Ir para conteúdo
  • Cadastre-se

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''petar''.



Mais opções de pesquisa

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Mochileiros.com

  • Perguntas e Respostas
    • Perguntas e Respostas
    • Destinos
  • Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Relatos de Viagem
  • Equipamentos
  • Trilhas e Travessias
  • Viajar sem dinheiro
  • Viagem de Carro
  • Viagem de Moto
  • Cicloturismo
  • Outros Fóruns

Categorias

  • América do Norte
  • América do Sul
  • Ásia
  • Brasil
  • Europa
  • Oceania
  • Oriente Médio

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Lugares que já visitei


Próximo Destino


Tópicos que recomendo


Ocupação

Encontrado 11 registros

  1. Oieeee Pessoas Cara, quero detalhar esse lugar ao máximo que conseguir, pq sai de lá apaixonada e quero que mais pessoas tenham oportunidade de conhecer essa maravilha. Fiz os dois passeios em um dia , mas caso não tenham pique de dirigir, podem ficar em pousada na região. Os dois atrativos ficam no Parque Estadual de Jacupiranga, na região do Vale do Ribeira na cidade de Eldorado - SP. Cerca de 5 horas de São Paulo, as estradas são bem conservadas e a viagem foi bem tranquila. Começamos pela Caverna do Diabo, e por mais que já tivesse ido em outras cavernas, ela conseguiu me surpreender. Parece que tudo foi esculpido por artistas de tão lindo que é. Tem estrutura para turista, com escadas, iluminações e até banquinhos para os cansados Rs. A caverna tem 8km mas apenas 800m é permitido para turistas. As outras regiões são apenas para pesquisa. É recheado de lendas, visto pelo nome, e o guia faz uma experiência bacana no final do passeio. Valores: R$ 25,00 . Tem valores diferentes para crianças e idosos. Duração: Média de 2 horas. Indicado: Para todas as idades, como é bem estruturado a acessibilidade é fácil. Contraindicado: Para claustrofóbicos e quem tem medo de escuro. (mais info: http://www.cavernadodiabo.com.br/) Algumas fotinhas dessa escultura da natureza. E depois detalhes do Vale das Ostras Se me surpreendi na Caverna, no Vale das Ostras quase morro do coração haha Você gosta de aventura? Gosta de natureza? Banho de cachoeira? Correeee para lá!!! É uma trilha moderada. No começo vamos pela estrada mas é SÓ subida, então busca todo o seu fôlego e vai, porque só depois a brincadeira fica bacana rs É um passeio de 7 horas, a distância ida e volta é de 08 km, mas vale a pena!!!!! Em meio a Mata Atlântica passando por mais de 9 cachoeiras desde 5 até 53 metros. Com o destino na Cachoeira oh meu Deus , quando chegarem vão entender o nome e o smile haha Não é cansativo no sentindo de perder o ar, de suar e ficar cansadão, mas é difícil porque tem váriiiiios obstáculos. A maior parte da trilha é pela água, e quando não é água, tem lama, tem subidas de escada e escaladinhas, passam por pontes de madeira e lugares com alturas ou seja, aventura é o que não falta!! Galera que gosta de tirar fotos, VÃO!!! Sai cada foto linda!!! As que postei aqui estão mais ou menos, mas no meu Instagram (@thais2fidelis) tem mais!!! Dicas: Aqui vou colocar em tópico pq tem algumas: * Leve apenas o necessário, irão andar muito e passar por vários obstáculos que a mochila talvez vá atrapalhar. * Aparelho eletrônico com proteção de água, ficamos a maior parte na água ou molhados rs * Muda de roupa para trocar no final, isso incluí o tênis (vão ansiar por meias quentinhas haha) * Leve algum lanche leve e água. Valor: em média R$ 60,00 Indicado: Para maiores de 10 anos e sem frescuras haha Contraindicado: Crianças, idosos, pessoas com alguma dificuldade na mobilidade, quem tem medo de altura e pessoas frescurentas hahah Poucas fotinhas não descrevem esse lugar, mas vamos mostrar mesmo assim
  2. Oi Pessoal! Gosto de destinos mais vazios, e de viajar sozinho. Fazer amizades em viagens é uma das coisas que mais curto, porém ainda sim fico com o pé atrás em viajar com pessoas que não conheço, antes de pelo menos escolher se quero dividir o dia com elas ou não. Como em 2018 resolvi que faria muitas coisas das quais não me sinto confortável, entrei em um grupo que iria de van para Eldorado - SP, e testei. Em geral as pessoas que foram tinha pouca ou nenhum experiência com trilhas, mas estavam dispostas a experimentar. Todas tinham um motivo para estar ali, fim de relacionamentos, incerteza com o futuro, ou até algumas poucas que amavam fazer trilhas. Gasto total: 290 reais. Levei lanche, água e demais comidas de casa. Encontrei o pessoal no metrô vergueiro as 6 da manhã do domingo, e partimos em uma viagem de 4 horas para Eldorado. Na chegada, visitamos a Caverna do Diabo. Ela possui quase 7km de tamanho, várias salas enormes, algumas com até 70 metros de altura. Estar ali é viver o passado e o presente ao mesmo tempo, pois você vê formações que são muito antigas, mas também vê algumas começando a se formar. O chão é escorregadio, mas possui corrimão, é bem adaptada ao turismo de massa. O visual é lindo, o rio passa dentro da caverna (o mesmo rio que a formou), e forma paisagens incríveis. Depois de um rápido tour pela caverna, pegamos a van novamente e fomos até o início da trilha do Vale das Ostras. Quase 7km de trilhas, passando por 12 cachoeiras incríveis, algumas pequenas, mas outras são grande, e finalizando na Cachoeira de Meu Deus, com 53 metros de altura. Uma cachoeira que gostei muito, no caminho da trilha, é a Cachoeira do Pulo, onde de uma altura de quase 8 metros, é possível pular na água, caindo em um poço com 4 metros de profundidade. A trilha é feita metade na terra, e metade por dentro do rio, por isso ela é feita de tênis, e fica muito escorregadia em alguns pontos, pois a terra é molhada o tempo todo por quem sai do rio. De nível médio, a trilha tem alguns momentos difíceis para sedentários ou pessoas com dificuldade de movimento precisos, como um momento que enfrentamos uma subida forte, no sol, e em outro que você precisa descer de corda uma parte vertical, somente se apoiando em pedras, e segurando o peso do corpo nos braços. Depois de algum tempo, chegamos a Cachoeira de Meu Deus, a atração principal da trilha do Vale das Ostras. Ela é incrível, e mesmo que quando chegamos, começou a chover, eu estava muito feliz. Logo a chuva parou, e tive uma das experiências mais incríveis da vida: Chegar perto da queda, e literalmente sentir a força da cachoeira. Foi uma viagem e uma trilha que lavaram a alma, e colocaram de novo a minha cabeça no lugar. Em meio a um dia a dia tão corrido, e desgastante, eu preciso disso para voltar a acreditar que o mundo é muito bom.
  3. Sobre conhecer um pouquinho de PETAR, o Núcleo Caboclos - Caverna Temimina e Vale das Ostras: Fui com um grupo de amigos da Crazy Trip, o lugar é incrível e que todos deveriam conhecer. Em Petar existem diversas trilhas, cavernas e cachoeiras. Ao chegar em Petar fui direto para trilha de nível médio para encontrar a caverna Temimina, antes de chegar na caverna, encontrei uma pegada de onça, deu tanto medo na hora kk, mas como eu sempre digo (Deus protege os aventureiros). Ao chegar na caverna primeira caverna tirei algumas fotos, subir em algumas rochas, cantei para escutar o eco da minha voz e parei pra comer no meu da natureza pois lá tem uma visto muito bonita, seguida voltei para trilha em direção a segunda caverna, que é necessário entrar na água para chegar até o fim dela, chegando no fim, foi muito foda, pois a visão é incrível, tem um chuveiro feito pela natureza que sai mais água que o chuveiro da minha casa kkkk. depois de aproveitar o bastante fomos em direção a terceira caverna, que depois dela tem uma trilha de nível difícil pois praticamente você escala essa caverna para chegar até o topo. Na volta do camping eu estava sozinho e estava pensando na onça, pensando na possibilidade que teria de me salvar caso eu encontrasse, (sei lá subir em uma árvore, fingi que sou estatua, gritar: Olha o coelho!) kkkk. Mas se você está lendo isso, é porque não encontrei kkk No dia seguinte peguei a trilha da Vale das Ostras onde passei por 12 cachoeiras lindas, uma melhor que a outra, algumas tem a possibilidade de pular de uma altura de uns 8 metros de altura e é claro que pulei todas, pois é muito gostoso. A última cachoeira é linda demais e gigante. Você vendo aquela queda bem forte na sua frente é até incrível de se ver onde me deparo perguntando como Deus é bom com nós todos. E para ficar melhor ainda, tem como entrar em uma caverna que tem dentro dessa cachoeira gigante. Vale muito a pena explorar o lugar. Capturar Grandes Lembranças #UglasPeloMundo
  4. Ola a todos, Como o forum foi muito util pra que eu pudesse montar minha viagem ao PETAR eu vim aqui deixar o meu relato, pois na minha viagem houveram algumas particularidades que podem auxiliar quem for em breve. Eu estive no PETAR de 11/03/2013 a 15/03 Eu e meu grupo estavamos de férias do serviço, então resolvemos ir no meio da semana, motivo: Evitar a muvuca dos feriados e por ser no meio da semana conseguir valores muito melhores A estrategia de conseguir valores baixos por ser no meio da semana inicialmente não tava dando muito certo, e eu tive que ligar pra varios guias/pousadas pra conseguir valores diferenciados. Eu cheguei na segunda, por volta das 18:00 e fomos embora na sexta as 19:00. Por esse periodo de hospedagem conseguimos por 25,00 a diaria (de segunda a sexta um total de 100,00 reais, rolou uma diaria na faxa ^^V) Ficamos em chales com banheiro individual, geladeira e fogão. Dividimos nosso grupo de 8 pessoas em dois chales (esses chales recebem de boa até 6 pessoas, são bem grandes). O guia pros 4 dias de passeio eu cheguei a cotar de 156,00 até 230,00 ... pra vcs verem como valores la são bem negociaveis. Na segunda feira o PETAR não funciona, mais resolvemos ir ja na segunda pra na terça acordar bem cedo e aproveitar todos os passeios Nosso roteiro foi esse: 12/03 Núcleo Santana: Caverna do Couto Caverna Santana Caverna do Morro Preto Cachoeira do Couto Piscina Natural 13/03 Nucleo Santana Trilha do Betari Caverna Água Suja Cachoeira das Andorinhas Cachoeira do Betarzinho Caverna do Cafezal 14/03 Núcleo Ouro Grosso Caverna do Ouro Grosso Caverna Alambari de Baixo Cachoeira do Sem Fim 15/03 Cachoeira Arapongas (60 metros - rapel) Nosso roteiro sofreu uma mudança drastica, no 3º dia iriamos visitar o Nucleo dos Caboclos, fazer a Caverna Terminina, mais tinhamos um gordinho no grupo e mais uma menina que ja ficaram podres com a trilha Betari, como a Terminina é mais puxada nos resolvemos alterar o roteiro pra depois não termos dor de cabeça com eles não aguentando a caminhada e etc No total de gastos ficou assim: Hospedagem = 100,00 Transporte (carro saindo de Osasco/SP com 4 pessoas) = 184,00 (dividindo por 4 = 46,00) **incluindo pedagios da Regis e Rodoanel Guia/Passeios = 170,00 (incluindo capacetes, ingressos pro PETAR e etc) Comida = 304,00 dividido por 8 pessoas = 38,00 (como tinhamos geladeira nos fizemos uma compra e com ela fizemos todos os lanches pra trilha, cafe da manha e jantar) Rapel = 80,00 (cachoeira de 60 metros) Nos jantamos apenas 2 dias foras, 1 dia comida em uma pousada la perto por 10,00 e em outro em uma pizzaria muito bacana chamada Samambaia, comemos muito mesmo, e divindo o valor com tudo fico 20,00 por pessoa muito economico. No final cada pessoa gasto individualmente 464,00 por 5 dias, com exatamente tudo tudo tudo, não ficou nada de fora desse apanhado. Eu achei muito economico, fiquei mega feliz, pois a ideia era justamente fazer tudo gastando pouco. Sobre o guia e a pousada sem comentarios, tudo perfeito, pousada provavelmente a mais proxima dos nucleos, não aquelas afastadas, o guia muito gente boa. **Agora algumas particularidades do passeio: durante a semana é 100% vazio, não nos deparamos com nenhum outro grupo em nenhum dos dias, então podiamos fazer tudo do nosso jeito sem se preucupar com tempo de permanencia em caverna ou em sair/chegar rapido devido a entrada de outro grupo. **PETAR não funciona de segunda **Se forem fazer o Rapel em Arapongas não deixem pra fazer outras atividades no mesmo dia, a montagem do rapel é mega demorada, mais de 1:30h, e o esquema é vc ir e descer umas 3x, só uma é muito pouco, só que fazendo isso vc praticamente mata o dia. ** O Nucleo Caboclos é muito longe, então pra vc fazer uma caverna desse nucleo vc acaba matando um dia ** Todo mundo fala que o PETAR tem zilhôes de cavernas, porem se por algum motivo vc não puder ir a Caboclos, as alternativas que vc tem são exatamente essas do meu roteiro, sem nenhuma a mais, a coisa acaba ficando meio limitada. ** Quando fomos tava de boa lance de inseto, eu mesmo fui, fiquei os 5 dias sem nenhuma picada, mais falam que em algumas epocas do ano la é tenso. Algumas meninas do nosso grupo tiveram menos sorte com insetos. **Durante a semana é meio tenso de vc sair a noite pra comer, muitos lugares fecham logo as 20:00 ** A pizarria Samambaia é sem duvida o melhor lugar pra comer a noite, e passa cartão la Vou deixar um video que fiz resumindo minha viagem, da pra ter noção dos luagres, embora nenhuma foto ou video consiga transmitir o que é o PETAR, o lugar é realmente incrivel. Viagem realizada em Março de 2013 ao PETAR Núcleo Santana: 00:55 Caverna do Couto 04:29 Caverna Santana 04:59 Caverna do Morro Preto 05:44 Trilha do Betari 07:13 Caverna Água Suja 11:22 Cachoeira das Andorinhas 11:49 Cachoeira do Betarzinho 14:01 Caverna do Cafezal Núcleo Ouro Grosso 15:28 Caverna do Ouro Grosso 16:33 Caverna Alambari de Baixo Ambiente externo aos Núcleos 17:20 Cachoeira do Sem Fim 20:24 Cachoeira Arapongas (60 metros - rapel) Se precisarem de alguma dica só replicarem aqui ou no coments do video que eu respondo. Abraço
  5. O PARQUE NACIONAL DO PETAR FICA NO VALE DO RIBEIRA MAIS ESPECIFICAMENTE EM IPORANGA-SP UMA DAS ÚLTIMAS E A MAIOR RESERVA DE MATA ATLÂNTICA DO BRASIL E AINDA A MAIOR CONCENTRAÇÃO DE CAVERNAS DO MUNDO PARA QUEM GOSTA DE AVENTURA E NUNCA ENTROU EM UMA CAVERNA NAUM SABE O Q TÁ PERDENDO É ANIMAL ADRENALINA PURA, POR EXEMPLO: A CAVERNA LAMBARÍ DE BAIXO VC ENTRA POR UMA FENDA NO PÉ DA MONTANHA E DE CARA CAI DENTRO DA ÁGUA, É AGUA NO PEITO( CONSIDERANDO Q EU TENHO 1.81 DE ALTURA) E O TETO A + OU - UM METRO ACIMA DA KBCA NUM CORREDOR DE UNS 5M DE LARGURA POR 100M DE COMPRIMENTO E ESSE É SÓ O COMEÇO DA CAVERNA POIS ELA SAI DO OUTRO LADO DA MONTANHA, MAS ENFIM LÁ EXISTEM POUSADAS E CAMPING P/ TODOS OS GOSTOS E BOLSOS POVO MUITO AMIGÁVEL, MAS VC NAUM ENTRA EM CAVERNA ALGUMA SEM GUIA SOB PENA DE SER CONVIDADO A SE RETIRAR DO PARQUE SÃO MAIS DE 200 CAVERNAS CATALOGADAS FORA CACHOEIRAS, BOIA CROSS P/ QUEM FAZ RAPEL ENTAUM É UM PRATO CHEIO. BOM EM VEZ DE VCS FICAREM LENDO VEJAM COM COM SEUS PRÓPRIOS OLHOS ATRAVÉS DESTES LINKS http://www.geocities.com/Yosemite/Trails/7630/Port.html http://www.pousadadoquiririm.com.br/ http://www.pousadadoquiririm.com.br/petar/ RESPONDEREI POSSÍVEIS PERGUNTAS COM O MAIOR PRAZER ABRAÇOS [}] RAFALOBIS [}]
  6. Luciana Reis

    Petar

    Olá pessoal! Aproveitamos o último feriadão do ano pra conhecer o PETAR. Saímos de Volta Redonda (interior do RJ) SEXTA 20/11: Partimos antes de 6:00h e como o parque fica no caminho para Iporanga, paramos pra ver a Caverna do Diabo e tentar fazer alguma trilha pequena: Pq Estadual de Jacupiranga – NÚCLEO CAVERNA DO DIABO - nas redondezas da cidade de Eldorado a uns 40 km de Iporanga. ⇒ Tx entrada R$23 = R$12 p/ o parque e R$11 p/ Associação de Monitores, (precisa de monitor pra tudo tanto aqui quanto no PETAR) ⇒ Levar dinheiro pq o sinal é péssimo e quase nunca a máquina de cartão tá funcionando! ⇒ A caverna tem 6 km de extensão mas apenas 700 m podem ser visitados! 1:30h de visita 8:00 às 17:00 de terça a domingo ⇒ Existe um limite de pessoas por grupo: 12 pessoas. Obrigatório calçado fechado e solado antiderrapante! Não entra de chinelo ou sandália! trilhas: Mirante do Governador: o acesso está na entrada da Caverna do Diabo. A trilha tem 1,6 km, nível médio, aproximadamente 2hs. Em dias claros é possível avisar de forma panorâmica todo o Vale do Ribeira! No trajeto é possível avistar a floresta da Unidade de Conservação, a serra onde esta a Caverna do Diabo, o sinuoso curso do rio Ribeira e as cachoeiras da região. Cachoeira do Sapatu: Também é acessível através do parque. São 400 m de trilha com piscina natural de 1,5 m de profundidade. Trilha do Araçá: Trilha autoguiada de nível baixo de 800 m, 50 min. No trecho existem três quedas d’água, sendo que a primeira é só para contemplação e as outras duas formam poços de águas cristalinas sendo possível mergulhar! Vale das Ostras: Formado pelo mesmo rio que atravessa a Caverna do Diabo, o Ribeirão das Ostras. Trilha de 4 km, e nível médio, com várias cachoeiras e piscinas naturais finalizando ao ponto culminante do roteiro: a Cachoeira de Meu Deus, com 53 m de altura. Ela foi eleita a mais bonita do estado de SP. Infelizmente o monitor que nos guiou na Caverna do Diabo foi de uma má vontade absurda! Nossa visita foi feita em menos de uma hora! Quando deu por encerradas as explicações, simplesmente foi embora na frente e nos deixou lá dentro (o que foi até legal pq pudemos fotografar tudo sem pressa mas meio imprudente pq se acontecesse alguma coisa ninguém ia nem ficar sabendo, já que quando saímos a portaria já estava fechada – ou seja, ninguém pra registrar que a gente entrou E saiu!!) Como estava chovendo muito desistimos da trilha e seguimos pra Iporanga. SÁBADO 22/11 Pq Estadual do Alto da Ribeira - NUCLEO SANTANA 3 km do Bairro da Serra em Iporanga Horário de visita aos Núcleos: terça a domingo das 8:00 as 17:00 Tx entrada (Núcleos Santana, Caboclos e Ouro Grosso): R$12 por pessoa Tx veículo (apenas no Núcleo de Santana): R$6 por veículo ⇒ é obrigatório calça e calçado fechado c/solado antiderrapante! Não entra de chinelo ou sandália nem blusinhas ou camisetas regatas. Trilhas: - Mirante da Boa Vista: Avista-se todo o Vale do Rio Bethary. No fundo estão algumas das principais cavernas e atrativos do parque. Lugar magnífico. O pôr ou nascer do sol é algo que provoca arrepios. Agora, observar a noite desse ponto da foto, faz você se sentir entre as estrelas, entre o céu. Acesso de carro pela estrada Apiaí-Iporanga. 20 min - Mirante do Núcleo de Santana: Vista do Vale do Rio Bethary. Ao fundo estão as cavernas de Santana, Morro Preto, Couto e Água Suja. Observam-se os paredões de rocha no vale. Acesso de carro ou caminhando. 5 min - Trilha do Rio Bethary: Com certeza a trilha mais linda que há no PETAR. Toda ela é pela mata ciliar, cruzando o rio em alguns pontos. Vista das entradas da Caverna Água Suja e Cafezal finalizando nas Cachoeiras Andorinha e Beija-flor. 7 km que são feitos em média de 4 h de caminhada. - Caverna de Santana: 2ª maior caverna do Estado de SP, a + bonita do PETAR. 7 km de extensão. Nela estão os Salões das Flores, São Paulo, São Jorge, Takeupa (considerado um dos + bonitos do mundo) e algumas imagens e curiosidades como o ‘Buraco do Segredo’, ‘Pata do Elefante’ e ‘Cabeça do Cavalo’. Muitos desses Salões tem visitação restrita. Somente 800 m abertos à visitação. - Caverna do Morro Preto: Tem um dos mais belos pórticos de entrada de caverna do PETAR. A imagem do seu mirante interno, vista da boca, na contraluz faz com ela torne-se um cartão postal do parque. 400 m de distância do quiosque de visitantes, 200 degraus até se atingir a entrada da caverna. Em sua boca foram encontrado vestígios que ela servia de abrigo para o homem primitivo. - Caverna do Couto: 471 m de extensão c/ jardim natural que se forma do outro lado do morro, em sua outra boca. Tem ligação com a Caverna do Morro Preto - Caverna da Água Suja: Para se chegar até ela é necessário utilizar a Trilha do Rio Bethary, outro atrativo à parte. Ela é uma caverna gigantesca, com grandes salões e cortada por um rio. Tem aproximadamente 1800 m sendo 800 m turísticos. O desafio é chegar até sua cachoeira interna. Um banho na escuridão o espera. - Cachoeira das Andorinhas: É considerada a cachoeira mais bonita do Petar, no final da Trilha do Rio Bethary. Não é possível nadar na sua piscina devido à forte queda d´água de 35 m. - Cachoeira do Betarizinho: Fica a 50 m da Cachoeira das Andorinhas! Encontramos com o nosso monitor as 8:00 na pracinha do bairro e seguimos para o parque. (chegar o mais cedo possível pra não correr o risco de pegar fila pra entrar nas cavernas!) A ideia era ver as cavernas de Santana, Morro Preto e do Couto, a cachoeira Arapongas e finalizar o dia no Mirante da Boa Vista, que dizem dar a melhor panorâmica do Vale do Rio Bethary com as principais cavernas ao fundo. Santana não deu pra ver pq choveu a noite toda e o parque interditou a entrada pq ficou perigoso pelo nível da água lá dentro. As outras duas são interessantes cada uma a seu modo e nosso monitor fez TODA a diferença: super comunicativo, passou o dia contando histórias do lugar e explicando com detalhes tudo que a gente via. A trilha pra cachoeira Arapongas não é difícil mas como choveu bastante, tava bem escorregadia. Nada grave. O visual compensa o esforço! No mirante não deu pra ver o Vale pq tava nublado, nem demoramos. Até pq tava todo mundo louco de fome e de lá fomos comer pastel num barzinho que fica em frente a Pousada da Diva. Parada obrigatória para todos os trilheiros! A noite nosso monitor, o Jamilson, convidou todo o grupo pra comer um peixe assado na sua casa (tudo carinhosamente preparado pela sua mulher, a Ana) Nos buscou na pousada lá pelas 20:00 e ficamos até tarde comendo e ouvindo os “causos” da região. Impagável! DOMINGO 22/11 A ideia era fazer o Vale das Ostras mas não tínhamos tempo. Vimos apenas a Cachoeira de Meu Deus e quem nos levou foi o Carlos: Jorlei Passeio e Aventuras http://www.facebook.com/JorleiPasseioAventura Caverna do Diabo, Quilombos, Cachoeiras e Vale das Ostras 13 99676-9942 (Carlos) 13 99795-4148 (whats app) 13 98166-6269 SERVIÇO: Hospedagem: Pousada Quiririm - 3km do PETAR http://www.pousadadoquiririm.com.br/a_pousada.php [email protected] http://www.tripadvisor.com.br/Hotel_Review-g2572216-d2630484-Reviews-Quiririm-Iporanga_State_of_Sao_Paulo.html Pousada super simples mas atende perfeitamente. Café da manhã bem legal e uma área pra jogar pingue pongue. Há tb um quiosque com redes pra gente relaxar no fim da tarde. Infelizmente o quarto nº 10 tinha cheiro de mofo. Agências: http://www.ecocave.com.br [email protected] http://www.planetatrilha.com.br [email protected] http://www.parqueaventuras.com.br [email protected] http://www.ipoturpetar.com.br [email protected] NÃO RECOMENDADA http://www.caveatlantica.com.br [email protected] Eu recomendo muitíssimo que fechem seus passeios com monitores locais. Além das agências cobram horrores para oferecer o mesmo serviço, contratando um autônomo a gente ajuda os caras e acaba ajudando um pouquinho a cidade, né? Nós combinamos tudo por telefone com o Jamilson (umas 3 semanas de antecedência) Jamilson Motta – Petar Fora de Rota 15 99783-0133 15 99842-8164 (whats app) Mas cá está uma lista com todos eles: Ademir - 15 3556.2004 Tião – 15 3556.0572 / 15 99833.0130 Everton – 15 99724.6522 Gilson - 15 99750.4011 Orasil – 15 3556.1406 Vagner – 15 3556.2008 / 15 99789.0118 Giovani – 15 3556.1284 Leandro – 15 3556.1433 Joaquim – 15 99632.7500 Zacarias - 15 3556.1208 / 15 99706.2186 / 15 98127.5025 Vamir – 15 3557.2051 / 15 99750.7350 Joelma – 15 99807.9048 Nalva – 15 99655.9681 (recado c/sogra) Creusa – 15 3556.1410 Murilo – 15 3556.1406 Paulo – 15 3556.1482 Valdecir – 15 3556.1310 / 15 99717.8611 Antonio – 15 3556.1577 Paxá – 15 99678.2449 Dinei - 11 3208.1397 / 11 6486.6952 Maurizio – 15 3556.1445 / 15 9730.4809 Tatiane - 15 9766.8025 Diogo – 15 99611.1485 Fernando – 15 99649.0483 Denis – 15 99158.0383
  7. Grande salve pessoal!!! Desde o meio do ano quando conheci o site Mochileiros.com em uma viagem a Cusco/Peru, virei um fã, já se foram várias noites lendo relatos de viagens... Eis que faço aqui minha primeira contribuição. No final de novembro quando me avisaram sobre minhas férias, pesquisando o que fazer no final do ano, um amigo de trabalho me apresentou o PETAR, entre Iporanga e Apiaí-SP, fiquei fascinado, logo vim no Mochileiros.com pesquisar mais e encontrei vários tópicos a respeito. Os principais tópicos para meu planejamento foram "/carnaval-nas-cavernas-petar-2013-t79257", "/relato-de-viagem-petar-2013-4-dias-durante-a-semana-t80406", "/petar-2013-t79100" e "/petar-2013-conhecendo-as-cavernas-t77960" O orçamento estava apertado e eu sabia que para convencer amigos a viajarem comigo de última hora, a viagem precisava sair barata e bem planejada. Participantes da viagem: Eu, Alessandra (namorada), Marília e Sarita. (Todos sedentários com alguma caminhada ou outra durante a semana e com faixa etária entre 21 e 26 anos) Carro: Gol bola 1998 1.0 Eu e Alessandra somos de Presidente Prudente/SP e passaríamos o natal em Avaré/SP, por isso a Marília e Sarita que são da capital São Paulo, pegaram um ônibus até Avaré e a partir de então começou nossa viagem dia 27/12/2013. Lendo os tópicos sitados acima, cheguei a conclusão que os melhores guia seriam o Danilo(autônomo) e o Tom(agência Planeta Trilha), encontrando em contato com os 2 vi que realmente eram muito atenciosos e responderam todas as minhas dúvidas, os 2 me enviaram os orçamentos e por ligar mais vezes para o Danilo acabei fechando com ele, a única condição do Danilo para cobrar os R$35,00 (incluso capacete e lanternas) por dia por pessoa era de poder colocar mais pessoas no grupo caso aparecesse, já que fechei com ele para 4 pessoas que iriam comigo. Já a pousada nos tópicos já citados falavam bastante da Pousada do Abílio, e o Danilo me confirmou ser a mais barata e ter um bom atendimento, não deu outra, entrei em contato por telefone e logo fechei com a pousada também, 1 quarto para 4 pessoas com 2 beliches por R$40,00 a diária por pessoa, incluso café da manhã e jantar. Avisaram que era necessário levar roupa de cama, travesseiro, toalha, shampoo e sabonete, por ser muito barato já era de se imaginar que precisava levar essas coisas. O orçamento planejado ficou: Como sempre, mesmo planejando bem, por conta de ter dito menos de 30 dias de planejamento até a viagem, houve imprevistos, chegamos a pagar R$2,99 no litro da gasolina e não foi orçado o que andaríamos de carro da pousada até a entrada das caminhadas, no final das contas acabou não tendo nenhum aumento expressivo porque eu coloquei 10km/L de consumo no carro mesmo eu sabendo que fazia mais. Com as alterações que ocorreram quando estávamos lá, ficou: 1o dia chegada até pousada do Abílio 2o dia Núcleo Santana 3o dia Núcleo Santana 4o dia Vale das Ostras + Caverna do Diabo 5o dia Núcleo Cablocos 6o dia viagem da volta Distâncias percorridas de carro: 1o dia chegada até pousada do Abílio (305km de Avaré até a Pousada, a pousada fica a 26km depois de Apiaí) 2o dia Núcleo Santana (3km da pousada até o núcleo, ida e volta 6km) 3o dia Núcleo Santana (3km da pousada até o núcleo, ida e volta 6km) 4o dia Vale das Ostras + Caverna do Diabo (45km da pousada até a caverna do Diabo, depois mais 5km até o Vale das Ostras, na ida então foram 50km, ida e volta 100km) 5o dia Núcleo Cablocos (66km da pousada até o núcleo, ida e volta 132km) 6o dia viagem da volta (305km da Pousada até Avaré) Total viajando: 610km Total até as trilhas/cavernas:244km Total geral: 854km Observações em cada dia: 1o dia chegada até pousada do Abílio (De Avaré até a pousada do Abílio são 305km, porém fizemos em 5:30h, o google maps recomenda ir de Ribeirão Branco direto para Apiaí, o guia Danilo me disse que a estrada era de terra e ruim, por isso me recomendou ir por Guapiara, realmente foi a melhor escolha, estrada era asfaltada só que com muitas curvas. Já de Apiaí até a Pousada, são 26km de estrada de terra com trechos em cascalho, de um lado é um paredão e do outro abismo, muito perigosa e estrada e 1 pista só para 2 sentidos, quem conhece a estrada faz os 26km em 40 minutos, eu demorei na ida 1h, a velocidade máxima que atingia era 40km/h) 2o dia Núcleo Santana (Fizemos a Caverna Santana, a mais visitada do Brasil e a Caverna Morro Preto, além de uma piscina natural) 3o dia Núcleo Santana (Fizemos a trilha do Betari, Caverna Água Suja, Cachoeira das Andorinhas e a Cachoeira Beija-Flor) 4o dia Vale das Ostras + Caverna do Diabo (Fizemos a Caverna do Diabo, segunda mais visitada do Brasil e o Vale das Ostras com 13 cachoeiras durante toda a trilha, sendo a última com uma gruta atrás da queda d`água.) 5o dia Núcleo Cablocos (Sem dúvida o dia mais cansativo, porém sensacional, é necessário o guia ir com facão na frente para ir abrindo caminho, fizemos a trilha Caboclos e a Caverna Teminina) 6o dia viagem da volta (Mesmas observações do 1o dia, porém o carro deu um "probleminha" que vocês poderão ver nas fotos abaixo e tivemos que ir parando a cada 50km para olhar se a gambiarra estava presa ainda e não perder o motor) Alguns dias a gente poderia ter feito mais, porém em 2 dias juntou-se no nosso grupo um casal americano e 1 filha de 4 anos que acabou diminuindo um pouco o ritmo, porém não trocaria tudo o que passamos por nada, ver o pai da menina carregando a criança de 4 anos nas costas com toda aquela aventura não tem preço. Sobre a pousada do Abílio: (15) 3556 1405 hospedagem + café + janta Recomendamos sem dúvida, além de ser a mais barata, está em uma excelente localização para visitar os núcleos, o atendimento é excelente, e a filha/atendente Raiane é muito simpática, o senhor Abílio é muito presente e sempre preocupado com seus hóspedes, me ajudou a arrumar o carro no último dia, feriado de ano novo, quando descobri que havia caído a tampa do óleo do motor. Sobre o guia Danilo Martines Duarte (15) 99753-5356 http://www.petardanilo.com.br/ E-mail: [email protected] Sem dúvida o melhor guia que pudíamos contratar, é professor de História para ensino fundamental e médio, fascinado por formações rochosas e natureza, explica a formação de tudo ao longo do caminho, tem uma câmera fotográfica impermeável e ante-queda, fez várias fotos e filmagens do grupo, no final passou tudo para a gente. Sobre o Almoço Nas trilhas tem que levar o almoço porque é no meio do nada literalmente, então sempre íamos na noite anterior no único mercado do bairro, 100m da pousada do Abílio, comprávamos pão e atum, foram assim todos os dias. Sobre o carro Eu fui com o meu carro, um Gol bola 1998 e com 4 pessoas dentro, a viagem foi tranquila, não ficamos atolados nenhum dia, mesmo quando choveu, porém não é o carro recomendado para isso...A sumida na pousada do Abílio onde eu deixava o carro passar a noite é muito forte (50m), todos os dias eu subia sozinho com o carro e as 3 pessoas que estávamos comigo subia a pé porque o carro não aguentava. Voltei de viagem com o peito de aço amassado, sem a tampa do óleo do motor, a porta do motorista quebrou, preciso rever agora o balanceamento, alinhamento e os amortecedores. Parecer final Todos os 4 voltamos no carro falando que nunca tínhamos feito algo parecido na vida, sem dúvida foi uma das melhores viagens na vida de cada um de nós. Não há nada melhor do que ficar desligado do resto do mundo, foram todos os dias sem sinal de celular, internet, trânsito, enfim, tivemos 4 dias dedicados a nós mesmos, até o tempo parece passar diferente. Todos os dias acordamos 6h da manhã para iniciar a caminhada às 8h e voltávamos sempre depois das 17h. Gasto real: Guia + Pousada + Café da manhã + Almoço + Jantar + Combustível até as entradas das trilhas + Saídas em barzinhos a noite = R$410,00 por pessoa Além desses gastos, somente combustível até local de origem. Abaixo seguem algumas das 1.100 fotos que tiramos: Crédito especial para o Guia Danilo que tirou a maioria delas Gol bola 1998 Alessandra, Sarita, Marília e Marcos (eu) Estrada entre Ribeirão Branco Apiaí passando por Guapiara Mirante na estrada entre Apiaí e a Pousada do Abílio Estrada perigosa entre Apiaí e a Pousada do Abílio Passagem dentro da caverna Santana Travessia na caverna Santana Guia Danilo Martines Duarte Caverna Morro Preto Pousada do Abílio Vista às 6h da varanda do quarto onde estávamos Grupo no 2o dia, com o casal de amerianos e a filha de 4 anos Trilha do Betari Trilha do Betari, na trilha toda cruza o rio umas 4 vezes para ir e mais umas 4 para voltar Entrada da Caverna Água Suja Vista da Cachoeira Beija-Flor, com a camera impermeável do guia Danilo Informativo na entrada da Caverna do Diabo Informativo na entrada da Caverna do Diabo Informativo na entrada da Caverna do Diabo Trilha no Vale das Ostras com 13 cachoeiras Trilha no Vale das Ostras com 13 cachoeiras Trilha no Vale das Ostras com 13 cachoeiras Trilha no Vale das Ostras com 13 cachoeiras Trilha no Vale das Ostras com 13 cachoeiras Núcleo Caboclos com 2 guias, 1 família do RJ e 1 família do PR que conhecemos no dia. Núcleo Caboclos Guia Danilo - Núcleo Caboclos Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Cobra no caminho, encontramos 4 cobras ao todo Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Caverna Teminina - Núcleo Caboclos Núcleo Caboclos - Caminhamos até o paredão branco, a subida no paredão foi bemm cansativa No último dia fui olhar o óleo e água para pegar estrada, havia sumido a tampa do óleo do motor e espirrado óleo no motor inteiro, tive que completar 1 litro de óleo para dar o nível correto, improvisamos com essa gambiarra e íamos a cada 50km olhando se ainda estava lá o toco de madeira No último dia fui olhar o óleo e água para pegar estrada, havia caído a tampa do óleo do motor e espirrado óleo no motor inteiro, tive que completar 1 litro de óleo para dar o nível correto, improvisamos com essa gambiarra e íamos a cada 50km olhando se ainda estava lá o toco de madeira A porta não aguentou a aventura, abriu no meio e acabamos voltando assim mesmo... Bom pessoal é isso, espero com esse post poder ajudar muita gente que como eu utiliza o Mochileiros.com para planejar as viagens, além é claro de compartilhar essa excelente viagem que fizemos... Qualquer dúvida é só comentar que ajudo no que estiver a meu alcance... Abraços!!!!
  8. Olá pessoal! Acabei de voltar do Petar, fiquei lá 5 dias e infelizmente foi pouco! Tem muita coisa para fazer lá! Ida e volta, mais passeio internos, foram 750 km rodados, saindo de Sp... Hospedagem: Pousada da Tammy, pacote de 4 diárias (em alta temporada!!) em quarto para 4 pessoas com banheiro privativo foi 300 reais por pessoa, com café e janta incluso, mais lanchinhos para trilha. Fica no bairro da Serra em Iporanga, pertinho de diversos passeios (inclusive do principal núcleo de visita, o Santana). A Tammy é muito simpática, em baixo da pousada tem um mercadinho (dela tbm!) que vende de tudo que vc precisar!! Guia: Para a maioria dos passeios é necessário um guia. A própria Tammy é guia, mas como ela tem a pousada e o mercado, quem ela indica é o noivo, o Carlos! Foi 200 reais por pessoa para os 4 dias do passeio. Ele fica disponível 100% do tempo para qualquer passeio que você escolher..e é muito bom! Se vc é daqueles, como eu, prefere mais ação e menos historinha, é ótimo, pois ele fala somente o essencial e te bota pra curtir as cavernas e cachoeiras! Todos os dias saíamos da pousada as 8 da manhã e voltávamos somente as 16-17 horas... O casal é super prestativo e sempre dispostos com um sorriso no rosto! Não tem erro! Passeios: Devido ao tempo curto eu só consegui fazer alguns pontos do Núcleo Santana (2 dias), a caverna do Diabo (meio dia) e a trilha da cachoeira do Meu Deus (o dia todo). Para todos passeios, exceto a caverna do Diabo, é obrigatório uso de blusa com manga, sapato fechado (tênis de trekking é a melhor coisa, pois eistem muitos trechos irregulares e escorregadios, eu sofri com meu tênis) e calça comprida (eu fui de legging até o tornozelo, meninos, uma boa calça tactel...) Dia 1: Perdi o dia no trânsito por ser véspera de feriado! Acabamos que a parte mais crítica da estrada pegamos ao anoitecer (de Jacupiranga até Iporanga). A estrada é tortuosa, sem iluminaçã e estreita. Aconselho pegá-la de dia. O bairro da serra ainda é 13 km pra frente após a chegada em Iporanga, essa estrada quando chove é bem perigosa...a noite então...Portanto, se for para lá, procure ir de dia, se já conhece, então tranquilo! Dia 2: Caverna Santana e Morro Preto (Núcleo Santana). Entrada R$9, estudante e professores pagam meia Carro R$6 (para o passeio vc vai com o próprio carro, as estradas são tranquilas...se preferir pode pagar para ir com o carro do guia, adicionando R$7 na diária) Passeio seco. Dia 3: Trilha do Betari--> Caverna do Cafezal e Cachoeira das Andorinhas & Beija-flor (Núcleo Santana) Entrada R$9 e carro R$6, essa trilha é mais cansativa. A caverna do cafezal não achei nada de mais, trocaria facilmente pela Caverna da Água Suja. As cachoeiras são demais! No trajeto tem parte seca e parte que entra no rio...vá preparado! Dia 4: Cachoeira do Meu Deus Entrada 2x R$5 Vale muito a pena. Ao longo da trilha paramos em 5 das 17 quedas que temos no caminho. A trilha em si é muito linda! Ao chegar na última queda (A queda do meu Deus) realmente vale o nome!! Nosso guia, muito legal que é, nos levou até atrás da cachoeira que tem uma caverna da onde pode se ver a cachoeira de outro ângulo e ainda receber uma massagem...No caminho também tem um lindo lugar para dar um salto na água pulando de 6m de altura....e um banheirinha de hidromassagem natural...Vá! Dia 5: Caverna do Diabo - lá o guia é do próprio parque Como a caverna fica no caminho de volta para SP usamos o meio dia que tinhamos para visitá-la. 40 min de visitação são o suficientes. O preço é mais salgado, R$20. Ela é uma caverna sem grau nenhum de dificuldade, total atração turistica, vc pode ir com qq roupa inclusive, sendo a única exigencia sapato fechado. Tivemos "sorte"que na ida a luz da caverna não estava funcionando devido a chuva do dia anterior, então o grupo que estava conosco deu escândalo e sobramos somente nós 4, que topamos ir somente com luz de lanternas e nosso guia (o Tony)...SURPREENDENTE! Na volta ainda tivemos as luzes de volta para ir tirando fotos de recordação. Qualquer dúvida...só perguntar! Quanto mais tempo puderem ficar, melhor!
  9. Olá, amigos mochileiros!!! Mal terminou o ano novo já comecei a pensar onde poderia ir no carnaval...e, lendo e relendo os relatos, a decisão foi tomada: PETAR! Gostaria de fazer um agradecimento especial ao mochileiro "stephanriederer", cujo relato contribuiu significativamente para que nossa viagem pudesse ocorrer. Esse é o relato dele: petar-2013-conhecendo-as-cavernas-t77960.html" Valeu!! Entramos em contato com a Pousada da Idati, localizada no Bairro da Serra na cidade de Iporanga, na estrada sentido Apiaí. A diária do camping era R$ 30 e do quarto era R$ 60 por pessoa, com café da manhã e jantar inclusos. Mais barato até do que era quando o colega escreveu o relato (para nossa alegria!). A pousada é MUITO bem localizada no Bairro da Serra. Fica bem próxima aos Núcleos Ouro Grosso (10 min de caminhada), do Núcleo Santana (15 min de carro) e do Rio Betari, onde o pessoal faz Boia Cross. Os donos são a Idati e o sr. Alaor, uns amores de pessoa! Totalmente atenciosos. A primeira coisa que fizeram quando chegamos foi nos oferecer o telefone para avisar nossa família que chegamos bem, já que lá não há sinal de operadora nenhuma, rs. Pousada da Idati: http://pousadaidati.blogspot.com.br/" onclick="window.open(this.href);return false; Tel: (15) 3556-1404 Com a pousada acertada o desafio foi encontrar algum monitor para nos acompanhar nas cavernas. Ligamos para as empresas turísticas mais famosas da região. Todos só fechavam o carnaval inteiro e a maioria já tinha grupos formados. Mandei e-mail para alguns monitores autônomos e obtive resposta do Danilo. Acertamos tudo por e-mail e deu tudo certo. O valor foi muito justo: R$ 45 por pessoa/dia já incluso o capacete e a lanterna (indispensáveis para entrar nas cavernas, e se fosse alugar por fora sairia em torno de R$ 25 o kit). Demos sorte com nosso monitor. É uma pessoa confiável, atencioso com o grupo, entende muito de cavernas, super gente fina, ele e sua esposa, também guia turística, Liliane. Blog do Danilo: http://www.petardanilo.com.br/" onclick="window.open(this.href);return false; E-mail: [email protected] Cel: (15) 9753-5356 Bom, tudo certo, pé na estrada (e que estrada!). A viagem que levaria 5 a 6 horas levou 9h devido ao trânsito de carnaval ãã2::'> O caminho para quem vai de São Paulo não é difícil, mas requer muita atenção para não perder a entrada de Jacupiranga. Essas são as rotas que encontramos através do site do Petar: SAINDO DE SÃO PAULO: • Rodovia Régis Bittencourt (BR116) passar por Tabõao da Serra, Embu, São Lourenço da Serra, Juquitiba, Miracatu, Juquiá, Registro. Seguir até Jacupiranga onde deve deixar a BR116 e entrar na cidade de Jacupiranga. Pegar a rodovia SP193 até Eldorado. Em Eldorado, pegar rodovia SP165 sentido Caverna do Diabo e Iporanga, são 70KM de Eldorado até Iporanga. Trecho todo feito por estrada asfaltada. • Rodovia Castelo Branco (SP280) passar por Araçariguama e Boituva, seguir até a saída para a rodovia SP127 - sentido Tatuí. Seguir esta rodovia até Itapetininga (não precisa entrar na cidade), seguir até o Trevo e entrar sentido Capão Bonito. Em Capão Bonito seguir a rodovia SP250 para Guapiara e Apiaí. De Capão Bonito até Apiaí a distância é de aproximadamente 90KM. Em Apiaí, seguir pela rodovia SP165 sentido Iporanga, passando pelo Núcleo de Santana e Bairro da Serra. A distância Apiaí - Iporanga é de aproximadamente 40KM de estrada de terra. • Saindo de São Paulo no sentido Litoral, pegar a Rodovia Imigrantes ou Anchieta sentido Mongaguá. Passar Itanhaém, Peruíbe, Itariri, Pedro de Toledo até a rodovia BR116. Entrar na BR116 (sentido Curitiba) e passar por Miracatu, Juquiá, Registro e seguir até a cidade de Jacupiranga. Deixar a rodovia BR116, entrar na cidade e pegar a rodovia SP193 até Eldorado. Em Eldorado, pegar a rodovia SP165 sentido Caverna do Diabo e Iporanga. São 70KM de Eldorado até Iporanga. Trecho todo feito por estrada asfaltada. SAINDO DE CURITIBA: • Rodovia Régis Bittencourt (BR116) seguir sentido São Paulo, passar pela cidade de Cajati e seguir até a cidade de Jacupiranga. Deixar a rodovia BR116, entrar na cidade e pegar a rodovia SP193 até Eldorado. Em Eldorado, pegar a rodovia SP165 sentido Caverna do Diabo e Iporanga. São 70KM de Eldorado até Iporanga. Trecho todo feito por estrada asfaltada. • Estrada de Colombo seguir sentido Colombo, passar por Adrianópolis e Ribeira chegando à cidade de Apiaí, trecho todo feito por estrada asfaltada. De Apiaí seguir para Iporanga (40 km de estrada de terra), passando pelo núcleo Santana e bairro da Serra (25 km). • Rodovia Régis Bittencourt (BR116) seguir sentido São Paulo, deixando a rodovia BR116, entrando na cidade de Barra do Turvo (Cerca de 40 km estrada asfaltada). Seguir de Barra do Turvo pra Iporanga ( cerca de 40km, estrada de terra). Saímos sábado (09) de São José dos Campos às 5h. Chegamos em torno das 15h. Bem mais tarde do que prevíamos. Havia chovido muito, o tempo estava nublado mas quente. Fomos pra pousada, nos trocamos e saímos para fazer Boia Cross. Como disse anteriormente, continuando a (única) estrada da pousada, que vai de Iporanga a Apiaí, em 10 min você chegará a várias lojinhas, pousadas, lugares para alugar a boia e a famosississíssima Pastelaria da Zeni, rs. Definitivamente o point do Bairro da serra! Alugamos nossas boias na lojinha da Pousada da Diva. Foi R$ 19 a boia, o colete, o capacete e o transporte de volta. Porém NÃO é aconselhável descer o rio sem guia, pois há vários pontos em que as corredeiras são fortes e não dá pé. Além do que o guia sabe o melhor caminho pra desviar das pedras. Nossos guias foram dois meninos, Cauã e Fabrício, que trabalham na pousada da Diva, e que apesar da pouca idade, são verdadeiros ferinhas no Boia Cross! Nos ajudaram MUITO! R$ 20 pelos guias para o grupo todo. Mas a moça fez um desconto e no total saiu R$ 20 tudo para cada um Gostei demais de fazer Boia Cross! A descida leva quase 1h. Bem divertido, ainda mais em grupo. Ah, só pode descer se estiver de CALÇA e TÊNIS. Tá avisado É bom colocar umas joelheiras também....depois que fizerem vão entender porquê....rs No dia seguinte levantei às 6h porque o café começa a ser servido às 7h. Às 7h20 nosso monitor chegou na Pousada, como combinado, e deixou conosco os capacetes com as lanternas e marcamos na entrada do Núcleo Santana às 8h. Na portaria do Núcleo eles vendem aquele livrinho "Trilhas de São Paulo", que estava doida para encontrar. R$ 5 e já carimbamos na página da "Trilha do Betari", que foi a que fizemos nesse dia. O Danilo disse que as cavernas principais estavam lotadas já, com horários agendados pro dia todo, então fizemos a trilha. E que trilha!!!! Não sou uma pessoa sedentária, mas aquela trilha me tirou as palavra da boca! rs São mais ou menos 4h de percurso só de ida e mais 4h de volta, entre muito barro, várias travessias no Rio Betari, cascalhos, pedras lisas, galhos e uma paisagem belíssima! Apesar do cansaço físico a mente fica renovada com um lugar tão puro! Considero a mais difícil que fiz, mas valeu a pena com certeza. No meio da trilha passamos pela Caverna da Água Suja. Ela é inteira com água e quanto mais fundo da caverna mais a água sobe até ao ponto de chegar a uma pequena queda d'água em seu interior. Imagina como estava quente a àgua! rs Não há passagem para o outro lado, então é só voltar até o começo para sair. Bem bonita, com trechos para se agachar, salão do golfinho e a quedinha d'água no final. Ao final da trilha chega-se às cachoeiras Beija-Flor e Andorinhas. A água (gelaaada) refrescou e reanimou para o caminho de volta. Não antes de um belo lanche :B Voltamos pra Pousada, jantamos uma comida deliciosa da Idati, com direito à sobremesa, e dormimos que nem pedra ^^ Segunda-feira (11) foi dia de Núcleo Ouro Grosso. Encontramos o Danilo na Pastelaria da Zeni e seguimos ao Núcleo. Apesar de chegarmos cedo também já haviam muitos grupos na frente, então o roteiro foi Caverna Alambari de Baixo e Cachoeira Sem Fim. Tem que andar uns 40 min de trilha até a caverna. E lá fomos nós apostar quem escorregava menos no barro. Nem ligava mais pra lama. Meia branca era lenda! rs As minhas deram PT! u.u Na Alambari de Baixo sim me senti entrando numa caverna. Para entrar precisa descer umas pedras enormes lisas. Ela é muito grande e é descida o tempo todo. Teste de claustrofobia! Há um momento que apagamos todas as lanternas para sentir como é a escuridão na caverna e ouvir a água pingando. Uma sensação única! Linda, linda, linda. Adorei essa caverna. A travessia dela está proibida, mas dizem que tem que escorregar por túneis e andar com água até o peito para chegar ao outro lado. Só fiquei triste por não ter visto nenhum morcego Na volta fomos para a Cachoeira Sem Fim, que fica na estrada voltando para Iporanga, pertinho da Pousada. A cahoeira fica na propriedade de um senhor (que inclusive está vendendo o lote) e cobra R$ 4 para entrar. Tem que andar por uma trilha (com barro, claro). Lá tem três cachoeiras pequenas mas bem gostosas. Voltamos, jantamos, e quando estávamos quase cochilando surgiu a ideia de irmos ao Mirante entre Iporanga e Apiaí, de onde há várias histórias sobre ET's. Todos da região conhecem e dizem ter visto, Inclusive a ideia veio do relato do colega mochileiro, que disse também ter visto algo estranho. Enchemos o peito de coragem e fomos pro mirante. Fica exatamente 8,2 km da entrada do Núcleo Santana, na mesma estrada. É uma estradinha de terra bem sinuosa e estreita, então bastante cuidado ao dirigir ali. O mirante é um murinho ao lado da placa "Vale do Betari". Descemos do carro, apagamos as luzes e ficamos esperando os et's na escuridão total, rs. Infelizmente (mas felizes por dentro), não vimos nada de estranho. Aí na pousada descobrimos que fomos cedo demais, que as coisas estranhas começam a acontecer das 23h em diante. Poxa, tem até hora marcada! rs Terça-feira de carnaval era dia de ir embora. Como saímos cedo e o caminho de volta passa por Eldorado, aproveitamos para conhecer a Caverna do Diabo. A entrada é R$ 20 incluso o guia, que você conhece na hora. São só 600m que podem ser visitados na caverna e o caminho é todo por passarelas e escadas. Há iluminação artificial lá dentro e uns aparatos tecnológicos. Sei que tudo isso é para facilitar a vida do turista, porém para isso devem ter alterado drasticamente o interior da caverna. Todavia ela não deixa de ser magnífica! A mais bonita que visitamos! São formações bem mais antigas, segundo o guia, e por isso sua altura e espeleotemas diferenciados. Muito bonita, recomendo a visita. DICAS: *Não adianta se esconder do trânsito, feriado é sempre feriado, portanto se prepare se quiser viajar em feriados prolongados, pois o Petar fica bastante movimentado. *Procure antecipadamente as cavernas e os núcleos que deseja visitar, para quando chegar na hora não ficar perdidasso. Mas se o roteiro tiver de ser mudado não desanime. Todo lugar diferente vale a pena conhecer. *Procure também ficar numa pousada/camping no bairro da Serra, pois economizará tempo e dinheiro quando precisar se locomover aos núcleos. Há dezenas, uma ao lado da outra. No site do Petar há informações sobre isso e muito mais: http://www.petaronline.com.br/" onclick="window.open(this.href);return false; *Não esqueça das roupas e tênis para molhar, caminhar e sujar. Não vá correr o risco de ir até o Petar e não poder fazer uma atividade por não estar com a roupa adequada. *Se for fazer a Trilha do Betari: Vai na fé!!! rs Brincadeira, mas precisa de fôlego mesmo. E calçados anti derrapantes. Gostaria de saber a opinião de quem fez a trilha pra saber se só eu a achei cansativa *E a dica mais importante: Quando estiver descendo o rio de Boia Cross: Cuidado com o joelhoooo!!!!! kk E fui!
  10. Bom pessoal, acabei de chegar do PETAR, acampei no camping e pousada da Idati, as coordenadas para GPS são: -24.556921,-48.677836 foi o mesmo lugar que nós ficamos das outras vezes, mas eu não sabia que era camping também, e ela me disse que lá pode entrar motorhome e trailer, inclusive motorhome médio/grande cabe lá! a diária do camping é 35 reais por pessoa, o quarto da pousada é 70 por pessoa. (estão inclusos na diária café da manhã e jantar, tanto no camping quanto na pousada, e ela deixa pegar pão e frios do café da manhã, preparar lanches para almoçar nas cavernas, então pode-se considerar café, jantar E almoço) fomos em 3 casais, cada um com seu carro, saímos de SP de madrugada, sexta feira as 4 da manhã, chegamos lá as 9h e já preparamos as barracas. o camping tem uma área boa gramada e os pontos de luz são 110 depois de tudo armado e preparado, fomos fazer nosso primeiro passeio, uma trilha até a cachoeira sem fim, fica pertinho do camping, nós fomos todos na caçamba da montana de um dos casais, mas dava pra ir apé tranquilamente. chegando na cachoeira nós entramos na água pra refrescar, a água estava muito gelada!!! são diversas cachoeiras pela trilha, em todas elas é possível entrar para nadar debaixo da queda depois da trilha, continuamos o caminho na caçamba até a cidade de Iporanga para almoçar, voltamos ao camping e seguimos com as aventuras da parte da tarde, bóia cross!!! é uma hora de descida por 2km do rio betari, no fim, agente sobe na caçamba do caminhão do cara que aluga as bóias e volta lá pra cima. a noite fizemos um passeio totalmente inesperado, todos querendo dormir já e as 22h aparece um hóspede da pousada nos convidando para algo bastante diferente, observar discos voadores no mirante do parque... lógico que aceitamos a proposta! não tirei fotos pois era necessário ficar na escuridão total, e o que nós vimos, não vou nem contar pois ninguém vai acreditar, quem quiser vá ver com seus próprios olhos, o mirante fica a 10KM da pousada, no meio da reserva, as coordenadas GPS são: -24.519721,-48.725063 o jantar foi no camping da Idati, comida que ela mesma prepara, sempre uma delícia, na primeira noite teve carne com cebola, batata frita e muita coisas mais. Durante o jantar, já conversamos com o filho dela, o Rodrigo, que é guia do parque, qual seria o programa de sábado e domingo, nem precisa dizer qual né, CAVERNAS! para entrar em qualquer caverna, é obrigatório ter um guia junto, então o filho da Idati, Rodrigo nos acompanhou sábado e domingo nas cavernas no sábado acordamos para fazer as cavernas do núcleo Santana, é um pouco mais afastado, no caminho pro mirante dos discos voadores, então lá fomos nós pra caçamba da montana denovo! lá tinha essa placa que eu achei muito legal "da natureza nada se tira, a não ser fotos, nada se deixa, a não ser pegadas, nada se leva, a não ser lembranças. seja bem-vindos ao PETAR" para entrar no parque é proibido entrar de chinelo, regata ou bermuda nem preciso explicar o porque né? se vc for de bermuda e chinelão, vai se arrepender pro resto do dia hahahaha também não preciso dizer que é obrigatório levar capacete e lanterna né? o capacete simples o Rodrigo tem no camping pra emprestar, mas o capacete com lanterna acoplada tem que alugar na cidade. também não preciso dizer que é pra ir com roupa que não tenha problema em rasgar, um tennis velho que possa entrar na água. Eu acabei comprando uma calça lá no supermercado do lado do camping (essa cinza da foto), paguei 25 reais, valeu a pena, está inteirinha aqui, super resistente e seca em 5 minutinhos. neste dia conseguimos fazer 3 cavernas: Caverna de Santana: é a mais famosa, a mais completa, tem todos os tipos de formação, o nivel é bem fácil, então é a mais visitada de todas Caverna do Morro Preto: esta é muito famosa pois é uma caverna bem aberta, na maior parte do dia tem luz nela, e por isso, era a casa de muitos povos primitivos, você vê vestigios deles lá, muito legal Caverna da Água Suja: apesar do nome, a água é cristalina, pra chegar nela, tem uma trilha de 1,2KM, onde agente já começa a se molhar dentro dela o percurso é inteirinho pela água, tem locais onde o nível da água chega no peito, e lá no final dela no fundão da caverna tem uma cachoeira que agente pode entrar embaixo pra tomar um banho, e como vocês podem imaginar, a água é super quentinha heheheh ps. essa foi minha caverna preferida da viagem inteira, muito show andar dentro da água pela caverna! era pragente fazer mais uma caverna no núcleo santana, a Caverna do Couto, mas chegamos 10 minutos atrasados, as 16h fecha a entrada das cavernas pois o parque fecha as 17h... neste dia estávamos esgotados, chegamos, jantamos e dormimos. domingão acordamos mais cedo pois era dia de ir embora pra casa, e ainda tinhamos as cavernas do núcleo Ouro Grosso pra visitar! o núcleo ouro grosso é bem próximo do camping, então fomos todos apé! lá nós fizemos duas cavernas. Caverna Alambari: são 40 minutos de trilha pra chegar nela (e 40 de volta), é uma caverna super bonita, antigamente tinha um percurso de água no final dela mas hoje está proibido, pois está acontecendo um fenômeno estranho no parque que o nível de água desta caverna está subindo em horas aleatória, tanto em período de seca quanto de chuva, e isso diversas vezes por dia, e tem dia que não acontece nada, como ninguém entendeu o que é isso ainda, a parte de água está proibida por motivos de segurança. tem uma parte dela que você tem que entrar se arrastando dentro de um túnel estreito e deopis escorregar por um buraco na pedra! e a última, Caverna Ouro Grosso: essa fica no núcleo mesmo, não tem trilha pra chegar nela, e é muito legal, dentro desta caverna existem 12 cachoeiras, mas o percurso turístico só chega na primeira, você também tem a chance de mergulhar na cachoeira da caverna aqui também (eu mergulhei nas duas cavernas que eu fui que tinha cachoeira heheheh) depois de voltar pro camping, tomar um bom banho e arrumar tudo, a Dona Idati, sempre muito atenciosa, nos preparou um super almoço no lugar do jantar, frango empanado, creme de milho e macarronada, uma delícia!! então pegamos o caminho de casa, passando pela cidade de Iporanga lá, como não podia deixar de ser, paramos para fazer umas comprinhas, artesanato local é sempre muito bem vindo para nossa coleção! e é isso aí pessoal, quem quiser passear no PETAR, vá! é muito bom! não vão se arrepender! sobre preços: cachoeira sem fim: 4 reais por pessoa (a entrada fica na propriedade de um senhorzinho) boia cross: 19 reais por pessoa (com direito a colete, capacete e caminhão pra voltar) núcleos: 6 reais o carro + 9 reais por pessoa (pra passar o dia todo, fazer quantas cavernas conseguir) guia: de 100 a 150 reais por dia (o grupo todo, depende do tamanho do grupo) ps. para entrar nos núcleos, estudante paga meia entrada, e acima de 60 anos é de graça.
  11. Olá pessoal! Tomei coragem e resolvi fazer meu primeiro post com relatos de viagens. Resolvemos fugir um pouco dos roteiros movimentados e curtir mais o sossego e a naruteza. Espero que este relato ajude a todos que queiram conhecer esses lugares. Vamos lá: 1º Dia - Registro e Cananéia Acordamos bem cedo e pegamos a estrada, a direção era a cidade de Cananéia-SP (Litoral Sul). No caminho tranquilidade, sossego até.... TRANSITO NA SERRA.. "Meo será que até em dia de semana a gente pega transito nessa maldita serra???" Essas foram as palavras sábias de minha noiva logo qdo paramos atras de um monte de carros.. E que transito!!! Atrasou a viagem mais ou menos umas 3 horas... Após rodar varios KM's resolvemos dar uma paradinha na cidade de Registro. Ela é uns 100km de Cananéia. Meo que cidade limpa! Que povo educado! Fora que é muito rica em cultura. Como foi uma cidade que teve muitos imigrantes japoneses, em varios pontos da cidade você ver coisas relacionadas com o Japão. É bem legalz.. Após conhecer a cidade e comer varias coisas lá (vários bolinhos japoneses ) continuamos nossa viagem. *AVISO* - Pra que vai de São Paulo (Capital) p/ Cananéia muito cuidado com estrada que liga a Regis Bitencurt a cidade de Cananéia, pois tem varias curvas e muitos buracos. Bom, chegamos em Cananéia. Nooossssaa nunca vi um litoral tão calmo, o povo muito simples hospitaleiro, ficamos em um hotel e fomos dar uma volta na cidade. O legal de lá é que tem vaaaariaass coisas historicas sobre imigrantes e talz. Fechamos com um rapaz o passeio para Ilha do Cardoso e voltamos pro hotel e fomos descansar. 2º Dia - Ilha do Cardoso ZzZzZzZzZzZz... Bééé.. Bééé.. Afff o odeio meu despertador.. Acordamos umas 6:30, pois o passeio ia começar as 8:00... Quando o chegamos no lugar que o barco ia sair *SUPRESA* , o barco dava medo de mais... Acho que até um botinho inflavel passava mais segurança, mas fazer o que néh? Ja tinhamos pago... Então?? Caímos para dentro!!! No caminho o guia vai mostrando uma porrada de lugar e você acaba nem ligando mais para o barco, de tão lindo que é a paisagem.. Agua azulzinha, varios passaros, golfiiinhos (depois entro em mais detalhes), peixes e mutucas.. AIII MUTUCAS.. Isso!!! Infelizmente não sabiamos que em novembro e dezembro era a epoca de reprodução delas.. Mas blz, umas picadas a + ou - não matam ninguem. Voltando... O caminho até a Ilha do Cardoso é maravilhoso.. E quando voce chega lá!! MEEEOO DEEUUSS... Que lugar éh aquele.. Lindo d+, deserto, verde. Tem lugares na Ilha que tem piscina natural , fora a fauna.. Tudo o que tipo de passaro, peixes e golfinhos.. Sim agora vou chegar nessa parte... Eu sabia que os golfinhos eram brincalhões, mas não do jeito que eles estavam na ilha.. E ficavam se mostrando para nós, pulando chamando a atenção... Você pulava na água e eles vinham querer brincar. Dentro da ilha tem um museu bem legal, que tem fotos e ossos de jacaré, tubarões e até baleia encontrada lá. Quando deu umas 17:00 saímos da Ilha e voltamos para Cananéia.. E sabe o que fizemos???? NADA!! Porque eu e minha noiva estamos parecendo dois camarões, assadosssss por causa do sol... Comemos algumas coisinha e fomos durmir cedo! 3º Dia - Iguape e Ilha Comprida "Amor, acho melhor a gente levar algum cartão, debito ou credito!" Essa foi mais uma das frases sábias de minha noiva. Pois éh!Eu não quis escuta-la, pois iriamos entrar varias vezes no mar e ja tinhamos dinheiro na carteira dela e na minha. Sóh que só fui perceber que tinha esquecido minha carteira mais tarde. Saimos de Cananéia e fomos para a cidade de Iguape. Lá tem uma praia que fica em uma reserva. A praia da Juréia.. A praia é linda, bem diferente das praia normais.. Éh limpa e voce tem mais contato com a natureza. Ficamos um pouco lá e resolvemos ir para a Ilha Comprida. Você pode ir para Ilha ou por Cananéia que tem balsa, ou por Iguape quem a ponte. Ja que estavamos em Iguape, fomos pela ponte. A Ilha éh show de bola, tem a parte movimentada que fica no centro com varias lojas e quiosques. Ficamos um pouco la e fomos sentido Cananéia, onde fica a parte afastada. Tudo deserto, não tem asfalto, você anda com o carro pela areia da praia.. É muito doidooo, que sensação gostosa. Aproveitamos a praia, as dunas, tiramos varias fotos, brincamos muito com o carro na areia e cansamos... Resolvemos continuar o caminho para pegarmos a Balsa e ir para Cananéia só que... *AVISO* Cuidado com o horario que você vai dirigir pela praia em Ilha Comprida, a maré pode subir!! SIMMMM... A maré subiu.. O ultimo canal que tinhamos que atravessar para pegar a balsa encheu de mais e tivemos que voltar... Isso não é o pior, o pior era que eu esqueci a minha carteira e a minha noiva com suas frases sábias acertou mais uma... Esse maldito cartao fez uma faltaaa.. Pq ja não tinhamos mais dinheiro, estavamos sem cartão e não tinha jeito nenhum de sacar.. Acho que foi um dos perrengues mais doidos que passei em minha vida. Pq daquele canal para a balsa faltavam apenas 5 km e o retorno inteiro eram + de 90 km, fora que estava escurecendo e a maré subiundo.. Mas chegamos... Com a gasosa na reserva, sem dinheiro e suando frio ... Essa noite a gente aproveitou bem Cananeia, fomos para um barzinho e nos divertimos muito. Sóh que antes, agradecemos a Deus por ter chegado sã e salvo em casa!!! 4º Dia - Eldorado (Caverna do Diabo) e Iporanga (PETAR) Chega de praia!!! Vamos agora curti cachoeiras e cavernas. Logo de manhã pegamos a estrada e fomos em direção a Caverna do Diabo. Para chegar lá, você tem que passar pela cidade de Eldorado. Tem varias placas mostrando o caminho. É muito facil encontrar o lugar... Quando vc chega no parque, você paga um taxinha para ir com o guia na caverna e pelo estacionamento. E só pode ir em turmas. Mais ou menos uns 40 minutos para fechar as turmas. Turmas fechadas vamos lá. Caverna é muito legal.. Nunca uma é igual a outra e a Caverna do Diabo e a mais diferente que eu ja vi.. Ela eh muito grande.. MAS ÉH GRANDE MESSSMOOOOO!!! Você fica impressionado com tamanha beleza.. E como a natureza consegue ser tão maravilhosa.. O ponto positivo da Caverna do Diabo, é que ela tem luzes, então não há muito a necessidade de lanternas. O negativo é que tem alguns lugares que a gente pode ver que foi vandalismo. E para a natureza consertar isso demora centenas de anos. É um passeio mais Light, e não requer muito esforço fisico.. Vale muito apena ir. Terminado o passeio fomos para Iporanga. Para o lugar mais fascinante que eu ja vi.. Chegamos em Iporanga e fomos procurar alguma pousada. Rodamos muito até acharmos uma bem legalz. Se não me engano é Pousada Casa de Pedra, fica em frente ao rio Ribeira. Fomos fechar o passeio do dia seguinte e ficamos de bobeira a noite toda. 5º Dia - Iporanga - Petar 8:00 da manhã ja estavamos no lugar onde tinhamos marcado com o Guia. O guia custa R$ 100,00 o dia, ja com todos os equipamentos inclusos. Nosso guia foi o MIZAEL, o moleque eh gente fina de mais. Nosso roteiro tava a exploração de 3 cavernas mais o Boiacross. *AVISO* O preparo fisico é muito importante para a exploração. Caso você nao tenha, explore cavernas mais basicas Fomos para a Caverna Santana. Completamenta diferente de tudo que imaginei, nao tem luz nenhuma, só as nossas.. Ela eh tem varios labirintos e varias galerias, uma mais linda do que a outra. É a caverna mais bonita do Petar, pois tem varias estruturas, estalactites, estalagmites, cortinas e até umas pedrinhas que brilham no escuro que eu esqueci o nome. No final dela caminhamos um pouco e fomos para uma cachoeira.. Eu nem esperei o guia falar e ja pulei... MEO DEUS... QUE AGUA GELLAAAAADDDDAAAAAA... E era isso que ele ia falar, que tem lugares que a agua chega a 5ºgraus... Depois disso fomos para a segunda... Caverna Ouro Grosso.. Que d+... A entrada dela é 40cm x 40cm e ela eh bem estreita. Nivel de dificuldade altissimo... Soh que no final voce ganha um presentaçoooo... Dentro da caverna tem uma piscina natura de + ou - 3 metros de pronfudidade e uma mini-cachoeira tbm!!! O mais legal lá é que a água não é tão gelada A terceira foi a Caverna Alambari de Baixo.. Essa é maluca... A entrada dela éh bem larga e a claridade é alta na entrada. Assim a gente pode aproveitar cada detalhe dela... O mais legalz dela, é que você é obrigado a se molhar.. No meio dela vc tem que entrar na água. E as vezes a agua chega até o pescoço (tenho 1,74). Muito legalz.Cada caverna tem um diferencial, só que a do Alambari de Baixo e a do Ouro Grosso o nivel de dificuldade é alto.. Mas vale a pena.. No final, fizemos boia cross nas corredeiras do Petar... Foi incrivel... Chegamos mortos de fome e cansado na pousada... Fomos a um restaurante e curtimos a noite na cidade... 6º Dia - Volta para Sampa.. Acordamos taaaarrrde maiiss.. Meoo a volta éh sempre um saco.. Mas tinhamos que voltar... Na volta a SP passamos ainda em Registro, pra mais uma passeada.. Ja disse que essa cidade é gostosa d+?? Meoo.. Éh.. Se vocês passarem em frente dela, não deixem de visitar... Bom gente, esse foi meu relato. Espero que tenham gostado e ajude a muitos do forum.. Abraços.. Felipe Silva
×
×
  • Criar Novo...