Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Carola_RJ

Nova Zelândia - Roteiro com dicas e valores gastos (De Motorhome, ilha sul e ilha norte) Queenstown, Wanaka, Tekapo, Rotorua, Taupo, Auckland

Posts Recomendados


Muito bom o relato, me ajudou bastante!

Vou pra NZ dia 26/8 e vou rodar o país em um campervan por 15 dias.

Você acha que vale a pena fazer os passeios ao Te Puia e ao Waiotapu? Se tivesse que escolher entre um e outro qual escolheria?

Você se lembra dos nomes dos campings que ficou em Rotorua, Wanaka e Mount Cook Village? Você os recomenda?

O processo de abastecimento do veículo é por conta própria?

Agradeço se puder responder aos meus questionamentos.😃

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@iaosp Muito obrigada!
 

Te Puia ou Wai o Tapu -> Poxa, não dá para cortar outras coisas? Os dois são imperdíveis. E o passeio ao Parque Te Puia pode ser feito à noite, então dá para encaixar mais fácil. Olha, meu sonho era conhecer aquelas piscinas coloridas de Wai o Tapu, então esse é o meu preferido. Mas o Geyser é um show da natureza impressionante. Os dois parques têm coisas que você não vai ver em nenhum outro lugar do mundo, pensa nisso. Dá para fazer uma visita rápida, chegar cedinho, ou ir no fim do dia.

Campings -> lembro dos nomes sim! Mas, é bom baixar o aplicativo do Campermate! Esse app te diz todos os campings disponíveis, preço, pode fazer reserva, é ótimo!

  • Camping em Wanaka - Wanaka Lake View Holiday Park: é bem bom, pertinho do centro. Custa $50
  • Camping em Rotorua - Holdens Bay Holiday Park: é longe do centro, tem um Mc Donalds na esquina. A estrutura é meio ruim, banheiro meio feio, mas nada demais. Pegamos uma promoção no app e custou $20 a diária com internet.
  • Camping em Mount Cook - Em Mount Cook Village só tem um camping free, ele é público! Você paga um preço símbólico, mas não tem recepção, você deposita em uma caixa. Não tem lugar para tomar banho, cozinha, nada disso. Achamos MUITO no meio do nada. O local perfeito para uma cena de filme de terror, rs. Preferimos voltar 20 km e ficar no Glentanner Holiday Park Mount Cook, custou uns $50. O lugar é surreal de lindo.

Abastecimento do Motorhome -> Você diz abastecer o diesel? A maioria dos postos é self service, você chega abastece e depois paga no caixa. Tem que entregar o carro com tanque cheio. Na segunda locadora nós pagamos uma taxa de $90 onde podíamos entregar o carro sem estar com tanque cheio.

Se tiver mais alguma dúvida, tamo aê!

 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Muito obrigado pela resposta!

Só mais uma coisa... você reservava os campings com antecedência ou chegava na hora mesmo?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

@iaosp Olá!
Reservei só o de Rotorua.
Mas, é melhor reservar sim. Em Auckland, simplesmente não tinha mais vaga. Acredito que dependendo da época do ano podem ficar cheios sim.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá, tudo bem?

Adorei as dicas. Seu post está super completo. Iremos pra lá no dia 18/05/2019. Está chegando... 

Me tira uma dúvida? Esse app Campermate funciona sem internet? Se não, como fez com relação ao chip? Pode me dar umas dicas sobre isso? 

Obrigada. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
29 minutos atrás, LetíciaMonique disse:

Olá, tudo bem?

Adorei as dicas. Seu post está super completo. Iremos pra lá no dia 18/05/2019. Está chegando... 

Me tira uma dúvida? Esse app Campermate funciona sem internet? Se não, como fez com relação ao chip? Pode me dar umas dicas sobre isso? 

Obrigada. 

Compra um chip no aeroporto mesmo.. em Auckland, assim que sair do desembarque vai ver os guichês.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Luna Jurberg
      dia 1: (Auckland)
      Chegamos em Auckland e fomos para o centro. Lá pegamos um ferry para Rangitoto - ilha vulcânica. Lá fizemos uma trilha de 40 minutos ida e volta (18 dólares). Obs. Existem outras opções de ilhas, saindo do mesmo lugar, mas como estávamos cansados do voo so fizemos uma. Depois almoçamos na zona portuária. Fomos para o aibnb no fim do dia descansar.  Os estacionamentos do centro são caríssimos. Estacionamos o carro na rua onde paga por máquinas na rua por hora. Nosso airbnb era bom, mas longe da cidade (18km)  
      Dia 2: (Auckland - Whitianga)
      Acordamos cedo e fomos para Whitianga. Chegando lá fomos para Hahei beach + Catedral Cove (ambas ficam na região de Coromandel). A caminhada para Cathedral Cove é de 40 minutos. Paramos o carro na casa de um homem e pagamos 10 dólares, valeu super a pena porque era o mais próximo do início da trilha de Cathedral (lá não pode parar carro).  Depois almoçamos no centrinho e partimos para Hot water beach. Nessa praia o melhor é ir no fim do dia e levar uma pá. As pessoas cavam buracos na areia, onde a água é MUITO quente (dai o nome da praia).  A noite jantamos no restaurante (um dos únicos da cidadezinha). Nosso Airbnb era bom e muito barato.  Obs. Poderíamos ter ido à praia New Chum (mais ao norte).  
      Dia 3: (Whitianga - Rotorua)
      Acordamos cedo e fomos em direção a Hamilton. Fizemos uma parada de 40 minutos no Hamilton garden (cidade no meio do caminho) e vimos os jardins da cidade (de graça). Além disso, paramos no cafezinho que tem vista para o jardim e é uma delicia. Depois seguimos para Waitomo Caves (compramos os ingressos antes pelo próprio site). Em seguida fomos ao Hobbiton (cenário onde se passa os filmes Senhor dos Anéis e Hobitton), pagamos 40 dólares. Esses dois lugares são mais turísticos. Se tiver pouco tempo e não for fã dos filmes não recomendo ir.  Por fim, passamos na Te Waihou - rio maravilhoso de algas verdes. O lugar é incrível, parece um quadro do Monet (de graça).  Chegamos à noite no hostel YHA em Rotorua- bem localizado, mas o quarto tinha uma estrutura muito simples). Obs. Valeu a pena ficar em hostel, pois conseguimos vários descontos nos passeios.  
      Dia 4: (Rotorua) 
      Acordamos cedo e fomos para o Wai o Tapu Thermal (30 dólares). Chegamos assim que abriu o parque. O parque é grande e as lagoas mais coloridas ficam distribuídas pelo parque, é importante dar toda a volta. Cada lago é de um tom, encontramos um lago verde fosforescente, maravilhoso. Às 10:15 é o horário que o geyser explode (após indução humana). Para ver a explosão tem que ir para outra entrada do parque. Saindo do parque é legal entrar na saída a direita que leva ao mud pools (um geyser de lama, também de graça). 12:30 fomos ao rafting com a maior queda do mundo - 7 metros - (level 5, para não profissionais). Apesar de ser level 5, é possível para todas as idades! (Pagamos 75 dólares). Às 17:00 fomos ao Redwood tree walk (caminhada por meio de pontes suspensas que passam por cima das árvores). Não entramos/pagamos o passeio, apenas fizemos uma caminhada pela floresta que já vale super a pena! Às 19:00: Tamaki (passeio dos Maori). Os Maori são uma tribo local. No passeio eles contam um pouco da cultura, se apresentam por meio de dança e música, mostram como cozinham através de um forno que fica no chão (esquentam a comida através de pedras no chão). Por fim, tem um banquete com a comida local.  
      Dia 5: (Rotorua - Wellington) 
      Acordamos e fomos no parque de kuirau (kuirau park mud pools) a pé, que fica no centro da cidade de Rotorua. No parque tem duas piscinas de aguas termais que é possível colocar os pés. Pegamos a estrada até o Rainbow Mountain scenic reserve ate emerald lake. É um lago azul no meio da estrada maravilhoso. Caminhada de apenas 500m (de graça).  Menos de 10 minutos após, na mesma estrada, fomos na Kerosene creek hot pools (cachoeira de água fervendo). A cachoeira é aberta, também no meio da estrada e de graça. Valeu muito a pena! Huka falls: rio de agua de cor esmeralda (também no meio da estrada e de graça). Há quem faça passeio de mountain bike beirando a cachoeira. Cidade de Taupo: paramos apenas para almoçar e ver o lago da cidade. Tem o Mac Donalds eleito como o mais legal do mundo (tem um avião no mc) Estrada para Wellington (4h).    
      Dia 6: (Wellington)
      Fomos andando até o Cable Car (9 dólares). Lá de cima passeamos pelo botanic garden.  Em seguida fomos de carro até o Te Papa Museum. O museu tem 90% das exposições de graça. O museu tem uma super estrutura, vale super a pena! Depois fomos à Cuba Street, que é uma rua cool (cheia de brechós, lojas, cafezinhos e restaurantes). Comemos em um restaurante de massa super gostoso e tomamos um sorvete melhor ainda em outro lugar. É um ótimo lugar para fazer refeições. No fim da tarde fomos à Oriental Bay (praia). Apesar de ser uma praia, pouquíssimas pessoas entram no mar. A maioria vai para passear, sentar, correr. Wellington é uma cidade que venta, por isso, apesar de estar sol sempre fica friozinho.  Por fim, fomos de carro até o Mount Victoria para ver o por do sol. O lugar tem um mirante que da para ver a cidade inteira!  Obs. Pegamos um flat super bem localizado e com preço bom. Chama-se Quest e fica na 35, Johnston Street.  
      Dia 7 (Wellington - Queenstown)
      Acordamos cedo e pegamos um voo às 9:30 para Queenstown.  Assim que chegamos em Queentown alugamos novamente um carro, apenas para o primeiro dia, para ficar mais livre e conhecer a cidade. Antes de tudo fomos ao hostel Yha para fechar todos os passeios e esportes radicais, valeu super a pena. Em seguida andamos pela rua principal onde almoçamos. Depois do almoço partimos para a trilha Queenstown Hill, onde é possível ver a cidade de cima! A paisagem é fantástica e a caminhada dura aproximadamente 2:00/2:30h. Seguimos até o jardim principal da cidade, um parque aberto (Queenstown’s Garden) onde se joga frisbee golf. Por fim, visitamos hayes lake e à cidadezinha de Arrowtown (praticamente um bairro com uma rua principal).  
      Dia 8 Queenstown (Milford Sound)
      Fechamos com a empresa Gorange e super recomendamos. Eles fazem o translado ônibus + barco ou apenas o barco, caso a pessoa opte por ir de carro sozinha. A viagem dura 5h ida 4h volta. Isso porque, na ida a motorista/guia fez algumas paradas em lugares estratégicos e lindos. Essa é uma região que chove muito, por isso, é bom reservar com antecedência podendo adaptar o roteiro de acordo com o clima para um dia depois, se for o caso. Demos muita sorte porque nosso dia foi ensolarado. Mesmo ensolarado, venta muito no barco e é preciso levar um bom casaco. O barco oferece poucas opções de alimentação, se puder vale a pena levar um lanche e água.  Nosso passeio durou de 9am às 21:00.  O lugar é imperdível, não à toa é considerado a oitava maravilha do mundo.  
      Dia 9 (Queenstown)
      Assim que acordamos íamos fazer o paraquedas, mas devido às condições climáticas tivemos que remarcar para o dia seguinte, em Wanaka. A empresa também deu a opção de mudar para mais tarde, ficou a critério de cada um. Com isso, aproveitamos para conhecer o centrinho e fazer outras atividades, tais como o jet boat no Waikatipo Lake, lago principal da cidade, que fica no centro. O jet boat é uma lancha absurdamente rápida e conhecemos a cidade de outro ângulo. É possível pata todas as idades. O principal Jet boat é o Shot over pelos Canyos (155 dólares), mas o valor é extremamente caro, razão pela qual escolhemos fazer no lago (30 dólares). Ambos são super recomendáveis! Em seguida, alugamos um caiaque e demos um passeio de 40 minutos pelo mesmo lago, beirando o Queenstown Garden. Almoçamos super bem em um restaurante chamado Flame que tem tudo mas, principalmente, carne. Depois do almoço partimos para os esportes radicais: o bungy junping e o swing!!! Fechamos com a empresa Aj hacket Nevis. Encontramos no lugar central e um ônibus nos levou até a ponte dos saltos! Em que pese as atividades serem caras, Queenstown é a capital mundial da andrenalina! (220 dólares swing, 275 bungy e 390 combo dos dois). Dicas de restaurantes: Ferge Burger (gigante) e a loja coockie time (sobremesa)   
      Dia 10 (Queenstown - Wanaka - 1h de carro)
      Ao chegar em Wanaka fomos direto ao sky diving (que foi maravilhoso). Os valores em dólares são; 300 (9mil pés); 359 (12mil pés) e; 500 dólares (15 mil pés). As fotos não estão incluídas nesses valores.  Passamosna Lavander Farm (5 dólares), mas não estava na melhor época.  Fomos à Wanaka Tree (um dos principais pontos fotográficos da cidade) Almoçamos em um lugar legal na rua principal onde podia montar seu próprio prato (uma proteína + 3/4 acompanhamentos a escolha) Roys Peak: É a maior trilha da região, com 16km no total, demora em torno de 6h e tem vista panorâmica da região. Fizemos metade da trilha, o que já consideramos suficiente para ter maior noção de beleza. Para quem deseja fazer tudo recomendamos ir o mais cedo possível. A ida é muita subida e de mata aberta.   
      Dia 11 (Wanaka - Tekapo)
      Partimos direto para Haas Blue Pools, que fica 1hora do centro de Wanaka. É um lago de água cristalina azul, porque derrete da agua do glaciar. Vale muito a pena! Algumas pessoas pulam da ponte ou entram na água, mas é muito gelada. Em seguida fomos para Lake Tekapo, o que leva em torno de 3h. No caminho paramos em no Lake Ruataniwha (absurdamente verde).  Além disso fizemos uma parada para ver o Lake Pukaki, no ponto chamado Peters lookout. Na cidade é possível fazer o centrinho a pé e ainda conhecer a igreja Good Shepherd and the dog. Às 23:00 fomos no Tekapo Hot springs and geyser. É uma experiência incrível de observatório (45 minutos) + piscina aquecida a céu aberto para as estrelas (+ 45 minutos). O programa é super diferente e vale muito a pena!


















    • Por alegtoons
      Fala galera!
       
      Devido à falta de informações que encontrei quando estava fazendo minhas pesquisas antes de viajar resolvi contribuir com o relato da minha viagem, para ajudar todos aqueles que estão interessados.
       
      Eu viajei sozinho para a Nova Zelândia e fechei o pacote com a Kiwi Experince. Para quem não conhece é uma empresa de Ônibus que te leva de uma cidade para outra e você pode optar ficar um pouco mais em cada cidade e pegar o ônibus no outro dia se curtir o lugar. Eles garantem a estadia mínima no hostel (depende da cidade, porém a maioria é 1 dia) e o resto, caso você queira ficar mais pode fechar por conta.
       

       
      Apesar de a empresa vender como sendo fácil, vi que muita gente tinha problema quando decidia mudar de roteiro, pois se você decidia ficar mais tempo em algum lugar poderia não ter vaga no ônibus do dia seguinte. E aí você teria que esperar no lugar até ter Ônibus com vaga.
       
      Recomendo a empresa pra quem já tem toda a viagem estruturada ou quer fazer o roteiro mínimo que eles oferecem, pois se for mudar as coisas pode ter problemas em achar vaga em hostel e lugar no Ônibus pra seguir viagem, o que pode atrasar seu roteiro.
       
      A maioria das pessoas que está no Ônibus é mais jovem, em torno de 18 a 25, mas você pode encontrar de tudo. A maioria é Europeu e Principalmente Inglês.
       
      Como eu estava viajando sozinho, foi muito legal a experiência por conhecer bastante gente e fazer parte de uma galera, sem falar que te levam para lugares muito legais. Mas muitos destes lugares não valem a pena se você não estiver com a empresa. E se você seguir o roteiro mínimo, pode achar meio cansativo, pois você fica um dia em cada lugar e a viagem em alguns pontos se torna muito cansativa. Também achei que algumas vezes fiquei muito engessado no roteiro deles, para quem quer liberdade, não é uma boa opção.
       
      Primeiro segue um videozinho que eu fiz e depois o relato dos dias!
       

       
      AUCKLAND 07/03/2016
      Hostel: YHA international
      Tempo na cidade: 1 dia
       
      Voei pela TAM e LAN, indo de São Paulo para o Chile (3 hrs) e de lá para Auckland (13 hrs).
       
      Eu havia lido na internet que a solução para o Jet Leg seria fazer um jejum de 16 horas antes da viagem e ao chegar lá tomar um café da manhã, enganando assim o corpo e se acostumando com o novo horário. Eu estava meio desconfiado mas fiz isso e deu super certo! No primeiro dia já fui dormir no horário correto e acordei na hora certa.
       
      Vale tentar visto que a diferença de horário é muito grande e geralmente leva em torno de 1 semana para se acostumar com o fuso.
       
      Cheguei em Auckland e após o café da manhã eu fui para o Hostel, como cheguei antes do horário de check in deixei a mala lá e fui andar pela cidade. Dei umas voltas pela Queen Street de ponta à ponta, subi a Sky tower para ver Auckland lá de cima, e depois de um tempo voltei para o hostel.
       


       
      Fiz o check in e depois de tarde fui caminhando até o parque Auckland Domain e entrei no museu que tem lá, o Auckland Museum, que possui algumas exposições sobre as guerras que ocorreram no país, é bem grande e vale a pena pra quem curte. Além de guerra tem um pouco sobre fauna e flora do país, vulcões, cultura Maori, entre outros.
       
      O Hostel que fiquei foi muito bom, cozinha grande e espaçosa, quarto espaçoso e bem limpo e o pessoal bem simpático na recepção.
       
      HOT WATER BEACH 08/03/2016
      Hostel: Top 10 Holidey Park
       
      Peguei o Ônibus da Kiwi Experience e fomos para o primeiro destino, a Hot Weather Beach.
       
      O hostel é incrível, muito bonito e bem localizado, bem pertinho da praia. Totalmente recomendado.
       
      A Hot weather Beach é uma praia que fica próxima de um vulcão então quando você cava na areia a água que sai é extremamente quente. Quase todo mundo vai lá com pá, cava buraco e fica dentro dele na água quente. Porém isto deve ser feito durante a maré baixa, até o meio dia.
       

       
      Haviam duas opções de atividade para a tarde, ir a pé ou de kayak até o Cathedral Cove. Fui de Kayak e foi sensacional, a paisagem é incrível e como estava sol o passeio valeu muito a pena.
       
      Quando deu meia noite toda a galera foi para a praia com as pás para cavar seus buracos.
       

       
       
      WAITOMO 09/03/2016
      Hostel: Kiwi Paka Hostel
       
      A grande atração de Waitomo são as cavernas que tem lá. A black water rafting é uma das principais empresas que oferece passeios de explorar as cavernas e é tudo bem seguro. Dentro das cavernas é possível ver os glowworms que são bichinhos que ficam brilhando no teto e parecem estrelas.
       
      Eu optei pela opção mais longa, de 5 horas na carvena e foi um dos melhores passeios que fiz. A água é extremamente gelada dentro da caverna mas eles possuem todo o equipamento necessário, incluindo os wet suits.
       
      O Hostel também é bem bacana. O quarto e banheiro são bem grandes e há vários lugares pra sentar, relaxar e trocar uma idéia com a galera.
       



       
      ROTORUA 10/03/2016
      Acomodação: Tamaki Maori Village
       
      Saindo de Rotorua passamos por Hobitton no caminho de Rotorua. Para quem não conhece, é o condado, local onde habitam os Hobbits, cenário que foi utilizado para a gravação dos filmes do Senhor dos Anéis e Hobbit. O passeio vale muito a pena, principalmente pra quem é fã. O local é muito bem cuidado e os guias são super simpáticos e cheios de histórias legais sobre o local e as gravações do filme.
       


       
      Não conheci a cidade pois eu fiquei o dia todo no Tamaki Maori Villagi, que é um Vilarejo Maori em que oferecem uma experiência incrível de imersão na cultura deles. Foi uma excelente opção de ter passado o dia e a noite lá, me surpreendeu bastante. De dia os maoris nos receberam, mostraram os quartos, serviram um lanche da tarde e nos apresentaram seus Deus. Depois jogamos alguns jogos e aprendemos a cantar uma musica na linguagem deles, ensaiamos pois nós apresentaríamos a música no jantar da noite, para todos os convidados.
       
      De noite chegam todos os convidados e ai eles fazem um ritual para aceitar a entrada dos turistas no vilarejo, todos os Ônibus que chegam lá devem escolher um chefe. Os chefes são desafiados e ninguém pode rir durante este ritual. Quando eles aceitam nossa entrada somos convidados a conhecer um pouco de sua cultura com diversas apresentações e demonstrações e depois nós comemos a comida que eles prepararam.
       
      No video que postei lá encima dá pra ver bastante como funciona
       
      Para quem dorme lá, quando todo mundo que veio só pra jantar vai embora eles ligam duas hot tubes e a galera fica toda lá dentro tomando cerveja. Muito bom!
       
      Recomendo muito! Eles são extremamente preocupados com a sua estadia lá, sempre garantindo que todos estejam se divertindo.
       
      TAUPO 11/03/2016
      Hostel: Rainbow Lodge
       
      Chegando em Taupo fui conferir o jet boat... o barco é extremamente veloz e toda hora parece que vai bater nas pedra e arvores que estão no caminho, de tão perto que o cara passa. Achei que não valeu a pena, pois foi caro e nada demais.
       
      No mesmo dia pulei no Bungy jump, e infelizmente o passeio de barco Sail Barbary que eu havia marcado foi cancelado, devido às condições climáticas. Estava ventando muito e foi um dos dias que mais senti frio lá.
       

       
      Bom que pude dormir cedo e me preparar para o Tongariro Crossing no dia seguinte. Para fazer esta caminhada acordei 5 da manhã. Uma van buscou o grupo na frente do Hostel e nos deixou no início da trilha... Estava extremamente frio durante a manhã e muito calor durante a tarde. É necessário estar preparado para estas condições.
       
      A caminhada valeu muito a pena pois as paisagens são deslumbrantes, o ponto alto é a subida do monte Ngauhuroe. Este é o vulcão que foi utilizado no filme Senhor dos Anéis como o Mt. Doom, o local onde é destruído o anel. A caminhada dura aproximadamente umas 8 horas e vale muito a pena, recomendo totalmente se o tempo estiver bom!
       



       
      O Hostel é pequeno porém bem aconchegante e bem localizado.
       
      RIVER VALLEY 12/03/2016
      Hostel: River Valley Lodge
       
      Este é um hostel no estilho rancho que fica no meio do nada, entre uns vales. Não há muito que se fazer por lá e o sinal de celular não pega.
       
      O unico lugar que tem pra ficar é o salão principal, onde tem um bar e de noite eles servem um jantar, depois todo mundo fica por lábebendo cerveja e conversando, jogando baralho e etc...
       
      No dia seguinte existem duas opções, andar à cavalo ou fazer rafting... Como estava chovendo e eu queria acordar um pouco mais tarde optei por não fazer nenhuma das duas...
       
      WELLINGTON 13/03/2016
      Hostel: Base Wellington
       
      O ônibus só chega aqui no final da tarde e não dá tempo pra fazer nada, nem conhecer a cidade. Como eu estava seguindo o roteiro mínimo fiquei apenas 1 noite, mas recomendo ficar duas. Quem ficou me recomendou bastante o museu Te papa.
       
      No mais, o que pude perceber é que a cidade é grande, diferente das últimas que eu havia passado, e de noite venta muito! O hostel é de uma das maiores redes de lá e é grande e muito bem estruturado.
       
      KAITERITERI 14/03/2016
      Hostel: Kaiteriteri Lodge
       
      Saí de Wellington de ferry, rumo à Ilha sul. Chegando lá, mais uma dose boa de buzão até Kaiteriteri.
       
      Em kaiteriteri tem apenas uma prainha e alguns estabelecimentos, tudo bem pequeno e tranquilo, mas não tem muito o que fazer. O hostel é na frente da praia e isso foi bom por que de noite deu pra ficar tomando cerveja e trocando idéia com a galera na praia.
       
      No dia seguinte fui de Aqua taxi fazer uma trilha no Abel Tasman park e passei por umas praias bem desertas, só não foi tão bom por que estava chovendo.
       

      Praia de Kaiteriteri
       
      WESTPORT 15/03/2016
      Hostel: Bazils surf school
       
      Chegamos no hostel durante a tarde e estava chovendo, não deu pra fazer nada. É outra cidade praiana, bem pequena e acredito que não vale muito a pena passar por lá, nada demais.
       
      O quarto que eu peguei no hostel tinha umas 14 pessoas, mas era extremamente aconchegante, me senti em casa. Muito recomendado, foi um dos melhores lugares que dormi por lá, me senti em casa de tão aconchegante que era.
       
      LAKE MAHINAPUA 16/03/2016
      Hostel: Lake mahiunapua Lodge
       
      É mais um lugar no meio do nada. Tem o hostel, o lago, uma praia... acredito que é legal pra descansar, mas como chegamos tarde não da pra curtir muito a praia. De noite rola uma janta e depois uma festa fantasia com o pessoal da kiwi experience. Valeu pela festa.
       
      FRANZ JOSEPH 17/03/2016 e 18/03/2016
      Hostel: Sir Cedrics Chateau Franz Backpacker and Motel
       
      Dei azar com o tempo e peguei dois dias de chuva lá! Chovia e parava o tempo todo.
       
      A cidade tem um glacial do mesmo nome, e o passeio principal da cidade é o tour de helicóptero desce no glacial e fica um tempo por lá explorando o lugar. Como o tempo estava ruim não consegui fazer. Também é possível fazer algumas trilhas para chegar perto do glacial, mas eu também não consegui com a chuva.
       
      A "cidade" tem 2 ruas, onde existem varios hostels, restaurantes, bares e lojinhas...
       
      O hostel é bom e oferece uma estadia confortável e é um dos únicos que tem Wifi grátis na NZ.
       
      WANAKA 19/03/2016
      Hostel: Base Wanaka
       
      Cidade bem pequena, e muito bonita! É um pouco mais movimentada, tem um lago grande e fica envolta de diversas montanhas.
       
      O Hostel é muito bem estruturado, peguei um quarto de 4 pessoas com banheiro privativo que era muito bom. O foda dessa noite foi que tocou o alarme de incêndio as 2 da manhã por causa de uma torradeira e todo mundo teve que ir lá pra fora num puta frio até chegar os bombeiros e liberar pra voltar...
       
      No dia seguinte passei no puzzling world, que é um museu de ilusionismo e é muito legal. Vale a pena ir!
       


       
      QUEENSTOWN 20,21,22 e 23/03/2016
      Hostel: Nomads Queenstown
       
      Aqui começa a verdadeira diversão na Ilha Sul. Queenstown é uma cidade maravilhosa, e cheia de atrativos, uma cidade extremamente turística. A cidade também é bem pequena, mas muito movimentada! Quase tudo que tem lá é feito pra turistas.
       
      No primeiro dia eu dei uma volta pela cidade, comi no famoso FERGBURGUER, um x-burguer muito bom e famoso. São oferecidos vários sabores que variam entre 12 e 15 dólares (extremamente barato se comparar com outros lugares), o local quase sempre tem fila, principalmente nos horários de almoço e janta.
       
      De noite fiz um PUB CRAWL com o pessoal do ônibus e foi bem legal, a cidade possui diversos bares (que são meio baladas) legais pra quem curte aproveitar a noite.
       
      O hostel é muito bem localizado, tem estrutura grande e é organizado. O quarto que eu peguei foi com 6 pessoas e banheiro privativo. O único ponto ruim é que o quarto é muito apertado.
       
      No segundo dia finalmente consegui descansar um pouco e acordar mais tarde após todos os dias de correria. De manhã dei mais uma volta pela cidade e de tarde fui pular do Nevis, é um Bungy Jump gigante de 134m que fica no meio de um vale. Apesar de caro (250 NZ Dolars + os videos e fotos) é uma baita experiência, e se você tiver coragem vale a pena.
       
      Pra finalizar o dia subi no Skyline Gondola que é um teleférico que te leva pro topo da montanha ali de Queenstown, lá tem o luge, que são uns carrinhos mais ou menos no estilo rolemã, e tem uma pista muito legal pra descer o morro com eles... Apostando corrida com os amigos fica muito legal.
       
      Mais uma noite aproveitei os bares da cidade, vale ressaltar que tem várias opções legais.
       
      No terceiro dia eu fiz um passeio de quad bike de 4 horas que envolveu subir montanha e passar por alguns obstaculos naturais no meio da floresta, foi bem legal e a vista da cidade era deslumbrante do lugar de onde subimos.
       
      No quarto dia fiz o passeio de um dia para Milford Sounds, onde fiz um passeio de barco. É um vale com montanhas e cachoeiras, bem bonito, mas eu esperava mais. De noite voltei pra queenstown e conheci um bar muito legal chamado Cowboys... tem um toro mecânico lá e um copo de cerveja de 1 litro bem barato. O bar é todo decorado no estilo cowboy.
       





       
      MOUNT COOK 24/03/2016
      Hostel: YHA
       
      No dia seguinte que sai de Queenstown fui para Twizel e de lá peguei uma van para o mount cook. É um vilarejo bem pequeno, próximo à montanha de mesmo nome, que é a mais alta da NZ e está quase sempre coberta por gelo no topo. Lá é bem pequeno mesmo e na cidade não tem quase nada, o legal são as opções de trilhas que tem, principalmente as que passam próximas ao mt.cook.
       
      Eu só passei um dia e dei muito azar com o tempo pois estava nublado e eu não consegui ver o monte. Teria sido um dos lugares mais bonitos com o tempo bom.
       
      O hostel é muito aconchegante!! vale a pena pra descansar também!!
       

      tirei essa foto no dia seguinte, de longe, indo pra lake tekapo. este é o lake pukaki
       
      LAKE TEKAPO 25/03/2016
      Hostel: Lake takepo lodge
       
      Como eu voltei pro onibus apenas em twizel, e a galera já tinha chegado de queenstown, todo mundo já tinha pego quarto no hostel de lake takepo. Desta forma, eu tive que dormir onde tinha, que era em uma barraca... A barraca era grande e tinha 5 camas... o problema mesmo foi o frio de noite, 2 casacos e 3 cobertores e mesmo assim eu sentia frio!
       
      O hostel é na frente do lago, que é bem bonito, de dia e de noite, quando é possível ver um dos céus mais estrelados do hemisfério sul!
       
      Bom pra descansar.
       



       
      CHRISTCHURCH 26 e 27/03/2016
      Hostel: YMCA
       
      Cidade grande de novo! Mas apesar de ser grande é bem parada e tediosa, pois não tem muito o que fazer. A grande atração da cidade é a destruição do terremoto que aconteceu lá em 2011. Você pode ver alguns rastros de destruição, e visitar o museu onde eles contam toda a história do terremoto e é bem interessante.
       
      Também tem o jardim botânico que é famoso e bem grande, e diversos museus e artes de rua pra se observar.
       
      No mais, foi bem difícil ficar lá dois dias, pois não tem muito o que se fazer.
       
      O Hostel é muito bom, peguei um quarto com 3 camas, e como estava com 2 amigas, ficou parecendo um quarto de hotel. Finalmente sem beliches!
       

       
      AUCKLAND 28/03/2016
      Hostel: Nomads
       
      De volta a auckland para pegar o avião de volta pro Brasil. Fiquei 3 dias por lá...
       
      Por lá vale a pena ir no mount Eden e conhecer as ruas no entorno da Queen Street.. Como eu estava mais querendo descansar, não fiz muita coisa.
       
      O hostel que fiquei é muito ruim, não vá! Apesar da localização perfeita, é possível encontrar hostels melhores também com localização boa. Esse tem um quarto extremamente pequeno com beliches encostadas, acho que mal cabe uma cama de casal e eles colocaram duas beliches... Uma delas ocupava metade da entrada do banheiro. Enfim, péssimo.
       
      Bom é isso ai galera.
       
      Escrevi na correria, mas espero que tenha bastante informação pra quem estiver afim de ir pra lá também.
       
      Estou à disposição pra responder dúvidas!!
       
      Tentei não botar muita foto, mas o video tá bem completo!
       
      abraços


×
×
  • Criar Novo...