Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados


Valeu, Wesley! A viagem foi realmente incrível, tenho certeza que vais achar o mesmo quando fores.

 

Tenho tido pouco tempo para escrever, até porque gosto de detalhar bem (já deu pra notar, né? eheheh), mas vou continuar sim!

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

DIA 05 (01/01/16) Bangkok (Wat Ratchanatdaram, Wat Saket, Museu Nacional)

 

Fomos do hotel a pé até o Wat Ratchanatdaram, uns 15 minutos de caminhada. Incrível a quantidade de templos que passamos, é quase um a cada quadra, todos com grande fluxo de gente entrando e saindo.

 

O Wat Ratchanatdaram tem entrada gratuita e não é uma atração imperdível na cidade, mas aproveitamos que ele é bem pertinho do Wat Saket, nossa próxima parada, e entramos para conhecê-lo. Estava um clima muito legal de confraternização, muitas pessoas passavam por nós e desejavam Happy New Year ::kiss:: . No interior do templo tinha um monge abençoando as pessoas, o Rodrigo foi lá e ganhou um novo barbantezinho no pulso.

 

DSCN4491.jpg.457ffa52479b3dfe5082cd2ce5582547.jpg

 

Nos dirigimos ao Wat Saket, também conhecido como Temple of the Golden Mount. O lugar estava bombando! Não sei quanto o fato de ser o primeiro dia do ano influenciou, mas parecia que havia ali mais pessoas para fazer oferendas, orações e rituais do que nos templos que fomos nos outros dias.

 

DSCN4493.jpg.291d596a2833b8d9009ec692259272a4.jpg

 

A subida para o templo é feita em uma escadaria em espiral que vai circundando o monte. Ao longo dela existem várias imagens de Buda e outras figuras, sempre com muita gente colocando incensos e flores e etc. Fomos acompanhando os rituais deles.

Pegamos (mediante uma “doação” de 20 bahts :wink: ) uma espécie de kit para fazer oferenda, que era um incenso, uma pequena vela amarela, uma flor de lótus e um pedacinho de folha dourada.

 

DSCN4498.jpg.8c76eafb32527fb60bf18c355f579d71.jpg

 

Lá em cima estava sensacional! Entupido de gente, todos andando em círculo no sentido horário ao redor da estupa, colocando frutas, mantos dourados, dinheiro, plaquinhas com inscrições… As pessoas continuavam se desejando feliz ano novo umas às outras.

Fomos distribuindo nossas oferendas as pouquinhos: um incenso aqui, uma vela ali… Lá pelas tantas uma senhorinha cutucou o Rodrigo e disse pra ele: Give your flower to Buda. :lol: Que querida, ela achou que a gente ia ficar com a flor!

 

Sente o clima do lugar:

 

 

Apesar de não ser um monte muito alto, se tem uma vista bem legal da cidade. As escadarias que chegam e que saem do topo são bem estreitas e pegamos uma boa fila para chegar e para sair, mas valeu a pena.

 

Caminhamos um tempo procurando um lugar para almoçar, e paramos em um restaurante mais ajeitadinho (pro padrão dos últimos dias), mas com preços bem interessantes. O Rodrigo comeu um arroz acompanhado de porco e legumes, e eu comi uma sopa de coco típica deles, com pedaços de frango e muitos temperos, simplesmente MARAVILHOSA. Eu já tinha provado essa sopa em um restaurante de comida tailandesa antes de ir para lá, e não via a hora de comê-la lá na Tailândia mesmo. Me fartei, que delícia!

 

DSCN4507.jpg.e7debef6388f376628fb424d68c6a3da.jpg

 

Depois, fomos até o Museu Nacional de Bangkok, sem muita certeza se entraríamos ou não. Chegamos lá e era grátis! Aproveitamos para conhecer, tem algumas peças interessantes e beeem antigas. Valeu a visita.

 

DSCN4518.jpg.2afe329f8e50a96bc6352ceb6fc604bc.jpg

 

O final da tarde foi aproveitando um pouquinho a piscina do hotel e descansando um pouco. As noites de sono ainda estavam no ritmo de acordar às 2 da manhã com fome, depois às 5 da manhã cheia de energia e pronta para sair pra rua e explorar a cidade… Chegava no final da tarde eu estava moída.

 

À noite fomos pra Khao San Road. Fechamos em uma das agências um transporte até o aeroporto (Suvarnabhumi) para o dia seguinte. Tomamos umas cervejas do 7eleven e depois fizemos uma massagem. Dessa vez optamos por uma massagem de corpo inteiro. Fui atendida por uma moça e o Rodrigo por um cara, os dois bem magrinhos e pequenininhos, mas quase nos partiram ao meio ::dãã2::ãã2::'> . Trinta minutos de sofrimento, mas depois a sensação é boa.

 

Fomos para a Rambuttri para jantar em uma barraquinha que tínhamos visto no dia anterior. Era um bar a céu aberto: diversas mesinhas e banquinhos amontoados na calçada, e um balcão com uns 12 tipos diferentes de comida, tudo com condições de higiene um pouco duvidosas :D . Perguntei quais eram as opções sem pimenta. Nem me lembro o que comi porque não foi muito marcante, nem bom nem ruim, mas certamente tinha muita pimenta :oops: !

 

#ficaadica: quem não come pimenta tem dificuldades para se alimentar ao ir para lá, pois o conceito deles a respeito de “não ter pimenta” é bem diferente do nosso!

 

Gastos do dia (bahts):

  • 103 compras (café, sanduíches, biscoitos, água) no 7eleven
    20 entrada Wat Saket (cada)
    100 almoço (cada prato)
    130 transfer para o aeroporto (cada)
    150 massagem (cada)
    204 cervejas no 7eleven
    110 janta na barraquinha (para ambos)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

DIA 06 (02/01/16) Voo para Siem Reap 14:10 (Old Market, Night Market)

 

Acordamos não muito cedo, arrumamos os mochilões e fomos até a Khao San Road, tínhamos que estar na agência 10h50min. Dali a uns 10 minutos passou o cara nos chamando para nos levar até a van que estava na rua ao lado. A ida até o aeroporto foi bem tranquila. A van ainda parou em mais uns 2 lugares para pegar outras pessoas e foi. Cerca de meio-dia chegamos no aeroporto Suvarnabhumi.

 

Procuramos logo o balcão da Cambodia Angkor Air pra fazer o check-in e despachar bagagens.

Depois fomos procurar algo para comer, já preparados para pagar bem caro por ser no aeroporto. Mas encontramos uma espécia de restaurante popular, no andar abaixo dos balcões das companhias. Tinha diversos pratos prontos tipo arroz+legumes+algum tipo de carne, por 100 bahts cada. ::cool:::'>

 

O trâmite para embarcar é um pouco demorado. O aeroporto é imenso e o fluxo de passageiros é enorme, então não deixe para entrar muito em cima da hora do voo. Fila na migração, depois fila no raio-x das bagagens, depois caminhar um tanto até o portão.

 

A essa altura não sei mais onde a gente tinha lido ou escutado a frase “Bangkok vai te pegar”. E pegou! Eu achei Bangkok um pouco doida demais para o meu gosto, mas àquela altura nós já estávamos apaixonados pela Tailândia ::love:: , e com muita dó de ter que ir embora. Pelo menos a sensação era de “até daqui a pouco”, junto com a expectativa de estar indo para um lugar incrível como Angkor Wat!

 

DSCN4524.jpg.1c5bd7e66f439fa914e75f0c0042b619.jpg

 

O voo foi tranquilo e serviram até um sanduichinho de lanche.

 

Ao descer em Siem Reap já deu para sentir a temperatura “calor das profundezas dos infernos”, que se manteve nos 4 dias em que estivemos lá ::mmm: .

 

Visto do Camboja:

  • -leve uma foto 3x4,
    -preencha o formulário que tem no saguão de chegada (aconselho levar sua própria caneta, elas são escassas),
    -entregue tudo junto com o passaporte e pague a taxa de US$ 30, e
    -tenha muita paciência com as filas e com o mau-humor dos funcionários que te atendem tanto na emissão do visto quanto no controle de migração.

 

Levamos cerca de uma hora nessa função. O hotel que ficamos oferecia o translado do aeroporto de graça, e ao sair o motorista do tuc-tuc já estava lá esperando com uma plaquinha com nosso nome (apesar de ser grátis, demos uma gorjetinha para ele).

 

O aeroporto é bem pertinho da cidade, nem 15 minutos chegamos no hotel. Check-in, largar malas e rua.

 

Fomos em um mercadinho comprar água e lanchinhos. Tudo pode ser pago em dólares, mas o troco para os valores quebrados é dado em riels. Eles utilizam no comércio a cotação de US$ 1 = 4000 riels, então se você comprar por exemplo um produto de US$2,50 e pagar US$3, eles te devolvem 2000 riels.

 

Já estava anoitecendo e passeamos primeiro pelo Old Market. Depois fomos para o Night Market. O lugar é enorme, muitas lojinhas de artesanatos e souvenirs e coisas afins.

 

DSCN4527.jpg.20c99aecac185a11b6d7bb971d1d9525.jpg

 

DSCN4528.jpg.fa71f7526ce572168a88475ae69453ac.jpg

 

Ficamos andando pelos arredores da Pub Street. O lugar é bem animado, restaurantes de diversas cozinhas e muitos bares com baladas. Jantamos em uma pizzaria na esquina bem de frente para o rio, ficamos em um balcão ao ar livre no segundo andar. A pizza era boa e o ambiente era muito agradável.

 

DSCN4531.jpg.0e35a4ea75e96c36fe4ae5855b22d957.jpg

 

DSCN4532.jpg.f54926ba482cc09351e86c7c195833f1.jpg

 

Tirando a parte do aeroporto, todas as demais pessoas que nos atenderam desde o tuc-tuc, hotel, até o mercadinho e o restaurante, foram extremamente gentis, simpáticas e prestativas, e já estávamos encantados com os cambojanos ::love:: .

 

Gastos do dia:

  • Bahts:
    40 café-da-manhã 7eleven (cada)
    100 almoço no aeroporto (cada)
    Dólares:
    30 visto (cada)
    2 tuc-tuc
    2 mercado
    14,50 janta (2 pizzas + 2 cervejas)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Relato ótimo Helen!!! Vou pra Tailândia, Camboja e Laos em novembro e vou acompanhar seu depoimento!!!

 

Uma dúvida, vi pela sua hospedagem que vc ficou em Ao Nang... Tbm tô querendo ficar em Ao Nang pelos preços mais baixos e maior infraestrutura!!! Vc acha que foi uma boa escolha??? Ou seria melhor ter ficado em Railay???

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Relato ótimo Helen!!! Vou pra Tailândia, Camboja e Laos em novembro e vou acompanhar seu depoimento!!!

 

Uma dúvida, vi pela sua hospedagem que vc ficou em Ao Nang... Tbm tô querendo ficar em Ao Nang pelos preços mais baixos e maior infraestrutura!!! Vc acha que foi uma boa escolha??? Ou seria melhor ter ficado em Railay???

 

Olá, Ana Paula! Obrigada!

 

Fiquei em Ao Nang por esse dois motivos que citaste, e também porque meu voo chegava de noite e era mais fácil ficar ali do que ir para Railay. Foi uma boa escolha sim, não tenho do que reclamar. Além disso, gostei muito do Krabi Hostel, recomendo!

 

Por outro lado, acabei indo dois dias para curtir a praia de Railay, que é maravilhosa ::love:: ! Teria sido bom ter ficado ali para curtir a praia, mas pelo restante (acesso aos transportes, comércio, restaurantes etc) realmente não sei dizer...

 

Abraços!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

DIA 07 (03/01/16) Siem Reap (Koh Ker, Beng Mealea)

 

Umas poucas semanas antes da viagem, li aqui no Mochileiros sobre um guia em Siem Reap que fala português. Escrevi um e-mail para ele mais por curiosidade, e ele me respondeu que nessas datas (3 e 4 de janeiro) ele já tinha agendado tour com outros brasileiros, mas que se quiséssemos nos juntar a eles não teria problema. Me passou toda a programação dos dois dias, com uma breve explicação do que era cada local a ser visitado, especificando bem o que estava e o que não estava incluso no valor. A resposta foi rápida e escrita em um português ótimo. Decidimos contratar esse tour, e conforme eu for relatando vou explicando porque eu acho que todo mundo deveria fazer o mesmo.

 

#ficaadica: o nome do guia é Alex, contatei ele por esse e-mail: [email protected]. Ele também tem esse blog: http://guide7languages.blogspot.com.br/, onde consta esse outro e-mail: [email protected] . Eu deveria ter pedido um desconto para ele por estar fazendo toda essa propaganda :lol: , mas é que gostei muito mesmo!

 

Bom, a sexta pernoite no Sudeste Asiático foi a primeira noite de sono ininterrupto. O relógio biológico estava começando a se acomodar...

 

Nossa hospedagem não incluía café-da-manhã. Tem um restaurante no hotel, mas as opções do café eram pagas item a item, então acabamos saindo pra rua pra procurar uma outra opção. Acabamos comendo em um outro hotel próximo, o Terrace des Elephants, um menuzinho com café pão frutas etc a um preço razoável.

 

DSCN4540.jpg.8ff1c0cc0d897da31e12226a786f7e63.jpg

 

Esperamos um pouco o Alex em frente ao hotel. Na van já estava um casal de brasileiros, e partimos em direção a Koh Ker.

 

Koh Ker fica a cerca de 130km de Siem Reap, em uma área que está há poucos anos livre de minas terrestres. Por esses dois motivos, tem um fluxo de turistas ainda pequeno e conserva um certo ar de mistério.

 

O caminho até lá já é uma atração à parte! Cruzamos pequenos vilarejos, casinhas super simples, plantações, carroças puxadas por bois… Enquanto isso, o Alex já ia dando uma aula sobre as construções que veríamos, sobre a história recente do Camboja, sobre a época do Império Khmer, sobre a influência do hinduísmo e do budismo sobre os templos que foram construídos… uau! Muito conhecimento! O cara fala sete línguas e aprendeu todas sozinho, só usando a internet! :o Virei fã! ::cool:::'>

 

A primeira parada no sítio de Koh Ker foi o Prasat Pram. Formado por cinco construções pequenas, parcialmente tomadas pelas raízes das árvores. Talvez alguém que tenha ido antes a Angkor Thom ou Angkor Wat ache esse lugar meio insignificante, mas como foi nosso primeiro contato ficamos maravilhados!

 

DSCN4544.jpg.2093c3bb8e2c97628e0b637a0b041a57.jpg

 

A parada seguinte, mais rápida, foi no Prasat Neang Khmau. Esse templo tem o aspecto de queimado, mas na verdade a sua cor é resultado da ação do tempo sobre o tipo de pedra utilizado na construção. Paramos ainda rapidamente em Prasat Kra Chap e Prasat Linga.

 

DSCN4554.jpg.3366403f0b498754c265c90d8e205859.jpg

 

DSCN4556.jpg.449d6e9d15b3196daa9d7b1333a615a9.jpg

 

DSCN4560.jpg.59ed1a2586b7f04cf2d70fcad5692b2f.jpg

 

A construção mais impressionante da região de Koh Ker é o Prasat Thom, uma pirâmide com 36 metros de altura. Quando o Alex me mandou o roteiro por e-mail eu fui pesquisar um pouco sobre cada um dos pontos, mas antes disso eu jamais tinha imaginado ver uma pirâmide entre as ruínas do Camboja!

 

DSCN4569.jpg.c8e35b0070b7c467e6bdce3629c63903.jpg

 

DSCN4575.jpg.9f3e731e024962af9b154cfe6d386492.jpg

 

Almoçamos em um restaurante bem simples em uma espécie de “centrinho comercial” na região: um ou dois restaurantes e umas 4 lojinhas de artesanato. Lugar extremamente simples, todo de chão batido, sem banheiro… O casal que estava conosco no passeio ficou com um pouco de receio, comeu metade do prato que pediram. Já nós pedimos um prato cada um, e comemos tudinho (ogros)! Estava bem gostoso ::otemo:: ! Uma rica mistura de temperos diferentes, mas sem a pimenta que na Tailândia dominava todos os pratos.

 

Depois do almoço partimos para o Beng Mealea. Esse já não fica tão longe de Siem Reap (cerca de 40km).

 

Essas ruínas não receberam nenhum tipo de restauração, por isso estão exatamente do jeito que a ação do tempo e da natureza as deixaram (excetuando eventuais saques dos períodos de guerra :( ).

 

DSCN4584.jpg.e61b9bcfd882ca741c824365c9c35e90.jpg

 

O lugar é sensacional! Um fluxo pequeno de turistas, muita natureza e uma energia muito boa!

 

DSCN4609.jpg.7a902427cd22de1526d2c4bd1136b928.jpg

 

DSCN4597.jpg.9195307fe3f80f65069614da4b1c361c.jpg

 

DSCN4595.jpg.588f8ff0b5daf059def5bcc622454e3e.jpg

 

DSCN4619.jpg.f1b190021f7ffdbb14836e43894a59ad.jpg

 

Muitas pessoas falam das crianças do Camboja, e realmente elas são um capítulo à parte. Em um dia nesse país, já dá para ver a pobreza e a situação em que vive a grande maioria das pessoas. O regime ditatorial e a guerra civil recentes ainda tem efeitos muito fortes sobre eles, que atualmente tem um governo teoricamente “democrático”, porém extremamente corrupto (o Alex fala bastante sobre isso, mais um ponto positivo do tour feito com ele!). E as crianças estão muitas vezes bastante sujas, com roupas velhas, de pés descalços, mas com um sorriso no rosto, brincando, cumprimentando os turistas, se divertindo! São muito fofas :D !

 

DSCN4624.jpg.7ba0fe811bfe288038dfca6a23a0c00f.jpg

 

Quando voltamos para o hotel, passamos em uma barraquinha de rua próxima e compramos panquecas de nutella, deliciosas!

 

Aproveitamos um pouco a piscina, e mais tarde saímos para jantar.

 

Escolhemos um restaurante de comida cambojana, em uma rua paralela à Pub Street que tem muitos restaurantes a preços convidativos. Experimentamos um lok lak, prato típico feito com carne, estava ótimo!

 

Gastos do dia (dólares):

  • 2,95 café-da-manhã (por pessoa)
    15 ingresso para Koh Ker + Beng Mealea (por pessoa)
    13 almoço (para ambos, com bebida)
    1 panqueca de nutella (cada)
    1,5 duas latas de ceva gelada no mercadinho
    9,5 jantar (para ambos, com bebida)

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites
Acompanhando... :D

Vou p/ o sudeste asiático em novembro/16 e tbm terei 31 dias! Quero fazer os mesmos países que vocês.. este relato vai me ajudar muito!

 

Vou viajar na mesma época e pretendo visitar os mesmos lugares.

Como sta sua preparação?

Eu já estou maluca por aqui ::hein:

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.


  • Conteúdo Similar

    • Por Cau Carvalho
      Boa tarde!
      É possível visitar Tailândia, Myanmar, Vietnã e Camboja na mesma viagem, por um período de 35 dias?
      Ou a locomoção é difícil e por isso eu deveria tirar um dos países?
      Me ajudem, nunca viajei pra esse lado do mundo!
    • Por lolahandforever
      Faaaaala galera das trips e mochiladas!!! Desde já deixo meu muito obrigada por toda ajuda e experiências compartilhadas aqui, dessa vez resolvi me organizar melhor durante a trip e anotei o máximo que pude de info pra postar o relato e disponibilizar pra comunidade mochileira! 

      Desde 2013 uso o site Mochileiros nas trips seja antes ou durante sempre pra pegar os bizus de como gastar menos, busca por vida local, foco na natureza, essas coisas que exploramos quando vamos por aí...
      Obrigada demais Mochileiros.com enfim chegou minha vez de contribuir!
      Bom, essa foi a primeira trip que fiz sozinha, bateu um medo de leves, o que durou apenas um dia até a chegada no Hostel. De longe a experiência de viajar só foi incrível e foda demais!!!
      Meninas, mulheres lindas e mochileiras: Viajem só ao menos uma vez na vida!!!
      Vamos ao Relato...

      INFO DE GASTOS
       
      U$$ 418 Passagem Aérea Los Angeles - Bangkok
      U$$ 98 Passagem de Chiang Mai a Krabi
      U$$ 25 Passagem de Krabi a Bangkok
      U$$ 1100 Gastos gerais com (Transporte, Hospedagem, Alimentação, Tour e Tatuagem).

      Saí de LA já que resido no USA no momento, logo fiz a trip com dollares e a dica é: Leve notas de 100! A melhor cotação que encontrei foi em Chiang Mai pra quem vai com Dolleta. Também é o melhor lugar que indico pra comprar lembrancinhas. No aeroporto tem um SuperRich no subsolo (casa de câmbio) com a cotação melhor que na cidade de Bangkok. Por incrível que pareça a cotação na ilha Ko Phi Phi estava boa, mas sugiro Chiang Mai pra câmbio.
      Optei por ficar em hostels como sempre fiz, eu amo demais a vibe de dividir quarto, conhecer gente do mundo inteiro, e claro os preços encaixam direitinho no plano de gastar menos. Apenas em Railay fiquei em Resort mas era bem roots, no meio da floresta e o banheiro era compartilhado. 
      Minha mochila levei a de 35 L pra não ter que despachar.
      Recomendo pegar um chip local pra comunicação. Não peguei porque tinha acesso normal no meu plano de telefone pra usar internet.
      Transporte usava bastante o Grab Bike (sem medo real). Mais barato e mais aventureiro!
      O tempo inteiro comia thai food e claro frutas e sucos, aliás suco era o tempo inteiro!!!
      U$$ 1 = 30.08 Thai baht
      Vale lembrar que não gastei com bebidas, o que foi bom pro meu orçamento e bom pra minha memória que é muito seletiva 😝
       

       
         

       
      ROTEIRO TAILÂNDIA 14 DIAS
      Bangkok [4 dias]    
      Chiang Mai [3 dias]   
      Railay Beach [3 dias]
      ko Phi Phi [4 dias]
      1o dia (31/10/2019) LA - BANGKOK
      O dia D pra quem viaja sozinha(o) pela 1a vez!!! Cheguei em BKK por volta de meio dia e tava decidindo como fazer pra chegar até o hostel. Fechei um preço com o piloto do táxi no aeroporto que saiu uns 340 THB até o hostel, mais o pedágio que tem pagar que são dois (Um de 50 THB e outro de 25 THB). Chegando no Hostel (Here Hostel) fechei os dias lá (663 THB por 2 noites). Deixei minhas paradas na cama, doleira na cintura e parti pro abraço bater aquela perninha básica como todo carioca gosta de fazer hehehehe. Fui pra Khao San Road e dei um rolê perto dos Templos. Passei no 7 eleven (recomendo pra lanches rápidos) e lancei um suco de maracujá de respeito!!! Voltei pro Hostel de motoca (cheia de medo mas fui assim mesmo) e decidi fechar o tour do Ayutthaya por lá mesmo. (800 THB) O Max, um holandês lá do hostel que eu conheci tinha comentado comigo que fez por conta própria, gastou bem menos mas conheceu só um templo. Como tinha tempo curto optei por fechar o tour mesmo pagando um pouquinho mais. 
      Ouvi recomendações de fazer Ayutthaya de bike ou de motoca.
       



       
      2o dia (01/11/2019) BANGKOK - AYUTTHAYA 
      Acordei 7 da matina de boas (já tava de boa com o fuso) conheci o suíço Steven na saída do tour ele tava indo pro floating market com a mesma galera que fechei o tour pro Ayutthaya. Chegamos na Khao San Road pra encontrar o restante da galera que ia partir pra Ayutthaya. Motoba da van parecia velozes furiosos real! Mucho crazy e não reclamo! Adrenalina motiva e sempre faz parte das trips! Conhecemos as ruínas de Ayutthaya que incluía:
      Wat Phra Sri Sanphet e Grand Palace 
      Wat Chedi Phukhao Thong   
      Wat Lokayasutharam   
      Wat Mahathat 
      Wat Chaiwatthanaram
      Durante o tour fiz amizade com uma francesa que tava viajando sozinha também, Carroline super gente boa e curtimos praticamente juntas o tour inteiro. Voltamos um pouco atrasadas pra van e o motoba tava boladaço porque só faltava nós duas pra meter o pé. 
      Chegamos em BKK umas 4pm. Fui pro meu quarto e tive a sorte grande de conhecer um casal de brasileiros no quarto q eu tava, Carol e Gilberto! Ficamos amigos e logo em seguida conhecemos Jon um espanhol e Elisa uma italiana que estavam tbm no mesmo quarto, galera do dormitório G10!!! Firmamos uma equipe e partimos pra Khao San, com a Ammie da Austria q nao tava no dorm G10 mas era como se estivesse.
      Comemos aquele espetinho de inseto, experimentei meu novo vício PadThai e dançamos muito na Khao SAN! Parecia carnaval real! Partimos p Hostel depois...
       





       

       


       
       
      3o dia (02/11/2019) BANGKOK - CHIANG MAI
      Esse dia foi o mais correria de todos pq o “follow the flow” não colou muito bem mas faz parte. Eu, Carol e Gilberto acordamos e fomos tomar café antes de ir pra saga templária em Bangkok. Decidimos ir até a estação de trem pra comprar a passagem pra Chiang Mai. Eles conseguiram porque íam um dia depois q eu. Deixei pra cima da hora (pleno feriado e sábado) não consegui. Daí comecei a tentar os busão da vida e nada tbm. Tudo lotado!!! Bom resolvemos ir lá no mall de rolê e depois eles me levaram num lugar lá pra comer o verdadeiro padthai da parada. Bem apimentadinho mas super local mesmo! Foi o melhor de todos que experimentei! Pegamos um grab pra voltar depois e conseguimos ir no Grand Palace (500 THB) Tive que perder uns 100 THB em uma saia longa, pq tava de short... Não pode entrar com joelhos e ombros descobertos nos templos. (Já sabia mas dei essa bisonhada tática). 
      Ainda não tinha decidido minha ida pra Chiang Mai mas fui de maluca tentar o busão nas rodoviárias. A Saga do busu pra Chiang Mai foi louca mas lembrando aqui que foda bagaraiii! Os locais me ajudaram demais! Gratidão! Piloto do Grab me levou na 1a rodoviária me desovou lá e disse pra eu tentar noknanchairair, não consegui. Uma local viu minha tentativa e me indicou pra Sombatour bus peguei um grab e fui tentar de novo (tente outra vez estilo Raul hahahhahahaha). Dessa vez consegui mas foi correria máxima pq o ônibus ia sair em 30 minutos. O bus até Chiang Mai deu 530 THB e tive q ir de motoca pra chegar a tempo. E na moral, que sorte a minha! Peguei o melhor motoba, já era um senhor de idade, super sagaz! Cara eu quase dei um beijo na boca dele de tão grata que eu fiquei. Tava muito trânsito e ele cortava tudo e todos! Chegando lá, eu comecei a procurar a plataforma e mano, era muita gente e eu me dei conta q eu era a única mochileira ali, mas foi de boa e valeu demais a experiência! A galera ficava olhando pra mim e tentando me ajudar sabe?! Cara o povo Tailandês mora aqui ❤️ pra sempre! Peguei o busão e virei a noite no busu de boa dormindo a pampa.
       
       

       

      4o dia (03/11/2019) CHIANG MAI 
      Cheguei bem cedinho no meu lugar predileto da Tai! Passei no 7 eleven pra comprar uns sandubinhas e depois peguei a motoca até o hostel que deu 150 THB. Cheguei no August Hostel (old city) umas 7am e não dava pra fazer check in ainda. Só deixei a mochila lá e fui pros desbraves. Nesse dia eu dei um super rolê e conheci os templos de Chiang Mai que ficam bem pertinho um do outro:
      Wat Phra Singh 40 THB
      Wat Chedi Luang 40 THB    
      Wat Chiang Man Free (Donation)
      Esses foram os templos que visitei. Entrei em outros também gratuitos. Tem o Doi Suthep que gostaria muito de fazer mas não tive tempo. Ou era esse ou Chiang Rai. Bom, voltei pro hostel, fiz o check in (650 THB por 2 noites) fechei o tour pra Chiang Rai (900 THB bate e volta), logo depois conheci a Duna da Espanha que falava português para nossa alegria e conheci Romain e Rayan da França. Fechamos o bonde e fomos pro Sunday Market dar esse rolê. Esse é o mercado mais famoso e bem local de Chiang Mai! Sorte de estar lá no dia certo. Voltamos p hostel e ficamos de boa trocando ideia.
       



      05o dia (04/11/2019) CHIANG RAI
      Esse dia foi muito mágico e inesquecível tb! Tomei um café rapidex e aguardei a van do tour pra Chiang Rai. A Apple (melhor guia de todas) estava lá esperando comigo! Trocamos ideia até a van chegar e nossa cara que sorte de conhecer esse anjo! Que menina especial a Apple! Partimos p longa jornada e seguramente a melhor jornada templária que eu tive!
      Iniciamos pelo Templo Branco Wat Rong Khun. Depois almoçamos e experimentei Ka gai, uma sopa bem apimentada! Muito apimentada enfim.. Matilde e Naomi da Bélgica e Andrew da Cali se juntaram a mim e tivemos essa experiência juntos! Voltamos pro tour direto pra Black House Baan si dum é um museu de taxidermia bem legal. E Fechando a saga templária do norte, o melhor templo de todos pra mim, o Templo azul ou Wat Rong Seur Ten. Adorei demais não sei explicar porquê! O Buda branco me trouxe uma energia e uma sensação inexplicável fiquei presa lá dentro conectando com a energia e tudo mais... dia lindo! Gratidão! Cheguei no hostel encontrei com os meninos e marcamos um dez. Me despedi deles e fui de berço.
       








      06o dia (05/11/2019) CHIANG MAI - KRABI - RAILAY BEACH
      Rumo a saga litorânea do sul! 👊🏼
      Acordei bem cedo, tomei um café rápido no hostel novamente pq meu voo pra krabi era de manhã bem cedo. Fui de Grab car por conta da mochila e saiu por 180 THB. Escala em BKK depois finalmente parada em Krabi peguei um bus 150 THB até o Ao Nang Mao pier. Conheci no píer dois portugueses gente boa Daniela e Antonio esperamos o barco juntos pra partir pra Railay Beach. O Barco até Railay era 100 THB. 
      Chegando em Railay já senti o vibe de praia, maresia e pah abri aquele sorriso feliz em saber que os próximos dias sería de pura praia, sol, e relaxxx... Encontrei um resort mais em conta que era o Rapala Rockwood Resort no meio da mata em Railay East. Fechei (1460 THB por 3 noites) era bem simples com banheiro compartilhado, tinha que fazer um hiking pra chegar no quarto mas oh, super válido! Chiang Mai de longe meu lugar predileto, mas Railay é superrr vibeee!!! Que lugar encantador! Fui direto pra prahnang, não ia perder tempo em me encontrar com as águas do mar já que moro nas montanhas de Utah e faz mais frio que calor. Lindíssima a praia! Fui fechar o tour Hong island que foi a maior “facada” da trip tirando a tattoo (1600 THB). Depois voltei pro resort, peguei meu livro (único momento que consegui ler) e fiquei marolando. Até que dormi bem cedo!




       
      07o dia (06/11/2019) RAILAY BEACH - HONG ISLAND 
      Esse foi o melhor tour das ilhas que fiz! Antes de partir tomei um café da manhã, dessa vez mas de boaça e talz... Antes de partir conheci um casal de brasileiros gente boa demais Carlos e Laís minha xará, ambos de MG. Parti pra Railay west fazer o passeio. Conheci Oxana da Ucrânia (casada com 3 filhos e tb tava viajando sozinha) e o Carl de Wales UK durante o tour. Nos divertimos muito nesse passeio e firmamos a família Railay Beach! Marcamos na praia pra assistir o pôr do sol que foi irado demais! Chegamos e marcamos de comer um padthai de moral barato e gostoso! O casal brasileiro encontrou com a gente mas foram embora cedo. A gente partiu pro Last Bar, movimento tava maneiro lá, conhecemos uns alemães e um casal de americanos que vivem em Chicago ficamos jogando sinuca com a galera. Depois partimos.
       












      8o dia (07/11/2019) RAILAY BEACH
      Vishhh acordei e muita chuvaaa depois do café da manhã! Conheci o Austin do Alabama e a Clara uma brasileira de SP. Depois o Paul australiano gente fina chegou e agrupou. Voltei pro quarto e esperei a chuva passar. Aproveitei pra fazer laundry nesse dia tb no resort mesmo (60 THB). A chuva passou e eu fui pra praia prahnang e nossa mano que água perfeita! Que praia! Simplesmente entrei na água e só fui sair em 2020. A Oxana e o Carl apareceram e a gente  fez até um ioga de leves com um Russo que tava praticando por conta própria chamando geral pra participar rs mas ngm parava, que figura! Voltamos e fui pra massagem (450 THB) depois do banho. Também comprei o transfer pra Ko phi phi (400 THB). Nos encontramos pra comer e até dei palhinha de hostess no restaurante (vai que cola um trampo em Railay???) nunca se sabe!!! Voltamos e passamos no Last bar de novo. Foi chato despedir mas faz parte da vida né? Foi ótimo o tempo que passamos juntos Oxana e Carl! Dois abraços inesquecíveis. Sorte na vida conhecer essas duas almas lindas! Mochileiros deixam um pouco de si, levam um pouco de cada. 
       


       
      09o dia (08/11/2019) RAILAY BEACH - KO PHI PHI      
      Na real queria mais um dia em Railay, maassss estava animada demais pro sonho Ko phi phi! O trajeto até a ilha foi bizarro pq a gente troca de barco no meio do mar e o barco balança a vera. Fizemos a troca louca, sentei no ferry até phi phi e dormi a lot!!! Hahahhaha acordei já na ilha e de cara vi um MC donalds e um Burguer King e eu fiquei como??? WTF??!! Mas tudo bem tb faz parte. Cheguei lá e procurei um hostel que tinha visto no booking.com (indico mais que hostelworld) um preço legal pra 4 noites (1080 THB) fechei! Nome do hostel é ploydorm! Super curti o hostel e a galera que trampa lá. Conheci a linda Soph e o carioca Tailandês Pah. Larguei tudo por lá mermo e parti pra praia Long Beach. Que foi meu destino em quase todos os dias lá. Uma caminhada de leves, eu fiz com a Kayla e o Tom do Texas. Conheci eles lá no ferry quando aportamos e indo p praia encontrei com eles de novo no caminho. Acabei me machucando com a pedras que tem dentro do mar então já fica a dica tb pra essa praia que é linda mas têm muitas pedras! Marquei lá até escurecer, a galera foi embora mas eu fiquei (rata de praia somos com orgulho). Voltei e fui dar um rolê na ilha, de noite é muito agitado o que me incomodou um pouquinho mas nada que tirasse a vibe boa q já habitava em mim. Voltei e fiquei no hostel mesmo onde acabei conhecendo a Silvia da Itália e o Alex da Cali. Trocamos mohhh ideia até altas horas e dps partimos pro bercin.
       

      10o dia (09/11/2019) KO PHI PHI
      Acordei no gás e já parti pra fazer trilha! Pointview (30 THB) Irado o pico vale a pena demais chegar lá! Voltei, comi uma parada de leves, fui pra Long Beach de novo e voltei decidida a fazer a tattoo (14000 THB). Comecei a fazer mas a princípio queria com bamboo só que não daria tempo de ficar pronta. O Bao foi o artista local que fez o trampo. Fiquei lá 6 horas com ele entre intervalos e ficou top a arte! Fui dar um rolê depois na noite e voltei fiquei no hostel trocando ideia com a Silvia de novo e uma sueca mucho crazy que tava morando lá no hostel hahahhahahaha (um dia chego lá). 





      11o dia (10/11/2019) KO PHI PHI 
      Esse dia tava bem de boa querendo só relaxar e um pouco cuidadosa com a tattoo e novamente fui de Long Beach. Dessa vez na companhia da Sara de Vancouver, Cíntia espanhola e do Paul (australiano que conheci em Railay). Fomos pra Long e passamos o dia lá! Voltamos e fomos comer. Nesse dia fui no Karaokê com o Pah, o local que tava me ajudando nas paradas da tattoo. Nos divertimos e depois eu voltei pro hostel, dormi cedo dessa vez porque tinha tour pra fazer no outro dia. Función!


      12o dia (11/11/2019) KO PHI PHI - BAMBOO ISLAND
      Último tour da trip e a praia com água mais cristalina que vi por lá! O tour custou total (900 THB) e foi de longtail. Todos os tours de barco incluem almoço e talz se não mencionei anteriormente. Bom começamos na parada do sharkpoint mas não rolou de ver porque eles não brotaram. Depois paramos na Bamboo Island, e que paraíso!!!!! Lugar lindo demais! Super clara e temperatura da água maravilhosa! Marcamos uma hora e meia lá e voltamos pra monkey beach e tiramos uma casquinha na Maya Bay do lado oceânico, já que tá fechada pra acesso. No final voltamos na hora do por do sol dentro do mar. Que experiência!!! Muito lindo! Voltei do passeio e fui tomar banho e me encontrar com as meninas Cíntia e Sara. Também encontrei nesse dia com Carol e Gilberto de novo!!! Acabei indo com as meninas pra praia mas decidi voltar pq queria ficar tranquila de boa. Marquei no Karaokê um pouquinho e voltei pro hostel. Na volta encontrei com Alex meu vizinho de hostel e trocamos uma ideia lá. A Sara voltou e colou com a gente tbm! Gilberto e Carol tb brotaram e ficamos de social lá. Aproveitei o máximo q podia com eles pq dia seguinte já ia partir.






      13o dia (12/11/2019) KO PHI PHI - KRABI - BANGKOK 
      Tudo que é bom dura pouco mas a gente aproveita até a última ponta de tempo né?! Nesse dia acordei e já fechei o ferry pra krabi que deu (300 THB) a Soph fez um desconto pra mim lindo! Encontrei com o Alex e partimos pra Long Beach juntos! Follow the flow joeee. Claro que rolou aquele suco da fruta de lei antes da praiana. Tivemos um dia incrível em Long Beach, trocando altas ideias até chegar o ponto de esquecer o horário do ferry hahahahahhahaha fiquei mais na correria do que pra chegar em Chiang Mai. Valeu a pena cada segundo que atrasei! Corri até a China pra pegar esse ferry né? Não tive nem tempo de despedir dos locais que conheci na ilha mas sabe aquela sensação de que voltaremos no lugar? Pois é. Só entrei no ferry e fui. E agradeci muito pela oportunidade de ali ter criado tão boas conexões e experienciado momentos que vou levar pra sempre comigo. 
      Cheguei no aeroporto de van (150 THB) com um casal de espanhóis que estam morando no Chile. Me atualizaram todos eventos em ultimato! O voo atrasou pra BKK mas chegamos com muita fé em BKK. Peguei um grab até o hostel (HeRe Hostel de novo) que deu (180 THB). Conheci uns caras do Paquistão que me contaram que amam o Brasil e que aliás sabiam de muita coisa que rola. Fiquei de cara! E fui morgar sério depois.
       

      14o dia (13/11/2019) BANGKOK 
      Despedida da Tai com chave de ouro. Acordei tomei café e colei com os malucos do hostel, o Scott de Montana, o Diether da Bélgica e um alemão que não lembro o nome dele mas gente boa! Fomos no Wat Pho (200THB). Missão final da trip. Fui com eles e no final voltei pra Khao San pra ver umas paradas pra levar pra casa. Fiquei no hostel com a galera de Netherlands que tava em massa em BKK naquele dia! Voltei na Khao San pra comer e regressei ao hostel. Combinei com um casal holandês de ir pro aeroporto juntos no dia seguinte e teve um alemão que tb ia colar c a gente pra ratiar esse grab! Dormi um pouco tarde, fiquei trocando maior ideia com o Diether antes de dormir.
       

      15o dia (14/11/2019) BANGKOK - LA 
      TCHAUUU Tai!!! Sat wat dee ka 🙏🏼 Khop koon ka
       
      Muita gratidão e também aquela vontadinha de ficar mais tempo né?! Mas enfim, tomei meu café e fechei c a galera o grab até o aeroporto (140 THB pra cada um contando pedágio.) 
       
      E essa foi a minha jornada nesses dias incríveis e inesquecíveis nesse país maravilhoso! O medo de ir sozinha não durou quase nada, e por fim, foi uma grande experiência pois abri mais meu coração e tive oportunidade de conhecer tanta gente legal pra compartilhar experiências! É isso que levamos da vida né? E viajar nesse estilo pelo menos pra mim é a melhor forma de aprender a viver. A Rotina é importante e faz parte mas é fundamental não ter planos tb. Essa foi a grande lição da trip!
       
      ” O que se leva da vida, é a vida que se leva!” 
       
      OBS: Ainda tô montando a planilha com gastos mais detalhados, mas qualquer dúvida estou aqui aberta e disponível pra ajudar! Mais uma vez obrigada Mochileiros!!! 🎒👊🏼🙏🏼
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       
       







       



    • Por Bruno Miguel
      Pessoal,
      A temporada 2019/2020 está começando na Tailândia e outros países do sudeste asiático e queria dizer que estamos ajudando os brasileiros e organizando passeios pelo país, com guias em português, principalmente nas Ilhas Phi Phi. Aos interessados, é só entrar em contato o pessoal do @passeiosemphiphi | https://www.instagram.com/passeiosemphiphi/ ou mesmo o passeiosemphiphi.com
      A ideia é principalmente ajudar àqueles que nunca viajaram antes, não dominam o inglês e que querem ficar mais tranquilos ao chegar no país.
       
      E aqui tem muitas dicas também sobre a Tailândia, como planejar e dicas de roteiro de 12, 15, 20 e 30 dias pelo país: https://naproadavida.com/viagem-para-a-tailandia/
    • Por AnaMoreira19
      Galera, estou planejando um mochilão pela Ásia com duração de aproximadamente 60 dias começando em março/2020 e gostaria de uma ajuda com o roteiro/gastos.
      A principio, o roteiro básico seria:
      Coréia do sul (entre 15 a 30 dias)
      Taiwan (1 semana)
      Tailândia (1 semana)
      Camboja (1 semana)
      Vietnã (1 semana)
      Vocês acham viável ter uma media de US$50,00 gastos p/dia (alimentação, hospedagem, transportes e passeios), sendo o meu orçamento máximo de US$5000?
      PS: Na Coréia, como é o país mais caro, tentaria Worldpackers para economizar com hospedagem, por isso planejei ficar mais tempo. E os voos entre os países não entram no valor de 5000 dólares.


×
×
  • Criar Novo...