Ir para conteúdo

Posts Recomendados

  • Colaboradores

Nunca pensei que fosse dar tanto trabalho, mas esses vídeos de viagem dão sim! Confiram o vídeo com um resumo de nossa lua de mel em Campos do Jordão com várias dicas do que fazer e comer sem gastar muito! Modéstia parte ficou show de bola! Junte TRIVAGO, TRIPADVISOR e pouco dinheiro para descobrir como se divertir sem gastar muito!

 

 

 

 

  • Gostei! 1
Link para o comentário
  • Colaboradores
17 horas atrás, joshilton disse:

Eu irei, achei a cidade muito linda, igual as cidades da Serra Gaucha.

Falou tudo, tanto que em junho irei pra Poços de Caldas e fim do ano vo descer a serra gaúcha e conhecer Canela e Gramado, viraram meus fascínios!

  • Gostei! 1
Link para o comentário
  • Membros

@Birovisky, lembro de algumas que passamos: Caxias do Sul, Farroupilha, Gramado, Canela, Vacaria, Nova Petrópolis, Bento Gonçalves, Carlos Barbosa, (aqui acredito que ficamos, para um passeio de Maria Fumaça, não tenho certeza se foi nessa cidade), Garibaldi e São Domingos do Sul, tinha umas com nomes de baixa sei lá o que. média e alta com o mesmo nome. Estou com o papel em mãos com os nomes acima. Era para ficarmos 20 dias, acabamos ficando 45 dias, pois a grana estava no fim.

Gramado e Canela SIM, porém, coloque no seu roteiro, Nova Petrópolis, vai adorar essa cidade, que está disputando com as outras duas anteriores, se é que já não se igualou.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
  • Membros

Lindos destinos, mas cada um com sua classificação técnica. * Campos do Jordão é cidade de montanha, com cultura  cosmopolita (mesclada), bem brasileira, é a cidade mais alta do Brasil, quase totalmente acima de 1.600 metros e algumas àreas residencias estão acima de 1.800 metros de altitude (ponto culminante: mais de 2.000 metros acima do nível do mar). Seu clima depende mais da altitude. Já "peguei" frio intenso de geada em pleno mês de janeiro (à noite). Alguns dos bairros mais sofisticados: Capivari e Alto Capivari.

;

*Gramado, cidade de planato de cultura Germânica; com seus pouco mais de 800 metros de altitude,  seu clima depende mais do inverno e da latitude.  Depende também das intervenções antrópicas (comércio, shoppings, empreendimentos), sem desmerecer os atrativos naturais.

;

Como sou de estilo montanhista, eu aprecio muito o mirante do Pico Itapeva (mais de 2.000 metros de altitude)  que pertence a Pinda (bem perto da divisa municipal), mas o caminho é por Campos do Jordão. Há também o Pico do Imbiri de onde se tem linda vista da Pedra do Baú. Cada aventureiro no seu estilo. Curtam.

  • Gostei! 1
Link para o comentário
  • Colaboradores
23 horas atrás, joshilton disse:

@Birovisky, lembro de algumas que passamos: Caxias do Sul, Farroupilha, Gramado, Canela, Vacaria, Nova Petrópolis, Bento Gonçalves, Carlos Barbosa, (aqui acredito que ficamos, para um passeio de Maria Fumaça, não tenho certeza se foi nessa cidade), Garibaldi e São Domingos do Sul, tinha umas com nomes de baixa sei lá o que. média e alta com o mesmo nome. Estou com o papel em mãos com os nomes acima. Era para ficarmos 20 dias, acabamos ficando 45 dias, pois a grana estava no fim.

Gramado e Canela SIM, porém, coloque no seu roteiro, Nova Petrópolis, vai adorar essa cidade, que está disputando com as outras duas anteriores, se é que já não se igualou.

OBrigado pelas  excelentes dicas, ja anotei e enviei pra minha esposa! Uma cidade mais linda que a outra e eu nunca tinha ouvido falar, só de gribaldi por causa do suco!

  • Gostei! 1
Link para o comentário

Participe da conversa

Você pode postar agora e se cadastrar mais tarde. Se você tem uma conta, faça o login para postar com sua conta.

Visitante
Responder

×   Você colou conteúdo com formatação.   Remover formatação

  Apenas 75 emojis são permitidos.

×   Seu link foi automaticamente incorporado.   Mostrar como link

×   Seu conteúdo anterior foi restaurado.   Limpar o editor

×   Não é possível colar imagens diretamente. Carregar ou inserir imagens do URL.

  • Conteúdo Similar

    • Por Fora da Zona de Conforto
      Quer pretenda viajar pelo mundo ou simplesmente quer encontrar uma forma de pagar as suas próximas férias, existem várias opções disponíveis. Para este guia rápido, falamos com nômades digitais veteranos e blogueiros de viagens que têm viajado realizando mochilões pela América e outras regiões para compilar dicas práticas que você pode usar para financiar seu estilo de vida de viagem.
      Houve várias recomendações, mas para facilitar a leitura deste guia, optamos por seguir apenas 17 dicas práticas. Aqui estão 17 maneiras de financiar suas viagens.
       
         1. Torne-se uma Au Pair no exterior
      O programa Au Pair é uma oportunidade especial de intercâmbio cultural projetada para basicamente permitir que você fique em casas americanas. Como Au Pair nos EUA, você é convidada a ir a lares americanos para compartilhar sua cultura enquanto ganha uma valiosa experiência com crianças e explora a América.
      A melhor parte de se tornar uma Au Pair é que não é necessário um diploma universitário ou qualquer experiência anterior em cuidados infantis para se qualificar. Au Pair são estudantes internacionais que moram com famílias americanas e oferecem serviços domésticos leves em troca de hospedagem, alimentação e uma mesada semanal de graça.
       
         2. Ensine Inglês como Língua Estrangeira
      Esta é uma alternativa interessante para o ambiente de sala de aula tradicional. Os empregos TEFL permitem que você experimente a vida no exterior enquanto aproveita o tempo sob os holofotes.
      Embora nenhum diploma ou treinamento formal de ensino sejam necessários para ensinar inglês online, suas chances de encontrar trabalho aumentam se você for certificado. As boas notícias? A obtenção de um certificado TEFL pode ser feita de forma rápida e econômica online. Se você tem dificuldade para se destacar neste setor, seria melhor encontrar opções de trabalho relevantes que você acredita que podem corresponder às suas habilidades.
       
      Continue lendo em: Como Financiar um Estilo de Vida de Viagens: 17 Dicas de Especialistas
    • Por Birovisky
      Além das pousadas, campings e esportes radicais que também vos "rezenharei" neste post, o que Brotas tem mais a oferecer? O famoso Lado B que tanto amo explanar em minhas "rezenhas" está aqui, passeamos pelo Parque dos Saltos (um lindo lugar, todo verde com cachoeiras e uma natureza exuberante, e sabe o que é o melhor? Tudo gratuito!!!), pelo centro de Brotas com escala na Casa da Cachaça (não se engane pelo nome, lá tem de tudo o que você ama ou poderá amar!) e um merecido descanso, unido de uma supimpa diversão no Hotel Fazenda Areia que Canta, com direito a conhecer as tais areias, praticar tirolesa, comer uma abençoada e estupenda refeição e apreciar o que Deus nos concedeu de melhor, a natureza!
       
       
    • Por Fora da Zona de Conforto
      Des Moines, Iowa. A capital do estado de Iowa. Quando alguém ouve a palavra Iowa, a primeira coisa que vem à mente são campos de milho, celeiros e batatas – mesmo para quem vive nos Estados Unidos. Certo?
      Embora o Iowa tenha sua parcela de milho (mas não de batatas – na verdade, Idaho é responsável por essa parte), as muitas cidades – e Des Moines em particular – são áreas metropolitanas prósperas, com muito para ver e fazer.
      E enquanto a área de Des Moines está crescendo, as pessoas que vivem por lá mantiveram o charme e o estilo de vida tradicionais do Meio-Oeste que atraem pessoas para lá há décadas.
      Cidades como Nova York, Los Angeles e Chicago são retratadas no cinema e na televisão há anos. Des Moines? Não muito. Assim, embora os visitantes das cidades mencionadas tenham pelo menos algum tipo de ideia do que esperar ao visitar pela primeira vez, Des Moines é um mistério. Meu objetivo aqui é ajudar você a saber o que esperar da sua primeira visita.
      Sem mais delongas, aqui estão dez coisas que você deve saber antes de visitar Des Moines, Iowa.
       
      Continue lendo em: 10 Coisas que Você Precisa Saber Antes de Visitar Des Moines, Iowa
    • Por Fora da Zona de Conforto
      O sul é a parte mais visitada do Sri Lanka – ou da “Lágrima da Índia”, como essa região é popularmente chamada. Com atrações que vão desde a impressionante cidade colonial portuguesa de Galle, o litoral leste selvagem e o Parque Nacional Yala lotado de leopardos, essa é uma região do mundo que raramente deixa de impressionar quem se aventura a visitá-la.
      Este artigo irá desde as montanhas cobertas de névoa de Ella até o litoral marcado pelas ondas. Nosso objetivo? Descobrir as 10 principais atrações e passeios que você simplesmente não pode perder no sul do Sri Lanka!
      Você irá encontrar praias escondidas com ondas de surfe incríveis no sul do Sri Lanka, caminhadas extremas (e algumas nem tanto assim ) em montanhas com vista para os campos de chá e reservas naturais onde você poderá avistar alguns dos predadores mais famosos da Ásia. 
      Eu também fiz um mapa marcando todos os lugares em Sri Lanka para visitar incluídos neste artigo. Você pode encontrar esse mapa aqui ou abaixo na seção Mapa de Atrações Imperdíveis no Sul do Sri Lanka.
      Preparado? Então vamos lá…
       
      Continue lendo: 10 Melhores Coisas para Fazer no Sul do Sri Lanka – Principais Atrações
    • Por Paulonishi
      Em Florianópolis são muitos os lugares para se visitar, mas um deles é quase obrigatório, a Lagoa da Conceição. Marco da colonização inicial da cidade, tem muitas atrações culturais, históricas e gastronômicas. Deixarei abaixo um panorama do lugar, com dicas e impressões da última visita em dezembro de 2020. 

      A lagoa da conceição é onde a cidade começou.  Está ao leste de Florianópolis e é dividida em duas partes por uma ponte, a lagoa de dentro e a de fora, estando  ligada ao mar pela Barra da Lagoa
      Para se chegar até ela entrando na ilha, pega-se a beira mar Norte até o Itacorubi. Mas calma, não se preocupe porque tem muitas placas indicativas até o acesso à rodovia SC 404, que nos leva até o nosso destino.

      É uma via de pista simples e que fica bem complicada durante a temporada, devido ao movimento intenso e pelo relevo íngreme e bem sinuoso.
      Na parte mais elevada, temos um mirante com um pequeno estacionamento gratuito. Oportunidade para se ter uma visão da bela paisagem da região.
      Depois disso, agora é só descida, mas com curvas ainda mais fechadas, pedindo muita atenção e paciência até o final.
      Chegando no chamado centrinho da Lagoa, o mais difícil e encontrar um lugar para estacionar durante a temporada, porque na principal são poucas vagas e as ruas transversais são bem estreitas.

      Apesar de poucos hotéis, tem muitas opções de hospedagem em hostels e casas de aluguel por temporada, que considero a melhor opção para quem viaja acompanhado.
      Encontrando uma opção próxima ao centrinho e ao terminal urbano, é possível explorar as principais atrações à pé e de ônibus, sem o stress do trânsito e do gasto com estacionamento.

      Da pequena ponte que corta parte da lagoa, se tem uma bela visão da marina e da chamada Lagoa de fora… Boa também para observar o cotidiano do lugar
      A avenida das rendeiras é passagem obrigatória e caminhar pelo calçadão é uma ótima maneira de apreciar a vista com calma e temos acesso às belíssimas dunas de areias branquinhas e bem finas, é uma atração bem característica da região.

      Continuando a caminhada no sentido a Joaquina, essa parte da Lagoa tem uma boa estrutura para passar o dia, com sombras e gramados, além de ser bem em frente aos restaurantes. Bateu fome, é só atravessar a rua para comer. Conta também com quiosques, aluguel de caiaques e aulas de Stand Up e windsurf.

      Suas águas são bem rasas e limpas na maior parte da sua extensão, mas convém sempre dar uma conferida, principalmente nas épocas de maior movimento.
      A lagoa de dentro tem águas mais escuras.. parecendo sujas 😦
      No Centrinho encontramos agências bancárias dos principais bancos, supermercados, vários restaurantes e um comércio bem variado… ah, e muitos brechós!
      Estando por lá, não deixe de visitar a parte histórica, que preserva parte do calçamento original que dá acesso ao Santuário de Nossa Senhora da Imaculada Conceição da Lagoa, que deu o nome a esta região.

      Esta igreja recebeu a visita ilustre de Dom Pedro II por 2 vezes, que doou 2 sinos para ela. Um pouco mais acima, ainda preservando a arquitetura colonial, temos a casa do vigário, datada do século 18, mais uma belo panorama do lugar.
      Em termos de opções gastronômicas, temos uma variedade bem grande, assim como em preços… Uma boa opção para quem gosta de culinária oriental é esse buffet, com ótima variedade em carnes, saladas e até sushis.

      Fica no Shopping Via Lagoa e abre todos os dias para almoço
      Você vai encontrar dois tipos de ônibus. O amarelo é o executivo. É mais caro (o dobro do comum) e confortável. Para em qualquer lugar também, bastando acenar. O outro é comum (azul e branco), que tem interligação entre os terminais.

      A terceira opção são os barcos, que fazem o transporte pela Lagoa nos mesmos valores dos ônibus urbanos.

      O transporte por aplicativo também é uma opção… Não tão barata, mas com uma ótima disponibilidade e comodidade para quem quer conhecer as outras atrações na ilha, principalmente a noite
      As atrações mais próximas são o passeio de barco até a Costa da Lagoa, a Praia da Barra da Lagoa, a Praia Mole, Praia da Joaquina.
      E, para aqueles dias em que está chovendo muito, uma ida até o centro da cidade para visitar o mercado público ou andar pelos museus e igrejas é uma das opções.
      Ah e no final da tarde, o por do sol na Lagoa é imperdível!
      Esse é só um resumo, procurei detalhar e ilustrar no vídeo sobre o lugar. Dá uma conferida e se lhe foram úteis as informações, deixe o seu comentário e o like lá no youtube (@trips.flicks).
      É isso aí, um grande abraço e até breve!
       
       

       
×
×
  • Criar Novo...