Ir para conteúdo
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Encontre companhia para viajar, compartilhe dicas e relatos, faça perguntas e ajude outros viajantes! 

Posts Recomendados

  • Membros

Olá, galera! ::otemo::

 

Acabei de chegar da Terra Ronca e como não tem muita informação disponível na internet vou fazer um relato pra deixar mais atualizado.

 

Saí de Brasília na quinta-feira, foram mais ou menos 4 hrs de viagem até posse, na entrada da cidade fomos parados numa blitz e ficamos lá por mais de 30 min, o que nos atrasou e como de lá até o Camping do Ramiro é mais 1hr e 30 min de viagem sendo metade desse tempo mais ou menos de estrada de terra, decidimos dormir em posse pra não pegar estrada de terra a noite.

Em posse ficamos na pousada Brasil (60 reais o quarto pra 2 ou 3 pessoas, pousada bem simples só pra dormir mesmo.

Saímos no outro dia de manhã e chegamos no Camping do Ramiro às 10 hrs. A estrada de terra pra lá estava boa, poucos buracos.

Os preços lá agora são:

Passeio 120 reais por dia (preço para 3 pessoas)

Camping 20 reais por noite por pessoa

Jantar 20 reais por pessoa

Almoço 7 reais por pessoa

 

OBS: Pra quem nunca fez esse tipo de passeio, o guia vai no seu carro, por isso não sei se como ficaria se o carro já tiver com 5 pessoas.

 

Pelo horário que chegamos nos recomendaram conhecer a caverna São Bernardo e depois a cachoeira Palmeiras. A caverna é linda e de fácil acesso, tinha inclusive um casal com uma criança lá. A cachoeira também é muito bonita e de fácil acesso. Cobram uma entrada de 5 reais por pessoa. Chegamos no Camping por volta das 18 hrs. A estrada de terra desses trajetos estava razoável, com alguns poucos buracos mais tensos no trajeto da cachoeira.

No outro dia saímos às 9 e pouco pra conhecer a Caverna São Mateus, cerca de 30 minutos de carro, a estrada fica ruim quando vai se aproximando da cachoeira, se você estiver de carro baixo é um pouco mais complicado, mas dá pra ir.

Fizemos uma trilha leve de cerca de 15 minutos e começamos a descer as pedras rumo à entrada da caverna. Achei o acesso a essa caverna de moderado a difícil. Depois de descer as pedras tivemos que ir enfiando nas fendas num sentindo ingrime para chegar ao primeiro salão. Em uma das fendas acho que uma pessoa que esteja bem acima do peso vai ter muita dificuldade pra passar, mas o guia disse que já levou uma pessoa de 150 kg la, eu,sinceramente, não sei como! haha Essa caverna é incrível e tem uma "cachoeirinha" lá dentro, é maravilhoso!!! Aproveitamos bastante a caverna, chegamos no camping as 19 hrs.

No outro dia fomos a terra ronca 1, como íamos embora meio dia não fizemos a travessia da caverna, só fomos conhecer até a parte iluminada. Essa caverna tem uma energia incrível e é maravilhosa. A que eu gostei mais. Mesmo a São Mateus sendo linda, essa tem uma energia diferente e a entrada é maravilhosa. Vi uns guias passando lá e foram super rápidos nessa parte iluminada e lá merece atenção, sentar e ficar quieto um pouco observando de dentro da caverna o buraco dela e com ctz um banho no rio.

Saimos às 11:50, paramos em Posse pra almoçar (Restaurante Mangueiras já na saída da cidade na br pra BSB. Rodízio de churrasco 35/pessoa ou PF com churrasco (muito bom!) 17/pessoa.

Tem a cachoeira São Bernardo logo depois da ponte nova alguns km depois do camping no sentido Guarani, não fomos pq não queríamos pegar a br tarde.

 

Em Suma, Terra Ronca é INCRÍVEL ::love:: e se tivesse mais tempo ficaria pra fazer pelo menos mais a travessia da terra ronca 1, terra ronca 2 e Angélica.

Quanto ao camping e os passeios, achei o camping bom, tem uma área boa pra armar barraca. Fica meio isolado, a 52 km de são domingos e uns 40 minutos de guarani. Vi um pessoal usando a geladeira lá, então acho que se quiser levar comida é tranquilo.

 

Os guias, que são os filhos do seu Ramiro e ele, são pouco comunicativos, o que eu achei que complica um pouco, pq eu tentei pedir opinião pra ver, pelo tempo que tínhamos, quais as melhores cavernas pra ir, mas não me deram uma resposta direta, só falavam que eram muito bonitas e tal. Escolhi o camping do ramiro pelo diferencial das fotos com a iluminação, mas fomos com o Guia Kiko e ele não se pré dispôs a fazer essa iluminação. So tiramos umas fotos assim quando cruzamos com o irmao dele (William se nao me engano) que estava fazendo isso com o pessoal dele e aí aproveitamos. Além disso, ele não falou quase nada sobre a caverna em si e nem deu instruções no percurso da caverna, o que eu acho essencial, já que algumas partes da São Mateus são bem perigosas. Como já tinha ido na Caverna dos Ecos já sabia algumas coisas, mas pra quem não sabe é meio ruim.

 

Muitas dessas cavernas mais famosas tem rio que passa por dentro, ou seja, você molha o tenis todos os dias, portanto, se puder levar 2 acho muito válido

  • Gostei! 1
Link para o post
Compartilhar em outros sites
  • 2 anos depois...

  • Membros

Lugar de beleza única! Estive em abril de 2019. Para que costuma fazer passeios ligados a eco turismo achei os preços bem sugestivos. Melhor opção e chegar pelo aeroporto de Brasília e alugar um carro até Posse ou São Domingos, ou pegar o ônibus leito e semi-leito para alguma dessas cidades. O guia que fera é o Rafael (62) 9962-4859 além de um domínio ímpar da região, tem como sua atividade principal pertencer o corpo de bombeiros, o que também acaba sendo um grande diferencial no quesito segurança. Fiquei hospedado na pousada São Mateus (Não ficaria de novo, rústica demais, e valores bem atuais, ficaria na Pousada alto da Glória, pois possui uma melhor estrutura, pelo mesmo valor).

Terra Ronca 1 e 2 linda pela sua grandiosidade (não é uma trilha fácil para quem não tem o hábito da prática.) o ideal é não realizar no primeiro dia.

Caverna São Bernardo (foi a que mais gostei) trilha relativamente simples (mas como todas é necessários guia)

Caverna da Angélica, muito linda também, trilha simples, onde as fotografias ficam bonitas.

 

Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora
  • Conteúdo Similar

    • Por Tadeu Pereira
      Salve salve mochileiros!
      Segue o relato com algumas dicas para fazer uma bela trilha de nível médio onde irão encontrar duas grandes cachoeiras, uma bela floresta, uma natureza fantástica bem perto da cidade de São Paulo e de baixíssimo custo.
      --> 15km ida e volta (Iniciando a trilha na balança no Km77)
      --> Passagem metrô/trem/ônibus R$17,30
      --> Nível de dificuldade: DIFÍCIL (trilha com várias bifurcações)
       
       
      Partida - 18/02/19 - Partida 08:00am - São Paulo x Mogi das Cruzes x Biritiba Mirim (Serra do Mar) - Metrô e Trem R$4,30 - Ônibus R$4,50
         Partindo de São Paulo do bairro Perdizes Zona Oeste, peguei o Metrô na estação Vila Madalena (linha verde) até a estação Paraíso (linha Azul) para baldear para a linha vermelha seguindo até a estação Sé (linha Vermelha) sentido Itaquera e descendo na estação Brás (linha Vermelha) onde encontrei mais duas amigos para pegarmos o trem da CPTM sentido Guaianases (Linha Coral) e finalmente após a troca de trem pegamos para o sentido final e para nossa primeira parada, a Estação Estudantes (Linha Coral). 
           Na Estação Estudantes existem 3 formas de você chegar nesta trilha: A 1ª é de lotação de carros ou vans. Logo que você cruza as catracas da estação de trem você já irá ser abordado por alguém te perguntando se precisa descer para o litoral pela estrada Mogi x Bertioga. Essas pessoas lotam um carro ou uma van e descem até as cidades de Bertioga e do Guarujá cobrando o valor de R$25,00 a R$30,00 por pessoa. O único problema desta opção seria o valor que é mais alto e as vezes ter que ficar esperando lotar o carro ou van e isso levaria mais tempo para iniciar a trilha. Já a 2ª forma de chegar ao início desta trilha seria de ônibus. Saindo da estação de trem pelo lado esquerdo você encontrará um terminal de ônibus onde realizam também a descida pela rodovia Mogi x Bertioga feita pela empresa de ônibus Breda. O valor é aproximadamente R$29,00 e é só pedir para o motorista parar no KM81 para iniciar a trilha. A ª3 forma de chegar no início da trilha e foi a que nós escolhemos e é também de ônibus, porém de ônibus circulares. Saindo da estação você encontra uma passarela que te leva para o lado direito da estação Estudantes. Chegamos em uma rua e caminhamos para a esquerda por alguns metros e já de frente vimos um terminal de ônibus onde pegamos um ônibus circular de transporte público intermunicipal até o ponto final que fica no KM77. O ônibus é o NºE392 (Manoel Ferreira) que nos levou em 30 minutos até o KM77 seu ponto final.
        
           No ponto final do ônibus existe uma balança, um pequeno bar e uma feirinha com várias frutas, uma ótima opção pra levar pra trilha como bananas, mangas, uvas etc. Compramos água e algumas frutas e iniciamos a caminhada pela rodovia para iniciar a trilha mata a dentro. Neste trecho de 4km andamos pelo acostamento da rodovia até o KM81 onde fica a entrada da trilha. O inicio da trilha fica antes de uma placa amarela e preta escrito "DESCIDA DA SERRA DESÇA ENGRENADO". Quando ver esta placa após caminhar até o KM81 terá uma entrada à direita, e é ali que se inicia a trilha para cachoeira do elefante. 

        
       

      Entrada da trilha direita -->
       
           Andamos por aproximadamente 10 minutos e encontramos uma ponte destruída pela erosão onde demos a volta pelo lado e continuamos em frente até chegarmos na travessia do rio. A travessia é tranquila pois o rio é bem raso neste ponto, então conseguimos atravessar sem precisar molhar nada além dos nossos pés. Do outro lado do rio tem um bom local para camping pois o local é como uma praia de água doce. Tem areia, pedras e um ótimo local pra um mergulho.
       
        

       

           Após a travessia do rio seguimos pela trilha que segue atrás da área de camping onde nos levou a uma bifurcação que seguimos pela esquerda para a cachoeira do Elefante. Já a trilha que segue pela direita leva para as torres de energia elétrica.
       

           Então neste ponto da trilha após o rio Itapanhaú é preciso seguir a trilha atras da area de camping rente ao rio e continuar a trilha até a primeira bifurcação onde se seguirá também para esquerda pois pela direita se chega nas torres de energia elétrica que também tem uma vista fantástica das praias de Boracéia, São Lourenço, Juquei, Barra do Una etc,  mas o esforço nesta trilha é de nível alto pois as ladeiras são muito ingrimes e isso nos desgastou bastante. Entrar pela direita foi um erro que nos mostrou uma paisagem fantástica de cima da montanha mas aconselho a chegarem somente na primeira torre, as outras não são tão interessantes.  A trilha de modo geral é bem demarcada e contém algumas fitinhas amarradas nas arvores de cor azul e amarela informando a direção da trilha, então é só ficar ligado nelas para seguir a trilha corretamente.  

           Após este erro na trilha retornamos e fizemos a trilha corretamente pela esquerda onde a trilha segue do lado do rio e de algumas cachoeiras. Uma delas é a cachoeira do Limo que fica virando a esquerda logo depois da bifurcação que entramos a esquerda também.

        

      É uma cachoeira pequena mas muito legal de conhecer, ficamos por alguns minutos contemplando e retornamos pela mesma trilha que viemos e  logo seguimos em frente. Andando por mais alguns minutos do lado da trilha começamos a ouvir o som de uma enorme queda d'água. Seria a primeira queda da cachoeira que se chama Véu da Noiva. Resolvemos descer e contemplar também esta cachoeira. Ficamos pouco tempo pois o volume d'água estava muito grande neste dia impossibilitando de entrar na águas do véu da noiva. Mas vale a pena ir pois é uma queda muito bonita para contemplar. 
       
        
       
           Voltamos para a trilha principal e caminhamos por mais alguns bons minutos até que encontramos uma placa pequena escrito "Recicle Leve seu Lixo" de cor branca e verde e neste ponto da trilha seguimos as fitinhas coloridas que estão amarradas nas árvores e não descemos a trilha passando a placa, nós seguimos reto na trilha que segue ao lado direito.  
               

      Após mais 1 hora de caminhada de uma descida intensa chegamos em mais uma bifurcação do rio Rio Itapanhaú, para a direita a trilha segue junto da margem do rio e leva a um local conhecido como Casarão e para a esquerda a trilha segue para o nosso destino, a base da Cachoeira do Elefante. Neste ponto a trilha depois de alguns minutos a trilha ira atravessar o rio novamente e continuar do outro lado. A travessia no dia foi tranquilo sem precisar entrar na água, atravessamos por pedras e continuamos do outro lado.  Neste ponto da trilha passamos por diversos locais para camping e algumas grutas que até dá para abrigar algumas pessoas. Um lugar muito bacana para acampar.
       
           Andamos por alguns minutos e logo ouvimos o som ensurdecedor das gigantescas quedas da cachoeira e quando mais nós caminhávamos o som ia ficando mais alto. La estava ela, após aproximadamente quase três horas de trilha e duas tentativas sem sucesso em dias anteriores nós finalmente conseguimos encontrar a famosa Cachoeira do Elefante. A forte queda faz com que tudo fique molhado pelas gotículas d'água que ficam no forte vento que vem das fortes quedas. A cachoeira realmente é uma imponente obra da natureza com milhares de litros d'água descendo pelas pedras criando um cenário fantástico da natureza. A cachoeira oferece diversos locais para um bom banho. Do seu lado direito onde a correnteza é mais forte estava mais perigoso de se banhar mas mesmo assim conseguimos ficar debaixo de uma enorme pedra onde em um fenda se tem uma ótima cachoeira. Mas é do lado esquerda da cachoeira que aproveitamos melhor. Existem diversas quedas ótimas para banho e descendo mais um pouco contém um poço bom para mergulho.
       
       
       
       
       

       
       

           Ficamos por diversas horas contemplando o lugar, fizemos um lanche para recarregar as energias pois ainda teríamos a volta que já no começo nos aguardava a subida mais foda de toda a trilha ahahahha. Mas depois de lavar a alma, tirar as urucas, banhar os piolhos dos dreads rs e recarregar todas nossas energias nas águas da cachoeira do elefante nós estávamos dispostos a subir até na lua se for preciso hahahaha.
      Volta - 18/02/19 - Volta 18:00am - Biritiba Mirim (Serra do Mar) x Mogi das Cruzes x São Paulo - Ônibus R$4,30 - Metrô e Trem R$4,50
           Arrumamos nossas mochilas e começamos o caminho de volta, andamos por aproximadamente duas horas e meia e retornamos toda trilha até o início que fica na rodovia no KM 81, dali caminhamos pela rodovia até o bar no KM 77 onde aguardamos por alguns minutos o ônibus R$4,50 para retornar ao terminal urbano de Mogi das Cruzes e para a Estação Estudantes da CPTM R$4,30 onde finalizamos mais uma fantástica trilha. Vlw mundão!
       
      Facebook: https://www.facebook.com/tadeuasp
      Instagram: https://www.instagram.com/tadeuasp/
       

       
       
       
    • Por pachecolucas
      Fala pessoal beleza?meu nome é Lucas
      Eu tava me organizando pra fazer um mochilao aqui no Brasil mesmo em agosto,ia ser minhas férias do serviço e meu primeiro mochilao
      Corona estragou tudo e agr minha mochila tá mofando me encarando no armário
      Vcs tem alguma dica de trilhas/cachoeiras aqui perto de sao Paulo pra eu conseguir matar minha sede de sair?ou talvez algum lugar pra eu conseguir acampar (sendo meu primeiro acampamento)
      Tenho tudo pronto aqui já tem meses kkkkkkk se alguém for fazer trilha,acampar ou alguma coisa por aqui perto,pode me chamar que eu tô aceitando kk
      desde já vlw gente
    • Por Mônica Ferreira Lima
      Pessoal, nunca vi tanta caverna num lugar só, de tudo qto é jeito! Com muita aventura: salões, rios subterrâneos... A hospedagem é num vilarejo super simples, em ruas ainda de terra, mas com uma comidinha caseira deliciosa! Pra contrabalançar, tinha um boia-cross super relaxante. Imperdível!



    • Por rxc2010
      Bom dia pessoal!
      Alguém conhece a Bota Xterra?
      Desde já muito obrigado!
      Ricardo
    • Por Leandro Z
      Antes de visitar Caiapônia, li um bom relato aqui do fórum que me ajudou muito: 
      Mesmo assim, quero deixar o meu e espero ajudar.
      🏦 CIDADE
      Caiapônia é uma pequena cidade goiana (19 mil habitantes) quase na divisa com MT, distante 410km de Goiânia (indo por Rio Verde, cujo trajeto é duplicado). Fui de carro e fiquei 4 dias em janeiro de 2020. A cidade ainda não está acostumada a receber turistas, tem poucos hotéis, ouvi falar pouco de guias e não há placas para muitas das cachoeiras da região. Assim vale ainda mais a visita!  No Booking, só há um hotel cadastrado. No GoogleMaps tem mais. Eu fiquei no Hotel Central e paguei R$60 por noite.
      ✅CACHOEIRAS Da Jalapa: perto da cidade, tem placa indicando e também está no GoogleMaps. Caminho tranquilo. Como era período de chuva, estava bem barrenta e não nadei, ainda bem que não tinha ninguém cobrando. Parece bonita, quando não está com lama. Cachoeira da Jalapa Do Sereno: mais uma perto da cidade e fácil de se chegar, tem placa indicando a partir do caminho que se faz no GoogleMaps. Também não paguei nada para entrar. Poço bom pra banho, apesar dos galhos. Estava um pouco barrenta. Santa Helena: fica uns 80km do centro, o GoogleMaps indica o caminho certo até você se deparar com um rio, aí estacione o carro, pule a cerca e ande uns 10 minutos seguindo o mesmo rio. Estranho que, pelo caminho de carro, encontrei placas da cachoeira Lageado, Paraíso e Três Barras, mas não desta Sta. Helena. A cachoeira é bonita, limpa, bom poço, queda baixa, mas larga, tem muitas árvores por perto, não tem estrutura e não paguei para entrar. Recomendo subi-la, que tem pequenos poços acima. Santa Helena Lageado: no trajeto pra Sta. Helena, só que mais perto. Tem estacionamento, bar, sinuca, som alto, paga R$5 pra entrar. Poço bom pra banho, queda pequena, a água estava meio turva e muitos farofeiros, fiquei pouco tempo. Samambaia e Abóbora: deu muito trabalho pra chegar, pois o Googlemaps indica o caminho errado! Mas vale a pena! Se ele te mandar rodar muito pela BR158, está errado. O certo é rodar apenas 10km por ela a partir do trevo de Caiapônia. Aí, entra a esquerda na estrada de chão onde tem uma placa indicando a "Fazenda Olho D'água" (não tem placa indicando a cachoeira, só essa fazenda). Vc ainda roda uns 23km pela estrada de chão e pelas plantações de soja até perder de vista e um barracão, onde tem uma casa e um monte de cachorros bravos. Logo após este barracão (vale a pena perguntar pro pessoal da casa o caminho, mas cuidado se for descer, os cachorros realmente são bravos), vira a direita e vai até o final, uns 5km, sempre vendo as plantações de soja. Se chegar a algum pasto, está errado (eu fiz isso). Como sabe que chegou? A estrada acaba, aí desça do carro e logo a frente está o rio. Você chega por cima da cachoeira da Samambaia. Atravessa o rio e desce a trilha bem marcada com cabo de aço até o poço, é tranquila. Cachoeira linda, alta, muito boa para banho. Pra ir a cachoeira da Abóbora, suba quase tudo o que desceu e vire a esquerda, seguindo uma trilha também bem marcada (logo aparece o cabo de aço). Caminha uns 10 min. Esta também é muito bonita, alta e um poço gigantesco para banho. Não paguei nada para entrar. Caminho correto para a cachoeira da Samambaia e Abóbora Cachoeira Samambaia Cachoeira Abóbora Soja que não acaba mais... Cachoeiras da região que não fui, mas com certeza valem a visita: Pântano, Três Tombos, São Domingos, Salto Paraguassú (longe, mais pra Barra do Garças-MT). https://zahiandoporai.blogspot.com/2020/04/caiaponia-go.html
      https://www.curtamais.com.br/goiania/municipio-goiano-e-um-verdadeiro-e-incrivel-paraiso-das-cachoeiras-perdidas
×
×
  • Criar Novo...