Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Cartagena das Índias - Perguntas e Respostas


Posts Recomendados

  • Colaboradores

Dae povo, vou ficar 2 dias em Cartagena, então gostaria de saber a opinião de vcs, se é melhor eu me dedicar inteiramente para a cidade, ou ir tbm para Isla Rosario ou Playa branca?

estou percebendo que o passeio para estes dois lugares leva um dia inteiro, será que tem opção de ir só meio dia? ou seja ir de manha cedinho e voltar na hora do almoço???

 

que acham?

 

 

valew!

Link para o post
Compartilhar em outros sites

  • Respostas 361
  • Criado
  • Última resposta

Mais Ativos no Tópico

Mais Ativos no Tópico

Postagens Populares

Bia quanto tempo,andou sumida... Os preços de Colômbia são semelhantes aos do Brasil,menos transporte em geral,que é mais barato.

Posted Images

  • Colaboradores

É pouco tempo pra ir as islas. A não ser que esteja seco por cair na água pois as praias de cartagena são feias...

 

O que verá nas islas você vê até mais bonito em angra por exemplo... Já o centro histórico não tem nada parecido por perto...

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Olá pessoal, sou novo no fórum e quero algumas dicas...

 

Não será minha primeira viagem já rodei bastante, porém quando estive em bogotá, não tive muito tempo para aproveitar, e decidi então em junho voltar a colômbia...

Devido a repercussão de Hillary Clinton com relação á visita até cartagena, decidi saber um pouco mais acerca do destino, que muito me interessou.

 

Já efetuei as compras das passagens, que saem de SP-BGT-CARTAGENA, vou pela companhia AVIANCA, na qual já viajei para o México, e muito bem atendido fui, apesar de em vôos nacionais a empresa já ter deixado a desejar para comigo.

 

Chegarei em Cartagena no dia 12 de Junho, com volta ao Brasil no dia 21 de Junho.

Estou olhando alguns hotéis, apesar de achá-los um pouco caro, creio que eu vá ficar realmente em hotel , por não ter experiências com '' Hostel''.

Gostaria de dicas com relação á rede hoteleira de cartagena, o que compensa e não compensa, se esses hosteis são seguros também, se vale a pena ficar albergado em alguns deles.

Outro ponto de meu interesse é sobre as ilhas Rosário...

Eu havia pensado no seguinte : 12 até 16 ficar em Cartagena.

16 a 19 em Santa Marta.

E no dia 19 regressar a cartagena para ficar até dia 21, data da volta ao brasil.

 

Gostaria de saber se é Necessário ficar em santa marta para conhecer as ilhas, ou se não é proximo da cidade de santa marta, se não compensa ir até santa marta, ficando em cartagena e tomando a lancha para ir até ilhas rosario...

 

Qual o melhor roteiro ? o que fazer?

 

Com relação a preços como funciona? Preços de passeios , cotação média de comida, e bebidas? Qual a base devo levar de dinheiro?

Alguém pode me ajudar a fazer este roteiro? Sugerem algo que seja viável, outros lugares próximos a serem visitados? Gostaria de pedir agilidade aos amigos para que eu possa contudo, neste momento, já efetuar a reserva nos respectivos hotéis das cidades destino.

Abro espaço também para dizer que estou indo sozinho, se algum amigo vai nesta data, ou quer se juntar, entremos em contato.

 

Atenciosamente,

Felipe. ::otemo::

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 semanas depois...
  • Membros

Olá a todos,

 

Tenho 41 anos, sou um viajante inveterado, mochileiro (ou quase isto) como boa parte de vocês e gostaria de relatar minhas impressões sobre Cartagena, Bogotá e Villa de Leyva, as quais conheci entre 19 e 30 de abril de 2012.

 

BOGOTÁ: cidade grande, muito movimentada e extremamente policiada pelo Exército, Polícia e seguranças privados: estão por toda a parte, literalmente, portanto, creio ser bem segura. Hospedei-me em um hotel (GHL Hamilton) de uma rede norte-americana, quarto duplo a R$ 220,00 aproximadamente, muito confortável, espaçoso e com um ótimo café-da-manhã, além de um serviço impecável (com internet inclusa, sem limite de utilização) e ótima localização: na Zona Rosa, o equivalente à Ipanema/Leblon para os cariocas ou os Jardins para os paulistanos. Os bares são incríveis, muito bem frequentados e atrativos, come-se e bebe-se das mais diferentes culturas gastronômicas que se pode imaginar, com preços muito baratos em relação ao Brasil. Conheci também o Cerro Montsserat, com uma bela vista da cidade e pouco mais: há estátuas representando a Via-Crúcis mas a igreja em seu topo é sem-graça, moderna, perdendo em muito para a maioria das nossas; há também um bistrô francês (dizem que mais caro) que só abre à noite, então, não pude conhece-lo. O Museu del Oro é imperdível, bem no centro (movimentadíssimo) da cidade e próximo a um bairro muito bacana de se conhecer, a Candelária, com seu casario antigo (equivalente no tempo ao casario da Lapa, no Rio de Janeiro) e o Museu Botero (com obras do próprio e outras de artistas consagrados mundialmente, em menor número). Não visitei a Feira de Usaquén, nome da praça onde a mesma ocorre aos domingos, famosa pelo seu artesanato, mas creio que a mesma é equivalente às várias lojas do ramo que encontrei (inclusive ao lado do Museu del Oro). Os táxis são baratos mas para alguns destinos talvez convenha perguntar antes o preço, que às vezes parece ir de acordo com a cara do passageiro; o trânsito é caótico, parecido com o de São Paulo em seus piores dias, sobretudo na região central da cidade: não é um bom lugar para alugar um carro. Vi o Transmilênio, o metrô de superfície da cidade, mas talvez, como eu, você se decepcione com as filas e as pessoas compactadas dentro dele e desista de usá-lo. Como a cidade fica a 2.600 m de altitude, senti um pouco de falta de ar e dor de cabeça nos primeiros dias, nada sério. Como em toda Colômbia, basta reconhecê-lo como turista que as pessoas oferecem de tudo para comprar, com o passar dos dias, chega a ser desagradável tamanha insistência; os táxis também passam buzinando o tempo todo, sempre que reconhecem um turista. Visitei por último a mina de sal de Zipaquirá, a 50 KM da cidade, interessante mas não tão sensacional como se apregoa por lá; além da entrada, comprei um bilhete para a Rota do Mineiro, decepcionante, nada mais é que uma caminhada e explicação sobre técnicas de mineração...acontece que você já caminha pelo interior da mina e percebe isto antes mesmo de chegar ao início da rota, portanto, achei dispensável.

 

VILLA DE LEYVA: belíssimo conjunto arquitetônico, tipicamente colonial, situado a cerca de 200 KM de Bogotá, acessível por uma estrada ruim (embora pedagiada, o asfalto é irregular e há grandes buracos - achei pior que as estradas do Brasil. Pode ser resultado das chuvas intensas que caíam antes e na semana em que lá cheguei, mas mesmo assim o estado de conservação deve ser ruim em outras épocas); a estrada usada para o retorno (pode também ser usada para a ida), embora em pista única ao contrário da outra, é melhor conservada e corta uma bela região de pastagens e plantações. Há muitas opções de hospedagem, de todos os preços, e pode-se ficar muitas horas passeando enquanto se admira o casario e as ruas. Sugiro também visitar o belo jardim do convento franciscano (ou algo assim) próximo ao centro da cidade e o observatório astronômico dos muiscas, nos arredores (acesso ruim por estrada de terra, mas há empresas que o levam lá). Os restaurantes são variados e muito bons, assim como a lanchonetes e bares. Fui de táxi até lá, pagando o mesmo que seria por um carro alugado, com a vantagem de não ter de enfrentar o trânsito pesado da saída da cidade, os pedágios (inclusos no preço) e o abastecimento de combustível.

 

CARTAGENA: outro belíssimo conjunto arquitetônico, um pouco mais para o moderno que o colonial mas com traços deste (sobretudo em suas belas muralhas e adjacências): dá para ficar dias curtindo suas ruas, casas, bares e restaurantes, todos muito bons como em Bogotá e Villa de Leyva. Como acontece no restante do país, o povo é simpático, solícito e também oferece de tudo para comprar, irritante ao final de 1 semana na cidade (que foi o tempo que passei lá e que julgo suficiente para conhecê-la bem); os táxis buzinam a todo tempo por uma "corrida" e o preço varia de acordo com o destino e a cara do freguês (peguei um táxi por 6.000 pesos - algo como R$ 6,00 - e, na volta para o mesmo local de partida, cobraram 3.000 pesos), ao que parece, mas são baratos. Bocagrande é uma mistura mal feita de Copacabana (que por si só já não gosto, mesmo sendo carioca da gema) e Miami, um lugar totalmente dispensável de se ir a não pela praia (de areia escura mas de águas limpas - prepare-se para uma enxurrada de ambulantes); não vi nada de glamouroso lá a não ser os arranha-céus e os carros importados (que também vi em outros locais da Colômbia). Getsemani fica dentro das muralhas mas é a versão mais pobre do centro histórico da cidade: há sujeira, esgoto correndo nas ruas e o casario não é tão bem conservado. As famosas praias...bem, ficam fora da cidade, acessíveis somente por barcos (pelo menos, 30 minutos em lancha rápida - se tem problemas com mar agitado, mar aberto ou algo assim, esqueça, pode dar medo a forma como encaram as ondas e os coletes salva-vidas são para adultos e não para crianças - ou 1 hora em barcos maiores - que somente são oferecidos para grupos de pelo menos 50 passageiros, grupos menores irão em lanchas rápidas, com as características que mencionei). Conheci uma delas, a Playa Blanca, na Ilha Barú, bem bonita, de águas límpidas, transparentes mas com muito lixo espalhado pelos turistas (principalmente os "ecologicamente corretos" europeus, que propagam aos 4 ventos suas virtudes e que não praticam...), também com uma enxurrada de ambulantes. A Isla del Rosário é um engodo: não tem praia para mergulhar (embora haja 26 delas - é uma reserva ambiental, proibida portanto para banhos de mar, como informaram), não curto os ridículos shows de golfinhos amestrados que tem lá e mais parece uma farofa tipicamente comum nos domingos de praia no Rio; se você também não curte isto, peça apenas o passeio até Playa Blanca...mas terá de aguardar a ida e retorno de Isla del Rosario dos demais que assim o decidirem, o que pode ser desconfortável com o sol e calor fortes do local (estimo uma espera de 3 a 4 horas, pelo menos). As demais praias estão em resorts ou casas privadas e podem ser contratados na própria cidade. Resumindo: se por achar que está no Caribe terá praias no quintal de casa, esqueça.

 

Espero ter ajudado um pouco, abraços a todos!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros de Honra

Felipe de uma lida no tópico de hotéis e albergues no forum da Colômbia, provavelmente vc vai tirar todas as dúvidas. Ficar em hostel não diferencia muito não de hotel, só o conforto e facilidades são diferentes.

Quanto ao roteiro acho melhor vc deixar como está planejado, e lá vc muda de acordo o que vc vai conhecendo, os preços é o que vc leu no tópico de perguntas e respostas.

Como vc ainda não esta ambientado com o site.

Depois que vc der uma pesquisada no fórum da Colômbia, vá ao fórum de Relatos de viagem e procures os relatos da Colômbia tem muita matéria para vc tirar as dúvidas.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 1 mês depois...
  • Membros

Muito obrigada, ajudaram muito!!!!!!!!! (sim, to ressuscitando o tópico) rsrs Iremos À cartagenas no fim de Julho. Gostaríamos de saber o quanto mais ou menos, gastaremos com os passeios turisticos, digo barco/entradas, à playa blanca, islas del rosario, museus, castelo san felipe.. obrigada

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 3 meses depois...
  • 1 mês depois...

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

×
×
  • Criar Novo...