e Américo Vespucio.

 

A pequena ilha chamou-se inicialmente Ilha de Brasil.

 

Como parte da colonização espanhola, os índios foram escravizados e enviados em 1515 para as minas de cobre de Hispaníola.

 

Os holandeses compraram Curaçao aos portugueses em 1634, pois necessitavam encarecidamente de uma base naval de apoio durante a guerra com os espanhóis. Bonaire e a vizinha Aruba ficaram assim nas mãos dos holandeses no ano de 1636 e tornaram-se colónia holandesa.

 

A Companhía Holandesa das Índias Ocidentais começou em 1639 a produção de sal, a qual é hoje em dia uma parte muito importante da economia de Bonaire, tal como o turismo subaquático.

 

Em 1800, e durante alguns anos, a ilha foi controlada por piratas franceses e ingleses. Os holandeses não recuperaram o controlo até 1816.

 

As Antilhas Holandesas, incluindo Bonaire, tornaram-se região autónoma dos Países Baixos em 1954, momento em que este país lhes garantiu economicamente o desenvolvimento dos seus próprios recursos com subsídios.

 

Bonaire passa a ser, em Janeiro de 1986, território do Reino da Holanda, que agora se compõe da Holanda continental, das Antilhas Holandesas (Bonaire, Curaçao, Saba, San Eustatius e San Marteen) e Aruba.

 

netherlands_antilles_bonaire.gif

 

Voos:

 

* AIRES (Baranquilla) [2009]

* Arkefly (Amsterdam)

* Continental Airlines (Houston-Intercontinental, Newark)

* Delta Air Lines (Atlanta, New York-JFK [seasonal])

* Divi Divi Air (Aruba [charters], Curaçao)

* Dutch Antilles Express (Also known as DAE) (Aruba, Curaçao, St Maarten)

* E-Liner Airways (Aruba, Curaçao) [charters, sightseeing, cargo, daily commuter flights & day tours]

* Insel Air (Aruba, Curaçao, Miami [begins June 27])

* Kavok Airlines (Valencia) [2009]

* Kinikini Air Express (Aruba [charters], Curaçao)

* KLM (Amsterdam, Guayaquil-Quito)

* Netherlands Antilles & Aruba Coast Guard (operated by Provincial Airlines) (Caribbean region & Coastal missions)

* Tiara Air (Aruba-Las Piedras)

 

 

ACOMODAÇÃO:

 

Bonaire Inn - Plasa Fraternan di Tilburg 2, a partir de 35 USD

Hotel Rochaline - Kaya Grandi s/n, a partir de 45 USD

 

 

HIGHLIGHTS

 

Kralendijk - Capital de Boranire, em Holandes significa Barreira de Corais.

Lac Bay - Um dos melhores locais do mundo para se praticar o windsurf.

Mergulhar é de fato, o maior "trademark" de Bonaire.

Observar os Flamengos no Lago de Sal.

 

 

bonaire.JPG

bonaire1299-1.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Bonaire e o Bonaire National Marine Park possuem mais de 80 locais diferentes de mergulho do basico ao avancado, os principais eu cito abaixo:

 

1.Boca Bartol

2.Playa Bengi

3.Playa Funchi

4.Bise Morto

5.Wayaca

6.Boca Slagbaai

7.Nukove

8.Carel's Vision

9.Karpata

10.La Dania's Leap

11.Rappel

12.Bloodlet

13.Ol' Blue

14.Country Garden

15.Bon Bini Na Cas

16.1000 Steps

17.Weber's Joy/Witches Hut

18.Jeff Davis Memorial

19.Kalli's Reef

20.Oil Slick Leap

21.Barcadera

22.Andrea II

23.Andrea I

24.Petries Pillar

25.Small Wall

26.Cliff

27.La Machaca (Habitat)

28.Reef Scientifico

29.Buddy's Reef (Buddy Dive)

30.Bari Reef (Sand Dollar)

31.Front Porch (Eden Beach)

32.Something special

33.Town Pier*

34.Calabas Reef (Dive Bonaire)

35.Eighteen Palms

36.Windsock

37.North Belnem

38.Bachelor's Beach

39.Chez Hines

40.Lighthouse Point

41.Punt Vierkant

42.The Lake

43.Hilma Hooker

44.Angel City

45.Alice In Wonderland

46.Aquarius

47.Larry's Lair

48.Jeannie's Glory

49.Salt Pier*

50.Salt City

51.Invisibles

52.Tori's Reef

53.Pink Beach

54.White Slave

55.Margate Bay

56.Red Beryl

57.Atlantis

58.Vista Blue

59.Sweet Dreams

60.Red Slave

61.Willemstoren Lighthouse

62.Blue Hole

63.Cai**

 

Ja em Klein Bonaire:

 

A.No Name

B.Ebo's Reef

C.Jerry's Sponges/Jerry's Reef

D.Just A Nice Dive

E.Nearest Point

G.Bonaventure

H.Monte's Divi

I.Rock Pile

J.Joanne's Sunchi

K.Capt. Don's Reef

L.South Bay

M.Hands Off

N.Forest

O.Southwest Corner

P.Munk's Haven

R.Sharon's Serenity

T.Mi Dushi

U.Carl's Hill Annex/ Yellow Man's Reef

V.Carl's Hill

W.Ebo's Special / Jerry's Jam

X.Leonora's Reef

Y.Knife

Z.Sampler

 

 

Sao tantos pontos que ate fica dificil decidir qual deixar de ver... Dicas?...

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Brother, minha duvida é como chegar em Bonaire com milhas da varig.

Se não to enganado tem um vôo q vai pra caracas, mas não sei como proceder depois disso, nem mesmo horários e quanto tempo levo pra sair de caracas.

 

se puderes me ajudar te agradeço..

 

Abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

diver, acho melhor negócio trocar tuas milhas até maiquetia (CCS). De lá existem vários vôos por dia para aruba, curaçao e Bonaire. O problema é que o ~vôo da Varig chega no final da tarde. Se tu não te importar muito, dá para dormir no aeroporto mesmo (eu já fiz isso: no andar superior do aeroporto fica a praça de alimentação com aqueles bancos compridos), ou então buscar um hotel perto do aeroporto e no dia seguinte seguir para Bonaire.

se tu trocar as milhas até aruba, vai ter que pagar hotel mais caro, e passagem tb, pois em aruba não tem vôo direto para Bonaire (pelo menos não tinha ano passado qdo fui), só com escala em curaçao, oq ue acaba encarecendo.

 

valeu?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Eu estive pesquisando na internet e achei informações que falavam paar mais us$ 100,00 para permanecer no vôo em caracas e seguir direto pra ARUBA e assim economisar em taxas de embarque, e ainda que havia võo para Bonaire de Auba e também de Curaçao porém essas informações não eram atuais, pois datavam de 2006 e de 2005, dae fiquei perdido. Essa semana vou checar junto a Varig, mas se alguém souber de algo, por favor me informe.

 

Abraço e obrigado pela ajuda.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

RELATO SOBRE VIAGEM À CARTAGENA, SAN ANDRÉS, BONAIRE E CURAÇAO

 

 

Entre os dias 12 e 29 de junho de 2008, viajei, juntamente com minha namorada, para Cartagena e a Ilha de San Andrés, na Colômbia e para Bonaire e Curaçao, nas Antilhas Holandesas.

Planejei a viagem chegando e saindo pela Venezuela, tendo em vista que lá estivemos um ano atrás e, como já relatei anteriormente, o câmbio nos era bastante favorável, facilitando a compra das passagens aérea que necessitaríamos.

Nosso roteiro foi: Caracas-Maracaibo-Cartagena- San Andrés - Cartagena-Maracaibo-Bonaire-Curaçao-Caracas.

Chegamos a Caracas logo cedo do dia 12-06. Não compramos com antecipação nenhum dos trechos aéreos que utilizaríamos a partir da Venezuela. Ao chegar no aeroporto de Maiquetia, procuramos trocar dólares por Bolivares Fortes. Ano passado, também em junho, conseguimos fazer câmbio de 3600BS por cada dólar. Vimos relatos no mochileiros.com dizendo que em dezembro estavam pagando 5000BS por cada dólar. Portanto, fomos tranqüilos. Chegando lá, qual não foi nossa surpresa. A moeda local estava mais valorizada e não conseguimos mais do que 3000BS por cada dólar. Bom, como não íamos viajar pela Venezuela, dos males o menor. Ruim porque encareceu as passagens aéreas que compraríamos na Venezuela.

Assim, em 12-06, compramos passagem aérea, pela empresa Venezolana (recomendo), para Maracaibo, pois nosso destino inicial era a Colômbia-Cartagena. De Caracas para Cartagena são 24h de ônibus. Preferimos pegar o ônibus a partir de Maracaibo. São 12h de viagem, com direito a perder pelo menos 2 horas na travessia da fronteira. Chegando em Maracaibo, tomamos um táxi, que nos levou ao escritório da empresa de ônibus Expresso Amerlujo (f: 6532536). Esta empresa faz o trajeto para Cartagena direto, sem trocar de ônibus. O bilhete custou 140Bf por pessoa, uns US$ 50,00. Boa empresa. O ônibus já vem de Caracas e não passa no terminal de passageiros de Maracaibo. Passa no escritório, que fica longe do terminal. Portanto, resolvemos ficar, a conselho do taxista, num hotelzinho perto do escritório, pois o ônibus saia às 05:30 da madrugada. Ficamos no hotel Ejecutivo (f: 0261 7874247). É um hotel bem simples. O quarto possui ar condicionado e TV, além de banheiro privativo. É limpo, mas o problema é que também é utilizado como motel. Para dormir uma noite é suficiente (apenas uma noite – o lugar do hotel é subúrbio, meio feio, sem nada para fazer). Pagamos por ele 90BF (cerca de US$ 30,00). A viagem até Cartagena foi bem tranqüila. Paga-se uma taxa na saída da Venezuela, no valor de 45BF. Não se paga para sair da Colômbia. O ruim da Colômbia é a sua imigração, que é super burocrática. Passamos quase uma hora na fila para carimbar o passaporte.

 

CARTAGENA:

 

Chegamos em Cartagena por volta das 18h do dia 13-06. O terminal de transportes fica longe do centro e do bairro de Boca Grande, onde ficamos. Portanto, pegamos um táxi (17000 pesos – US$ 11,00) até o hotel onde ficaríamos. Ficamos hospedados no hotel Pinar Del Mar (End.: CRA 3, nº5-131. F: 6652071), no bairro turístico de Boca Grande. Pagamos 50000 pesos por noite. Um dólar compra 1600 pesos colombianos. Bom hotel. Limpo, com ar condicionado e TV, além do banheiro privado. O hotel é bem localizado. Fica ao lado de um supermercado 24 horas, onde se pode tomar café da manhã, e perto de diversos restaurantes e pizzarias. A região de Boca Grande é altamente turística. Tem a maioria dos hotéis de Cartagena. Do hotel até a Ciudad Amurallada são 10 minutos de táxi, a um custo de 5000 pesos. O centro histórico é lindo, mas achamos melhor ficar mesmo na Boca Grande. Tem mais restaurantes, mais hotéis e preços melhores.

Cartagena é uma cidade linda, inesquecível, que vale muito a pena conhecer. O ideal é no primeiro dia fazer o City Tour nas Chivas (caminhões adaptados em forma de ônibus), que dura umas 4 horas, e conhecer La Popa, o Forte de San Felipe, além de passar pelo centro histórico e conhecer uma joalheria, para quem quiser comprar esmeraldas (que não foi nosso caso). Custo do passeio foi de 25000 pesos por pessoa (depois de muito chorar com o cara da agência – tem agência que oferece o mesmo passeio por 40000 pesos, portanto, pesquisar é o melhor a fazer). Outro passeio super legal que fizemos foi conhecer a Isla Del Rosário. Custo de 40000 pesos por pessoa, com almoço incluído. Tais ilhas ficam a cerca de 40 km de cartagena. É bom ir de lancha rápida, pois assim, aproveita-se mais o passeio. Há barcos lentos, mas não vale a pena. Fomos de lancha rápida. A primeira parada foi na ilha que tem o oceanário. Lá tivemos a opção de conhecer o aquário, ou fazer snorkel. Ambos eram pagos. Optamos pelo aquário. Preço de 15000 pesos por pessoa. Muito legal. Tem tubarões lixa, arraias, golfinhos. Snorkel, faríamos muito ainda nos nossos próximos destinos. Após o oceznário, seguimos para a última parada, a playa blanca. Praia muito legal. Águas típicas do caribe, bem transparentes. Lá foi servido o almoço. O ruim dessa praia foi a quantidade enorme de vendedores. Enche o saco. Nem tomar banho em paz eles nos deixam. É bom ter certo cuidado com as coisas que ficam na areia enquanto estiver no mar. De volta a Cartagena (umas 16h), passamos o resto da tarde no centro histórico. Fica bem de frente de onde chegam as lanchas do passeio das Ilhas Del rosário. É lindo demais. Super preservado. Uma muralha de 9km protege a ciudad amurallada. Vale muito a pena conhecer. O bom é ir no final da tarde, pois o comércio ainda está aberto. À noite fecha quase tudo, ficando apenas os restaurantes abertos. Retornamos outro dia ao centro histórico para fazer o passeio de Coche (charrete). Pagamos 25000 pesos pelo passeio completo, que durou 35 minutos, passando pelos principais atrativos do centro histórico. Muito legal, principalmente para casais em lua de mel. Com certeza, o centro histórico é o ponto alto duma viagem a Cartagena.

 

SAN ANDRÉS:

 

San Andrés fica a uns 500km da costa da Colômbia, mais para América Central do que para a América do Sul. Ilha maravilhosa, tipicamente caribenha. Águas de uma cor inesquecível ( como dizem por lá: “El água de 7 colores”).

Compramos um pacote em Cartagena, incluindo hotel com café da manhã e jantar. Saiu praticamente o mesmo preço caso comprássemos apenas a passagem aérea. Procurem a agência de viagem Aviatur. Agência muito boa, séria (f: 6650101, 6650209, 6650081 – [email protected]). Lá nos preocupamos em ficar em um hotel um pouco melhor, tendo em vista que a ilha não possui água doce e apenas os hotéis melhores possuem, pois é necessário ter um desalinizador. Ficamos hospedados no hotel Tiúna, umas 3 estrelas, que tinha água quase doce. Muito bom, apesar de velho. Fica a beira mar, no centro, perto de todas as melhores lojas para compras. E por falar em compras, lá é zona franca, portanto, perfumes, eletrônicos, óculos, etc, possuem preços excelentes. Para quem não quiser comer no próprio hotel, a ilha tem alguns restaurantes e pizzarias, mas a maioria dos turistas faz pacote de meia pensão ou pensão integral. San Andrés é uma ilha de uns 7km de comprimento. Tem uma população de 70000 habitantes. Para conhecer a ilha, alugamos uma moto (uma scooter). Preço: 40000 pesos por 7 horas. Muito tranqüilo. O cara que aluga fornece um mapa da ilha. O legal é que a estrada margeia toda a costa da ilha. A ilha quase não tem praias. A mais legal que achamos fica em frente ao hotel Decameron, na parte sul da ilha. Mar lindo, de águas transparentes. Outro ponto legal para conhecer é um lugar que paga para entrar, 1000 pesos, chamado aquário. Muitos peixes e águas azuladas, transparentes. Lugar um pouco fundo. Uns 3 metros de profundidade. Lembrem, tenham sempre uma máscara em mãos. Lugares para fotos e banhos são muitos. Um outro passeio legal que fizemos foi a duas pequenas ilhas. Uma delas se chama aquário e a outra se chama ilha jonny cay. Lugares maravilhosos. Mar maravilhoso. Preço de 15000 pesos por pessoa. Sai as 09:00h e retorna as 13 ou 15 horas, você quem escolhe. Voltamos as 15 horas, lamentando. Por nós, ficávamos até as 18 horas. Bom, foi uma pena termos ficado apenas 3 dias. San Andrés valia pelo menos mais uns 2 dias.

 

Cartagena – Maracaibo (21-06)

 

Compramos a passagem no bairro da Boca Grande, no escritório da Expresso Brasília, a um custo de 115000 pesos por pessoa (mais caro que da Venezuela para a Colômbia). O bom é que não tivemos que ir ao terminal de transportes, que fica bem longe de boca grande, uns 40 minutos de táxi. A viagem foi tranqüila, mas tivemos um pouco de estresse na fronteira. Passamos quase 2 horas para carimbar o passaporte na imigração da Colômbia. Eita povo burocrático. O pior é que quando chegamos para carimbar o passaporte no lado venezuelano, tinha faltado energia elétrica e já era noite. Mas, no final deu tudo certo. Saímos de Cartagena as 08:30h e chegamos em Maracaibo as 22:00h. Acabamos ficando num hotel indicado pelo motorista do ônibus. O motorista foi muito legal. Parou o ônibus bem em frente ao hotel Milenium. Custou 150BF. E é bem melhor do que o Ejecutivo. Fica na entrada da cidade. O ônibus da expresso Brasília apenas vai até a praça El Toro (fica na entrada da cidade - de lá é necessário tomar táxi para o hotel), e de lá segue viagem para Caracas. Esta praça é meio afastada e como já era tarde, não pensamos 2 vezes antes de aceitar o hotel.

No início, tentamos ficar no centro de Maracaibo e pelo menos umas 3 pessoas não nos aconselharam, pois diziam que lá é perigoso a noite. Seguimos os conselhos. Inclusive o guia lonely planet indica alguns hotéis no centro, como o Caribe e o Montevidéu. Ninguém aconselhou. Portanto, cuidado ao ficar no centro.

No dia seguinte (domingo 22) seguimos para o aeroporto de Maracaibo, onde, anteriormente, na chegada, tínhamos comprado a passagem para Curaçao, pela Avior (www.aviorairlines.com), a um custo de 260BF por pessoa. O detalhe, é que além deste preço, tivemos que pagar taxas de embarque, no valor absurdo de 150BF (mais de US$ 50,00) por pessoa. Resultado, a passagem saiu (só ida) o valor de 410BF por pessoa (uns US$ 140,00). Detalhe, o vôo até Curaçao é de apenas 25 minutos.

 

Curaçao-Bonaire

 

Nosso destino, nesse dia 22 era Bonaire. Curaçao ficaria por último.

Assim, ao chegarmos em Curaçao, por volta das 12:30h, procuramos imediatamente se informar sobre vôos para Bonaire. Tinha lido anteriormente que várias companhias voam durante todo o dia para Bonaire. Assim, compramos passagem pela Insel Air, ao preço de US$ 46,00 por pessoa. Vôo super tranqüilo, apenas 25 minutos. Vôo exclusivo, somente nós no avião, o qual possuía apenas uns 20 lugares.

Chegando em Bonaire, fomos recepcionados pelo senhor Samuel, taxista que presta serviço a pousada Coco Palm, onde ficamos hospedados. Anteriormente, tinhámos entrado em contato com o pessoal da pousada e reservado por e-mail. Dados da pousada: www.cocopalmgarden.com - F: 599 – 7172108 e 7861479 – fica localizada a 5 minutos do aeroporto. Ficamos num apartamento, com cozinha completa (Kolibri), ao preço de US$ 66,00 e mais US$ 10,00 para utilizar ar condicionado, portanto, US$ 76,00 (o calor é grande – é melhor ficar com ar condicionado). Quartos novos e espaçosos. Fica distante uns 5km da capital, Kralendijk. Como possui cozinha completa, caso se queira, dá para cozinhar e economizar na comida. Para comer na cidade, gasta-se pelo menos uns US$ 15,00 por pessoa. Só elogios a fazer da pousada. As donas, Marion e Bridgite são super atenciosas e corretas. Como falamos, a reserva foi feita por e-mail. Reservamos além do quarto, um automóvel. Em Bonaire não há transporte público e há poucos táxis. Portanto, no mínimo alugue uma moto. Mas, se for mergulhar, alugue uma pick up. No aeroporto, ligamos para Samuel (detalhe – tivemos que pedir um favor a uma pessoa, pois não há telefones públicos no aeroporto e era domingo, dia que quase ninguém trabalha na ilha, nem mesmo o escritório do Coco Palm funciona). Bom, no aeroporto, Samuel já nos entregou o carro alugado e nos guiou até o Coco Palm. O caro custou US$ 40,00 por dia, com todos os seguros inclusos. Negociamos com o próprio Coco Palm, que intermediou o aluguel. Os carros não são novos, mas é o suficiente.

Bonaire é uma ilha maravilhosa. Com certeza a de mar mais bonito entre as três que visitamos. Certamente é o paraíso dos mergulhadores. Aliás, é praticamente só o que se faz na ilha. Ou se mergulha ou se faz snorkel. A água do mar é de uma cor maravilhosa. Lembra muito o mar de Los Roques. O mergulho é de praia. Assim, alugamos equipamento numa operadora e fizemos em apenas um dia, 4 mergulhos. No início, achamos ruim, pois estamos acostumados a mergulhar embarcado. Mas no final do dia achamos excelente, já que não temos que viajar de barco até o ponto de mergulho. Tudo o que fazíamos era escolher o ponto de mergulho e se dirigir a ele, estacionando a caminhonete num local o mais próximo possível do local de entrada no mar. O interessante é que nos pontos de mergulho costumamos ver diversos carros estacionados e ninguém no local, já que todos estão submersos. Importante, o carro deve ficar estacionado com os vidros abertos, pois os poucos furtos que ocorreram em Bonaire foram em carros que estavam estacionados enquanto os donos mergulhavam e deixaram os mesmos fechados. Portanto, deixar as janelas abertas e não levar coisas de valor quando for mergulhar. Indico a operadora Dive Friends. Um dos escritórios fica na saída do aeroporto. Quando for alugar equipamento, é bom alugar tanques ilimitados. Assim, ficamos mais a vontade para mergulhar. Os tanques podem ser repostos em qualquer dos escritórios da Dive Friends espalhados pela ilha. O legal é que a Dive Friends do aeroporto, tem uma pessoa que fala bem o português, pois é casada com um brasileiro.

O nosso primeiro dia de praia em Bonaire foi o dia da chegada. Chegamos por volta das 16 horas. Fomos conhecer uma baía (Lac Bay), onde se pratica muito Wind surf. Bem legal, pense num vento forte.

No segundo dia, conhecemos as praias do norte da ilha. Com certeza, as melhores. Dia de muitos banhos e snorkel. Também conhecemos o vilarejo de Rincon. Muito pacato. É onde fica a entrada para o parque nacional, que acabamos não indo por falta de tempo. No terceiro dia, foi o dia do mergulho. Logo cedo alugamos todo o equipamento para mergulho. Fizemos 4 mergulhos. Foi um dia maravilhoso. Mergulhar em Bonaire foi uma experiência super legal, principalmente porque pela primeira vez, fizemos mergulho de praia. Sim, lá o mergulho é na praia. É chegar, estacionar o carro, colocar o equipamento e cair no mar. Todos os pontos de mergulho são muito bem sinalizados, tanto na terra quanto no mar. Portanto, não tem como errar. E também não há perigo. O ruim é que mergulhamos apenas um dia. A maioria do povo que vai pra lá, passa uma semana inteira mergulhando.

No quarto dia, passeamos pela capital, já que pela manhã estava chovendo. As lojas de bonaire só abrem durante o dia. A maioria fecha às 18 horas ( no máximo). Material de mergulho em Bonaire é super barato. Vale muito a pena comprar. É inclusive melhor de comprar do que Curaçao. Na parte da tarde fomos conhecer a parte sul da ilha. Região muito diferente do norte, principalmente por ser mais baixa e plana e ter várias salinas. Mas vale muito a visita. Mas, escolhemos para terminar o dia na praia de 1000 steps, uma das mais bonitas da ilha, que fica na parte norte. Banho maravilhoso. No quinto dia, viajamos para Curaçao. O inconveniente, é que deixaríamos o carro no aeroporto, mas, na saída, o carro não quis pegar. A bateria se foi. Nem sinal. E o pior, é que era pouco mais de 05:00h da madrugada. Tudo escuro ainda. Bateu um pouco de desespero na hora, mas nos acalmamos e minha namorada lembrou do manual de instruções da pousada, principalmente da parte que dizia que em caso de emergência, podíamos nos dirigir a casa de Marion (umas das donas) e acordá-la. Foi a nossa salvação. Apesar de bastante assustada, ela foi super prestativa e nos deixou no aeroporto. Portanto, recomendo bastante o Coco Palm Garden. É inclusive um dos melhores custos benefício da ilha. Bom, já com muita saudade, conseguimos pegar o avião para Curaçao.

 

CURAÇAO

 

Chegamos em Curaçao por volta das 08:00 da quinta-feira 26 de junho. Não tínhamos reservado hotel, mas tinha uma lista de possíveis candidatos. Era baixa temporada. Do aeroporto, ligamos para o Alablanca apartments e, ao preço de US$ 65,00, mais 7% de taxas, aí ficamos hospedados (f: 599-5680647 7365660 – End.: Kaya Toni Kunch15a, Curaçao). O dono foi legal, deixou-nos entrar as 09:30h, sem pagar nada mais. Assim como o Coco Palm, o quarto também tem cozinha completa, mas é mais velho. Mas, é o suficiente. É limpo e fica a apenas 5km da capital, Willemstad. Ainda no aeroporto, alugamos um carro nas locadoras que ficam no próprio aeroporto. Pagamos US$ 50,00 pela diária de um Atos, com ar condicionado (locadora Trifty - a mais barata entre as locadoras do aeroporto). Carro novo, com seguro incluso. Detalhe, o seguro não cobria o parque Christoffel National Park e a Mambo Beach (praia que fica ao lado do sea aquarium). Portanto, evitamos essas áreas. Compramos um mapa e seguimos para o alablanca apartments. Chegamos sem muita dificuldades.

Bonaire tem apenas cerca de 10000 habitantes, enquanto Curaçao tem 170000. Daí, a diferença entre as ilhas é enorme. Em Curaçao tudo é bem mais longe, apesar de ser fácil se guiar com um mapa. Bonaire é bem mais tranqüila. O acesso as praias em Bonaire também é bem mais fácil, é mais perto. Enquanto Bonaire tem uma estrada que praticamente circunda pelo litoral toda a ilha, Curaçao não tem uma estrada propriamente costeira. Assim, para chegar às praias, deve-se guiar pelas placas de indicação. Curaçao tem mais praias (de areia) que Bonaire. Também tem mais gente nas areias e as melhores praias são pagas. Paga-se para entrar e para ter uma cadeira de praia. Outro detalhe é que a água do mar de Bonaire ( e de San Andrés) são mais transparentes que Curaçao. Na maior parte das praias de Curaçao as águas não são tão transparentes, são um pouco brancas. Mas, comparando com o Brasil, são águas maravilhosas, também dignas do Caribe.

No nosso primeiro dia em Curaçao, resolvemos conhecer as praias do oeste, as melhores da ilha. Fomos em direção a West Punt, cerca de 40 minutos de carro desde Willemstad. Com o mapa na mão é bem fácil de chegar. Passamos para conhecer na maioria delas, mas ficamos apenas em duas. O tempo era curto. Nossa primeira parada foi na praia Kalki. Gostamos bastante desta praia. Praia de águas claras, com pouca gente e boa para snorkel. Tomamos um bom banho. Saindo de lá, paramos para conhecer diversas praias, todas bonitas, mas escolhemos para ficar a praia Kenepa, tida como uma das melhores da ilha. É uma pequena praia, que lota nos finais de semana, mas quando fomos tinha bem pouca gente. Foi ótimo. Um banho maravilhoso.

Na volta, paramos para conhecer Willemstad, a capital de Curaçao. Cidade essa que é dividida em duas partes, Otrobanda e Punda, separadas por um braço de mar, uma baía. A ligação entre elas se dá por uma ponte que só passa pedestre e é giratória. Sempre que vai passar algum barco ou navio, ela abre, ficando os pedestres impossibilitados de atravessar, tendo que recorrer ao Ferry que fica a disposição, gratuitamente, das pessoas. Em Punda estão as melhores lojas para compras, tendo em vista que Curaçao é uma zona livre de impostos. Nesse primeiro dia, paramos em Otrobanda. Tiramos várias fotos, principalmente de suas construções antigas, bem pintadas e preservadas. É uma visita imperdível. Neste mesmo dia, à noite, retornamos a Willemstad, desta vez para Punda. Viagem praticamente perdida, pois a noite tudo fecha, ficando aberto apenas alguns restaurantes e cassinos. A cidade fica meio que deserta. Acabamos nos perdendo para sair e retomar a estrada para nosso hotel, mas, com auxílio do mapa, encontramos a saída.

No nosso segundo dia, fomos ao Sea Aquarium, US$ 15,00 por pessoa. Passeio legal, para turista. Tem desde algumas aves como flamingos e pelicanos, até shows com golfinhos, lobos marinhos e tubarões lixa. Com relação a estes, a curiosidade é o fato de os turistas poderem alimentá-los com peixes, dando uma certa emoção à visita. Também há a opção de nadar com os golfinhos, mas a um custo bem maior. Nossa visita durou cerca de 2 horas. Valeu a pena. Do sea aquarium, resolvemos conhecer alguma praia do lado leste da ilha (ou lado sul para alguns – segundo os nativos a parte acima da capital seria o oeste, o aeroporto estaria no norte). Bom, por orientação do guia do sea aquarium seguimos para umas das praias do lado leste, mas não gostamos de nenhuma, pois quando comparávamos com as praias do oeste, ficavam bem aquém. Assim, resolvemos andar um bom pedaço de carro, e ir até uma praia privada no lado oeste, chamada Porto Mari. Super legal. A melhor praia que fomos em Curaçao. Também tem as águas mais claras das praias que fomos. Ficamos na praia até quase 7h da noite. Valeu muito a pena. No retorno paramos novamente em Willemstad, onde tiramos mais fotos.

No nosso último dia em Curaçao, que seria o nosso dia de retorno à Caracas, pedimos ao dono do hotel para ficarmos até as 17 horas. Fomos atendidos e ficamos livres para passear praticamente o dia todo. Logo cedo, fomos conhecer uma tal de Zona Livre (Free Zone), crentes que lá estariam os melhores preços. Lugar que fica na região portuária e que só pode entrar turista. Quando chegamos foi a maior decepção da viagem. Corram de lá. Lugar péssimo. Não percam tempo. Assim, quando vimos que era uma furada, corremos para Willemstad. Aí sim, tem diversas lojas, com preços excelentes, além do charme da própria cidade, que é linda.

Ao final do dia retornamos para o hotel e seguimos para o aeroporto, onde entregamos o carro e nos despedimos de Curaçao. Detalhe, a taxa de saída de Curaçao é no valor de US$ 35,00 por pessoa.

 

Curaçao-Caracas-Brasil

 

À meia noite chegamos a Caracas (nosso vôo foi via Bogotá, demorando 4 horas para chegar – se fosse direto seriam apenas 30 minutos de vôo). Resolvemos ficar no próprio aeroporto, pois nosso vôo para o Brasil seria as 08:00h do dia seguinte. Além de nós, o aeroporto estava cheio de turistas, que também preferiam ficar no aeroporto. Sair de Maiquetia para Caracas é muito longe e caro.Um táxi para Caracas custa cerca de US$ 50,00. Achamos melhor ficar mesmo no aeroporto, pois teríamos que estar de volta as 06:00 para fazer check-in. Enfim, passamos todo o dia 29 viajando, até chegarmos em nossa cidade, Recife.

 

Bom, diversas impressões ficaram nessa viagem.

Com relação à Colômbia, podemos dizer que superou nossas expectativas. Cartagena é uma cidade linda, imperdível. É realmente tudo o que falam de bom. San Andrés é ilha caribenha que não deixa a dever a Curaçao e Bonaire. Inclusive gostamos mais de San Andrés que de Curaçao, principalmente pelo mar de 7 cores. A única parte meio tortuosa da viagem foi a entrada e saída na Colômbia, de ônibus. Apesar de a viagem ter sido tranqüila (tanto na ida quanto na volta) é preciso ter bastante paciência para agüentar a demora na fronteira. Na volta perdemos simplesmente 2 horas.

Bonaire, sem palavras para descrever. Valeu cada dólar gasto. Lugar lindo. Pretendemos retornar o quanto antes. Se você gosta de mergulhar, lá é o lugar.

Curaçao é um lugar bonito. Também muito legal. Mas é bem diferente das outras ilhas que fomos. É lugar grande, com muitos carros, trânsito e praias pagas. Lugar pra turista americano mesmo, talvez não como Aruba. Mas, se você for a Bonaire, vale a passada por Curaçao.

De todas as ilhas da região, que conhecemos, em nossa opinião as melhores, por ordem, são: Los Roques, Bonaire, San Andrés e Curaçao. Sem dúvida, Los Roques é a mais bela, tendo em vista ser a mais preservada.

Qualquer dúvida, mandem e-mail: [email protected].

Perdoem eventuais erros de Português.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

André...

Também sou mochileiro e a Coco Palm foi a pousada mais barata que achei. Bonaire é caro mesmo. De qualquer forma, entra no site: www.infobonaire.com. Aí tem indicação de outras pousadas.

Também considere a possibilidade de alugar carro, sob pena de não ter como se locomover.

 

Abraços..

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Estarei em Bonaire no final de outubo e gostaria de saber sobre passeios além dos mergulhos. Claro que vou lá pra mergulhar, mas também conhecer outras coisas no intervalo de superfície 8) .

 

Pelo que li, parece que o Parque Washington e os Manguezais são dois passeios legais. Quem foi, confirma? Tem outros pra sugerir?

 

Valeu!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Valeu, xará! ::cool:::'>

 

O lago é Lac Bay, certo? Tinha planejado ir pois tem ponto de mergulho lá tb.

 

o lago de windsurf e a reserva dos flamingos! ou as casinhas dos escravos!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Estarei em Bonaire no final de outubo e gostaria de saber sobre passeios além dos mergulhos. Claro que vou lá pra mergulhar, mas também conhecer outras coisas no intervalo de superfície 8) .

 

Pelo que li, parece que o Parque Washington e os Manguezais são dois passeios legais. Quem foi, confirma? Tem outros pra sugerir?

 

Valeu!

 

André,

 

estive em Bonaire mês passado (set/2009) e posso te passar algumas dicas:

 

. Eu fui no esquema ShoreDive, qual seja, aluguei um carro e tinha um pacote de cilindros à vontade. Resultado: fiz 19 mergulhos em 5 dias e 1/2! Quase tanto quanto um live aboard. Sugiro fortemente esse esquema pois é uma oportunidade rara de se poder mergulhar sem o corre-corre de uma operação de barco. Além de ser mais barato e você ficar com o carro para se locomover por lá.

 

. Basicamente, há 5 áreas diferentes de mergulho: Sul, com mergulhos em double-reef (um "costão" de corais, uma faixa de areia, outro "costão" de corais"). Norte, single-reef. "Outro lado", com mar bem mais batido - mergulhos avançados. Norte no parque, mergulhos dentro do Washington Slagbaai Park , e Klein Bonaire, a "ilha" em frente à grande Bonaire.

 

. Só mergulhei no Sul e no Norte. Ambos excelentes. Visibilidade 30 metros, água a 29 graus... Vi os pontos do "Outro lado" e os do Park. Recomendo muito fazer os do Park. Os do "outro lado" só vale para quem já fez todos os outros...

 

. Todos os 19 mergulhos que fiz foram excelentes, incluindo 2 noturnos e 3 sunset dives. Recomendo todos mas citaria em particular: Oil´s Leak, Vilma Hook (naufrágio fantástico a 30 metros), Alice in the Wooderland e 1000 steps.

 

. Para intervalos de superfície, recomendo LacBay que é a praia do Windsurf, o Slagbaai Park com seus flamingos e papagaios e o restaurante a beira mar do Buddy´s Hotel.

 

. Se for jantar fora, fique atento pois a grande maioria dos restaurantes fecha a cozinha às 22hs. Depois é só bebida!

 

. Há dois tipos de night: a dos holandeses e a dos locais. Ambas muito animadas, principalmente nos finais de semana. Fuja dos cassinos onde a energia é bem baixo astral.

 

. A ilha é muito legal. Os mergulhos são a.l.u.c.i.n.a.n.t.e.s.! Mesmo para quem só fizer snorkel! Vi em área "snorkeável" polvo, lula, arraia, peixe cofre, peixe papagaio, entre outros.

 

. A ilha é cara! Se puder compre víveres no mercado e faça parte das refeições em casa.

 

boa sorte por lá.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...