Ir para conteúdo

Inle Lake, Mianmar


Pericles Rosa

Posts Recomendados

  • Membros

Inle Lake

Inle é um lago de água doce não muito profundo localizado no meio de Myanmar, ao sudeste de Mandalay. É o segundo maior lago do país, com uma área superficial de 116 km², e uma população estimada de 70.000 pessoas vivendo em quatro cidades que fazem fronteira com o lago.
Confesso que não estava esperando muito do Inle Lake, e até mesmo pensei se deveria visitá-lo ou não. Será que este lago é tão diferente assim de todos os outros que visitei?? Eu vou lá apenas para fazer um passeio de barco? Será que vai valer à pena?
Com todas estas questões em minha mente, decidi pegar um ônibus noturno e, em seguida, um táxi de Mandalay para Nyaung Shwe, a cidade onde Inle Lake está localizado, para descobrir por que este lago é um dos lugares mais visitados em Myanmar.


Inle Lake

Nyaung Shwe

Cheguei em Nyaung Shwe no início da manhã, e depois de encontrar um hotel, descansar, e tomar o café da manhã, fui dar uma volta na cidade.
Nyaung Shwe é pequena, e não há muitas coisas para fazer além de visitar algumas feirinhas, mosteiros e pagodes, e andar de bicicleta ao redor do lago.
A principal atração turística em Nyaung Shwe é fazer o passeio de barco no Inle Lake.

Inle Lake, Myanmar

Rua principal de Nyaung Shwe

Passeio de Barco no Inle Lake

No meu segundo dia em Nyaung Shwe, acordei de manhã cedo, e encontrei o barqueiro que me levaria para fazer o passeio no Inle lake.
Às 07h30min começamos navegando ao longo de um canal que atravessa a rua principal de Nyaung Shwe. Neste ponto, antes de chegar ao lago em si, a água barrenta e as margens do canal cheias de casas e hotéis não eram tão atraentes como esperava…
Ainda não tinha certeza que esse passeio seria bom, e que minha viagem para Inle Lake valeria à pena.

Inle Lake

Essa água barrenta não é muito animadora, não é mesmo?!

Mas tudo mudou no momento em que entramos no lago.
Estava de frente a um lago imenso e belo com águas cristalinas, rodeado por enormes montanhas. Pescadores estavam realizando “um ballet sobre as águas”, pois remavam com apenas uma perna, e seguravam uma cesta cónica, conhecida como “ngaphankon”, que eles usam para pescar.
Foi absolutamente incrível ver aqueles homens de pé em seus barcos se equilibrando em apenas uma perna, e segurando uma cesta tão alta quanto eles, enquanto posavam para fotos.
É claro que eles também estavam esperando por gorjetas, mas por um valor pequeno, eu tinha não só uma das imagens mais icônicas de Myanmar, mas também estava entrando em um mundo que nunca tinha visto antes…

Inle Lake, Myanmar

Com um grande sorriso no rosto e o sol brilhando no céu, continuamos navegando através das águas claras para a nossa primeira parada.
Passamos por dezenas de jardins flutuantes onde os moradores cultivam tomates, pepinos, pimentões, etc; e de casas de palafitas de um e dois andares, até que chegamos a uma ponte que liga o lago à uma vila em terra firme.

Depois de desembarcar e caminhar por cerca de 10 minutos, cheguei numa feirinha muito colorida e animada, com pessoas vendendo flores, frutas, legumes, carne, roupas, lembranças e alimentos que nunca provei antes.
Tudo era muito simples e as pessoas pareciam estar se divertindo tanto quanto eu…


Inle Lake

Saí da feira, encontrei meu barqueiro novamente, e cruzamos o lago para nossa segunda parada: um ateliê de jóias de prata. Não esperava de forma alguma aprender um pouco mais sobre o processo de obtenção da prata à margem de um lago em Mianmar; mas ouvi-los falar sobre ácido nítrico, zinco, alumínio e cobre me trouxe de volta ao tempo que estudava química na universidade, e fiquei ainda mais alegre.

Inle Lake

Jóias com design tradicionais.

A poucos minutos de distância da oficina de ourives, paramos em uma fábrica de tecelagem e, depois de ver as mulheres tecendo tecidos usando teares, descobri que eles fazem o tecido com de flores de lótus. O que??? Fiquei muito surpreso e cético quando vi a placa, mas diante dos meus olhos, elas quebraram as hastes de flores de lótus, extraíram as fibras, e formaram os fios. Fiquei sem palavras !! Nunca imaginei que poderiam fazer um cachecol com tecidos de flores de lótus. E os tecidos são tingidos com pigmentos naturais também, como manga, folha de lótus, etc. 

Inle Lake     Inle Lake

A terceira parada foi em Inn Joe Phyu, Inle traditional Artcrafts & Cheroot. Não sou um grande fã de charutos, mas foi super interessante aprender sobre este processo artesanal.
Eles fazem o filtro com casca de milho e papel, misturam o tabaco com anis, mel, banana e hortelã, e fazem a cola com tamarindo, arroz, e água. Todo o processo é orgânico. Incrível né?!

Inle Lake

Embora esses lugares possam ser considerado muito turísticos, fiquei realmente impressionado e emocionado ao ver todas essas coisas durante a minha visita ao Inle Lake.
Nós continuamos nossa jornada, desta vez para visitar um pagode. Phung Daw Oo é um dos pagodes mais importantes no Inle Lake, e foi construído a mais de 100 anos atrás.
O sol estava muito forte e, depois de visitar todos esses lugares, foi hora de fazer uma pausa para o almoço e descansar um pouco na sombra.
Após o almoço, navegamos ao longo de um dos canais para nossa próxima parada, outra fábrica de tecelagem, mas desta vez com uma trabalhadora muito especial, uma “mulher girafa”.
Não foi meu primeiro encontro com uma dessas mulheres, mas foi a primeira vez que tive oportunidade de aprender um pouco mais sobre as mesmas.
Elas são originalmente do Estado Kayah e, de acordo com a tradição local, elas começaram a colocar os anéis em torno dos pescoços para protegê-las contra ataques de tigre. Hoje em dia, não existem mais tigres na região das suas aldeias, mas a tradição continua. Várias dessas mulheres migraram para diferentes partes de Mianmar e até mesmo outros países, a fim de encontrar trabalho.
Deixei a fábrica muito feliz por ter tido a oportunidade de finalmente aprender mais sobre essas mulheres icônicas que estão desaparecendo rapidamente.

Inle Lake

As “mulheres girafas” começam a usar os anéis de bronze quando aos 9 anos. Os do pescoço pesam cerca de 8kg, e das pernas, para manter o equilíbrio, 2kg.

Nossa parada final foi na vila Nga Hpz Chaung para visitar o famoso Kyaun Khon Kyaung (Mosteiro dos Gatos Saltadores), que foi construído em 1855, quatro anos antes do renomado Mandalay Palace.
Este impressionante mosteiro de madeira teca foi construído sobre palafitas sobre o lago, e tem uma importante colecção de imagens antigas de Buda do Tibete, Bagan e em estilo Ava.
Visitar este mosteiro foi fantástico, no entanto eu só vi dois gatos, e nenhum deles estava saltando os aros…

Inle Lake

Alguns dos Budas do “Jump Cat Monastery”

No caminho de volta para Nyaung Shwe, tive oportunidade de flutuar novamente sobre as águas translúcidas do Inle Lake, admirar a paisagem estonteante, e assistir ao “ballet” do pescadores pela última vez. O cenário era super pitoresco e me senti cheio de gratidão.
Meu barqueiro ainda perguntou se eu queria pular na água. Claro que sim, e como queria, mas infelizmente não estava usando roupas apropriadas…
O passeio de barco terminou em torno das 15h30min, e não deixou dúvida que Inle Lake é um lugar muito especial e surpreendentemente encantador, e que você não pode deixar de visitá-lo durante sua viagem para Myanmar.
 

Mas informações sobre Inle Lake no meu site: https://www.7continents1passport.com/inle-lake-myanmar/?lang=pt-br

Também tenho posts sobre o passeio de balão em Bagan, O que fazer em Yangon, Mandalay e Roteiro de 1, 2 e 3 dias em Mandalay

Link para o comentário
Compartilhar em outros sites

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

×
×
  • Criar Novo...