Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Como funciona a remarcação de passagens aéreas para infectados do covid?


Posts Recomendados

  • Membros

Boa noite a todos!

Tenho uma viagem de trabalho marcada para o dia 09/01. Comprei a passagem  pela  Latam e pelo que eu li para  remarca-la preciso pagar a diferença do valor que paguei para a próxima data escolhida. A questão é:  estou com muito medo de ser infectado durante esse fim de ano e começo do próximo e, caso aconteça, e eu não possa viajar, terei que pagar uma diferença absurda para remarcar a passagem (pois comprei com antecedência e terei que remarcar em cima da hora e para apenas alguns dias depois, e as passagens compradas próximas as datas de embarque são sempre mais caras).  Queria saber se mesmo que eu apresente um exame  para a  latam mostrando que testei positivo para a covid terei que pagar essa diferença absurda no valor das passagens.


Agradeço desde já,
Gustavo Woltmann

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros

 

10 horas atrás, gustavo.woltmann disse:

Tenho uma viagem de trabalho marcada para o dia 09/01. Comprei a passagem  pela  Latam e pelo que eu li para  remarca-la preciso pagar a diferença do valor que paguei para a próxima data escolhida. 

Então...

Esta história da remarcação de passagens aéreas virou uma história meio complicada agora com o Covid, há muitas regras diferentes, cada companhia aérea tem a sua própria regra, e mesmo dentro da mesma companhia aérea, eles tem regras de remarcação diferentes dependendo da data em que você comprou a passagem e da data da sua viagem.

Antes do covid, para remarcar uma passagem, você pagava uma multa/taxa de remarcação que muitas vezes era mais caro que o preço da passagem original, e mais a diferença de preço caso a nova data fosse mais cara, então era bem comum simplesmente dar a passagem por perdida e comprar uma nova, muitas vezes era mais barato comprar uma nova do que remarcar.

Agora depois do covid, a maioria das empresas deixou de cobrar, ao menos temporariamente, a multa/taxa de alteração, mas continuam a cobrar a diferença de preço caso a nova data seja mais cara.

 

10 horas atrás, gustavo.woltmann disse:

A questão é:  estou com muito medo de ser infectado durante esse fim de ano e começo do próximo e, caso aconteça, e eu não possa viajar, terei que pagar uma diferença absurda para remarcar a passagem (pois comprei com antecedência e terei que remarcar em cima da hora e para apenas alguns dias depois, e as passagens compradas próximas as datas de embarque são sempre mais caras).

Na empresa onde trabalho, no começo de dezembro perdemos 2 passagens por que um funcionário pegou covid, e todo o departamento ficou de quarentena por 20 dias, inclusive as duas pessoas que iam viajar a trabalho e acabaram não tendo covid.

Este é o grande problema de comprar passagem com grande antecedência neste momento, você não tem a menor ideia se vai conseguir viajar, seja por que ficou doente, foram impostas restrições de entrada/circulação, ou mesmo seu voo foi cancelado.

Então ao contrário do que valia antes da epidemia, agora o melhor é deixar para comprar mais próximo da data, para minimizar os riscos de ter que cancelar ou perder as passagens, mas mesmo assim não elimina completamente os riscos de perder as passagens.

10 horas atrás, gustavo.woltmann disse:

Queria saber se mesmo que eu apresente um exame  para a  latam mostrando que testei positivo para a covid terei que pagar essa diferença absurda no valor das passagens.

Algumas companhias aéreas estão oferecendo gratuitamente junto com a passagem um "seguro covid", outras empresas vendem este seguro a parte.

Este "seguro covid" não é nada mais que um seguro viagem, que entre outras coberturas oferece uma indenização caso você precisa remarcar o voo devido a uma doença.

Mas acho que a latam não oferece este seguro gratuitamente, acho ela vende ele a parte.

Então se você está em dúvida sobre quais regras se aplicam especificamente no seu caso, o ideal seria ligar para o SAC da Latam e se informar se existe esta possibilidade de remarcação sem custo caso você apresente exame positivo.

Se não existir esta opção, uma alternativa seria contratar um seguro-viagem que tenha cobertura para cancelamentos de voos por que você ficou doente, certifique-se que o seguro cobre covid, e que a indenização é adequada ao que você precisa.

Muitas vezes o custo do seguro é muito menor do que custo de remarcar o voo, por exemplo, numa cotação rápida, um seguro válido para voos dentro do Brasil é vendido pela Latam por R$ 40 e oferece indenização de até R$ 600 para voo remarcado.

Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • Membros
3 horas atrás, ALB disse:

 

Então...

Esta história da remarcação de passagens aéreas virou uma história meio complicada agora com o Covid, há muitas regras diferentes, cada companhia aérea tem a sua própria regra, e mesmo dentro da mesma companhia aérea, eles tem regras de remarcação diferentes dependendo da data em que você comprou a passagem e da data da sua viagem.

Antes do covid, para remarcar uma passagem, você pagava uma multa/taxa de remarcação que muitas vezes era mais caro que o preço da passagem original, e mais a diferença de preço caso a nova data fosse mais cara, então era bem comum simplesmente dar a passagem por perdida e comprar uma nova, muitas vezes era mais barato comprar uma nova do que remarcar.

Agora depois do covid, a maioria das empresas deixou de cobrar, ao menos temporariamente, a multa/taxa de alteração, mas continuam a cobrar a diferença de preço caso a nova data seja mais cara.

 

Na empresa onde trabalho, no começo de dezembro perdemos 2 passagens por que um funcionário pegou covid, e todo o departamento ficou de quarentena por 20 dias, inclusive as duas pessoas que iam viajar a trabalho e acabaram não tendo covid.

Este é o grande problema de comprar passagem com grande antecedência neste momento, você não tem a menor ideia se vai conseguir viajar, seja por que ficou doente, foram impostas restrições de entrada/circulação, ou mesmo seu voo foi cancelado.

Então ao contrário do que valia antes da epidemia, agora o melhor é deixar para comprar mais próximo da data, para minimizar os riscos de ter que cancelar ou perder as passagens, mas mesmo assim não elimina completamente os riscos de perder as passagens.

Algumas companhias aéreas estão oferecendo gratuitamente junto com a passagem um "seguro covid", outras empresas vendem este seguro a parte.

Este "seguro covid" não é nada mais que um seguro viagem, que entre outras coberturas oferece uma indenização caso você precisa remarcar o voo devido a uma doença.

Mas acho que a latam não oferece este seguro gratuitamente, acho ela vende ele a parte.

Então se você está em dúvida sobre quais regras se aplicam especificamente no seu caso, o ideal seria ligar para o SAC da Latam e se informar se existe esta possibilidade de remarcação sem custo caso você apresente exame positivo.

Se não existir esta opção, uma alternativa seria contratar um seguro-viagem que tenha cobertura para cancelamentos de voos por que você ficou doente, certifique-se que o seguro cobre covid, e que a indenização é adequada ao que você precisa.

Muitas vezes o custo do seguro é muito menor do que custo de remarcar o voo, por exemplo, numa cotação rápida, um seguro válido para voos dentro do Brasil é vendido pela Latam por R$ 40 e oferece indenização de até R$ 600 para voo remarcado.

MUITO obrigado pela ajuda. Nunca tinha ouvido falar desse seguro e sem sombra de dúvidas vai valer o investimento! Abraços

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
×
×
  • Criar Novo...