Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
  • Faça parte da nossa comunidade! 

    Peça ajuda, compartilhe informações, ajude outros viajantes e encontre companheiros de viagem!
    Faça parte da nossa comunidade! 

ederfortunato

Colômbia, 14 dias(Bogotá, Medellín, San Andres, Tayrona, Cartagena) gastos e FOTOS!

Posts Recomendados

Em Maio de 2017, passei 7 dias no Equador e 14 dias na Colômbia, e devo agradecer a galera daqui do fórum que me ajudou muito através dos relatos, por isso, resolvi fazer um também!

 

Eu vou focar nas dicas de passeios e trajetos para chegar nos lugares, e menos nos detalhes do que eu fiz no dia-a-dia por lá(até porque tenho péssima memória).

 

Pra quem gostou das fotos, eu posto muito mais lá no meu instagran, segue lá: http://instagram.com/ederfortunato/

 

Colômbia

 

O roteiro ficou meio bagunçado rs, comecei em Bogotá, apena 1 dia(poderia ter ficado mais 1, não mais que isso) e depois avião para Medellín, eu li que as estradas são bem ruins nesse trajeto, e levaria 13 horas, achei uma passagem pela Viva-Colômbia saiu por COP $150.000 pesos, compensou pois de ônibus ficaria quase esse preço. Então passei 3 dias em Medellín(o ideal seria 5!), minhas passagens para San Andrés tinham o trajeto Medellín > San Andrés / San Andrés > Cartagena(deveria ter ido direto pra Santa Marta), com isso passei 4 dias na ilha(achei tempo ideal), chegando em Cartagena já fui pra Santa Marta de van(fiquei 1 dia por lá) e depois Parque Tayrona(1 dia, seria melhor 2), então voltei pra Cartagena onde fiquei os últimos 2 dias(queira ter ficado 3), já que meu voo de volta sairia de lá.

 

Dicas Gerais:

 

  • Sobre gastos, eu levei dólares, achei que foi melhor pois consegui uma cotação boa no início do ano(R$3,21) e porque eu estava no Equador antes de ir pra Colômbia(a moeda de lá é dólar), mas pelo que vi os Reais tem boa cotação, nem pense em trocar nas casas de cambio dos aeroportos, ali tem as piores taxas.
  • Gastei +ou- os $500,00 dólares que levei, com hospedagem/passeios/comida/transporte, fora as passagens para os trajetos internos que havia comprado antes de ir, os 3 trechos ficaram em R$400,00, achei que foi OK para 14 dias, poderia ter gasto menos, principalmente em Santa Marta/Tyrona, mas tudo bem, fiquei satisfeito com tudo.
  • Ainda sobre dinheiro, a moeda na Colômbia é o Peso, e atualmente eles estão num processo de trocar as notas, então vc vai encontrar algumas antigas com as novas ao mesmo tempo, as antigas tem escrito "5.000" já a nova vai estar escrito "5 MIL", mas o maior problema são as cores não são iguais, então a nota de 2.000 velha não tem a mesma cor que a de 2.000 nova, pior!, ele vai ter a mesma cor da nota de 20.000 nova! isso gera muita confusão, então, sempre que receber troco, confira os valores, algum espertinho pode ter de dado troco errado "por engano".
  • Sempre que chegar num aeroporto, você vai precisar passar por uma parede de pessoas tentando te oferecer táxi ou carro executivo, em todas as cidades que visitei me deparei com a mesma coisa, tente ignorá-los e encontrar a fila de táxis oficiais que tem do lado de fora, são mais seguros e às vezes até mais baratos, eles têm taxímetro(o preço você ver comparando o número que aparece no taxímetro com uma tabela que deve estar visível dentro do táxi).
  • Em Cartagena principalmente, esse assedio com os turista é bem pesado, a dica que nos deram lá é "Nada é de graça!", pois muitos vendedores dão uma "amostra grátis" mas se você não comprar nada, precisa pagar rs, então não tenha medo de falar "no grácias", pois eles costumam ser chatos.
  • Sobre a organização dos nomes das ruas na Colômbia, de inicio parece complicado, mas na real é bem fácil, as ruas estão organizadas em forma de "grade", existem dois "tipos" de nomes,as Calle, que são as travessas de leste a oeste(ou as ruas na horizontal se vc estiver vendo um mapa), e as Carrera são as de norte a sul(ou as ruas na vertical), e todas elas tem nome com números crescentes, tipo: Calle 1, Calle 2, Calle 3, se vc está na esquina da Calle 4 com a Carrera 6, é facil achar a Carrera 8, basta andar dois blocos em direção ao norte.
  • Ainda sobre a localização, os endereços por lá costumam ser algo como "Cra. 50 #42-30", traduzindo, o lugar ficar na Carrera 50, depois da travessa com a Calle 42(no quarteirão depois que essas ruas se cruzam), no numero 30. Um outro exemplo, o endereço "Cl. 36 #53-43,", traduzindo, fica na Calle 36, na quadra depois da travessa com a Carrera 53, no numero 43. Parece confuso de inicio, mas quando vc acostuma percebe que fica mais fácil se localizar do que se as ruas tivesse nomes comuns.

 

Bogotá

 

Fiz o Free Bogotá Walking Tours, este é o do site Gran Colombia Tours. recomendo bastante, diferente do outro mais famoso(do site Beyond Colombia), que costuma ter muito mais pessoas, nesse éramos apenas 8, o que fez o passeio ficar bem melhor. Além de toda a parte histórica de Bogotá, tivemos também um "Tasty Tour", parávamos para experimentar as frutas e sucos típicos colombianos, paramos também numa loja que vendia tudo feito a base da folha de coca(site deles, gostei de lá), e no final numa cafeteria "gourmet" para ver o processo de preparo do café, recomendo bastante esse passeio.

Depois do tour, fui no Museo del Oro(entrada por COP $4.000), vale a pena ir nele, assim que entrar, pergunte sobre o tour guiado(tem em inglês e espanhol), é algo que acrescenta em muito na experiência, tem muita coisa da história pré-colombiana pra aprender, vale a visita. Outro lugar bacana é o Cerro de Monserrate fui a pé para lá, e subi de funicular, a vista de lá é a melhor, além de ser um espaço bem tranquilo para passar um tempo.

Hospedagem: fiquei no Alegrias Hostel Bogotá, no bairro de La Candelaria, recomendo bastante, tanto o bairro como o hostel, bem localizado, dá pra ir andando para os principais pontos do centro, mas cuidado que tem algumas áreas lá que é melhor evitar. Do hostel, a equipe é muito prestativa e bem humorada, o banheiro não era lá essas coisa, não havia luz(tinha uma lanterna no lugar), apesar disso, no geral gostei de lá.

 

IMG_0004.jpg.71957d7037f8a9ba563bfc8f741c6e76.jpg

IMG_0047.jpg.6a87339cd45db009577de7f81398485c.jpg

IMG_0024.jpg.c7c7fc4f42171fd7565d24c262673f75.jpg

IMG_0058.jpg.962dd87a385ba810801b9b3524a7cf3b.jpg

 

 

Medellín

O aeroporto fica bem longe da cidade, umas 2 à 3 horas de viagem, táxi ficou fora de cogitação pra mim, por sorte tem um micro-ônibus que te deixa no centro da cidade, caso já esteja em Medellín e precise ir para o aeroporto, volte nessa mesma rua, o ponto de referencia é atrás do Hotel Nutibara, onde tem vários micro-ônibus parados lá.

Sem dúvida foi minha cidade favorita nessa viagem, no primeiro dia fiz o free walking tour do Real City Tours, recomendo muito esse, a parte histórica aqui foi muito boa, a guia que nos acompanhava falou de tudo, tanto as partes boas como as ruins da história de Medellín, além da distinta relação do povo de Medellín com o resto da Colômbia, e como sempre as melhores dicas de onde comer e o que visitar.

Finalizado o tour, eu fui para o Cerro Nutibara, uma colina dentro da cidade, que tem um parque bem bonito em volta, além de uma réplica de algumas casas do tempo colonial no topo, tem também um museu, e uma ótima vista da cidade, é um lugar muito bom pra finalizar o dia, para chegar lá, pode ser de táxi, ou descer na estação Industriales do metrô e caminhar uns 20 minutos.

Guatape, um passeio de bate-volta de um dia inteiro, obrigatório pra quem visita Medellín, uma cidade toda colorida, e onde fica a famosa La Piedra, também chamada de El Peñol, onde você tem uma visão de toda a área em volta, que tem uma represa artificial, a entrega para subir são COP $18.000.

Para chegar lá, vá até a estação de metro de Caribe, saia dela, e caminhe até a estação de ônibus que é do lado, e procure pelo guichê da companhia que faz o trajeto, tem apenas duas, a passagem custa COP $20.000, e você pode escolher ir pra cidade primeiro ou já subir a pedra, o ideal é subir e depois almoçar e caminhar pela cidade, no meu caso, quando cheguei o tempo estava fechado(a vista não seria muito boa) então resolvi visitar a cidade primeiro, o que acabou ficando mais caro pegar os tuk-tuk de ida/volta, mas fazer o que né.

Eu até pesquisei sobre o tal do passeio para conhecer as casas do Pablo Escobar, mas sinceramente, não me interessou, ele não é uma figura que mereça esse tipo de homenagem ou atenção(o cara matou muita gente inocente poxa), então eu deixei pra lá, prefira assistir o seriado Narcos da netflix que compensa mais que visitar túmulo de traficante.

Fiquei no Hostel Happy Buddha Boutique, e tenho que dizer que NÃO RECOMENDO, pois eu fui ROUBADO lá dentro. Em alguns quartos, os armários não tem opção de você usar seu próprio cadeado, precisa usar uma chave que eles te dão, alguém roubou meu dinheiro do interior do armário e eles disseram que não eram responsáveis, e nem mesmo fizeram nada, Uma garota que disse que era gerente, me deixou conversando e foi fazer outra coisa enquanto eu informava o que havia acontecido, e como eu não falava inglês nem espanhol, não consegui resolver nada.

O bairro, El Poblado, é ótimo, tem vários outros hostels na mesma rua, evite o Happy Buddha, pois nem é tudo isso que você vê nas fotos, apenas os quartos privados que são mais arrumados, os compartilhados são bem bagunçados e cheios de mais.

 

IMG_0081.jpg.a538b727c469923ac97cad9c6450a201.jpg

IMG_0084.jpg.5b5255e8484254a556620cb80e825658.jpg

IMG_0091.jpg.002a80c29fc505e3da779cbab8281a0b.jpg

IMG_0128.jpg.b616df0def9dce59339064d202333f91.jpg

IMG_0141.jpg.0e1e7955e9e9d90274fe2b82eec2fae0.jpg

IMG_0270.jpg.c5fa735c2dafbcd19a4cef5eb676ab03.jpg

IMG_0275.jpg.a5785190f1c7c46b68514edde3299c71.jpg

 

 

San Andrés

 

Eu havia lido antes de ir, e pude constatar lá, a ilha começou a receber muito mais turista que do que estava preparada, muitos dos serviços são bem mal organizados, e falta de informação(mesmo no hostel) era bem frequente. Um outro ponto que vale avisar, é que a ilha toda é uma espécie de Duty Free, no centro tem muitas lojas(muitas mesmo) de produtos por preços mais baratos, então separe uma grana caso queira comprar algo.

A ilha tem 3 linhas circulares de ônibus, dá pra chegar em qualquer lugar usando elas, passagem custa COP $2.000, se estiver pelo centro, vá pra esquina da Calle 6 com a Avenida 20 de Julio, pois todas as 3 passam lá, além de ter um fiscal que fica monitorando os horários dos ônibus, ele é gente boa, pode te ajudar com qual pegar para o destino você queira ir.

Lugares que visitei por lá e recomendo:

West View, você paga pra entrar numa área mais "reservada", com mesinhas e cadeiras, onde pode deixar suas coisa, e pode nadar numa pequena encosta para o mar(não é praia, não tem areia), com vários peixes, tem até prancha pra saltar na água e um toboágua, eles também alugam colete e snorkel. Aqui também fica o passeio de Aquanautas, onde tu coloca um capacete pra respirar em baixo d'água e vai andando, não fiz pois achei sem graça rs, apesar dele ser bem famoso o passeio.

La Piscinita, o mesmo que o acima, mas sem a prancha e o toboágua, e mesmo valor pra entrar, achei OK.

Rocky Cay, uma praia bonita, aberta, tem boa estrutura de restaurante, e possui uma ilhazinha a algumas minutos de distância atravessando pela água, vale passar algumas horas ali, a água é bem clara e tranquila pra nadar.

Johnny Cay e Acuario: é o passeio padrão, são duas ilhas com as praias mais bonitas de San Andrés, água cristalina para fazer flutuação, areia branca e limpa, uma parte no meia das ilhas tipo um oásis com coqueiros, para deitar e até tirar um cochilo. Tem passeio pra ficar um dia inteiro em cada uma, ou o que eu fiz, que foi metade do dia no Acuario e a outra metade Johnny Cay, onde tem almoço. recomendo visitar os dois.

Mergulho, ficou em COP $160.000, só não gostei pois era um instrutor para 3 pessoas, e passamos mais tempo tirando fotos(o próprio instrutor tirava) do que explorando o lugar, ainda cobra COP $50.000 pelas fotos, bem mal tiradas por sinal, mas no geral é um passeio legal, vale a pena fazer se você tem o curso, já que a visibilidade lá é boa.

No último dia, eu queria ter feito o parapente, porém o tempo não estava bom, então aluguei uma moto(apenas COP 70.000) e fiquei andando pela ilha, dei uma volta completa parando nos pontos mais bonitos, compensa bem mais do que o alugar o buggy se você estiver em até duas pessoas.

Fuja dos passeios que são pega-turista, tu vai pagar e ver umas coisas bem sem graça: El Hoyo Soplador, Morgan's Cave e Big Pond.

Hospedagem: Fiquei no HostelEl Viajero San Andres, recomendo, boa localização, dá pra ir a pé do/para o aeroporto, é bem limpo, banheiro OK, quartos grandes, café da manhã é ótimo.

 

IMG_0519.jpg.dfbe1310a07f692419eaae5880c7ee6c.jpg

IMG_0195.jpg.47c05b1370420d4166d6b33f4aaa40df.jpg

IMG_0208.jpg.7b0fa7eee3e560fd2b79dbc0464bae4b.jpg

IMG_0360.jpg.57484ef3e98690af0279fd2e8e62a1cc.jpg

IMG_0424.jpg.6355797d7b09d0eb8d41c7f7e5793c9e.jpg

IMG_0380.jpg.1ee7db4ce1f678b5520a7b709a3413b8.jpg

IMG_0517.jpg.6e90de60104efbe9c2ad545729fd2483.jpg

 

 

 

Santa Marta e Parque Tayrona

 

Eu fiz apenas um bate-volta para o parque Tayrona, mas acho que o custo acabou sendo grande pra passar pouco tempo, compensa ficar pelo menos duas noites, para explorar mais e aproveitar as praias.

Partindo do aeroporto de Cartagena, peguei um táxi até uma companhia de micro-ônibus chamada Marsol, custa COP 44.000 a passagem até Santa Marta, e eles te deixam na porta da sua hospedagem. No outro dia de manhã(erro meu, deveria ter ido no mesmo dia que cheguei), com apenas uma mochila menor de ataque(com uma troca de roupa) fui até a parte de trás do Mercado Central de Santa Marta, é fácil achar o ponto certo, tem várias pessoas gritando "tayrona", a van custa COP 7.000, vai até o portão El Zaino, que é o principal do parque.

Dica importante: Nesse portão tem uma galera vendendo reservas para ficar no camping Don Pedro, eu acabei comprando ele, por não conhecer bem o parque, o problema é que este camping fica a uns 40 minutos de caminhada da praia, melhor ficar no Cabo San Juan, que fica do lado de uma praia, e tem uma estrutura bem melhor para banho, tem restaurante, armários para guardar suas coisa.

Do portão El Zaino, você pode pegar uma van ou caminhar 2 horas por uma subida em estrada de asfalto, até chegar na entrada de verdade do parque, nesse ponto, do lado esquerdo, tem umas cabanas e um museu, e também um caminho para um mirante(deve levar uns 30min pra fazer) ou pode ir direto para entrar no parque. Ainda nesse ponto, você pode dar uma caminhada de umas 2:50 numa trilha bem tranquila e sinalizada, ou ir de cavalo(leva uns 40min custa COP 40.000).

Depois dessa caminhada, o primeiro ponto que vc chega é no setor de Arrecifes, aqui é onde revistam suas coisa pra ver se você está levando drogas, bebida ou muitas sacolas(isso mesmo, sacolas plásticas). Só depois desse ponto você vai encontrar as praias indicadas para banho(antes disso, nenhuma é permitida, pois o mar é bem agitado e já houveram casos de morte), mais uns 20 minutos de caminhada para chegar na praia La Piscinita, onde já dá pra dar uma refrescada na água, apesar do mar um pouco agitado.

Depois de ficar um pouco por lá, mais uns 30 minutos de caminhada pra chegar no Cabo San Juan, um camping bem bonito, tem uma cabana no alto de uma pedra em frente a praia(dá pra ficar por lá também), você pode escolher ficar nas barracas ou nas redes, existem outros camping por lá, sem duvida esse é o melhor.

Tem mais caminho pela frente, mas eu fiquei por lá mesmo, e no outro dia fui embora pela manhã, voltei de cavalo pois havia chovido muito à noite e a trilha estava muito difícil de caminhar, foi bem tranquilo cavalgar, os bichos são bem calmos.

Para ir embora, do parque Tayrona, fiz o mesmo caminho na volta, não sei por que, mas o ônibus para voltar era bem maior e tinha ar condicionado, e cobrou o mesmo preço do que paguei na ida, que era apertado e sem ar condicionado. E peguei um transfer no hostel de Santa Marta para Cartagena(COP 50.000).

Hospedagem: Fiquei no Hostel La Brisa Loca em Santa Marta, está bem localizado, bem bonito por dentro, é uma mansão colonial, a equipe é bem prestativas, duas atendentes estavam aprendendo português! e me pediram pra conversar com elas. Os quartos são bem limpo e tem um banheiro enorme, o que é raro num hostel.

Em Tayrona, fiquei no camping do Cabo San Juan, o melhor, recomendo.

 

IMG_0008.jpg.55f91a642115f28e691cd788bf717d68.jpg

IMG_0076.jpg.e54de2e816e84a770d5783db20d3ea06.jpg

IMG_0051.jpg.1bb7a6184bf587fcea9b03d5d5ee21a6.jpg

IMG_0078.jpg.c9317fe06540dfdb2a3dda4d03412bd6.jpg

 

 

Cartagena

 

Prepare-se que Cartagena é uma cidade bem cara, principalmente se você ficar na parte mais turística que é bairro da cidade murada, porem em compensação é a parte mais bonita, tem muitos restaurante que cobram bem acima da média, até dá pra encontrar alguns em conta, que cobram menos de COP $20.000, como o Atahualpa na Cra. 7 com a Calle 37 e o Dorotea ca Cra 9, os mais baratos que achei. A maioria dos restaurantes nessa parte da cidade, são muito mais "chiques", com pratos mais rebuscados, você vai deixar no mínimo uns COP 50.000, fácil fácil, então, pesquise bem, ou aproveite se tiver um bom orçamento.

Fiz o Walking Tour aqui, mas não achei tão bom como nos outros, pelo que vi, o guia que fez o tour deve trabalhar para prefeitura, nem fez questão de pedir gorjeta no final, e era um cara mais velho, um senhorzinho(deve ser professor de história), não deu muitas dicas da cidade, focou mais na parte histórica.

Praias: Dentro de Cartagena mesmo, não tem praia que vale a pena ir, você precisa sair da cidade se quiser conhecer alguma. Eu fiz um passeio com a empresa Backpackers Cartagena que incluía: uma van pra te pegar na hospedagem e te levar de volta no final do dia, o transporte de barco para as Islas del Rosario, com parada no caminho para fazer flutuação em volta das ilhas menores(e particulares) do arquipélago(com snorkel incluído), mais uma parada numa praia que não anotei o nome rs, e terminava na Playa Blanca, a praia mais bonita da região, onde almoçamos(incluído no pacote), tudo isso ficou em COP $60.000, achei que compensou.

Outro passeio que gostei foi o Castelo de San Felipe de Barajas, dá pra ir andando ou de táxi, a entrada custou COP 25.000, e tem muita coisa pra explorar lá dentro, além de ter uma boa vista de toda a cidade.

Hospedagem: Fiquei no El Viajero Cartagena, apesar de ter um preço acima da média, ele está bem localizado, dentro da cidade murada, e a área social do pátio é muito boa, os banheiros são limpos, os quartos tem um espaço legal e tem um café da manhã bem completo.

 

IMG_0178.jpg.1bb6f280f3b237a1f054cdcf0563c46e.jpg

IMG_0162.jpg.028bd99335fb62ed12d6f15f1c070fe8.jpg

IMG_0197.jpg.9dbf0b310ed5b3b47f530fc400700ef6.jpg

  • Gostei! 3

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Para o tempo curto fez bem,eu estive lá por 3 meses no ano passado e discordo do tempo em Bogotá.

Tem muito museu por lá,é preciso mais dias para conhecê Los e são os melhores do país.

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Eder. Parabéns pelo relato. Suas informações fresquinhas me serão muito úteis. Também, ficaram fantásticas as fotos.

 

Você lembra qual cotação média você trocou dólares por pesos, nas cidades onde passou? Acha que compensa trocar um volume maior em Bogotá, ou não faz muita diferença?

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Olá Eder. Parabéns pelo relato. Suas informações fresquinhas me serão muito úteis. Também, ficaram fantásticas as fotos.

 

Você lembra qual cotação média você trocou dólares por pesos, nas cidades onde passou? Acha que compensa trocar um volume maior em Bogotá, ou não faz muita diferença?

 

Em Bogotá eu troquei só 50 dólares, no aeroporto por $1,00 = 2.640 pesos, e depois troquei o resto do dinheiro em Medelim, no bairro de Poblado, achei bem melhor, e troquei todo o resto do dinheiro, cotação $1,00 = 2,730

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Parabéns pelo relato e pelas fotos, Eder!

Olhei o perfil do Happy Buddha Boutique Hostel no TripAdvisor e fiquei chocada com outras histórias iguais à sua: furtos no quarto. :o

Esse tipo de alerta é sempre importante para evitar que outros passem pela mesma situação. Obrigada!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Só $500 :-o... Vou fazer um roteiro parecido (excluindo Santa Marta por falta de tempo).. Tô pretendendo levar $750 e tô me borrando de medo de não dar (tô querendo até levar uma quantidade em reais caso não dê)
Seu relato me animou muito (em especial em San Andrés que tô achando que vou deixar meu rim por lá).

Esses free tours que vc fez foram em inglês ou espanhol? Como os sites estão em inglês e meu inglês é horroroso fiquei um pouco desanimada...

 

Muito obrigada pelo relato!

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Desculpe o erro,800 pesos valia 1 Real que multiplica por 3.50 da mais de 2500 o valor do dólar,que não vale a pena,só em Cali ou cidades menores,como Armênia ou Popayan aonde não há câmbio de Real.

Os tours são todos feitos em español,Bruna,lá não se fala inglês não. 

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Todo mundo tem dito que vale mais levar dólar...

800 pesos -  1 real - 0,32 dólares (liguei no banco sexta-feira, estava a 3,23), logo 1 dólar daria 2500 pesos

dizem que dá pra comprar 2700 pesos com 1 dólar... então tá compensando levar dólar, mesmo com o duplo cambio!

 

Muuuuuito obrigada pela informação dos tours... irei procurá-los

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa!

Você pode ajudar esse viajante agora e se cadastrar depois. Se você tem uma conta,clique aqui para fazer o login.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emoticons no total são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.




×
×
  • Criar Novo...