Ir para conteúdo

BUENOS AIRES - relato - roteiro - informações úteis - 4 dias - maio/14


Posts Recomendados

  • Membros

Amigos Mochileiros, vou tentar fazer um relato bem completo, sem detalhes desnecessários, focando em informações úteis a sua viagem.

Primeiro, fiz a viagem neste último feriado do trabalhador, do dia 30/04 à 05/05/14, com 4 dias úteis de viagem. E lá falo, não fiz compras, então não sei quase nada a respeito.

 

• Quantos dias são necessários para conhecer Buenos Aires?

Para se fazer uma boa viagem, com calma, conhecendo bem a cidade e fazendo pit stop para comer em bons restaurantes no meio do dia, são necessários 3 dias. Menos que isso fica muito corrido. Mais que isso, você pode tirar os outros dias para conhecer os entornos de Buenos Aires. No nosso 4º dia fomos para Tigres. Existem outras opções, igualmente populares e próximas como Lujan e Colônia (no Uruguai).

 

• Como levar dinheiro para Argentina?

Dica: Você deve levar em reais ou dólares (se já tiver guardado em casa), não troque dinheiro nenhum no Brasil, pois a Argentina passa por um momento de crise econômica, com uma política monetária que restringe a compra de dólares pela população local, então o câmbio paralelo por lá disparou, e você consegue uma taxa de câmbio mais favorável por lá. Como exemplo o câmbio oficial aqui no Brasil, dia 29/04/14 estava em 1 real = 3,60 pesos e lá no dia seguinte no paralelo trocamos a 1 real = 4,30 pesos.

A casa de câmbio é a Cerrito Express, fica na Avenida Cerrito, nº 228, ou lado da Avenida 9 de julho, há duas quadras do Obelisco. Tem vários câmbios paralelos por lá, mas nem todos são seguros, corre-se o risco de pegar notas falsas. Esta casa de câmbio que indiquei funciona perfeitamente, você não terá este problema. Então se for trocar dinheiro no paralelo por lá, troque em algum lugar que você tenha referência.

Informação: para passar uns dias bons por lá, comendo em bons restaurantes, você irá gastar, na média, 350 reais para 2 pessoas (casal) por dia.

Dica: leve mais ou menos 500 reais por dia, assim você não fica fazendo contas, vai trocando aos poucos conforme sua necessidade, para também não chegar ao final da viagem cheio de pesos no bolso, porque eles aqui no Brasil não valerão nada. O dinheiro você deixa no cofre do hotel, é seguro, não tem stress. Saia com mais ou menos 1500 pesos no bolso, é suficiente para passar o dia, se não for fazer compras. O restante fica no cofre.

 

• Hospedagem:

Dica: na hora de reservar hotel, reserve um que você possa pagar lá quando chegar, assim você consegue um câmbio bem mais favorável, não paga IOF e demais encargos em seu cartão de crédito. Pegue um hotel também sem café da manhã incluso, acredite, é uma grande vantagem em Buenos Aires, assim você conhece os maravilhosos café da cidade, como o Café Tortoni, o La Biela, entre outros, como ponto de partida para o início do tour de cada dia.

Minha sugestão que se encaixa perfeitamente no que falei acima é o Ibis, fica na Plaza del Congresso (end. Hipólito Yrigoyen, 1592). É bem localizado, no centro, próximo do metrô, e você não tem surpresa no que vai encontrar. Reservando com antecedência, e pagando lá com o câmbio melhorado, em pesos, paguei o equivalente a 81 reais a diária, excelente custo x benefício. Se quiser reservar, é só acessar o site do Ibis, é bem fácil fazer a reserva.

 

• Passagens aéreas:

As passagens promocionais, saindo de São Paulo, custam em torno de R$ 700,00, por pessoa, ida e volta (incluindo as taxas). Nos períodos de maior demanda – férias escolares e feriados – os preços costumam flutuar bastante. De um feriado para o outro, às vezes, os preços mudam muito, como foi o meu caso, deixei de viajar na páscoa, pois os preços estavam em R$ 1.500,00 e optei por viajar no 1º de maio (duas semanas após) pagando R$ 1.000,00 ida e volta por pessoa, o que achei um ótimo preço, se tratando de feriado.

 

• Roteiro de viagem:

Você divide seu roteiro por bairros, assim, no primeiro dia, você faz a parte central - Centro Histórico + Puerto Madero (sem a Plaza de Mayo) - no segundo dia a parte norte - Recoleta + Palermo - e no terceiro dia faz a parte sul da Cidade, indo a La boca, San Telmo e mais a famosa Plaza de Mayo. Deixe a Plaza de Mayo para fazer com a parte sul, pois senão ficaria muita coisa para se fazer no primeiro dia, ficando muito cansativo e pouca coisa para o último dia. Sendo que de San Telmo até a Plaza de Mayo, é só descer pela Calle Defensa mais 6 quadras, e você faz isso tranquilamente a pé.

 

Roteiro dia-a-dia – por bairros

 

1º dia – Centro Histórico

Começe o roteiro no café Tortoni (o café mais famoso e antigo da cidade, fundado em 1858 – aproveite para desfrutar de um chocolate quente que não há igual aqui no Brasil);

013.JPG.db268e9563482226ba8215b228b2a9a5.JPG

Depois vá andando pela Av. de Mayo até a Plaza Del Congresso, são 7 quadras, mas esta é a avenida mais charmosa da cidade, com vários prédios antigos com uma arquitetura fantástica, a casa Rosada em uma extremidade e o Congresso na outra, vale a andada.

Plaza del Congresso – você verá o Palácio do Congresso e uma grande fonte no meio da praça (na minha opinião a mais bonita da cidade, com várias esculturas de deuses, cavalos, anjos, muito bonita).

180.JPG.258453a0496aca3137eea7d1acb033f7.JPG

Depois vá até o Obelisco, tirar uma foto num dos pontos mais famosos da cidade e aproveitar o visual da avenida 9 de julho (a avenida mais larga do mundo). São mais 11 quadras até lá. Conselho: da para ir a pé numa boa, mas se sua mulher estiver de bota para sair bem nas fotos, amigo é melhor você pega o metro (fica bem na praça e te deixa a uma quadra do Obelisco).

058.JPG.d0cd9d18f37a314e528fb3e350b7a9c8.JPG

Depois ao lado está o Teatro Colon. Se me perguntarem qual o melhor ponto turístico de Buenos Aires, sem dúvida, responderia é este. Tem uma visita guiada de uma hora em espanhol e inglês, custa 150 pesos. Parece caro, mas e o único ponto turístico da cidade em que você paga um valor considerável para entrar, o restante paga-se somente um valor simbólico. Mas ao final do tour você verá que seu dinheiro não foi jogado fora. O teatro foi inaugurado em 1908, e foi construído na época em que a cidade atravessava seus anos de ouro. Não perde nada em estilo e acabamento para os principais teatros Europeus. Suas escadarias de mármore, as paredes trabalhadas também em mármore e madeira nobre, seu teto com pinturas belíssimas e trabalhos em bronze e ouro certamente justificarão o preço do seu ingresso.

341.JPG.263e7d62732b5db3137cd1bd85f0e645.JPG

339.JPG.9e86aec322aa9b46a37af4efb40e539c.JPG

Após, andando mais 5 quadras, pela Viamonte, você estará nas Galerias Pacífico (é um shopping, porém o prédio por fora é muito bonito). Você estará na Calle Florida – a rua famosa para compras – e na esquina com a Avenida Cordoba (em frente a galeria) haverá um café/bar legal para você tomar uma cerveja no meio do dia para repor as calorias gastas até aqui.

068.JPG.5b4027c9a2153bdb697dcd4b0b9cfe83.JPG

Após isso siga mais 2 quadras, pela Calle Florida, e você estará na praça San Martin.

Praça San Martin – muito bonita e arborizada convidativa para um pequeno relax, você terá ainda o Palácio Paz para dar uma espiada.

074.JPG.89f6a690f0805191f1fd44bb5c669986.JPG

Após isso provavelmente você deve estar cansado das andanças do dia, então pegue um taxi e vá almoçar em Puerto Madero. O taxi deve te custar em torno de 7 reais.

 

1º dia – Puerto Madero

091.JPG.ca70dc65913cedf0edabeb45135339e9.JPG

Chegando à Puerto Madero, minha dica para um excelente almoço carnívoro é o restaurante Cabana Villegas, fica quase em frente à Puente de la Mujer, no dique nº 3. O bife de chorizo é simplesmente delicioso, custa em torno de 120 pesos. Para quem não sabe, é o mais famoso bife argentino. É um bife bem grosso mais hiper macio, peça ao garçom para passar um pouco mais para não vir sangrando (isso se você prefere a nossa carne ao ponto). Pois o ponto da carne na argentina e o mau passado da gente. O almoço completo, com bebida, couvert e serviço sairá em torno de 100 reais por casal.

101.JPG.73f40feaba695e1103f4d34e953adde2.JPG

Após o almoço, visite o Museu-Fragata Sarmiento, e um museu dentro de um grande barco veleiro, interessante, você já estará em frente. E aproveite para curtir o visual do local, você estará a poucos metros da Puente de la Mujer.

102.JPG.1d0c2b848d073d27f5f96e62befd4361.JPG

Para finalizar, caminhe uns 300 metros em direção ao dique nº 4, e termine o dia com um bom sorvete na Freddo. O sorvete é delicioso, se tiver na dúvida quanto ao sabor, eles tem várias combinações com doce de leite e com chocolate que não tem erro.

 

2º dia – Recoleta

Comece o dia com um bom café da manhã no La Biela (o chocolate quente de lá também é sensacional).

129.JPG.ce12359654df24dc57ffdd97d48a55bf.JPG

Após você estará em frente à Igreja de Nossa Senhora do Pilar, é pequenininha, e vale a visita.

132.JPG.64419d6cc98f5022923d21671ff03ebf.JPG

Depois vá ao famoso Cemitério da Recoleta, você estará ao lado dele. Você pode até estranhar em fazer uma visita turística a um cemitério, porém não é um cemitério comum. É um cemitério aonde estão enterradas as pessoas mais ricas da cidade, onde em cada tumba foram construídos verdadeiros manzoléis, verdadeiros monumentos, que valem muito a pena a visita, devido a singularidade local.

143.JPG.8f8938a41d8f4595ccbf552875623dc9.JPG

Após isso você andará uns 400 metros, em direção a Av. Figueroa Alcorta, e estará na famosa flor de Metal – a Floralis Genérica – uma obra de arte bem interessante, vale a foto.

147.JPG.6ab4e09b11bd90e91581ea31bce24c3f.JPG

Ao lado você encontra o Museu de Bellas Artes. Para quem gosta de apreciar obras de arte, tem obras de Picasso, Van Gogh, El Greco, entre outros, seria um prato cheio.

144.JPG.58320d130b3fd908b721fc9f018a4d3c.JPG

2º dia – Palermo

Após, tome um taxi e vá até o Jardim Japonês, em Palermo, a corrida lhe custará 5 reais. O ingresso custará mais uns 8 reais. O jardim é muito bonito e bem cuidado, vale a entrada.

155.JPG.15921ba7e37436890e2628279ad92355.JPG

Após vá andando até o Parque 3 de Febrero, fica ao lado, e entre no Rosedal, é um jardim cheio de rosas coloridas, muito bonito.

163.JPG.238fdd7f48ec3e7b15b5a26c2d38a0c3.JPG

Depois você já deve estar com fome, tome um taxi e vá almoçar em Palermo Soho, no Don Julio (esquina da Gurruchaga com Guatemala). Comida muito boa, local agradável e bem decorado, um almoço completo irá custar uns 80 reais o casal.

171.JPG.d9383482337f6ae8760ebd8aa3af16fa.JPG

Após isso, tem uma sorveteria Freddo estrategicamente localizada a umas 3 ou 4 quadras dali, na rua de trás do restaurante. No bairro estão localizados os principais outlets da cidade, então para quem gosta de compras, seria uma boa diversão para o final do dia.

 

3º dia – La Boca

Pegue um taxi até El Caminito, em La Boca, vai custar uns 11 reais saindo do centro. Comece o dia no Café La Perla, bem na chegada ao El Caminito, o café tem bem o espírito do bairro. Depois explore o lugar, com suas famosas casas coloridas, bem diferente, turístico e interessante.

192.JPG.a859a5d2c104317a8f2ea29581719562.JPG

Dica: vai haver um monte de gente te chamando para tirar fotos em painéis daqueles que você só coloca a carinha, com dançarinos com roupas típicas de Tango. Não pare, não deixe nem eles abrirem a boca para falar nada, pois são um monte de espertalhões, vão falar que custa 10, depois que tira a foto falam que é 10 reais e não 10 pesos, que é 10 por foto, ou por painel, então para evitar aborrecimento é melhor não deixar eles nem abrirem a boca.

 

Após a visita ao El Caminito, andando umas 5 quadras você chega ao famoso estádio de La Bombonera, do Boca Juniors. Lá você consegue fazer uma visita guiada ou normal. Embora o preço seja quase o mesmo, na visita normal você não precisa ficar esperando até sair o próximo grupo, e você ganha tempo, indo direto aos pontos aonde mais lhe interessa. Custa 70 pesos, e você pode visitar o museu, com a sala de troféus do time e a parte interna do estádio, onde você tem visualização do gramado e das arquibancadas.

217.JPG.b547560ec9c0a387d8ef060fff3d4807.JPG

3º dia – San Telmo

Saindo de La Boca, pegue um taxi até o Parque Lezama, em San Telmo, aonde você tem o Museu Histórico Nacional. E um museu pequeno, em 20 a 30 minutos você faz o tour por ele, e você tem oportunidade de conhecer um pouco mais sobre a história do pais aonde você esta pisando, que por sinal é bastante interessante. Custam apenas 10 pesos a entrada.

229.JPG.36f98355a8c34ad17cc0773db534911b.JPG

Após isso, ainda no Parque Lezama, você tem a Igreja Ortodoxa Russa, com sua parte superior que mais parece aqueles castelinhos de Walt Disney. Ela deve estar fechada, mas vale a foto da parte exterior, tirada do próprio Parque Lezama.

234.JPG.b40d299e30865ef52c2db35902de7093.JPG

Após isso siga pela Calle Defensa até a Praça Dorrego, são mais 4 quadras. Ali você estará no coração de San Telmo, e encontrará restaurantes com mesinhas na praça, gente dançando Tango no meio da praça, barraquinhas vendendo artigos antigos. Sugiro uma paradinha por ali para sentir o clima histórico do bairro, tomar uma cerveja, comer as famosas empanadas e relaxar um pouco.

247.JPG.762b8d490615190a9622332213610d06.JPG

Dica: no domingo há a famosa feira de antiguidades de San Telmo, um monte de gente na rua vendendo antiguidades, em barraquinhas e espalhadas pelo chão mesmo. O lugar fica lotado, então se você gosta da coisa, ok, caso contrário, é melhor evitar este dia, é mais vazio e tranquilo.

Dica: falam muito nessa área do restaurante Desnivel, sinceramente não recomendo, o lugar é abafado, com cara de sujo, sem nenhuma decoração e com serviço ruim.

 

Da praça Dorrego seguiria a pé mais duas quadras pela Calle Defensa até o El Zanjon de Granados, é uma casa aonde foi descoberto um sitio arqueológico abaixo dela. O lugar pareceu interessante e diferente, porém não consegui entrar, pois estava fechado no dia.

Saindo dali quase em frente tem a Casa Mínima. É uma casa super pequena, que por ser diferente também vale uma foto.

250.JPG.e152431928c4a14ce1bead5e5415ea7a.JPG

3º dia – Plaza de Mayo (centro histórico)

Continuando andando pela Calle Defensa mais 6 quadras você chega a Plaza de Mayo, a praça mais famosa e importante da Argentina. Ali você tem basicamente 3 coisas a serem vistas: a Casa Rosada, a Catedral Metropolitana e o Museu do Cabildo.

266.JPG.7d6734ae04e0a859d91ac0d41e8153cf.JPG

A casa Rosada possui uma visita guiada nos fins de semana, é gratuita com duração de uma hora, um dos mais famosos pontos turísticos da cidade, visita obrigatória.

027.JPG.5c4457feb6ea4f4f8760ad9e75ba80ea.JPG

A catedral também é muito bonita, possui um estilo arquitetônico parecido aos antigos templos gregos, e você não paga nada para entrar.

032.JPG.f9b5004d2aa7f7628ea6994d2b672424.JPG

No museu do Cabildo, fico devendo as informações pois todas às vezes que passei por lá estava fechado, mais é um ponto turístico também famoso na cidade.

044.JPG.ed86122b0df13aecea1a06e66ea012b1.JPG

4º dia – Tigre

Pega-se o metrô até a estação do Retiro, o ticket custa 5 pesos, para quem não tem aquela tarjeta especial, a qual eu não fui atrás, pois a passagem por si só já era muito barata, e o taxi também, então não achei necessário perder tempo com isso.

Chegando ao Retiro, comece o dia com um bom café da manhã no Café Retiro, fica ao lado da estação (fique atento, pois não abre aos domingos). Depois disso pegue o trem para a estação de Mitre, são 30 minutos de viagem, aonde você poderá ter contato com um pouco da periferia da cidade, não há perigo nesta viagem. Chegando a Mitre, você irá atravessar a passarela e chegará até a estação de Maípu, onde irá pegar o famoso Trem de la Costa, são mais 30 minutos de viagem até Tigre, é um trem turístico (custa 10 pesos, tem gente vendendo na estação, mas irão cobrar mais caro, então vá direto a bilheteria).

Chegando a Tigre, vá para o porto, e pegue um barco para conhecer a região do Delta do Rio Paraná. É uma região com dezenas de rios menores, muito irrigada e bonita. Minha sugestão é que pegue o barco para a localidade de Três Bocas, custa 56 pesos (ida e volta), e leva meia hora de barco até lá. Para aqueles que enjoam com barcos, não se preocupe, é só navegação fluvial, o barco não balança nada.

Chegando a Três Bocas, almoçamos no restaurante El Hornero, fica a uns 5 minutos de caminhada do porto. Comi um pacu na brasa que estava divino, por 110 pesos.

307.JPG.69043ef25da2a854eaec262c84881873.JPG

Depois disso, demos uma caminhada pela região, e voltamos ao porto, aonde ficamos tomando uma Quilmes, no restaurante ao lado, e olhando, esperando o barco de volta.

312.JPG.3b4a45702167350f5a05cc6f0e6c1c6d.JPG

Chegando de volta a Tigre, atravessamos a ponte, e andamos um pouco pela calçada turística, beirando o rio. O lugar é bem aprazível, e você ainda encontra alguns museus, do tipo: Museu do Mate, Museu da História Naval, Museu da Arte, onde se quiser ainda pode dar uma conferida.

313.JPG.714c153d5c3a3c84673cbe517f816917.JPG

Na volta, você deve estar cansado, então pegue o trem de Tigre direto para Buenos Aires, e volte dormindo que é mais tranquilo. A estação do trem direto para Buenos Aires é bem próxima da ponte, no porto, e este trem leva uma hora de viagem até a estação do Retiro, em Buenos Aires.

 

 

Outras informações úteis:

• Show de Tango:

Esta aqui uma dica para você economizar bastante dinheiro. Recomendo a você o show de Tango no Café Tortoni, é realizado no subsolo, num pequeno teatro. A funcionária da casa que agenda os shows, chega lá por volta das 11h da manhã, e a partir daí, você pode ir lá e agendar o seu show para a noite. Tem dois horários, às 20:30h e às 22:30h. O show dura aproximadamente 1 hora, e custa 180 pesos (aproximadamente 40 reais), sem jantar incluso. Enquanto isso, os famosos shows turísticos, tipo o Senõr Tango e o Tango Porteno, estavam cobrando em torno de 100 dólares (aproximadamente 230 reais), com um jantarzinho que, segundo comentários, costuma ser bem meia boca. Então por um preço mais de 5 vezes menor, não há nem o que pensar. E posso lhe dizer que o show do Café Tortoni é de boa qualidade. Achei um programa imperdível para quem esta visitando a cidade pela primeira vez.

121.JPG.bb94abd8e5696188feb8ab38d70ed5aa.JPG

 

• Custo de vida:

Achei super barato as coisas por lá, com exceção de dois itens básicos (água e cerveja), as outras coisas estavam bem mais baratas por lá.

Seguem alguns preços mais importantes:

Hotel Ibis – 80 reais

Taxi entre bairros seguidos – média 5 a 8 reais

Bife de Chorizo – 30 reais

Vinho Argentino (oriundo de Mendoza) – 25 reais

Cerveja (Quilmes ou Isenbeck) – média de 10 a 12 reais (caro, como havia falado)

Jantar para 2 pessoas num bom restaurante, incluindo couvert, bebidas, sobremesa, e serviço – média 90 a 100 reais

 

• Dicas de Restaurante:

Já tinha indicado o Cabanã Villegas, em Puerto Madero (no relato do fim do 1º dia) e o Don Julio, em Palermo Soho (no relato do final do 2º dia), ambos muito bons para carnes.

Agora indico um muito bom para massas, é o La Parolaccia, fica também em Puerto Madero, perto da Puente de la Mujer, ao lado do Cabanã Villegas. Um jantar para 2 pessoas você vai pagar nessa média de 90 reais pelo casal.

 

• Comunicação:

Não tente inventar um portunhol. Fale devagar em português, e deixe ele te responder em espanhol que vocês irão se entender muito bem. No restaurante, na hora de ver o menu, às vezes tem muitas palavras em espanhol que você não entende. Mas nos bons restaurantes sempre tem o menu em inglês, então se você entende um pouquinho de inglês, o ideal é que peça os 2 menus, pois um complementa o outro.

 

• Taxi:

Em Buenos Aires a má fama dos taxistas não é a toa. Se você pesquisou um pouco sobre a cidade, e sabe mais ou menos por onde esta andando, vai ver que toda hora algum deles vai vir com uma historia do tipo, não vai para esse lugar porque lá as atrações estão fechadas, mas conheço um lugar que é muito bom, e quando você vai ver, este lugar é bem longe, e ele está mesmo interessado em fazer uma boa corrida. Então muito cuidado com taxistas bonzinhos que se aproximam de você querendo ajudar o turista indefeso. E, é claro, a dica mais postada em sites sobre cuidados em Buenos Aires, não custa repetir: sempre pague o taxista com dinheiro trocado, nunca dê uma nota de 100 pesos. Se não tem trocado, antes de pegar o taxi compre uma bala na esquina e troque o dinheiro.

Mas conheci um taxista que fugiu a regra, o nome dele é Equeziel, e o contato dele posto aqui – 1568914712, anote este telefone como de utilidade pública em Buenos Aires. O cara é um garoto, mas deu um show de honestidade em cima de todos os taxistas senhores que pegamos por lá. Conclusão da historia, safado também envelhece. Sem falar que dirige muito bem. Então fique com este telefone na carteira e quando sair do restaurante peça ao garçom para ligar para ele para você. No hotel você mesmo pega o telefone do seu quarto e liga.

Es os preços das principais corridas de taxi, saindo do centro (valores aproximados):

La Boca – 45 pesos

Recoleta – 30 pesos

Palermo – 45 pesos

Aeroporto Aeroparque – 80 pesos – este aeroporto fica dentro da cidade, a 10 minutos do centro, então o taxista tem que estar com o taxímetro ligado, mas a maioria não quer ligar, principalmente quando você esta chegando e não sabe como funcionam as regras na cidade, então eles querem cobrar uma corrida a preço fechado pelo dobro do valor normal.

Aeroporto Ezeiza – 270 pesos – este aeroporto fica fora da cidade, a 50 minutos do centro, então aqui o taxista deve incluir um valor adicional como taxa de retorno cujo valor é aproximadamente 50% do que foi marcado no taxímetro, dando mais ou menos uns 270 pesos (incluindo este retorno).

 

• Documentos para entrada na Argentina:

Você não precisa visto nem mesmo passaporte. Somente sua identidade brasileira, com menos de 10 anos de expedição, é suficiente. Carteiras profissionais ou de motoristas não valem como identidade por lá.

 

• Gorjetas:

O normal são 10% do valor da conta, igual no Brasil. A diferença é que lá, a gorjeta não vem inclusa na conta. Nos restaurantes quando você chega, eles também sempre te servem um couvert, que seria basicamente, um pão da casa com algumas pastinhas, geralmente picante ou com alho. Costumam também cobrar por isso, uns 25 pesos por pessoa.

 

• Guia de viagem:

Recomendo, o guia de viagem da Lonely Planet, ele já possui versão em português. Pegue o específico sobre a cidade de Buenos Aires (pois também há outro sobre a Argentina). Ele tem muitos mapas por bairros da cidade, tour a pé pelos principais bairros, e dá muitas dicas e informações úteis sobre a cidade. Me baseei nele para armar meu roteiro, e durante a viagem ele me era útil a toda hora.

Assim, fiz tudo sozinho, no meu tempo, parando mais tempo aonde gostava mais, sem guia dizendo quanto tempo deveria ficar em cada lugar, e sem pagar os altos preços que eles cobram para fazer um city tour rapidinho de 2 à 3 horas por algum canto da cidade, coisa para tapiar turista. Você não precisa disso, a comunicação é fácil, e a cidade é muito tranquila de andar, bem servida de taxi e metrô, e a um preço bem barato. Não tive problemas de segurança, mas também tomei os cuidados básicos de bom Carioca, e não fiquei dando mole com coisas de valor. Então fica a dica, pesquise, arme seu roteiro, e conheça Buenos Aires do seu jeito, sem medo de ser feliz. Espero ter dado minha contribuição, e ajudado aos futuros turistas em Buenos Aires. A cidade superou minhas expectativas.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 2 semanas depois...
  • 2 semanas depois...
  • Colaboradores

Bem turístico,porem com pontos que nao deu para saber nesses dias.

Eu que conheço ha anos,inclusive estando escrevendo daqui,posso lhe dizer isso.

Taxi?Evitem-Comprem Tarjeta sube,a nao ser que vao passar poucos dias e nao virao mais.

O governo financia as passagens com essa tarjeta,por isso sai metade do preço.

Mas nao esqueçam de registra-la em seus nomes,pois senao deixam de valer,sao consideradas inexistentes.

Tudo feito pelo site,digitem no google tarjeta SUBE.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Felipe Monteiro,

 

 

Estive analisando seu relato com calma e vi que você passou em vários lugares que gostaria de visitar, Tigre por exemplo, o que ocorre é que estarei indo em Julho e o inverno é bem pesado em BsAs, será que vale a viagem para o Tigre? Lembrando que vai está uns 5ºC... Estarei com um garoto de 5 anos e somos nordestinos apaixonados por frio, serras gaúchas são nossas queridas.3 anos consecutivos...Mas nunca misturei frio e água. hehehehe. Você foi ao Malba? Faço questão de visitar devido ao quadro de Tarsila do Amaral "Abaporu"... La Boaca me passa uma impressão de um lugar perigoso e mal cuidado, será só impressão mesmo? Peguei o número do taxista pois tenho receio com o serviço de Táxi argentino, estou querendo ir a Colônia del Sacramento e talvez a Capital Uruguaia, ainda não decidi, ficarei 10 dias em BsAs. Filho e esposa me acompanho nessa trip.

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • 3 semanas depois...
  • Membros

Pedro,

 

Não leve a mal a intromissão, mas estive em Buenos Aires em julho/2013 com meus filhos, sobrinho e minha mãe já idosa e fizemos o Passeio pelo Delta do Tigre sem o menor problema. O dia estava ensolarado, mas estava 6°. Os meninos usaram todo o tempo do passeio de barco, na parte superior que é a mais bonita, touca, luva e cachecol, que la pelas tantas foi dispensado. Alguns barcos como o que escolhemos servem almoço e lanches. Optamos por tomar um capuchino que esquentou bastante. Meus filhos adoraram o passeio e ele só perdeu para o dia na Fundação Temaiken que foi eleito o melhor passeio.

 

AlessandraLizio

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

  • Membros

Continuando..... Visitei o MALBA em todas as viagens pois adoro arte. Especificamente o quadro "Abaporu" de Tarsila do Amaral na ultima viagem não estava exposto pois estava emprestado para uma exposição em São Paulo no MASP. Ironias a parte, mesmo assim valeu muito a pena a visita. Sobre o bairro La Boca, realmente não é aconselhável ir sozinho ou a noite e ficar andando pelas ruas do bairro. Eu sempre fui de dia, de Bus Turístico, aquele ônibus aberto que faz um trajeto pré determinado e nos possibilita subir e descer quantas vezes quisermos. Desci na parada do La Bombonera onde fizemos a visita guiada e no Caminito. Pra quem gosta de futebol como minha família foi maravilhoso entrar no estádio, no museu do esporte, na arquibancada quase vertical e no gramado perfeito. O Caminito lembra o Pelourinho da Bahia, só que com casais de dançarinos de Tango no lugar de baianas. Vale as fotos. Colônia é um lugar especial. Romântico, de pedras, lindo lindo lindo......se resolver ir, va pela Cia SEACAT. Metade do preço da Buquebus, com barcos maravilhoso também. Volte no barco de 16:30 e se for um dia ensolarado verá o por-do-sol mais deslumbrante da sua vida e perceberá o porque do rio se chamar Rio da Prata". Irei novamente em Agosto próximo com um grupo de 7 amigas. Tenho um roteiro que se quiser dar uma olhada me mande um e-mail. [email protected].

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...