Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
olme

MOCHILÃO PELO PARAGUAI

Posts Recomendados

MOCHILÃO PELO PARAGUAI

 

Optei por um mochilão pelo Paraguai por ser ainda um país pouco explorado pelos brasileiros e pelas pesquisas que fiz sobre o país. Minha viagem durou 7 dias, a partir de 23/fev/11, iniciando e terminando por Ciudad del Este / Foz do Iguaçu.

 

Os poucos relatos que encontrei no Mochileiros.com ajudaram-me a formatar o roteiro e a fazer a viagem, motivo pelo qual, agora que viajei, decidi contribuir com meus relatos.

 

1º Dia - Aeroporto de Foz do Iguaçu – Ciudad del Este - Rodoviária de Asunción

 

- Ônibus TTU - Centro (R$ 2,40) - No aeroporto de Foz do Iguaçu é possível pegar um ônibus para ir ao centro da cidade (terminal urbano, de onde saem onibus para toda a cidade). Saindo da porta do aeroporto, caminhe à esquerda até uns bancos onde se pode esperar o demorado ônibus. O trajeto demora uns 40min.

 

- Ônibus Foz - Ciudad del Este (R$ 3,30) - Em frente ao TTU (terminal) há um ponto onde passa o ônibus para Ciudad del Este (CDE). O ônibus é da empresa paraguaia RYSA, passa pelo centro daquela cidade e vai até a rodoviária de CDE. O último sai as 18h30. Guarde o recibo se for descer na aduana paraguaia e quiser embarcar novamente sem pagar outra passagem.

 

- Migración - Após passar a Ponte da Amizade, na aduana paraguaia, se for ficar no Paraguai, você deve descer do ônibus para carimbar o passaporte ou para receber o documento de entrada no País (no caso de entrar com carteira de identidade). É um procedimento rápido, mas o ônibus não lhe espera. Não deixe de carimbar ao entrar e ao sair do Paraguai.

 

* Câmbio em CDE (1 real = 2615 guaranis em 23/02/11) - No centro de CDE, na rua Adrian Jara (paralela à rua principal, onde estão as principais lojas e o ônibus passa), há várias casas de câmbio. Optei pela Maxicambios, já que havia esta indicação aqui no Mochileiros.com, mas, depois de alguns dias no Paraguai, vi que poderia ter escolhido qualquer outra. A única recomendação quanto a isso é não fazer câmbio com pessoas na rua. Opte pela casa de câmbios mais vantajosa.

 

* Jantar em CDE - A noite, as ruas de CDE ficam vazias e após certa hora é difícil conseguir encontrar restaurante aberto. Fui encontrar um na rua Curupayti com Adrian Jara (Restaurante Yrupe). Milanesa e Salada Mista por Gs35000 ou R$13,38.

 

* Transporte em CDE (Gs2500 ou R$ 0,96) – A cidade de CDE é bem servida por ônibus. Eles são folclóricos, mas baratos. O cheio de óleo diesel domina o ar da cidade. Da rodoviária de CDE você consegue pegar ônibus para o centro e vice-versa.

 

* Pulp de Pomelo – Provei o Pulp de pomelo, refrigerante bem popular no Paraguai e gostei tanto que até trouxe duas garrafinhas. Recomendo que experimentem.

 

*** MERCADO DE CDE – Ao lado do terminal há uma espécie de mercado (feira de alimentos) no mínimo curiosa. Se a Vigilância Sanitária for até lá, não sobre uma banca aberta. Frango, carnes, peixes, tudo exposto a um agradável calor de pelo menos 28ºC. Fora as comidas já preparadas (chipa, queijo, chorizo) expostas, as pessoas se aglomerando sobre elas (o mercado estava cheio), os transeuntes passando, enfim, uma situação caótica, mas interessante de ser observada. Recomendo uma passada lá.

 

- Rodoviária de CDE – Pelo que percebi, no Paraguai não há concessões de linhas interestaduais, como no Brasil. Há livre concorrência, o que faz com que as empresas disputem os clientes e cobrem preços baixos. É um ponto a aprendermos com nossos vizinhos. No terminal de CDE há dezenas de empresas que fazem o trajeto Ciudad del Este – Asunción (ASU). Há também empresas que fazem o trajeto para Encarnación (onde estão as missões jesuíticas paraguaias reconhecidas pela UNESCO - passagem a Gs 45.000 ou R$ 17,20) ou para Buenos Aires (Gs 200.000 ou R$ 76,50). O terminal é bem simples, não há restaurantes, lojas ou coisas muito interessantes. Há banheiro com ducha para quem quiser (Gs 3000 ou R$ 1,15 pelo banho), mas não encontrei guarda-bagagem.

 

- Ônibus CDE - ASU – Há muitas saídas para Asunción, você pode comprar a passagem na hora (preços variando de 40 a 60 mil Guaranis), mas os horários não variam tanto de uma empresa para outra. Há ônibus indiretos (desviam por outras cidades) e diretos (o que não quer dizer que não parem muito nas cidades que estão no caminho). Mesmo parando bastante, os diretos fazem a viagem em 5 horas. Optei por pegar o da empresa N.A.S.A., semi-leito, por Gs 45.000 ou R$ 17,20, com saída a 0h.

 

 

2º Dia – Rodoviária e centro de Asunción

 

- Ônibus Rodoviária – Centro (Gs 2300 ou R$ 0,88) – Na praça em frente ao terminal rodoviário de Asunción é possível pegar ônibus para o centro. A linha 8 passa perto do Hostel Miami.

 

* Hospedagem (Gs 80.000 ou R$ 30,60 diária) – Seguindo as recomendações do Mochileiros.com, hospedei-me no Hostel Miami (Rua Mexico, 449, esquina com 25 de Mayo – Centro - [email protected] ou http://www.hostelmiami.multiplay.com). Apesar do nome, não é um albergue como estamos acostumados. É um hotel bem simples. Os quartos têm banheiro, ar condicionado e internet wi-fi. Café da manhã só tomei no primeiro dia, pois achei que não compensava. Era um pãozinho duro, fatiado em rodelas, com margarina e uma chícara de café com leite, preparado exclusivamente para mim. Apesar da simplicidade, o ponto é bom (perto da Calle Palma e da Plaza Uruguaya), o atendimento também e o hotel é econômico.

 

*** Calle Palma – A charmosa rua Palma, é um ponto para compras em Asunción. É a rua principal do centro, onde é possível fazer câmbio, compras, ir a um posto de informações turísticas ou comer bem. Em suas proximidades é possível visitar os principais pontos turísticos do centro histórico da cidade.

 

* Câmbio em ASU (1 real = 2640 guaranis em 24/02/11 e 2650 guaranis em 26/02/11) – As casas de câmbio podem ser encontradas predominantemente na rodoviária, shoppings ou na rua Palma. Fiz câmbio na Câmbios Chaco e na Norte Câmbios. Novamente vale a recomendação de evitar cambistas na rua.

 

* Compras – As compras em ASU podem ser feitas principalmente nos shoppings (que geralmente contam com lojas próprias de grandes marcas como Adidas, Nike, Puma) ou na Calle Palma. Lá e no Shopping Mariscal Lopez (rua Mariscal Lopes) há uma grande loja de departamentos chamada Nueva Americana (http://www.nuevaamericana.com.py) onde é possível encontrar coisas boas (roupas, por exemplo) a preços vantajosos, ainda que nem tudo valha a pena.

 

* Lido Bar – Apesar de ter sentido falta do arroz e do feijão, comer em ASU é possível comer bem e barato em ASU. No Lido Bar (rua Palma com rua Chile, em frente ao Panteão dos Heróis), por exemplo, é possível provar Sopa Paraguaya (bolo salgado de legumes que não tem nada a ver com sopa – Gs 8.000) ou um Caldo de Pescado (Sopa à base de peixe – Gs 25.000) que o pessoal de Asunción come no almoço ou jantar, sempre acompanhado de um pedaço de pão. Aliás, eles comem tudo com pão. O concorrido Lido Bar tem um extenso balcão e garçonetes vestidas como nos bares americanos dos anos 50. É uma espécie de Bar Estadão (de São Paulo). Os pratos são bons, bem servidos e com preço justo.

 

* Bolsi Bar e Restaurante – Já o Bolsi (Calle Estrella, 399 com Calle Alberdi) é um restaurante e confeitaria mais no estilo café e happy hour. Comi um Beirute lá por Gs 18.000.

 

* Informações Turísticas – Na Calle Palma, 468 está localizada a Secretaría Nacional de Turismo do Paraguai, a Senatur (tel: 595 21 494 110 ou [email protected] ou http://www.senatur.gov.py), onde é possível pegar um mapa do Paraguai e de Asunción. Este mapa não ajuda muito, pois apesar de ser bem completo no que se refere às ruas, os pontos turísticos não estão marcados nele. É possível também tentar extrair algumas informações dos atendentes.

 

 

3º Dia – Luque, Areguá e Paseo Las Carmelitas

 

- Ônibus em ASU (Gs 2500 ou R$ 0,95) – Asunción é uma cidade bem servida de ônibus. Para quem se hospeda no centro histórico é fácil pegar ônibus na rua Oliva / Cerro Corá (ela muda de nome) para ir ao terminal rodoviário, ao Mercado 4, a Areguá, ao Paseo Las Carmelitas. Os ônibus são uma atração à parte: caindo aos pedaços. Geralmente são aqueles ônibus folclóricos bem antigos (uns caminhões adaptados) ou aqueles não tão recentes da Marcopolo, que ainda podem ser encontrados em algumas capitais brasileiras. Tudo se vende neles: banana, coca-cola em garrafa aberta na hora, sabão em pó, óleo, loteria. De tempos em tempos entra um ambulante vendendo algo, dentro do ônibus já cheio de gente. Aliás, os ônibus urbanos só andam lotados e as pessoas levam de tudo dentro deles: sacos de mandioca, compras, canos, vi muita coisa.

 

 

*** Sede da Conmembol – Museu do Futebol – Tentei por duas vezes ir ao museu do futebol em Luque. Na sexta estava fechado e o vigia me disse para voltar no sábado a qualquer hora. Voltei às 13h30 de sábado, mas para a minha surpresa, o museu estava fechado. Ao questionar o vigia de plantão, ele me disse que o museu ficou aberto de 9h às 11h. Com um horário destes, acho que não estão nem um pouco interessados em visitantes. Acabei não indo ao museu e, como é isolado de tudo, recomendo que vá somente se tiver certeza de que estará aberto. Ônibus para lá pode ser o da linha 30.

 

*** Areguá - Recomendo muito uma visita à cidade de Areguá, que fica ao lado de Luque, a uns 30km de Asunción. Um ônibus urbano faz o trajeto e é simples de chegar. A cidade é muito organizada e tranquila, tem casas coloniais tombadas pelo patrimônio histórico paraguaio, uma igreja bonita, uma praça agradável, além de ser um polo ceramista. Comprei cerâmica muito barata lá: uma estátua por Gs 15 mil, uma máscara por Gs 10 mil, mas assim como tem objetos decorativos bonitos, grande parte é colorida e de gosto duvidoso.

 

*** Paseo Las Carmelitas – No caminho para Areguá e Luque, próximo ao Shopping del Sol, há um centro gastronômico: o Paseo Las Carmelitas. O lugar tem vários bares e restaurantes. Fui a um pub ao estilo irlandês, o Kilkenny (http://www.kilkenny.com.py), que tem uma banda boa tocando rock/pop às sextas-feiras, mas que fica bastante cheio por causa disso também. É possível fazer reserva para garantir. Cheguei as 22h30 e as mesas já estavam todas reservadas, embora a banda só estava marcada para tocar as 0h. O bar não cobra entrada, apenas consumo e os preços não são nada abusivos, principalmente se comparados aos dos pubs brasileiros. A maior parte dos frequentadores tinha acima de 25 anos. Depois que a banda toca, as mesas são afastadas e rolam músicas de boate. Para ir até lá pode-se pegar (até as 22h) o ônibus da linha 30 (escrito X – España). Para voltar ao Hotel Miami às 3h30 o taxi me cobrou Gs 38.000.

 

 

4º Dia – Passeio e compras por Asunción – Ônibus para Encarnación

 

- Meu último dia em Asunción foi marcado pelo “Superclásico” Cerro Porteño x Olímpia, times de maior torcida no Paraguai. Além deles, Libertad e Guarany dividem a preferência dos torcedores da capital. Era sábado e a cidade simplesmente parou para ver o clássico. Os ingressos se esgotaram rapidamente, tirando-me a esperança de ir ao Defensores del Chaco. As praças de alimentação nos shoppings ficaram cheias. Tudo parou.

 

* Mercado 4 – Caos: esta é a palavra que resume o que é o Mercado 4. Se o mercado de Ciudad del Este já havia me deixado assustado, ele é só uma mostra do caótico Mercado 4 de Asunción. Chamar de mercado é até bondade. São algumas ruas cheias de camelôs vendendo todo tipo de coisa, além de alimentos nas condições já descritas anteriormente. Dentre este furdunço todo está o mercado que não se assemelha tanto com o que temos por aqui. Não consegui ficar muito tempo por lá, estava muito cheio e a situação caótica é um convite para ir embora logo. Para ir até lá basta pegar um ônibus que tenha escrito na janela Mercado 4. Quando várias pessoas descerem do ônibus, pode saber que chegou. Para os que conhecem Belo Horizonte, o lugar me lembrou as ruas dos Caetés e Paraná na capital mineira.

 

- Ônibus para Encarnación (Gs 65.000 ou R$ 24,85) - Comprei passagem para Encarnación com antecedência. A oferta é bem menor que para Ciudad del Este. O ônibus semi-leito a empresa La Encarnacena (http://www.laencarnacena.com.py) saiu as 0h30 e não parou tanto como o de CDE para ASU. As 6h já estava em Encarnación.

 

- Rodoviária de ASU – A rodoviária de Asunción dispõe de várias lojinhas vendendo quinquilharias, quiosques de câmbio, além de uma estrutura razoável. Tem algumas lanchonetes, guarda-bagagens e banheiro com ducha para tomar banho. È certo que o banheiro não dispunha de luz, mas deu pra tomar banho. Para ir até lá basta pegar um ônibus (que circula somente até as 22h).

 

 

5º Dia – Encarnación: capital paraguaia do Carnaval

 

- Rodoviária de Encarnación – o terminal rodoviário de Encarnación é extremamente pequeno. Ao seu redor há alguns hotéis, além de restaurantes duvidosos. Tomei café e almocei no menos pior que encontrei, que fica ao lado do Hotel Germano. Não há guarda-bagagem e os banheiros ficam fora da rodoviária.

 

- Encarnación é uma cidade relativamente grande e organizada (tive a impressão de ser a maior organizada das três que visitei). Ela possui relativa tradição no carnaval (pelo menos pelos parâmetros paraguaios), mas nunca imaginei que a festa lá ocorreria uma semana antes do previsto. Há desfiles de escolas de samba a noite e a cidade se agita muito. Durante o dia, os jovens vão para as ruas, munidos de balões d’água, para molhar os transeuntes e os distraídos que trafegam em veículos com janelas abertas ou em motos.

 

* Hospedagem (Gs 80.000 ou R$ 30,60 diária) – Um grande problema que enfrentei em Encarnación foi hospedagem. Primeiramente, por ter chegado na cidade num domingo às 6h, mas principalmente por ter chegado no final de semana em que ocorria o carnaval. Isso me gerou um sério problema. Na verdade, cometi um erro de mochileiro inexperiente ao não me preparar para ir a Encarnación. Resolvi ir para lá já em Asunción, sem pesquisar muita coisa. No Mochileiros.com vi a indicação do Hotel Germano, que fica ao lado da rodoviária e me pareceu ser realmente muito bom. Fui até ele, mas estava lotado. A partir daí comecei minha peregrinação por hotéis. Comecei pelo Hotel Itapúa, que fica próximo, mas tive surpresas desagradáveis por lá, motivo pelo qual desaconselho que se hospedem nele. O quarto disponível tinha mofo na parede, o que me causou uma alergia brava. Fiquei todo empolado e pedi ao recepcionista para trocar de quarto. Como não havia outro quarto sem mofo, pedi a ele para deixar o hotel. Nesta confusão, esqueci uma bolsinha (doleira) com cerca de R$ 300,00 na habitação. ::putz:: Algumas horas depois, quando me dei conta e voltei pra buscar, não havia mais nada. Ninguém sabe, ninguém viu. No Hotel Itapúa nem se importaram muito com o meu problema. Fui a vários outros hotéis que estavam cheios, até conseguir o Hotel Real (Avenida General Caballero), que embora não fosse grande coisa, foi uma ótima alternativa naquela circunstância.

 

- Com o furto, restou-me cerca de Gs 120 mil. Pelo menos, já havia pagado a primeira noite no Hotel Real, mas ainda tinha de comprar a passagem de volta para CDE e conhecer as ruínas. Com pouco dinheiro, já que não há Banco do Brasil em Encarnación (há banco Itaú lá e em todo o Paraguai) e poucos aceitam cartão de crédito (nem as empresas de ônibus ou o hotel aceitava), minha única alternativa foi economizar e antecipar em 0,5 dia a estadia em Encarnación e voltar para Foz para buscar dinheiro.

 

* Pizzeria Cuarajhy – Um dos locais em que consegui pagar com cartão de crédito (atente-se para o fato de que há uma taxa no Brasil de 2,38% de IOF em cada compra que fazemos com cartão de crédito no exterior) foi a Pizzeria Cuarajhy. Almoço + Suco: Gs 35 mil.

 

* Sorveterias – Encarnación dispõe de muitas sorveterias. Vale a pena aproveitar!

 

- Ônibus para Posadas (Gs 5.000) - Ao lado de Encarnación é possível chegar à cidade argentina de Posadas. O ônibus que vai até lá passa ao lado do terminal de Encarnación. Diante da dificuldade encontrada, pensei em me hospedar em Posadas, mas como não vi grandes atrativos na cidade, nem quis descer do ônibus. Se for até lá, pare na aduana paraguaia para dar saída no Paraguai antes de dar entrada na Argentina, pois senão podem lhe mandar voltar. Se o ônibus não lhe esperar fazer os trâmites aduaneiros, basta pegar o próximo e entrar pela porta de trás com o recibo em mãos.

 

6º Dia – Missões Jesuíticas Guaranis e Retorno a CDE

 

- Acordei determinado a conhecer o que havia me levado à Encarnación: as ruínas das missões jesuíticas guaranis, as mais importantes e conservadas. Até por isso, as reduções de Trinidad del Paraná (1706) e Jesús de Tavarangüé (1685) são Patrimônio Mundial da Humanidade, de acordo com a UNESCO.

 

*** Trinidad – Localizado a 31km de Encarnación, pode se chegar ao povoado de Trinidad por um ônibus que sai a todo momento da Rodoviária e cobra Gs 5.000. Você deve descer na rodovia e caminhar umas quatro quadras para chegar até as ruínas de Trinidad del Paraná. Lá, você compra um passaporte (Gs 25.000) que dá direito a visitar três ruínas: Trinidad, Jesús e San Cosme e San Damian (1632). Guias podem ser contratados à parte. Não havia quase ninguém quando fui lá. Fica aberto de segunda a domingo de 7 às 19h. Descobri que a noite ocorre um espetáculo de luz e som de quinta a domingo (às 20h no verão e 19h no inverno). A visita é feita em cerca de 40 min.

 

*** Jesús – A 42 km de Encarnación, chegar ao povoado de Jesús é uma tarefa um pouquinho mais difícil. Após ir a Trinidad, você deve voltar para a rodovia e caminhar mais um pouco para a direita até um posto de gasolina (central de servicios). Lá, em um cruzamento, passa o ônibus que vai para Jesús (Gs 5.000) e te deixa na porta das ruínas. Estes ônibus não são tão frequentes e tive de ter um pouco de paciência. A visita é feita em cerca de 25 min, mas tive de esperar o horário do ônibus voltar.

 

- Ônibus para Ciudad del Este (Gs 40.000 ou R$ 15,30) – O último ônibus diurno de Encarnación para CDE sai as 15h30 pela empresa El Tigre. Como já estava tarde para pegar outro e não podia esperar a noite, tive de comprar a passagem, mas não recomendo. Não vale a pena economizar nisso. O ônibus era velho, muito ruim, tinha gente em pé, um calor horroroso, parava toda hora. Além de tudo, uma mulher fez o favor de vomitar ao meu lado. 6 longas horas depois cheguei a CDE.

 

* Hospedagem em CDE (Gs 135 mil Guaranis ou R$51,00 por dia) – Como cheguei à noite, liguei para um hotel em Foz, mas acabei optando por me hospedar em Ciudad del Este. A proximidade com Foz inflaciona o mercado, mas mesmo assim achei bom o preço. Fiquei hospedado no Hotel Mi Abuela (Av. Adrian Jara com Pioneros del Este) bem no centro de Ciudad del Este. O hotel é bom, bem superior a todos que encontrei no Paraguai (Ar condicionado, Tv a cabo, quartos grandes, cama box, café da manhã razoável). A noite, como todo centro, fica mais vazio, mas tem alguns lugares pertos que ficam abertos. Também tem restaurante no hotel. Para quem quer aproveitar a cidade para comprar vale a pena se hospedar em CDE, pois você ganha tempo e conforto, na medida em que pode ir comprando, refletindo e arrumando as malas.

 

7º Dia – CDE e Retorno a Foz

 

*** Salto del Rio Monday – Talvez em razão da proximidade com as Cataratas do Iguaçu o Salto do Monday não seja tão famoso, mas não deixa de ser impressionante e valer a visita. Ele fica na cidade de Presidente Franco, a 13 km da Ponte da Amizade. É até possível ir de ônibus, mas ele não passa na porta e é meio difícil de chegar. Um moto-táxi que peguei na Adrian Jara, no centro de CDE, me cobrou Gs 40 mil ou R$15,30 por ida e volta. Lá, você paga mais Gs 5 mil para entrar no parque. O parque não tem outros atrativos a não ser o salto. O volume d’água impressiona, mas o mirante não é numa posição tão estratégica. De todo modo, vale muito a pena uma visita.

 

* Compras em Ciudad del Este – sei que muita gente já comentou aqui sobre compras em CDE, mas vale dizer algumas coisas mais, pois comprar em CDE não é uma tarefa tão simples.

 

== Comprar em dólar ou em real - Faça câmbio de real para dólar, pois apesar de as lojas aceitarem reais, o câmbio delas não é vantajoso. Vá a uma casa de câmbios e troque lá mesmo de real para dólar (1 U$D = R$ 1,725 em 01/03/11).

 

== Onde comprar – Apesar de ter melhorado muito nos últimos anos, a probabilidade de ser enganado em CDE é grande. Os preços são realmente atrativos e a quantidade de “bobos” é proporcional à quantidade de espertalhões. Evite comprar em lojas pequenas, com preços abaixo do mercado local, que não testem os produtos ou em camelôs. A probabilidade de comprar gato por lebre é bem maior. Posso indicar algumas lojas nas quais comprei, mas não há nenhuma novidade: Casa Americana, Casa China, Máster 10 Informática.

 

== Não se assuste se falsos vendedores de pen drive te abordarem na rua e te oferecerem farinha, pó, haxixe, maconha, lança perfume ou armas.

 

== Aduana brasileira – o procedimento na aduana brasileira é relativamente simples. Você deve descer do ônibus, preencher a Declaração de Bagagem Acompanhada (DBA), enfrentar uma fila que anda rápido e passar no guichê para que vejam o que está trazendo. Não há muita inspeção, ela é feita por amostragem. Se não fizer isso, ninguém vai lhe mandar para cadeia, mas no aeroporto ou nas barreiras da Polícia Rodoviária Federal pode ser exigida a apresentação do DBA. Se não tiver, pode a mercadoria apreendida, ainda que não ultrapasse a cota de U$D 300,00.

 

== Aeroporto de Foz – a inspeção no aeroporto de Foz é feita antes de você fazer o check-in. Todas as suas malas passam por um Raio-X. Em caso de suspeita, o plantonista exigirá explicações.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns pelo relato. Fiz uma viagem bem parecida com a sua, a diferença é que de Encarnación fui para Posadas, de onde pode-se conhecer às ruínas jesuítas do lado Argentino e de lá fui para Puerto Iguazu, na triplice fronteira Foz do Iguaçu, Ciudad del Este e Puerto Iguazu e curti às Cataratas dos dois lados, além de fazer compras no Paraguai. A princípio iria de Encarnación para CDE também, mas quando fui para Trinidad e vi os ônibus que iam para CDE desisti, já que são todos, ou quase todos caindo aos pedaços. A viagem de 40 min até Trinidad foi um sofrimento, imagino a sua de 6h. De Posadas os ônibus são todos muito novos, aqueles de dois andares, com TV e tudo mais. Em compensação é um pouco mais caro, coisa de 10 reais a mais. Em Puerto Iguazu há muitas opções de hosdagens baratas e a cidade tem seu charme.

Bom encontrar outro "doido" que resolveu conhecer o Paraguai, pois é isso que todos me dizem quando digo que fui para lá nas minhas férias, rs!

Abraço!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olme,

 

Realmente o Paraguay é um país muito bonito e com locais interessantes para visitar. E parece que esta sendo descoberto pelos mochileiros.

 

Pretendo volta lá brevemente.

 

Maria Emília

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Ótimo relato, parabens pela trip!

Vou fazer a mesma viagem mas em sentido contrário, esse relato aqui me enriquece de informações, obrigado

Se alguem souber os tempos de viagem CDE -> Encarnacion e Encarnacion -> Asuncion ficarei agradecido, pretendo fazer esta ultima a noite.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Ótimo relato, parabens pela trip!

Vou fazer a mesma viagem mas em sentido contrário, esse relato aqui me enriquece de informações, obrigado

Se alguem souber os tempos de viagem CDE -> Encarnacion e Encarnacion -> Asuncion ficarei agradecido, pretendo fazer esta ultima a noite.

 

Leo,

 

Acabei de voltar o PY e fiz esse trecho Assunção-Encarnacion à noite tb, só que no sentido contrário ao seu. Saí de Assunção por volta da meia noite e cheguei quase 6 da manhã em Encarnacion (se prepare, pois em Encarnacion faz muito frio).

A viagem dura cerca de 5 horas a 5 horas e meia. Se vc reparar, Assunção-Encarnacion-Ciudad del Este formam meio que um triangulo, o tempo de viagem entre as 3 são muito próximos. Por isso, apesar de não ter feito CDE-Encarnacion, imagino (e pelos relatos que já li) que o tempo de viagem seja semelhante.

Procure as empresas NSA, Encarnacena e Rysa, são as melhores. Aí vc escolhe seu horário.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Gostaria de parabenizar pela trip ! lugares lindos !

Agora :

Em CDL é realmente mais vantajoso comprar em dollar que real ? se existe alguma vantagem nao consegui perceber qual é ... se ppuder explicar por gentileza ficaria muito grato ! Mais uma vez parabens !

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Pessoal,

 

Pretendo ir ao Paraguai e conhecer a Região Ocidental do pais, que é a Gran Chaco, porém está muito difícil de obter informações, alguém pode me ajudar, com pontos de interesse e sugestões de hotéis? Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora



×