Ir para conteúdo
  • Cadastre-se
peresosk

Ásia em 8 Meses (R$12067 ou $3770)

Posts Recomendados

Compartilhando então os custos de praticamente uma meia volta ao fundo, fiz um infográfico para mostrar onde se gasta mais em viagens, e nenhuma surpresa ser em deslocamentos. Por este motivo eu sempre falo para viajar com mais tempo sem correria para trocar de cidades.
No post tem alguns detalhes importantes e links para acessar as tabelas de custos que sempre faço. Passei por 56 cidades durante este tempo, algumas acabei ficando mais tempo que o normal como Istambul (10), Ho Chi Minh (10), Bangkok (11), Seoul (12), Yekaterinburg (9). Como sempre não existe nenhum milagre, aos poucos estou escrevendo os relatos e postando aqui no fórum.

Quando: Setembro de 2017 até Maio de 2018
Dias: 244
Couchsurfing: 135 Noites
Valor Gasto em Real: R$12067 ($3770)
Média Diária em Real: R$49,45 ($15,45)

Meus Vídeos no Youtube: LINK AQUI

Infografico+volta+na+asia.jpg

Possíveis perguntas :D
-Não inclui aéreas de ida de volta do Brasil
-Este valor inclui TODAS AS PASSAGENS E VISTOS desde Istambul na Turquia até a volta em Varsóvia na Polônia
-A rota foi Turquia, Irã, Vietnã, Laos, Tailândia, Malásia, Singapura, Filipinas, Coreia do Sul e Rússia
-A quantidade de dias pode ser vista conforme as tabelas abaixo
-A cotação do dólar está descrita na imagem
-Eu não peguei UMA VEZ carona entre Istambul e Bursa
-Eu não como em restaurante turístico
-Levei todo meu dinheiro em cash e $765 em um travel money para emergências

Planilha com todos os gastos
2017 - Turquia - https://goo.gl/btbLUM
2017 - Irã - https://goo.gl/kbr2vv
2017 - Vietnã - https://goo.gl/jmBHKW
2017 - Laos - https://goo.gl/cxTb54
2017 - Tailândia - https://goo.gl/Lg8zXS
2018 - Malásia - https://goo.gl/jfUoTa
2018 - Singapura - https://goo.gl/VfhDe9
2018 - Filipinas - https://goo.gl/217NCq
2018 - Coreia do Sul - https://goo.gl/3jVooJ
2018 - Rússia - https://goo.gl/JtTho9

  • Gostei! 1

Compartilhar este post


Link para o post
Compartilhar em outros sites

Crie uma conta ou entre para comentar

Você precisar ser um membro para fazer um comentário

Criar uma conta

Crie uma nova conta em nossa comunidade. É fácil!

Crie uma nova conta

Entrar

Já tem uma conta? Faça o login.

Entrar Agora

  • Conteúdo Similar

    • Por Juliana Dassoler
      Ola, pessoal!
      Nos 28 dias conhecemos Bangkok, Chiang Mai, Krabi e Ko Phi Phi na Tailandia, Siem Reap no Camboja, Hanoi e Halong Bay no Vietnam e Luang Prabang no Laos.
      Tinhamos a opção de ficar mais tempo nos lugares, ou aproveitar a viagem e ver mais paises. Escolhemos conhecer varios lugares, mesmo com poucos dias. Claro que foi muito corrido, quando voce começa a acostumar com o lugar.. pá, ja pega o proximo voo. Mas vai saber quando vamos voltar, entao mesmo com os perrengues, valeu a pena!  Pra mim foi uma montanha russa de experiencia, muito intenso e surreal. Tive dias difíceis, mas faz parte do role e a experiencia vale mais que tudo.
      Nos comunicamos em ingles em todos os lugares, na maioria das vezes de boa. No Vietnam eles falam mal, meio truncado...o cara do passeio que fizemos mandou um 'ladies and GERMAN'...todo mundo rachou. Eu falo só o basico do básico e o Ederson fala melhor, entao sobrou pra ele
      Levamos apenas um mochilao cada um, pesando uns 20kg cada. Levei um pouco de roupa de calor e frio. A gente mandou lavar no Camboja, em Chiang Mai e em Krabi. 
      Bom, vou tentar ser pontual e descrever tudo resumidamente, e vou colocar os links que me ajudaram no roteiro, pra nao ficar tao repetitivo. 
      Fomos pela Ethiopian. O voo foi super tranquilo, achei o aviao e o serviço de bordo ok na ida, e na volta o serviço achei meio ruim. O aeroporto de Adis Adeba que achei bem fraquinho, eu precisei comprar um remedio e nao tinha farmacia
      Assim, nao foi uma viagem ruim, mas tudo bem basico. De qualquer forma viajaria de novo com eles.
      La voamos com a AirAsia, LaosAirlines e Vietjet. Todos os voos foram otimos, avioes novos e nao tivemos problemas com atrasos. Como as lowcost tem restrição no peso da mala, compramos bagagem extra em uma das passagens e colocamos as duas mochilas num saco protetor da deuter e fechamos no cadeado. Na bagagem de mao é legal levar uma mudinha roupa...vai que a mala extravia 
      Nosso roteiro
      12/11/2017 Saida Brasil   13/11/2017 Chegada Bangkok Volta cidade 14/11/2017 Ayuthaya Templos 15/11/2017 Bangkok/Camboja Grand Palace, Buda reclinado 16/11/2017 Camboja Angkor - circuito longo 17/11/2017 Camboja Angkor - circuito curto 18/11/2017 Camboja/Vietnam - Hanoi   19/11/2017 Vietnam - Halong Bay passeio 20/11/2017 Vietnam - Halong Bay passeio 21/11/2017 Vietnam - Hanoi/Laos museus 22/11/2017 Laos volta cidade 23/11/2017 Laos rondas das almas/cachoeiras 24/11/2017 Laos/Chiang Mai   25/11/2017 Chiang Mai tatoo 26/11/2017 Chiang Mai zoologico 27/11/2017 Chiang Mai Natural Park 28/11/2017 Chiang Mais/Ao Nang aula culinaria 29/11/2017 Ao Nang centro 30/11/2017 Ao Nang railey beach 1/12/2017 Ao Nang railey beach 2/12/2017 Ao Nang hong islan 3/12/2017 ao Nang phra nang 4/12/2017 Ko Phi Phi monkey beach 5/12/2017 Ko Phi Phi passeio 6/12/2017 Ko Phi Phi passeio privado maya bay 7/12/2017 Ko Phi Phi/Bangkok praia 8/12/2017 Bangkok shopping 9/12/2017 Brasil acabou Transportes utilizados em cada lugar
      - Bangkok - uber, taxi, tuktuk e barco. Taxi usamos poucas vezes pq eles podem nos enrolar, tem q perguntar do taximetro, explicar onde vai e etc, prefirimos usar o uber na maioria das vezes. Tuktuk é caro mas tem que andar, neh hahaha. É mto massa! O barco usamos pra ir ao shopping, pois a estação era proximo do ultimo hotel que ficamos, foi uma experiencia bem bacana e barata, custa 0,90 centavos.
      - Siem Reap - tuk tuk e bike. Fomos e voltamos do aeroporto de tuktuk. Do hotel para o centro era perto, fomos a pé. No primeiro passeio para Angkor fomos de tuktuk, e no segundo fomos de bike. 
      - Hanoi - uber
      - Laos - nao tem uber, usamos taxi pra ir ao aeroporto e voltamos de tuktuk, alugamos moto e bike pros passeios.
      - Chiang Mai - uber e moto
      - Krabi - nao tem uber, taxi (valor fixo de 50 reais do aeroporto para Ao Nang), van ou busao (valor fixo de 15 reais por pessoa do aeroporto para Ao Nang). O busao demora mais, se puder pegue a van. Alugamos moto por 20 reais o dia, mas ficamos com ela só 2 dias, no fim das contas era tudo meio perto e dava pra fazer a pé.
      - Ko phi phi - para ir ate a ilha precisa pegar um ferry, para conhecer a maioria das praias de barco, e pela ilha o só os chinelos mesmo
      Hoteis e restaurantes
      Em todos os lugares tomamos a cerveja local, mas a que mais gostamos e ate trouxemos pro Brasil foi a Angkor. Comemos muuuitos frutos do mar 
      - Bangkok - ficamos no Tara Place e no Villa Phra Sumen Bangkok. Os dois são proximos a Kao San Road e a Rambutri. Eu recomendo muito o Villa Phra, amei ficar la! Bom, comida pra mim infelizmente no começo foi um perrengue. Eles usam mto o lemon keffir, e eu odiei esse negocio rsrsr. Depois descobri os pratos que nao tinham, aí foi sucesso! Na Rambutri comemos no Villa Cha Cha e gostei bastante do pad thai deles. Comi pad thais na rua e nao gostei tanto...vai o bendito keffir. Acho que nao fizemos boas escolhas nos restaurantes de Bangkok, só gostei desse msm kkk
      - Siem Reap - ficamos no Baby Elephant Hotel. Amamos ficar la! Super acolhedores e atenciosos, tem piscina pra aquele 'calô' todo e fica proxima a Pub Street. Comemos nessa rua mesmo, tem bastante opção.
      - Hanoi - ficamos no Tu Linh. Ele é um hotel bem ok, nada de mais, bem localizado e com cafe gostoso. Alias o cafe veitnamita é muito bom!  
      - Luang Prabang - ficamos no Villa Oudomlith. La no Laos achei os hoteis meio caros, esse tinha preço bom e era bacana. Eles tem aluguel de bike e moto, e de quebra tem um catiorinho mto fofo chamado Tom. Fica bem pertinho da rua principal. Tem bastante restaurante, mas gostamos mesmo foi da comida de rua da feira nortuna. Fica meio escondido, tem que fuçar
      - Chiang Mai - Ficamos no The Peaberry. Fica no quadrante principal. Perto desse hotel comemos no Tikky Cafe, que é bem simples mas tem comida boa, e no Its Good Kitchen, The Hideout, Reform Kafe, tb bem gostoso. Alguns dias comemos nas feirinhas noturnas mesmo.
      - Krabi - ficamos no Centra by Centara Phu Pano e a gente amou! Fica proximo ao centrinho de Ao Nang, é confortavel e tem uma vista lida. Fora o café que é ótimo e fica ao lado da piscina. Recomendo fortemente os restaurantes Jungle Kitchen e o May&Zin. Ambos sao simples (mesmo!), mas a comida é otima. O Jungle precisa marcar hora, de tao cheio que é. Mas assim, tipo vc ta comendo e o gato da familia vem te dar um oi, na mesa do lado fica o bebe brincando..é bem familiar mesmo rsrs. O May&Zin fica numa praça de alimentaçao e o dono é uma figura. Precisamos ficar mais alguns dias em Ao Nang e o Centra nao tinha mais vaga, fomos para o Centara Anda Dhevi Resort and Spa.
      Bom, vamos ao relato.
      Dia  13/11 - chegamos em Bangkok e dividimos um Uber com outro casal brasileiro. Ficou uns 200 bath pra cada casal, e o aeroporto é longe da Kao San, uns 30 km. Descansamos um pouco e fomos conhecer a Kao. Gente, que loucura, nao?? kkkkk A Kao San é uma bagunça e lotadaaaa. Eu particularmente nao curti nao, preferi a Rambutri, que tb é lotada mas é mais bonitinha, entao a noite a gente sempre ia lá. Bom, massagem tem a qq esquina, e façam! 15 reais meia hora é de graça, nao dá pra perder. E é uma delicia. 
      Dia 14/11 - fomos para Ayuthaya de trem. Chegamos cedo na estação, mas nao a tempo de pegar o trem com o ar e com preço bom, só tinha o caro ou o sem ar. Resolvemos ir no simplao sem ar mesmo,  e foi de boa, tem uns ventiladores de teto, a galera vendendo uns petiscos.. Pagamos uns 2 reais e demorou 2h pra chegar. Assim que chegamos compramos a volta pra nao correr o risco de ficar sem.
      La na estação tem varios tuktuk, taxi e etc pra te levar nos templos da cidade. Nós optamos por ir de bike mesmo. Os templos mais importantes ficam depois do riozinho, precisa atravessar de barco (acho que era 5 bht), e logo do outro lado alugamos a bike por 10 reais o dia. Alguns templos precisam pagar, no total gastamos uns 50 reais os dois só de entradas. A cidade é pequena e, como todos os lugares que fomos, não é la mto limpa e é pobre. Levamos umas coisas pra beliscar, nao almoçamos por la. Na volta tomamos um smoothie numa cafeteria bem gostosinha que tem na estação. 
      Detalhe, eu tive a sorte de ter uma infecçao de urina logo que chegamos, tentamos comprar remedio perto do hotel, mas nao rolou. Na estação em Bangkok tem uma farmacia e lá fui eu tentar pedir remedio, procurei no google pra poder mostrar pro pessoal. O senhorzinho que me atendeu falava ingles e disse que tinha um remedio melhor pra minha infecção, e me deu uma cartela de antibiotico, sem receita nem nada. Foi o que me salvou! 

       
      Dia 15/11 - Fomos ao Grand Palace e no Wat Pho, pagamos uns 130 o casal. É um complexo gigante e lindo! Precisa ir de calça e as meninas com ombros cobertos. E dica, vá cedo, mais cedo possivel! Fica muuuuiiiito cheio, dá ate nervoso. Acho que chegamos la umas 9h. Demos sorte de pegar uma cerimonia com monges em um dos templos, foi bem massa. E o buda reclinado? Ele é gigante e lindo! Tive que ir duas vezes por que era tanto glamour que uma visitinha só nao ia dar. Sempre quando viajo demoro pra absorver o volume de coisa que conheço...vcs ficam assim tb? Entao das coisas q gosto mto observo por mais tempo 'internalizar' melhor rsrs   




      Saimos umas 13h, nesse dia iamos embarcar para o Camboja. Saimos do hotel as 16h, nosso voo era as 20h, e quase perdemos . Demoramos mto no transito, 3h! Entao precisa prestar bem atenção com esses horarios, pq o aeroporto é longe e o transito é uma bosta. Enfim, deu td certo e fomos para Siem Reap. 
      Chegando no hotel fomos mto bem recebidos, eles são muito prestativos e falavam bem ingles. Fomos jantar a pé, as ruas pareciam meio de praia, sem asfalto, simples, mto sujo e com mtas animais de rua. É uma país mto judiado
      Comemos na Pub Street, que é uma mini Kao San.    
       
      No outro dia fechamos de fazer o circuito longo com um tuktuk. Acho que foi a melhor opção fazer o longo primeiro, é longo devido a distancia entre um templo e outro, mas sao menores e nao tao famosos. O circuito curto que tem os bam-bam-bans.
      Dia 16/11  - Angkor circuito longo. O Tuktuk nos pegou no hotel e a primeira parada foi na bilhetria do parque, que fica numa galeria, onde inclusive tem uma loja das havainas rsrs. Lá compramos o bilhete que dá acesso a todos os templos de Angkor, e pegamos a opção de 3 dias. Custou 124 dolares o casal (carinho, neh). Nessa galeria tinha um livro guia mto legal do complexo, mas achamos que encontraríamos em outro lugar mais barato e nao compramos, só que nao achamos nunca mais  
      Para entrar nos templos precisa estar com ombros e joelhos cobertos. Tem muita gente vendendo de td, te abordam mto e insistem mto! Tenha paciencia! 
      Mas o peoooorrrr de td é o calor umido, gente! Vc sua, fica grudando e é mto abafado... foda. E como tem mta rua sem asfalto, sobe um pó danado. Perdi 2 blusas brancas. Eu levei belisco e whey pra tomar, fiquei com medo de comer na rua.  


      A noite fomos na feirinha noturna, que é uma gracinha. Pechinche td, de 50 vira 25 rsrsrs. Tem mta prata tb, mas tem que ficar de olho com os 'enrolations'.
      Dia 17/11  - Angkor circuito curto. Esse role fizemos de bike. Foram uns 30 km do total, mas valeu a pena! Andamos pela cidade tranquilo e fizemos o nosso tempo. O circuito curto tem Bayon, Ta Phrom (Tomb Raider) e Angkor Wat. A gente queria ter ido mega cedo no Angkor Wat pra ver o nascer do sol, nao deu, ai chegamos la umas 9h...cara, o que que é aquilo de gente??!! Tem chegar cedo MESMO, pq eh lotado! Bom, entramos e o negócio é gigante! A gente deve ter ficado mais de uma hora la. Tem uns macaquinhos mto fofinhos, e uns turistas babacas que ficavam provocando eles 😡 Adorei esse circuito e achei o Ta Phrom o mais massa. Aquelas arvores gigantes meio cor de prata em cima das construções, surreal. 
      Eu acho teria sido melhor dividir o circuito curto em 2 dias, pq os templos sao grandes e ficou corrido fazer td num dia. Se a gente tivesse dividido esse circuito  em 2 poderia ter curtido melhor. 

       
      Dia  18/11 - Demos umas voltas pela cidade, tomamos chopp na Pub Street - que custaram 0,50 dolares 🍻 - e a tarde seguimos para o Vietnam. Chegamos em Hanoi a noite e na imigração tivemos que passar em duas filas: uma para entregar cartinha que exigem pra gente entrar (consegui com a empresa do passeio em Halong Bay) e a outra pra pegar o visto. É meio burocratico entrar no pais, e eles tem uma carinha invocada, me deu medo kkkkk. Fomos de uber pro hotel e saimos para jantar e trocar dinheiro. La era inverno e tava um tempinho fresco, com garoa. Demos umas voltas pela cidade, compramos um negocio que parecia rolinho primavera de banana num vendedor de rua, e estava uma delicia. Eles tem costume de comer ou no chao, ou em banquetas baixinhas, parecia de criança. 
      Dia 19/11  - Fomos para Halong Bay para fazer o cruzeiro. A praia é ate perto de Hanoi, mas como eles nao tem rodovias, é td por dentro das cidades, demorou demais! Saimos as 8h e chegamos no navio as 12h. Fechamos com a empresa Secret Cuise. Achei o barco legal, comida boa, as atividades extra achei meio zuado, tipo o aula de cozinha e o tai chi. A bacia de Halong Bay é linda, tem umas montanhas incriveis, a agua é linda, mas como tava frio, meio que me arrependi de ter ido. Acho que teria valido mais a pena ter ficado mais tempo em Hanoi e ter conhecido ouras cidade, como Ho Chi Min. Fora que é caro esse cruzeiro, foi uns 900 reais o casal.

      Dia  20/11 - Na parte da manha terminamos o passeio em Halong Bay e a tarde voltamos para Hanoi. Em Hanoi saimos para jantar e fomos na rua Ta Hien. Eh tipo uma vielinha com varios restaurantes com mesas na rua. Ai sentamos num restaurante, fizemos nosso pedido, e começou um agito estranho. Logo me dei conta que era o 'rapa' da comida em Hanoi hahahaha. Nao podem colocar mesa nas ruas, ai qd a policia aparece vira essa bagunça, tipo o rapa da 25 de março mesmo. Rachei de rir, mas é de boa, apenas engraçado. Adorei a comida no Vietnam, e o café é uma delicia, trouxemos um pacotinho pra casa!
      Dia 21/11  - Passamos o dia em Hanoi. Fomos no museu da guerra que, apesar da história triste, vale muito a pena conhecer. Fomos ao museu das mulheres, que é bem legal também. Enfim, andamos pela cidade. Fomos no lago Hoan Kien e entramos no museu que tem la, mas nao vale a pena, achei feio e sem nada, mas o lago é bem bonito.  Almoçamos de novo na Ta Hien, e comprei umas louças pra trazer de presente, tem muita coisa bonita. Adoramos Hanoi, queriamos ter ficado mais um dia la! Achei que nao ia ter nada de mais, e gostamos mto. Nos divertimos com o caos e aquelas milhoes de motos pela cidade, atravessar a rua era o desafio do dia! A noite seguimos para o Laos.


      Chegamos em Luang Prabang a noite e fomos dar uma volta na cidade. Ela é super pequena e charmosinha, na rua principal tem varios restaurantes. Achei as coisas mais caras por la, incluive o visto. Chegamos meio tarde no aerporto e nao tinha nada aberto, ou seja, sem casa de cambio! Fizemso a cagada de dar nota baixa pra pagar o visto e na hora de pagar o taxi tinhamos apenas 100 dolares, ou seja, devolveram na moeda local com uma conversao pessima. 
      Dia  22/11  - Alugamos uma bike e fomos andar. Fomos em alguns templos e conhecemos o bar Utopia. Lá é super zen de manha e a noite um fervo. Almoçamos e tomei uma bebida gelada que ia cafe, oero, banana e canela e amei! Vimos o por do sol do mirante, e obviamente é lotadoooo. A vista é incrível, vale o aperto. A noite fomos na feira noturna e la tinha umas barracas de comida que vc escolhe os produtos e a moça faz na hora. Que delicia! E baratinho, acho que pagamos uns 15 reais no prato. Tinha tb uma panquequinha e umas bolachinhas de coco, comemos um monte. Fora as milhares de coisinhas lindas que eles vendem! Me arrependi de nao ter comprado um guarda-chuva de papel que só vi la, e tb uma pintura em tela dos monges. Sempre fico na duvida de comprar as coisas e me lasco 😥. 


       
      Dia 23/11  - Acordamos suuuper cedo, tipo umas 5h, pra poder ver a ronda das almas. É mto lindo! E como é incrivel a cor das tunicas dos monges! Foi mto legal de ver. E como sempre tinha uns turistas sem noçao que quase enfiavam a camera na cara dos coitados 🤦‍♀️


      Alugamos uma moto e uma bike pra ir nas cachoeiras. Eu nao dirijo moto, mas me aventurei em andar la, elas sao automaticas, deu pra ir de boa, e nao precisa de carta. A bike ficou pro Ederson, nao tive coragem de pedalar entre subidas e descidas uns bons km de ida e volta. Foi mto legal poder ir por conta, pq fomos reparando na paisagem, no dia a dia dos locais, vimos ate uns monges entrando numa casa, acredito eu, pra pegar donativos. Umas 2h depois chegamos nas cachoeiras. Que coisas mais linda aquela agua! E olha que tava nublado! Mas é uma cor de agua mto bonita, valeu a pena conhecer. Fora que no começo do parque tem um espaço onde ficam ursos resgatados, um deles nao tinha a perninha, judiação. Fizemos uma trilha pra ir no Budas Cave, mas nao valeu a pena nao, coloquei um pé na caverna e voltei. 'Deuzolivre' aquela escuridao rsrrss to fora.


      De todos os lugares o Laos foi o mais 'ocidental' que passamos, parece q tem mto europeu vivendo la. Por um lado é bom pq da uma melhorada na higiene e no capricho dos lugares, ajudam a desenvolver o local, inclusive do lado do hotel que fiquei tinha um projeto social onde os turistas ensinam ingles aos locais, achei o maximo. Por outro lado tenho um pouco de receio de perderem a identidade, sabe? Mas por enquanto parece que ta num equilibrio bom, eu adorei conhecer Luang Prabang. 
      Dia 24/11  - De manha demos mais umas voltinhas na cidade e a tarde fomos para Chiang Mai. Andamos um pouco em Chiang Mai e fechamos no hotel para ir ver uma luta de Muai Thai a noite. Pagamos uns 120 por pessoa e as lutas eram das 19h as 23h. Foi legal ver e conhecer, parece ser como o futebol pra nos, mas ficamos na duvida se as lutas foram meeeesmo verdadeiras. 
      VID_20171124_225429.mp4
      Dia 25/11   - De manha fui fazer minha tatoo de bambu com um ex monge. Eu tava um pouco cansada dos dias corridos que tivemos e a tarde ficamos no hotel. Saimos a noite para passear na feira noturna e visitamos o templo prateado.

      Dia  26/11 - Alugamos uma moto e fomos ao zoologico da cidade. Nao sou mto de zoos, mas la tem um PANDA! Amo pandinhas, nao poderia deixar de conhece-lo
      Depois andamos pela cidade meio que sem rumo, pra conhecer os arredores. Nisso passamos numa cidade vizinha que tava tendo festa das lanternas. Achei que fosse aquelas que eles soltam lanterninhas, tudo lindo e ilmuminado #sqn, ja tinha rolado no começo de novembro. Paramos pra conhecer e tava rolando uma dessas feiras noturnas, mas quase sem nenhum turista, só local. Teve apresentação de dança dos locais também, foi bem legal. Comemos varias coisas que nem sei o que eram, eles nao falavam mto bem ingles, a gente pedia na fé mesmo. Teve um doce mto doido que a moça frita uma massa numa chapa, e tinha uns fios de acuçar colorido pra colocar nessa massa e comer. 


      Dia  27/11- Fomos na reserva de elefante no Natural Park. La eles tratam de animais resgatados de circos, de passeios e etc. Foi muuuto legal, passamos o dia la. Demos comida, fizemos um passeio com eles, demos banho e etc. Valeu mto a pena! Pagamos 520 o casal pelo dia. É caro mas vale, gente! 

      Dia 28/11 - Eu fui dar uma volta na cidade e o Ederson fez um curso de culinaria pela manha, ele curtiu bastante! A tarde pegamos o voo para Krabi e, para a nossa alegria, tava chovendo
      A sorte que pegamos um hotel bom e proximo ao centro.
      Dia 29/11  - Acordamos e adivinha, chovendo! Ai que desespero....fez tempo bom a viagem toda, qd chega a tao sonhada praia, chuva! Mas ok, a gente ficou com pensamento positivo que ia passar! Alugamos uma moto e fomos dar uma voltinha na garoa mesmo...qd a chuva deu uma tregua pegamos um barco e fomos para Railay Beach, que fica a uns 10 min de Ao Nang. Chegamos la e começou uma puta chuva. Fomos tomar uma breja pra esperar passar. Breja mega cara, e chuva nao parava...por fim voltamos pra ao nang mesmo e ficamos por la. A noite a chuva parou, fomos ao centrinho e jantamos na Jungle Kitchen.
      Dia 30/11 e 01/02  - Dia nublado e com garoa...aiaiaiia, cade o soooollll! Qd melhorou um pouco  pegamos a moto e fomos pra praia. Saiu um solzinho e fomos novamente para Railay Beach. Chegamos la mas o dia ainda nao tava mto bom...garoava, parava, garoava...nao achei a praia essas coisas - talvez pela chuva - e era cara. Ficamos um pouco e voltamos pra Ao Nang. Parecia que no dia seguinte o tempo estaria melhor, ai fomos atras de um passeio e fechamos um para Hong Island, que parava em algumas praias. 
      Dia 02/12  - Fizemos o passeio para Hong Island. Tava um tempo nublado mas deu pra curtir bem. Só que tava muito cheio. O barco para numas praias mto pequenas e com mta gente...só a ultima que era maior que foi de boa. 

       
      Dia  03/12 - O tempo ainda nao estava legal e resolvemos adiar nossa ida a ko phi phi, pq la as coisas eram um pouco mais caras e os hoteis nao tao bons. Nesse dia fomos para uma praia ao lado de Railay, Phra Nang. Lugar lindo, achei melhor que Railay. Passamos o dia la! Jantamos no May&Zin, acho que foi restaurante mais gostoso que comemos.


       
      Dia 04/12- Fomos para ko phi phi. Aleluia!! De ao Nang pra la da umas 2h, entao pegamos o barco no primeiro horario, as 9h, pra dar temo de chegar e passear a tarde. Nosso hotel ficava perto do pier e da praia. Alugamos um caiaque e fomos na Monkey Beach. Amei essa praia, é cheia de macaquinhos fofos e danados, e dá pra fazer mergulho com snorkel, tem bastante peixe e corais pra ver. Pro dia seguinte fechamos um passeio que saia as 9h e voltava as 20h.

       
      Dia 05/12 - Como a gente queria fazer um passeio particular, aproveitamos esse passeio longo pra definir quais praias iriamos voltar. Foi um passeio bem legal, e deu uma volta na ilha toda, desde Bamboo Island ate Maya Bay. No fim paramos quando ja estava escuro uns 15 minutos pra fazer o mergulho com os planctons, é mto bonitinho, curti fazer. Nosso plano era fazer aquele role de dormir no barco e tals, mas nao conseguimos data, e por fim foi ate bom por causa da chuva. Mas esses minutinhos ja valeram a pena. Chegamos em Maya Bay la pelas 16h, e mare ja tava baixinha, mas era lindo de qq jeito. Pra descer em May Bay precisa pagar uns 40 reais de taxa. Outro lugar lindo que fomos nesse passeio é Bamboo Island e Pileh Lagoon. Conhecemos um casal do Rio e no dia seguinte fechamos um passeio privado com eles. 


      Dia 06/12 - Saimos umas 7h de Ko phi phi e fomos para Maya Bay. Eles falam pra chegar cedo pq lota a praia, que as 9h fica insuportavel e etc, mas eu sinceramente nao achei que ficou tao cheia assim. A gente chegou tao cedo que a mare tava baixa, entao tb na adianta. Pra mim é conversa deles pra poder chegar cedo e fazer outro passeio a tarde, sabe? Chegando em Maya Bay umas 8h acho que ta bom...umas 9, 9:30 a mare ja ta boa e tem mta gente sim, mas pra mim foi ok. Voltamos pra ko phi phi umas 14h e ficamos na praia proxima ao hotel, compramos umas brejas e uns petiscos no 7eleven e ficamos de boa la. 

       
      Dia 7/12 - Infelizmente era o ultimo dia Acordamos cedo, fomos ao mirante e depois ficamos na praia, nosso navio de volta saia as 16h. Adorei conhecer ko phi phi, é bem bonitinha, cheia de restaurantes, bares, festas..pena que é meio largado, acho q ainda sofrem com a devastação do Tsunami de 2004. Mas a praia poderia ser mais limpa, nao tem lata de lixo em nenhum lugar, e tem mto turista porco que larga tudo...isso me deixou meio triste, tanta beleza e pouco cuidado..mas enfim, la é lindo, foi mara e gostaria mto de voltar! Mas ô trem longe, neh!

      Dia 08/12  - Nosso ultimo dia em Bangkok fomos ao shopping ver eletronicos. Nosso hotel ficava perto da estacao de barco, entao fomos de barco msm. Super baratinho e em 20 minutos estavamos la! Tomamos banho no hotel, deixamos nossas malas num quartinho e fomos jantar em Rambutri e fazer as ultimas massagens rsrss
      Nosso voo saiu de madrugada e chegamos no Brasil as 17h do sabado. Eu dormi nas primeiras 8h, mas as outras 12 nao passavam nuncaaaaaa. E chegando no Brasil ainda pegamos um busao pra Ribeirao, mais 5h de viagem! Dá pra colocar as séries e filme em dia, e vai sobrar tempo rsrs
      ]
       
      Dia 09/12 -  Brasil
      Bom, espero ter ajudado, e se eu puder ajudar em mais alguma coisa, estou a disposição
      Aproveitem cada minuto!!! 
      Segue os links me ajudaram a montar meu roteiro:
      http://lalarebelo.com/krabi/
      https://www.umviajante.com.br/tailandia/3509-roteiro-de-um-dia-em-ayutthaya-saindo-de-bangkok
      http://vamosfugir.net.br/2016/07/17/o-que-fazer-em-siem-reap-no-camboja/
      https://www.eduardo-monica.com/new-blog/roteiro-do-que-fazer-em-chiang-mai
      https://www.carpemundi.com.br/o-que-fazer-em-luang-prabang/
      http://www.vounajanela.com/camboja/como-se-locomover-e-quantos-dias-ficar-em-siem-reap/
       
       
       
       
    • Por Rinaldo Segundo

      I visited India last November. India is spectacular. Not just because of the Taj Mahal, its monasteries or forts. India is spectacular, too, for its history, its culture, its inspiring religious tolerance, and especially for Indian people. At this point, I highly recommend the services of Mr. Sanjay. First, for being a person of my extreme confidence. I had the opportunity to be at your house and meet your wife, and your children, Warum and Honey. Secondly, he is highly capable both as a driver and as a tour guide. It manages to take his tourists safely and professionally to their destinations. Third, for your honesty. The Sanjay only made indications of purchases, hotels and other services in reliable places of good quality, besides the fair price. Fourth, Sanjay has wifi in the car, which is one of the biggest differentials of his work, since the open WIFI is not always accessible in restaurants in India. Fifth, Sanjay is a good-humored and cheerful person, and did everything he could to get me to know India, its culture and its beauties to the fullest. To Mr. Sanjay, I only have one expression to portray my gratitude: Thank you very much, bhai (friend in Hindi). You are an extraordinary person. I miss India and you very much. I hope you can visit India again. Rinaldo Segundo
      I visited Bhutan recently. It is a fantastic country both for its monasteries, for its culture, and for its people. Bhutan is the happiest country in the world, and Bhutanese do everything to make us feel that way. The food is wonderful, and the Bird's Nest Temple is not only beautiful for the scenery but also the energy of the place is amazing. At this point, I highly recommend the services of Mr. Dorjhi. He is a spectacular person and extremely trustworthy. He is highly skilled as a tour guide, and does everything possible so that we can have the best experience as a tourist. In addition, he is a person who cares about details to make us happy and is extremely honest and responsible. To Mr. Dorjhi, I just have to thank him very much, friend. You are an extraordinary person. Rinaldo Segundo  
      Sanjay: +91 9971473761
      Dorjhi: +97517819468
       
       
      Eu visitei a Índia em novembro passado. A Índia é espetacular. Não apenas por causa do Taj Mahal, seus mosteiros ou fortalezas. A Índia é espetacular também por sua história, sua cultura, sua tolerância religiosa inspiradora e, especialmente, pelo povo indiano. Neste ponto, eu recomendo os serviços do Sr. Sanjay. Primeiro, por ser uma pessoa da minha extrema confiança. Tive a oportunidade de estar em sua casa e conhecer sua esposa e seus filhos, Warum e Honey. Em segundo lugar, ele é altamente capaz, tanto como motorista e como guia turístico. Consegue levar os turistas com segurança e profissionalidade aos seus destinos. Em terceiro lugar, por sua honestidade. A Sanjay só fez indicações de compras, hotéis e outros serviços em locais confiáveis e de boa qualidade, além do preço justo. Em quarto lugar, Sanjay tem wifi no carro, que é um dos maiores diferenciais de seu trabalho, já que o WIFI aberto nem sempre é acessível em restaurantes na Índia. Quinto, Sanjay é uma pessoa bem-humorada e alegre, e fez tudo o que pôde para me levar a conhecer a Índia, sua cultura e suas belezas ao máximo. Para o Sr. Sanjay, tenho apenas uma expressão para retratar minha gratidão: Muito obrigado, bhai (amigo em hindi). Você é uma pessoa extraordinária. Eu sinto muita falta da Índia e de você. Espero que você possa visitar a Índia novamente. Rinaldo Segundo
      Eu visitei o Butão recentemente. É um país fantástico tanto por seus mosteiros, por sua cultura e por seu povo. O Butão é o país mais feliz do mundo, e os butaneses fazem de tudo para nos fazer sentir assim. A comida é maravilhosa, eo Ninho do Pássaro Templo não é apenas bonito para a paisagem, mas também a energia do lugar é incrível. Neste ponto, eu recomendo os serviços do Sr. Dorjhi. Ele é uma pessoa espetacular e extremamente confiável. Ele é altamente qualificado como guia turístico e faz todo o possível para que possamos ter a melhor experiência como turista. Além disso, ele é uma pessoa que se preocupa com detalhes para nos fazer feliz e é extremamente honesto e responsável. Para o Sr. Dorjhi, tenho apenas que lhe agradecer muito, amigo. Você é uma pessoa extraordinária. Rinaldo Segundo
    • Por Tadeu Pereira
      Salve Salve Mochileiros! 
      Segue o relato do mochilão batizado de The Spice Boys and the Girl pelo Sudeste da Ásia. 
       
      1º Dia: Partida - 04/11/18 - 19h05min - São Paulo x Madrid - Empresa AirChina - R$3.680,00
           Partimos do Aeroporto de Guarulhos - GRU em São Paulo por volta das 19:30 do dia 04 de Novembro de 2018, fizemos um check-in tranquilo com a empresa AirChina e embarcamos para nossas primeiras 9 horas de vôo até Madrid na Espanha onde fizemos conexão. O vôo foi bem tranquilo, até conseguimos dormir, porém a comida do avião não é das melhores mas acabei comendo assim mesmo e já começava ali a sentir o cheiro e o gosto da Ásia hahahahah. Chegamos em Madrid na Espanha por volta das 5:00am e fizemos uma conexão de 3 horas, deu tempo de dar uma volta no Free Shop, banheiro, comer alguma coisa (caríssima), fazer os procedimentos burocráticos e embarcar novamente pois teríamos a China ainda pela frente.

       
      2º Dia: Partida - 04/11/18 - 8h15min - Madrid x Pequim - Empresa AirChina
           Chegamos em Pequim ainda de madrugada com uma temperatura de 7º, quem se deu bem foi quem ficou com as cobertinhas que a empresa AirChina empresta para as pessoas no avião, pois não esperávamos passar tanto frio no aeroporto da China como passamos naquela conexão rss. Assim que descemos do avião caminhamos um longo caminho até os terminais eletrônicos onde se inicia os procedimentos burocráticos de conexão da China. Finalizamos depois de alguns minutos os procedimentos e dormimos um pouco em bancos do aeroporto sendo acordados e presenteados por um lindo nascer do sol no Aeroporto de Beijing. Procedimentos concluídos no Aeroporto de Beijing partimos para o nosso tão desejado e esperado destino final daquela cansativa viagem de aproximadamente 23 horas, a capital da Tailândia, a grandiosa Banguecoque.  
       
       
      3º Dia: Chegada - 06/11/18 - 15h15min - Pequim x Banguecoque - Tailândia (Taxi 1.000baht, Chip 600baht, Hostel 340baht)
           Chegamos por volta das 15:00 pelo horário local, fizemos os procedimentos de imigração, primeiro o health control depois na fila de imigração, carimbamos nossos passaportes, pegamos nossas mochilas e pronto, lá estávamos livres para explorar Banguecoque. Trocamos $100,00 dólares  no aeroporto com um câmbio de $1,00 dólar = 31,60 baht, depois compramos um chip para o telefone por 600 baht com 6 Gigas por um período de 30 dias e chamamos um Graab, como se fosse o Uber no Brasil, onde pegamos na parte superior do Aeroporto Internacional Suvarnabhumi por 400 baht em torno de R$40,00 reais que nos levou em 30 minutos até o nosso hostel, o The Mixx Hostel. Ficamos hospedados na rua Ram Buttri que fica do lado da rua mais famosa de Banguecoque, a Kaoh San Road onde rola a grande noite da cidade, uma ótima opção para mochileiros. Muita comida típica e exótica boa e barata, cervejas baratas, diversos bares, baladas, artistas de rua, drogas, sexo e tudo que uma bela noite de Banguecoque pode te oferecer pra se divertir. Vale a pena conferir! Na hospedagem pagamos por dois dias 340 baht, ficamos em um quarto com quatro camas/beliche, ar condicionado, banheiro compartilhado e café da manhã incluso, o hostel é simples mas atende as necessidades com uma ótima localização.
          
           Conhecemos alguns templos na capital, alguns fomos a pé mesmo pois são muito próximos um do outro. Wat Pho (Buda reclinado), Wat Saket (Monte dourado) e Wat Arun (Templo do amanhecer). A cidade é bem frenética mas andar a pé pelas suas ruas foi uma bela escolha. caminhamos muito por essas ruas, muito das vezes sem um rumo certo, mas logo nos achávamos pelo google maps. A cada esquina que se vira na Tailândia você vê uma foto do rei. Embora o já tenha falecido, o povo Thai tem muito respeito pelo rei Bhumibol Adulyadej que morreu em Outubro de 2016 com 88 anos de idade após 70 anos no poder que hoje tem como rei o seu filho Maha Vajiralongkorn.       
             
           
        
       
       

           A culinária asiática é muito exótica, a cada comida que você experimenta é uma surpresa de sabores. Experimentei o famoso prato típico de rua tailandesa Pad Thai, uma espécie de macarrão de arroz frito com frutos do mar ou carne de porco ou de frango, acompanhado de castanhas com pimenta que custa em média 100 Baths e se encontra em todo lugar da Tailândia, experimentei também o Thai Mango Sticky Rice, uma sobremesa tradicional tailandesa feita de arroz glutinoso, manga fresca e leite de coco, ambos baratos e deliciosos, mas existem uma infinidades de comidas para serem saboreadas na Tailândia.   
       


           Ficamos 3 dias na capital Banguecoque e além de conhecer templos tentamos entrar na rotina das pessoas locais. No terceiro dia para chegar em um templo tivemos que pegar um transporte público BTS Skytrain no rio Chao Phraya. Passamos por alguns pontos e depois retornamos até chegar no templo Wat Arun. As passagens são muito baratas, pagamos por volta de 80 Baths tanto ida quanto volta, então vale muito mais a pena o tour por conta e ainda tivemos uma vista maravilhosa totalmente diferente da cidade vista pelo rio.  

                Ficamos no templo Wat Arun até fechar por volta das 19:00pm, depois fomos de barco pelo rio Chao Phraya até o porto que da acesso ao grande mercado Asiatique, um maravilhoso complexo de lojas e restaurantes, um verdadeiro shopping ao céu aberto localizado às margens do rio Chao Phraya situado nas antigas docas de uma empresa que realizava comércio na região portuária no século passado. Em função da sua localização e história, seu layout é temático e apresenta uma decoração especial com tema inspirado no reinado do Rei Chulalongkorn (1868-1910) e na atividade marítima. Ficamos umas boas horas comendo, bebendo e curtindo o local, depois pegamos um táxi por 200 Baht para o hostel pois no outro dia logo de manhã tínhamos o nosso vôo para as belas praias da Tailândia. 
       
            Assim que chegamos no hostel deixamos reservado nosso táxi para o aeroporto Don Mueang - DMK por 400 baht pois sairíamos bem cedo para o aeroporto. Acordamos por volta das 5:00am da manhã e o táxi já estava nos esperando na porta do hostel no horário combinado, após 30 minutos chegamos no aeroporto. Partiu praias... 

       
      6º Dia: Praia - 09/11/18 - 7h25min - Banguecoque x Krabi x Ao Nang - Empresa Air Asia - R$148,00 (((((Continua no próximo post)))))
       

       
    • Por alexandresfcpg
      Salve galera, mais uma vez estou aqui para compartilhar com vocês uma nova experiência mochileira, dessa vez sai da zona de conforto e me aventurei pela Ásia, mais precisamente pelo Sudeste Asiático, a bola da vez foi Cingapura, Malásia e Tailândia e ainda dois stopovers em Pequim e Frankfurt, entre 16/10/18 e 24/11/18. Por conta das correrias da vida, só estou tendo tempo de escrever agora, mas antes tarde do que nunca. Inicialmente vou colocar algumas informações que julgo mais importante e ao longo do relato vou detalhando melhor.
      [Editado]
      Fiz também um pequeno vídeo resumindo um pouco do que foi a viagem. Abaixo dele, tem o link do Youtube caso dê algum problema no arquivo que postei (já me aconteceu uma vez).
       

      2018_Finalizado.mp4  
      https://www.youtube.com/watch?v=zPDmke9-ZGU&t=1s
       
      ROTEIRO FINAL (o original foi alterado durante a viagem)
      - Guarulhos - Frankfurt  - 11h30 de vôo (conexão de 3h10)
      - Frankfurt - Pequim - 9h20 de vôo  (conexão de 3h40)
      - Pequim - Cingapura - 6h25 de vôo
      Cingapura - 4 dias
      - Cingapura - Malaca (Malásia) - 5h de ônibus
      Malaca  - 3 dias
      - Malaca - Kuala Lumpur - 2h de ônibus
      Kuala Lumpur - 5 dias
      - Kuala Lumpur - Chiang Mai (Tailândia) - 2h45 de vôo
      Chiang Mai (Tailândia) - 4 dias
      - Chiang Mai - Pai - 3h de van
      Pai - 3 dias
      - Pai - Chiang Mai - 3h de van
      Chiang Mai - 2 dias
      - Chiang Mai - Sukhothai - 6h de ônibus 
      Sukhothai - 2 dias
      - Sukhothai - Bangkoc - 7h de ônibus
      Bangkoc - 4 dias
      - Bangkoc - Ao Nang - 14h de ônibus
      Ao Nang - 4 dias
      - Ao Nang - Phi Phi Island - 1h30 de ferry boat
      Phi Phi Island - 2 dias
      - Phi Phi Island - Phuket - 1h30 de ferry boat
      - Phuket - Pequim (conexão de 20h10);
      - Pequim - Frankfurt (conexão de 16h25);
      - Frankfurt - Guarulhos.
       
      PASSAGENS AÉREAS
      Após muita pesquisa e uso de todas as ferramentas de busca possíveis (Skyscanner, Voopster, Melhores Destinos, Kayak, Kiwi) e até no site de companhias como Air China, Ethiopian, Emirates, entre outras; quase fechei a compra pelo site da Air China, o trecho GRU - Cingapura (com conexões em Frankfurt e Pequim) e Phuket - Guarulhos (as mesmas conexões na volta) estava 845 dólares, só que na hora de pagar não dava certo (pensa num site ruim e mal feito). Resolvi então comprar pelo Skyscanner, que me direcionou para a plataforma Zupper (nunca havia ouvido falar nela), fechei pro R$ 3546,63 (com taxas e tudo, e pra época estava barato, pois cheguei a ver na casa do quatro, cinco mil reais), o itinerário era o mesmo, na verdade até as companhias utilizadas eram as mesmas (GRU - FRA pela Lufthansa, FRA - PEQ pela Air China e PEQ - SIN pela Singapore; na volta PHU - PEQ e PEQ - FRA pela Air China e FRA - GRU pela Lufthansa) e com um detalhe: comprei no domingo, na segunda foi quando o dólar explodiu e achei que ia me ferrar porque apesar de aparecer em real o preço na verdade é em dólar e a minha fatura fecharia em duas semanas, mas não, mantiveram o valor e pronto. Aliás, recomendo muito o Zupper, tem boa avaliação no ReclameAqui (raridade no ramo de empresas aéreas ou de comprar de passagens) e foi muito bem, inclusive até me ligaram para comunicar uma mudança na emissão de um trecho que sairia mais tarde.
       
      TRÂMITES BUROCRÁTICOS
      Cingapura, Malásia, Tailândia e Alemanha não exigem visto de turismo para brasileiros, podendo ficar até 90 dias em cada um deles, apenas a China exige, mas para quem faz apenas conexão tem um esquema diferente, se você comprovar que está apenas de passagem e a China não é o seu destino final, você pode ficar até 144 horas (6 dias) por lá sem visto, eu explicarei mais adiante como funciona isso.
      Para a Tailândia, é exigido o Certificado Internacional de Vacinas para Febre Amarela, e ele realmente é cobrado por lá, para os demais países não foi exigido nada além do passaporte válido.
       
      SEGURO DE VIAGEM
      Pela primeira vez decidi fazer um seguro de viagem, pois ouvi dizer que na Ásia atendimento médico é caro, aproveitei que teve uma feira de turismo em Santos e fechei um pacote com a Travel Ace, o plano para 39 dias cobrindo todo o meu roteiro e com cobertura de 40.000 dólares por evento saiu por 900 reais em 6x, saiu mais barato que a média de preços que vi. Graças a deus não posso opinar se a seguradora é boa ou não porque não precisei usar (foi o dinheiro mais bem “jogado de fora” da minha vida kkk)
       
      HOSPEDAGENS
      Cingapura - The InnCrowd Backpackers' Hostel (4 diárias): S$ 70,00
      Um bom hostel, ótima localização, perto de duas estações de metrô (Little India e Jalan Besar) e de um terminal de onde partem ônibus para a Malásia; muitos restaurantes baratos e do famoso Tekka Center; comércio abundante e casas de câmbio. O hostel tem geladeira para guardar suas coisas, um bom café da manhã (ovo cozido, pão, geléia, manteiga, café, chá, você mesmo faz o seu, os itens ficam no balcão), tem aquecedor de água, vendem água e refrigerante na recepção, um área comum grande e os quartos são espaçosos, porém não tem locker para guardar as mochilas. Atendimento bom, o acesso a ele é por cartão. Possui ar condicionado mas só é ligado à noite.
      Malaca - Victors Guest House (3 diárias): MYR 36,00
      Ótima localização, fica em Chinatown e próximo de lugares baratos pra comer. Tem água gelada e quente, café disponível à vontade. Tem apenas ventiladores, mas são bem fortes; as camas são boas e tem lockers grandes para guardar a cargueira. O Wi-Fi é horrível e fiquei muitas vezes sem conexão. O acesso é por chave na porta de baixo (à noite fica trancado) e senha numérica na porta de cima. Dica: pegue a cama mais próxima da porta, fiquei na da janela e avenida em frente é muito movimentada, eu consigo dormir de boa, mas pra quem é sensível a barulho é zoado.
      Kuala Lumpur - Submarine Guest House Central Market (5 diárias): MYR 60,00
      Ótima localização, quase ao lado do Central Market, fica próximo à Chinatown, portanto muitas opções de comida boa e barata próximo; casas de câmbio, estação de metrô (Pasar Seni) e das linhas do GoKL. O Max, que é quem cuida de lá, é o melhor que encontrei até hoje: atencioso, educado, sempre disposto a ajudar. As camas são boas, possui ar condicionado, tem máquina de água quente. A única coisa estranha é o chão do andar que quando você anda parece que é de madeira, sei lá, faz um barulho estranho e se move; e as paredes são finas, você ouve tudo do quarto ao lado. Mas recomendo muito!
      Chiang Mai - Chiangmai Shunlin Hostel (4 diárias): THB 520,00
      Ótima localização; boa estrutura; tem ar condicionado (funciona a partir das 17h e desliga de manhã, mas não lembro que horas); embora no Booking informe que não tem café da manhã, mas eles colocam café, chá, bananas e bolachas para os hóspedes. Os donos, um casal com uma criança pequena, são extremamente simpáticos e o Peter sempre que você precisa de algo ele informa ou liga para algum número e arruma o que você precisa. As camas são confortáveis e tem cortinas nos beliches. Um dos melhores hostels que fiquei, tanto que quando voltei de Pai fiz questão de ficar nele.
      Pai - Baan Aomsin Resort (3 diárias): THB 360,00
      Bem localizado, fica numa estrada há uns 10 ou 15 minutos de caminhada do centro, parece uma chácara, é muito gostoso o lugar, tem redes, uma geladeira para guardar suas coisas, bastante verde, e como é lugar montanhoso faz até um frio gostoso de noite, tanto que nem usávamos o ar condicionado, só os ventiladores durante o dia. O dono é muito simpático assim como sua família, é sabendo que eu era brasileiro sempre falava de futebol, é fã do Zico. Tem café da manhã mas é pago a parte, porém recomendo muito, custa só 70 baths e vem com ovo (você escolhe mexido, frito ou omelete), salsicha de frango, duas bananas, pão (2 ou 3), geléia, manteiga, um potinho de salada e café ou chá a vonts, é bem gostoso e sustenta bem. Não possui locker nos quartos.
      Chiang Mai - Chiangmai Shunlin Hostel (2 diárias): THB 260,00
      Vide avaliação anterior.
      Sukhothai - RuengsriSiri Guesthouse (2 diárias): THB 240,00
      Fica exatamente na frente do terminal de ônibus da cidade, basta atravessar a rua. As camas tem uma cortina pequena, o meu quarto não tinha ar, só ventilador, mas de noite dava conta, não era tão quente. Tem um terraço, mesa de ping pong e alvo para jogar dardos, mesinhas do lado de fora e vendem bebidas, quando você se hospeda ganha uma garrafinha de água, mas depois só comprando, não tem onde encher. Os funcionários são simpáticos. O café da manhã é comprado, mas sinceramente não curti muito. Outra coisa ruim é que apesar de ficar na frente do terminal, fica longe da cidade e de tudo, tem uns pequenos restaurantes na rua mas que fecham cedo, se quiser jantar tem que ser antes das 19h, depois a única coisa na região é um 7-Eleven. Tem aluguel de bikes. Sinceramente, só recomendo pra quem vai ficar um ou dois dias pela comodidade de pegar o ônibus na porta. 
      Bangkoc - Feel Like Home Dormitory & cafe (4 diárias): THB 480,00
      Fica há uns 15 minutos andando da Kao San Road, não tem metrô próximo mas tem muitos ônibus que atendem à região e vão para muitos lugares. As camas são um pouco duras, tem ar condicionado, tem locker apenas para coisas pequenas, o café da manhã é razoável (café ou chá, um copo de suco de laranja, dois fatias de pão torrados, geléia, manteiga e uma banana) e é o funcionário que prepara pra você. Tem uam agência anexa ao hostel onde você pode fechar passeios e transportes para outros lugares. Os funcionários são simpáticos e tem uma geladeira onde vendem água e refrigerantes.
      Ao Nang - Sleeper Hostel (4 diárias): THB 1040,40
      Fica localizado na avenida principal, funcionários muito bons e simpáticos, quarto grande, camas boas e com cortinas, o ar condicionado é apenas suficiente (não gela tanto). Os lockers são naquele esquema que fica embaixo da cama. O café da manhã é pago mas não cheguei a consumir; o acesso é feito por cartão, se perder paga (relatarei o que houve comigo); e tem tudo próximo, inclusive a praia não é muito longe. Ah, se puder ficar no quarto de frente pra rua, a vista é espetacular (postarei a foto que tirei da varanda no momento que relatar sobre lá).
      PHI PHI Island - Paradise Dorm Room (2 diárias): THB 378,00
      Localização boa é relativo porque a ilha é pequena, mas esse hostel fica mais próximo do pier de onde sai o ferry que outros, fica atrás do famoso Reggae Bar. A recepção fica na calçada e assim que entra já é o quarto, são dois ao todo, e no final deles tem uma porta que dá acesso a um corredor com 4 banheiros, que, aliás, foram os melhores que encontrei durante a viagem: grandes, com bastante lugar pra por roupa, prateleiras e até espelho. As camas são confortáveis, não tem locker, o ar condicionado fica ligado direto e tem galão de água com opção de gelada ou quente. É extremamente simples mas bem ajeitado e limpo. A senhora que toma conta de lá é muçulmana, é bem calada mas muito boazinha. Recomendo!
       
      SEGURANÇA
      Posso dizer com propriedade que aquela região é bastante segura para viajar, inclusive para mulheres sozinhas. Claro que crimes de oportunidade (batedores de carteira, pequenos furtos) podem ocorrer em qualquer lugar, mas basta ficar atento com seus pertences que tudo dará certo. Não me senti ameaçado ou com medo em nenhum momento. Outra coisa para se ficar atento, sobretudo na Tailândia, são tentativas de golpes, eu não passei por nenhuma tentativa mas li muito a respeito, basta ficar esperto também.
       
      TRANSPORTE
      Em Cingapura, o metrô é muito bom, seguro, limpo, silencioso e eficiente e liga grande parte da cidade, você paga conforme a distância percorrida. Possui também sistema de ônibus mas não cheguei a usar, porém ouvi dizer que é bom também. O aeroporto é ligado pelo metrô.
      Na Malásia, Malaca é pequena e dá pra fazer tudo a pé; já Kuala Lumpur é uma cidade enorme e tem um bom sistema de transporte público: KTM (trem), MRT (monorail), LRT (metrô), é um pouco confuso no começo mas dá pra entender logo. Tem também os ônibus e um serviço de ônibus gratuito chamado GoKL, são quatro linhas que fazem vários pontos da cidade, são ônibus novos com ar condicionado. O aeroporto de KL é muito longe, tem um trem expresso que vai pra lá mas custava 55 ringgits, tem um ônibus que vai pra lá por apenas 12 ringgits, leva uma hora.
      Na Tailândia, em Chiang Mai tem as linhas de ônibus que servem bem à cidade, inclusive dá acesso ao aeroporto, e tem o famoso songthrew, um carrinho vermelho que faz as vezes de lotação, é bem barato também e vai pra todo lado, além dos tradicionais tuk-tuks; em Pai só andei a pé; em Sukhothai usei uma caminhonete velha que faz o transporte da nova para a Old City, tem a opção de alugar uma bike também; em Bangkoc tem o MRT (metrô), que atende uma parte da cidade, o Skytrain, além dos tuk-tuks, táxis e sistema de ônibus, que utilizei muito, pois onde fiquei hospedado não tinha metrô nem Skytrain próximo; em Ao Nang tem uma linha de ônibus que liga até o aeroporto, mas não usei, e os barcos usados para ir até outras praias, como Railay Beach, Tonsai Beach; em Phi Phi tem os taxiboats que levam você a outras praias.
       
      LEMBRANCINHAS
      Cingapura: algumas lojas da People's Park Complex (Chinatown), próximo à Mesquita no bairro árabe, várias lojas e barracas de rua na Little India.
      Malásia: em Malaca uma galeria próxima à A Famosa, uma grande galeria próxima ao Museu Marítimo; em Kuala Lumpur o Central Market tem várias lojas de souvenires e o preço é mais em conta, tem também o bairro Little India e o seu comércio de tudo.
      Tailândia: em Chiang Mai o Night Bazar é de longe o melhor lugar; em Pai a Walking Street; em Sukhothai o entorno do Parque Histórico tem várias lojinhas; em Bangkoc o Chatuchak Market, que só abre finais de semana, o MBK Center, na Kao San Road e na Rambutri tem bastante lojinhas também ou então nos mercados flutuantes; em Ao Nang tem um Night Bazar que fica em Krabi (não cheguei a ir lá) e algumas lojinhas espalhadas pela cidade; em Phi Phi as lojinhas espalhadas pela ilha.
       
      JET LAG
      Sim, eu venci o jet lag, só na volta que deu uma cansada maior, mas na ida foi de boaça, mas precisei fazer uma preparação maluca, que irei contando conforme o relato for seguindo. O fato é que não tive problema nenhum, só no primeiro dia em Cingapura dormi um pouco mais cedo, mas talvez fosse mais pelo cansaço da viagem do que pelo jet leg.
       
       
      Continua...


×