Ir para conteúdo

Pesquisar na Comunidade

Mostrando resultados para as tags ''santiago do chile''.

  • Pesquisar por Tags

    Digite tags separadas por vírgulas
  • Pesquisar por Autor

Tipo de Conteúdo


Fóruns

  • Fazer perguntas
    • Perguntas Rápidas
    • Perguntas e Respostas & Roteiros
  • Encontrar Companhia para Viajar
    • Companhia para Viajar
  • Enviar e ler Relatos de Viagem
    • Relatos de Viagem
  • Planejar e relatar experiências em Trilhas e Travessias
    • Trilhas e Travessias
  • Tirar dúvidas e avaliar Equipamentos
    • Equipamentos
  • Outros Fóruns
    • Demais Fóruns
    • Saúde do Viajante
    • Notícias e Eventos

Encontrar resultados em...

Encontrar resultados que contenham...


Data de Criação

  • Início

    FIM


Data de Atualização

  • Início

    FIM


Filtrar pelo número de...

Data de Registro

  • Início

    FIM


Grupo


Sobre mim


Ocupação


Próximo Destino

Encontrado 6 registros

  1. Foram 15 dias de viagem pela terra dos nossos hermanos, Argentina e Chile passando pelo agito de Buenos Aires, pelas belezas naturais de Bariloche, pelas manifestações de Santiago e pelas paisagens indescritíveis de San Pedro do Atacama. Neste relato partilhamos alguns detalhes e passeios que realizamos nesta trip. (Quem se interessar compartilharmos com Mochileiros.com um relato da nossa viagem pela Europa https://www.mochileiros.com/topic/80418-colecionando-bandeirinhas-gaúchos-na-europa-portugal-espanha-frança-bélgica-holanda-alemanha-e-suíça/ RESUMO DA VIAGEM Data Local Data Local 01/12/19 Rio Grande, Porto Alegre - Brasil/ Buenos Aires - Argentina 09/12/19 Santiago - Chile 02/12/19 Buenos Aires - Argentina 10/12/19 Santiago - Chile 03/12/19 Buenos Aires - Argentina 11/12/19 San Pedro do Atacama - Chile 04/12/19 Bariloche - Argentina 12/12/19 San Pedro do Atacama - Chile 05/12/19 Bariloche - Argentina 13/12/19 San Pedro do Atacama - Chile 06/12/19 Bariloche - Argentina 14/12/19 Santiago - Chile 07/12/19 Buenos Aires - Argentina 15/12/19 Santiago - Chile/ Buenos Aires - Argentina/ Porto Alegre, Rio Grande/ Brasil 08/12/19 Santiago - Chile - - SAINDO DO RIO GRANDE DO SUL Iniciamos nossa trip no dia 01 de dezembro de 2019 partindo da cidade do Rio Grande situada no estado do Rio Grande do Sul, extremo Sul do Brasil, percorrendo 369 Km de ônibus rumo a capital Porto Alegre. Em Porto Alegre iniciamos nossa trip internacional embarcando no voo da companhia área Aerolíneas, sobrevoando cerca de 849 Km com duração de 1 hora e 35 minutos até chegarmos ao destino de Buenos Aires, Argentina. CONHECENDO BUENOS AIRES 🇦🇷 Apesar de Buenos Aires estar situada a 1051 Km da nossa cidade (Rio Grande) foi a primeira vez que a visitamos. A capital porteña é também conhecida como a Paris da América do Sul, por ser uma das cidades com arquitetura e hábitos mais semelhantes aos trazidos pelos colonizadores europeus, além de ser considera uma cidade com alto custo de vida. Particularmente nós achamos a cidade bem mais econômica que as cidades do Chile. O idioma falado é o espanhol (super entendível) e a moeda (la plata) é o peso argentino. Nós ficamos hospedados em Buenos Aires em dois bairros diferentes, na primeira parte da viagem nossa residência foi na Villa Crespo próximo ao Palermo, já na segunda parte em La Boca. Nos dois bairros tivemos ótimas estádias e anfitriões. La Boca é um bairro periférico às margens do arroio Riachuelo que nos encantou pelas suas casas coloridas da Calle Caminito, pelos espetáculos de tango na rua e exposições de artesanato. Em La Boca também visitamos o estádio La Bombonera, famoso pelo seu formato semelhante a uma caixa de bombons. Já a Villa Crespo foi nosso preferido, especialmente, pelas áreas de lazer, parques e praças ao lar livre e os bares ao redor da Plazoleta Julio Cortazar. Lembrando que nós gostamos de explorar os lugares caminhando e tomando o nosso companheiro de viagem “chimarrão”, então todos os lugares que visitamos nesta cidade foram através do nosso melhor transporte “a pé”. Para quem quer assistir a um espetáculo de tango de forma gratuita a Plaza Dorrego no bairro San Telmo é o canal, o local ainda conta com diversos artísticas expondo seus trabalhos. A poucos metros da praça também está situado o Mercado San Telmo com diversas lancheirias. Além desses locais também visitamos o Obelisco e a Plaza Mayo onde estão concentrados alguns prédios históricos como a Casa Rosada, o Cabilto, o Banco de la Nación, o Palácio del Congreso e a Catedral Metropolitana. Na Recoleta visitamos a Floralis Genérica, situada na Plaza de las Naciones Unidas. Também realizamos um passeio um tanto quanto exótico no Cemitério de La Recoleta onde está localizado o tumulo de personalidades como da Eva Duarte de Perón e do casal cujo busto está posicionado um de costas para o outro devido a uma desavença entre os cônjuges. Para quem gosta do contato com a natureza, o pé no chão, ouvir os pássaros, praticar atividades ao ar livre e fazer um piquenique o Parque Centenário no Caballito é perfeito. Dentre os badalados locais que os porteños curtem a noite, vale uma caminhada pelo Puerto Madero conhecido pelos seus bares e pela Puente de la Mujer. Falando em curtir a noite, vai algumas dicas de delícias culinárias para serem apreciadas. A primeira delas é “La casa del dulce de leche”, lá você pode degustar diversos sabores do doce até escolher um para chamar de seu ou até enjoar de tanto experimentar. Também não dá para ir a Buenos Aires e deixar de provar o famoso choripan acompanhado com o chopp no “Chori”, tão recomendado pelo Somebody Feed Phil (assistam na Netiflix ele dá várias dicas de delícias para se comer ao redor do mundo). O Chori fica situado no bairro Palermo, o que dá para de quebra tirar umas fotos tri legais em alguns dos inúmeros grafites que colorem as ruas do bairro. Outra pedida é comer uma fugazzetta no restaurante Caracol próximo ao Mercado San Telmo, assim como uma medialuna e croissant em qualquer confeitaria ou cafeteria do Retiro. Já ia esquecendo de mencionar os alfajores Havana, ótima alternativa para dar aquela "energia" que só o chocolate nos proporciona. SURPREENDIDOS POR BARILOCHE 🇦🇷 A estrela desta trip foi sem dúvida San Carlos de Bariloche, um dos destinos preferidos dos brasileiros na Patagônia Argentina. Chegando em Bariloche alugamos um Nissan Versa, que facilitou nosso transporte do Aeroporto Internacional Teniente Luis Candelaria até a cidade que fica cerca de 15 Km. Além disso, nos permitiu autonomia para fazer passeios em distâncias que levaríamos dias caminhando. Em Bariloche ficamos em uma cabana localizada em Posada del Camino em El Condor Dina Huapi. Essa era um verdadeiro luxo, situada em um local mais afastado da cidade, com uma vista da janela para uma montanha que era de tirar o fôlego, além de ser climatizada e com banheiro e cozinha privativos. Depois de nos instalarmos, preparamos uns comes e bebes e fomos para o nosso primeiro passeio, o circuito Chico. A rota desse circuito é repleta de lagos, montanhas, rios e mirantes, vale a pena visitar o local seja de automóvel, de bike ou caminhando como muitos mochileiros fazem. Nós ficamos tentados em realizar o trajeto de bike, mas como queríamos explorar outros lugares no mesmo dia, acabamos deixando para uma próxima oportunidade. Não somos fãs de pontos turísticos clichês, então em uma rápida caminhada pelo Centro Cívico de Bariloche passamos pelo Lago Nahuel Huapi que é visto por toda a cidade, pelo centro turístico, pela Diocese Bariloche, pelo comércio local com os seus encantadores chalés de madeira e pedra e pelo Museu Francisco P. da Patagônia, onde está situada a estátua em homenagem aos cães da raça São Bernardo, a qual é famosa pela capacidade de enfrentar a neve e os perigos dos Alpes. Mas o que nos encantou mesmo nesta cidade foi a vista do azul dos lagos que se mistura com branco dos alpes, com o azul do céu e com o verde da vegetação. A vantagem de ir de carro foi percorrer as paisagens que levam ao caminho dos 7 lagos (Espejo Chico, Correntoso, Escondido, Falkner, Villarino, Machónico, Lácar). Nós conhecemos os três primeiros lagos e decidimos parar na Playa do Lago Correntoso. A sorte de visitar a cidade no verão é que podemos nos banhar no azul do lago e nos deslumbrar com a imagem da neve ao fundo. Confesso que água não era das mais quentes, mas aquela cor azul nos convidava para um mergulho. Também subimos o Cerro Otto onde está situada a Confeitaria Giratória e o Teleférico. O caminho para este lugar é incrível enquanto você vai admirando a vista dos alpes e da cidade é tomado pela adrenalina de subir 1.405 metros de altitude. Outra pedida para os amantes de aventura na natureza é fazer a trilha da Cascata de los Duendes, assim como, aproveitar a prática de esportes náuticos na Playa Centenáro e na Playa las Bombas. Em Bariloche nossas refeições foram todas feitas na própria cabana, dentro do carro ou em um piquenique ao ar livre com a vista de um lago e uma montanha ao fundo. Dentre as nossas comidas preferidas estão as empanadas argentinas, e de sobremesa os alfajores e doce de leite. Apesar de sermos amantes de cerveja artesanal, também somos abertos a experimentar as cervejas locais Patagônia e Quilmes. MOMENTO HISTÓRICO EM MEIO AS MANIFESTAÇÕES EM SANTIAGO 🇨🇱 Os protestos em Santiago, capital do Chile, se intensificaram em outubro de 2019 devido a revolta dos cidadãos contra a crise econômica que o país vinha enfrentando e o autoritarismo do governo. Aqui no Brasil não tínhamos noção da dimensão dos problemas que o país vinha enfrentando e não imaginávamos que os manifestos perdurariam até a data da nossa viajem. Enfim, chegando em Santiago é que tomamos conhecimento de todos os acontecimentos e de como a população vinha sofrendo com os abusos do governo (não muito diferente do que temos vivido no Brasil nestes últimos anos). Presenciamos alguns confrontos entre os manifestantes e os carabineiros, como é chamada a polícia local. Infelizmente vimos uma Santiago com diversas praças, prédios e monumentos históricos depredados, com uma população desolada com as injustiças sociais e em luto pelas mortes provenientes dos confrontos. Por outro lado, também vimos algumas manifestações pacificas, como o manifesto feminista contra os abusos e a violência sofridas pelas mulheres. Foi lindo ver tantas pessoas lutando por uma sociedade mais justa, humana e igualitária, sem violência e com seus direitos reconhecidos. Apesar de não encontramos uma Santiago organizada como era de costume, nossa experiência não foi menos significativa, pois entendemos que o fato de estarmos naquele tempo e lugar nos tornou parte daquela história. Ficamos hospedados na primeira parte da viagem na Região Metropolitana e na segunda parte em Cristóban Colon la Condes. Nossa estádia em ambos os bairros foi tranquila, mas era notável que o segundo bairro era bem mais elitizado, com prédios, casas e shopping luxuosos. Devido as manifestações achamos mais prudente não alugar um carro, pois diariamente as vias eram fechadas e alguns automóveis incendiados. Dessa forma, nossos passeios foram basicamente caminhando. Em decorrência das manifestações fomos recomendados pelos nossos anfitriões a não andar nas ruas após 17 horas e evitar passar na Praça Itália. Mas por descuido nosso em um dos passeios ao Sky Costanera, prédio com 300 metros de altura que possibilita uma vista de 360° da Cidade, passamos nesta praça justamente no momento em que estava acontecendo uma manifestação. O registro desse momento ficou só em nossa memória, achamos que não era adequado pararmos em meio a manifestação para fotografarmos de um lado o cordão de isolamento feito pelo carabineiros e pelos tanques militares, e de outro os milhares de manifestantes mascarados que se estendiam por diversos quarteirões. Para nossa sorte não tivemos nenhum problema e conseguimos chegar ao nosso destino em segurança. Nem só de manifestações foi feita nossa viajem por Santiago, também passamos por alguns lugares icônicos como Cerro San Cristóban, Templo Bahá'í de Sudamérica e o famoso Cajón del Maipo. Como não estávamos de carro, fechamos o passeio de Cajón del Maipo com uma agência de turismo, cujo atendente era um baiano e o motorista da van e o guia uns chileno gente boa. A opção pelo transporte com a agência foi a melhor ideia, pois a estrada até o Cajón é de chão batido e durante o caminho aconteceram alguns deslizamentos de pedras. Esses deslizamentos são recorrentes na região, mas com o conhecimento sobre o trajeto do nosso motorista que sabia o momento exato de parar a van ou desviar a tempo, a viagem discorreu tranquilamente. O passeio com a agência engloba paradas: em um restaurante chamado Cumbres del Maipo, onde tem vários animais como lhama, alpaca, vicunha, guanaco, entre outros; no Tunel Ferroviario del Tinoco; na Animita de Willy Rojas; nas Termas Valle de Colina com um piquenique com frios e vinho chileno. Até o período de julho de 2019 o passeio incluía também o Embalse El Yeso, mas devido a um acidente trágico com uma família de brasileiros, justamente devido a um deslizamento de pedras neste local, a visita até lá está suspensa por tempo indeterminado. Vamos falar sobre algumas comidas que experimentamos em Santiago. Experimentamos mais de uma vez o completo com palta, é uma espécie de cachorro-quente com abacate, para os chilenos o abacate é considerado um alimento que acompanha as diversas refeições. Também provamos o pastel de choclo, que no caso não tem nada a ver com um pastel que estamos acostumados. Isso porque o pastel em espanhol quer dizer bolo ou torta, e choclo significa milho, logo pastel de choclo é uma espécie de bolo de milho recheado com carne moída e outros ingredientes. A diferença de idioma tem destas peças. Outro prato que comemos foi hambúrguer de salmão, para quem não sabe o salmão que comemos no Brasil tem quase sua totalidade de origem no Chile. Além disso, também apreciamos algumas cervejas como Kunstmann, Austral e Royal Guard. O ATACAMA E SUAS PAISAGENS INDESCRITÍVEIS 🇨🇱 A segunda estrela da viagem foi San Pedro do Atacama, considerado o deserto mais árido do mundo. Para chegar ao Atacama nós descemos no Aeroporto Internacional El Loa que fica em Calama a 101 Km do centro de San Pedro do Atacama e alugamos um carro pela Sixt Rent a Car. A dica é reservar com antecedência, pois além de melhores tarifas você não corre o risco de chegar lá e não ter nenhum carro disponível, como quase aconteceu conosco. O carro que nós alugamos foi um Gol que deu conta de nos levar pelas estradas desérticas mais lindas da América do Sul. A cidade é uma graça, com ruas de terra e casas de adobe. Caminhando nós conhecemos o centro da cidade que é formada basicamente por seis quarteirões sendo a rua principal a Caracoles. No centro nós conhecemos a Igreja de San Pedro de Atacama, Plaza San Pedro de Atacama, mercados, restaurantes e lojas com artesanato local. Para quem quer fazer umas comprinhas de lhamas, tecidos coloridos e balas ou folhas de coca o local certo é a Paseo Artesanal, uma rua coberta de palha na qual os expositores colocam a sua arte a venda. Estar de carro pelo Atacama nos possibilitou realizar diversos passeios sem precisar de agência de turismo. Nós pudemos nos encantar pelo azul das lagoas escondidas de Baltinache, ao todo são sete lagunas cada uma com um tom diferente de azul, sendo que em duas dessas (a primeira e a última) é permitido o banho. Apesar da água não ser das mais quentes, a experiência de flutuar nessas lagunas de sal é incrível. Para compensar o frio nós visitamos as Termas de Puritama, cerca 30 Km de distância da área central de San Pedro do Atacama. Composta por oito piscinas naturais que variam de temperatura entre 28°C e 35°C. Também vale um passeio pelo Valle de la Luna para prestigiar um digno sunset no deserto. A cidade vive do e para o turismo, então a entrada em todos estes passeios são pagos. A alimentação no Chile, especialmente, no Atacama não é das mais baratas, porém a comida é bem deliciosa. Alguns restaurantes servem prato do dia com entrada, prato principal e sobremesa com valor acessível, como o restaurante Ayullu. Vale também uma passada na heladeria Babalu para tomar um sorvete de folhas de coca ou quinoa, dois sabores caraterísticos da região. Por falar em quinoa diversos pratos levam este cereal, como o quinoto (risoto de quinoa) e o ceviche de quinoa, dentre outros. Para não esquecer, também vale comer a patasca, prato típico andino, que consiste em um caldo com trigo ou milho, temperos e carne. Sobre os transportes Nesta trip nós utilizamos basicamente quatro tipos de transporte avião, Uber, carro alugado e a caminhada. No trajeto de avião nós compramos um pacote multidestinos de ida e volta entre Porto Alegre, Buenos Aires e Santiago pela Aerolíneas. A Aerolíneas é uma empresa área Argentina, que oferece um serviço básico com lanche que inclui uma barrinha de cereal, mix de oleaginosas e um café, chá e/ou água. Também compramos as passagens domésticas entre Buenos Aires e Bariloche e entre Santiago e San Pedro do Atacama ambas pela Jetsmart. Essa é uma empresa do tipo low cost que apesar de não oferecer nenhum um lanche, compensa pelos valores de voos baixíssimos. Nas cidades de Buenos Aires e Santiago nós utilizamos o Uber para fazer os deslocamentos entre os aeroportos e os locais de nossas estádias. Na Argentina apesar do Uber ser liberado existem muitos motoristas irregulares, já no Chile o Uber não é legalizado o que implica em alguns fatores como a solicitação e o embarque em pontos específicos da cidade e o pagamento, muitas vezes, exigido em dinheiro. Já em Bariloche e em San Pedro do Atacama nós alugamos carros. No primeiro destino um Nissan Versa e no segundo um Gol, ambos deram conta de subir os cerros ou percorrer as estradas de chão no deserto. Nestas quatro cidades sempre que possível utilizamos o nosso transporte favorito, a caminhada sempre com o nosso velho amigo o chimarrão. Documentação Além dos passaportes, da carteira internacional de vacinação, da Carteira Nacional de Habilitação e da Permissão Internacional para Dirigir, ainda montamos um dossiê com a cópia de todos documentos: seguro viagem contratado com a empresa Allianz, hospedagens reservadas no airbnb e no booking, comprovantes financeiros, cópia da reserva da passagem de volta para Brasil e comprovantes de residência no Brasil. Nos países da América do Sul os brasileiros podem viajar apenas com o documento de identidade, lembrando que a Carteira Nacional de Habilitação não substitui a identidade em viagens internacionais. Moeda Nós realizamos o câmbio nos próprios países e em apenas duas cidades, o primeiro foi em Buenos Aires trocando o real pelo peso argentino, na Avenida 9 de Julho. No segundo momento trocamos o real pelo peso chileno em Santiago, na Rua Agustinas. Em alguns momentos da viagem optamos por usar o cartão de crédito internacional pela praticidade em não carregar dinheiro espécie. Um perrengue que passamos foi tentar fazer compras nos mercados e o cartão não passar, por sorte descobrimos que o problema era um pedaço do plástico que estava solto e impedia a leitura do chip. Depois de duas tentativas de compras negadas e da descoberta do problema, cortamos o plástico e o cartão voltou a funcionar normalmente. Sabe aquele seu cartão que está velhinho, melhor trocar antes que você fique empenhado. Esperamos que nosso relato possa contribuir e despertar o espírito mochileiro em outros viajantes! Partiu próximo destino?
  2. O horizonte chileno, com suas montanhas nevadas em todo o redor que fazem da cidade um vale, é tão balsâmico quanto o mar. É um cenário um tanto inacreditável, ver-se numa metrópole enquanto os olhos alcançam picos cobertos de neve em meio ao sol. Fizemos essa viagem em setembro de 2018. Começamos em Santiago, visitamos Valparaíso e seguimos para o San Pedro do Atacama (farei os posts das cidades separadamente). Ficamos 3 dias na capital e foi suficiente. Nos hospedamos em Providência, bairro cheio de bares e restaurantes, com uma vida noturna bem ativa e de fácil acesso para todo lugar. Ali também fica o shopping Pátio Bellavista, um shopping aberto, pequeno e charmosinho. Cerro San Cristóbal Santiago pede a ida a um lugar alto para entender a cidade-vale. Das duas opções que a cidade oferece, uma é algo super urbanóide, chamado Sky Costanera, uma espécie de Empire State chileno, o prédio mais alto da América Latina. A outra é um teleférico em meio a natureza que leva até o Cerro San Cristóbal. É claro que escolhemos a que o homem portou-se de maneira um pouco menos troglodita com o mundo. O Cerro San Cristóbal, lá no topo da cidade, poderia ter menos pessoas, mas a vista vale o passeio. Nos impressionou ver uma camada de névoa ao longe e saber que é poluição. É triste e sem nexo ver o homem construir locais e acessos a pontos altos numa tentativa de apreciar o horizonte e seguir produzindo carros e ônibus e fábricas para tornar todo esse trabalho vão. Subimos de teleférico e descemos de funicular. Há a opção de subir e descer a pé, para quem curte uma escalada. Endereço: Pio Nono, 450 - Bellavista Site: http://www.parquemet.cl Horário de funcionamento Funicular: de segunda a terça, das 14h30 às 19h30; quarta a sexta das 12h30 às 19h30; sábado e domingo, das 10h30 às 19h30. Teleférico: de segunda a terça, das 14h30 às 19h30; quarta a sexta, das 12h30 às 19h30; sábado e domingo das 10h30 às 19h30. Lastarria Lastarria é o bairro charmoso da cidade. Ruazinhas pequenas, cafés, restaurantes, o Centro Cultural Gabriela Mistral - primeira poeta chilena a receber um Prêmio Nobel e alguém de quem os chilenos sentem imenso orgulho. Vale uma visita para ver o que está rolando na programação ou para tomar um café e um solzinho no pátio interno. Ali perto também tem sorvetes maravilhosos. A paleta de pistache é de outro mundo. Você encontra no Empório La Rosa, que fica nas esquina da Calle Merced com o Parque Forestal, outro lugar imperdível para caminhar, brisar ou fazer um picnic. Emporio La Rosa - Calle Merced, 291 La Chascona La Chascona é o xodó de Santiago, e não poderia não ser. A casa que Pablo Neruda construiu para encontrar-se com Matilde, por um período sua amante e depois sua mulher até a morte, é toda pensada para ser parte da natureza que a rodeia, fazendo do lugar uma espécie de ninho de amor. Chascona significa descabelada, e era assim que ele chamava sua Matilde. A casa é quase um clichê do romantismo poético, com as iniciais M e P espalhadas nas janelas de ferro de todos os cômodos. O amor chega a ser palpável ali. Colecionadores de arte e grandes amantes dos encontros, Pablo e Matilde moldaram uma casa que permitia a delicadeza de receber diferentes amigos em ambientes distintos, e em todos eles, muitas referências ao mar. A casa foi brutalmente invadida e inundada no golpe militar que levou Pinochet ao poder e Salvador Allende ao suicídio - o que acelerou a morte de Neruda, que sofria de um câncer há anos e, ao saber da cruel invasão, foi para o hospital e morreu dias depois, de tristeza e desgosto. Matilde, que foi uma mulher forte e importante e figura essencial nas causas de direitos humanos, lutando com Neruda contra a ditadura chilena, fez questão de velar o marido ali, no meio daquele vandalismo descomunal. Transformou as 3 casas de Neruda em uma fundação, abrindo-as ao público e levando o poeta para perto das pessoas. Os dois estão enterrados juntos numa delas, Isla Negra, de frente para o mar. Endereço Fernando Márquez de la Plata 0192, Barrio Bellavista, Providencia, Santiago. Fone: +56-2-2777 87 41 / +56-2-2737 87 12 Site: [email protected] Horário de Funcionamento • Março a dezembro: terça a domingo de 10:00 a 18:00 hrs. • Janeiro e fevereiro: terça a domingo de 10:00 a 19:00 hrs. • Segunda - fechado. Valores • Entrada geral: $7.000 (Siete mil pesos) por pessoa. • Entrada preferencial: $2.500 para estudantes e chilenos maiores de 60 anos. *Os estudantes estrangeiros devem apresentar a Credencial Estudantil Internacional O que não recomendamos: - A ida ao mercado municipal para comer o famoso King Crab é uma furada. O lugar é super turístico, meio sujo e a iguaria é fortunosa, quase 500 reais o prato. - Sky Costanera, o prédio mais alto da América do Sul. Uma torre imensa e espelhada, plantada no meio da cidade, totalmente comercial e com a vista de toda a metrópole. Não subimos. Nosso estilo de viagem não é tão urbano assim. *** https://www.instagram.com/trip_se_/
  3. Nossa primeira viagem ao Chile foi incrível! A primeira vez na neve a gente nunca esquece, né!? Como recordação produzi um vídeo contendo trechos de diversas partes do chile, espero que gostem! ♥
  4. Roteiros para Viajantes é um blog de viagens, principalmente para encorajar mulheres a viajarem sozinhas e acreditam que tudo vai ser muito complicado. Estudos mostram que mulheres preferem viajar sozinhas pela independência e liberdade. Organizando o seu próprio roteiro, tendo a possibilidade de conhecer novas pessoas e ter experiências únicas. Geralmente, as mulheres que viajam sozinhas acabam tendo uma autoconfiança melhor de si, mesmo com alguns medos, elas tentam enfrentá-los, mostrando que sempre é possível buscar seus objetivos. Veja também o infográfico: [Infográfico] Mulher Viajante: Não tenha medo de viajar sozinha. Minha missão é incentivar as mulheres a viajarem, mesmo sem companhia. Mostrando que viajar sozinha e planejar sua viagem melhora a autoestima, confiança, a saúde mental e até mesmo a depressão. Roteiros para Viajantes pode ajudá-la a planejar sua viagem de forma mais prática e fácil. Saiba mais: https://www.roteirosparaviajantes.com.br/
  5. Fala mochileiros !! Minha primeira trip internacional sozinha !!! Chegarei no Chile dia 23/05, vou embora dia 27/05 para Buenos Aires e volto ao Brasil dia 31/05. A passagem e o hostel já estão certos , minha dúvida é: Troco meu dinheiro aqui ou no chile/Argentina ? Compro um pouco de dólar ? Translado do aeroporto ao centro , qual a melhor e econômica opção ? Em todos os lugares vão aceitar meu peso ou vão pedir dólar ? Dicas de passeios to aceitando !
  6. Passamos um dia inteiro em Viña del Mar (dormimos no Jaguar, um hostel muito legal) durante o inverno e com nosso filho de quase 3 anos e criei um post mostrando que a cidade não é tao sem graça como muitos dizem. Neste post, elenquei 10 coisas a se ver na cidade e que fizemos caminhando: https://www.turistando.in/o-que-fazer-em-vina-del-mar/
×
×
  • Criar Novo...