Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Desejo saber sobre como ir informações sobre a Guiana.


Posts Recomendados

  • Membros

Érica, minha parada em Bonfim e Lethem será mesmo pra ter uma ideia da fronteira e da cultura do povo do lugar. Minha estadia longa, meu destino, será mesmo Georgetown, onde se gostar desejo fazer um curso de inglês para praticar porque faz tempo penso em ser fluente em tal língua. Assim que vou preparado pra ficar um bom tempo e conhecer os lugares mais turísticos e aqueles mais recônditos, como algumas belíssimas praias no Atlântico e as pequenas cidades e vilarejos ao norte da capital. Depois, como está perto, penso também conhecer Paramaribo, que dizem ser muito linda também, verdade?

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores

Super vale a pena ir até Param(á)ribo (aprendi lá que se fala assim rs). Ambas as cidades não são grandes e são muito fáceis de visitar em 2 ou 3 dias. Tem voo baratinho de Georgetown. Agora, sobre a possibilidade de fazer um curso de inglês por lá...eu não falo absolutamente nada, mas tava acompanhada com amigos fluentes que acharam bem complicado a compreensão e as expressões, para além do sotaque muuito peculiar. É uma mistura muito doida de inglês indiano com inglês caribenho. Só sentindo mesmo pra ver se vale a pena :) 

Abraços e boa sorte!

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
23 horas atrás, Érica Martins disse:

Super vale a pena ir até Param(á)ribo (aprendi lá que se fala assim rs). Ambas as cidades não são grandes e são muito fáceis de visitar em 2 ou 3 dias. Tem voo baratinho de Georgetown. Agora, sobre a possibilidade de fazer um curso de inglês por lá...eu não falo absolutamente nada, mas tava acompanhada com amigos fluentes que acharam bem complicado a compreensão e as expressões, para além do sotaque muuito peculiar. É uma mistura muito doida de inglês indiano com inglês caribenho. Só sentindo mesmo pra ver se vale a pena :) 

Abraços e boa sorte!

Tem razão, Érica. Pelo menos é o que a maioria que passa por lá fala. Mas dizem que na mídia, como Tv, rádios e jornais impressos é muito britânico. Mas eu já falo mais ou menos, dizem que lá tem escolas e cursos com professores com pronúncia britânica. Assim que tendo um pouco de conhecimento, vou procurar aprender primeiramente a pronúncia inglesa mais internacional possível e depois sim, vou repassando pelo guianês; o creollo, guianês-indiano, guianês-indígena e muitas outras pronúncias conhecidas de lá. Depois a gente ainda mistura o port-english, né? Como fazemos com o portuñol. Rssssssss Ainda não estive no Suriname, mas dizem que na capital são quase todos poliglotas com ao menos quatro linguas ou mais, porque além do holandês oficial, falam javanês, inglês, indi, creollo e até francês. Ufaaaa!!! Não quero tanto,  me basta só mais o inglês que com o espanhol já me safo bem, verdade? Rssssss

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
12 horas atrás, gustavo.woltmann disse:

Se mesmo utilizando a lupa com Guiana aqui no Mochileiros e não encontrar as informações desejadas dê uma olhadinha no fórum do TripAdvisor que lá também tem muito conteúdo legal.

Abraços,

Gustavo Woltmann

Obrigadíssimo, Gustavo. Mas como faço pra entrar lá? Pode me passar o link?

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Colaboradores
Em 17/12/2020 em 00:23, borges joão disse:

Tem razão, Érica. Pelo menos é o que a maioria que passa por lá fala. Mas dizem que na mídia, como Tv, rádios e jornais impressos é muito britânico. Mas eu já falo mais ou menos, dizem que lá tem escolas e cursos com professores com pronúncia britânica. Assim que tendo um pouco de conhecimento, vou procurar aprender primeiramente a pronúncia inglesa mais internacional possível e depois sim, vou repassando pelo guianês; o creollo, guianês-indiano, guianês-indígena e muitas outras pronúncias conhecidas de lá. Depois a gente ainda mistura o port-english, né? Como fazemos com o portuñol. Rssssssss Ainda não estive no Suriname, mas dizem que na capital são quase todos poliglotas com ao menos quatro linguas ou mais, porque além do holandês oficial, falam javanês, inglês, indi, creollo e até francês. Ufaaaa!!! Não quero tanto,  me basta só mais o inglês que com o espanhol já me safo bem, verdade? Rssssss

Olha essa notícia que acabei de ver e lembrei dessa nossa conversa aqui 😀

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=3627106914001565&id=522152554497032

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
20 horas atrás, Érica Martins disse:

Olha essa notícia que acabei de ver e lembrei dessa nossa conversa aqui 😀

https://m.facebook.com/story.php?story_fbid=3627106914001565&id=522152554497032

Legal. Obrigadíssimo, Érica. Mas pus na cabeça que antes de chegar em Georgetown, gostaria de conhecer a fronteira, Bonfim e Lethem.  Porque começo a pensar que conhecer o país percorrendo principalmente a capital, posso não conhecer a verdadeira Guiana se não repassar principalmente o interior, especialmente na fronteira do Brasil. Você que conhece lá, o que acha?

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por ms.priscila
      ROTEIRO GUIANA (06 DIAS)
      INFORMAÇÕES GERAIS
      Visto: não é necessário
      Passaporte: precisa ter validade de pelo menos 6 meses
      Vacinas: não exige vacina de febre amarela
      Quando ir: fev-abr e de ago-nov
      Capital: Georgetown
      Moeda: dólar da Guiana $ (GYD)
      Idioma oficial: Inglês
      Cod. telefone: +592
      Padrão bivolt: 120-240V
      Tomadas: A, B, D, G

      Georgetown é a capital da Guiana, assim chamado o país desde 1966, data de sua independência! Antes, era conhecido como Guiana Inglesa.
      Cidadezinha com cara de interior, possui vários canais com esgoto a céu aberto, mas que não imprimem ao local um cheiro fétido. O povo é extremamente simpático, com música alta por todo canto. Apesar de nos alertarem sobre furtos e roubos na região, andamos por toda a cidade, a pé, sem problemas, apenas evitando caminhar à noite!

      LOCOMOÇÃO NA GUIANA
      O transporte público na Guiana é feito através de vans, que estão numeradas, indicando o local para onde se deslocam.
      Dica: cartões de débito e crédito não são bem aceitos nos países do norte da America do Sul.

      ROTEIRO DIA A DIA
      Dia 01
      08:30h: saída de Manaus (existem saídas diárias às 8h e as 20h) com destino a Boa Vista. Ônibus semi-leito, com banheiro e Wi-Fi por R$200, pago na data da viagem. No lado direito à saída da rodoviária, existe um café da manhã, onde se pode tomar um desayuno!
      13:30h: única parada para o almoço na Cidade de Equador-RR
      14h: continuação da viagem 19h: chegada em Boa Vista

      Dia 02
      9h: Uber para o Terminal de Caimbe (no aplicativo informe como destino o “Centro de Atendimento ao Cidadão João Firmino Neto”), de onde saem os táxis para Bomfim-RR, fronteira com Lethem-Guiana! Os táxi-lotação cobram R$35 por pessoa até Bomfim e R$40 até a fronteira! Como estava demorando demais para completar a Van, decidimos ir para a rodoviária e pegar um ônibus, que custou R$25 e leva 2h até Bomfim!
      10h: saída do ônibus de Boa Vista até Bomfim. Obs importante: não desça na rodoviária pois o ônibus vai até a fronteira. A fronteira funciona de 8-18h, fechando para o almoço de 12-14h. Em frente ao posto federal, existe um restaurante ao preço de R$15!
      Obs.: na fronteira já existem táxis que oferecem a corrida até o posto de imigração, troca de dinheiro e viagem nas vans (minibus n. 94) para Georgetown ao valor de $12.000/R$215 a $14.000/R$251 por pessoa! São 16h de viagem na van
      18:30h: saída de Lethem para Georgetown   Ruas de Lethem
      21:30 parada para descanso até as 4h da manhã! No local, pode-se alugar redes pelo valor de $500/R$9!

      Dia 03
      6-13h: viagem até Linden em estrada extremamente acidentada (carros pequenos não conseguem atravessar)
      14h: saída de Linden em direção à Georgetown 16h: chegada a Georgetown e hospedagem no Julian’s Guest House por R$100 apto duplo sem café
      Georgetown
      Passeio principal: Cachoeiras Kaieteur por 125USD

      Dia 04
      10h: saímos do hotel e andamos a pé pelo Parliament Building, Stabroek Market, St George Cathedral, National Library, Main Street, Georgetown Lighthouse (seg-sex de 8-16h), Praia de Georgetown, Umana Yana (ponto de encontro do povo guiano), Pomerade Gardens
      Stabroek Market
       
      Dia 05
      Pegamos um barco no Mercado Stabroek, que atravessa para a cidade de Parika, de onde saem os barcos para o principal passeio da cidade, que é o Fort Island.
      Stabroek Market – Region 3 (de onde saem as vans para Parika): pega-se um barco que atravessa o Rio Demerara, cuja viagem dura cerca de 15min e custa $200/R$4pp (aos domingos; de seg-sab $100/R$2pp). Existem vans que saem direto de Georgetown para Parika, mas queríamos a experiência de atravessar o rio nos barcos-lotação.
      Van da Region 3 – Parika: $300/R$6pp
      Na cidade de Parika pode-se visitar uma praia com varias carcaças abandonadas; uma espécie de cemitério de navios, ao lado do Porto. Fora isso, a cidade não possui muitos atrativos.
      Passeio principal: Fort Island ao custo de $15.000/R$269pp

      Dia 06
      Pegamos a van n.63 que vai de Georgetown até Moleson Creek. A van nos pega no hotel e custa $4.500/R$81! O trajeto completo até Paramaribo custa $9.000/R$162, mas como não sabíamos se obteríamos o visto na fronteira, preferimos pagar o transporte somente até Moleson Creek!
      Atravessando da Guiana para o Suriname: 1. Saídas do ferry as 9h (check-in de 6:30-8h) e 13h (check in de 10:30-12h): a viagem de ferry leva 30min 2. Compra dos bilhetes com passaporte por $3.140/R$57pp 3. Preencher um papel de saída da Guiana
      Chegada na Guiana por via terrestre: 1. Os residentes dos países pertencentes ao Caricom não precisam de visto, basta carimbar o passaporte; para os estrangeiros não pertencentes ao Caricom, estes devem pagar uma taxa de 42USD e obter um tourist card na fronteira, o que também pode ser obtido em Georgetown a um preço menor.
      Travessia para o Suriname
      Continue acompanhando esta viagem ao Suriname.
    • Por ms.priscila
      GUIANA 
      Passaporte: apenas precisa estar válido durante sua estada 
      Visto: não é necessário 
      Moeda: dólar da Guiana $ (GYD)
      Cod. telefone: +592
      Idioma oficial: Ingles 
      Capital: Georgetown
      Hospedagem: Twenty4 Guesthouse, Hotel Palácio, Hotel RitzZ 
       
      Georgetown é a capital da Guiana, assim chamado o país desde 1966, data de sua independência! Antes, era conhecido como Guiana Inglesa.
       
      Cidadezinha com cara de interior, possui vários  canais com esgoto a céu aberto, mas que não imprimem ao local um cheiro fétido. O povo é extremamente simpático, com música alta por todo canto. Apesar de nos alertarem sobre furtos e roubos na região, andamos por toda a cidade, a pé, sem problemas, apenas evitando caminhar à noite! 
       
      LOCOMOÇÃO NA GUIANA
      O transporte público na Guiana é feito através de vans, que estão numeradas, indicando o local para onde se deslocam.
       
      SURINAME
      Passaporte: precisa ter validade de pelo menos 6 meses
      Visto: é necessário para os estrangeiros não pertencestes ao Caricom; pode-se obter na fronteira 
      Moeda: dólar do Suriname SUR (SRD)
      Cod. telefone: +597
      Idioma oficial: holandês
      Capital: Paramaribo 
       
      Paramaribo é uma simpática cidade que se divide entre áreas menos desenvolvidas  e áreas com discretos traços da sua parente distante Holanda! O feio e o bonito estão separados por poucas quadras! Apresenta um crescimento mais organizado do que sua vizinha Georgetown e lindos pontos turísticos!
       
       
      ROTEIRO DIA A DIA 
       
      09/01
       
      08:30h: saída de Manaus (existem saídas diárias às 8h e as 20h) com destino a Boa Vista. Ônibus semi-leito, com banheiro e Wi-Fi por R$200, pago na data da viagem. No lado direito à saída da rodoviária, existe um café da manhã, onde se pode tomar um desayuno! 
       
      13:30h: única parada para o almoço na Cidade de Equador-RR
       
      14h: continuação da viagem 
       
      19h: chegada em Boa Vista
       
      10/01
       
      9h: Uber para o Terminal de Caimbe (no aplicativo informe como destino o “Centro de Atendimento ao Cidadão João Firmino Neto”), de onde saem os táxis para Bomfim-RR, fronteira com Lethem-Guiana! Os táxi-lotação cobram R$35 por pessoa até Bomfim e R$40 até a fronteira! Como estava demorando demais para completar a Van, decidimos ir para a rodoviária e pegar um ônibus, que custou R$25 e leva 2h até Bomfim!
       
      10h: saída do ônibus de Boa Vista até Bomfim. Obs importante: não desça na rodoviária pois o ônibus vai até a fronteira. A fronteira funciona de 8-18h, fechando para o almoco de 12-14h. Em frente ao posto federal, existe um restaurante ao preço de R$15!
       
      Obs.: na fronteira já existem táxis que oferecem a corrida até o posto de imigração, troca de dinheiro e viagem nas vans (minibus n. 94) para Georgetown ao valor de $12.000-$14.000 por pessoa! São 16h de viagem na van! 
       
      18:30h: saída de Lethem para Georgetown
       
      21:30 parada para descanso até as 4h da manhã! No local, pode-se alugar redes pelo valor de $500! 
       
      Dia 11/01
      6-13h: viagem até Linden em estrada extremamente acidentada (carros pequenos não conseguem atravessar)
       
      14h: saída de Linden em direção à Georgetown
       
      16h: chegada a Georgetown e hospedagem no Julian’s Guest House por R$100 apto duplo sem café 
       
      Passeio principal: Cachoeiras Kaieteur por 125USD
       
      Dia 12/01
       
      10h: saímos do hotel e andamos a pé pelo Parliament Building, Stabroek Market, St George Cathedral, National Library, Main Street, Georgetown Lighthouse (seg-sex de 8-16h), Praia de Georgetown, Umana Yana (ponto de encontro do povo guiano), Pomerade Gardens 
       
      Dia 13/01
       
      Pegamos um barco no Mercado Stabroek, que atravessa para a cidade de Parika, de onde saem os barcos para o principal passeio da cidade, que é o Fort Island.
       
      Stabroek Market - Region 3 (de onde saem as vans para Parika): pega-se um barco que atravessa o Rio Demerara, cuja viagem dura cerca de 15min e custa $200pp (aos domingos; de seg-sab $100pp). Existem vans que saem direto de Georgetown para Parika, mas queríamos a experiência de atravessar o rio nos barcos-lotação.
       
      Van da Region 3 - Parika: $300pp
       
      Na cidade de Parika pode-se visitar uma praia com varias carcaças abandonadas; uma espécie de cemitério de navios, ao lado do Porto. Fora isso, a cidade não possui muitos atrativos.
       
      Passeio principal: Fort Island ao custo de $15.000pp
       
      Dia 14/01
       
      Pegamos a van n.63 que vai de Georgetown até Moleson Creek. A van nos pega no hotel e custa $4.500! O trajeto completo até Paramaribo custa $9.000, mas como não sabíamos se obteríamos o visto na fronteira, preferimos pagar o transporte somente até Moleson Creek!
       
      Atravessando da Guiana para o Suriname: 
      1. Saídas do ferry as 9h (check-in de 6:30-8h) e 13h (check in de 10:30-12h): a viagem de ferry leva 30min
      2. Compra dos bilhetes com passaporte por $3.140pp
      3. Preencher um papel de saída da Guiana
       
      Chegada na Guiana por via terrestre: 
      1. Os residentes dos países pertencentes ao Caricom não precisam de visto, basta carimbar o passaporte; para os estrangeiros não pertencentes ao Caricom, estes devem pagar uma taxa de 42USD e obter um tourist card na fronteira, o que também pode ser obtido em Georgetown a um preço menor.
       
      Paramaribo:
       
      12:45-16:30h: saída de van da fronteira para Paramaribo (100SUR pp)
       
      Dia 15/01
       
      12h: saímos do hotel e andamos a pé pelo Centrale Markt, Waterkant, Presidential Palace, Independence Square, Fort Zeelandia, I Love SU Sign, Palmemtuin Garden (Jardim das Palmeiras), Catedral de São Pedro e São Paulo
       
      Dia 16/01
       
      Retorno ao Brasil
×
×
  • Criar Novo...