Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Luiz Ricardo Prais

Escandinávia (Dinamarca, Finlândia, Suécia e Noruega): à procura da aurora boreal. FOTOS, DICAS E PREÇOS

Posts Recomendados

Fala, mochileiros! Fiz uma viagem pela Escandinávia no final de 2013, e agora, espantando a preguiça, gostaria de deixar aqui o meu relato com algumas dicas e fotos daquela terra tão incrível!

 

----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

 

Escandinávia: terra que desperta um sentimento místico e aventureiro. Terra dos antigos Vikings, pagãos, e claro, gelo e frio!

 

Esta viagem ocorreu no final do ano de 2013, quando eu encerrava meu primeiro semestre vivendo em Portugal. No hemisfério norte, os meses de Dezembro e Janeiro são marcados por muito frio e escuridão. Escuridão? Requisito básico para se ver a magnífica aurora boreal!

 

O percurso

 

Antes de chegar ao Ártico, passei por 4 países escandinavos, pois além da Aurora Boreal em si, há muita beleza nestes lugares. A trip inteira durou por volta de 15 dias.

 

Rota.png

 

Iniciei saindo de Copenhagen, na Dinamarca. Em seguida peguei um voo para Helsinki, na Finlândia, e de lá um navio para Stockholm, na Suécia. Em seguida peguei um trem para Oslo, Noruega, e finalmente um voo para Tromso, no ártico norueguês.

 

Para chegar em Copenhagen eu utilizei a companhia low cost Easy Jet. Os bilhetes de ida e volta, contando a mochila despachada e flexibilidade total para poder alterar as datas, saíram por volta de EUR 160,00

Obs: infelizmente esta rota já não existe mais na Easy Jet, mas é possível chegar em Copenhagen com outras companhias, mas será mais caro, pois geralmente não são low cost.

 

O voo de Copenhagen para Helsinki foi operado pela Finnair e custou em torno de EUR 50,00

O navio que faz a travessia Helsinki - Stockholm é operado pela companhia Tallink Silja Line por um custo de aproximadamente EUR 30,00. A travessia dura uma noite.

 

De Stockolm a Oslo utilizei um trem operado pela companhia SJ por cerca de EUR 25,00 (tarifa para jovem menor de 25 anos)

 

O voo de Oslo para Tromso foi efetuado pela Norwegian, e na volta, de Tromso para Copenhagen, pela Scandinavian Airlines. Os custos dos bilhetes combinados sairam por cerca de EUR 150,00

 

A maioria das companhias oferece um desconto para viajantes com menos de 25 anos. Porém, é bom ficar atento à alguns horários, pois aparecem algumas promoções muito boas em alguns dias específicos para todos os públicos.

 

Acomodação

 

Como bom mochileiro, e também de grana curta, uma boa hipótese (e mais divertida) é ficar em um hostel!

Segue uma lista dos hostels que fiquei durante esta trip:

 

 

Copenhagen: Copenhagen Backpackers Hostel - DKK 162,00 por noite (Aproximadamente R$ 88,00)

 

Helsinki: CheapSleep Hostel Helsinki - EUR 17,00 por noite (Aproximadamente R$ 60,00)

 

Stockholm: InterHostel - SEK 149,00 por noite (Aproximadamente R$ 64,00)

 

Oslo: Anker Hostel - NOK 230,00 por noite (Aproximadamente R$ 100,00)

 

Tromso: nesta cidade fui hospedado por 2 simpáticas amigas. Porém, com uma rápida pesquisa, os preços de hostel em Tromso parecem rondar por volta de EUR 50,00 por noite. Definitivamente uma cidade cara.

 

Detalhes sobre os hostels, como localização e infraestrutura, vou escrever durante o relato.

 

Preparo

 

Além da bagagem normal de qualquer mochileiro (roupas para o dia-a-dia, produtos de higiene pessoal, etc), para esta viagem é preciso estar preparado para enfrentar o frio.

 

Como já enfatizei, o clima de Tromso é mais ameno se comparado a outros lugares, porém ainda assim é preciso se preparar, pois "menos frio" não significa que não seja frio!

 

Gastos

 

É preciso ter em conta que a Escandinávia é um lugar com alto custo de vida, o que significa que as coisas não são baratas.

Em meu planejamento, coloquei uma média de EUR 35,00 por dia (excluindo acomodação). Para a alimentação eu comprava coisas no supermercado e cozinhava no hostel, utilizava apenas transportes públicos (quando necessário), tomava umas cervejas baratas, etc.

 

É óbvio que este é apenas um valor médio e sugestivo. Seus gastos podem ser menores ou maiores, dependendo do que quiser fazer. Conheci gente que gastou menos que isso, e gente que gastou muito mais.

 

Se você tem a intenção de visitar museus, catedrais, ou fazer passeios turísticos, aumente o seu orçamento diário.

 

Depois que estimar o gasto total da viagem, adicione um valor extra (cerca de 10% do total) para ficar guardado para alguma emergência. Acredite, vale a pena.

 

#Partiu

 

Com tudo no jeito, mochila arrumada e sorriso no rosto, peguei meu voo de Lisboa para Copenhagen.

 

20131221_071334.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 1: Copenhagen - Dinamarca (A chegada!)

 

Sábado, 21 de Dezembro de 2013

 

Depois de cerca de umas 4 horas de voo, desde Lisboa, cheguei em Copenhagen. Estava cansado, pois precisei dormir no aeroporto, e obviamente foi uma péssima noite.

O voo atrasou 1 hora e o pessoal precisou fazer uma manutenção no avião pouca antes de decolar. Nem deu medo! hahaha

 

No dia anterior, sexta-feira, que foi o dia em que fui para Lisboa para dormir no aeroporto, também fiz uma prova. Como consequência, tive que ir de mochila, toda equipada, para a sala de aula. Sem dúvidas, professores e alunos ficaram muito confusos com tudo isso! Mas felizmente deu certo (por pouco). Passei na prova e pisei na terra dos vikings! \m/

 

Mas vamos ao que interessa. Eu já previa que iria estar frio, sem dúvidas. Prova disso eu tive olhando pela janela do avião, que estava praticamente congelada por fora.

 

DSC00271.jpg

 

Mas por incrível que pareça, não havia neve em Copenhagen. Foi um inverno estranho, pois já era para estar bem coberto de gelo. Tão estranho que até os escandinavos estavam se perguntando o que havia de errado com aquele inverno.

 

Do aeroporto de Copenhagen para a estação de trem, que fica no centro da cidade, há um trem direto, e custa aproximadamente uns 5 EUR. (O valor está em euro, mas a moeda local é a Coroa Dinamarquesa, DKK). Na altura, 1 EUR = 7,20 DKK

 

Por falar em estação, foi ali que comecei a ficar apaixonado por este país

 

20131223_140235.jpg

 

E o melhor de tudo dessa estação é: fica praticamente em frente ao hostel onde fiquei, o Copenhagen Backpackers! Sim, eu só precisei cruzar a rua e estava no hostel! Por essa e outras razões eu recomendo muito este hostel. O único problema é que não tem cozinha, então ou você come fora em um restaurante (que na Dinamarca não é nada barato) ou faz como eu: sandubas! haha

 

20131221_165927.jpg

 

Ah, e ainda sobre o hostel: foi preciso pagar (cerca de 15 EUR) pelos lençóis e roupas de cama em geral. Infelizmente não estava incluso na reserva. É por isso que é SEMPRE preciso ter uma grana a mais guardada.

 

20131224_100017.jpg

 

20131224_100354.jpg

 

Enfim, foi um dia legal, pois foi o dia da chegada na Dinamarca. O problema é que o Sol já estava se pondo, e isso era por volta das 16h00. Então, apenas dei uma voltinha a noite pela cidade. A saída para explorar de verdade seria no dia seguinte!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Dia 2: Copenhagen - Dinamarca (Dia de explorar!)

 

Domingo, 22 de Dezembro de 2013

 

Amanheceu um belo domingo na capital dinamarquesa. Era o primeiro dia para explorar de fato a cidade.

 

No hostel eu consegui um mapa (agora colado em meu diário de viagens) com a sugestão de uma rota a explorar.

Como o hostel era localizado bem no centro, fiz todos os trechos à pé. Na verdade, esta é a melhor forma de se conhecer uma cidade.

 

O que me encantou em Copenhagen foi a arquitetura. Em uma parte da cidade, muitos prédios no estilo "tijolinho", e em outras partes, antigas casas coloridas no antigo porto de Nyhavn.

 

DSC00323.jpg

 

DSC00324.jpg

 

DSC00337.jpg

 

DSC00338.jpg

 

DSC00340.jpg

 

DSC00341.jpg

 

Estes são alguns belos exemplos desta magnífica arquitetura.

 

Andando um pouco mais cheguei num dos ícones da cidade, Nyhavn.

 

DSC00359.jpg

 

DSC00365.jpg

 

DSC00368.jpg

 

DSC00370.jpg

 

DSC00376.jpg

 

DSC00377.jpg

 

No passado, Nyhavn foi um importante porto viking na cidade.

 

Depois, para fechar a tarde, uma visita ao Palácio de Amalienborg, residência oficial da família real dinamarquesa.

 

DSC00399.jpg

 

DSC00400.jpg

 

DSC00405.jpg

 

DSC00406.jpg

 

DSC00410.jpg

 

DSC00411.jpg

 

Depois de voltar para o hostel (muito cansado e com frio) fiz amizade com uns amigos. Jeremy, Kaiwaan e Ai Wern, do Canadá, Tailândia e Austrália, respectivamente.

Tivemos boas conversas sobre a vida e viagens, e para encerrar a noite fomos para um pub tomar uma cerveja! :)

 

20131222_234104.jpg

 

Desta forma o domingo estava muito bem aproveitado. Deu para ver boa parte da cidade e de quebra fazer amizades do tipo que só se faz em hostel.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Acompanhando!

 

Volte a fazer o relato que será muito útil, faltam informações sobre deslocamentos e td mais sobre esses países ::otemo::

 

Valeu, abraço

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá pessoal, o relato deu uma atrasadinha porque eu estava em época de provas aqui na faculdade, mas agora que as férias vieram acho que vou ter tempo de terminar! ::otemo::

 

Logo mais vou continuar. Fico feliz que está sendo útil! Aliás, LuizGatti, no primeiro post ali em cima eu coloquei umas informações sobre os percursos, acomodação nos países, transporte, etc. Foram lembradas de cabeça, mas se precisar de alguma informação específica, é só dizer. Vou procurar algum registro e complemento aqui! :D

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Segunda-feira, 23 de Dezembro de 2013

 

Mais um dia normal de caminhadas pela cidade. Desta vez fui acompanhado do amigo Jeremy, canadense que conheci no hostel e que estava junto na bebedeira da noite anterior.

 

DSC00426.jpg

 

Neste dia eu já estava praticamente ok em relação ao que eu precisava ver na cidade, que era principalmente o porto de Nyhavn, o centro da cidade, etc.

 

Estava um pouco preocupado com o clima, pois estava tudo muito nublado, meio chuvoso, e claro, frio! Isso implicava que eu corria o risco de não ver a aurora boreal, que era o objetivo principal da trip.

 

Ainda assim, é importante não se deixar levar pelo sentimento de "talvez" não ver a aurora, pois isso pode atrapalhar a maneira como você pode aproveitar o "agora". Se for para ficar triste por não ver a aurora, que seja depois, caso de fato NÃO VEJA. Antes da certeza, é preciso continuar curtindo a trip! :)

 

Sem muita coisa neste dia, era hora de voltar para o hostel e dormir, pois no dia seguinte sairia o voo para Helsinki, na Finlândia!

 

DSC00428.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Terça-feira, 24 de Dezembro de 2013

Olha bem a data! Sério, aqui vai um conselho: EVITE SE DESLOCAR NA VÉSPERA DE GRANDES FERIADOS! (Natal e Ano Novo, por exemplo)

 

O motivo? Os transportes param, os mercados e lugares fecham mais cedo (ou nem abrem), as pessoas param, tudo para. Até nós deveríamos parar! hahaha

 

O dia começou bem, sem nenhum problema.

 

Cheguei ao aeroporto de Copenhagen a partir de um trem que sai da estação central. Na época custava 5 €. Vai direto e rápido.

 

O legal desse dia foi que o meu voo de Copenhagen para Helsinki foi o Flight HEL AY666. Eu estava indo para Finlândia no voo 666.

IMG-20131224-WA0002.jpg

 

HEL666.jpg

Já devem imaginar como minha mãe ficou ao ver isso

 

Depois de "sobreviver" a isso, cheguei nas terras do Papai Noel (dizem que ele mora em Rovaniemi, no norte do país). Brincadeiras à parte, recomendo muito a companhia Finnair. O serviço de bordo é muito bom e a empresa é bem pontual. Além do mais, o preço foi bom: 50 € pelo trecho!

 

O problema foi quando cheguei lá. Há um bus que sai do aeroporto e é possível comprar o ticket numa máquina de vendas automática, fora do aeroporto, bem em frente a parada de ônibus. Eu comprei o ticket enquanto o último ônibus já havia saído. 4,50 € perdidos!

 

Obs: se prepare! Na Finlândia os preços são mais altos que na Dinamarca.

 

Por fim, peguei um bus da Finnair que levou todo mundo para a estação de trem de Helsinki. Lá peguei um taxi para o hostel, e me custou 25 €! Aliás, uma corrida de taxi em Helsinki já começa em 9,00 € e vai aumentando bem rápido conforme o carro anda.

 

Fiquei hospedado no hostel CheapSleep (17,00 €/ noite). Recomendo.

 

Por fim, como o mercado estava fechado, não pude comprar nada para cozinhar, e já estava escuro, pois no inverno já não há mais Sol a partir das 15h.

 

A solução? Uma pizza e uma cerveja para um mochileiro solitário numa véspera de Natal fria, escura e chuvosa! (Desse jeito parece dramático, mas estava ótimo!)

 

IMG-20131224-WA0007.jpg

 

Karhu.jpg

 

 

A pizza e a cerveja ficaram em torno de uns 15 €. O cara cobrou mais caro da cerveja por causa do horário (?)

 

Ah, outra coisa. Tinha uma mulher de idade muito, mas MUITO bêbada falando sozinha! Que Natal! Um lugarzinho aleatório na Finlândia, cerveja e bêbados nórdicos!

 

Como já era tarde, voltei para o hostel para descansar. Na manhã seguinte farei o check-out e sairei com a mochila para explorar a cidade e embarcar em um navio às 17h.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Quarta-feira, 25 de Dezembro de 2013

Como eu apenas fiquei 1 noite em Helsinki, já de manhã era hora de fazer check-out, explorar um pouco da cidade e pegar o navio para a Suécia as 17h.

 

Pouco antes de sair do hostel conheci um outro brasileiro, chamado Daniel, e exploramos a capital juntos. O problema é que eu nunca mais tive contato com ele. Encontrei hoje (16/02/2016) o endereço de email anotado no meu diário de viagens. Se você conhece este homem, mostre este relato para ele! :)

 

DSC00499.jpg

Amizades mochileiras

 

Pois bem, saindo do hostel pegamos uma espécie de bondinho (tram?) que há em Helsinki.

 

Descemos em frente à catedral de Helsinki (a da foto acima), e de lá apenas exploramos um pouco ao redor. Não durou muito: nos despedimos logo, e parti sozinho para ver algumas outras ruas, tentar encontrar um mercado (comprar comida para comer no navio) e ir para o porto.

 

DSC00457.jpg

 

DSC00460.jpg

 

DSC00465.jpg

 

DSC00471.jpg

 

DSC00475.jpg

 

DSC00476.jpg

 

DSC00477.jpg

 

DSC00480.jpg

 

DSC00486.jpg

 

DSC00488.jpg

 

DSC00494.jpg

Love is in the air, i mean, in the bridge

 

DSC00501.jpg

 

DSC00512.jpg

 

DSC00519.jpg

 

Com muita fome, e procurando um lugar bem barato para comer, acabei entrando em um bar aleatório. Notei uma bandeira diferente, uma galera diferente, e claro, comida diferente.

Pedi uma espécie de salgado que tinha lá. Era tipo de carne com arroz (estranho!).

Só depois que me dei conta que era um bar de imigrantes iraquianos! haha

 

Foi super legal depois. O dono do bar deu uma olhada em mim e perguntou de onde eu era.

Falei que era do Brasil, trocamos bastante ideia, ele disse que gostaria de conhecer nosso país, etc, mas o que mais me marcou foi a seguinte frase que ele disse: "Nós precisamos de paz".

Realmente é triste ver como alguns povos sofrem com os conflitos atuais.

 

Passado isso, procurei muito um supermercado, mas como era Natal, não encontrei. Não estava disposto a gastar muito dinheiro para comer no navio, então minha melhor opção foi comprar 9 cheeseburgers do McDonald's e 1 donut. Tudo por 10 €.

 

DSC00527.jpg

Refeição de mochileiro: 9 cheeseburgers, batatas e 1 donut

 

Por fim, e com esse monte de (tranqueiras) comidas compradas, segui para o porto.

Lá fiz o check-in e segui para a minha cabine. Aliás, seria a minha primeira vez em um navio!

 

DSC00520.jpg

 

DSC00522.jpg

 

Devem estar pensando: "Nossa, que patrão. Fazendo cruzeiro na Finlândia...."

Cara, QUE NADA! hahaha

 

Minha cabine era compartilhada (4 camas), sem janela, e segundo o plano do navio, estava abaixo do deck onde estavam os veículos. Era praticamente em cima da sala de máquinas. Afinal, é o que se consegue por 30,00 €.

 

DSC00528.jpg

Corredor assustador do navio

 

Não demorou muito e meus companheiros de cabine chegaram. Uma turma bem diversificada, diga-se de passagem: 1 chinês, 1 indiano que ficou fazendo Yoga por um tempão, um tiozão marroquino com pinta de gigolô, e eu.

 

E assim foi. Fiz amizade com o chinês, dei um cheeseburger para ele (afinal, estava notando que tinha comprado demais!), fomos ao duty free, compramos uma cidra, andamos pelo navio, e voltamos para a cabine.

 

O difícil foi enfrentar a tempestade que deu no Mar Báltico aquele dia. Por segurança tiveram que fechar os acessos às partes de fora do navio, e com o movimento das ondas, o navio oscilava MUITO!

Não paravam de aparecer na minha cabeça planos sobre como sobreviver em caso de algum problema. A realidade era: o navio afunda, e eu afundo junto.

Eu já estava começando a passar mal. O jeito foi me deitar na cama, segurar (corpo e estômago) e dormir. De manhã estaria na Suécia!

 

IMG-20131226-WA0000.jpg

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Sinval Pereira
      Em Agosto de 2018 durante uma viagem que tive como base Amsterdam, conheci um dos destinos que compunha me lista de países para conhecer: Noruega!
      Como durante minhas pesquisas para a viagem encontrei poucas informações sobre o país, resolvi criar este tópico com algumas informações que podem ser úteis sobre o país. 
      Eu estava sentindo desde quando decidi por Noruega que essa viagem deveria ser feita de carro. Não poderia ter feito escolha melhor. Quando pesquisei valores de aluguel de carro na Noruega, de cara já levei um susto daqueles. Como estava viajando com um amigo, os custos seriam divididos por 2.
      Fiz todas as simulações possíveis, indo de Amsterdam para Oslo, e alugando carro lá. Indo de ônibus e alugando carro lá. Indo de ônibus até a Suécia e alugando carro lá. E alugando o carro direto em Amsterdam e ir dirigindo até lá. Esta última opção, acabou sendo a mais viável financeiramente. Enquanto o valor da diária estava em $125 na Noruega, em Amsterdam estava $26 pela mesma locadora. Para 10 dias, o valor total do aluguel ficou em €263 e o seguro total €180 (resolvi fazer o seguro total pois se não o tivesse feito, em caso de alguma avaria deveria pagar a franquia de €1500. Resolvi não arriscar). No total, durante os 10 dias de viagem rodei por 4.750km. Havia feito a Permissão Internacional para Dirigir (PID) antes da viagem, mas acabei não precisando ela em momento nenhum. Nem na locadora, nem nas fronteiras, nem mesmo quando uma viatura me abordou e solicitou o passaporte hahaha.
      Como a viagem para a Noruega representou menos da metade do total da minha viagem (que incluiu o festival Tomorrowland na Bélgica, que encareceu bastante a viagem) vou colocar os gastos agrupados apenas dos grupos de despesas exclusivos da roadtrip (caso alguém tenha interesse, pode entrar em contato que mando minha planilha com os gastos detalhados):
      A cotação do euro que paguei estava em R$4,49.
      Aluguel Carro: €263
      Combustível: €485
      Seguro: €180
      Pedágios: €186
      Acabei descobrindo que é possível gastar relativamente pouco em uma viagem para a Escandinávia. Na Noruega acampei durante toda a viagem. Levei barraca e saco de dormir. Não fiquei todos os dias em campings pagos, alguns dias parava nos locais de apoio para campers no acostamento das estradas (que tinham mesas, banheiros, etc). Para se ter uma idéia de custos, nos dias em que paguei para ficar em camping, as diárias eram em torno de R$80. Como fiz a compra de alguns lanches na Alemanha (pães, enlatados, etc), também não tive custo todos os dias com almoço/janta. Porém, quando parava em algum lugar para comer, o valor médio que paguei por refeição foi de R$35 (refeições simples)
      Como todos os sites/blogs me assustaram com os comentários sobre os preços astronômicos de tudo na Noruega (vi durante a viagem que não é beem assim), a intenção era fazer uma compra em algum mercado na Alemanha para conseguir economizar com comida. Assim feito, seguimos viagem. Como haviam muitas obras nas estradas alemãs, a viagem acabou demorando mais tempo que o planejado. Saímos por volta de 10:00 de Amsterdam, dormimos no carro em algum dos pontos de apoio na estrada da Dinamarca e chegamos na noruega no outro dia por volta de 14:30. Achei incrível a estrutura para camping/descanso nas estradas escandinavas, desde a Dinamarca até os interiores mais pouco povoados da Noruega.
      Para trocar os euros pela moeda local, paramos em uma cidade chamada Drammen (optamos por não passar por Oslo no inicio da viagem). A cidade foi a melhor vitrine da Noruega que poderiamos ter escolhido. Ela mesclava a simplicidade que os noruegueses trazem consigo na vida cotidiana, o desenvolvimento tecnológico e de transporte e as paisagens naturais que fazem com que cada canto do país se torne um possível cartão postal.

      (Drammen - 1ª parada na Noruega)
      Absolutamente toda a população norueguesa fala inglês fluentemente. Até mesmo nas pequenas cidades de 1.000 habitantes. Desenrolar com o pessoal de lá foi bastante tranquilo.
      Como o objetivo era rodar pelo país e explorar as paisagens naturais e os Fijords, não poderia deixar de fazer as trilhas mais famosas.  Entre elas Preikestolen e Trolltunga... (continua)
    • Por Fora da Zona de Conforto
      * Gotemburgo, a segunda maior cidade da Suécia, é o lugar que o Rodrigo e eu atualmente chamamos de casa. É uma ótima cidade e nosso amigo Djordje Milosav, estudante aqui, escreveu um artigo para nós com algo de graça que você pode fazer aqui todos os dias da semana. Aproveite!
       
      Coisas que você precisará:
      5 minutos para ler este artigo 7 dias em Gotemburgo (ou menos) 1 toalha 1 par de tênis de corrida e roupas de esporte Você realmente não precisa de mais nada, mas 5 é um ótimo número.

      Continue lendo: 7,5 Coisas para Fazer (Quase) de Graça em Gotemburgo, Suécia
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Como todos os grandes aeroportos da Suécia (Estocolmo, Malmö, etc..) o aeroporto de Gotemburgo (Landvetter) também é servido pelo serviço de ônibus da flygbussarna.
      Na verdade, a flygbussarna é uma forma muito prática de ir e vir do aeroporto de Gotemburgo, com um ônibus muito confortável (banheiro, internet, etc…) e com vários horários durante o dia.
      Porém, ele é um pouco caro. Cada viagem só de ida custa $95 sek, cerca de $11,35 dólares Americanos.
      Então, se você quiser economizar, a sua melhor opção é usar o FlixBus! Com ele, você pode ir do centro de Gotemburgo até o aeroporto por $29 sek, cerca de $3,46 dólares. Ou seja, quase 1/3 do valor do Flygbussarna!
      Se você já leu o meu artigo sobre A Forma Mais Barata de Viajar e Se Locomover pela Europa, você já ouviu falar do FlixBus.

      Continue lendo: http://foradazonadeconforto.com/a-forma-de-transporte-mais-barata-entre-o-aeroporto-de-gotemburgo-landvetter-e-o-centro-da-cidade/



×
×
  • Criar Novo...