Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''minasgerais''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Faça perguntas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Encontre Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Envie e leia Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Encontre companhia, faça perguntas e relate experiências em Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Tire dúvidas e avalie Equipamentos
    • Equipamentos
  • Outros Fóruns
    • Demais Fóruns
    • Saúde do Viajante
    • Notícias e Eventos

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 6 registros

  1. Salve, pessoal. Minha noiva e eu estamos planejando uma viagem de carro do interior de São Paulo até João Pessoa. A viagem é só de ida pois estamos indo pra lá para morar. Vamos ainda neste mês de abril. Tenho aqui dois rascunhos de roteiro e gostaria de sugestões e pitacos de pessoas mais experientes e familiarizadas com essas estradas e destinos. A principal diferença entre os roteiros é que em um deles saíriamos de São Carlos, e iríamos por Minas Gerais até o Sul da Bahia. Já a outra opção começaria em Socorro, e íriamos pelos estados de RJ e ES até chegar ao sul da Bahia (a partir de Prado, os roteiros ficam iguais). A opção 1 por Minas, passaria por estas cidades: São Carlos > Capitólio > Ouro Preto > Santana do Riacho (ou outra cidade para acessarmos o Parque da Serra do Cipó) > Serro (ou talvez Diamantina) > Ouro Verde de Minas > Prado A opcão 2, por Rio e Espírito Santo ficou assim: Socorro > Paraty > Rio de Janeiro > Teresópolis > Búzios (ou Cabo Frio) > Vitória (ou Vila Velha) > Itaúnas > Prado A partir de Prado o roteiro por enquanto é: Prado > Arraial d'Ajuda (ou Trancoso) > Itacaré (ou Barra Grande) > Salvador > Imbassaí (ou Mangue Seco) > Coruripe (AL) > Maragogi > Olinda e Recife > João Pessoa Só minha noiva dirige, então gostaríamos de pegar no máximo 5h de estrada por dia (nos roteiros tem um outro deslocamento um pouco maior que isso, mas seriam exceções). Nossa ideia é estrada em um dia e parar ao menos um dia em cada destino para descansar e conhecer um pouco dos lugares. Uma informação importante é que temos uma cachorra de porte médio nos acompanhando nessa jornada, então ainda preciso verificar se teremos de fazer ajustes caso fique difícil em algum destino achar uma hospedagem que a aceite com a gente. Aceitamos sugestões entre a escolha dos dois roteiros. Estávamos mais inclinados a ir por Minas, mas pesquisando um pouco li que algumas estradas de lá estão em más condições. Entre a Serra do Cipó e a Bahia não consegui encontrar destinos de muito interesse (até por isso tem um deslocamento maior ali), Ouro Verde de Minas acabou entrando como um "quebra galho" mais para dormir e talvez já pegar a estrada no dia seguinte. No outro roteiro, alguns amigos me disseram que o Espírito Santo não valia muito a pena. Nunca fui pra lá e achei um pouco forte essa afirmação. Pensei tb em alguma cidade na região mais serrana do estado, mas acabei traçando esse rascunho de roteiro pelo litoral. Se alguem tiver outras sugestões no ES, agradeço muito. Bom, acho que por hora é "só" isso. O texto já ficou bem extenso. Obrigado!
  2. Na semana anterior à Páscoa, fui com meu namorado conhecer Capitólio e São Thomé das Letras de carro. Neste post vou contar APENAS SOBRE CAPITÓLIO. O link para São Thomé está no fim dele. Saímos do Rio de Janeiro na quinta-feira de madrugada e levamos mais ou menos 8h e meia de carro (+ paradas para abastecer e fazer xixi). Vou detalhar tudo para vocês. Saída do Rio: +- 5h da manhã Chegada em Capitólio: +- 14:30h Capitólio Em Capitólio ficamos hospedados do dia 11 a 14 de abril no Balneário do Lago Hotel, e particularmente o resort é para quem curte conforto, bem-estar e boa localização. É uma experiência de hospedagem completa e ótima opção para famílias e casais. Ele é situado em frente ao Lago de Furnas e oferece piscinas ao ar livre e cobertas (aquecidas), sauna, academia, quadras de tênis e de futebol, espaço kids, além de um Parque Aquático (Lake Parque) que é uma atração a parte! Ficamos numa Suíte Master, que era equipada com frigobar, televisão LCD (sem TV a cabo), ar condicionado, banheiro espaçoso e uma banheira de ofurô. O café da manhã oferece opções como queijos da localidade, frutas, pães, bolos, além de gostosuras como pamonha e churros. Um outro diferencial do hotel é que eles oferecem o serviço de meia pensão, com o café da manhã e jantar. Sendo ideal para quem não quer sair das instalações à noite. Aproveitamos TODOS os dias para nos deliciar com comidas tipicamente mineiras (feijão tropeiro, frango caipira, tilápia, etc). Para quem não curte o sistema, também pode desfrutar de petiscos ou refeições à la carte à noite. O bar à beira da piscina também é ideal para relaxar com petiscos, cerveja e drinks. O Parque Aquático foi o grande diferencial e conquistou meu coração! Depois de dias inteiros de trilhas e aventura, eu e o Felipe curtíamos todos os brinquedos e toboágua, além de comer churrasquinhos com cerveja para forrar a barriga e esperar o jantar. Funciona de 11h às 18h. PRIMEIRO DIA (11/04 - quinta-feira): Ir a Capitólio e não tirar uma foto no famoso Mirante dos Canyons é praticamente um pecado! Chegamos pela tarde e fomos direto para lá. O local agora é pago (R$20 por pessoa), tendo um controle de visitação e mais segurança. Como chegamos numa quinta de tarde, o local estava completamente vazio, mas aos fins de semana costuma ter fila (sim, fila) para fazer fotos e até para entrar. A trilha para chegar ao mirante é pequena e fácil, cerca de 100 metros. O visual é incrível e compensa esperar (não foi meu caso). Demoramos mais ou menos 30 minutos no local. Eles te dão uma pulseira e você pode entrar e sair durante o horário de funcionamento. Ah! A pulseira te dá acesso à dois locais (mirantes) e mais uma cachoeira (os três locais são por entradas diferentes). Saímos de lá e do outro lado da rua (literalmente) fomos visitar a Cachoeira Diquadinha (R$10 por pessoa). Pelo dia da semana e horário também estava super vazia. Há três trilhas para aproveitar essa cachoeira, dispensamos a primeira por ser o final e fomos direto para a queda, onde é mais fundo e deu pra nada e mergulhar. A primeira foto é na segunda queda, onde dá a sensação de borda infinita. Depois fomos para o hotel aproveitar o Parque Aquático! No bar do parque, comemos 4 churrasquinhos com molho e farofa e bebemos 4 cervejas de 600ml (R$54 tudo). SEGUNDO DIA (12/04 - sexta-feira): No segundo dia fechamos o famoso passeio de lancha pelos Canyons de Furnas (R$90 reais por pessoa em média, fechamos por R$80 no dinheiro). O ponto de encontro para o passeio de lancha em Capitólio se dá antes da ponte sobre o Rio Turvo. Também há opção de embarcar para o passeio de lancha no Balneário do Lago (empresa terceirizada), passeio mais longo, mas que visita os mesmos lugares (fechamos fora porque não sabíamos os valores, mas compensaria por não sairmos de carro do hotel). A primeira parada da lancha é na Cachoeira Lagoa Azul. A lancha deixa os passageiros em um bar flutuante que fica junto desse enorme e delicioso lago. A parte de cima da Lagoa Azul está dentro de uma propriedade particular, o que justifica a cobrança de uma taxa no valor de R$10 por pessoa para conhecer o local (não fomos lá). O espetáculo do passeio são as cachoeiras dos Canyons! Paramos mais ou menos uma meia hora para aproveitar as águas límpidas e o bar flutuante. Nessa parte dos Canyons param muitas lanchas particulares, o que pode acabar lotando e prejudicando um pouco a paisagem. Por outro lado, as embarcações maiores não conseguem chegar até aqui. Por ser uma sexta-feira, não peguei tumulto e deu pra fazer fotos lindas, vejam! Depois visitamos a Cachoeira Cascatinha, mas apenas para apreciação. O Vale dos Tucanos não tem cachoeira, mas sua beleza se encontra nas paredes com diversas plataformas de pedras. Paramos também num outro bar flutuante para provar o famoso Chopp Scarpas! Depois fomos para o hotel aproveitar o Parque Aquático e comemos a mesma coisa do dia anterior. TERCEIRO DIA (13/04 - sábado) TRILHA DO SOL No sábado o dia rendeu! Fizemos dois passeios em um só dia. Saímos bem cedinho, às 8:30h e fomos conhecer a Trilha do Sol. Primeiros a entrar, o local conta com um quiosque com restaurante onde está a recepção e a Pousada Trilha do Sol. O local é uma propriedade particular da pousada e o valor para percorrer a trilha é de R$40 por pessoa. Para percorrer a trilha não há necessidade do acompanhamento de um guia, mas é bom prestar atenção na explicação do monitor no receptivo, olhar bem as placas de indicação, já que a trilha não é um caminho contínuo e possui ramificações. A partir da recepção são 4 km de trilhas para visitar as 3 cachoeiras e os belos cenários entre paredes de pedra e poços de águas transparentes. Três horas são suficientes para percorrer a trilha e curtir cada cachoeira. O roteiro indicado pelo guia é visitar a Cachoeira no Limite primeiro, depois a do Grito e por último o Poço Dourado, mas preferimos fazer o contrário (risos), e pegamos tudo sempre vazio! Para ir à Cachoeira do Grito, seguimos à direita da bifurcação (há placa indicativa), seguimos por uma parte mais elevada e descemos por uma longa escadaria de pedras que leva até o topo da cachoeira. Já na parte de baixo há um belo poço de águas cristalinas com um paredão do lado onde tomamos aquele banho gostoso de água gelada. Da Cachoeira do Grito ao Poço Dourado são mais 500 metros sendo necessário subir o morro e descer novamente por outro caminho. Para chegar ao Poço Dourado o caminho é por dentro de um riacho cercado por paredes nos dois lados, e quando o sol bate, as pedras no fundo deixam a água dourada (por isso o nome). Os turistas que visitam o lugar costumam fazer pequenas pilhas de pedras nas laterais do riacho e cada uma significa um pedido. É mágico! Depois fomos ao Mirante No Limite, o local rende belas fotos. Todos os locais estavam completamente vazios, demos muita sorte, pois quando saímos da primeira cachoeira (que seria a segunda parada indicada), chegou uma excursão com umas 50 pessoas. Ainda bem que não seguimos o indicado! PARAÍSO PERDIDO Depois saímos de lá direto para o Paraíso Perdido, um dos complexos de cachoeiras e trilhas mais conhecidos de Capitólio. Possui 18 piscinas naturais e 8 quedas de águas límpidas e cristalinas. Além disso conta com restaurante, banheiros e área de camping. Tudo em meio a natureza. O Paraíso Perdido foi uma das trilhas que mais gostamos de Capitólio. A verdade era que eu não sabia o que esperar daquele lugar, achava que seria um pouco “mais do mesmo” mas estava completamente errada. Custa R$50 por pessoa. Diferentemente dos outros lugares que visitamos, a trilha é feita completamente por pedras e água. Durante o caminho você encontra pequenas pegadas em vermelho que te indicam o melhor trajeto a ser seguido. Dica do instrutor: O ideal é que você procure pisar nas pedras brancas, e não nas escuras, que estão úmidas e podem escorregar. Quanto mais avançávamos, mais e mais belezas íamos encontrando. Cenários perfeitos para contato pleno com a natureza e pra tirar aquela foto maravilhosa. Não esqueça de visitar o outro lado da trilha! Dicas para cachoeiras: Leve somente o básico em uma mochila de costas. Água, algum lanche, roupa de banho por baixo, protetor solar. Nós fizemos todas as trilhas de chinelo ou descalço e com roupas bem leves. Cansados, porém não mortos, aproveitamos o último dia de Parque Aquático no hotel. QUARTO DIA (14/04 - domingo) No outro dia, pela manhã mesmo, partimos para São Thomé das Letras! Se quiser ler o post, clique aqui.
  3. Estou programando minha primeira viajem para São Thomé das Letras (sou louca para conhecer a cidade) e como iria sozinha bateu um pouco de bad rs. Procuro pessoas que queiram embarcar nessa comigo. Nas lendas de lá dizem que tem duendes, gnomos e fadas, bora ver umas fadas comigo rs ?. Sou da cidade do RJ e pretendo ir em Julho que é meu aniversario (vou me presentear hahaha). Se você não for do RJ sem problemas no encontramos lá, vamos? vamos? vamos? hahahaha
  4. A viagem para São Thomé das letras eu fiz com o grupo de trilha que faço parte aqui no Rio de Janeiro o grupo "Tô na trilha". Saímos do Rio de janeiro ás 21:30 da sexta feira dia 13/12/2019 em um micro-ônibus, chegamos em São Thomé das Letras no sábado ás 06:30 da manhã, após 9 horas de viagem duas paradas para esticar as pernas, ir ao banheiro e beliscar alguma coisa. Ao chegar em São Thomé das Letras estacionamos o micro-ônibus bem em frente a Pousa Mirante das Pedras local que nos hospedaria neste dois dias a pousada é bem aconchegante com uma decoração rustica, quartos amplos e banheiro privativo nos quartos além de serviço um ótimo café da manhã 👏👏. O grupo se acomodou nos quartos compartilhados e seções de fotos na praça que fica em frente a pousa, local que fica localizado a igreja de Pedra, café da manhã 😋 e rua, partiu explorar São Thomé das Letras. O grupo contratou um guia local que nos levou nos pontos turísticos da cidade, 1º para foi a gruta e cachoeiras do Sobradinho mais uma piscina de águas naturais maravilhosa a entrada no espaço custa R$30,00. Fomos almoçar no restaurante cachoeira buffet liberado no valor de R$25,00, achei lindinho o espaço das redes para descansar depois do almoço e o restaurante ainda presentou cada pessoa do grupo com um garrafa média de cachaça mineira. No Período da tarde fomos na cachoeira Véu da Noiva e ver o por do Sol na Pirâmide, a noite foi livre e eu fui em uma hamburgueria e experimentei o hambúrguer de cevada artesanal... não curti muito. No domingo, acordei cedo e uma parte do grupo foi tentar ver o nascer do sol mas a tentativa foi frustrada pois o céu estava cheio de nuvens então ficamos em uma seção de fotos até a Pedra da Bruxa, voltamos a pousada para tomar café e mais uma vez o guia local nos levou no ônibus para os atrativos começando com a Ladeira do Amendoim, Pedreira, Vale das Borboletas e fizemos uma trilha de 40 minutos para ter acesso a Cachoeira Garganta do Diabo. O almoço foi na Fazenda Boa vista, buffet liberado no valor de R$25,00 ainda tem um espaço de piscina maravilhoso. Ás 15h voltamos a pousada e arrumar as coisas para retorno ao Rio de Janeiro as 16h. Pode ver imagens e vídeos dessa viagem e de outras no meu canal do youtube Conhecer desfrutar e ser feliz.
  5. Os Cânions de Capitólio e dicas sobre essa linda cidade. Uma cidade bonita e bem organizada. O turismo para conhecer os cânions de Capitólio ganhou mais força nos últimos 3 anos e com isso mudou a vida de muita gente. Este é o tipo de história que mais se ouve por lá. O maior exemplo é o do Gilson, do Gilson Passeios Náuticos, que de caseiro hoje é empresário com 10 lanchas que fazem o passeio pelos Cânions de Capitólio. Tive a oportunidade de conhecê-lo nos dando carona até o passeio. Falei nos no plural porque estava com a Natália, Americana em sua primeira viagem para fora dos EUA. O Gilson contou um pouco como rala para ser “patrão”. No embalo das oportunidades do crescimento da cidade, conheci mais dois casais, nos dois coincidentemente os homens são ex publicitários. Um deles é o Eduardo do Salvatore, que me recebeu em uma tarde quando bati em sua porta sem marcar nem avisar, e mesmo assim ele foi bem receptivo me contando todas as mudanças de caminho que já teve em dois anos de estabelecimento na cidade. Parece que depois de muito esforço estão conseguindo mudar um pouco ou pelo menos ampliar um pouco a visão dos moradores daqui sobre culinária. Estive lá e experimentei bife ancho angus com risoto de tomate e estavam muito bons. Vale conhecer! Saiba mais no Blog O Mundo em Lanches.
  6. Somos um casal de Noivos de 22 anos, e estamos largando tudo aqui no Rio de Janeiro para fazer um mochilão pelo Brasil. Nosso primeiro destino é MG. Queremos ficar mais tempo acampados (de preferencia em lugares que não pague) Alguém tem algumas dicas de segurança, lugares.. etc? Queremos percorrer a maior parte do caminho de carona, alguém consegue me dizer em que trecho do Rj seria legal pra pegar carona para chegar ao meu destino? Estamos com pouca grana, vocês sabem se pelo brasil conseguiriamos alguns bicos em restaurantes , hostel ou até vender alguma coisa na rua para ajudar a custear nossa viagem? Podem nos ajudar a economizar? Que dicas vocês tem para não gastar muito (quase nada) Estamos cansados dessa monotonia. Estamos com medo, mas muito curiosos e ansiosos para começar já a nossa expedição! Nosso email pra contato e dicas > [email protected]
×
×
  • Criar Novo...